29 DE JANEIRO DE 2019 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Governo mapeou e vai fiscalizar mais de 3,3 mil barragens de alto risco em todo o país. E anunciados R$ 800 milhões para ajuda a Brumadinho. Nossa equipe continua na cidade e acompanha todas as ações por lá. Familiares vão receber chips de celulares para acompanhar busca. E sobre as investigações da barragem que se rompeu, Polícia Federal prende engenheiros e faz busca e apreensão de documentos em empresas. Presidente Jair Bolsonaro passa bem após cirurgia e já assume o cargo amanhã. E a partir de agora certificação de vacinação para viagem ao exterior é totalmente digital.

audio/mpeg 29.01.19.mp3 — 46780 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 29 de janeiro de 2019.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Governo mapeou e vai fiscalizar mais de 3,3 mil barragens de alto risco em todo o país. Luciana Collares de Holanda.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O objetivo agora é fazer um raio x de todas essas barragens o mais rápido possível.

 

Nasi: E anunciados R$ 800 milhões para ajuda a Brumadinho.

 

Gabriela: Nossa equipe continua na cidade e acompanha todas as ações por lá.

 

Nasi: Familiares vão receber chips de celulares para acompanhar a busca. Luana Karen.

Repórter Luana Karen: As famílias poderão utilizar os chips de celular para falar com as autoridades e buscar informações da tragédia.

 

Gabriela: E sobre as investigações da barragem que se rompeu, Polícia Federal prende engenheiros e faz busca e apreensão de documentos em empresas.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Presidente Jair Bolsonaro passa bem após cirurgia e já assume o cargo amanhã. Ricardo Ferraz.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Os médicos avaliaram que a evolução foi bastante positiva em relação às outras cirurgias às quais o presidente se submeteu.

 

Nasi: E a partir de agora, a certificação de vacinação para viagem ao exterior é totalmente digital.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: O presidente Jair Bolsonaro vai reassumir a Presidência da República a partir de amanhã.

 

Nasi: A informação foi confirmada hoje à tarde, pelo porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros.

 

Gabriela: De acordo do boletim médico, divulgado hoje, o presidente permanece estável, sem sangramento ou qualquer outra complicação.

 

Nasi: O repórter Ricardo Ferraz está em São Paulo, na porta do hospital Alberto Einstein, e traz os detalhes do estado de saúde de Bolsonaro. Boa noite, Ricardo.

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela e ouvintes da Voz do Brasil. O presidente Jair Bolsonaro está se recuperando da cirurgia de retirada da bolsa de colostomia feita ontem. Segundo o boletim médico divulgado às 17h, o presidente da República em segue jejum oral também e analgésicos para dor e hidratação endovenosa. O presidente sentou-se hoje em poltrona e fez exercícios de fisioterapia respiratória e motora com bom desempenho. De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, Bolsonaro, reassume as funções amanhã.

 

Porta-voz da Presidência da República - Otávio Rêgo Barros: Está confirmada a partir de amanhã às 7h, o presidente reassume a Presidência da República. A despeito de algumas das restrições, ele já se encontrará amanhã em condições. Naturalmente nós tentaremos evitar que esses despachos se façam de uma maneira rotineira que possa vir a cansá-lo, afinal, é um homem que superou uma cirurgia de sete horas e não apenas uma, é a terceira cirurgia. Mas ele encontrar-se-á em condições amanhã, a partir das 7h, como foi planejado inicialmente.

 

Repórter Ricardo Ferraz (ao vivo): Na tarde de hoje, o presidente enviou uma mensagem pelas redes sociais: "Foram tempos difíceis, consequência de uma tentativa de assassinato que visava destruir não só a mim, mas a esperança de muitos brasileiros de um futuro melhor. Agradeço a Deus por estar vivo, aos profissionais que cuidaram de mim até aqui e a todos vocês pelas orações. Estou bem". O porta-voz informou ainda que o médicos avaliaram que a evolução foi bastante positiva em relação às outras duas cirurgias às iguais o presidente se submeteu. Segundo, Otávio Rêgo Barros, Jair Bolsonaro reassume a Presidência da República amanhã, às 7h. Ele será transferido para o quarto onde poderá receber ministros e despacharem um gabinete provisório montado na antessala do apartamento. Jair Bolsonaro permanece na companhia da primeira-dama, Michelle e do filho Carlos. Segundo o porta-voz, o presidente está ansioso para retornar ao cargo. De São Paulo, Ricardo Ferraz.

 

Gabriela: Mais de 3 mil barragens brasileiras estão em situação de alto risco.

 

Nasi: E o governo traça um plano de ação para fiscalizar todas elas e garantir a segurança à população que vive nas proximidades desses locais.

 

Gabriela: Um conselho formado por ministros se reuniu hoje para discutir atualizações para a Política Nacional de Segurança de Barragens.

 

Nasi: A evolução dos trabalhos de busca por vítimas em Brumadinho e medidas para evitar a repetição de acidentes em barragens foram assuntos da reunião.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O Governo Federal já mapeou cerca de 20 mil barragens registradas no país e 3.386 têm classificação de alto risco. Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, é preciso atualizar a Lei de Segurança De Barragens, tanto para reforçar a fiscalização, quanto para evitar que novas tragédias aconteçam.

 

Ministro-chefe da Casa Civil Onyx Lorenzoni: No dia ontem, o Comitê de Crise e o conselho se reuniu e tomou a decisão de publicar aquelas duas resoluções, que a primeira que recomendou o Conselho Nacional de Recursos Hídricos para que todos os órgãos fiscalizadores, no âmbito do Governo Federal e estadual, imediatamente iniciasse uma revisão no que diz respeito à condição de segurança das barragens. Também se tomou a decisão de que todos os órgãos federais e estaduais revisassem imediatamente os planos de segurança de barragem, como trata a legislação, para aumentar a segurança em todas essas estruturas.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, anunciou também a revisão das estruturas mais próximas às barragens, que devem ser apenas de apoio e operações essenciais das minas. Outra revisão será do plano de prevenção junto à população, para evitar mortes e garantir a segurança em caso de emergência. O ministro Gustavo Canuto afirmou que o objetivo agora é fazer um raio x de todas essas barragens o mais rápido possível.

 

Ministro do Desenvolvimento Regional - Gustavo Canuto: Vamos enviar esforços, tanto de relação a recursos, quanto de pessoal, para que isso seja feito o mais rápido possível, mas, claro, é um trabalho que precisa ser feito com muita cautela. Não adianta nada um fiscal do governo fazer uma vistoria da barragem se não o fizer com o conhecimento e com a cautela necessária para garantir ter um resultado efetivo.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que, antes de definir qualquer responsabilidade, é preciso apurar os fatos.

 

Ministro de Minas e Energia - Bento Albuquerque: Tudo está sendo feito de acordo com o ordenamento jurídico vigente, que nos parece que atende a necessidade de se apurar as responsabilidades no caso desse acidente.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: O Ibama já multou a empresa Vale em R$ 250 milhões, e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que o valor pode ser revertido em reparação dos danos ambientais na região. De acordo com o ministro, as sanções neste caso serão efetivas.

 

Ministro do Meio Ambiente - Ricardo Salles: Tanto as respostas de reparação ambiental, multas inerentes, compensações e medidas reparatórias sejam tomadas em caráter mais efetivo, mais rápido e de forma negociada entre os diversos órgãos governamentais que têm atuado nas respectivas fiscalizações.

 

Repórter Luciana Collares de Holanda: Na reunião desta terça-feira também foi decidida a criação um grupo de trabalho para atualizar a Lei de Segurança de Barragens. O grupo, formado por integrantes de vários ministérios, deve começar a trabalhar imediatamente. Reportagem, Luciana Collares de Holanda.

 

Gabriela: E agora a gente vai para Brumadinho falar com a repórter Luana Karen, que está acompanhando de perto toda a situação por lá. Boa noite, Luana. Como foi esse quinto de dia de trabalhos após o rompimento da barragem?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi e a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Hoje, cinco pessoas foram presas pela Polícia Federal a pedido do Ministério Público, três funcionários da Vale diretamente ligados ao trabalho licenciamento da barragem da Mina do Feijão, e dois engenheiros terceirizados que emitiram laudos recente atestando a estabilidade de barragem. Também foram expedidos mandados de busca e apreensão na sede da Vale na cidade de Nova Lima, aqui na região metropolitana de Belo Horizonte, e no escritório de uma empresa que prestou consultoria para a Vale e também nas casas das pessoas ligadas a essas empresas.

 

Nasi: Agora, Luana, sobre a busca de vítimas, quais são as novidades de hoje?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Pois é, Nasi, de ontem para hoje foram encontrados mais corpos da lama, mas a última atualização neste número ainda é desta segunda-feira, quando foram confirmadas 65 mortes. A expectativa é que esse número seja atualizado ainda hoje. Duzentos e oitenta e oito pessoas continuam desaparecidas. Os corpos encontrados hoje são provavelmente de pessoas que estavam no refeitório da Vale, que foi deslocado quase um quilômetro da localização original, segundo porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Pedro Aihara. Ele afirmou que continua hoje do trabalho em parceria de militares que veio de Israel e que essa ajuda tem sido importante na localização de corpos.

 

Porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais - Pedro Aihara: Esses equipamentos, eles já têm se revelado úteis para as buscas, né? Eles tiveram trechos principais da equipamentos. Alguns equipamentos, eles dizem respeito ao mapeamento dos celulares, outros equipamentos que são espécie de sonares. Então, aquele equipamento, ele emite uma frequência de som e, a partir da resposta do material de diferentes densidades, a gente consegue fazer uma espécie de mapa ali identificando quais áreas é mais provavelmente de a gente encontrar corpos. E também um outro tipo de radar, que ele consegue identificar de diferença entre a situação de quando o material é um material de concreto, quando é um material é um material de lama. Isso ajuda a identificar vestígios de edificação, e, consequentemente, a gente consegue precisar melhor a área onde a gente vai fazer as nossas buscas.

 

Gabriela: E, Luana, o que as autoridades têm feito para facilitar o acesso a informações de pessoas que procuram por desaparecidos?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Gabriela, ontem nós falamos aqui que ocorreu uma unificação nas listas de desaparecidos, o que auxiliou muito as famílias. E agora, o governo de Minas Gerais distribuiu 300 chips de telefone celular para as famílias com parentes desaparecidos no rompimento da barragem. As famílias poderão utilizar os chips para falar com as autoridades e buscarem informações da tragédia. Em entrevista aos jornalistas, o coronel Borges, chefe do Gabinete Militar do Governador de Minas Gerais, disse que o estado tem recebido todo o apoio do Governo Federal.

 

Chefe do Gabinete Militar do Governador de Minas Gerais - Coronel Borges: Todo aquele esforço necessário para o acolhimento, controle, está sendo feito com participação de todas as tropas aqui empenhadas, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros Militar, a Polícia Militar, a Secretaria Nacional de Defesa Civil, Exército, Marinha, Aeronáutica, não existe nenhuma falta de sinergia e de apoio. O Governo Federal disponibilizou todo o esforço, todo o apoio necessário e aqui nós já estamos trabalhando de forma integrada com todas essas instituições de forma gradativa e de forma organizada.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): A Polícia Federal também enviou papiloscopistas para Brumadinho, são profissionais especialistas em identificação humana por meio de impressões digitais. O presidente da Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais, Paulo Airan, disse que a equipe tem um sistema que já foi usado, por exemplo, para ajudar a reconhecer a vítimas de acidente de avião da Chapecoense.

 

Presidente da Associação Brasileira dos Papiloscopistas Policiais Federais - Paulo Airan: A Polícia Federal, ela prontamente, ela se colocou à disposição para ajudar as equipes de segurança local, que está trabalhando, a ajudar o Instituto de Identificação do Estado de Minas, utilizando, além da expertise em necropapiloscopia, que o Instituto Nacional desenvolve com muita maestria, um sistema, uma tecnologia desenvolvida pelo próprio INI, chamado Alethia, que é um sistema que onde você consegue carregar imagens de impressão digital, é um sistema móvel, e com esse sistema você consegue, coletando fragmentos de impressão digital das vítimas, proceder a identificação.

 

Nasi: E, Luana, infelizmente, parece que tem gente querendo se aproveitar da situação por aí, né? Conta para a gente melhor essa situação?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Pois é, Nasi, é inacreditável, mas isso está acontecendo, sim. Tem gente, se aproveitando para roubar casas que tiveram de ter abandonadas. E para conter esses criminosos, chegaram hoje, a Brumadinho, mais 300 policiais militares. Já são 550 PMs dedicados a garantir a segurança do patrimônio da população. Uma outra situação envolve advogados que aliciariam parentes das vítimas oferecendo um serviço como gratuito, mas em que há, sim, uma cobrança futura. Defensores públicos receberam essas denúncias e afirmaram que vão ficar aqui em Brumadinho entre três e seis meses para atender às vítimas que não podem pagar por um advogado. A ideia é fazer com que o pagamento das indenizações saia o mais rápido possível. E uma última informação, agora no final da tarde o porta-voz da Presidência da República, general Rêgo Barros, afirmou que a governo já trabalha com valor de auxílio de emergência para Brumadinho.

 

Porta-voz da Presidência da República - Rêgo Barros: O Ministério da Economia disponibilizou equipe para avaliação de ação de apoio à emergencial em desastre, dotação inicial de R$ 800 milhões.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Eu sigo aqui acompanhando as ações realizadas na região de Brumadinho. Amanhã volto com mais informações. Nasi e Gabriela.

 

Gabriela: Obrigada, Luana Karen, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: Vinte anos de agência de fiscaliza medicamentos, alimentos, produtos de beleza e mais, muito mais.

 

Gabriela: A gente explica a importância da Anvisa daqui a pouco aqui na Voz do Brasil.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Nasi: Há dez dias mais de 300 estudantes e professores universitários desenvolvem, no estado do Piauí, ações de saúde, cidadania e educação ambiental.

 

Gabriela: Essas atividades ocorrem em 15 municípios e fazem parte da Operação Parnaíba, do Projeto Rondon, coordenado pelo Ministério da Defesa.

 

Nasi: A iniciativa leva oficinas e capacitações a lideranças municipais, agentes de saúde, professores da região e tem foco do desenvolvimento sustentável.

 

Repórter Lane Barreto: Esse trabalho é feito por pessoas como o José Victor Silva, estudante de enfermagem da Unioeste, Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Ele saiu do município de São Miguel do Iguaçu, no Paraná, a uma distância em linha reta de 3 mil quilômetros da Pequena Nossa Senhora dos Remédios, no Piauí, para ensinar um pouco do que aprendeu na faculdade. José Victor conta quais conhecimentos repassou à comunidade.

 

Estudante de enfermagem - José Victor Silva: Saúde do idoso, uso de álcool e drogas, o efeito das drogas, o efeito do álcool no organismo.

 

Repórter Lane Barreto: Trinta e uma instituições de ensino superior de diversas partes do país estão na Operação Parnaíba. Marcos Freitas de Moraes é coordenador e professor da Unioeste, e há 13 anos participa do projeto. Para ele, a experiência também é uma oportunidade para o aluno receber o carinho das comunidades atendidas.

 

Coordenador e Professor - Marcos Freitas de Moraes: Além de proporcionar que ele mostre a sua capacidade de ser um grande profissional, faz com que ele carregue junto dele a experiência de conviver com a comunidade, com os brasileiros.

 

Repórter Lane Barreto: As próximas operações do projeto ocorrem em julho, nos estados do Acre e do Piauí. Somando as três ações que serão realizadas neste ano, mais de 800 estudantes e professores de 80 instituições de ensino superior devem realizar trabalhos voluntários pelo Projeto Rondon. Reportagem, Lane Barreto.

 

Gabriela: Os estudantes que não foram selecionados no Sistema de Seleção Unificada, o Sisu, já podem se inscrever para entrar na lista de espera.

 

Nasi: O prazo para aderir começou hoje e vai até o dia 5 de fevereiro.

 

Gabriela: O aluno pode tentar uma vaga na primeira ou segunda opção de curso que ele escolheu na hora da inscrição.

 

Nasi: Mas, atenção, só pode aderir à lista de espera o estudante que não foi aprovado em nenhuma das opções de curso.

 

Gabriela: Quem quiser tentar uma nova chance basta entrar no site do Sisu, que é www.sisu.mec.gov.br .

 

Nasi: Os alunos que conseguirem a vaga serão convocados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 7 de fevereiro.

 

Gabriela: Ao todo, o Sisu oferece nesta edição mais de 235 mil vagas em 129 instituições públicas de todo o país.

 

Nasi: E atenção brasileiros que viajam para o exterior. Agora a emissão do Certificado Internacional de Vacinação passa a ser totalmente pela internet.

 

Gabriela: Com isso, o cidadão vai poder receber o documento em até cinco dias e sem precisar sair da casa.

 

Nasi: A medida também vai trazer uma economia de até R$ 120 milhões por ano.

 

Gabriela: O certificado comprova a situação vacinal do cidadão e é exigido por mais de cem países atualmente, em especial pela vacinação contra a febre amarela.

 

Repórter Gabriela Noronha: O servidor público Augusto Gonçalves vai viajar para o exterior em junho, mas antes teve que ir até o aeroporto para solicitar a Certificado Internacional de Vacinação, documento necessário para entrar em alguns dos países que vai conhecer nas férias.

 

Servidor público - Augusto Gonçalves: É um tempo a gente gasta, a distância que percorre, estacionamento que tem que pagar. Então, é um esforço que talvez pudesse ser evitado.

 

Repórter Gabriela Noronha: Já a aposentada Ester Jane Pereira deixou para a última hora para pegar o certificado. Ela veio com a filha, Ana Elisa, algumas horas antes de embarcar para a Turquia.

 

Aposentada - Ester Jane Pereira: Tive que vir bem mais cedo por conta do medo mesmo de não conseguir tirar esse certificado. Porque é longe, é difícil.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia é uma espécie de carteirinha que comprova às autoridades de imigração a vacinação contra diversas doenças. Anualmente são realizadas cerca de 730 mil solicitações do certificado, que até então só era imitido com a presença física do interessado nos pontos de emissão. Mas agora, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária liberou a emissão de digital desse certificado, um ganho de tempo para o passageiro, como explica o diretor-presidente da Anvisa, William Dib.

 

Presidente da Anvisa - William Dib: É um ganho incomensurável para o cidadão brasileiro poder tirar isso na sua casa, na sua residência.

 

Repórter Gabriela Noronha: A digitalização é fruto de uma parceria entre o Anvisa e o Ministério da Economia. O Brasil é o primeiro país a oferecer o serviço online e gratuito de emissão desse certificado, exigido atualmente por mais de cem países, como Austrália, Bahamas e Tailândia. Com a medida, o governo deve economizar R$ 120 milhões por ano. De acordo com Paulo Uebel, secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, a digitalização dos serviços públicos é uma tendência que ajuda a simplificar o trabalho e reduzir custos.

 

Secretário especial de Desburocratização Gestão e Governo Digital - Paulo Uebel: Nos próximos 24 meses vamos converter mais de mil serviços públicos em serviços digitais, ocupando menos tempo e recursos da sociedade para que a gente possa investir nas atividades fins que impactam a sociedade brasileira.

 

Repórter Gabriela Noronha: Após tomar a vacina em uma unidade de saúde, o interessado deve fazer a solicitação do certificado pela internet no endereço servicos.gov.br. O processo pode levar até cinco dias úteis. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

 

Nasi: E o lançamento do novo serviço digital foi feito durante um evento em Brasília, em comemoração aos 20 anos da Anvisa.

 

Gabriela: É, e a agência está no dia a dia de todo mundo, na água a gente bebe, na fabricação dos alimentos, na segurança dos medicamentos, na qualidade dos cosméticos.

 

Nasi: A Anvisa regula cerca de 25% de tudo o que é produzido no país.

 

Gabriela: A repórter Márcia Fernandes conversa agora, ao vivo, com a gente aqui no estúdio, sobre esse assunto. Boa noite, Márcia. Fala um pouco mais para a gente tem sobre a importância dessa agência para o nosso dia a dia.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi, e ouvintes da Voz do Brasil. Muita gente não sabe qual é a função da Anvisa. Eu fui às ruas hoje à tarde aqui em Brasília, e conversei com algumas pessoas sobre isso. Seu Ulisses da Silva, diretor de meio ambiente, arriscou um palpite.

 

Diretor de meio ambiente - Ulisses da Silva: Liberação de medicamentos, cadastramento de medicamentos, enfim, tudo aquilo que o ser humano consome, a Anvisa é a fiscal número um dessa matéria.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): É isso mesmo, seu Ulisses. A Anvisa é responsável por avaliar se os remédios se eficazes e se não oferecem riscos à saúde.

 

Nasi: É, Márcia, mas a Anvisa faz muito mais, né?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): É isso mesmo, Nasi, eles fazem muito mais. A agência também fiscaliza os agrotóxicos, a composição da cigarros e se os cosméticos estão dentro das normas, tudo para garantir a saúde de todos. O presidente da Anvisa, William Dib, detalhou tudo isso para a gente durante a comemoração dos 20 anos da agência.

 

Presidente da Anvisa - William Dib: Sua missão é promover e proteger a saúde da população, portanto, estamos falando não apenas de medicamentos e outros produtos médicos e serviços de saúde, mas também de alimentos, cosméticos, saneantes, derivados de tabaco, agrotóxicos, sangue e hemoderivados. Criamos condições para que todos possam desfrutar de produtos e serviços eficazes, seguros e de qualidade.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): E os setores regulados pegas agência de responsáveis por 25% da soma de tudo o que é produzido no país. É a Anvisa que controla as Vigilâncias Sanitárias de todo país e assim, fiscaliza se a comida vendida nas ruas é de qualidade. A cozinheira Elisângela Araújo sabe da importância de procurar um local com condições de higiene para comer.

 

Cozinheira - Elisângela Araújo: A gente tem que prestação. A gente tem que ver é muito importante mesmo a Anvisa estar entrando dentro dos estatutos mesmo, para ver como é o tratamento lá dentro, porque às vezes tem restaurante que às vezes é bonito por dentro, mas lá dentro só Jesus sabe, né?

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): A Anvisa foi criada há 20 anos e, desde então, renovou a forma de cuidar da saúde do país. Entre as mudanças, estabeleceu o mercado de genéricos, que permite que que os brasileiros possam comprar remédios seguros e 35% mais baratos. Para o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, o foco agora é fortalecer a agência.

 

Ministro da Saúde - Henrique Mandetta: Nós queremos fazer a Anvisa cada vez mais sólida, mais técnica e se impor, como já se impõe muitas vezes, como uma das melhores agências graduadas.

 

Repórter Márcia Fernandes (ao vivo): E a agência também cuida dos produtos que chegam nos portos e aeroportos do país. Nasi e Gabriela.

 

Gabriela: Obrigada, Márcia Fernandes, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: Cerca de 500 mil micro e pequenas empresas que foram excluídas do Simples Nacional, o regime, unifica tributos federais estaduais, municipais e previdenciários, têm a última chance de voltar a sistema.

 

Gabriela: Até o dia 31 de janeiro elas podem pedir a reintegração, mas só se quitarem as pendências com a Receita Federal.

 

Nasi: O pagamento pode ser à vista ou parcelado.

 

Gabriela: Mais informações sobre como se regularizar está no site do Simples Nacional, que pode ser acessado pela página da Receita Federal na internet, em www.receita.fazenda.gov.br .

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Governo Federal. Pátria amada, Brasil".