24/04/17 - A Voz do Brasil

Presidente Michel Temer e presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, assinam acordos de cooperação bilateral entre os dois países. Aneel leiloa sete mil quilômetros de linhas de transmissão. Maior parte dos investidores do Tesouro Direto são mulheres.

audio/mpeg 24 04 2017 - Voz do Brasil.mp3 — 23489 KB




Transcrição

Apresentador Nazi Brum: Em Brasília, 19h00.

Apresentadora Gláucia Gomes: Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje.

Nazi: Boa noite.

Gláucia: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

Nazi: Segunda-feira, 24 de abril de 2017.

Gláucia: E vamos ao destaque do dia: ampliar comércio e investimentos entre Brasil e Espanha.

Airton: Em visita do presidente do governo espanhol, Michel Temer destaca a parceria forte entre os dois países.

Presidente Michel Temer: Não preciso dizer que a Espanha é um importantíssimo investidor do Brasil, investe muito em setores variados.

Gláucia: Já Mariano Rajov elogiou reformas para retomar o crescimento do país.

Presidente do Governo da Espanha - Mariano Rajov: A seriedade na questão dos assuntos públicos sempre é recompensada.

Airton: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje...

Gláucia: A partir de agora, portal na internet vai comparar preços das compras públicas e qualquer pessoa pode saber como o dinheiro está sendo gasto.

Gláucia: Em março, mais brasileiros investiram no Tesouro Direto. Beatriz Amiden.

Repórter Beatriz Amiden: E sabe quem foram os maiores investidores nesse período? As mulheres.

Gláucia: Novas linhas de transmissão de energia elétrica foram leiloadas hoje. Investimentos chegam a quase R$ 13 bilhões.

Nazi: Hoje, na apresentação, Gláucia Gomes e Nazi Brum.

Gláucia: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

Nazi: Depois de nove anos, um chefe do governo espanhol volta ao Brasil para assinar acordos e discutir parcerias entre os dois países.

Gláucia: O espanhol Mariano Rajov foi recebido hoje pelo presidente Michel Temer no Palácio do Planalto, em Brasília.

Nazi: O intercâmbio entre Brasil e Espanha este ano já aumentou mais de 20% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com Michel Temer, e a ideia é crescer ainda mais.

Gláucia: Foram assinados acordos nas áreas de pesquisas, de transporte, comunicação e recurso hídricos.

Repórter João Pedro Neto: A Espanha é atualmente o segundo maior investidor estrangeiro no Brasil, foram cerca de US$ 64 bilhões em 2016, e um dos objetivos da visita é ampliar essas relações. Entre os cinco acordos assinados entre os dois países, está um que pretende remover obstáculos para o comércio e o investimento bilateral. O presidente Michel Temer falou sobre a importância dos investimentos espanhóis para o Brasil.

Presidente Michel Temer: O país é nada menos do que a terceira origem de investimentos externos em território brasileiro. E queremos mais. Oportunidades não faltam, entusiasmo dos empreendedores de ambos os lados tampouco, e quero lhe assegurar determinação de nosso governo também de sobra. Queremos que pequenas e médias empresas espanholas possam se juntar aos multinacionais aqui já instaladas.

Repórter João Pedro Neto: Michel Temer também falou sobre as reformas que estão sendo implementadas no Brasil e disse que vê semelhanças com o que ocorreu no país europeu.

Presidente Michel Temer: Hoje, dizia eu ao presidente de governo, que nós estamos fazendo uma modernização da legislação trabalhista, estamos fazendo uma reformulação da Previdência Social, questões que foram tratadas ao longo do tempo na Espanha, mas de maneira até mais ou menos recente, e o presidente Rajov teve a oportunidade de me dizer e de dizer a todos das dificuldades naturais que ele enfrentou, de naturais observações, muitas vezes objeções e muitas vezes até protestos que se verificaram, mas que fizeram a Espanha renascer com uma força extraordinária não só na sua economia, mas, evidentemente, no combate ao desemprego.

Repórter João Pedro Neto: Mariano Rajov disse que o potencial para as relações bilaterais é imenso, felicitou o governo brasileiro pelas reformas que estão sendo promovidas e disse que a sustentabilidade das contas públicas é chave para o progresso.

Presidente do Governo da Espanha - Mariano Rajov: Foi felicitado o presidente Temer pelas reformas que estão sendo empreendidas e lhe transmitida a minha convicção de que a médio prazo a seriedade com a questão dos assuntos públicos sempre é recompensada.

Repórter João Pedro Neto: Os dois países também assinaram acordos de cooperação em várias áreas, como pesquisa e desenvolvimento em infraestrutura de transportes, no campo de recursos hídricos, o que inclui ações de revitalização da Bacia do Rio São Francisco, além de projetos de energias renováveis e convivência com a seca no semiárido. Reportagem, João Pedro Neto.

Nazi: E para discutir investimentos e pensar novas parcerias, os empresários espanhóis também vieram ao Brasil. Eles estão participando de um encontro com empresário brasileiros e representantes do governo federal.

Repórter José Luiz Filho: Apenas nos três primeiros meses desse ano, o investimento espanhol no Brasil foi de quase US$ 820 milhões. O Brasil, por sua vez, importou US$ 639 milhões da Espanha. É uma prova de que a Espanha pode ajudar o Brasil a superar a crise econômica. Segundo José Antonio Lorente, presidente de uma grande empresa de gestão de comunicação espanhola, o país ibérico tem interesses e quer investir em vários setores da economia brasileira.

Empresário Espanhol - José Antonio Lorente: Há uma gama muito grande de oportunidades. Acho que a principal tem a ver com a infraestrutura e depois os serviços, mas também ramos como mineração, gás, petróleo. Há muita coisa neste país para desenvolver.

Repórter José Luiz Filho: Na opinião dos participantes do encontro, a chegada desses recursos pode se dar de uma forma mais tranquila atualmente, tudo por conta do trabalho feito pelo governo brasileiro para facilitar o ambiente de negócios e aumentar a segurança jurídica para quem quer investir no Brasil, como explica o presidente do Fórum Espanha-Brasil e da Mapfre Seguros, Antonio Huertas.

Presidente do Fórum Espanha-Brasil e da Mapfre Seguros - Antonio Huertas: As empresas podem fazer investimentos com o conhecimento real do que vai acontecer nos próximos anos.

Repórter José Luiz Filho: A área de ciência e tecnologia é um dos focos do comércio entre Brasil e Espanha. O ministro Gilberto Kassab, da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, citou alguns projetos discutidos com os espanhóis.

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Em especial, o cabo que vai ligar o Brasil, a América do Sul à Europa, o cabo de fibra ótica, e os convênios assinados entre a Finep e o Instituto de Desenvolvimento Espanhol, que nos proporcionará um conhecimento recíproco do que acontece em ambos os países para o fortalecimento do nosso crescimento.

Repórter José Luiz Filho: Atualmente, a Espanha é o décimo primeiro destino dos produtos brasileiros. Compra principalmente soja, petróleo, minério de ferro e café. Já o Brasil importa dos espanhóis derivados de petróleo, compostos orgânicos, peças de avião, helicópteros e motores. Reportagem, José Luiz Filho.

Gláucia: E as relações entre o Brasil e Espanha vão muito além do comércio e da economia.

Nazi: Aqui, temos influência espanhola na cultura, na dança e na culinária.

Gláucia: E cada vez mais brasileiros procuram aprender o espanhol para ampliar o conhecimento e as oportunidades de emprego.

Repórter Gabriela Noronha: Não é só no comércio bilateral que Brasil e Espanha se relacionam. Segundo o Ministério de Relações Exteriores, pelo menos 80 mil cidadãos brasileiros vivem lá, ficando atrás apenas dos imigrantes portugueses. No Brasil, graças aos espanhóis que escolheram o nosso país como lar, é possível encontrar várias influencias da cultura espanhola, seja na dança, com o flamenco.

>> “Música”.

Repórter Gabriela Noronha: Ou na culinária, com pratos com frutos do mar e até mesmo o famoso churros. Não é difícil encontrar um pedaço da Espanha em terras brasileiras. Além disso, a língua espanhola tem cada vez mais conquistado espaço entre os brasileiros. O Brasil tem o maior número de Instituto Cervantes do mundo, instituição oficial do governo espanhol para o ensino da língua e divulgação da cultura do país. São cerca de oito mil alunos por ano distribuídos em oito centros pelo país. Pessoas como o administrador Ralf Teixeira de Oliveira Freitas. Ele diz que quer aprender a língua para abrir novas possibilidades de emprego.

Administrador - Ralf Teixeira de Oliveira Freitas: Eu pensei que porventura no futuro se eu tivesse alguma oportunidade aqui na América Latina ou até mesmo na Europa, se eu não soubesse espanhol, eu poderia ter problema.

Repórter Gabriela Noronha: Já o psicólogo Isaac Pamplona pretende fazer um curso por lá.

Psicólogo - Isaac Pamplona: Comecei como interesse. Penso em fazer um mestrado fora, talvez em Barcelona. Eu já fui a Barcelona e gostei muito.

Repórter Gabriela Noronha: E para divulgar ainda mais na Espanha aqui no Brasil e estreitar as relações em todas as áreas, o conselheiro cultural da embaixada do país, Toribio de Prado, diz que várias ações são realizadas o ano todo por aqui.

Conselheiro Cultural da Embaixada da Espanha - Toribio de Prado: Realizamos festivais, ciclos de cinema. A cultura tem muitos, muitos âmbitos que se podem trabalhar para intensificar a relação entre os dois países.

Repórter Gabriela Noronha: Atualmente, a Espanha é o sexto destino mais procurado pelos brasileiros. Em 2015, mais de 151 mil brasileiros escolheram o país para viajar. Reportagem, Gabriela Noronha.

>> “Música”.

Nazi: Em viagem aos Estados Unidos, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, se reuniu com investidores para mostrar como a economia brasileira vem se recuperando.

Gláucia: O ministro destacou que o país vai voltar a crescer neste ano e detalhou como as reformas, em especial a da Previdência, são importantes para mostrar o equilíbrio das contas.

Nazi: Meirelles participou de reuniões do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial.

Repórter Paola De Orte: Entre os principais temas abordados pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, nos compromissos em Washington, estavam as reformas. Meirelles disse que a implementação das mudanças propostas pelo governo também é importante para estimular a retomada da economia e disse que as alterações propostas pelos deputados no relatório da reforma da Previdência não comprometem o ajuste fiscal.

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O importante é que essas alterações sejam feitas nessa fase onde está se discutindo o relatório, e a partir daí, com o relatório aprovado pela comissão especial da Previdência, que não haja mudanças significativas a partir daí. Por enquanto, não coloca em risco o equilíbrio.

Repórter Paola De Orte: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, apresentou um panorama da economia brasileira. Meirelles disse que há uma percepção muito positiva sobre o Brasil entre os investidores internacionais. Segundo ele, há um consenso de que as reformas estão caminhando e de que o Brasil voltou a crescer. O ministro afirmou que no último trimestre deste ano o país deve registrar taxas acima de 2% e defendeu na reunião do FMI que os países não implementem políticas protecionistas como forma de estimular o crescimento.

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Relatamos que a própria experiência do Brasil no passado com políticas protecionistas prejudicou o próprio crescimento do país e a taxa de produtividade interna, etc., e que, portanto, nós estamos adotando uma política de abertura, trabalhando junto com o Mercosul para favorecer a aproximação com Colômbia, Chile, Peru, etc., e também com a União Europeia.

Repórter Paola De Orte: O ministro embarcou de volta a Brasília no sábado. De Washington, nos Estados Unidos, Paola De Orte.

Gláucia: Os órgãos públicos ganharam uma nova ferramenta que vai ajudar a comparar preços na hora de fazer compras.

Nazi: O portal na internet também vai permitir que o cidadão acompanhe as compras do governo e saiba como os recursos públicos são gastos.

Repórter Jéssica do Amaral: Pesquisar preço e buscar sempre a melhor oferta faz parte do dia a dia das pessoas.

Entrevistado: Quanto mais você pesquisar é melhor para o seu bolso.

Entrevistada: No mercado, por exemplo, um arroz, um feijão, está um preço, no outro mercado já está um outro preço.

Entrevistada: Você vê a mesma coisa, só que com preços diferentes.

Repórter Jéssica do Amaral: Buscando sempre o uso mais eficiente do recurso público para comprar produtos ou contratar um serviço, o governo também faz uma pesquisa desse tipo, que se chama licitação, o que garante igualdade de condição para quem vende e o melhor preço para os órgãos públicos. Agora o Ministério do Planejamento oferece uma ferramenta de buscas de preços para licitações na internet. O painel de preços do governo federal vai estimular a concorrência e aumentar inclusive a transparência. É o que afirma o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Diogo Oliveira.

Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão - Diogo Oliveira: Não só os gestores vão ter capacidade de fazer essas pesquisas e de verificar os preços com base em contratações efetivamente realizadas, mas a ferramenta também está disponível para acesso amplo de jornalistas, público em geral.

Repórter Jéssica do Amaral: No painel é possível ver o que o governo mais compra, como água mineral, café, fita adesiva, por exemplo, e em que o governo mais gasta, como vacinas, medicamentos e computadores. Para o ministro Diogo Oliveira, a ferramenta vai ajudar inclusive na fiscalização. A ferramenta pode ser acessada no site paineldeprecos.planejamento.gov.br. Reportagem, Jéssica do Amaral.

Gláucia: 19hs14min, em Brasília.

Nazi: Tornar mais forte o sistema de transmissão de energia pelo país, evitando os apagões.

Gláucia: Daqui a pouco vamos falar como o governo está trabalhando para isso. Muitas vezes a gente não tem muito dinheiro, mas sente vontade de investir o dinheirinho que tem para render um pouquinho mais.

Nazi: Então, hoje o quadro “Para Você, Cidadão”, vai explicar o que é o Tesouro Direto e como investir seu dinheiro de forma segura e garantindo um bom rendimento.

>> “Para Você, Cidadão”.

Repórter Mirna Ledo: O Tesouro Direto pode ser uma boa opção para quem quer fazer um investimento. Ao comprar um título público, você empresta dinheiro para o governo brasileiro e no futuro recebe esse valor mais os juros. Para investir no Tesouro Direto você precisa ter CPF e uma conta corrente. Em seguida, escolha uma instituição financeira para intermediar as suas transações com o Tesouro. Pode ser um banco ou uma corretora. Depois de receber a senha para acessar o site, você vai poder consultar saldos, estratos e fazer operações de compra e venda de títulos. O site também oferece a ferramenta “orientador financeiro”, que pode te ajudar a definir o título mais adequado ao seu perfil e objetivo financeiro. Para saber mais acesse tesouro.fazenda.gov.br. Mirna Ledo, para a Voz do Brasil.

Nazi: E as mulheres são quem mais investem no Tesouro Direto.

Gláucia: Quase 50 mil brasileiras estão investindo no Tesouro Direto.

Nazi: A repórter Beatriz Amiden vai explicar para a gente como elas se tornaram maioria e já representam 68% dos novos investidores.

Repórter Beatriz Amiden: Sempre que sobra um dinheirinho, as pessoas logo pensam em guardar: poupança, aplicações de renda fixa, ações... São muitas opções. Comprar títulos do governo federal é uma forma de investimento que vem crescendo muito, justamente porque é seguro e 100% garantido pelo Tesouro Nacional. As aplicações no chamado Tesouro Direto, que são os títulos do governo federal na Bolsa de Valores, alcançaram o maior valor da séria histórica no mês de março: foram mais de R$ 2,5 bilhões investidos. E sabe quem foram os maiores investidores nesse período? As mulheres. A Tatiane Mendes faz parte desse grupo. Quando começou a sobrar uma graninha, ela resolveu logo investir.

Investidora - Tatiane Mendes: Pesquisei vários tipos de investimentos e verifiquei que o Tesouro é um investimento mais seguro, aí eu resolvi investir no Tesouro Direto. Eu estou feliz, estou tranquila.

Repórter Beatriz Amiden: E a Tatiane está certa. A especialista Gabriela Valle é planejadora de investimento. Ela explica que o Tesouro Direto é um dos melhores investimentos para quem busca segurança e retorno garantido, já que as taxas são menores que as dos bancos e os rendimentos acima das aplicações de renda fixa como a poupança, por exemplo.

Planejadora de Investimento - Gabriela Valle: Quem dá a garantia dele é o próprio governo federal, e é muito fácil de você comprá-lo. Uma vez que você tenha uma conta no banco e uma conta numa corredora, você faz o cadastro e você já pode começar a operar e comprar os títulos por meio de um site. É bem tranquilo.

Repórter Beatriz Amiden: A especialista alerta ainda que é preciso atenção na hora de escolher o prazo do investimento para não perder dinheiro. Você pode investir acessando a página do Tesouro Direto, na internet, no endereço tesouro.fazenda.gov.br ou por meio do seu banco. Reportagem, Beatriz Amiden.

Gláucia: E voltando a falar sobre as reformas, temos mais novidades com a repórter Luana Karen, que traz, ao vivo, as informações direto do Palácio do Planalto. Boa noite, Luana.

Repórter Luana Karen (ao vivo): Olá, Glaucia, boa noite. Boa noite, Nazi. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Após uma reunião que contou com a presença do presidente Michel Temer e de 16 ministros de estado, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, afirmou que foi traçado um plano para que as propostas sejam aprovadas. Entre as medidas, o governo vai exonerar todos os ministros com mandato parlamentar ou com proximidade com o Congresso Nacional para reforçar a articulação para aprovar a reforma da Previdência. Também foi decidido que nenhum ministro irá viajar esta semana para se concentrar nas articulações para aprovar a atualização da legislação trabalhista. A partir do início das votações o governo irá suspender o atendimento a parlamentares, a fim de garantir que eles estejam no plenário da Câmara participando da votação. Para o ministro Antonio Imbassahy, as mudanças feitas em relação ao texto original da reforma da Previdência devem facilitar a aprovação do texto.

Ministro-Chefe da Secretaria de Governo - Antonio Imbassahy: A partir do momento em que o relator Arthur Maia modificou o texto, né, assimilando contribuições que vieram de parlamentares, realmente agora está muito razoável, está um projeto muito interessante e que procura, primeiro, preservar as pessoas mais vulneráveis, eu diria assim pessoas que estão no salário mínimo, pessoas que têm deficiência física, né, o trabalhador rural, e também manter o eixo da reforma, que é buscar o equilíbrio das contas.

Repórter Luana Karen (ao vivo): O governo espera que a maioria do parlamento aprove a atualização das Leis do Trabalho já nesta quarta-feira e na próxima semana a reforma da Previdência. Ao vivo, Luana Karen.

Gláucia 19hs20min, em Brasília.

Nazi: A Agência Nacional de Energia Elétrica, Aneel, realizou hoje o leilão para a construção de sete mil quilômetros de linhas de transmissão.

Gláucia: Além de arrecadar dinheiro, as novas linhas vão ajudar a evitar apagões e quedas de energia em 20 estados.

Nazi: Podem também diminuir o custo, deixando a energia elétrica mais barata no futuro, quando as novas linhas entrarem em operação.

Repórter Nei Pereira: Mais energia elétrica para atender o consumo dos brasileiros: sete mil quilômetros de linhas de transmissão vão ser construídos em 20 estados. As novas linhas vão aumentar o fornecimento, evitar quedas e apagões, e até mesmo reduzir o preço da energia elétrica quando estiverem prontos. Para isso, os investimentos são de quase R$ 13 bilhões nos próximos cinco anos. Um leilão foi realizado hoje pela Agência Nacional de Energia Elétrica, a Aneel, para atrair investimentos de empresa privadas. O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho, comemorou o resultado.

Ministro de Minas e Energia - Fernando Bezerra Coelho: Eu acho que hoje a gente dá mais um passo para dar contribuição para que o país possa reencontrar com a sua vocação, que é o do crescimento e do desenvolvimento.

Repórter Nei Pereira: O diretor-geral da Aneel, Romero Rufino, que explica que o governo tem se empenhado para que os leilões se tornem mais atrativos para os investidores.

Diretor-Geral da Aneel - Romero Rufino: Nós tivemos alguns aperfeiçoamentos em relação ao que realizamos em outubro do ano passado e acho que o resultado de hoje comprova que estamos no caminho correto.

Repórter Nei Pereira: De acordo com o diretor da Aneel, André Pepitone, o leilão gerou economias e quem sai ganhando é o consumidor.

Diretor da Aneel - André Pepitone: Nós estamos tendo uma economia para o consumidor de energia elétrica, ao longo de 30 anos, de R$ 24 bilhões, que é um número muito significativo.

Repórter Nei Pereira: As linhas de transmissão devem estar prontas em até cinco anos depois da assinatura dos contratos. Os contratos de concessão são de 30 anos e os empreendimentos devem gerar mais de 28 mil vagas de emprego. Reportagem, Nei Pereira.

Gláucia: Em poucos meses, o Brasil ganha mais uma penitenciária federal.

Nazi: A nova unidade vai funcionar em Brasília e terá capacidade para 208 detentos.

Gláucia: O país terá ao todo cinco penitenciárias federais, mas o governo federal já anunciou que pretende construir outras cinco.

Repórter Mara Kenupp: O presídio de segurança máxima que está em construção em Brasília terá 12 mil metros quadrados de área construída e capacidade para 208 detentos de alta periculosidade. O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, vistoriou as futuras instalações e afirmou que o governo planeja construir mais penitenciárias federais.

Ministro da Justiça - Osmar Serraglio: Tem a perspectiva de construção de mais cinco outras penitenciárias, tais quais esta, que serão distribuídas pelas diversas regiões do nosso país.

Repórter Mara Kenupp: A estrutura terá equipamentos de segurança de última geração, salas de monitoramento e inteligência, departamentos jurídico e de saúde. De acordo com o diretor-geral do Departamento Penitenciário Nacional, Marco Antonio Severo, o presídio também terá celas para presos extraditados.

Diretor-Geral do Departamento Penitenciário Nacional - Marco Antonio Severo: Temos países onde os brasileiros presos fora, o país exige que o Brasil apresente uma unidade prisional minimamente nas mesmas condições em que o preso se encontra no país fora, e uma ala também para mulheres.

Repórter Mara Kenupp: A inauguração do presídio federal em Brasília está prevista para o final de setembro desse ano. O investimento total do projeto é de R$ 45 milhões. Os outros presídios do sistema penitenciário federal estão localizados em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, Catanduva, no Paraná, Mossoró, no Rio Grande do Norte, e Porto Velho, em Rondônia. Reportagem, Mara Kenupp.

Gláucia: O presidente Michel Temer determinou, hoje, ao ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que coloque a Polícia Federal à disposição das autoridades paraguaias para colaborar com as investigações dos fatos ocorridos em Ciudad del Este na madrugada de hoje.

Nazi: Cerca de 50 ladrões fortemente armados invadiram a sede de uma transportadora de valores no Paraguai e fugiram com o dinheiro. Há indícios de que os bandidos sejam brasileiros.

Gláucia: Faltam apenas quatro dias para o fim do prazo da entrega da Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física.

Nazi: Até agora, a Receita Federal recebeu mais de 17 milhões de declarações. A expectativa é de que 28 milhões de contribuintes tenham que entregar o documento.

Gláucia: Então, é preciso correr. A Receita alerta que os contribuintes que perderem o prazo vão pagar multa mínima de R$ 165,00 ou até 20% do imposto devido.

Nazi: E essas foram as notícias do governo federal.

Gláucia: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Nazi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Gláucia: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite para você.

Nazi: Boa noite para você e até amanhã.