28 DE FEVEREIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Em defesa da democracia e da liberdade. Presidente Jair Bolsonaro recebe presidente encarregado da Venezuela e reforça cooperação para recuperar economia do país vizinho. Aumento do consumo das famílias e na produção da indústria. Fatores que puxaram o crescimento da nossa economia em 2018. E economia segue em crescimento. Brasil cria mais de 34 mil empregos com carteira assinada em janeiro.

audio/mpeg 28-02-19-VOZ DO BRASIL.mp3 — 45001 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Em defesa da democracia e da liberdade.

 

Gabriela: Presidente Jair Bolsonaro recebe presidente encarregado da Venezuela e reforça cooperação para recuperar a economia do país vizinho.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Nos interessa uma Venezuela livre, próspera, democrática e economicamente pujante.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Aumento do consumo das famílias e na produção da indústria.

 

Nasi: Fatores que puxaram o crescimento da nossa economia em 2018. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Pelo segundo ano consecutivo, a economia brasileira cresceu, o PIB registrou resultado positivo de 1,1%.

 

Gabriela: E a economia segue em crescimento.

 

Nasi: Brasil cria mais de 34 mil empregos com carteira assinada em janeiro. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Houve saldo positivo na abertura de vagas em cinco dos oito setores da economia. O maior número de empregos criados foi no setor de serviços.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: Resgatar a democracia na Venezuela para que a população volte a ter liberdade e a economia do país volte a crescer.

 

Nasi: Temas do encontro entre o presidente Jair Bolsonaro e Juan Guaidó, presidente encarregado da Venezuela, hoje, em Brasília.

 

Gabriela: No encontro, Jair Bolsonaro reforçou que o Brasil é um parceiro para restabelecer a democracia e recuperar a economia do país vizinho.

 

Repórter Márcia Fernandes: O presidente encarregado da Venezuela, Juan Guaidó, se reuniu nesta quinta-feira, em Brasília, com embaixadores e diplomatas de países da União Europeia. No Palácio do Planalto, ele se reuniu com o presidente Jair Bolsonaro. Guaidó destacou que o povo venezuelano quer viver em paz, com comida e trabalho. Ele afirmou que a balança comercial entre Brasil e Venezuela chegou a ser de US$ 6 bilhões, mas caiu para aproximadamente US$ 200 milhões. Ele disse que a reunião com o presidente brasileiro é um marco para resgatar um relacionamento que beneficie o conjunto da população, e agradeceu ao Brasil pela ajuda humanitária, por interceder a favor da democracia e da liberdade e entender que uma região forte também gera uma economia forte. O presidente Jair Bolsonaro declarou apoio a Juan Guaidó, e disse que o Brasil apoia as decisões do Grupo de Lima, formado por 11 países da América Latina e o Canadá, e que esta semana manifestou compromisso em favor de uma transição democrática na Venezuela. Jair Bolsonaro disse ainda que o Brasil apoia a busca dos venezuelanos por democracia e liberdade.

 

Presidente Jair Bolsonaro: Não pouparemos esforços, dentro, obviamente, da legalidade, da nossa Constituição e de nossas tradições, para que a democracia seja restabelecida na Venezuela. E todos nós sabemos que isso só será possível através, não apenas de eleições, mas eleições limpas e confiáveis. Nos interessa uma Venezuela livre, próspera, democrática e economicamente pujante.

 

Repórter Márcia Fernandes: Juan Guaidó tem 35 anos e é o presidente da Assembleia Nacional Venezuelana, que corresponde ao Congresso Nacional do Brasil. Em janeiro deste ano, ele se autoproclamou presidente do país, em oposição ao regime de Nicolás Maduro. Brasil, Estados Unidos, países da União Europeia e da América Latina apoiam Guaidó como presidente da Venezuela. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Nasi: Carnaval está chegando e muita gente já está se preparando para viajar.

 

Gabriela: E se essa viagem for de carro, os cuidados devem ser redobrados.

 

Nasi: Isso mesmo. A Polícia Rodoviária Federal vai estar de olho nos motoristas. E quem traz os detalhes ao vivo é a repórter Gabriela Noronha.

 

Gabriela: Boa noite, Gabriela. Essa fiscalização começa em algumas horas, não é mesmo?

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): É isso mesmo, Gabriela. Uma boa noite a todos. Olha, a Polícia Rodoviária Federal espera um trânsito intenso nas rodovias. E, a partir da meia-noite, começa a Operação Carnaval. Vamos conversar agora com Eder Rommel, o porta-voz da PRF, que tem mais informações para a gente. Boa noite, Eder. Para começar, como vai ser essa operação nas estradas?

 

Porta-voz da PRF - Eder Rommel: Boa noite, Gabriela. Boa noite a você, ouvinte. Bem, a PRF já está preparada para abordar, para fazer a Operação Carnaval em todo o país. Evidentemente nós estamos priorizando algumas localidades, alguns estados aqui no Brasil, sobretudo aqueles que se destacaram negativamente em relação a número de acidentes no último ano. Por exemplo: Bahia, Minas Gerais e Santa Catarina terão uma atenção especial em relação aos demais estados. Entretanto, todo o efetivo estará empenhado na operação, até a quarta-feira de cinzas.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Isso. Você já falou, não é? Que todo o efetivo vai estar empenhado. Tem número aí de policiais que vão atuar? Vão aumentar as viaturas?

 

Porta-voz da PRF - Eder Rommel: Sim. Nessas operações temáticas, nesses grandes feriados, o empenho é diferenciado em relação aos dias ordinários. Então, nós entregamos todo o efetivo possível, inclusive o pessoal da área administrativa, em vários estados, são alocados para as atividades operacionais, com o fim, evidentemente, de prestar o melhor serviço, nos fazermos presentes da melhor forma. Agora, sempre contando com a colaboração, a participação do cidadão. Nós estamos fazendo a nossa parte, nos empenhando, mas o cidadão também tem que seguir as normas de circulação, seguir essas dicas que nós sempre afirmamos.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Eder, a principal preocupação é com a embriaguez ao volante, já que é Carnaval, muita festa. A PRF vai agir com rigor nesses casos?

 

Porta-voz da PRF - Eder Rommel: Isso mesmo, Gabriela, é sempre uma preocupação. A Lei Seca já existe em nosso país há dez anos, não é novidade para ninguém e, portanto, nosso objetivo vai ser orientar as pessoas não beberem e dirigir. Elas já sabem que isso é proibido. Então nós estaremos atentos, todo motorista que demonstrar algum sinal de embriaguez será abordado, passará pelo teste do etilômetro, conhecido popularmente como bafômetro, e, caso seja constatada a embriaguez, ele será autuado. A multa chega perto de R$ 3 mil e, dependendo do teor alcoólico, ele poderá ser preso também.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): E essa também é uma época chuvosa. Qual a dica para o motorista viajar com segurança?

 

Porta-voz da PRF - Eder Rommel: Assim que você estiver viajando e se deparar com chuva, você tem que tomar algumas atitudes de imediato. A primeira delas é reduzir a velocidade do teu veículo e manter os faróis acesos. Isso é obrigação de todo motorista, mesmo durante o dia, mas, sobretudo nos dias de chuva, é muito mais importante, ele é muito mais eficaz, essas luzes acesas durante o dia. E atenção redobrada, aumente a distância em relação ao veículo que vai à sua frente, porque se ele reduzir a velocidade, por qualquer motivo, na pista molhada, você precisará de mais tempo e mais espaço para poder frear e evitar uma colisão. Então, reduz a velocidade, manter os faróis acesos e manter uma distância maior em relação ao veículo que segue à sua frente.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Obrigada, Eder Rommel, porta-voz da Polícia Rodoviária Federal, pela participação ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Porta-voz da PRF - Eder Rommel: Muito obrigado a vocês.

 

Gabriela: Lembrando que a Operação Carnaval 2019 vai até o fim da noite da quarta-feira de cinzas, dia 6 de março.

 

Nasi: As vendas no comércio, puxadas pelo aumento do consumo das famílias.

 

Gabriela: E o crescimento da produção da indústria levaram a economia brasileira a crescer pelo segundo ano seguido.

 

Nasi: O Produto Interno Bruto, PIB, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país, teve uma alta de 1,1% em 2018.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Pelo segundo ano consecutivo, a economia brasileira cresceu. O Produto Interno Bruno, o PIB, registrou resultado positivo de 1,1%. Quem puxou o PIB para cima foi o setor de serviços, como explica Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.

 

Coordenadora de Contas Nacionais do IBGE - Rebeca Palis: Crescimento de 2018 foi ancorado na indústria, que cresceu, depois de quatro anos de queda, e nos serviços, que têm um peso muito grande na economia, e que cresceu mais do que em 2017, e olhando pela demanda, nos dois anos, o crescimento foi muito ancorado no consumo das famílias.

 

Repórter Ricardo Ferraz: No total, o setor de serviços, que inclui o comércio, subiu 1,3%. A indústria fechou com 0,6% positivos. Já a agropecuária permaneceu praticamente estável, com 0,1%. Para Eron do Carmo, professor de Economia da Universidade de São Paulo, há motivos para comemorar.

 

Professor de Economia - Eron do Carmo: Nós estamos, depois de talvez a mais grave crise da história econômica brasileira, num processo de recuperação, que já dura dois anos, e um processo lento, mas consistente, e que aponta para resultados melhores no futuro. Tudo indica que nós teremos a continuidade do crescimento. Agora, tudo isso depende também, ou está condicionado, ao andamento das reformas, principalmente a Reforma da Previdência.

 

Repórter Ricardo Ferraz: O otimismo e a expectativa de um futuro melhor foi o que fez o empresário Gustavo Iglesias investir em um bar de cerveja artesanal e churrasco em São Paulo. O investimento, de R$ 1,5 milhão, ainda vai precisar de tempo para dar o retorno financeiro esperado, mas Gustavo está confiante na criação de empregos e no crescimento da economia.

 

Empresário - Gustavo Iglesias: O que a gente percebe é o mercado um pouco mais otimista esse ano. O segmento, ele está aquecido, então a gente tem uma expectativa boa.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Segundo o IBGE, o nível de investimentos no país também fechou o ano de 2018 com um crescimento de 4,1%, a primeira alta após três anos de queda. Reportagem, Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: E um dos indicadores de que a economia do país está em crescimento é o número de empregos.

 

Nasi: Com mais pessoas consumindo, o empresário contrata mais para atender esta demanda.

 

Gabriela: E se tem mais gente comprando, a indústria também contrata mais para dar conta dos pedidos. É a roda da economia girando.

 

Nasi: Em janeiro, o Brasil teve um saldo positivo de mais de 34 mil empregos com carteira assinada.

 

Gabriela: É o segundo melhor resultado para o mês nos últimos seis anos, e o principal destaque foi para o setor de serviços.

 

Repórter Gabriela Noronha: Antes de voltar a morar em Brasília, Rosemary Saboya passou um tempo fora do país e em outros estados. Ano passado, a analista comercial precisou se reintegrar ao mercado de trabalho na Capital Federal, mas não foi fácil. Depois de ocupar uma vaga temporária por quatro meses e passar um período desempregada, finalmente conseguiu uma vaga com carteira assinada, no início deste ano, e conta o que isso representa.

 

Analista comercial - Rosemary Saboya: Te dá, querendo ou não, uma perspectiva, não é? Porque quando você está na informalidade, você nunca sabe se você vai estar com o dinheiro para pagar a conta do mês ou não.

 

Repórter Gabriela Noronha: Rosemary ocupou um dos quase 1.326.000 postos de trabalho registrados em janeiro de 2019. Neste mês, a diferença entre as contratações e as demissões gerou um saldo positivo de mais de 34 mil empregos formais. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, pelo Ministério da Economia, e fazem parte do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Caged. Foi o segundo melhor saldo para o mês desde 2013. De acordo com o secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, o Governo espera gerar mais empregos ao longo do ano com a retomada da economia.

 

Secretário de Trabalho do Ministério do Trabalho - Bruno Dalcolmo: O mercado de trabalho é uma consequência do desempenho geral da economia, então a gente precisa que a economia volte a investir, que os empresários estejam confiantes, para que comecem a fazer novas contratações e a gente comece a ver os resultados dentro dos números aqui da pesquisa Caged.

 

Repórter Gabriela Noronha: Os números do Governo revelam ainda que, em janeiro, houve saldo positivo na abertura de vagas em cinco dos oito setores da economia. O maior número de empregos criados foi no setor de serviços, já o comércio foi o que mais demitiu. Bruno Dalcomo ressaltou que a aprovação da nova previdência é fundamental para a retomada da economia nos próximos anos

 

Secretário de Trabalho do Ministério do Trabalho - Bruno Dalcolmo: A retomada do crescimento do país depende do saneamento das contas públicas, e o principal instrumento é realmente a reforma da previdência. Então, com a aprovação da reforma, seguramente o Brasil começará a entrar nos trilhos, para um crescimento mais robusto, mais sólido.

 

Repórter Gabriela Noronha: Segundo o Governo, houve criação de vagas formais, ou seja, com carteira assinada, em três das cinco regiões do país, em janeiro deste ano. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: Governo do Amazonas decreta situação de emergência em função da gripe.

 

Gabriela: E pede ajuda do Ministério da Saúde para combater surto da doença.

 

Nasi: Daqui a pouco a gente traz os detalhes do apoio do Ministério ao estado.

 

Gabriela: O recado agora é para pequenos e médios empresários.

 

Nasi: A Controladoria-Geral da União está com inscrições abertas para ensinar estratégias de combate à corrupção nas empresas.

 

Gabriela: Os cursos são de graça e as inscrições podem ser feitas até amanhã.

 

Repórter Graziela Mendonça: O projeto, chamado de Jornada Íntegra, vai contar com uma série de palestras e oficinas específicas para essas empresas. Segundo o coordenador-geral de Integridade Privada da CGU, Thiago Smarzaro, os pequenos e médios negócios são responsáveis pela maior parte das contratações com o poder público, por isso a importância dessa ação.

 

Coordenador-geral de Integridade Privada da CGU - Thiago Smarzaro: Não em volume financeiro, mas em quantidade de empresas, são as que mais contratam com o poder público. Então, é importante que eles também estejam conscientes da responsabilidade que têm em manter o nosso setor corporativo pautado pela integridade, pela ética, pela transparência.

 

Repórter Graziela Mendonça: Qualquer pequena ou média empresa pode se inscrever, não há limite de vagas. A CGU vai analisar apenas se a empresa se encaixa no perfil dos cursos, como por exemplo, ter contratações com o setor público. As atividades começam em março, com etapas presenciais em São Paulo e também à distância. Thiago Smarzaro, da CGU, detalha como vai ser.

 

Coordenador-geral de Integridade Privada da CGU - Thiago Smarzaro: Vão ser seis meses, com cursos, palestras, eventos, capacitações online, presenciais, explicando, auxiliando a complementar as medidas de integridade.

 

Repórter Graziela Mendonça: As inscrições para o projeto vão até esta sexta, dia 1º de março. Os interessados deverão gravar e enviar um vídeo de, no máximo, um minuto, contando porque querem participar dos cursos. Para se inscrever, basta acessar o site da CGU, que é www.cgu.gov.br , clicar no banner da Jornada Íntegra e seguir as instruções. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Nasi: Um boato tem circulado recentemente pelas redes sociais.

 

Gabriela: De que a Voz do Brasil teria anunciado que quem trabalhou com carteira assinada entre 1995 e 2018 teria direito a um abono de R$ 1.023.

 

Nasi: Recebemos perguntas de ouvintes a respeito desse assunto.

 

Gabriela: E a gente informa: A notícia é falsa, uma fake news.

 

Nasi: O que está disponível para saque é o oitavo lote do abono salarial.

 

Gabriela: Este abono é pago para quem trabalhou por pelo menos 30 dias em 2017 com carteira assinada e com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

 

Nasi: Podem receber o benefício os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em março e abril, e os servidores públicos com finais de inscrição 6 e 7.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Gabriela: Amanhã, 60 mil jovens começam a cumprir o serviço militar.

 

Nasi: Com a chamada incorporação, agora eles vão atuar como recrutas, na Marinha, no Exército ou na Aeronáutica.

 

Repórter Lane Barreto: A primeira turma de jovens a prestar o serviço militar obrigatório este ano deve se apresentar à organização militar designada na sexta-feira, 1º de março. O coordenador da Seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa, Coronel Fernando Penasso, explica que a distribuição dos jovens à Marinha, ao Exército e à Aeronáutica atende às necessidades de cada força, além de considerar as condições físicas e os conhecimentos do candidato.

 

Coordenador da Seção de Serviço Militar - Coronel Fernando Penasso: Vai depender de diversos critérios, como físico, cultural, psicológico e moral, além das vagas disponíveis de cada força.

 

Repórter Lane Barreto: A prestação do serviço militar tem duração de 12 meses. No primeiro trimestre, os recrutas passam por uma formação militar básica. O Coronel Penasso detalha quais são as atividades desempenhadas nesse período.

 

Coordenador da Seção de Serviço Militar - Coronel Fernando Penasso: Treinamento físico militar, ordem unida, instruções de educação moral e cívica, guarda ao aquartelamento, tiro diurno e noturno, pista de primeiros socorros.

 

Repórter Lane Barreto: Quase 2 milhões de jovens fizeram alistamento militar em 2018 e pelo menos 90 mil deles devem ser incorporados às Forças Armadas neste ano. Ao completar 12 meses no serviço militar, os recrutas podem concorrer a uma vaga no serviço militar voluntário, com a possibilidade de fazer cursos profissionalizantes e receber uma maior remuneração. Os selecionados podem acompanhar todo o processo e se informarem sobre como proceder acessando o site www.alistamento.eb.mil.br . No endereço eletrônico, eles têm acesso a todo o processo do alistamento, desde a seleção até a indicação dos lugares onde vão servir. Reportagem, Lane Barreto.

 

Gabriela: A Petrobras teve lucro de quase R$ 26 bilhões no ano passado.

 

Nasi: É o primeiro resultado positivo em cinco anos e também o maior lucro desde 2011.

 

Repórter Maurício de Almeida: O aumento do preço do barril do petróleo no mercado internacional e uma administração eficiente, que investiu na produção e cortou despesas, fizeram com que a Petrobras voltasse a ter lucro, depois de cinco anos. Em 2018, a companhia registrou um saldo positivo de R$ 25,8 bilhões. Além de aumentar o faturamento, a Petrobras conseguiu reduzir a dívida em quase US$ 25 bilhões. Para esse ano, a companhia aposta em um lucro ainda mais alto. O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, diz que a estrutura mais enxuta vai permitir gerar mais lucro para a empresa.

 

Presidente da Petrobras - Roberto Castello Branco: Vamos perseguir, com o maior empenho, a maximização de valor pro acionista, acompanhado do maior empenho na segurança das nossas operações. O nosso objetivo de maximização de valor para o acionista, que inclui, entre outras coisas, ter custos baixos, envolve fundamentalmente também a atenção com a segurança das nossas operações.

 

Repórter Maurício de Almeida: A Petrobras também vai ampliar a política de desinvestimento, que é a venda de ativos da empresa. A expectativa é de anunciar, num prazo de três meses, uma lista de refinarias que vão ser vendidas. Também está sendo estudado um plano de demissão voluntária incentivada. Reportagem, Maurício de Almeida.

 

Gabriela: O estado do Amazonas vai receber do Ministério da Saúde 20 mil doses de um medicamento para combater o surto de gripe H1N1 que já provocou mortes.

 

Nasi: O governador do Estado decretou situação de emergência e negocia com o Ministério a antecipação da campanha de vacinação contra a gripe.

 

Repórter Graziela Mendonça: Já são 12 mortes por gripe H1N1 no Amazonas, só este ano. Até agora, foram confirmados 39 casos da doença no estado e mais de 80 estão sendo investigados. Ontem, o governador do Amazonas, Wilson Lima, decretou situação de emergência e veio a Brasília pedir ajuda ao Governo Federal. Em reunião com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ele pediu a antecipação da campanha de vacinação contra a gripe no Amazonas. O Ministério da Saúde está negociando com o laboratório a antecipação das doses da vacina para Influenza. Segundo o Ministério, assim que estiverem disponíveis, vão ser enviadas ao estado do Amazonas. A previsão é que isso aconteça na primeira semana de abril. O ministro da Saúde também autorizou o envio de 20 mil doses de antiviral para o Amazonas e enviou técnicos para acompanhar os casos. O governador Wilson Lima falou como está a situação no estado e disse que essa ajuda é importante para combater o surto.

 

Governador do Amazonas - Wilson Lima: Eu tenho hoje na rede pública aproximadamente 200 pessoas internadas em situação grave. Então, toda a nossa rede está sendo abastecida com o tamiflu e também há o compromisso do ministro de usar toda a força possível, toda estrutura possível do Ministério da Saúde, para que nós possamos combater o vírus H1N1.

 

Repórter Graziela Mendonça: Além das medidas anunciadas pelo Governo, a população também pode se prevenir da doença. Hábitos de higiene, como lavar as mãos e usar álcool em gel, podem ajudar a evitar a gripe H1N1. Quem estiver com os sintomas pode procurar qualquer unidade básica de saúde para receber atendimento. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Gabriela: A Conab, Companhia Nacional de Abastecimento, vai passar por uma restruturação.

 

Nasi: O anúncio foi feito pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, durante posse do novo presidente da Conab, Nilton Araújo.

 

Gabriela: De acordo com a ministra, uma das prioridades é a venda de armazéns que dão prejuízo.

 

Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Tereza Cristina: A Conab tem uma rede de armazenamentos grande, mas ela é muito antiga. Hoje, não faz mais muito sentido você ter alguns desses armazéns, e alguns serão colocados aí à venda, para que a gente cuide realmente de outras coisas na Conab, que são muito importantes, nessa política pública para auxiliar os produtores rurais.

 

Nasi: Devem ser vendidos 67 dos 180 armazéns públicos. E, segundo o novo presidente da Conab, Nilton Araújo, a medida vai fortalecer a atuação da empresa.

 

Presidente da Conab - Nilton Araújo: É um custo desnecessário, num cenário de restrição orçamentária. Então é uma medida inteligente. A gente não está falando que a Conab vai ser diminuída, pelo contrário, não é diminuir, a gente vai tirar a gordura para até fortalecer.

 

Gabriela: O economista Roberto Campos Neto é o novo presidente do Banco Central.

 

Nasi: Ele tomou posse hoje, em reunião no Palácio do Planalto, com o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia Paulo Guedes.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o minuto do TCU e em seguida as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Boa noite e até amanhã.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".