28 DE AGOSTO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Lançado programa para incentivar trabalho voluntário dos brasileiros. Decreto assinado pelo presidente Michel Temer une esforços entre governo, organizações e empresas. Novo decreto traz regras mais claras para exploração mineral em reserva no Amapá. Presidente Michel Temer vai a China em busca de parcerias e investimentos. E em reunião com ministros, alinha aprovação, no Congresso, de projetos importantes para a retomada da economia.

audio/mpeg 28-08-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23567 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 28 de agosto de 2017, Dia Nacional do Voluntário.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Lançado programa para incentivar trabalho voluntário dos brasileiros.

 

Nasi: Decreto assinado pelo presidente Michel Temer une esforços entre governo, organizações e empresas.

 

Presidente da República - Michel Temer: O trabalho voluntário é um retorno, né, a esse fundamento da solidariedade, ao que é essencial para avançarmos juntos como sociedade, como país.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Vamos explicar novo decreto que traz regras mais claras para exploração mineral em reservas do Amapá.

 

Gabriela: E dois novos ônibus são entregues o Tocantins para atendimento à mulher vítima de violência.

 

Nasi: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Nasi: Já pensou em tirar um pouquinho do seu tempo para ajudar alguém? Se unir a outras pessoas para transformar vidas?

 

Gabriela: Esse é o trabalho de milhares de voluntários que doam o que têm em prol da solidariedade.

 

Nasi: Hoje, no Dia Nacional do Voluntariado, o governo lançou uma ação para incentivar os brasileiros a unir forças a inúmeros projetos pelo país, é o Programa Nacional de Voluntariado, ou melhor, o Viva Voluntário.

 

Gabriela: É, Nasi, o decreto assinado hoje pelo Presidente Michel Temer prevê, por exemplo, a utilização de horas de trabalho voluntário como critério de desempate em concursos públicos, além de descontos na compra de produtos ou eventos culturais para quem atingir determinado número de horas em atividades voluntárias.

 

Repórter Nei Pereira: Às 7h no Centro Social Santa Clara, em uma área carente de Brasília, 50 crianças já estão prontas para começar o dia. Aqui elas permanecem até às 17h, recebem quatro alimentações, acompanhamento médico e psicológico. Mas se não fosse o serviço voluntário, essas crianças dificilmente teriam onde ficar durante o trabalho dos pais. Tudo é mantido por pessoas que dedicam um pouco do próprio tempo para ajudar. O projeto começou há quatro anos por iniciativa do empresário Enrique Andrade, num momento de dor.

 

Empresário - Enrique Andrade: Há quatro anos nós perdemos a nossa filha e a nossa netinha, faleceram em um acidente de automóvel, e nós resolvemos transformar o sonho da nossa filha Rafaela em uma realidade. E o sonho dela era alimentar crianças carentes, crianças pobres. E nós resolvemos juntar os amigos voluntários.

 

Repórter Nei Pereira: Eliana de Oliveira é uma das mães beneficiadas com a ação voluntária, a filha, Ana Júlia, de dois anos, passa o dia no Centro Social Santa Clara, enquanto ela trabalha. Eliana ficou mais tranquila com o desenvolvimento da criança depois que começou a frequentar a creche.

 

Mãe beneficiada - Eliana de Oliveira: E tão que tratavam na creche, a gente já percebia a mudança dela, a fala melhorou, a confiança dela melhorou, ela sabe brincar agora no coletivo, ela já aprendeu a cantar, já sabe rezar, se alimentar sozinha, coisa que ela não fazia.

 

Repórter Nei Pereira: Nesta segunda-feira, o empresário Enrique Andrade foi homenageado pelo Presidente Michel Temer em cerimônia no Palácio do Planalto para o lançamento do Programa Nacional de Voluntariado, Viva Voluntário, que vai incentivar ações para alcançar os objetivos na agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável da Organização das Nações Unidas, com metas para diminuir a pobreza e a fome, proteção do meio ambiente e de um espírito solidário em todo o planeta. Michel Temer disse que o voluntariado é justamente a forma de unir o país.

 

Presidente da República - Michel Temer: Quem é capaz de voluntariamente ajudar é porque tem um bom espírito. O fundamento de toda a vida coletiva é vontade de colaborar, de somar esforços, de manter acesa a chama da solidariedade.

 

Repórter Nei Pereira: Quem quiser ser voluntário vai poder usar as horas em atividades como critério de desempate em concursos públicos ou processos seletivos internos no Governo Federal, poderá ainda receber descontos em produtos ou eventos culturais. Para a primeira dama, Marcela Temer, o programa desperta o espírito de solidariedade entre os brasileiros.

 

Primeira dama - Marcela Temer: Ser voluntário, é, sobretudo, um ato de amor. Abdicar de seu tempo para ouvir e ajudar alguém é a maior demonstração de altruísmo que o ser humano pode dar. Um simples gesto, que independe de recursos financeiros ou materiais, já tem o poder de mudar uma vida.

 

Repórter Nei Pereira: Uma página na internet vai reunir atividades voluntárias em todo o Brasil e registrar as horas de atividades dos cidadãos. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Uma forma itinerante de levar ajuda a mulheres vítimas de violência.

 

Gabriela: É o Ônibus Lilás, um vínculo equipado para prestar orientações sobre os direitos da mulher e violência doméstica.

 

Nasi: E hoje dois novos ônibus foram entregues ao estado de Tocantins, com eles já são 60 veículos rodando em todo o país.

 

Repórter Nathália Koslyk: Os moradores de Tocantins receberam nesta segunda-feira aliados no combate à violência contra a mulher, são unidades imóveis especializadas que viajam com uma equipe de defensoras públicas, advogadas, assistentes sociais e psicólogas para levar serviços e orientação adequada a mulheres vítimas de violência, como explica a secretária de Política Para as Mulheres, Fátima Pelaes.

 

Secretária de Políticas Para as Mulheres - Fátima Pelaes: Dois Ônibus Lilás para esclarecer todas as mulheres do campo, da floresta, da importância e também da punição em relação à questão da violência contra a mulher. Não admitimos mais que nós possamos estar vivendo com tanta violência contra a mulher.

 

Repórter Nathália Koslyk: Outros dois ônibus já estavam nas ruas de Tocantins e realizaram quase 3.500 atendimentos em dois anos. Com a nova aquisição a expectativa é dobrar o número de visitas, especialmente no norte do estado. A iniciativa faz parte do Programa Mulher Viver Sem Violência, criado pelo Governo Federal e desenvolvido pelos estados. É uma luta conjunta de acordo com a secretária de Políticas Para as Mulheres, Fátima Pelaes.

 

Secretária de Políticas Para as Mulheres - Fátima Pelaes: Essa é uma ação que depende de cada um de nós, governo e sociedade, iniciativa privada para que possamos mudar esse quadro de violência que hoje infelizmente as nossas mulheres convivem ainda no nosso país.

 

Repórter Nathália Koslyk: O Ônibus Lilás possui divisórias para garantir um atendimento privativo e humanizado. Com a recente entrega já são 60 ônibus em todo o Brasil, pelo menos dois em cada estado. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Gabriela: E quando é que a mulher consegue perceber que uma briga pode se transformar em violência?

 

Nasi: Pois é, Gabriela, não é fácil identificar, não, mas o importante é a alerta.

 

Gabriela: Sinais, gestos e ações podem indicar que o relacionamento caminha para a violência.

 

Repórter Mara Kenupp: O que é um relacionamento abusivo? Fomos às ruas de Brasília para saber o que mães, esposas, namoradas acham o que é.

 

Entrevistada: O relacionamento abusivo é palavras, né, verbais, violência.

 

Entrevistada: Aceitar uma situação e ter que ser obrigada a fazer aquilo sem muita vontade, né?

 

Repórter Mara Kenupp: A cientista política Luise Gomes Vieira sofreu violência psicológica. Ela conta que teve um relacionamento que durou três anos e não enxergava as atitudes violentas e desrespeitosas do companheiro. Só depois que teve a ajuda de amigos é que Luise conseguiu dar um basta na relação.

 

Cientista política - Luise Gomes Vieira: Ele se transformava, ele virava outra pessoa e fazia como se eu tivesse... como se eu fosse a culpada.

 

Repórter Mara Kenupp: No Brasil a Lei Maria da Penha considera crime contra a mulher a violência física, psicológica, sexual, patrimonial e moral, como explica a psicóloga e chefe do Centro de Atendimento às mulheres de Brasília, Marina Santiago.

 

Psicóloga e chefe do Centro de Atendimento às mulheres de Brasília - Marina Santiago: A gente tenta falar muito o que é essa relação abusiva, de eu me sentir subjulgada, que eu sempre que agradar e ceder o outro, que nunca existe uma relação de troca, de que a relação é muito assimétrica, né? Então, a mulher sempre lá embaixo e o homem sempre lá cima, que pode tudo.

 

Repórter Mara Kenupp: O socorro ao alcance das mãos de vítima de violência é o Ligue 180, uma central de atendimento que pode ser acionada em qualquer lugar do país. Uma pesquisa mostra que a maioria dos atendimentos relata violência de agressão física, em segundo lugar vem a psicológica, em seguida, a violência moral e depois a sexual. A secretária de Políticas Para as Mulheres da Presidência da República, Fátima Pelaes, reforça que para acabar com a violência é preciso denunciar.

 

Secretária de Políticas Para as Mulheres da Presidência da República - Fátima Pelaes: O que é que nós estamos alertando? Que procurem o 180. A pessoa precisa relatar o que está acontecendo na vizinhança ou dentro da sua casa ou com ela mesma. Não quer falar ninguém, porque muitas vezes a mulher, ela está tão sofrida e ela tem vergonha, que ela acha até que ela é culpada de estar sofrendo aquilo ali. Então, ela pode procurar o 180 e relatar o que está acontecendo.

 

Repórter Mara Kenupp: No último levantamento de 2016 da Secretaria de Políticas para as mulheres, foram realizados mais de 1 milhão e 133 mil atendimentos no Ligue 180. A central mudança 24 horas todos os dias, inclusive, finais de semana e feriados. O serviço é de graça e confidencial. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Nasi: O governo vai publicar um novo decreto com regras para a exploração de ouro e outros minérios na área onde ficava a Reserva Nacional de Cobre e Associados, entre os estados do Amapá e do Pará.

 

Gabriela: A reserva, extinta na semana passada, fica com em uma área do tamanho do estado do Rio de Janeiro.

 

Nasi: Um novo documento vai trazer regras mais claras para a exploração na região e mantém a preservação das reservas ambientais e indígenas.

 

Repórter Gabriela Noronha: O novo decreto substitui o editado na semana passada, que estabeleceu o fim da Reserva Nacional de Cobre e Associados, a Renca, e permitiu a exploração mineral na região. A nova medida mantém a extinção da reserva e segundo o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, deixa as regras para a exploração na região mais claras, além de preservar as áreas de proteção ambiental federais e estaduais e reservas indígenas.

 

Ministro de Minas e Energia e Fernando - Coelho Filho: E, se, porventura, na área que possa haver mineração em algum momento no futuro, se ela vier a acontecer, porque pelo decreto terá uma série de condicionantes, ela só irá ocorrer dentro da legislação ambiental em vigor, não analisada a apenas pela Agência Nacional de Mineração, mas pelos órgãos de meio ambiente e de controle responsáveis pelo tema.

 

Repórter Gabriela Noronha: O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, disse que com a nova medida fica proibida, por exemplo, a licença para a exploração para quem tiver atuado na exploração mineral ilegal na reserva antes do decreto.

 

Ministro do Meio Ambiente - Sarney Filho: Fica pródiga a concessão de título de direito minerário à pessoa que comprovadamente tenha participado de exploração ilegal na área da extinta Renca. A interpretação que se deu ao fim dessa reserva de mineração era que a Amazônia estava liberada para o desmatamento, um equívoco inexistente. Jamais nenhum de nós aqui participaria de um absurdo como esse de liberar áreas da Amazônia para o minério em contradição para a sustentabilidade.

 

Repórter Gabriela Noronha: A Reserva Nacional de Cobre e Associados, localizada entre os estados do Amapá e do Pará, foi criada em 1984. Ela permitia que apenas o governo fizesse a exploração do local, o que permitiu que a área fosse alvo constante de invasões de garimpos ilegais. Segundo o governo, com o novo decreto, a preservação da Amazônia vai ser fortalecida com o combate a atividades ilegais na região. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: 19h13 em Brasília.

 

Nasi: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Gabriela: Presidente Michel Temer vai à China em busca de parcerias e investimento.

 

Nasi: E, em reunião com os ministros, alinha a aprovação no Congresso de projetos importantes para a retomada da economia.

 

Gabriela: Motoristas de todo o Brasil já podem testar a versão de demonstração da CNH eletrônica.

 

Nasi: O documento digital será usado a partir de fevereiro do ano que vem. O nosso quadro de hoje Pra Você, Cidadão, explica como acessar

 

"Pra Você, Cidadão".

 

Repórter Mirna Ledo: Motoristas de todo o país já podem testar a versão de demonstração da Carteira Nacional de Habitação Eletrônica, a ferramenta vai armazenar todas as informações da carteira impressa, inclusive, a foto e o QR Code, que é o código que garante a autenticidade no documento, por meio dela será possível conferir a pontuação de infrações cometidas e saber a data de validade da CNH entre outras coisas. O valor jurídico será o mesmo do documento impresso, e, claro, para ter a versão digital será necessário ter primeiro a carteira física. A CNH eletrônica estará disponível para download a partir de fevereiro de 2018 nas lojas virtuais de aplicativos. E para isso, familiarizando com a tecnologia, acesse a página do Serpro na internet, anote o endereço: www.serpro.gov.br. Mirna Ledo para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: O Brasil é reconhecido no mundo pela capacidade de enfrentar um acidente ou ataques com substâncias químicas.

 

Nasi: Tanto, que outros países vieram conhecer e aprender as técnicas brasileiras.

 

Gabriela: São estratégias e equipamentos especiais que foram testados e aprovados em diversos grandes eventos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

 

Repórter Natália Melo: Proteger a sociedade contra ameaças de produtos químicos perigosos. Este foi o objetivo do evento que encerrou no Rio de Janeiro uma série de cursos sobre o assunto com representantes de 18 países da América Latina e Caribe. O secretário executivo de autoridade nacional do Brasil, junto à Organização para a Proibição de Armas Químicas, Sérgio Frazão, lembra que o país tem grandes polos petroquímicos que trabalham com substâncias químicas perigosas, e, que, por isso, deve estar preparado para responder a possível acidentes.

 

Secretário executivo de autoridade nacional do Brasil junto à Organização para a Proibição de Armas Químicas - Sérgio Frazão: A Brasil está preparado, o Brasil tem expertise, o Brasil é referência hoje regional e internacional, a exemplo do que aconteceu nos grandes eventos.

 

Repórter Natália Melo: Desde 1997 o Brasil faz parte da Organização Internacional Para a Proibição de Armas Químicas, e tem ganhado papel de destaque na luta contra os riscos de natureza química, biológica ou nuclear. O comandante do Primeiro Batalhão de Defesa do Exército, coronel Anderson, fala do protagonismo do país. Para o coronel, a preparação para grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas foram fundamental para fortalecer o país contra possíveis ameaças.

 

Comandante do Primeiro Batalhão de Defesa do Exército - coronel Anderson: Nós hoje temos no Exército cerca de 2 mil militares aptos a trabalhar na área. Temos capacidade não só material, mas também de pessoal e conhecimento que nós fazemos questão de passar para os nossos vizinhos parceiros.

 

Repórter Natália Melo: No evento, representantes das Forças Armadas participaram com exposições de equipamentos de ponta para identificação e reconhecimento de produtos químicos. Além de simulações de resgate de vítimas contaminadas. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: O Presidente Michel Temer embarca amanhã para a China, o principal parceiro comercial do Brasil.

 

Gabriela: Temer realiza uma visita de estado ao país. Em Pequim, vai ser regulado pelo presidente chinês, Xi Jinping, além de se encontrar com empresários que já investem ou têm interesse em investir no Brasil.

 

Nasi: O objetivo do governo é aumentar as exportações do país asiático e também atrair novos investimentos para o Brasil, o que é afirmou o porta-voz do Presidência da República, Alexandre Parola.

 

Porta-voz do Presidência da República - Alexandre Parola: Na vertente econômico-comercial, um dos objetivos da visita será promover a crescente diversificação qualitativa de nossa pauta exportadora para a China e atrair novo investimentos, sobretudo, em infraestrutura. Com resultado dos encontros em Pequim está prevista a assinatura de atos bilaterais em áreas como infraestrutura, saúde, cultura e tecnologia.

 

Gabriela: Depois dessa agenda, o presidente temer segue para a cidade de Xiamen, na China, para participar da nova cúpula dos Brics, grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

 

Nasi: O porta-voz do Presidência da República, Alexandre Parola explicou que os países devem tratar de questões atuais, além da criação do Banco dos Brics.

 

Porta-voz do Presidência da República - Alexandre Parola: O presidente da República identifica no Brics um espaço privilegiado de cooperação econômica, em particular em matéria financeira. Nessa perspectiva o Brasil renovará seu engajamento nas atividades do novo banco de desenvolvimento. No contexto do Brics o presidente manterá interlocução com representantes dos setores privados do Brasil e de outros membros do grupo. Também aqui o propósito é fomentar o comércio exterior e atrair mais investimentos externos para o país.

 

Gabriela: E antes de sair em viagem oficial, o Presidente Michel Temer se reuniu com a equipe de governo para tratar da economia do país.

 

Nasi: O repórter Gabriela Noronha acompanhou e traz as informações ao vivo. Boa noite, Gabriela.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela e uma boa noite aí para todos os ouvintes da Voz do Brasil. Olha, o encontro aqui em Brasília reuniu o Presidente Michel Temer com ministros e também representantes de empresas públicas. Depois da reunião o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, conversaram com a imprensa. Meirelles afirmou que o Brasil está em trajetória de crescimento. Segundo o ministro, o Produto Interno Bruto em 2018, que é a soma de bens e riquezas produzidas pelo país, pode ficar acima dos 2% previstos na Lei Orçamentária. O ministro também ou afirmou que a espera que a nova meta fiscal proposta para os próximos anos, que aumenta o saldo negativo das contas, seja aprovada rapidamente pelo Congresso, e, que se não for aprovado, o governo vai ter de fazer mais restrições para aumentar as receitas e diminuir as despesas.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O que nós anunciamos é primeiro, um orçamento dos termos legais, um orçamento factível, realista e que será cumprido e propusemos uma nova meta que permitirá certamente um melhor funcionamento do governo, da máquina pública, continuação do investimentos e etc., e evitando o aumento de tributos, evidentemente.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que as medidas que o governo vem tomando para equilibrar as contas vem dando resultado e aumentando a confiança do mercado.

 

Ministro da Casa Civil - Eliseu Padilha: Se nós pensarmos em confiança e economia, nós vamos olhar Bolsa de Valores neste momento, passamos de 71 mil pontos e viés é de alta. Não há registro desse número desde 2011. Portanto, nós estamos vendo que houve um retorno de confiança da economia em todo o nosso processo de governo.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Henrique Meirelles afirmou que o governo vai enviar o orçamento da União para o ano que vem até o fim deste mês. Ao vivo, Gabriela Noronha.

 

Nasi: A expectativa para a inflação em 2017 voltou a cair, de acordo do Boletim Focus, divulgado toda semana pelo Banco Central.

 

Gabriela: Além disso, especialistas de mercado aumentaram a expectativa para o Produto Interno Bruto, o PIB, para este ano.

 

Nasi: Isto significa que a economia do país deve crescer mais. A repórter Raquel Mariano tem os detalhes.

 

Repórter Raquel Mariano: A expectativa para a inflação de 2017 caiu de 3,51% para 3,45% em relação à segunda-feira passada. Assim, a inflação fica bem abaixo da meta definida pelo governo para este ano, de 4,5%. O índice é divulgado toda semana pelo Boletim Focus, que reúne previsões de representantes do mercado financeiro e de economistas. Houve alteração também na projeção de crescimento da economia, que estava em 0,34% e passou para 0,39% neste ano. Analistas e investidores reduziram também a expectativa da taxa básica de juros a Selic, de 7,5% para 7,25% até o final de 2017. Raquel Mariano para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: 19h22 em Brasília.

 

Nasi: Da teoria à prática. A partir de agora mais de 130 universidades e faculdades do país vão incluir do tema primeira infância nas atividades acadêmicas e podem desenvolver cursos de extensão relacionados à área.

 

Gabriela: Resultado de um acordo entre os Ministérios do Desenvolvimento Social, da Educação representantes de unidades brasileiras.

 

Repórter Juline Pogorzelski: A parceria, vai fortalecer as ações do programa Criança Feliz, estimulando pesquisas na área e ampliando conhecimento sobre os benefícios do estímulo adequado na primeira infância. Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, a parceria vai alavancar o programa.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Entra uma estrutura enorme, gigantesca, eu diria, das universidades, né, filantrópicas, religiosas, universidades privadas, apoiando de forma voluntária, preocupada com a primeira infância.

 

Repórter Juline Pogorzelski: Wolmir Amado, representante de Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras, destaca que a ciência já mostrou que primeira infância é o período mais importante para o desenvolvimento humano. Segundo ele, é importe que os estudantes assim das unidades tendo esse conhecimento, que depois será aplicado na prática.

 

Representante de Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras - Wolmir Amado: Essa participação nesse programa Criança Feliz, claro que ele traz um componente decisivo para o projeto educativo das unidades brasileiras, porque forma para cidadania.

 

Repórter Juline Pogorzelski: Para o reitor da Universidade Federal de Pelotas, Pedro Curi Hallal, a parceria dá oportunidade para que os estudantes vivenciem diferentes áreas.

 

Reitor da Universidade Federal de Pelotas - Pedro Curi Hallal: Toda vinculação, inclusive, do programa com a recepção do Bolsa Família e o acompanhamento do desenvolvimento, ele é bastante importante para nós até porque o nosso grupo lá tem muita contribuição dada nessa estratégia dos primeiros mil dias de vida, que tem tudo a ver com a concepção do programa e a importância desses primeiros mil dias no desenvolvimento das crianças.

 

Repórter Juline Pogorzelski: E 2.547 municípios já participam do Criança Feliz, o programa acompanha e estimula o desenvolvimento de crianças beneficiárias do Bolsa Família desde a gestação até os três anos de idade. As visitas domiciliares do programa já começaram em 2.900 cidades de três estados. De Brasília, Juline Pogorzelski.

 

Nasi: Hoje foi a vez dos pernambucanos receberem a chave da casa própria pelo programa Minha Casa Minha Vida.

 

Gabriela: O ministro das Cidades, Bruno Araújo, esteve em Caruaru, onde entregou mais de 2.400 moradias, 9.600 pessoas foram beneficiadas.

 

Nasi: As moradias integram o Residencial Luiz Bezerra Torres, com investimento R$151 milhões do Governo Federal.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma Boa noite e bom fim de semana.

 

Gabriela: Boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".