28 DE JANEIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Liberado FGTS para trabalhadores da região de Brumadinho. E pagamento do Bolsa Família também será antecipado. Militares israelenses já estão na cidade para ajudar no resgate às vítimas. E gabinete de crise do governo acompanha todas as ações de apoio à população local. Presidente Jair Bolsonaro se recupera bem setor após cirurgia. Saiu o resultado do Sisu! Agora é hora de ficar de olho na matrícula.

audio/mpeg 28.01.19.mp3 — 45470 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 28 de janeiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Liberado FGTS para trabalhadores da região de Brumadinho.

 

Nasi: E pagamento do Bolsa Família também será antecipado. Diego Queijo.

 

Repórter Diego Queijo: Foram divulgadas medidas emergenciais e de longo prazo para ajudar a população. Entre as ações, está a antecipação do pagamento do Bolsa Família para os beneficiários do município.

 

Gabriela: Militares israelenses já estão na cidade para ajudar no resgate às vítimas.

 

Nasi: E gabinete de crise do governo acompanha todas as ações de apoio à população local.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Presidente Jair Bolsonaro se recupera bem após cirurgia. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Jair Bolsonaro está na Unidade de Terapia Intensa em condição estável, consciente e sem dor. Eu volto daqui a pouco ao vivo com mais informações.

 

Gabriela: Saiu o resultado do Sisu. Agora é hora de ficar de olho na matrícula. Nathalia Koslyk.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Nesse primeiro semestre serão oferecidas 235.461 vagas em 129 instituições de todo o país.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Nasi: O presidente Jair Bolsonaro foi operado hoje.

 

Gabriela: A cirurgia foi para retirar a bolsa de colostomia colocada depois que o presidente foi atingido por uma facada em setembro do ano passado.

 

Nasi: Nós vamos conversar, ao vivo, agora com o repórter Ricardo Ferraz que tem outras informações. Boa noite, Ricardo.

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. A cirurgia de retirada da bolsa de colostomia do presidente Jair Bolsonaro foi considerada bem-sucedida pela equipe médica do Hospital Albert Einstein, São Paulo. A operação começou às 8h e meia da manhã e durou cerca de sete horas. Os médicos fizeram a ligação entre os intestinos grosso e delgado e retiraram a aderência decorrente das duas cirurgias anteriores que o presidente realizou. Jair Bolsonaro está a Unidade de Terapia Intensiva, em condição estável, consciente, sem dor, recebendo cuidados para a prevenção de infecções. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, agradeceu a toda a equipe médica chefiada pelo Dr. Antônio Luiz Macedo e informou que um gabinete já está montado no hospital, de onde o presidente vai despachar com ministros e auxiliares mais próximos a partir de quarta-feira.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: Já está montado e o presidente vai passar 48 horas, a partir do horário que iniciou-se a cirurgia, em descanso total. Então, quarta-feira, em torno de 9h e 10 horas da manhã, ele retoma legalmente a função de presidente da nossa república.

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): Jair Bolsonaro deve permanecer na Unidade de Terapia Intensiva por dois dias, o prazo para a alta é de dez dias. De São Paulo, Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: E os esforços para ajudar as vítimas de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, após o rompimento da Barragem na Mina do Feijão continuam.

 

Nasi: Hoje, um grupo de militares israelenses começou a atuar juntamente com as equipes de brasileiros na busca por sobreviventes.

 

Gabriela: Até agora já estão confirmados 60 mortos. Os desaparecidos chegam a 292.

 

Nasi: A repórter Luana Karen está em Brumadinho acompanhando os trabalhos desde sexta-feira, quando a barragem se rompeu. E fala, ao vivo, com a gente agora. Boa noite, Luana.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela e a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Olha, eu estou aqui desde sexta-feira e pude acompanhar de perto o que essas pessoas estão passando e os trabalhos das equipes de resgate. A situação é muito difícil, nós estamos reunidos em frente à faculdade onde foi montado o posto de comando das operações, e, volta e meia, parentes das vítimas passam por aqui. E a gente acaba também sentindo um pouco da dor de muitos que perderam familiares e amigos nessa tragédia. No sábado, o presidente Jair Bolsonaro veio por aqui, sobrevoou toda a área atingida pelo rompimento da barragem. Ministros também estiveram na cidade e explicaram as medidas que já estavam sendo tomadas. Vamos ouvir na reportagem.

 

Repórter Luana Karen: Ao chegar na entrada de Brumadinho, a cor vermelha do Rio Paraopeba indicava a gravidade do assunto. Os rastros da lama de rejeitos que desceu o morro após o rompimento da Barragem do Feijão também podiam ser vistos num trecho de uma pista que separava distritos de Brumadinho. Ali encontrei o eletricista José Moreira de Assis, que teve de abandonar a casa às margens do Rio Paraopeba e não tem nenhuma previsão de quando poderá voltar.

 

Eletricista - José Moreira de Assis: Fui acionado por vizinhos que tinham rompido esta barragem. Aí eu fiquei de alerta, perguntaram se tinha perigo, eu falei: É claro, porque tem vários afluentes que desaguam no Paraopeba. E aí, eu escutei o barulho das árvores quebrando, e eu falei: É isso mesmo o que está acontecendo.

 

Repórter Luana Karen: Também na região, encontrei a Profa. Iara Murta, ela mora há dez anos no Parque da Cachoeira, uma das áreas mais afetadas pelo rompimento da barragem.

 

Professora - Iara Murta: Eu acho que isso daí eu pensei que eu só ia ver em filme, sabe, de tragédias, como você vê várias, né? E é muito traumatizante.

 

Repórter Luana Karen: Por volta das 9h e meia da manhã de sábado, o presidente Jair Bolsonaro chegou ao aeroporto de Confins, em Minas Gerais, embarcou num helicóptero e sobrevoou a área atingida pelo rompimento da barragem. Bolsonaro também se reuniu com ministros e técnicos do governo para discutir ações de socorro às vítimas. Já em Brasília, o presidente falou sobre a tragédia e medidas que estão sendo tomadas.

 

Presidente - Jair Bolsonaro: O governo federal, bem como o governo estadual, tomou todas as providências de imediato para ajudar a minimizar a dor dos familiares. Daqui para frente o trabalho é basicamente busca de desaparecidos, infelizmente, pode aumentar muito o número de mortes.

 

Repórter Luana Karen: A Defesa Civil Nacional reconheceu a situação de calamidade pública em Brumadinho, medida que também foi adotada pelo governo do estado. Com isso, a transferência de recursos da União para Minas Gerais para ajudar no socorro às vítimas vai ser agilizada. O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, explicou como está sendo feito o trabalho dos técnicos do ministério.

 

Ministro de Minas e Energia - Bento Albuquerque: Os nossos técnicos da agência, bem como os técnicos da CPRM, estão trabalhando no local justamente para apurar os fatos e contribuir com as autoridades naquilo que é mais importante no momento, mitigar o acidente e impedir que coisas semelhantes possam ocorrer, e, principalmente, dar apoio às autoridades para que haja o monitoramento do avanço da lama e as informações de coleta de material para saber da qualidade da água do Rio Paraopeba.

 

Repórter Luana Karen: O Ibama multou a mineradora Vale em R$ 250 milhões pelos danos ambientais provocados pelo rompimento da barragem. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, falou sobre o trabalho de fiscalização.

 

Ministro do Meio Ambiente - Ricardo Salles: O que nós demonstramos hoje através da atuação do Ibama é que a fiscalização e a atuação do órgão ambiental, ela é rigorosa e rápida. O que nós precisamos ter, e isso é uma questão não para este caso, que não se aplica, mas para o Brasil, é foco na atuação. Situações de maior risco, maior complexidade, ter a equipe, todas as equipes, nacionalmente falando, de licenciamento ambiental com maior foco, maior dedicação.

 

Repórter Luana Karen: Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, a prioridade agora é o socorro às vítimas.

 

Ministro do Desenvolvimento Regional - Gustavo Canuto: O objetivo é esse, vamos melhorar os procedimentos para evitar que uma tragédia humana como essa volte a acontecer.

 

Repórter Luana Karen: No estacionamento da faculdade em que foi instalado o posto de comando das operações de busca e salvamento em Brumadinho, encontrei vários veículos do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Defesa Civil. No ar, helicópteros iam e vinham a todo instante. Ao todo, 14 aeronaves participavam das operações de resgate. De Brumadinho, Minas Gerais, Luana Karen.

 

Gabriela: E, Luana, explica para gente, como está sendo o trabalho dos militares israelenses. Eles chegaram ontem, né? Você acompanhou?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Isso mesmo, Gabriela. Eu fui ao aeroporto acompanhar a chegada dos mais de 130 israelenses que chegaram na noite de ontem com 16 toneladas de equipamentos. Eles trouxeram radares capazes de identificar o sinal de aparelhos celulares até 4 metros abaixo da lama. Esses equipamentos devem usados para localizar desaparecidos. Há nesse grupo: engenheiros, médicos e especialistas em tecnologia e em operações de busca e salvamento. A ideia é que eles trabalhem no local mais próximo à barragem que se rompeu. O coronel Golan Vach, que lidera os estrangeiros, afirmou que o trabalho vai ser feito lado a lado com as autoridades locais e disse que tem esperança de encontrar e resgatar o máximo de pessoas que puderem. Em entrevista aos jornalistas, o tenente Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros, disse entender a situação dos parentes que buscam informações das vítimas e naturalmente estão tensos, mas que é preciso considerar as características dessa tragédia.

 

Porta-voz do Corpo de Bombeiros - Pedro Aihara: A gente entende que é natural que os familiares das vítimas, eles estejam numa situação que eles buscam informações, mas a gente tem que entender que esse tipo de atuação é um tipo de atuação muito delicada. A gente está falando de milhões de rejeitos de minério de ferro, a gente trabalha com barragem, que dentro da área que a gente... a gente trabalha desde matéria orgânica, envolvendo animais, plantas e também pessoas. Então, tem que ser feito um trabalho muito criterioso.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Um outro detalhe repassado mais cedo pelo tenente Aihara é que as construções, o refeitório e o prédio administrativo da Vale foram levados por talvez quilômetros adiante, por conta da força da lama e da posição em que eles estavam, bem abaixo da barragem. E lá que estava a maior parte dos funcionários da Vale, que continuam desaparecidos. Sobre esse assunto, o tenente-coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil, afirmou que eles estão trabalhando na unificação da lista de desaparecidos, com informações dos funcionários da Vale e dos moradores.

 

Nasi: E agora, Luana, você falou da ida de vários ministros aí a Brumadinho. Hoje, o ministro da Cidadania esteve aí e anunciou novidades para quem recebe programas sociais, como o Bolsa Família, não é isso?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): É isso mesmo, Nasi, ele anunciou hoje a antecipação do pagamento do Bolsa Família de fevereiro a beneficiários da cidade de Brumadinho, e disse ainda que equipes de assistência social do governo devem vir para cá ajudar a cadastrar as famílias que estão desabrigadas e precisam de apoio neste momento. Vamos ouvir os detalhes na reportagem.

 

Repórter Diego Queijo: O ministro da Cidadania, Osmar Terra, acompanhou nesta segunda-feira o trabalho das equipes que prestam atendimento aos atingidos pelo desastre em Brumadinho, Minas Gerais. Após reuniões com representantes do estado e do município, foram divulgadas medidas emergenciais e de longo prazo para ajudar a população. Entre as ações, está a antecipação do pagamento do Bolsa Família para os beneficiários do município. O ministro explica que também foi discutida a situação dos pequenos produtores rurais da região, das famílias que estão desabrigadas e dos beneficiários de outros programas sociais do governo federal.

 

Ministro da Cidadania - Osmar Terra: É um esforço que a gente está fazendo de antecipação de recursos e vamos avaliar junto com a secretaria estadual e com a prefeitura os programas de nível local, vamos ver a situação para ver que outras ações nós podemos ser úteis para socorrer e proteger a população, principalmente mais pobre.

 

Repórter Diego Queijo: Uma equipe do Ministério da Cidadania será enviada na quarta-feira para mapear os afetados pelo desastre. De acordo com Osmar Terra, o grupo deve apoiar as equipes municipais de assistência social que já trabalham no direcionamento dos desabrigados para alojamentos e ainda incluir vítimas no Cadastro Único para programas sociais do governo federal. A secretária estadual de Impacto Social, Elizabeth Jucá, destacou o apoio do governo federal no cadastramento, inclusive, para agilizar o processo de possíveis indenizações à população.

 

Secretária estadual de Impacto Social - Elizabeth Jucá: Esse cadastro agora realizado, ele é a base para nós analisarmos todos os impactos e também para possibilitar mais agilmente as indenizações aos atingidos desse desastre.

 

Repórter Diego Queijo: Nos próximos dias, o governo federal deve anunciar ainda a antecipação do Pagamento do Benefício de Prestação Continuada, o BPC, no município. Reportagem: Diego Queijo.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): E eu continuo em Brumadinho, acompanhando tudo sobre o trabalho feito na cidade. Amanhã, eu volto com mais informações aqui na Voz do Brasil. Gabriela e Nasi.

 

Gabriela: Obrigada, Luana Karen, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: E agora nós vamos conversar, ao vivo, com o repórter Pablo Mundim, que tem mais informações sobre o assunto.

 

Gabriela: Boa noite, Pablo. Quais são as ações do governo federal para atender às vítimas do rompimento da barragem?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi, e principalmente a você, ouvinte da Voz do Brasil. Nesta segunda-feira, ministros e técnicos participaram aqui no Palácio do Planalto de duas reuniões no Gabinete de Crise para coordenar as ações em curso e definir os próximos passos de ajuda aos atingidos pela tragédia de Brumadinho, Minas Gerais. Entre as ações definidas pelo governo federal, estão o envio de 2,5 toneladas de kits de medicamentos e insumos estratégicos para ajuda aos atingidos pela tragédia. Também serão enviados para o local peritos em danos ambientais, profissionais de vigilância em saúde e para o atendimento psicossocial à população atingida pelo rompimento da barragem. O governo federal também disponibilizou mil chips de celular para voluntários, familiares e equipes que ajudam nas buscas, além do Disque 100, 24 horas por dia, para informações sobre os desaparecidos. Hoje, o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, também destacou algumas ações implementadas pelo governo federal. Vamos ouvir.

 

Porta-voz de Presidência da República - Otávio do Rêgo Barros: Entre as ações já implementadas pelo governo federal, destacamos monitoramento da interrupção da captação de águas para parte da região metropolitana da cidade de Belo Horizonte, para que o abastecimento não seja comprometido, fornecimento de equipe para apoiar profissionais em Brumadinho que trabalham abrigando pessoas desalojadas e cadastrando famílias afetadas, identificação de danos em áreas produtivas, reservatórios e outras estruturas por meio de sistema de gerenciamento em parceria com o Mapa, monitoramento das redes de telecomunicações que foram afetadas parcialmente e estão funcionando com geradores.

 

Nasi: Agora, Pablo, a Caixa também anunciou a liberação do FGTS para moradores da região. Como isso vai funcionar?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Isso mesmo, Nasi. Os trabalhadores que moram na área afetada vão poder solicitar o saque do FGTS, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, até o limite de R$ 6.220. Nasi e Gabriela.

 

Gabriela: Obrigada, Pablo Mundim, pelas informações ao vivo aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: E a qualidade da água do Rio Doce, por onde corre a lama, está sendo monitorada pelo governo.

 

Gabriela: Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, não existe risco de desabastecimento da população neste momento.

 

Repórter Helen Bernardes: São várias as ações de monitoramento que envolvem técnicos do governo federal. Uma delas é verificar a qualidade da água do Rio Paraopeba, cerca de 3 milhões de pessoas recebem água do rio atingido por rejeitos. Segundo o ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Henrique Canuto, neste momento não há risco de desabastecimento da população, que está recebendo água captada de outros reservatórios enquanto está sendo realizada a análise da qualidade da água.

 

Ministro de Desenvolvimento Regional - Gustavo Henrique Canuto: Quarenta e sete pontos de captação foram instalados e serão... amostras serão coletadas pela CPRM, encaminhadas para análise química e a previsão é que até quarta-feira o resultado parcial nessas análises chegue e a gente possa ter uma noção um pouco mais concreta se houve ou não houve contaminação e como está a situação da água para permitir futura captação e tomar todas as providências necessárias para reverter essa situação.

 

Repórter Helen Bernardes: Sobre a responsabilidade de liberação e fiscalização dessas barragens, o ministro Gustavo Henrique Canuto afirmou que é preciso uma mudança conjunta de procedimentos para evitar que novas tragédias como essa aconteçam.

 

Ministro de Desenvolvimento Regional - Gustavo Henrique Canuto: Para a gente resolver essa situação e impedir que desastres semelhantes aconteçam terá que ter uma ação conjunta de todos os esses, tanto do privado, que é o empreendedor responsável por levantar essas informações, e tem o dever legal de fazê-lo com toda a fidedignidade que é esperada, tanto do governo estadual, na hora de aprovar os projetos, liberar a instalação e a operação, tendo que utilizando as melhores técnicas, as mais seguras, para liberar os projetos, quanto ao governo federal, na fiscalização depois que já está em operação.

 

Repórter Helen Bernardes: Depois de se reunir com técnicos da Agência Nacional de Águas, a ANA, e o Ministério de Minas e Energia, no domingo, o ministro do Desenvolvimento Regional também falou sobre o avanço dos rejeitos. Disse que a lama é mais densa e que se movimenta numa velocidade de 1 quilômetro por hora. A expectativa é que esse avanço diminua com o tempo até chegar no reservatório da hidrelétrica de Retiro Baixo, o que deve ocorrer na semana que vem. Reportagem: Helen Bernardes.

 

Nasi: E só uma correção, o monitoramento da água está sendo feito no Rio Paraopeba.

 

Gabriela: Resultado da primeira chamada do Sisu saiu hoje.

 

Nasi: A gente volta com mais informações em instantes.

 

Gabriela: E o presidente em exercício, Hamilton Mourão, também falou nesta manhã sobre as ações em Brumadinho. A repórter Márcia Fernandes traz os detalhes, ao vivo, agora para a gente. Boa noite, Márcia.

 

Repórter Márcia Fernandes: (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. Olha, o presidente em exercício Hamilton Mourão acabou de conversar com jornalistas, falou que amanhã na reunião do conselho de governo vai ser discutida a questão especificamente de Brumadinho e discutido também as questões relacionadas às possíveis falhas da Política Nacional de Controle de Barragens. Hoje, mais cedo, ele falou que os responsáveis pelo rompimento da barragem em Brumadinho, eles têm que ser punidos, mas que o momento agora é de tentar salvar vidas.

 

Presidente em exercício - Hamilton Mourão: Se houve imperícia, imprudência ou negligência, por parte de alguém dentro da empresa, essa pessoa tem que responder criminalmente, né? Porque, afinal de contas, quantas vidas foram perdidas nisso aí.

 

Repórter Márcia Fernandes: (ao vivo): Hamilton Mourão assumiu a presidência hoje de manhã, depois que Jair Bolsonaro foi internado para passar por uma cirurgia. Durante a tarde, ele se reuniu com autoridades religiosas cristãs da Palestina, e no fim do dia participou de uma reunião com o defensor público Gabriel Farias de Oliveira, que é o chefe dos defensores federais, ele colocou a instituição à disposição para ajudar no atendimento emergencial da população de Brumadinho, dando apoio jurídico para as indenizações. Mourão permanece como presidente em exercício até a manhã da quarta-feira. De Brasília ao vivo, Márcia Fernandes.

 

Nasi: E hoje foi dia de expectativa para mais de 1,8 milhão estudantes de todo o país.

 

Gabriela: É que saiu o resultado do Sistema de Seleção Unificada, o Sisu.

 

Nasi: Para quem garantiu a vaga, agora é só esperar para fazer a matrícula na universidade selecionada.

 

Gabriela: E quem não conseguiu, ainda tem chance com a lista de espera.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Há alguns dias, acompanhamos o brasiliense João Gabriel Lenza, de 17 anos, quando ele se inscreveu no Sisu. Agora registramos mais um momento importante na sua vida de estudante. Aprovado no Sistema de Seleção Unificada, vai fazer Direito da Universidade Federal da Bahia. João Gabriel não esconde a emoção de passar em sua primeira opção de curso.

 

Estudante - João Gabriel Lenza: Eu estou muito feliz, é a melhor sensação do mundo. Acho que finalmente eu posso realizar o meu sonho.

 

Repórter Nathalia Koslyk: Quem foi selecionado, como o João Gabriel, deve verificar junto à universidade o dia e os documentos necessários para a matrícula. Nesse primeiro semestre serão oferecidas 235.461 vagas em 129 instituições de todo o país. As matrículas ocorrem de 30 de janeiro a 4 de fevereiro. Para quem vai tentar a lista de espera do Sisu, o período para fazer a opção será de 29 de janeiro a 5 de fevereiro. A segunda convocação será no dia 7 de fevereiro. E nesta edição os candidatos já selecionados em chamada regular não poderão mais participar da lista de espera. O objetivo é reduzir o número de vagas ociosas, aumentando a oferta para outros candidatos. Com reportagem de Cleide Lopes, locução: Nathalia Koslyk.

 

Nasi: É, e nós vamos falar mais um pouquinho do Sisu, conversando com a Vitória Laís, estudante de jornalismo que trabalha aqui com a gente na Voz do Brasil.

 

Gabriela: Boa noite, Vitória. Você foi selecionada pelo Sisu há quanto tempo? E foi importante para você o esforço no Exame Nacional do Ensino Médio?

 

Estudante de jornalismo - Vitória Laís: Boa noite, Nasi, Gabriela, e ouvintes da Voz do Brasil. Olha, faz três anos, foi muito importante principalmente porque um ano antes eu fui reprovada por ter tirado uma nota abaixo da média em matemática na instituição que eu queria. Então, no seguinte que eu fui aprovada foi muito importante ter todas as notas acima da média. Então, cada nota faz toda a diferença para minha escolha.

 

Nasi: Você foi selecionada para o curso de jornalismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, não é? E hoje você estuda na Universidade de Brasília. Como que foi possível essa mudança?

 

Estudante de jornalismo - Vitória Laís: Então, Nasi, eu estou na UNB devido a um processo de mobilidade acadêmica, que funciona como um intercâmbio entre universidades federais que fazem parte desse convênio. Eu vim para cá no semestre passado e renovei para mais este semestre de 2019 e depois eu volto para UFRN. Tem sido uma oportunidade sensacional.

 

Gabriela: E o que você diria, Vitória, para quem ainda não garantiu uma vaga pelo Sisu?

 

Estudante de jornalismo - Vitória Laís: Como eu disse, eu não passei na minha primeira tentativa e sei muito bem o quanto esse baque é difícil a princípio. Mas o conselho que eu dou é que não desista, continue tentando. Vale a pena todo esse processo, afinal, a universidade é uma experiência incrível.

 

Nasi: É isso, então. Obrigado, Vitória, pela participação, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Gabriela: E só lembrando que a nota do Enem também vale para conseguir uma vaga no Prouni, que garante bolsas integrais ou parciais em universidades privadas e o financiamento estudantil, o Fies.

 

Nasi: E atenção, que as datas de inscrição foram alteradas. Para o Prouni, as inscrições começam no dia 31 de janeiro até 3 de fevereiro.

 

Gabriela: E para o novo Fies, de 7 a 14 de fevereiro.

 

Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Governo federal. Pátria amada, Brasil".