23 DE NOVEMBRO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Primeiros profissionais do Mais Médicos já estão atuando nos municípios. As inscrições ainda estão abertas, mas Ministério da Saúde já seleciona médicos para atender no lugar dos cubanos. E presidente Michel Temer comemora alto número de vagas preenchidas no Mais Médicos. Até agora, mais de 90% dos médicos já sabem em que cidade vão atender. Nova campanha quer aumentar número de doadores de sangue. 13º salário deve injetar mais de R$ 210 bilhões na economia. E ainda dá tempo de fazer uma boa ação neste final de ano. Tem muita cartinha da campanha Papai Noel dos Correios à espera para ser adotada.

audio/mpeg 23.11.18.mp3 — 46899 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.




Nasi: Boa noite para você que nos campanha em todo o país.




Gabriela: Sexta-feira, 23 de novembro de 2018.




Nasi: E vamos ao destaque do dia. Primeiros profissionais do Mais Médicos já estão atuando nos municípios.




Gabriela: As inscrições ainda estão abertas, mas o Ministério da Saúde já seleciona médicos para atender no lugar dos cubanos. Graziela Mendonça.




Repórter Graziela Mendonça: O objetivo é evitar que a população fique sem atendimento médico.




Nasi: E presidente Michel Temer comemora alto número de vagas preenchidas no Mais Médicos.




Gabriela: Até agora, mais de 90% dos médicos já sabem em que cidade vão atender.




Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.




Gabriela: Nova campanha quer aumentar o número de doadores de sangue. Pablo Mundim.




Repórter Pablo Mundim: Apenas uma doação pode beneficiar até quatro pessoas.




Nasi: Décimo terceiro salário deve injetar mais de R$ 210 bilhões na economia. Ricardo Ferraz.




Repórter Ricardo Ferraz: Oitenta e quatro milhões e meio de trabalhadores brasileiros receberão o 13º.




Gabriela: E ainda dá tempo de fazer uma boa ação neste final de ano.




Nasi: É, tem muita cartinha de campanha Papai Noel dos Correios a espera para ser adotada.




Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.




Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .




Gabriela: Apenas três dias depois do lançamento do edital com novas vagas para o Mais Médicos, já tem profissional atendendo a população.




Nasi: Quarenta médicos já começaram a atuar nos postos de saúde, em substituição aos profissionais de saúde cubanos.




Gabriela: E 90% das vagas oferecidas já foram preenchidas, mesmo com as inscrições terminando apenas no dia 7 de dezembro.




Nasi: E toda essa agilidade é para garantir o atendimento à população.




Gabriela: Os médicos vão atender 2,8 mil municípios e mais de 30 áreas indígenas no país.




Repórter Graziela Mendonça: Segundo o Ministério da Saúde, até final da tarde desta sexta-feira, 92% mais de 8 mil vagas já foram preenchidas, e 40 médicos já estão trabalhando nos postos de saúde. O secretário de Gestão do Trabalho e Educação do Ministério da Saúde, Marcelo Mello, explica como funciona esse processo, e detalha os estados em que os profissionais já se apresentaram.




Secretário de Gestão do Trabalho e Educação - Marcelo Mello: No momento em que o médico acaba a sua inscrição e que ele faz a escolha de seu município, ele já recebe um recibo da localização de onde ele vai trabalhar. Imediatamente ele já pode se dirigir ao município. Médicos que já começaram esse processo na segunda-feira, já estão trabalhando em alguns municípios do Brasil. Nós temos aí, municípios de Minas Gerais, em Recife, por exemplo, Santos, no estado de São Paulo.




Repórter Graziela Mendonça: A contratação de novos médicos é uma medida emergencial para garantir a assistência nos municípios, depois que o governo de Cuba encerrou a participação no programa Mais Médicos. Um novo edital foi aberto no início desta semana para assegurar o atendimento da população. O prazo de inscrições terminaria no próximo domingo, mas o governo prorrogou até 7 de dezembro. A apresentação dos selecionados é imediata e pode ser feita até o dia 14 do próximo mês. O presidente Michel Temer destacou, no Twitter, que a alta adesão ao edital comprova a eficiência do Governo Federal em solucionar a questão. Para o secretário Marcelo Mello, do Ministério da Saúde, o objetivo da agilidade é evitar que municípios fiquem desassistidos.




Secretário de Gestão do Trabalho e Educação - Marcelo Mello: Como a resposta foi rápida do Governo Federal, também foi rápida da sociedade organizada e dos próprios médicos brasileiros que tinham interesse em participar do programa, essa desassistência foi diminuída ao máximo. E nós temos esperança e convicção que, até o final do mês, nós teremos todos os municípios, toda as vagas preenchidas e todos os municípios com os médicos presentes.




Repórter Graziela Mendonça: Podem se inscrever médicos com registro no Conselho Regional de Medicina ou com diploma reavaliado no país. As inscrições de médicos no programa podem ser feitas pelo site maismedicos.gov.br. Reportagem, Graziela Mendonça.




Nasi: Um ato voluntário, solidário, que pode salvar até quatro vidas.




Gabriela: Apesar da importância, apenas 16 em cada 1.000 brasileiros tiram um tempinho para doar sangue.




Nasi: E o Ministério da Saúde quer ampliar isso com uma campanha.




Repórter Pablo Mundim: Foi a primeira vez que a Taís Marques Lacerda, de Brasília, doou sangue. Sem susto e sem sofrimento, a estudante contou como foi a experiência.




Estudante - Taís Marques: Foi tranquilo, não dói, só uma furadinha, mas tudo tranquilo.




Repórter Pablo Mundim: Em São Paulo, a Maísa Vieira de Silva Malta, já passou por essa experiência algumas vezes. Médica é doadora de sangue, ela sabe que este pequeno ato pode fazer uma grande diferença.




Médica - Maísa Vieira da Silva Malta: A agente sabe da real necessidade da doação para salvar vidas.




Repórter Pablo Mundim: No ano passado, mais de 3 milhões de brasileiros doaram sangue. Apenas uma doação pode beneficiar até quatro pessoas. E para garantir o atendimento nos 32 hemocentros e nos cerca de 2 mil serviços de coleta em todo o país, o Ministério da Saúde já investiu R$ 1,3 bilhão no setor apenas neste ano. Além de recursos, o Governo Federal também promove ações de conscientização. Para o Dia Nacional do Doador de Sangue, comemorado no próximo domingo, o Ministério reforçou a campanha com o slogan: "Doe sangue regularmente, tem sempre alguém precisando de você". Camila Moraes Bezerra, chefe do Departamento do Núcleo de Triagem Clínica do Hemocentro de Brasília, explica como este ato ajuda a manter o estoque.




Chefe do Departamento do Núcleo de Triagem Clínica do Hemocentro de Brasília - Camila Moraes Bezerra: Tem períodos que a gente precisa de muito, devido acidente de carro, e tem outros também que aparecem uma demanda maior de pacientes que precisam desse sangue. Então, por isso que a gente precisa que a população venha com frequência, para que esse estoque nosso sempre fique em segurança.




Repórter Pablo Mundim: Para ser doador é preciso ter entre 16 e 69 anos, mais de 50 quilos, estar saudável, descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação e não estar em jejum, como a Amanda Santos Virtuoso, estudante de Brasília, que todos os anos frequenta o hemocentro.




Estudante - Amanda Santos Virtuoso: Dever cumprido de saber que eu ajudei alguém, salvei alguma vida, né?




Repórter Pablo Mundim: Desde maio deste ano, o Ministério da Saúde, em parceria com uma rede social, lançou a opção do doador se cadastrar na rede e receber notificações quando os bancos de sangue próximos realizarem eventos para atrair voluntários ou fizerem solicitações urgentes para reforçar o estoque de sangue. Reportagem, Pablo Mundim.




Gabriela: Muita gente aproveita o 13º Salário para limpar o nome, comprar os presentes de Natal, fazer aquela viagem de férias, ou simplesmente guardar para os gastos de início de ano.




Nasi: É, Gabriela, qualquer que seja o objetivo, uma coisa é certa: o 13º ajuda a movimentar a economia do país.




Repórter Ricardo Ferraz: Uma injeção de mais de R$ 211 bilhões, o 13º salário ajuda a movimentar a economia no fim do ano. Segundo o departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos, o Dieese, 84,5 milhões de trabalhadores brasileiros receberão o 13º. O prazo para pagar a primeira parcela termina no próximo dia 30. O zelador Cícero de Souza já sabe o que vai fazer com o dinheiro.




Zelador - Cícero de Souza: Fazer umas obras, umas construção, essas coisas assim, uma novidade que a gente vai reformando a casa, né? Aí pega o 13º e já pinta umas paredes ali, já compra uns móveis novos. Tem uns projetos já.




Repórter Ricardo Ferraz: O 13º é um direito previsto em lei para quem trabalha com registro em carteira. Pensionista e aposentados do INSS também recebem. Para eles, a primeira parcela foi paga entre agosto e setembro, e a segunda começa a ser liberada na semana que vem, como explica o secretário de Previdência Social, Marcelo Caetano.




Secretário de Previdência Social: Está na faixa de umas 30 milhões de pessoas, no país inteiro, que são beneficiadas por esse recebimento da metade do 13º, e o pagamento dessa segunda metade, agora em dezembro, representa uma transferência de mais de R$ 21 bilhões.




Repórter Ricardo Ferraz: A aposentada Maria José da Silva já tem planos para o 13º.




Aposentada - Maria José da Silva: Primeiro lugar, pagar as contas, presentes para os filhos e vou viajar.




Repórter Ricardo Ferraz: Apesar do reforço no orçamento, os economistas recomendam planejar as finanças antes de realizar qualquer despesa. Hilton Notini, professor de economia do Ibmec, em São Paulo, alerta que os gastos tendem a aumentar em janeiro.




Professor de economia - Hilton Notini: É um bom momento para organizar finanças, eventualmente pagar aqueles financiamentos mais caros ou empréstimos mais caros, então priorizando sempre aquele que você paga a taxa de juros mais altas. Sobrando dinheiro, se possível, se planeje também para os gastos adicionais que existem no início do ano. Então, a gente tem pagamento de impostos, IPTU, IPVA.




Repórter Ricardo Ferraz: A recomendação é quitar dívidas e poupar uma parte do salário, como faz a biomédica Inaiá Burkart.




Biomédica - Inaiá Burkart: Eu sempre poupo, parte do meu salário eu guardo, eu não gasto tudo. Então, sempre é uma ajuda boa, a gente ter um pezinho de meia para uma emergência.




Repórter Ricardo Ferraz: O fiscal do trabalho Mateus Francisco Rodrigues explica o que deve fazer o trabalhador que não receber o 13º na data prevista.




Fiscal do trabalho - Mateus Francisco Rodrigues: Ele pode procurar as unidades descentralizadas do Ministério do Trabalho, ele pode procurar o sindicato ou até mesmo a Justiça para requer o valor que ele entende como correto aí, né?




Repórter Ricardo Ferraz: A segunda parcela do 13º tem de ser paga até o dia 20 de dezembro. Reportagem, Ricardo Ferraz.




Gabriela: Como saber se uma empresa pública está dando resultado e sendo bem administrada?




Nasi: Pensando nisso, o Ministério do Planejamento criou uma avaliação das estatais e divulgou mais uma etapa hoje.




Gabriela: E para que a população também conheça mais sobre as estatais, também foi lançada uma página na internet com informações sobre gestão e orçamento de cada uma.

Repórter Luana Karen: Pela terceira vez, nos últimos 12 meses, as empresas públicas passaram por avaliação sobre a maneira como estão sendo administradas. A partir de indicadores que mediram a gestão, a transparência e a formação das diretorias, as estatais receberam uma nota: o indicador de governança. O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago, afirmou que a média das estatais aumentou.




Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Esteves Colnago: Saiu de 6.93 para 7 pontos nesse terceiro ciclo, mesmo com maior dificuldade, com maior acurácia na verificação, as empresas, ainda assim, continuaram mostrando aprimoramento na sua governança.




Repórter Luana Karen: Foram avaliadas 54 estatais, de um total de 138 empresas públicas federais. Elas foram agrupadas em quatro níveis de desempenho, sendo que 25 foram classificadas no melhor nível. Entre as que receberam a nota máxima estão: Banco do Brasil, Eletrobrás e Petrobras. A Empresa Brasil de Comunicação, EBC, que produz a Voz do Brasil do Governo Federal, TV NBR e Rede Nacional de Rádio, também ficou no grupo das melhores do ranking. O secretário de Coordenação de Governança de Empresas Estatais, Fernando Ribeiro Soares, explicou que, além da avaliação, as empresas receberam um retorno sobre pontos de administração que precisam melhorar.




Secretário de Coordenação de Governança de Empresas Estatais - Fernando Ribeiro Soares: A cada entrega de um certificado, o pessoal ia aqui na mesinha do lado e pegava um envelope. Aquilo é um envelope que o quê? É um relatório da nossa auditoria sobre as perguntas que eles fizeram, que nós fizemos para eles e eles nos responderam. Ou seja, aqui você foi bem, pode continuar, aqui você não foi bem, tem que melhorar esse e esse aspecto.




Repórter Luana Karen: Durante a entrega de certificação, também foi lançado o panorama das estatais, uma página na internet com informações das empresas públicas, como orçamento, número de empregados e patrimônio que possuem. O acesso ao site é livre para qualquer cidadão. O endereço é: panoramadasestatais.planejamento.gov.br. Reportagem, Luana Karen.




Nasi: Ainda tem muita cartinha da Campanha Papai Noel dos Correios à espera para ser adotada.




Gabriela: E daqui a pouco a gente dá todas as informações para quem quiser tornar o fim de ano de uma criança mais feliz.




Nasi: Ricardo Vélez Rodriguez vai assumir o Ministério da Educação a partir de janeiro.




Gabriela: O anúncio foi feito na noite de ontem pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.




Nasi: Autor de vários livros, Vélez Rodriguez é professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército.




Gabriela: Até agora Bolsonaro já anunciou o nome de 13 ministros que vão fazer parte do futuro governo, além do presidente do Banco Central.




"Criança Feliz. Primeira infância".




Nasi: Os três primeiros anos de vida de uma criança são fundamentais para o desenvolvimento dela por toda a vida.




Gabriela: É nessa fase que ela deve receber estímulo para adquirir habilidades essenciais para o dia a dia.




Nasi: Por isso, o Programa Criança Feliz é voltado justamente para essa idade.




Gabriela: Com o programa, crianças que participam do Bolsa Família recebem em casa a visita de profissionais.




Nasi: Os pais são orientados sobre estímulos, orientação que também está sendo realizada junto a imigrantes venezuelanos em Roraima.




Repórter Diego Queijo: A pequena Lauriannys tem apenas 1 mês de vida, mas é acompanhada pelo Criança Feliz desde quando estava na barriga da mãe, Yelitza Rangel, em Boa Vista no estado de Roraima. Yelitza veio da Venezuela para o Brasil e é uma das mais de 400 mil mães atendidas pelo programa em todo o país. Ela conta que está satisfeita com a atenção recebida da visitadora do programa.




Entrevistada - Yelitza Rangel: O trabalho dela é muito bom, desde que ela estava na barriga ela vinha falar todo dia o que eu tinha que fazer, o que não.




Repórter Diego Queijo: É a visitadora Adriana Ribeiro quem dá dicas e propõe atividades para desenvolver a coordenação motora, a inteligência e o vínculo afetivo entre mãe e filha. De acordo com ela, os estímulos estão fazendo com que as crianças se desenvolvam muito bem.




Visitadora - Adriana Ribeiro: Muito assim gratificante, muitas coisas boas que elas não faziam e agora estão fazendo.




Repórter Diego Queijo: Hoje o Criança Feliz chega a 2.692 cidades e avança com o objetivo de desenvolver e mudar a realidade das crianças brasileiras por meio de visitas às famílias participantes do programa Bolsa Família e do benefício de prestação continuada, o BPC, é o que conta o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.




Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Criança Feliz ajuda a romper o ciclo vicioso da perpetuação ou da manutenção da pobreza. O Brasil já tem avançado muito no Criança Feliz, nós já temos mais de 400 mil crianças sendo visitadas e é um programa extremamente importante para o combate à pobreza de forma sustentável.




Repórter Diego Queijo: No Criança Feliz, beneficiários do Bolsa Família são acompanhados desde a gestação até os 3 anos. Para quem recebe o BPC, o atendimento ocorre até os 6 anos. Reportagem, Diego Queijo.




Gabriela: Os rótulos de alimentos devem sempre informar a data da validade do produto.




Nasi: Essa data indica o período de tempo em que o alimento está próprio para o consumo.




Gabriela: Mas não é só isso, Nasi, é também o prazo em que o produto deve conservar características como cor, sabor e aroma, e preservar nutrientes como vitaminas.




Nasi: A Anvisa acaba de lançar um guia para orientar os fabricantes sobre como definir a data da validade.




Repórter Luciana Collares de Holanda: Keila Kézia Paulino se define como uma consumidora consciente e cuidadosa. A administradora, que mora em Brasília, conta que na hora de comprar alimentos observa vários aspectos porque não só a data da validade é importante.




Administradora - Keila Kézia Paulino: Eu observo se está dentro do prazo de validade, mas esses que são embutidos com sacos plásticos e são perecíveis, por exemplo, carnes, eu olho questão de cor, porque infelizmente mesmo eles estando dentro do prazo de validade já ocorreu muitas vezes comigo de comprar e ao abrir estar com odor, estar com características diferentes, o cheiro.




Repórter Luciana Collares de Holanda: E Keila está certa, às vezes, mesmo os produtos que estão no prazo de validade podem estar impróprios para o consumo. Isso porque é preciso seguir várias regras para garantir a qualidade dos alimentos, na produção, no transporte e no acondicionamento e qualquer alteração pode causar intoxicação alimentar, como implica o médico infectologista Estevão Urbano Silva.




Médico infectologista - Estevão Urbano Silva: As possibilidades de intoxicações alimentares são frequentes, principalmente por bactérias que podem causar diarreias muito importantes, acompanhadas de febre, de sangue nas fezes. É óbvio que a grande maioria das intoxicações, elas são leves, mas geralmente temos infecções assim, graves, e, infelizmente, fatais.




Repórter Luciana Collares de Holanda: São vários os fatores que podem estragar os alimentos. E para tentar diminuir os problemas e uniformizar a segurança a Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, publicou este mês um guia que vai orientar os fabricantes na hora de definir o prazo de validade informado no rótulo dos alimentos. Como detalha Nélio de Aquino, gerente de registro de alimentos da Anvisa.




Gerente de registro de alimentos da Anvisa - Nélio de Aquino: Para dada grupo de alimentos tem alguns critérios específicos, por exemplo, para determinar o prazo de validade, você tem que considerar que o produto tem que ser apropriado para o consumo, ele também não pode causar infecções ou intoxicações alimentares.




Repórter Luciana Collares de Holanda: O documento, que passou por consulta do setor produtivo, também está aberto para contribuições da população durante um ano. Para outras informações, basta ligar para a Anvisa, no telefone: 0800-6429782. Reportagem, Luciana Colares de Holanda.




Gabriela: Mais um passo para levar internet rápida em áreas de difícil acesso, além de reforçar a segurança nacional.




Nasi: Já está pronto o Centro de Operações Espaciais do Rio de Janeiro.




Repórter Gabriela Noronha: Em órbita desde maio de 2017, o satélite geoestacionário brasileiro vai promover inclusão digital e defesa do território nacional. Totalmente operado pelo Brasil, o satélite é controlado pelo Centro de Operações Espaciais, em Brasília. Para garantir o funcionamento pleno de todos os equipamentos em órbita, foi inaugurado, na última segunda-feira, o Centro de Operações Espaciais do Rio de Janeiro. A unidade foi montada na estação de rádio da Marinha. A ideia é manter o satélite funcionando caso haja alguma falha no centro de Brasília. Durante a inauguração, o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, ressaltou que esta é mais uma etapa de um projeto fundamental para o Brasil.




Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: É mais um avanço nesse que é um dos principais programas, principais projetos na infraestrutura do nosso país. A segurança do projeto impõe que ele não tenha o seu serviço cessado, e aqui, o Rio de Janeiro permitirá com esse equipamento essa continuidade, qualquer que seja o problema que aconteça em Brasília.




Repórter Gabriela Noronha: A entrega desse centro de operações de alta tecnologia vai garantir o acesso à banda larga em todo o território nacional e o emprego da banda X nas comunicações militares, como explica Jarbas Valente, o presidente da Telebras.




Presidente da Telebras - Jarbas Valente: Nós vamos levar a banda larga para todos os rincões desse país, ou seja, todas as pequenas localidades que hoje não têm acesso à banda larga vão ter acesso à banda larga através desse satélite.




Repórter Gabriela Noronha: E nos próximos dias deve ser inaugurado o Centro de Operações Espaciais Principal em Brasília. Instalado numa área de 15 mil metros quadrados, a estrutura do centro lembra o formato de um satélite e a antena principal já foi instalada, para atender à população em todo o território brasileiro, o satélite contará com bases em Brasília, Rio de Janeiro, Florianópolis, Campo Grande e Salvador. Reportagem, Gabriela Noronha.




Gabriela: Um reconhecimento para lembrar e refletir sobre a nossa história.




Nasi: O Cais do Valongo, o maior porto de entrada de negros escravizados no Brasil e América Latina, recebeu hoje o título de patrimônio mundial da Unesco, a Organização das Nações Unidas Para Educação, Ciência e a Cultura.




Gabriela: A coordenadora de candidaturas da assessoria internacional do Iphan, Candice Ballester, diz que o reconhecimento vai deixar a história do cais mais conhecida e também ajudar na gestão do espaço.




Coordenadora de candidaturas da assessoria internacional do Iphan - Candice Ballester: Nos traz também uma perspectiva de uma maior visibilidade, então, a visibilidade em âmbito internacional, e é uma promoção, uma alternativa também de uma gestão compartilhada, aonde a gente instala um comitê gestor e que faz parte membros da sociedade civil, e no caso do Valongo, a grande maioria, são sete representantes do movimento negro no Rio de Janeiro e instituições das instâncias federal, municipal e estadual, e parceiros também para que a gente possa promover esse sítio e a gestão e conservação dele.




Nasi: O sítio arqueológico estava aterrado na zona portuária do Rio de Janeiro e foi descoberto durante escavações, em 2011.




Gabriela: Falta quase um mês para o Natal.




Nasi: É, Gabriela, e milhares de cartinhas enviadas ao Papai Noel já estão nos Correios, à espera de interessados em adotá-las.

 

Gabriela: É a chance de fazer uma boa ação nesse fim de ano, tornando realidade o sonho de uma criança.




Repórter Cleide Lopes: Há 29 anos, os Correios entregam muitos desses pedidos. Ao longo de quase três décadas, milhões de crianças tiveram o desejo atendido. O economista César Dantas há quatro anos ajuda para que esses sonhos saiam dão papel e se tornem realidade. Neste ano, César está levando para casa nove cartinhas.




Economista - César Dantas: Depois dessa ação dos Correios, a gente consegue presentear mais crianças e ver carta, ver o pedido, então, uma sensação muito boa, uma coisa muito gostosa mesmo que a gente faz.




Repórter Cleide Lopes: A jornalista Laura Guarilha está adotando cartinhas pela primeira vez, são quatro, e Laura fala da emoção de ajudar o próximo.




Jornalista - Laura Guarilha: Muito bom, né? Um presentinho faz o dia, vai fazer o Natal de uma criança.




Repórter Cleide Lopes: A professora Taciana Barbosa colabora com o Papai Noel há cinco anos, ela até criou um grupo de amigos numa rede social para adotar as cartinhas, no ano passado, fizeram a alegria de cem crianças. Este ano não será diferente e uma cartinha especial lhe chamou atenção, o pedido: uma cadeira de rodas.




Professora - Taciana Barbosa: O grupo se juntou e, nossa, só essa daí já valeu a viagem, só a alegria de saber que alguém vai ter um final de ano com um pouco mais de luz.




Repórter Cleide Lopes: Neste ano, cerca de 17 mil cartas de Brasília chegaram aos Correios endereçadas ao Papai Noel e a coordenadora de comunicação dos Correios, Lena Rivas, diz que a maioria já foi adotada.




Coordenadora de comunicação dos Correios - Lena Rivas: Faltam muito poucas cartas até as 17 mil, então, corre, vem tirar logo esse sonho do papel.




Repórter Cleide Lopes: E se você também quer fazer a diferença na vida de uma criança em sua cidade, ainda dá tempo, para saber onde retirar a cartinha e o melhor lugar para entregar os presentes, além dos prazos que variam conforme a região, basta visitar o site dos Correios, no blog.correios.com.br/papainoeldoscorreios. Os moradores de Belém, Cuiabá, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Salvador e da Região Metropolitana de São Paulo, podem adotar uma cartinha pela internet até o dia 23 de novembro. Reportagem, Cleide Lopes.




Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e bom fim de semana.




Nasi: Boa noite para você e até segunda.




"Brasil, ordem e progresso".