30 de outubro de 2018 - Poder Executivo

Destaques da Voz do Brasil: Centro de Comando e Controle em Brasília vai monitorar realização do Enem em todo o país. E novas ações reforçam a segurança para garantir resultado justo a quem busca uma vaga na universidade. Aumentar a produtividade e reduzir o consumo dentro das empresas. Presidente Michel Temer assina decreto para ampliar Brasil Mais Produtivo. E hoje foi dia de prova para 1,5 milhão de alunos que participaram pela primeira vez da Olimpíada da Matemática. Vamos falar ainda do novo teto para financiamento da casa própria com uso do FGTS.

audio/mpeg 30-10-18-VOZ DO BRASIL.mp3 — 46873 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar o Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 30 de outubro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Centro de Comando e Controle, em Brasília, vai monitorar realização do Enem em todo o país.

 

Nasi: E novas ações reforçam a segurança para garantir resultado justo a quem busca uma vaga na universidade. Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: Na hora do exame, os inscritos vão passar pela identificação biométrica, vão ser usados detectores de metal nos banheiros, além dos detectores de pontos eletrônicos em um número cinco meses maior do que no ano passado.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Aumentar a produtividade e reduzir o consumo dentro das empresas.

 

Gabriela: Presidente Michel Temer assina decreto para ampliar Brasil Mais Produtivo. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Três mil empresas já participaram do programa e apresentaram um crescimento de produtividade de 52%.

 

Nasi: E hoje foi dia de prova para 1,5 milhão de alunos que participaram pela primeira vez da Olimpíada de Matemática.

 

Gabriela: E vamos falar ainda do novo teto para o financiamento da casa própria com o uso do FGTS.

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Nasi: Domingo é dia de Enem, é o primeiro dia da prova desse que é um dos maiores exames de seleção do mundo.

 

Gabriela: E a segurança é fundamental para que o exame continue sendo feito com seriedade.

 

Nasi: Para isso, todo um esquema já foi montado, as provas são vigiadas e o transporte também é feito com escolta da polícia.

 

Nasi: E para evitar qualquer tentativa de fraude na hora do exame, os locais de prova vão contar com um aumento no número de detectores de pontos eletrônicos.

 

Nasi: Hoje, uma reunião foi realizada para a atuação do Centro Integrado de Comando e Controle, que vai funcionar em Brasília, recebendo informações de todos os estados.

 

Nasi: Um monitoramento em tempo real para garantir resultado justo para quem busca uma vaga na universidade.

 

Repórter Márcia Fernandes: Para que não haja fraudes e o sigilo seja mantido na prova do Enem, o Ministério da Educação tomou uma série de medidas que começaram há alguns meses. A Polícia Federal acompanhou do perto a gráfica responsável pela impressão das provas. O acesso à área de impressão é restrito e todo local é vigiado por câmeras de segurança. Os Correios vão fazer o transporte das provas lacradas e com escolta da Polícia Militar. Na hora do exame, os inscritos vão passar pela identificação biométrica e cada um vai receber a prova personalizada. Além disso, vão ser usados detectores de metal nos banheiros, além dos detectores de pontos eletrônicos em um número cinco meses maior do que no ano passado. A diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos, explica que o Ministério da Educação também vai contar o apoio da polícia.

 

Diretora de Gestão e Planejamento do Inep - Eunice Santos: A Polícia Federal sempre atuou junto ao Inep no processo preventivo de segurança do exame. Esse ano nós estamos de estrutura reforçada junto à Polícia Federal, esquematizada, estruturada, um Centro Integrado de Monitoramento da Polícia Federal especificamente para o Enem.

 

Repórter Márcia Fernandes: E os candidatos devem ficar atentos, nada de fazer a prova com o celular no bolso, ele e outros aparelhos eletrônicos como relógios e calculadoras devem ficar no porta-objetos com um lacre, embaixo da cadeira, até o final das provas. Também não pode estar armado, mesmo com documento de porte. E se for levar um lanchinho, ele deve estar com a embalagem lacrada e vai ser vistoriado antes da entrada na sala. Outra medida de segurança é na hora da prova, o candidato só pode sair depois de um tempo mínimo, como explica Eunice Santos, do Inep.

 

Diretora de Gestão e Planejamento do Inep - Eunice Santos: Ele só pode deixar o local de prova com no mínimo duas horas de realização de prova por uma questão de segurança. Nesse horário, se ele sair com duas horas, ele não poderá levar o caderno de questões. Apenas os participantes que deixam a sala terminando 30 minutos para o término de prova poderão levar o caderno de questões.

 

Repórter Márcia Fernandes: Quem for flagrado tentando fraudar o exame, além de ser eliminado, pode responder criminalmente. As provas do Enem vão ser aplicadas neste domingo, dia 4 de novembro, e também no dia 11. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Nasi: E já que estamos falando de Enem, o quadro Defesa do Brasil de hoje explica a participação das Forças Armadas, que também vão apoiar a segurança na realização do exame em várias cidades do país.

 

Gabriela: É isso mesmo, Nasi. O Exército será responsável pelo armazenamento de 12 milhões de cadernos de provas em locais onde os Correios não têm estrutura física para guardá-las.

 

Repórter Lane Barreto: No total, 59 organizações militares distribuídas em 53 municípios de 25 estados estão envolvidas na guarda dos malotes. A responsabilidade de levar as provas até os locais de aplicação está sob os cuidados de funcionários dos Correios, que serão escoltados por agentes da Polícia Militar. O assessor da Subchefia de Operações do Ministério da Defesa, capitão de Mar e Guerra, Hiran Mello Alves, explica como os militares apoiam a realização do exame.

 

Assessor da Subchefia de Operações do Ministério da Defesa - Hiran Mello Alves: Os quartéis, eles estão escolhidos para guardar essas provas, principalmente por conta das condições logísticas, da capilaridade que o Exército tem, da estrutura física para armazenar essas provas em locais onde o Correio não têm condições de fazê-lo.

 

Repórter Lane Barreto: A guarda de provas do Enem é confiada às organizações do Exército devido à segurança permanente existente nessas instalações, bem como pela grande quantidade delas em diversas regiões do país, facilitando o posterior envio do material aos locais de aplicação. O comandante Mello Alves explica como funciona a cooperação.

 

Assessor da Subchefia de Operações do Ministério da Defesa - Hiran Mello Alves: Tem uma gráfica responsável pela impressão dos cadernos de prova. Em agosto desse ano ela iniciou a entrega desse material lá no 4º Batalhão de Infantaria Leve, na cidade de Osasco, em São Paulo. Depois de um ato formal, os Correios iniciaram a interiorização dessas provas para todo o território nacional. Aí é que chega a essas 59 organizações militares.

 

Repórter Lane Barreto: A parceria entre os Ministérios da Defesa e Educação ocorre desde 2009. Reportagem, Lane Barreto.

 

Nasi: E a gente continua tirando dúvidas dos estudantes que vão fazer a prova no próximo domingo.

 

Gabriela: Você já ouviu aí, na primeira matéria, sobre a biometria.

 

Nasi: Essa é a exatamente a pergunta da Tamires da Silva no nosso quadro Minuto do Enem.

 

Gabriela: E alguém responde é a diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep, Luana Soares. Vamos ouvir.

 

"Minuto Enem".

 

Estudante - Tamires da Silva: Eu queria saber como é que vai funcionar a biometria no dia de prova.

 

Diretora de Avaliação e Educação Básica do Inep - Luana Soares: Pessoal, prestem atenção, o que é essa biometria? É algo supersimples, é a coleta da sua digital, um formulário para que você possa ser identificado também por esse procedimento, além dos outros que já estão previstos no edital. Para que é que ela serve? Ela serve para sua segurança, para que a gente garanta que você, você mesmo que está fazendo a prova. Então, fique atento e não se negue a coletar sua digital, porque senão você pode ser eliminado do exame.

 

"Minuto Enem".

 

Nasi: E é bom ficar atento também ao horário de verão, que começa domingo, dia 4 de novembro.

 

Gabriela: Para o Enem o que vale é o horário de Brasília.

 

Nasi: Então, se você tem dúvida sobre horário das provas aí no seu estado, corre lá e acesse o nosso Twitter.

 

Gabriela: Estamos publicando agora todas as informações para você em twitter.com/avozdobrasil.

 

"Está chegando a hora. Dia 4 de novembro começa o Enem, e na sexta-feira, dia 2, a TV NBR e a TV Escola trazem para você um supertime de professores no Aulão do Enem. Tem dúvida sobre o que vai cair na prova? Mande pelo WhatsApp: 61-99867-8787. Então, se liga, Aulão do Enem, dia 2 de novembro às 5h da tarde. Transmissão ao vivo Pela NBR, pelo Youtube da NBR, rede sociais da TV Escola ou pelo site: redenacionalderadio.com.br".

 

Nasi: Daqui a pouco o presidente Michel Temer vai assinar um decreto que amplia o Brasil Mais Produtivo.

 

Gabriela: O programa tem o objetivo de melhorar a produtividade de pequenas e médias indústrias.

 

Nasi: A assinatura vai ser durante uma cerimônia na Confederação Nacional da Indústria, e é lá que está a repórter Gabriela Noronha, que conversa com a gente ao vivo. Boa noite, Gabriela.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O Brasil Mais Produtivo compartilha práticas de aperfeiçoamento para aumentar a produtividade, diminuir o consumo de energia elétrica e reduzir perdas e desperdícios. O programa teve uma primeira fase encerrada em julho, com 3 mil empresas que apresentaram um crescimento médio de 52% na produtividade. O Brasil Mais Produtivo é coordenado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e tem como parceiros o Senai, a Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial e a Apex Brasil, além de contar com o apoio do Sebrae e também do BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Segundo o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, o decreto que vai ser assinado hoje define as atribuições de cada parceiro e aprimora os procedimentos legais.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: O presidente Temer, reconhecendo a importância e o sucesso do programa, está institucionalizando através deste decreto. Cada uma das instituições que participam do programa agora terão seus papéis definidos e nós temos a possibilidade agora de avançar com eficiência energética, digitalização e conectividade, além de integrarmos o Brasil Mais Produtivo com o PNCE, que é o principal programa para as exportações das pequenas empresas do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): O Brasil Mais Produtivo terá uma edição especial para empresas exportadoras iniciantes. Para o piloto dessa fase estão previstos atendimentos para 70 indústrias e um orçamento de cerca de R$ 1 bilhão de reais. A empresas interessadas em participar podem se inscrever pelo site www.brasilmaisprodutivo.gov.br . Ao vivo, de Brasília, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E você vai ouvir ainda hoje na Voz do Brasil.

 

Nasi: Dia de prova para 1,5 milhão de alunos que participaram pela primeira vez da Olimpíada da Matemática.

 

Gabriela: E tem também novo teto para quem quer financiar a compra da casa própria com o uso do FGTS.

 

Nasi: É daqui a pouquinho, não sai daí.

 

Gabriela: Foi publicado hoje no Diário Oficial da União um decreto que autoriza o emprego da Garantia da Lei e da Ordem, a GLO, no estado de Roraima, para a proteção dos abrigos que acolhem imigrantes venezuelanos em Boa Vista e em Pacaraima.

 

Nasi: Essa é a segunda vez que o presidente Michel Temer autoriza o uso da GLO no estado, dessa vez a medida vale por dois meses, de 31 de outubro a 31 de dezembro desde ano.

 

Gabriela: Segundo o comandante Marinho, capitão de Mar e Guerra do Ministério da Defesa, dessa vez a atuação dos militares deve ser mais restrita.

 

Capitão de Mar e Guerra - Comandante Marinho: Já havia uma ação de Garantia da Lei e da Ordem mais ampla, que ela desenvolvia em boa parte da faixa da fronteira com aquele país, um pouco mais voltada também para situações de segurança pública. Agora, essas ações foram restritas às atividades ligadas ao acolhimento dos imigrantes. Acho que é uma progressão do estado final de normalidade do estado como tem que ser, uma preparação para atividades normais que o estado já desempenha na questão de segurança, como possivelmente mais adiante pode ser que não seja mais necessário exercer essa função pelas Forças Armadas.

 

Nasi: Desenvolver produtos, pesquisar ideias inovadoras.

 

Gabriela: Tudo voltado à preservação do meio ambiente.

 

Nasi: É assim que o CNPQ incentiva jovens e estudantes pesquisadores.

 

Gabriela: Estamos falando do Prêmio Jovem Cientista, que teve o resultado divulgado hoje.

 

Nasi: Doze trabalhos foram premiados, ideias que surpreenderam e podem se transformar em soluções práticas para os principais desafios do país.

 

Repórter Cleide Lopes: A gaúcha, Juliana Davoglio Estradioto, de 17 anos, do Instituto Federal de Educação Técnica do Rio Grande do Sul, conquistou o primeiro lugar na categoria ensino médio. Ela desenvolveu um plástico biodegradável a partir da casca do maracujá, para substituir embalagens de mudas de plantas. O material reduz a poluição causada pelos sacos plásticos convencionais e se decompõe em 20 dias.

 

Entrevistada - Juliana Davoglio Estradioto: Eu fiz esse plástico que tu pode enterrar a muda junto com o vaso, né? E aí ele vai se degradar no solo em até 20 dias.

 

Repórter Cleide Lopes: Na edição do Prêmio Jovem Cientista deste ano, o número de inscritos foi recorde, 1.550 estudantes e pesquisadores de todo o país. O prêmio na categoria institucional foi para a Escola Técnica Polivalente de Americana, no interior de São Paulo. A instituição foi a que mais inscreveu jovens no prêmio. Para a diretora da escola, Mary Damiani, a ideia é estimular os alunos através da pesquisa.

 

Diretora de escola - Mary Damiani: É valorizar o estudo, abrir expectativa para que esse aluno possa continuar a sua vida acadêmica.

 

Repórter Cleide Lopes: O mestre e doutor João Vitor Campos da Silva, da Universidade Federal de Alagoas, conquistou o primeiro lugar na categoria doutorado, com uma pesquisa sobre o pirarucu, peixe símbolo da Amazônia.

 

Mestre e doutor - João Vitor Campos da Silva: Na realidade, o manejo pirarucu, ele beneficia muitas outras espécies importantes para as comunidades ribeirinhas, como o caso das tartarugas, do tambaqui, que é peixe de alto valor, e, ao mesmo tempo, gera bastante renda, contribui com a melhoria da qualidade de vida local.

 

Repórter Cleide Lopes: Para o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPQ, o professor Mário Neto, o Prêmio Jovem Cientista é de fundamental importância para estimular a formação de novos cientistas.

 

Presidente do CNPQ - Mário Neto: Os premiados, nós verificamos que a maioria deles acaba se dedicando realmente à ciência. Então, eles fazem mestrado, fazem doutorado e, em grande parte, se tornam cientistas.

 

Repórter Cleide Lopes: A 29ª Edição do Prêmio Jovem Cientista tem como tema inovações para conservação da natureza e transformação social. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: Quando programamos um horário para o despertador tocar, calculamos o valor de um troco, medidos a quantidade de ingredientes para uma receita, a matemática está sempre presente.

 

Nasi: É verdade, Gabriela. E para estimular o gosto por essa ciência desde cedo, foi ampliado acesso ao Obmep, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas.

 

Gabriela: Um milhão e meio de alunos do quarto e quinto anos do ensino fundamental de 20 mil escolas públicas do todo o país participam da competição pela primeira vez.

 

Repórter Luciana Collares da Holanda: É a primeira vez que os estudantes de 10 e 11 de idade participam da Obmep, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, nível A. A competição é realizada desde 2005, mas, até então, só participavam estudantes a partir do sexto ano do ensino fundamental. Clara Rosa, de dez anos, estuda em uma escola pública de Brasília e conta que tinha vontade de competir.

 

Estudante - Clara Rosa: Quando eu era pequena eu via na TV, aí queria participar, só que a escola que inscreve. Aí quando inscreveu eu fiquei muito feliz quando fiquei sabendo. Saber que você pode ganhar uma medalha, e tal, é legal.

 

Repórter Luciana Collares da Holanda: As provas ao elaboradas pelo Impa, o Instituto de Matemática Pura e Aplicada. As Secretarias de Educação Estaduais e representantes das escolas federais são responsáveis pela aplicação e correção. As Olimpíadas contam a participação de 18 milhões de estudantes. E a ideia de ampliar o acesso à competição é estimular o gosto pelos números nesta faixa etária, como explica o diretor-geral do Impa, Marcelo Viana.

 

Diretor-geral do Impa - Marcelo Viana: A gente já percebeu, por vários estudos, que as crianças quando são bem pequenininhas adoram a matemática de um modo geral, vão perdendo esse gosto ao longo do processo educacional. A gente quer intervir para apresentar a matemática de um jeito mais divertido, mais instigante.

 

Repórter Luciana Collares da Holanda: Um milhão e meio de alunos de 20 mil escolas em todo o país estão participando. A diretora da escola onde Clara Rosa estuda, Vera Lúcia Ribeiro, conta que inscreveu 170 alunos e defende a importância de usar a competição como forma de estímulo.

 

Diretora de escola - Vera Lúcia Ribeiro: Incentiva o aluno a estudar mais, a ele saber se alguém está me avaliando ou está e preocupando como eu estou aprendendo a matemática. E matemática é para vida, né? Para o dia a dia da gente, desde que nasce até a velhice.

 

Repórter Luciana Collares da Holanda: A Obmep é a maior competição científica do país. O conteúdo das provas segue os parâmetros curriculares nacionais para alunos de quarto e quinto anos do fundamental. As questões privilegiam o raciocínio lógico e a criatividade. Reportagem, Luciana Collares da Holanda.

 

Nasi: Professores têm até amanhã para escolher os livros de literatura que as escolas públicas vão utilizar no ano que vem.

 

Gabriela: Esta é a primeira vez que eles têm a oportunidade de escolher as obras que vão ser enviadas pelo Ministério da Educação.

 

Nasi: A ideia é estimular o hábito da leitura, ampliando uso dos livros dentro da sala de aula.

 

Repórter Pablo Mundim: Com apenas 11 anos de idade, o Lucas Nogueira Cruz, de Brasília, tem uma paixão pela leitura.

 

Estudante - Lucas Nogueira Cruz: Eu gosto de fazer... me divertir lendo e ler Monteiro Lobato. Eu gosto de ler também fábulas.

 

Repórter Pablo Mundim: A professora e alfabetizadora da escola do Lucas, Cláudia Francisca Farias do Vale Santos, sabe como a leitura nervosa fase de aprendizagem é importante para a formação do aluno.

 

Professora - Cláudia Francisca Farias do Vale Santos: A criança, ela aprende, ela tem prazer em não só em receber, mas aquilo de mostrar também que está sabendo ler. Ela aprimora o seu vocabulário, ela insere no contexto de muitas aprendizagens.

 

Repórter Pablo Mundim: Assim como a escola do Lucas, todos os anos as escolas públicas de todo o país recebem livros literários do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, o FNDE. A novidade para o próximo ano letivo é que os professores, diretores e os próprios alunos vão poder escolher os livros que querem receber. Segundo a coordenadora de Avaliação do Material Didático do Ministério da Educação, Ana Carolina Bezerra de Melo Costa. A iniciativa inédita vai ajudar a estimular a leitura nas escolas.

 

Coordenadora de Avaliação do Material Didático - Ana Carolina Bezerra de Melo Costa: É uma forma mesmo de que os estudantes do Brasil, das redes públicas, eles tenham acesso à literatura de qualidade, eles tenham esse hábito de leitura deles, né, que a escola participe dessa formação desse hábito de leitura.

 

Repórter Pablo Mundim: São mais de 700 títulos para educação infantil nos ensino fundamental e médio disponíveis para a escolha de alunos e professores. Cada escola vai poder selecionar de 20 a 50 livros, dependendo da etapa do ensino. As escolas públicas que participam do processo têm até o dia 31 deste mês para fazer a seleção. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: Mais um incentivo para a compra da casa própria.

 

Nasi: Foi antecipado para hoje o início do financiamento de imóveis de até R$ 1,5 milhão com juros mais baixos em todo o país pela Caixa Econômica Federal.

 

Gabriela: O aumento desse limite foi aprovado em julho deste ano e começaria a valer a apenas em janeiro do ano que vem.

 

Repórter Bruna Saniele: O Conselho Monetário Nacional, CMN, do Banco Central, resolveu antecipar a elevação dos valores de imóveis que vão poder receber recursos do sistema financeiro da habitação em todo o país. Na prática, isso significa que os compradores podem utilizar o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, FGTS para dar entrada ou diminuir as prestações de imóveis de até R$ 1,5 milhão. E também terão acesso a taxas de juros mais baixas. A Caixa Econômica Federal vai poder emprestar até 80% do valor desses imóveis. Antes da mudança, os compradores podiam financiar imóveis avaliados em até R$ 950 mil em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e no Distrito Federal. Nos demais estados o valor máximo é de R$ 800 mil. A Caixa afirmou que a mudança traz melhorias para o setor imobiliário e vai aquecer a construção civil no país. Bruna Saniele para a Voz do Brasil.

 

"Criança Feliz. Primeira Infância".

 

Nasi: Atendimento individual em casa, é assim que os visitadores estimulam o desenvolvimento de mais de 340 mil crianças de famílias de baixa renda.

 

Gabriela: De casa em casa, eles levam aos pequenos diferentes estímulos, carinho, acolhimento e amor.

 

Nasi: Estamos falando do Programa Criança Feliz, que em pouco mais de dois anos, está presente em 2,3 mil municípios brasileiros.

 

Gabriela: A cidade de Formosa é uma delas, lá vimos de perto o acompanhamento do Heitor, que tem apenas seis meses de vida.

 

Repórter Pâmela Santos: O pequeno Heitor é a alegria de sua mãe, Ítala Carolina Simões de Sales, de 33 anos. Com apenas seis meses, as bolinhas e os chocalhos se tornaram para ele muito mais que uma brincadeira, agora fazem parte do aprendizado. Heitor é beneficiário do Criança Feliz e está no programa desde que a mãe descobriu a gravidez. A família mora em Formosa, cidade goiana localizada a cerca de 96 quilômetros da capital federal, Brasília. Ítala conta que o Criança Feliz chegou em sua casa quando seu segundo filho, Calebe, estava com mais um pouco mais de dois anos. Para a mãe, os estímulos certos estão transformando a vida de seus filhos.

 

Entrevistada - Ítala Carolina Simões de Sales: É incrível, sinceramente, é coisa de... ele tem o que, três anos hoje, a coordenação motora dele está muito boa, eu acho que pela ajuda deles.

 

Repórter Pâmela Santos: Assim como os filhos de Ítala, mais de 343 mil crianças já foram acompanhadas pelo programa em todo o Brasil. Além das crianças, 62 mil grávidas também receberam visitas. O Criança Feliz tem hoje uma multidão de visitadores que apoia as famílias em seu papel de promotores do desenvolvimento infantil. São mais de 13 mil em todo o país. Para a secretária nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano do Ministério do Desenvolvimento Social, Ely Harasawa, investir na primeira infância é dar a oportunidade para as famílias que são mais vulneráveis ter um futuro melhor.

 

Secretária nacional de Promoção do Desenvolvimento Humano - Ely Harasawa: A gente já tem muitas evidências científicas de que o investimento nesse período é a única oportunidade, é uma janela de oportunidade para que essas crianças tenham uma possibilidade de desenvolver todo o seu potencial.

 

Repórter Pâmela Santos: As visitas acontecem semanalmente e os visitadores orientam as famílias sobre como estimular e desenvolver integralmente as crianças por meio de atividades como conversas e brincadeiras. Reportagem, Pâmela Santos.

 

Nasi: E o Conselho Monetário Nacional, CMN, mudou as regras sobre o limite do cartão de crédito dos clientes.

 

Gabriela: Agora, os bancos podem reduzir esse limite mais rapidamente, em caráter excepcional, se o perfil de risco do cliente piorar, ou seja, se o banco perceber um rápido endividamento.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as Notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, Ordem e Progresso".