23 DE NOVEMBRO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Lançado programa Educação Conectada que vai levar internet rápida a 22 mil escolas, formar professores e abrir portas para que alunos acessem e compartilhem conhecimento. Antecipado calendário de saque do PIS/PASEP. Apresentado novo texto da reforma da previdência e o objetivo é acabar com privilégios.

audio/mpeg 23-11-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23537 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Quinta-feira, 23 de novembro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Alessandra: Levar internet rápida a 22 mil escolas.

 

Nasi: Formar professores e abrir portas para que alunos acessem e compartilhem conhecimento.

 

Alessandra: É a Educação Conectada, programa lançado agora há pouco pelo presidente Michel Temer.

 

Presidente Michel Temer: O objetivo, penso eu, é ensinar alunos, professores, a maximizar o uso da internet, como valiosa ferramenta de educação que ela pode ser.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Alessandra: Antecipado o calendário de saque do PIS/Pasep. Vamos detalhar quem pode sacar a partir de hoje.

 

Nasi: Apresentado novo texto da Reforma da Previdência. O objetivo é acabar com privilégios. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: A nova proposta de Reforma da Previdência diminui o tempo mínimo de contribuição para que o trabalhador possa se aposentar, de 25 para 15 anos. A idade mínima para dar entrada na aposentadoria será de 62 anos para a mulher e 65 para o homem.

 

Alessandra: E você? Está de olho nas promoções da Black Friday amanhã?

 

Nasi: Então fique ligado, que vamos dar dicas para evitar propaganda enganosa.

 

Alessandra: Hoje, na apresentação, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Nasi: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Alessandra: Antecipado o calendário de saques do PIS/Pasep.

 

Nasi: A partir de hoje, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil começaram a pagar as cotas da terceira fase.

 

Alessandra: Ao todo, 2 milhões de pessoas têm direito ao saque, que deve chegar, nessa etapa, a R$ 4 bilhões.

 

Nasi: E pra detalhar quem tem direito e o que deve fazer, nós conversamos agora, ao vivo, com o secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos, do Ministério do Planejamento, Marcos Ferrari. Uma boa noite, secretário.

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos - Marcos Ferrari: Boa noite. Boa noite, ouvintes.

 

Nasi: Secretário, nessa terceira fase do calendário, quem pode fazer o saque?

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos - Marcos Ferrari: Olha, nessa fase, são mulheres acima de 62 anos e homens acima de 65 anos, que vem a se somar com os critérios anteriores, que eram aposentados e acima de 70 anos.

 

Alessandra: Secretário, mas hoje começaram os pagamentos para quem já tem conta nesses bancos. Quem não tem, procura uma agência a partir de quando?

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos - Marcos Ferrari: Então, hoje foi feito o depósito automático, mais ou menos R$ 500 milhões já foram depositados, nos correntistas da Caixa e do Banco do Brasil, alguma conta qualquer, poupança ou conta corrente. E, a partir do dia 27, segunda-feira, começa para os demais, aqueles que não têm conta nesses bancos poderão procurar as agências e solicitar o saque.

 

Nasi: Secretário, se por um acaso quem estiver me ouvindo não se lembrar se tem ou não cotas no PIS ou Pasep, ele também pode procurar uma agência pra fazer uma consulta?

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos - Marcos Ferrari: Olha, eu recomendo fortemente os ouvintes que estão nos ouvindo neste momento que procurem uma agência da Caixa ou do Banco do Brasil, né? Mesmo assim, mesmo que a pessoa não seja, não esteja no critério que está estabelecido para o saque, que é ser trabalhador com carteira assinada no período de 1971 a 1988, que procure assim mesmo a agência, porque pode ser que o pai, a mãe, o avô, a avó tenham tido essa conta e tenham esse direito hoje. E mesmo que já estejam falecidos, o herdeiro tem direito a sacar o dinheiro. Aí, como é um dinheiro, vamos dizer assim, importante para esse final de ano, é importante sim, que as famílias procurem, os jovens, as pessoas que têm, assim, algum herdeiro, tá? Porque acredito que venha, sim, ajudar nesse final de ano, no Natal principalmente. Acho que todo mundo está esperando que tenha algum rendimento extra no final do ano e esse PIS/Pasep é um caminho para ter esse recurso, né?

 

Alessandra: E qual que é a expectativa do governo, secretário, com essa medida?

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos - Marcos Ferrari: Olha, principalmente ajudar que as pessoas possam ter um complemento na sua renda. As pessoas recebem, normalmente, seu salário, seu 13º, e essa medida, ela vem justamente para isso, para que a pessoa tenha um rendimento extra, que não estava esperando, que possa, de alguma forma, quitar sua dívida ou, vamos dizer assim, engordar o seu orçamento esse final de ano, para poder pagar alguma dívida ou pagar uma conta atrasada, uma conta de luz, uma conta de água, uma conta de telefone, internet, enfim. É isso que a gente espera, né? Que as pessoas possam realmente aproveitar essa medida, resgatar esse recurso que é delas e, do ponto de vista da economia, ter um incentivo a aumentar o consumo neste final de ano.

 

Nasi: Muito bom. Então nós agradecemos aqui o secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Marcos Ferrari, pela participação, ao vivo, aqui na Voz do Brasil. Obrigado, secretário.

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos - Marcos Ferrari: Obrigado. Boa noite.

 

Alessandra: R$ 480 bilhões em dez anos. Essa é a economia que o país deve ter em suas contas se for aprovada a proposta de Reforma da Previdência.

 

Nasi: Durante jantar que reuniu deputados aliados, o presidente Michel Temer apresentou um novo texto, que será encaminhado ao Congresso.

 

Alessandra: A proposta mantém pontos importantes e a ideia principal é acabar com privilégios.

 

Nasi: Com o novo texto, o governo espera aprovar a reforma e equilibrar as contas.

 

Repórter Luana Karen: No prato principal do jantar dos parlamentares com o presidente Michel Temer, as alterações na proposta de reforma da Previdência. A nova proposta retirou todas as mudanças na aposentadoria do pequeno produtor rural. Assim, ele vai continuar podendo se aposentar aos 60 anos de idade no caso dos homens e 55 anos para as mulheres, ambos com 15 anos de tempo de contribuição. Também saiu da proposta de reforma todas as alterações que diziam respeito ao Benefício de Prestação Continuada, o BPC. Com isso, está garantido o valor de um salário mínimo mensal às pessoas com deficiência e aos idosos que comprovarem não possuir meios de se manter. O deputado federal Arthur Maia, relator da proposta, afirmou que o projeto corrige injustiças.

 

Deputado federal - Arthur Maia: Nós estamos acabando com o privilégio. A Previdência Social no Brasil se transformou no maior sistema de concentração de renda do mundo.

 

Repórter Luana Karen: Durante o jantar, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Diogo Oliveira, reforçou a necessidade de reformar a Previdência para garantir a continuidade dos investimentos públicos e para combater os crescentes déficits dos gastos.

 

Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Diogo Oliveira: Nós estamos passando uma bonança econômica, há uma recuperação, mas é uma recuperação baseada na crença de que nós vamos fazer o dever de casa. Não é baseada no fato de que os nossos indicadores econômicos hoje mostram isso. Nós estamos, já 2014, 2015, 2016, 2017, com déficits astronômicos.

 

Repórter Luana Karen: A aprovação da reforma da Previdência com as novas mudanças vai garantir uma economia de R$ 480 bilhões em dez anos, o que, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, vai resultar em garantias para o cidadão.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Agora nós vamos dar direito a todos os brasileiros de estar recebendo serviço público e, daqui a alguns anos, estar recebendo saúde e educação, porque o Estado não quebrou, está um Estado solvente, um Estado sólido, e vai... E mais do que isso, o brasileiro passar a ter garantia que vai receber a aposentadoria.

 

Repórter Luana Karen: A nova proposta de reforma da Previdência diminui o tempo mínimo de contribuição para que o trabalhador possa se aposentar de 25 para 15 anos. A idade mínima para dar entrada na aposentadoria será de 62 anos para a mulher e 65 para o homem, com uma transição de 20 anos. O governo espera votar a Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados ainda este ano e, no Senado, no começo do ano que vem. Reportagem, Luana Karen.

 

Alessandra: E em encontro com prefeitos de várias regiões do país, o presidente Michel Temer anunciou a liberação de R$ 2 bilhões aos municípios até dezembro.

 

Nasi: O repasse do dinheiro será feito por meio do Fundo de Participação dos Municípios.

 

Alessandra: Segundo Temer, a liberação dos recursos vai dar fôlego aos municípios que sofrem com a crise financeira.

 

Presidente Michel Temer: No ano passado nós conseguimos dividir aquela multa da repatriação, que permitiu a vários municípios, a muitos, a quase todos, fechar o seu balanço. E agora, nós estamos, esses R$ 2 bilhões talvez seja exatamente para fechar o balanço.

 

Nasi: E nesse encontro com prefeitos, a Reforma da Previdência também foi tema da conversa.

 

Alessandra: O presidente da Confederação Nacional de Municípios, Paulo Ziulkoski, manifestou o apoio dos prefeitos às mudanças propostas pelo governo.

 

Nasi: Para Ziulkoski, se nada for feito, as contas dos municípios também não vão fechar.

 

Presidente da Confederação Nacional de Município - Paulo Ziulkoski: Ela vai dar um impacto muito positivo nas contas municipais. É importante, porque tem 2.100 municípios no Brasil que têm o Fundo Próprio de Previdência. Então, mudando a questão da idade, o que vai acontecer na prática? É mais tempo de contribuição e menos tempo de pagamento de pensão e aposentadoria. Então, isso vai diminuir de imediato a alíquota da prefeitura, que, no mandato do atual prefeito, vai representar R$ 15 milhões, R$ 20 milhões, que vai exatamente para a área de saúde, educação, quando está faltando dinheiro. Então, nós não temos como tecnicamente não apoiar a reforma da Previdência.

 

Alessandra: 19h10 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Educação Conectada.

 

Alessandra: Daqui a pouquinho vamos detalhar para você programa que vai conectar escolas, alunos e professores.

 

Nasi: Programa também prevê levar internet rápida às 22 mil escolas de todo o país.

 

Alessandra: Amanhã é dia de Black Friday.

 

Nasi: Muita gente que está nos ouvindo agora está de olho nas promoções que as lojas prometem fazer amanhã.

 

Alessandra: Mas é preciso ficar atento. Propaganda enganosa e o não cumprimento da oferta foram as principais queixas dos clientes registradas pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor no ano passado e também em anos anteriores.

 

Nasi: E para você saber como evitar esse tipo de transtorno, nós vamos conversar agora com Arthur Rollo, secretário nacional do Consumidor do Ministério da Justiça. Ele está ao vivo com a gente por telefone e vai nos dar algumas dicas. Boa noite, secretário.

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Boa noite, é um prazer falar com os amigos e ouvintes da Voz do Brasil.

 

Nasi: Secretário, vocês fizeram aí essa constatação, de que propaganda enganosa nos anteriores. O que está sendo feito para evitar esse problema amanhã? Tem fiscalização?

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Nós estamos, por orientação do presidente Temer, estamos fazendo monitoramento já há cerca de três meses dos preços do comércio eletrônico. Estamos fazendo isso em conjunto com os Procons de todo o Brasil, estamos fazendo isso através do site oficial consumidor.gov.br e estamos também com parcerias com sites de reclamações particulares. E esse monitoramento, a gente já tem identificado maquiagem de preços, e essas maquiagens têm sido noticiadas também pela mídia. E a gente está apurando.

 

Alessandra: E para além da fiscalização, se o preço é muito inferior ao normalmente praticado, o consumidor tem que desconfiar?

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Com certeza. A gente tem visto, infelizmente, anúncios aí de desconto de 70%, a gente sabe que a carga tributária dos produtos é em torno de 40% a 50%. É impossível um desconto de 70%. Então, esse desconto grande é um indicativo para o consumidor desconfiar.

 

Nasi: Secretário, o senhor falou aí sobre a maquiagem de preços, né? Mas acontece às vezes que, no dia anterior, a loja sobe o valor para depois reduzir, no dia da Black Friday. Pode isso? O que o consumidor precisa fazer para evitar?

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Não, o consumidor precisa pesquisar, hoje os mecanismos de busca na internet ajudam. Nós estamos monitorando, mas é importante dizer que, se o consumidor perceber que comprou um produto pela internet e o preço não estava correto, o preço foi maquiado, o preço foi feito uma oferta enganosa para o consumidor, o consumidor que compra pelo comércio eletrônico tem o direito de se arrepender no prazo de até sete dias, contados da efetiva entrega do produto. Então, enquanto o consumidor não recebe esse produto, ele pode se arrepender e nada pode ser cobrado dele, e ele devolve o produto e recebe todo o dinheiro de volta, integralmente.

 

Alessandra: Então, a pessoa pode devolver o produto, não é isso?

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Pode. Comprando pela internet, tem sete dias, a partir da chegada do produto, para desistir da compra. E não precisa dar motivo. Um dos motivos pessoais do consumidor pode ser ele ter sido enganado pela empresa. É mais do que motivo pra ele se arrepender. Então, a recomendação que a gente dá, aquele consumidor que perceber que foi enganado por um preço que era, afirmou que tinha desconto e, na verdade, não tinha, ele pode se arrepender no prazo de sete dias. Então vale a pena, até para o consumidor, depois de comprar, continuar pesquisando, porque se, depois da Black Friday, o preço subir novamente e ele perceber que ele foi enganado, vai estar dentro do prazo de sete dias para ele se arrepender.

 

Nasi: Agora, secretário, só pra gente terminar: É bom que o consumidor também não se deixe levar só pelo preço mais barato, não é? É bom avaliar se realmente ele precisa do produto?

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Com certeza. Não deve comprar no impulso, ele deve ver o que ele precisa, porque a gente sabe que, nessa época, o consumidor acha que está comprando mais barato e acaba comprando por impulso, e aí fica endividado no início do ano. É muito importante comprar o que precisa e avaliar a sua capacidade de compra para não se superendividar.

 

Alessandra: Você acabou de ouvir as dicas de Arthur Rollo, secretário Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça. Nós agradecemos sua participação ao vivo com a gente. Muito obrigada, secretário.

 

Secretário Nacional do Consumidor - Arthur Rollo: Eu que agradeço, um abraço para vocês e para os ouvintes da Voz do Brasil.

 

Nasi: Internet de alta velocidade, mesmo em escolas públicas de áreas rurais, lugares distantes.

 

Alessandra: Tudo para que professores e alunos tenham acesso a milhares de conteúdos digitais e, com isso, melhorar a educação do país.

 

Nasi: Esta é a ideia do governo com a política de inovação Educação Conectada, que quer aumentar o uso da tecnologia nas escolas públicas brasileiras.

 

Alessandra: A repórter Luana Karen acompanhou o evento de lançamento desta política no Palácio do Planalto e traz para a gente todos os detalhes. Boa noite, Luana.

 

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa noite, Alessandra. Boa noite, Nasi, a todos os ouvintes da Voz do Brasil. É isso mesmo. O evento terminou agora há pouco. E, durante a cerimônia, a gente acompanhou a história do Paulo Henrique Gomes, aluno do ensino médio na escola de Careiro da Várzea, no Amazonas. Ele contou que teve contato com tecnologias como computador e internet quando estava iniciando os estudos e lembrou do impacto desse novo mundo na sua vida.

 

Estudante - Paulo Henrique Gomes: As aulas dos professores de cada disciplina são transmitidas ao vivo, de um estúdio de televisão, para mais de 3 mil comunidades rurais, dentre elas a minha. O método de ensino era diferente, pois as aulas eram mais dinâmicas e cheias de recursos. Interagíamos com outras escolas dos municípios do estado do Amazonas, observando sotaques e costumes diferentes. E, além de tudo, eram amplas as ferramentas para uma melhor aprendizagem.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): E agora, milhões de alunos como Paulo Henrique vão ter acesso a internet de alta velocidade nas escolas públicas brasileiras. Com a política de inovação Educação Conectada, mais de 22 mil escolas, no campo e na cidade, vão estar conectadas até o final do ano que vem. Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, a tecnologia pode ajudar a melhorar a qualidade da educação.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Um jovem do nosso país, se ele tem acesso a internet rápida, ele pode ter acesso a uma aula de matemática, física ou de história do melhor professor do mundo, e isso compartilhado dentro da sala de aula, dividir com colegas alunos, com professores e, evidentemente, potencializar o horizonte de aprendizagem.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Até o final de 2018, o Ministério da Educação vai investir R$ 271 milhões para conectar a educação. A maior parte desse total vai para melhoria da infraestrutura e conexão das escolas, o que inclui a ampliação da rede de banda larga, serviços de conectividade e infraestrutura. Nas áreas de mais difícil acesso, onde a banda larga não chega por terra, as escolas vão contar com o satélite brasileiro lançado em maio deste ano. O presidente Michel Temer lembrou dos avanços obtidos em um ano e meio de governo, como a reforma do ensino médio, e falou dos impactos de uma educação conectada.

 

Presidente Michel Temer: Não se trata apenas de entregar equipamentos e de promover acesso à educação, mas trata-se, mais que tudo, de preparar os nossos jovens para interagir com uma realidade que se renova a cada dia. Na verdade, o objetivo, penso eu, é ensinar alunos, professores, a maximizar o uso da internet, como valiosa ferramenta de educação que ela pode ser.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Também dentro da política de inovação Educação Conectada, está previsto um plano de formação continuada para professores, com cursos específicos, que vão mostrar como a tecnologia pode ser útil em sala de aula. O Ministério da Educação lançou também uma plataforma integrada, que vai trazer recursos educacionais digitais, como videoaulas, para complementar a educação em sala de aula. O portal já está no ar e o endereço é plataformaintegrada.mec.gov.br/home. Ao vivo, Luana Karen.

 

Nasi: O Hospital do Câncer da Amazônia, que funciona há quatro meses em Porto Velho, Rondônia, agora está credenciado ao SUS.

 

Alessandra: O presidente Michel Temer visitou o hospital e também anunciou que a capital do estado vai ter o aeroporto modernizado.

 

Repórter Paulo La Salvia: O Hospital do Câncer da Amazônia vai ter várias funções na capital de Rondônia. Uma delas é desafogar o atendimento no Hospital de Base de Porto Velho. A servidora pública Rosângela Barbosa, que está na fase final do tratamento contra um câncer de mama, vê vantagens na nova unidade.

 

Servidora pública - Rosângela Barbosa: Desde o pessoal da limpeza ao pessoal da copa, aos profissionais, médicos, enfermeiros, não temos o que reclamar.

 

Repórter Paulo La Salvia: A dona de casa Janine Gomes mora em Guajará-Mirim, no interior de Rondônia, e tinha que se deslocar até Barretos, no interior de São Paulo, para levar a mãe se tratar de um câncer no intestino.

 

Dona de casa - Janine Gomes: Está tendo tudo, o equipamento que antes não tinha, está tendo agora.

 

Repórter Paulo La Salvia: Quando estiver totalmente concluído, o hospital vai realizar a prevenção, o diagnóstico e o tratamento de vários tipos de câncer, segundo o diretor-presidente da unidade, Henrique Prata.

 

Diretor-presidente do Hospital do Câncer da Amazônia - Henrique Prata: Essa instituição aqui veio encontro com o anseio de mais de 30 anos que essa população nem sequer tinha um mínimo, um mínimo necessário para se tratar câncer.

 

Repórter Paulo La Salvia: O presidente Michel Temer veio conhecer de perto e anunciar o credenciamento do hospital ao Sistema Único de Saúde. O governo vai se responsabilizar pelo custo das cirurgias e dos tratamentos de radio e quimioterapia. A previsão é que o repasse para o Hospital do Câncer da Amazônia seja de, pelo menos, R$ 8 milhões por ano. E para reforçar ainda mais a infraestrutura de Rondônia, o presidente Michel Temer também anunciou obras no aeroporto de Porto Velho.

 

Presidente Michel Temer: Nós acabamos de concluir uma licitação para melhorar e ampliar o aeroporto desta capital. Porque a esta altura, meus amigos, com este hospital aqui em Rondônia... Espero que não, não é? Espero que não haja doentes que venham para cá. Mas visitas que venham pra cá. Vai ampliar enormemente o número de visitas aqui a Rondônia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Entre as obras previstas para o aeroporto de Porto Velho, estão a ampliação e a modernização do terminal de passageiros. De Porto Velho, em Rondônia, Paulo La Salvia.

 

"Momento Social".

 

Nasi: Hoje nós vamos responder a dúvida do Bergson Pereira, de Lagoa Grande, lá em Pernambuco.

 

Alessandra: Ele já recebe o BPC, o Benefício de Prestação Continuada, e quer saber se pode receber o Bolsa Família ao mesmo tempo. O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, responde.

 

Ouvinte - Bergson Pereira: Olá, ministro. Meu nome é Bergson, eu sou de Lagoa Grande, sertão do Pernambuco. É possível continuar recebendo Bolsa Família, mesmo recebendo o Benefício de Prestação Continuada?

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Bergson, é possível, sim, receber os dois benefícios, desde que a família continue no perfil do Bolsa Família. O que vai definir se a pessoa continuará recebendo o Bolsa Família após começar a participar do Benefício de Prestação Continuada, o BPC, é a renda familiar, que não poderá ultrapassar R$ 85 por pessoa ou R$ 170 por pessoa, caso a família tenha gestantes, crianças ou adolescentes. Importante dizer que o Benefício de Prestação Continuada é de um salário mínimo, para as pessoas que tenham necessidades especiais, físicas ou mentais, e para as pessoas com mais de 65 anos que não têm nem aposentadoria. Por isso é muito importante que as famílias mantenham o Cadastro Único atualizado. Para saber a situação exata do cadastro, o beneficiário deve ir ao Centro de Referência de Assistência Social, o CRAS, aquele mais perto da sua casa, ou ligar para nossa Central de Atendimento, que é o 0800 707 2003.

 

Nasi: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda aqui pra gente.

 

Alessandra: Pode ser por e-mail, no endereço voz@ebc.com.br. Tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Nasi: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe.

 

Alessandra: Milhares de cartas enviadas por crianças ao Papai Noel dos Correios estão à espera de interessados em adotá-las em todo o Brasil.

 

Nasi: Este ano, moradores das cidades de Belém, Cuiabá, Porto Alegre, Recife e São Paulo podem adotar uma cartinha online na internet, até amanhã, dia 24.

 

Alessandra: Para as demais localidades, os padrinhos devem comparecer à Casa do Papai Noel ou às unidades dos Correios listadas como pontos de adoção.

 

Nasi: Para saber sobre a adoção das cartinhas na sua cidade, você pode acessar o endereço na internet: blog.correios.com.br/papainoeldoscorreios.

 

Alessandra: E a inflação continua caindo e chegou ao menor patamar de janeiro a novembro desde 1998.

 

Nasi: O Índice Nacional de Preços ao Consumidor, o IPCA 15, considerado uma prévia da inflação, ficou 0,32% em novembro, de acordo com o IBGE.

 

Alessandra: Alimentos como feijão, açúcar, ovos e bebidas contribuíram para o IPCA do mês, pois tiveram queda nos preços do período.

 

Nasi: Nos últimos 12 meses, o índice acumulado da inflação é de 2,77%.

 

Alessandra: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Alessandra: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite

 

Alessandra: Boa noite pra você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".