28 DE SETEMBRO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Saques do PIS/PASEP começam a partir de outubro. Governo também anuncia juros menores para o crédito consignado, medidas que vão aquecer a economia. Comércio espera vender e contratar mais no natal. Quem recebe o Bolsa Família, já pode acessar crédito para abrir o próprio negócio. Tem novidades no exame toxicológico para motoristas profissionais.

audio/mpeg 28-09-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23560 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite pra você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 28 de setembro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Saques do PIS/Pasep começam a partir de outubro.

 

Nasi: E governo também anuncia juros menores para o crédito consignado.

 

Gabriela: Medidas que vão aquecer a economia, como destaca o presidente Michel Temer.

 

Presidente Michel Temer: Muito mais pessoas realizarão talvez uma pequena reforma, farão aquela compra talvez adiada, terão um reforço no seu orçamento.

 

Nasi: E com a economia aquecida, comércio espera vender e contratar mais no natal. Beatriz Albuquerque.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Depois de dois anos seguidos sem melhora nas contratações, uma pesquisa aponta que o número de funcionários temporários deve aumentar 10% esse ano.

 

Gabriela: Expectativa que vem de bons números, como mostra a pesquisa do Ipea. Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: Além da melhora no mercado de trabalho, o estudo aponta que a inflação menor e a queda nas taxas de juros já impulsiona o maior consumo das famílias.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Quem recebe o Bolsa Família já pode acessar crédito para abrir o próprio negócio.

 

Nasi: E atenção, caminhoneiro, vamos falar das novidades no exame toxicológico para motoristas profissionais.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Foi divulgado hoje o calendário de pagamento do PIS/Pasep para aposentados e idosos.

 

Nasi: Têm direito a receber os trabalhadores que tinham conta no PIS ou no Pasep em 1988.

 

Gabriela: Quase R$ 16 bilhões devem ser liberados, recursos que devem estimular a economia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Dinheiro no bolso para um fim de ano mais tranquilo e uma entrada com o pé direito em 2018. Esta é a aposta do governo com a divulgação do calendário de saques do PIS/Pasep. O anúncio ocorreu no Palácio do Planalto, depois de reunião coordenada pelo presidente Michel Temer.

 

Presidente Michel Temer: Muito mais pessoas realizarão talvez uma pequena reforma, farão aquela compra talvez adiada, terão um reforço no seu orçamento. Portanto, nós estamos permitindo ao cidadão acesso a uma verba, um dinheiro que lhe pertence e que poderá usar, naturalmente, como bem entender.

 

Repórter Paulo La Salvia: A partir de 19 de outubro, pessoas com 70 anos ou mais poderão sacar os valores. Aposentados terão o direito ao saque a partir de 17 de novembro e mulheres com mais de 62 anos e homens com mais de 65 anos podem sacar a partir de 14 de dezembro. Têm o direito pessoas que trabalhavam com carteira assinada até outubro de 1988. Para aqueles que tinham vínculo com a iniciativa privada, os recursos estão na Caixa Econômica Federal, e para os servidores públicos, os valores estão no Banco do Brasil. No caso de morte do titular, os dependentes vão receber os valores. O presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, anunciou uma vantagem no recebimento dos recursos.

 

Presidente do Banco do Brasil - Paulo Caffarelli: Quem for correntista do Banco do Brasil e que tenha direito a receber o Pasep, nós faremos, pela primeira vez na história, crédito direto em conta corrente. Pra aqueles que são correntistas de outros bancos, pelo site do Banco do Brasil e pelos ATMs do Banco do Brasil, eles poderão inclusive emitir TED para o seu banco, desde que tenha o mesmo CPF.

 

Repórter Paulo La Salvia: O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, adiantou que os correntistas do banco vão receber com antecedência em relação ao próprio calendário de pagamentos.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Gilberto Occhi: O crédito em conta será realizado dois dias antes da data do início dos pagamentos.

 

Repórter Paulo La Salvia: A expectativa do governo é alcançar com a medida cerca de 8 milhões de pessoas e injetar na economia quase R$ 16 bilhões. Como ocorreu com as contas inativas do FGTS, o ministro do Planejamento, Diogo Oliveira, estima que os saques do PIS/Pasep devem aquecer a economia.

 

Ministro do Planejamento - Diogo Oliveira: Isso é dinheiro que vai entrar pro consumo, vai entrar pras famílias reduzirem o seu endividamento e, portanto, isso ajuda a melhorar os índices de inadimplência na economia, ajuda a facilitar o acesso ao crédito e ajuda a dinamizar o comércio, o varejo, e assim, por consequência também, a produção industrial, a produção agrícola.

 

Repórter Paulo La Salvia: O governo também anunciou a redução dos juros do crédito consignado para servidores públicos aposentados e pensionistas. Para os trabalhadores da ativa, a taxa caiu de 2,20% para 2,05% ao mês. Para os aposentados e pensionistas, a taxa caiu para 2,08% ao mês. Foi o segundo corte feito neste ano. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Nasi: E com mais dinheiro na praça, os comerciantes ficam animados.

 

Gabriela: Ainda mais com a chegada do Natal.

 

Nasi: É por isso que, faltando pouco menos de três meses, já começa a temporada de empregos temporários.

 

Gabriela: E este ano a expectativa é de aumento na oferta. Os empresários estão mais confiantes e pretendem contratar mais de 70 mil funcionários.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Guto Morais é dono de uma rede de lojas de esporte em Brasília. Ele tem 90 funcionários e todo final de ano aumenta o quadro de vendedores em 15%.

 

Comerciante - Guto Morais: O movimento, ele praticamente dobra. Então, a gente tem que reforçar a equipe para poder atender esses consumidores que estão vindo numa quantidade maior, né?

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E a expectativa para esse ano é que o movimento no comércio aumente mais de 4% em relação ao ano passado. Depois de dois anos seguidos sem melhora nas contratações, uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo aponta que o número de funcionários temporários deve aumentar 10% esse ano. Vestuário e supermercados são os setores que mais devem contratar. É o que explica Fábio Bentes, economista da CNC.

 

Economista - Fábio Bentes: A gente considera uma expectativa de abertura de mais de 48 mil vagas nas lojas de vestuário e calçado. O segmento de vestuário é o que mais sofre o impacto positivo das vendas de Natal.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Fábio Bentes afirma ainda que quase 30% desses funcionários temporários devem ser efetivados ao final do contrato.

 

Economista - Fábio Bentes: A nossa expectativa pro pós-Natal de 2017 é de que 27% dos trabalhadores contratados em regime temporário acabe sendo efetivado, uma vez que a expectativa pro início do próximo ano é de uma contínua melhora.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E o salário de contratação também deve aumentar mais de 7% em relação ao ano passado, chegando perto de R$ 1,2 mil. E o Guto está confiante que esse ano vai ser bem melhor que 2016.

 

Comerciante - Guto Morais: Estou otimista. Esperamos estar vendendo mais, estar atendendo melhor os nossos consumidores e gerando mais renda, mais imposto, pra que a gente possa dar o desenvolvimento pro nosso país aí, que a gente tanto precisa, né?

 

Repórter Beatriz Albuquerque: A expectativa de contratação de funcionários temporários esse ano é de mais de 73 mil pessoas. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Nasi: E toda essa expectativa para o Natal vem dos recentes dados da economia, que mostram que o país está retomando o crescimento.

 

Gabriela: Geração de empregos, futuros investimentos em infraestrutura, aumento do consumo das famílias e crescimento da produção da indústria são alguns dos indicadores desta recuperação econômica, revelados em um estudo do Ipea.

 

Repórter Natália Melo: Júlio César Soares trabalha na administração de um hospital no Rio de Janeiro. Mas, até pouco tempo atrás, a realidade era bem diferente. Foram três anos em busca de emprego.

 

Entrevistado - Júlio César Soares: O período foi bem desastroso, né? Porque você ficar esse tempo todo sem uma remuneração, até porque, sendo eu chefe de família, sendo provedor, não é fácil, não.

 

Repórter Natália Melo: Empregado há pouco mais de dois meses, ele conta que já consegue acertar as contas da casa e do cartão de crédito. Mas o ganho vai muito além do financeiro.

 

Entrevistado - Júlio César Soares: O fato de você já ficar mais otimista, você já ter a sua remuneração, você já pode se projetar, até pra trazer a sua dignidade, que é até mesmo acertar as suas contas, deixar tudo em ordem, né? É um resgate, na verdade, da dignidade.

 

Repórter Natália Melo: Só este ano, o país registrou mais de 163 mil novas contratações com carteira assinada. Os dados do Ministério do Trabalho reforçam o estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Ipea, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, que mostra indicativos de recuperação econômica no país. Além da melhora no mercado de trabalho, o estudo aponta que a inflação menor e a queda nas taxas de juros já impulsionam o maior consumo das famílias. O desempenho da indústria, dos serviços e da agropecuária também surpreendeu, de acordo com a publicação. Para o diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea, José Ronaldo Castro, são sinais de que a recessão ficou pra trás.

 

Diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea - José Ronaldo Castro: Então a produção industrial vem se recuperando, as vendas do comércio vêm se recuperando, serviços vêm se recuperando também. A maioria dos setores da economia vêm tendo essa recuperação. Está havendo uma melhora bem lenta, mas está havendo uma melhora aí do mercado de trabalho também.

 

Repórter Natália Melo: Apesar dos indicativos para a economia, especialistas do Ipea alertam para o risco de aumento dos gastos públicos. O estudo mostra que a previdência dos estados, por exemplo, vive um momento crítico, em especial o Rio de Janeiro. De acordo com José Ronaldo, a reforma da previdência é fundamental para que o país continue a crescer.

 

Diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea - José Ronaldo Castro: Tornar sustentáveis as contas públicas é essencial para que a gente confie, pra que os investidores confiem nessa retomada e voltem a fazer investimentos mais de longo prazo, especialmente esses investimentos aí em infraestrutura. Então, é preciso que essa mudança previdenciária seja feita nos próximos anos.

 

Repórter Natália Melo: A projeção do Ipea é que o PIB, o Produto Interno Bruto, aumente neste e no próximo ano. Para 2017, a soma de todos os bens produzidos no país deve crescer 0,7%, e em 2018, 2,6%. O presidente Michel Temer comentou as expectativas dos analistas, que, segundo ele, apontam um crescimento cada vez mais forte para a economia brasileira. Temer também falou sobre a projeção dos juros básicos da economia.

 

Presidente Michel Temer: Diminuindo os juros, qual é o resultado pra mim? Pra mim, que estou ouvindo, né, pro povo, pro cidadão. É que os juros menores significa a possibilidade de maior industrialização, maior produção, crédito mais barato, significa precisamente isto. Portanto, sempre tem como tônica, como diretriz, né, a ideia do combate ao desemprego.

 

Repórter Natália Melo: Para o período entre julho e setembro, as projeções do Ipea mostram crescimento na indústria, serviços e agropecuária. E o consumo das famílias vai crescer 1,4%. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: E o presidente Michel Temer também falou sobre a inflação, que hoje está abaixo de 3%.

 

Gabriela: Temer citou que as projeções indicam uma inflação baixa para este ano, o que traz benefícios pras pessoas.

 

Presidente Michel Temer: O que significa isso, não é? Significa a possibilidade de uma estabilidade maior dos preços, né? Ou seja, você que vai ao supermercado uma vez por semana, uma vez por mês, que seja, você verá que os preços não podem mudar. Porque se a inflação não aumenta, com muita naturalidade, os preços também não aumentam, porque isto é em benefício da população. Portanto, de fora parte a circunstância de que nós trabalhamos intensamente pela recuperação do emprego no país, mas não só fazemos isso, mas também você tem o emprego e, se você tem uma inflação menor, você deve ter um preço menor ou um preço que não sobe. Portanto, é bom para as famílias, é bom para as pessoas, é bom para os brasileiros em geral, não é?

 

Gabriela: 19h12 em Brasília.

 

Nasi: Atenção, caminhoneiro.

 

Gabriela: Ainda nesta edição, vamos falar das novidades no exame toxicológico para motoristas profissionais.

 

Nasi: O governo lançou esta semana o Plano Progredir.

 

Gabriela: O plano prevê uma série de ações para promover a autonomia e a melhora da qualidade de vida de quem recebe o Bolsa Família.

 

Nasi: E uma dessas ações é o incentivo ao empreendedorismo. Vamos conhecer agora de onde partiu essa ideia.

 

Repórter Raquel Mariano: O Plano Progredir foi baseado em um programa desenvolvido pelo Banco do Nordeste. É o Crediamigo, que oferece crédito de pequeno valor para pessoas que querem montar ou investir no seu próprio negócio. Segundo o banco, 49% dos clientes que solicitam o microcrédito são ou foram beneficiários do Bolsa Família. O superintendente de Microfinança e Agricultura Familiar do Banco do Nordeste, Alex Araújo, explica como funciona.

 

Superintendente de Microfinança e Agricultura Familiar do Banco do Nordeste - Alex Araújo: São operações de crédito de valor mais baixo, né, no valor máximo de R$ 15 mil. Então, é uma coisa bem focada para esse público específico, que envolve aí desde pipoqueiro, que tem um carrinho de pipoca, a uma senhora que tem um emprego, mas vende cosméticos na hora vaga, o que faz bolo e vende o bolo pra ajudar na renda da família...

 

Repórter Raquel Mariano: Foi assim pra dona Arlene Pereira de Souza, de Fortaleza, no Ceará. Ela trabalhava em casa pra uma grande indústria. A fábrica enviava peças de pano e dona Arlene costurava e devolvia a peça pronta. Mas o dinheiro que ela tirava do trabalho não era suficiente pra sustentar os dois filhos na época. E, em 2012, ela pegou o primeiro empréstimo. E de um cantinho da casa nasceu a própria loja de confecções, que hoje sustenta a família.

 

Empreendedora - Arlene Pereira de Souza: Fui fazendo empréstimo, fui investindo, e hoje eu tenho uma loja de cosmético e costura. Eu decidi não trabalhar mais pra fora, e sim, investir em meu próprio negócio.

 

Repórter Raquel Mariano: Com esse negócio, a dona Arlene não precisou mais do programa Bolsa Família, e ela ainda garante que a renda familiar teve um aumento de 70% nos últimos cinco anos.

 

Empreendedora - Arlene Pereira de Souza: Agora tem um espacinho maior, botei piso, botei uma porta, uma grade, a placa, que eu não tinha. Então hoje eu tenho meu CNPJ, tenho a minha... a etiqueta das minhas peças.

 

Repórter Raquel Mariano: E o beneficiário do Bolsa Família que quiser ter acesso a esses serviços precisa acessar a página do Ministério do Desenvolvimento Social na internet, mds.gov.br, e clicar no Programa Progredir pra fazer o cadastro. Reportagem, Raquel Mariano.

 

"Momento Social"

 

Gabriela: E já que estamos falando de crédito pra quem recebe o Bolsa Família, para que possa abrir o seu próprio negócio, a Kely Batista, lá do Rio de Janeiro, tem uma dúvida sobre isso.

 

Nasi: O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, responde.

 

Ouvinte - Kely Batista: Olá, ministro. Sou Kely Batista, moradora do Rio de Janeiro, Duque de Caxias, sou beneficiária do Bolsa Família. Eu gostaria de saber como eu faço para ter acesso ao microcrédito do Projeto Progredir.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Kely, pra ter acesso ao microcrédito, é necessário que o beneficiário do Bolsa Família ou pessoa inscrita no Cadastro Único, que trabalha por conta própria, já esteja formalizado como um Microempreendedor Individual, também conhecido como MEI. Se você ainda não é cadastrado, precisa acessar o Portal do Empreendedor. Se escreve na internet portaldoempreendedor.gov.br. Com isso, o trabalhador pode ter acesso ao CNPJ, aposentadoria, auxílio-doença, entre outros direitos. Nessa semana, com um decreto assinado pelo presidente Michel Temer, anunciamos que bancos parceiros, como o Banco do Brasil, a Caixa Federal e o Banco do Nordeste, vão oferecer cerca de R$ 3 bilhões em microcrédito para ajudar a melhorar os negócios das pessoas de baixa renda. Isso é pra você, Kely, ou pras pessoas que estejam na situação de ter uma renda menor que meio salário mínimo per capita. E é pra que o teu negócio, o teu pequeno negócio, se transforme num negócio maior, que você possa ter uma renda maior e ter uma qualidade de vida melhor.

 

Gabriela: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda pra gente.

 

Nasi: Pode ser por e-mail, no endereço voz@ebc.com.br. Tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Gabriela: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil sempre na quinta-feira. Participe.

 

Nasi: Há quase uma semana, as Forças Armadas cercam o morro da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, em apoio às Forças de Segurança do Estado, que realizam operações no local.

 

Gabriela: Hoje, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, fez um balanço da atuação dos militares nesse período.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Nós fizemos ontem uma operação na Baixada, trabalhamos em conjunto. A Rocinha também, hoje, se encontra estabilizada, apesar de ainda existir o clima de tensão, que vocês sabem que existe lá dentro. Mas eu diria que, hoje, nós estamos unidos e coesos. E isso porque o Rio de Janeiro exige, as pessoas querem, as autoridades têm que se entender e deixar as suas, vamos dizer assim, controvérsias de lado, porque a segurança é, no fundo, a vida, que é o bem mais importante que nós temos.

 

Nasi: O Coronel Itamar, porta-voz do Comando Militar do Leste, informou que todos os dias são feitas reuniões para avaliar a necessidade da manutenção das Forças Armadas na Rocinha.

 

Gabriela: Mesmo quando terminar a ajuda dos militares no conflito, o ministro Raul Jungmann afirma que a equipe vai continuar à disposição do estado.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Mesmo que nós venhamos a sair, porque nós não podemos ficar indefinidamente, e vamos ter que sair da Rocinha, mas, no momento em que o governo do estado solicitar, nós hoje temos uma força de reação rápida, que tem a capacidade, em uma hora, de se deslocar e cobrir as ações que forem requeridas, e fechar o cerco a essas comunidades.

 

Nasi: E uma forma de garantir segurança e combater o crime é unir moradores e policiais.

 

Gabriela: É, Nasi. A comunidade local, como olhos e ouvidos da polícia. E os agentes garantem a tranquilidade de quem mora no bairro.

 

Nasi: Este é o conceito de polícia comunitária. E, nesta semana, policiais militares de todo o país estão sendo treinados para atuarem em seus estados, em parceria com os moradores locais.

 

Repórter José Luís Filho: Em vez de um campo de treinamento, policiais militares aprimoram técnicas numa sala de aula. O alvo na mira é o conhecimento. Duzentos e quarenta PMs, de 24 estados e do Distrito Federal, estão sendo capacitados no Curso Internacional de Multiplicador de Polícia Comunitária, realizado pela Senasp, a Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça. As aulas ocorrem em quatro cidades: São Paulo, Belo Horizonte, Caxias do Sul e Novo Hamburgo. Segundo Luciano Ribeiro, analista técnico de Políticas Sociais do Ministério da Justiça, a ideia é modernizar a estratégia de trabalho das polícias militares em todo o país.

 

Analista técnico de Políticas Sociais - Luciano Ribeiro: Esse conhecimento vem para ajudar, que essa comunicação, ela de fato aconteça, né? Que o cidadão colabore com a polícia, que seja olhos e ouvidos da polícia. E a polícia também entenda o seu papel, né, que é de garantir a ordem, de trazer a sensação de segurança.

 

Repórter José Luís Filho: No curso, os policiais aprendem, por exemplo, sobre direitos humanos e mediação de conflitos. Tudo baseado no Sistema Japonês de Polícia, criado há mais de um século. Aqui no Brasil, São Paulo foi o primeiro estado a adotar o modelo, há 19 anos. Segundo a Capitão Aline Cassola, chefe do Gabinete de Instrução do Comando da PM, as principais características são presença constante e a relação dos policiais com os moradores.

 

Chefe do Gabinete de Instrução do Comando da PM - Capitão Aline Cassola: A partir do momento que a comunidade tem essa confiança no policial, as informações de possíveis crimes chegam até nós e muitas das vezes esses crimes nem chegam a ocorrer.

 

Repórter José Luís Filho: Moradora de um bairro paulistano onde há uma base comunitária, a dona de casa Leodora Cavalheiro faz questão de cumprimentar os policiais sempre que passa.

 

Dona de casa - Leodora Cavalheiro: Deus ajude que sempre fica aí, que é bom pra nós, moradores, né? Eu moro no bairro há muitos anos, eu vi esse bairro crescer. É bom ver esse bairro tranquilo, né?

 

Repórter José Luís Filho: No Acre, segundo o Tenente-Coronel Paulo Fernandes, algumas ações de policiamento comunitário já são realidade, como a ronda escolar e o programa de resistência às drogas. Para o militar, se aliar à comunidade é uma das melhores estratégias para enfrentar o crime.

 

Militar - Tenente-Coronel Paulo Fernandes: A comunidade tem um olhar diferente, ela sabe onde acontecem os crimes. E aí, em parceria com a polícia, a gente consegue resolver com mais rapidez e mais eficiência.

 

Repórter José Luís Filho: A ideia do Ministério da Justiça é que o conhecimento adquirido no curso seja levado pelos policiais para os estados de origem e lá eles sejam multiplicadores. Reportagem, José Luís Filho.

 

Gabriela: 19h22 em Brasília.

 

Nasi: Combater o consumo de drogas para diminuir a violência no trânsito.

 

Gabriela: Esse é o objetivo do Conselho Nacional de Trânsito, que publicou hoje novas regras do exame toxicológico para os motoristas de caminhão, ônibus, micro-ônibus e carreta.

 

Nasi: Com avançada tecnologia, o exame identifica substâncias, como anfetamina, cocaína e maconha, com análises de cabelo, pelo ou unha.

 

Gabriela: Vamos saber o que muda na reportagem de Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: Erivaldo Nunes está na estrada há dez anos. Ganha a vida levando carga de São Caetano, em Pernambuco, pra todo o Brasil. Ano que vem, vai renovar a carteira de motorista e está consciente sobre a importância do teste toxicológico.

 

Motorista - Erivaldo Nunes: Esse exame faz parte, porque o cara tem que se cuidar, né? Tem que se cuidar e ter mais responsabilidade, cuidar da família que está esperando em casa. Está botando a vida dele em risco e a de quem está na estrada.

 

Repórter Luana Karen: Há cerca de um ano, começou a valer a exigência para que motoristas das categorias C, D e E, aptos a dirigir caminhões, micro-ônibus, ônibus e carretas, façam testes toxicológicos na hora de tirar ou renovar a carteira de habilitação. Agora, as regras do exame ficaram mais claras. Entre as mudanças, estão novos requisitos para o credenciamento das clínicas que fazem os testes toxicológicos. Francisco Garone, coordenador-geral de Educação Para o Trânsito, do Departamento Nacional de Trânsito, o Denatran, afirma que a ideia é combater fraudes e tirar da estrada quem não tem condições de dirigir.

 

Coordenador-geral de Educação Para o Trânsito - Francisco Garone: Nós temos certeza que, daqui a cinco anos, quando nós tivermos todo o universo de condutores dessa categoria já coberto e já realizado esse tipo de exame, nós teremos, sim, um resultado bem mais forte na redução de acidentalidade.

 

Repórter Luana Karen: Segundo o coordenador-geral do Denatran, desde que os exames começaram a ser feitos, 2% dos motoristas tiveram resultado positivo. O condutor flagrado fica com o direito de dirigir suspenso por, no mínimo, 90 dias. Francisco Garone avalia os resultados da aplicação da lei.

 

Coordenador-geral de Educação Para o Trânsito - Francisco Garone: Nós já vemos resultados em cima da redução de acidentalidade, de acidentes, nas rodovias federais, envolvendo veículos dessas categorias, de caminhões, ônibus e carretas.

 

Repórter Luana Karen: Entre as mudanças, os testes passaram a ter validade legal, podendo ser usados em processos trabalhistas. Caso seja reprovado, o condutor tem direito a contraprova. A validade do exame toxicológico aumentou de 60 para 90 dias. O tempo de credenciamento dos laboratórios também aumentou de dois para quatro anos. Os laboratórios já credenciados têm 90 dias para se adequarem às novas regras. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: Termina amanhã o prazo para adesão de contribuintes que têm débitos com a Receita Federal ao Programa de Regularização Tributária.

 

Gabriela: Os contribuintes que aderiram ao Refis têm até amanhã para pagar a primeira parcela e consolidar a adesão ao programa.

 

Nasi: O Refis permite que os contribuintes em débito com a Receita possam parcelar a dívida, com redução de multas, juros e encargos.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Boa noite pra você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".