26 DE MARÇO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Mais facilidade para idosos fazerem a prova de vida no INSS. Quem tem mais de 60 anos vai realizar esse processo também nas agências da previdência social. Petrobras anuncia mudança no reajuste do preço do diesel. E um cartão para caminhoneiros comprarem o combustível com preço fixo. Combate à violência em conjunto com ações sociais, de educação e saúde. Governo lança plano em parceria com estados e municípios.

audio/mpeg 26-03-19-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46909 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

 

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

 

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

 

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

 

 

Gabriela: Terça-feira, 26 de março de 2019.

 

 

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Mais facilidade para idosos fazerem a prova de vida no INSS.

 

 

 

Gabriela: Quem tem mais de 60 anos vai realizar esse processo também nas agências da Previdência Social. Danielle Popov.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: A medida prevê ainda que idosos com mais de 80 anos ou com dificuldades de locomoção podem receber o representante do INSS em casa para fazer a prova de vida.

 

 

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

 

 

Gabriela: Petrobras anuncia mudança no reajuste do preço do diesel.

 

 

 

Nasi: E um cartão para caminhoneiros comprarem o combustível com preço fixo. Graziela Mendonça.

 

 

 

Repórter Graziela Mendonça: Ideia é dar mais estabilidade nos preços para quem está em viagem. Daqui a pouco eu volto com mais informações.

 

 

 

Gabriela: Combate à violência em conjunto com ações sociais de educação e saúde.

 

 

 

Nasi: Governo lança plano em parceria com estados e municípios. Leandro Alarcon.

 

 

 

Repórter Leandro Alarcon: Na fase piloto, serão selecionados cinco municípios com altos índices de criminalidade, onde as ações serão concentradas.

 

 

 

Gabriela: Na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

 

 

Nasi: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

 

 

Gabriela: A prova de vida, como o próprio nome já diz, é um meio de verificar se os segurados do INSS estão vivos e podem continuar recebendo benefícios, como aposentadoria e pensão.

 

 

 

Nasi: É a maneira que o Governo utiliza para evitar pagamentos indevidos de benefícios e fraudes.

 

 

 

Gabriela: A comprovação é feita uma vez por ano, no banco em que se recebe o benefício.

 

 

 

Nasi: Mas agora, idosos e pessoas com problemas de locomoção vão contar com outras opções para fazer a comprovação.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: Os beneficiários com 60 anos ou mais agora vão poder realizar a prova de vida também nas agências da Previdência Social, a cada 12 meses. Antes, a comprovação era realizada somente no banco onde se recebe o benefício, caso contrário o benefício é bloqueado. A medida prevê ainda que idosos com mais de 80 anos ou com dificuldades de locomoção podem agendar a prova de vida com o representante do INSS em casa ou no local em que estiver, caso tenha algum problema de saúde. As novidades vão trazer mais conforto para o beneficiário e segurança para a concessão dos benefícios, como explica o presidente do INSS, Renato Vieira.

 

 

 

Presidente do INSS - Renato Vieira: Aumenta a segurança na concessão e na manutenção de benefícios para o INSS, para o beneficiário e, sobretudo, garante conforto, simplicidade e diminui burocracias nesse procedimento tão necessário, tão importante para a segurança da previdência social.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: Aposentado, seu Lázaro nunca deixou de se apresentar ao INSS. Assim que recebe a carta da previdência, vai para o banco confirmar o benefício. Com problema na próstata e aguardando vaga para uma cirurgia na rede pública, ele aprovou a possibilidade de receber o representante do INSS em casa para fazer a prova de vida.

 

 

 

Aposentado - Sr. Lázaro: Todo ano, tenho que mostrar que eu estou vivo. Por enquanto, eu tenho condição de ir no banco, mas depois dessa cirurgia, eu não sei como é que vai ficar.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: Se precisar chamar alguém do INSS para vir na sua casa...

 

 

 

Aposentado - Sr. Lázaro: Pode vir, não tem problema nenhum.

 

 

 

Repórter Danielle Popov: Para fazer a prova de vida nas agências do INSS, é necessário agendamento prévio pelo número 135. Com a comprovação anual, o instituto tem segurança de que está pagando o benefício para a pessoa certa e diminui o risco de pagamento a quem já morreu ou não tem mais direito de receber. Reportagem, Danielle Popov.

 

 

 

Gabriela: A Petrobras anunciou novidades na forma de reajustar o preço do diesel e também um cartão de pagamento para compra de combustível a preço fixo.

 

 

 

Nasi: A repórter Graziela Mendonça está ao vivo, aqui no estúdio com a gente, e vai contar as novidades. Boa noite, Graziela. Como vai ser essa mudança no reajuste de preços?

 

 

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. Pois é, as novidades foram anunciadas hoje, em comunicado da Petrobras. A primeira mudança é a periodicidade nos reajustes do diesel nas refinarias, onde o petróleo é processado. Hoje em dia, esse valor não tem um prazo mínimo para ser reajustado. O preço na refinaria pode mudar até diariamente. Mas agora esse reajuste só vai poder acontecer num período mínimo de 15 dias, que foi estabelecido pela Petrobras. Isso é importante, Nasi, porque o valor do diesel nas refinarias representa mais da metade do que é cobrado na bomba ao consumidor final.

 

 

 

Gabriela: E, Graziela, como vai funcionar esse cartão para os caminhoneiros?

 

 

 

Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Então, Gabriela, no mesmo comunicado a Petrobras anunciou que está desenvolvendo o Cartão Caminhoneiro. A ideia desse cartão é permitir que o motorista compre diesel a preço fixo nos postos com a bandeira BR, dando uma maior estabilidade nos preços durante as viagens. Segundo a Petrobras, ele deve ser implantado dentro de três meses. E a Petrobras informou ainda que vai manter os princípios para preços competitivos no diesel, como o alinhamento ao mercado internacional, por exemplo. Nasi, Gabriela.

 

 

 

Nasi: Obrigado então, Graziela Mendonça, pela participação ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

 

 

Gabriela: Combater a violência junto com políticas públicas nas cidades com os maiores índices de criminalidade.

 

 

 

Nasi: O Governo Federal vai atuar em parceria com estados e municípios e adotar uma série de ações voltadas para reduzir a violência. O plano vai começar em cinco municípios a partir do segundo semestre.

 

 

 

Repórter Leandro Alarcon: Combater o crime com a ação policial e, ao mesmo tempo, levar mais educação, cidadania e saúde para a população. Essa é a meta do plano anunciado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, depois de se reunir com os ministros da Educação, Ricardo Vélez, da Cidadania, Osmar Terra, e do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. O ministro Sérgio Moro detalhou que as medidas devem ser implementadas ainda no segundo semestre.

 

 

 

Ministro da Justiça e Segurança Pública - Sérgio Moro: Primeiro uma ação concentrada das forças de segurança pública federais, do estado e do município, para uma redução drástica da criminalidade, e com ações de políticas sociais. Na prática, vai ser feita uma espécie de um contrato entre a União, o estado e o município, em que as três unidades da Federação vão dar os braços para atuar em conjunto para a redução drástica da criminalidade nesses municípios que sofrem especialmente com elevados índices de violência.

 

 

 

Repórter Leandro Alarcon: Na fase piloto, serão selecionados cinco municípios com altos índices de criminalidade, onde as ações serão concentradas. Cada ministério envolvido vai trabalhar em uma fase do plano. O Ministério do Desenvolvimento Regional vai apoiar todas as questões de saneamento e urbanismo, como explica o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.

 

 

 

Ministro do Desenvolvimento Regional - Gustavo Canuto: Saneamento, urbanização e fornecimento de água, o que for necessário para a população, iluminação pública, com o foco, evidentemente, de redução do crime violento, inclusive é um critério de escolha da alocação dos recursos.

 

 

 

Repórter Leandro Alarcon: A educação terá papel essencial no plano, foi o que destacou o ministro da Educação, Ricardo Vélez.

 

 

 

Ministro da Educação - Ricardo Vélez: Não basta a repressão, é necessário que haja ação social. E dentro da ação social, a parte educacional é fundamental para diminuir os índices de violência. Nós temos o nosso FNDE que pode dirigir recursos aos estados e aos municípios, no sentido de aparelhar as escolas para melhor se inserirem no contexto dessas políticas públicas.

 

 

 

Repórter Leandro Alarcon: O ministro da Cidadania, Osmar Terra, afirmou que o plano, assim como o Projeto de Lei Anticrimes, encaminhado ao Congresso, faz parte do esforço do Governo Federal para trazer mais segurança para a população.

 

 

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: A redução da violência acontece quando se reduz o consumo de drogas, com projetos culturais, projetos esportivos. As escolas terem mediação de conflitos, ficarem abertas no fim de semana para práticas esportivas e culturais também. Tudo isso, junto com a repressão, ajuda a reduzir a violência.

 

 

 

Repórter Leandro Alarcon: O Governo ainda estuda quais cidades vão servir como ponto de partida para o combate ao crime no restante do país. Reportagem, Leandro Alarcon.

 

 

 

Gabriela: Caderneta de vacinação em dia é uma segurança para quem está imunizado e também para todas as pessoas que convivem com a criança, não é, Nasi?

 

 

 

Nasi: Pois é, Gabriela. Em casa, na rua, nos parques, aquela dose é importante para toda a sociedade.

 

 

 

Gabriela: Principalmente agora, Nasi, quando o país voltou a registrar casos de sarampo.

 

 

 

Nasi: E para quem recebe o Bolsa Família, a vacinação é um requisito obrigatório para receber o benefício.

 

 

 

Repórter Renata Garcia: A ameaça do retorno do sarampo acende um alerta para toda a população. Além de ser fundamental para a saúde, a vacinação em dia é uma das condições para receber o Bolsa Família. O secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Lelo Coimbra, salienta que as doses são essenciais em todas as faixas etárias. Médico de formação, Coimbra coordena o programa de Transferência de Renda.

 

 

 

Secretário especial do Desenvolvimento Social - Lelo Coimbra: Cada idade tem uma vacina para ser tomada, é um cuidado da saúde, da imunidade contra aqueles pequenos organismos, do sarampo, da gripe, da poliomielite, da difteria, de tantas doenças que nós não vemos, mas que entram na gente e a gente não sabe se está protegido. E a vacina é uma garantia de proteção.

 

 

 

Repórter Renata Garcia: O Sistema Único de Saúde, o SUS, oferta dois tipos que protegem contra o sarampo: a tetraviral, que imuniza ainda contra a rubéola, caxumba e varicela; e a tríplice viral, para combate também de rubéola e caxumba. A dona de casa Maria Claudeci Gonzaga, de 36 anos, conta que aprendeu na Unidade Básica de Saúde, onde leva a família, em Pacatuba, Sergipe, sobre a importância da vacinação.

 

 

 

Dona de casa - Maria Claudeci Gonzaga: Os cartões de vacina estão todos em dia, de todos. A vacinação é importante para a saúde de nossos filhos. Tem de dar, sim.

 

 

 

Repórter Renata Garcia: Para cumprir corretamente as condicionalidades de saúde do Bolsa Família, os responsáveis devem levar as crianças menores de sete anos para tomar as vacinas recomendadas pelas equipes de saúde, e para pesar, medir e fazer o acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento. As gestantes beneficiárias do programa devem fazer o pré-natal e ir às consultas da unidade de saúde. Reportagem, Renata Garcia.

 

 

 

Nasi: Idosos e pessoas com deficiência que recebem o BPC, o Benefício de Prestação Continuada, devem se inscrever no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

 

 

 

Gabriela: E para não ter o pagamento bloqueado, quem recebe o benefício precisa ficar atento aos prazos finais para a inscrição.

 

 

 

Nasi: Ainda nesta edição, a gente traz mais informações sobre esses prazos.

 

 

 

"Nova Previdência - É para todos, é melhor para o Brasil".

 

 

 

Gabriela: As propostas do Governo para a nova previdência foram tema de um encontro entre o vice-presidente Hamilton Mourão com empresários da indústria em São Paulo.

 

 

 

Nasi: O repórter Ricardo Ferraz acompanhou a reunião e traz os detalhes, ao vivo, para a gente. Boa noite, Ricardo. O que o vice-presidente levou aos empresários paulistas?

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, defendeu a diminuição do tamanho do Estado Brasileiro e a eficiência da máquina pública. Mourão falou ainda sobre a importância de uma simplificação radical no processo de abertura de novos negócios, de tirar o peso do estado das costas de quem produz e da necessidade de manter as agências regulatórias livres de influência política. Mas o principal ponto do vice-presidente foi mostrar aos empresários a importância da nova previdência. A proposta prevê o aumento da idade mínima de aposentadoria, que passará à de 62 anos para mulheres e de 65 anos para os homens. Todos vão ter que contribuir por um mínimo de 20 anos e a economia do Governo deve chegar a R$ 1,1 trilhão em dez anos. Segundo o vice-presidente, só com a nova previdência o Brasil será capaz de impedir o retorno da inflação e a deterioração das contas públicas. Antes do encontro na Federação da Indústria de São Paulo, a Fiesp, Mourão afirmou que o Governo vai ter paciência para negociar a aprovação da proposta e convencer os parlamentares e a população. Vamos ouvir.

 

 

 

Vice-presidente Hamilton Mourão: Nós temos que ter clareza e difundir aquilo que são as nossas propostas, a clareza em torno do que é a nova previdência, a clareza em termos de convencer os nossos parlamentares e, mais do que eles, a nossa população. A determinação de levar isso à frente e a paciência para negociar tudo aquilo que tiver que ser negociado. É extremamente importante esse encontro, a oportunidade de dialogar com essas pessoas, que representam muita gente por causa das empresas que estão ligadas a eles e que empregam grande parte dos nossos brasileiros e brasileiras.

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): Os empresários que participaram do encontro também reafirmaram a necessidade da aprovação da nova previdência, para criar condições para o crescimento econômico e o desenvolvimento do país. João Guilherme Ometto, vice-presidente da Fiesp, reforçou a importância da reforma.

 

 

 

Vice-presidente da Fiesp - João Guilherme Ometto: Realmente deixa o Governo aparelhado na sua função de ajudar o país, dar emprego. O Governo não pode quebrar, do jeito que está. Nós temos que ter a consciência, e eu acho que todo mundo vai ter a consciência de aprovar uma reforma com a previdência.

 

 

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): No evento, o vice-presidente Hamilton Mourão também afirmou a importância de um endurecimento da legislação criminal e da ampliação da capacidade tecnológica da polícia brasileira. De São Paulo, Ricardo Ferraz.

 

 

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

 

 

Gabriela: O Brasil teve o melhor desempenho da história das Olimpíadas em 2016, no Rio de Janeiro.

 

 

 

Nasi: E das 19 medalhas conquistadas, 13 foram de atletas apoiados pelas Forças Armadas.

 

 

 

Gabriela: No programa Atletas de Alto Rendimento, eles são incorporados no Exército, Marinha ou Aeronáutica e têm os mesmos direitos que os demais militares.

 

 

 

Nasi: Assim, podem usufruir de toda a infraestrutura para treinar e também se dedicar de forma exclusiva ao esporte.

 

 

 

Gabriela: E o programa continua para que os bons resultados sejam mantidos no ano que vem, nas Olimpíadas de Tóquio, no Japão.

 

 

 

Repórter Lane Barreto: Aos 15 anos, Angélica Malinverno deixou a casa dos pais, em Farroupilha, no Rio Grande do Sul, para transformar um sonho em realidade: tornar-se jogadora de vôlei. Hoje, aos 29 anos, ela é atleta profissional na modalidade, vice-campeã do Pan-americano de Toronto, no Canadá, e há três anos integra o programa Atletas de Alto Rendimento, do Ministério da Defesa. O programa inclui 599 atletas em 32 modalidades, como boxe, basquete, judô, natação, ciclismo e atletismo. Com história de vida semelhante à de muitos outros esportistas brasileiros, a trajetória da sargento do Exército Angélica não foi fácil. Ela explica que a rotina do atleta é repleta de dificuldades e superação.

 

 

 

Atleta - Angélica Malinverno: As pessoas não têm muita noção de como é a vida do atleta. A gente olha só a parte do treinamento, ah, está treinando, tal, é muito tranquilo. Mas é uma vida de muito sacrifício, é uma vida de muita dedicação, é uma vida muito regrada, com horários.

 

 

 

Repórter Lane Barreto: A sargento Angélica destaca que sem o programa de Alto Rendimento das Forças Armadas, muitos esportistas não teriam a oportunidade de seguirem carreira profissional.

 

 

 

Atleta - Angélica Malinverno: Nós somos um país carente de esporte. Então, ter mais uma grande estrutura por trás faz com que a gente tenha uma visibilidade melhor, você dá, especialmente para os atletas de esportes individuais, a possibilidade de ter um treinamento melhor, de ir para uma competição que, às vezes, ele não conseguiria ir, porque ele não tem patrocínio.

 

 

 

Repórter Lane Barreto: Desde sua criação, em 2008 até o ano passado, o programa já investiu mais de R$ 40 milhões na preparação, no treinamento e no envio dos esportistas para competições. Os atletas contam com os benefícios da carreira limitar, como o soldo, 13º salário, férias, entre outros incentivos, como informa o diretor do Departamento de Desporto Militar, do Ministério da Defesa, General Jorge Antônio Smicelato.

 

 

 

Diretor do Departamento de Desporto Militar - General Jorge Antônio Smicelato: Apoio de seguro-saúde, apoio de assistência, locais para treinamento e muitas outras possibilidades, que, resumindo, dão estabilidade para que ele possa dedicar-se exclusivamente ao seu treinamento.

 

 

 

Repórter Lane Barreto: O processo de seleção para o programa de Alto Rendimento das Forças Armadas leva em conta as medalhas conquistadas durante a carreira dos atletas. Essas premiações são transformadas em pontos nos concursos para o preenchimento das vagas. Reportagem, Lane Barreto.

 

 

 

Nasi: Idosos e pessoas com deficiência que recebem o BPC, o Benefício de Prestação Continuada, devem estar inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

 

 

 

Gabriela: O registro é obrigatório e quem ainda não se inscreveu pode ter o benefício suspenso.

 

 

 

Nasi: Para não ter o pagamento bloqueado, quem recebe o BPC precisa ficar atento ao prazo final para a inscrição, que tem como base o dia de nascimento dos beneficiários.

 

 

 

Gabriela: E quem faz aniversário nos meses de janeiro, fevereiro e março tem até sexta-feira, dia 29, para regularizar a situação.

 

 

 

Repórter Diego Queijo: Mais de 1,1 milhão de pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada, o BPC, ainda não fizeram a inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O registro é obrigatório e quem ainda não se alistou pode ter o benefício suspenso a partir de abril. Todos os beneficiários não inscritos estão sendo notificados pela rede bancária sobre as datas limite. Até o momento, mais de 3,4 milhões de pessoas já registraram as informações na ferramenta do Governo Brasileiro. O diretor do Departamento de Benefícios Assistenciais da Cidadania, André Veras, ressalta que, entre as vantagens de fazer parte do Cadastro Único, está a possibilidade de participar de vários programas sociais do Governo.

 

 

 

Diretor do Departamento de Benefícios Assistenciais da Cidadania - André Veras: Ele terá acesso a outros programas sociais do Governo Federal, como o Minha Casa, Minha Vida e também a Tarifa Social de Energia Elétrica, além de possibilitar que o Governo Federal o conheça melhor, conheça melhor as suas famílias, para que aperfeiçoemos a política pública voltada para essas pessoas mais vulneráveis.

 

 

 

Repórter Diego Queijo: Para regularizar a situação e não perder o BPC, o Ministério da Cidadania estabeleceu um calendário para as suspensões, de acordo com o dia do aniversário de cada beneficiário. Quem recebe o BPC e faz aniversário nos meses de janeiro, fevereiro e março, tem até o próximo dia 31 para regularizar a situação. Já o prazo para os nascidos nos meses de abril, maio e junho termina em 30 de junho. Os aniversariantes de julho, agosto e setembro têm até 30 de setembro. E os de outubro, novembro e dezembro podem se registrar até 31 de dezembro. As inscrições podem ser feitas nos Centros de Referência de Assistência Social, os Cras, ou na Secretaria de Assistência Social do município. É preciso ter em mãos CPF, RG e comprovante de residência para o cadastramento. O BPC tem o valor de um salário mínimo e é pago mensalmente a idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência, que possuem renda familiar de até R$ 238. Reportagem, Diego Queijo.

 

 

 

Nasi: Em um mundo cada vez mais eletrônico, tem robôs que fazem de tudo, viu, Gabriela?

 

 

 

Gabriela: Atendem ligações, montam carros e alguns, Nasi, fazem até cirurgias.

 

 

 

Nasi: E tanta modernidade desperta a curiosidade de crianças e jovens pela ciência.

 

 

 

Gabriela: Pois é. E com a Olimpíada Brasileira de Robótica, estudantes de escolas públicas e particulares têm acesso a essa tecnologia e aprendem a fazer robôs.

 

 

 

Nasi: Aprendizado que pode começar cedo, já no ensino fundamental.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: O que vem à mente quando o assunto é robótica? Cálculos complicados, muita tecnologia e, é claro, robôs. E quando o assunto é olimpíada? Atletas, esforço físico. E o que uma coisa tem a ver com a outra? Tudo a ver. Na Olimpíada Brasileira de Robótica, as máquinas são os atletas, construídos por estudantes. E como qualquer competição, haja preparação. Na Escola Estadual Conde do Pinhal, de São Carlos, São Paulo, os alunos nem se importam de esticar o horário das aulas para dedicar mais tempo aos robôs. Segundo o professor de física, Rogério Vargas, não falta empolgação na turma.

 

 

 

Professor de física - Rogério Vargas: Eles ficam alucinados, eles querem vir toda hora para cá, montar o robô. Alguns já queriam estar com o robô pronto agora.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: O estudante Jaime Bossa é um dos alunos. Apaixonado por robótica, vai participar da olimpíada pela segunda vez.

 

 

 

Estudante - Jaime Bossa: Aprendi muito mesmo na parte de programação. Pode servir bastante no nosso futuro.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: As inscrições da Olimpíada Brasileira de Robótica deste ano estão abertas até 17 de maio. Nessa 13ª edição podem participar alunos de escolas do ensino fundamental, médio e técnico. Na modalidade nível zero estão os estudantes entre seis a oito anos. Para os pequenos, uma forma de diversão com muito aprendizado, garante Tatiana Alves, coordenadora-geral da Olimpíada Brasileira de Robótica.

 

 

 

Coordenadora-geral da Olimpíada Brasileira de Robótica - Tatiana Alves: Eles vão para a escola, porque a robótica tem esse caráter de atrair as crianças e os jovens, para poder trabalhar nesse ambiente divertido e de solução de problemas e de criatividade.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: A OBR tem apoio dos Ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e também do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPq. Para Ivo Leite, coordenador de Popularização da Ciência, do MCTI, os eventos aproximam os estudantes da ciência, uma aprendizagem que vai além da sala de aula.

 

 

 

Coordenador da Popularização da Ciência - Ivo Leite: Pode melhorar a qualidade de vida nos seus serviços, no seu dia a dia, dentro de uma sociedade.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: Uma olimpíada com ensinamentos para a vida toda. É o que conta a estudante Bianca Mendes, medalha de bronze na competição do ano passado.

 

 

 

Estudante - Bianca Mendes: Vai me ajudar, quando eu tiver um emprego, a enfrentar situações-problemas, a ser criativa. Então, eu acho que a robótica me ajuda bastante com a pessoa que, no futuro, vai ter um emprego, logo, logo.

 

 

 

Repórter Gabriela Noronha: A inscrição para Olimpíada Brasileira de Robótica é de graça. Os professores devem acessar o site oficial da OBR, em www.obr.org.br. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

 

 

Gabriela: Brasil e Chile assinaram acordo de cooperação para o combate à corrupção.

 

 

 

Nasi: Um dos resultados imediatos é que o Brasil terá acesso a uma plataforma desenvolvida no Chile que permite gerenciar a agenda de autoridades do Governo.

 

 

 

Gabriela: De acordo com o ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, que está no Chile, o acordo é mais um passo do Brasil no combate à corrupção e em favor da transparência.

 

 

 

Ministro da Controladoria-Geral da União - Wagner Rosário: O objetivo é justamente esse, você dar amplo acesso a todas as reuniões, inclusive as de logo, para a gente evitar que a gente tenha essa atividade para influenciar a decisão das autoridades, sem que isso esteja claro para a sociedade. Eles fizeram uma plataforma muito boa... O primeiro passo já do acordo é que eles vão passar todo o sistema gratuitamente para a gente. E a gente vai adaptar à nossa realidade, e eles já estão inclusive fazendo a tradução para o português, até para a gente não ter esse trabalho. A gente tem uma série de assuntos para tocar, e nós vamos trocar experiências aí, e permitir o crescimento de ambos, de ambos os países.

 

 

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

 

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

 

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

 

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

 

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

 

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".