22 DE NOVEMBRO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Mais agilidade na hora de comprar os alimentos da merenda escolar. Cartões de débito vão ser distribuídos a estados e municípios. E segundo presidente Michel Temer, vai garantir mais de 50 milhões de refeições aos estudantes todos os dias. Combate à pedofilia. 1 mil policiais participam da Operação Luz na Infância. Ministério da Saúde prorroga inscrições para o Mais Médicos. E você já está ansioso para as promoções da Black Friday? A Voz do Brasil dá todas as dicas pra fugir de propagandas enganosas e garantir compras seguras.

audio/mpeg 22.11.18.mp3 — 46869 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 22 de novembro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Mais agilidade na hora de comprar os alimentos da merenda escolar.

 

Gabriela: Cartões de débito vão ser distribuídos a estados e municípios.

 

Nasi: E, segundo o presidente Michel Temer, vai garantir mais de 50 milhões de refeições aos estudantes todos os dias.

 

Presidente Michel Temer: Nós estamos dando um passo importantíssimo para a modernização do próprio fundo, para que o dinheiro chegue com mais agilidade aos estados, às escolas, com o cartão.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Combate à pedofilia.

 

Gabriela: Mil policiais participam da Operação Luz na Infância. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: Entre os crimes identificados estão o armazenamento, o compartilhamento e a produção de pornografia infantil.

 

Nasi: Ministério da Saúde prorroga inscrições para o Mais Médicos.

 

Gabriela: E você já está ansioso para as promoções da Black Friday?

 

Nasi: A Voz do Brasil dá todas as dicas para fugir de propagandas enganosas e garantir compras seguras.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Uma grande operação está sendo realizada no país para prender criminosos envolvidos com pornografia infantil.

 

Nasi: É a terceira fase da Operação Luz na Infância.

 

Gabriela: De acordo com o último balanço divulgado no final da tarde, 45 pessoas já haviam sido presas.

 

Nasi: Essa é a quinta operação integrada do Sistema Único de Segurança Pública, e com uma novidade.

 

Gabriela: A ação tem a parceria da Argentina e dos Estados Unidos.

 

Nasi: Quase mil policiais estão atuando na operação.

 

Repórter Cleide Lopes: A ação dessa quarta feira, realizada em coordenação entre o Ministério da Segurança Pública e as Polícias Civis do Distrito Federal e de 18 estados, cumpre 69 mandados de busca e apreensão, desde as primeiras horas do dia, como explica o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Nós hoje deflagramos a 3ª Operação Luz na Infância, que visa exatamente a coibir aqueles que, através da internet, exploram e abusam das nossas crianças. Esse é um crime asqueroso, porque ele macula e profana a nossa juventude e as nossas crianças. E, evidentemente, isso as compromete, e compromete também o nosso futuro. Não existe anonimato em rede social, não existe impunidade em rede social. E a Polícia Federal tem condições de chegar a quem cometer esses crimes.

 

Repórter Cleide Lopes: De acordo com o ministro, a deflagração desta operação, junto com outra ação da Polícia Federal, que investiga crime de pedofilia, é o resultado de vários meses de investigações, e estão envolvidos agentes, peritos e delegados. Segundo o ministro Raul Jungmann, pela primeira vez, a ação é realizada em parceria com os Estados Unidos e com a Argentina.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: E nós vamos prosseguir nessa atuação conjunta, que é exatamente fruto do Susp, o Sistema Único de Segurança Pública, que reúne todas as forças do Judiciário, das Forças Armadas, das polícias, do Ministério Público e da inteligência, e que agora se articula tanto com a Argentina como os Estados Unidos, para promover esta operação.

 

Repórter Cleide Lopes: Entre os crimes identificados estão o armazenamento, o compartilhamento e a produção de pornografia infantil. O balanço total da operação realizada nessa quarta-feira será divulgado amanhã pelo Ministério da Segurança Pública. Reportagem: Cleide Lopes.

 

Gabriela: As inscrições para o Mais Médicos foram prorrogadas até o dia 7 de dezembro.

 

Nasi: Segundo o Ministério da Saúde, a medida foi tomada devido à instabilidade da página do programa na internet, causada por ataques cibernéticos.

 

Gabriela: A data de apresentação aos municípios também mudou, agora ela termina no dia 14 de dezembro.

 

Nasi: Mais de 11.400 profissionais já fizeram a inscrição para o programa, que vai substituir os médicos cubanos.

 

Gabriela: São mais de 8.500 vagas para 2.800 municípios e 34 distritos indígenas.

 

Nasi: As inscrições são feitas em maismedicos.gov.br.

 

Gabriela: O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, indicou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, os nomes de três economistas para o novo governo.

 

Nasi: As indicações são para os comandos do Banco do Brasil, da Caixa e do Ipea, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, responsável por estudos que ajudam na formulação de políticas públicas.

 

Repórter Daniele Popov: O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, recomendou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, a indicação do economista Rubem de Freitas Novaes para presidir o Banco do Brasil. Novaes é PHD em Economia pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, e já foi diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, e presidente do Sebrae. Para a presidência da Caixa Econômica Federal, Guedes indicou o economista Pedro Guimarães, PHD em Economia pela Universidade de Rochester, também nos Estados Unidos, e especialista em privatizações. E para o comando do Ipea, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o indicado é Carlos von Doellinger. Economista da Universidade Federal do Rio de Janeiro, ele já foi secretário do Tesouro Nacional. O presidente eleito Jair Bolsonaro falou sobre os critérios que estão sendo aplicados na escolha dos nomes que vão compor o governo a partir do ano que vem.

 

Presidente eleito - Jair Bolsonaro: Vou botar pessoas que entendam do assunto naquela pasta, a Defesa, [ininteligível], Economia, um economista, assim está sendo. Na Saúde, um médico. A Educação não vai ser diferente, e Meio Ambiente também.

 

Repórter Daniele Popov: O ministro extraordinário da Transição, Onyx Lorenzoni, fez um balanço dos trabalhos do governo de transição. Segundo ele, a comunicação com o atual governo tem sido bastante fluida. Lorenzoni informou que não há ainda indicação para o Ministério da Educação, mas que essa é uma prioridade do governo de Jair Bolsonaro.

 

Ministro extraordinário da Transição - Onyx Lorenzoni: Para que a gente tenha igualdade de oportunidades, educação é fundamental. O governo Bolsonaro tem claro que o importante é pacificar a educação brasileira e que o importante no Brasil é que as nossas crianças, 100% entrar na primeira série e, nós sonhamos com, daqui a alguns anos, 100% sair na terceira série do ensino médio.

 

Repórter Daniele Popov: Onyx Lorenzoni disse ainda que uma das metas do novo governo, na área de educação, é erradicar o analfabetismo. Reportagem: Daniele Popov.

 

Gabriela: O Fies, o Fundo de Financiamento Estudantil do ano que vem, vai priorizar vagas para as áreas de saúde, como medicina e enfermagem, além de engenharia, ciência da computação e formação de professores.

 

Nasi: Das mais de cem mil vagas que vão ser oferecidas, 70% são para essas áreas.

 

Gabriela: A seleção dos estudantes começa em fevereiro do ano que vem.

 

Repórter Graziela Mendonça: Em 2019, serão mais de cem mil vagas para o Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies. A prioridade será para cursos nas áreas de saúde, engenharia e formação de professores, como explica o diretor de Políticas e Programas de Educação Superior do Ministério da Educação, Vicente de Paula.

 

Diretor de Políticas e Programas de Educação Superior - Vicente de Paula: O Ministério da Educação, estrategicamente, define algumas áreas que são prioridades para o estudante obter financiamento. Justamente aquelas áreas que têm demanda por Ensino Superior e que é de interesse para o desenvolvimento do país. No total, nós priorizamos 70% para essas áreas.

 

Repórter Graziela Mendonça: No novo modelo do Fies, os juros são zero para o estudante que tiver renda mensal familiar de até três salários mínimos. Na outra modalidade, o P-Fies, o limite é um pouco maior, de até cinco salários, com juros de acordo com o banco em que o financiamento for fechado. As instituições de ensino que querem oferecer vagas para o ano que vem já podem aderir a partir de dezembro, como explica o diretor do MEC.

 

Diretor de Políticas e Programas de Educação Superior - Vicente de Paula: A instituição tem que ter no mínimo 3 de qualidade, numa escala de 0 a 5. Isso é uma condição primeira para que a instituição possa participar.

 

Repórter Graziela Mendonça: E os estudantes podem ficar atentos. O processo seletivo do Fies 2019 vai ser de 5 a 12 de fevereiro, lembrando que para concorrer a um financiamento é preciso ter feito alguma edição do Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio, desde 2010. A média precisa ter sido igual ou maior que 450 e não pode ter tirado zero na redação. Reportagem: Graziela Mendonça.

 

Nasi: E as inscrições para o Sisu, o Sistema de Seleção Unificada de 2019, vão ser feitas entre os dias 22 a 25 de janeiro.

 

Gabriela: O calendário foi divulgado hoje pelo Ministério da Educação.

 

Nasi: O Sisu oferece vagas em universidades públicas para quem fez o Enem.

 

Gabriela: Podem ser escolhidos até dois cursos, por ordem de preferência.

 

Nasi: O número total de vagas e de instituições que vão participar do programa ainda vai ser divulgado.

 

Gabriela: A partir de agora, a compra de alimentos para merenda escolar vai ser realizada de forma mais rápida.

 

Nasi: É que estados e municípios vão receber um cartão de débito para adquirir os produtos.

 

Gabriela: A medida é para evitar fraudes e garantir as 50 milhões de refeições que são servidas por dia a estudantes de todo o Brasil.

 

Nasi: A novidade foi apresentada hoje durante a comemoração de 50 anos do FNDE, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

 

Gabriela: Além da merenda, o fundo investe em transporte e livros didáticos, por exemplo, em mais de 150 mil escolas públicas do país.

 

Nasi: Ações que garantem uma educação de qualidade para 41 milhões de estudantes.

 

Repórter Pablo Mundim: Estudar e ter um bom emprego, desejo que leva o Wesley Vitor Souza, de apenas 12 anos de idade, a frequentar a escola no distrito de José Gonçalves, em Vitória da Conquista, na Bahia. Por meio do Programa Caminho da Escola, o menino percorre de ônibus escolar os 15 quilômetros de casa, na zona rural, até o colégio, e sabe o quanto é importante esse esforço diário.

 

Estudante - Wesley Vitor Souza: Eu não tinha como vir para a escola, porque onde eu moro também não tem turno para de manhã, porque o ônibus não passa de manhã. Quero ser bom, quero estudar, fazer faculdade, para ter um trabalho bom. Para isso, eu vou ter que estudar bastante.

 

Repórter Pablo Mundim: Mas, para estudar, não basta estar na escola. Também é preciso de livros didáticos. Por isso, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE, também desenvolve ações para levar material de apoio aos alunos e professores da educação básica. São 160 milhões de livros comprados anualmente, e através deles que o Tainã de Oliveira Silva, de 13 anos, morador de Passos, em Minas Gerais, aprendeu a gostar de matemática. Para ele, são importantes aliados dentro da sala de aula.

 

Estudante - Tainã de Oliveira Silva: É importante para seguir as matérias, para o professor dar a aula dele, os conteúdos são ótimos. Eu uso todos, leio todas as páginas, copio as matérias.

 

Repórter Pablo Mundim: Nesta quinta-feira, durante cerimônia de homenagem aos 50 anos do FNDE, o ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou que o Programa Nacional do Livro Didático é democrático e tem função estratégica para formação dos estudantes.

 

Ministro da Educação - Rossieli Soares: O livro precisa ser inclusivo, e nós começamos a olhar cada vez mais que todos os materiais do Ministério da Educação precisam ter a inclusão dos nossos alunos garantida, sejam eles quaisquer, de qualquer lugar.

 

Repórter Pablo Mundim: Já o Programa Nacional de Alimentação Escolar, o PNAE, oferece alimentação de qualidade, com compra direta de produtos da agricultura familiar. Diariamente, são cerca de 50 milhões de refeições servidas na mesa dos estudantes. Em Manaus, Willian Gabriel da Silva Costa, de 10 anos de idade, encontrou na merenda escolar o combustível para estudar ainda mais.

 

Estudante - Willian Gabriel da Silva Costa: Eu gosto do açaí e da farinha de tapioca granulada. Ela é boa, me faz me concentrar mais nas aulas.

 

Repórter Pablo Mundim: Durante a cerimônia em homenagem ao FNDE, o presidente Michel Temer entregou o primeiro cartão para aquisição de merenda escolar, fruto de uma parceria com o Banco do Brasil. Vão ser emitidos mais de 5.500 cartões para secretarias estaduais e municipais em todo o país, para otimizar o repasse dos recursos.

 

Presidente Michel Temer: Nós estamos dando um passo importantíssimo para a modernização do próprio fundo, para que o dinheiro chegue com mais agilidade aos estados, às escolas, com o cartão, com o cartão que nós distribuímos, não é? Da merenda, nós podemos servir mais de 50 milhões de refeições por dia.

 

Repórter Pablo Mundim: As ações do fundo são exemplos para outros países, como explica o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Silvio de Sousa Pinheiro.

 

Presidente do FNDE - Silvio de Sousa Pinheiro: O FNDE, ao completar 50 anos, tem muito orgulho de ter se tornado referência para o mundo em diversos programas. Como a alimentação escolar, que é um programa que hoje serve de exemplo para mais de 70 países.

 

Repórter Pablo Mundim: Assim como o Willian, o Wesley e o Tainã, 41 milhões de estudantes, em mais de 150 mil escolas públicas de todo o país, recebem ajuda do governo federal para estudar. Os recursos chegam nas escolas por meio do FNDE, órgão vinculado ao Ministério da Educação. Reportagem: Pablo Mundim.

 

Gabriela: Amanhã é dia de Black Friday.

 

Nasi: E muita gente quer aproveitar as promoções de lojas e na internet.

 

Gabriela: Mas é preciso ficar atento.

 

Nasi: Daqui a pouco a gente dá dicas para fugir de propagandas enganosas e garantir compras seguras.

 

"Momento Social".

 

Gabriela: Atendimento individual em casa, é assim que visitadores estimulam o desenvolvimento de mais de 400 mil crianças e gestantes que participam do Bolsa Família.

 

Nasi: Estamos falando do Programa Criança Feliz, que já está presente em 2.600 municípios.

 

Gabriela: E a Bruna Bafumi, de Leme, em São Paulo, quer saber qual a faixa etária atendida pelo programa.

 

Nasi: E quem responde é o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

 

Ouvinte - Bruna Bafumi: Oi, ministro. Eu sou a Bruna, da cidade de Leme, do estado de São Paulo. Eu tenho uma dúvida sobre o Programa Criança Feliz. Eu gostaria de saber qual a idade que as crianças são atendidas por este programa. Muito obrigada.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Bruna, o Programa Criança Feliz está voltado para o atendimento, com visitas domiciliares, para crianças até o terceiro ano de idade. Esse é o período mais importante, em que a criança desenvolve as suas habilidades, as suas competências e é possível, através da estimulação e de pequenos trabalhos diários, realizados pela família ou pelo visitador, mudar o curso de vida dessa criança. Existem algumas situações em que o Criança Feliz vai além desses 3 anos, vai até os 6 anos, para aquelas crianças que tenham alguma deficiência e que precisam mais tempo para conseguir os melhores resultados.

 

Gabriela: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda para a gente.

 

Nasi: Pode ser por e-mail, no endereço voz@ebc.com.br, e tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Gabriela: A sua pergunta vai ser respondida aqui, na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe.

 

Nasi: Consultar a legislação do país de forma mais rápida e pelo celular.

 

Gabriela: O governo lançou hoje um aplicativo, o Planalto Legis, que pode ser baixado de graça, para que qualquer pessoa tenha acesso às leis, decretos, atos e normas em vigor.

 

Nasi: Para o presidente Michel Temer, a ferramenta garante transparência e torna mais simples o acesso à informação.

 

Repórter Gabriela Noronha: Normas, atos, leis, tudo na palma da mão. O novo aplicativo vai reunir todos os dados do Portal da Legislação do Governo Federal, e pode ser baixado de forma gratuita nos sistemas Android e iOS. De acordo com o ministro dos Direitos Humanos e subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República, Gustavo do Vale Rocha, qualquer pessoa poderá obter informações de forma clara e rápida.

 

Ministro dos Direitos Humanos - Gustavo do Vale Rocha: Esse aplicativo, ele pega essa base de dados, coloca na palma da mão de todos. O grande diferencial do nosso aplicativo é justamente ele ser atualizado diariamente.

 

Repórter Gabriela Noronha: O presidente Michel Temer lembrou que o aplicativo vai de encontro ao que o governo defende: mais transparência dos atos do governo e menos burocracia no acesso a informações.

 

Presidente Michel Temer: Todos têm direito a acessar todos os atos de governo, e de uma maneira simplificada. Este aplicativo visa exatamente a superar aquelas questões que, no passado, você precisava acompanhar o Diário Oficial, ou precisava acompanhar os boletins dos advogados para ter acesso à legislação. Hoje você acompanha instantaneamente.

 

Repórter Gabriela Noronha: Michel Temer também assinou decretos que consolidam os atos normativos editados pelo Poder Executivo. As normas foram agrupadas em quatro eixos temáticos: mudança climática, direitos autorais, normas que envolvem crianças e adolescentes e a legislação do imposto de renda. Reportagem: Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E além de maior transparência no acesso à informação, o presidente Michel Temer defendeu a atuação de órgãos de controle, para evitar desperdício de dinheiro público.

 

Nasi: O presidente participou de um fórum do setor aqui em Brasília.

 

Repórter Luana Karen: Obras inacabadas, dinheiro que não chega onde deveria, o mau uso dos recursos públicos afeta diretamente a vida da população. Para discutir formas de garantir a execução correta das obras públicas e evitar o desperdício, o Tribunal de Contas da União realiza, até esta sexta-feira, o Fórum Nacional de Controle. O presidente do TCU, ministro Raimundo Carreiro, destacou que a instituição já acompanha temas importantes para o país e disse que o fórum vai contribuir para o novo governo.

 

Presidente do TCU - Raimundo Carreiro: Este fórum estimulará o compartilhamento de boas práticas para a gestão, a capacitação e a promoção de ações de controle, no intuito de contribuir em especial com os novos governos eleitos, que tomarão posse já a partir do dia 1º de janeiro de 2019.

 

Repórter Luana Karen: Para a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, maior controle significa melhor uso dos recursos públicos. Ela também ressaltou a contribuição que será dada ao novo governo eleito.

 

Procuradora-Geral da República - Raquel Dodge: Uma iniciativa como esta, oferecendo suporte aos novos governantes, vem de encontro às iniciativas exercidas pelo governo federal, que também tem apostado em eficiência.

 

Repórter Luana Karen: Na abertura do Fórum Nacional de Controle, o presidente Michel Temer falou sobre a parceria entre os poderes na administração pública para a construção de um país mais eficiente.

 

Presidente Michel Temer: É uma missão que, na verdade, visa construir um Estado mais eficiente, mais enxuto, mais transparente, que é o que mais nós necessitamos. Construir, na verdade, um país mais moderno, uma administração de qualidade, que cumpra com excelência a sua função maior, que é precisamente servir ao cidadão.

 

Repórter Luana Karen: Há um ano, o presidente Michel Temer assinou decreto com diretrizes para o que serviço público federal aumente a eficiência e estimule a transparência e a inovação. Também foi determinada a criação de comitês nos órgãos públicos federais para prevenir a corrupção. No discurso desta quinta-feira, Temer lembrou do ato e disse que já foram registrados avanços. Reportagem: Luana Karen.

 

Gabriela: Amanhã é a Black Friday, dia de promoções no comércio que já virou tradição no Brasil e impulsiona as vendas de fim de ano.

 

Nasi: É, e muitos consumidores estão ansiosos, de olho nos descontos nas lojas e na internet.

 

Gabriela: Mas é preciso ter cuidado para não se deixar levar por propagandas enganosas, uma das principais queixas dos clientes registradas nos anos anteriores pelos órgãos de Proteção e Defesa do Consumidor.

 

Nasi: Então, vamos ouvir agora algumas dicas para garantir compras seguras nesse final de ano.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Há tempos, Luís Henrique estava atrás de uma chuteira nova. Nesta semana, conseguiu achar o que procurava por um preço bem mais em conta do que o normal. O aprendiz de Tecnologia da Informação aproveitou os descontos da Black Friday em uma loja de material esportivo, em São Paulo.

 

Aprendiz de Tecnologia da Informação - Luís Henrique: Sempre é bom você olhar as lojas, ver o preço. Uma chuteira como essa aí está na faixa de 130, 150, e hoje na Black Friday está R$ 60.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Vale a pena?

 

Aprendiz de Tecnologia da Informação - Luís Henrique: Ah, vale, muito.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Oficialmente, a liquidação começa apenas na sexta-feira, mas muitas lojas antecipam os descontos para queimar os estoques e se preparar para as vendas de Natal. Apesar de as ofertas serem chamativas, é preciso atenção e planejamento, como explica Gabriel Reis Carvalho, diretor substituto do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça.

 

Diretor substituto do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - Gabriel Reis Carvalho: Logo, logo, é Natal, depois janeiro, com IPTU, IPVA, matrícula, plano de saúde, são contas importantes. Então, o consumidor precisa se planejar. Depois, é importante que o consumidor pesquise antes, porque o que acontece, que nós sabemos, é aquela maquiagem do preço do produto. Ele tinha um preço, depois pertinho da Black Friday aumenta, para depois ser apresentado como uma promoção.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Muitos criminosos aproveitam esse momento de euforia e aplicam golpes, principalmente no comércio eletrônico. E para que a Black Friday não vire "black fraude" é importante observar a procedência do produto, como alerta a assessora de Atendimento do Procon de São Paulo, Fátima Lemos.

 

Assessora de Atendimento - Fátima Lemos: Muita gente está recebendo oferta, e-mails desconhecidos, links desconhecidos. Então, evitar clicar no link. Veja qual é o endereço, veja qual é o nome da loja, entre na página da loja. Se é um fornecedor que está com problema, a gente tem na página do Procon um selo de lojas que a gente não recomenda, porque já recebemos muitas reclamações de consumidores.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Também é recomendável ter atenção aos prazos de entrega, que devem ser apresentados de forma clara ao consumidor, e aos fretes abusivos. No caso de compras em lojas físicas, o consumidor deve observar a política de troca da loja e as formas de pagamento, inclusive os juros. A aposentada Esli Vieira já fez várias compras na Black Friday e explica que não leva qualquer produto para casa.

 

Aposentada - Esli Vieira: Tem que pesquisar, para ver se não aumentaram o preço, né? Tem gente que já está pesquisando há 15 dias, uma semana, né? E ver se não tem defeito, se a loja troca.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Caso o consumidor tenha problemas com as compras da Black Friday e não consiga resolver a situação diretamente com a empresa, pode registrar a reclamação nos órgãos de Defesa do Consumidor, os Procons de todo o país, e também no serviço online de resolução de conflitos de consumo, no endereço consumidor.gov.br. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: A Agência Nacional de Transportes Terrestres alterou os valores da tabela de preços mínimos de frete para os caminhoneiros.

 

Nasi: A redução varia de 1,2% a 5,32%, dependendo do tipo de carga e da distância percorrida.

 

Gabriela: De acordo com a lei que criou a política de preços mínimos de frete, a tabela é reajustada sempre que o preço do óleo diesel tenha oscilação superior a 10%.

 

Nasi: Mais informações sobre os preços da tabela na página da agência na internet, em: antt.gov.br.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".