31 DE JULHO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: 4 dias de operação no Rio de Janeiro e presidente Michel Temer sobrevoa cidade para acompanhar atuação das forças federais para acabar com a violência. Aeroportos brasileiros tem mais de noventa por cento de aprovação dos passageiros. Mais recursos do ministério da saúde vão atender municípios do Pará e Maranhão.

audio/mpeg 31-07-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 46791 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Nasi: Boa noite.

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Nasi: Segunda-feira, 31 de julho de 2017.

 

Alessandra: E vamos ao destaque do dia: quatro dias de operação do Rio de Janeiro.

 

Nasi: Presidente Michel Temer sobrevoa a cidade e acompanha de perto a atuação das forças federais para acabar com a violência.

 

Presidente da República - Michel Temer: A primeira conclusão que se teve é que já diminuiu nesses dois, três dias enormemente o índice de criminalidade.

 

Alessandra: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Aeroportos brasileiros têm mais de 90% de aprovação dos passageiros, Nathália Koslyk.

 

Repórter Nathália Koslyk: Os aeroportos brasileiros atingiram o maior índice de satisfação desde 2013, ano em que a pesquisa foi feita pela primeira vez.

 

Alessandra: Mais recursos do Ministério da Saúde vão atender municípios do Pará e Maranhão.

 

Nasi: E você começa a acompanhar uma série de matérias especiais sobre o programa Criança Feliz.

 

Repórter Nathália Koslyk: Foi assim que os índios da etnia xerente receberam os visitadores do Criança Feliz. A comunidade é uma das primeiras no Brasil a receber as visitas do programa.

 

Alessandra: Hoje na apresentação: Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Alessandra: A atuação de militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica e de outras forças policiais para combater o crime no Rio de Janeiro chega ao quarto dia.

 

Nasi: Além das ações de inteligência, os militares estão nas ruas fazendo policiamento e segundo as autoridades, os índices de criminalidade já caíram.

 

Alessandra: Ontem o Presidente Michel Temer esteve no Rio de Janeiro, onde acompanhou de perto a operação.

 

Repórter Natália Melo: O fim de semana no Rio de Janeiro foi marcado por reuniões entre autoridades, ministros de estado e presidente da República para tratar da onda de violência que tem tomado conta da cidade. No sábado o ministro da Defesa, Raul Jungmann, fez um balanço positivo dos primeiros dias da operação O Rio Quer Segurança E Paz, iniciada na última sexta-feira.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: Nós estamos fazendo um reconhecimento em áreas e microáreas que serão fundamentais para as próximas etapas. Essa fase inicial é curta duração, nós não vamos repetir o procedimento anterior de lojas permanências realizando patrulhamento, não vamos fazer ocupação de comunidades. O nosso objetivo, que, aliás, plenamente alcançado nesse início de operação foi surpresa. Nós não vamos anunciar onde iniciaremos, nós não vamos anunciar quando terminaremos fases dessas operações, mas quero dizer que já estamos preparando a próxima.

 

Repórter Natália Melo: Já no domingo, o Presidente Michel Temer se reuniu no Rio de Janeiro com oficiais das Forças Armadas e autoridades e para discutir o andamento da operação. Temer destacou a importância do trabalho de inteligência e da integração entre agentes de segurança pública pelo fim do crime organizado.

 

Presidente da República - Michel Temer: Já diminuiu nesses dois, três dias enormemente o índice de criminalidade, especialmente no tópico do roubo de cargas. Agora, o formidável desta ação é a coordenação extraordinária que está existindo entre as forças de segurança federais e estaduais, e agora até, por sugestão do prefeito Crivella, também da Guarda Municipal.

 

Repórter Natália Melo: Para acompanhar de perto a primeira fase da operação, o Presidente Michel Temer sobrevoou a região metropolitana do Rio de Janeiro, onde o patrulhamento está atuando. A etapa envolve ações de reconhecimento de áreas e levantamento de dados para que os próximos passos sejam definidos.

 

Presidente da República - Michel Temer: Eu tenho a mais absoluta convicção de que esses trabalhos que fizemos ao longo do tempo, portanto, tendo o cuidado de não praticar, digamos, gestos episódicos, ou seja, você coloca aqui a Força Nacional, a Polícia Rodoviária Federal, as Forças Armadas, a Polícia Civil, e Polícia Militar, por alguns dias, por um mês, que seja, sem nenhuma coordenação, e pacifica, resolve durante um mês, dois meses e depois desastra ainda mais, para usar o neologismo, né? Mas estas ações, nós estamos planejando isto há bastante tempo.

 

Repórter Natália Melo: No total, 10 mil agentes de tropas federais participam da operação O Rio Quer Segurança E Paz. Na última sexta-feira Michel Temer assinou a garantia da lei e da ordem, decreto que autorizou a permanência de 8.500 militares das Forças Armadas no estado até o dia 31 de dezembro. O presidente destacou, no entanto, que o período pode ser ampliado conforme necessidade. Reportagem, Natália Melo.

 

Nasi: E o segundo o ministro da Defesa, Raul Jungmann, está sendo preparada a segunda fase da operação O Rio Quer Segurança E Paz.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: O grande objetivo dessa primeira etapa é fazer um reconhecimento, levantar as informações dos acessos e túneis, as entradas, as saídas, enfim, fazer todo o mapeamento microdetalhado. Evidentemente que, ao mesmo tempo, tem um efeito de patrulha no início da segurança, mas, como uma já disse, hoje nós estamos retraindo essas tropas, tá certo? Elas vão pouco a pouco reduzindo, vão se preparar para um novo momento, que virá muito em breve, e aí, sim, nós vamos golpear, de fato, a capacidade operacional do crime organizado.

 

Alessandra: Conforto na sala de embarque, limpeza, geral e disponibilidade de banheiros. Esses são alguns dos itens que tiveram boa avaliação pelos passageiros aos aeroportos do país.

 

Nasi: Uma pesquisa da Secretaria de Aviação Civil ouviu 13 mil pessoas nos 15 principais terminais do país.

 

Alessandra: Foi a melhor avaliação dos aeroportos desde o início da pesquisa.

 

Repórter Nathália Koslyk: Com 92% de provação dos passageiros, os aeroportos brasileiros atingiram o maior índice de satisfação desde 2013, ano que em a pesquisa foi feita pela primeira vez. A avaliação, divulgada nesta segunda-feira, é referente aos meses de abril, maio e junho. De acordo com o secretário nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Dario Lopes, o resultado é reflexo dos esforços e das políticas implementadas pelo governo.

 

Secretário nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes - Dario Lopes: Isso é uma vitória. Mostra que aqui tudo aquilo que foi feito em termos de investimento, em termos de política de gestão, de processo de concessão, deu resultado positivo e está dando resultado positivo e vai dar mais ainda.

 

Repórter Nathália Koslyk: No ranking geral, o aeroporto de Viracopos, em Campinas, teve a maior média de toda a história das pesquisas, 4,9 numa escala que vai de 1 a 5. Em seguida, aparece Curitiba e Brasília. E o aeroporto de Cuiabá teve o maior crescimento percentual pela segunda vez consecutiva. Para o secretário Dario Lopes, o desafio agora é manter o que está bom e melhorar o que ainda falta.

 

Secretário nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes - Dario Lopes: O foco de nos aeroportos tem primeiro manter a questão dos serviços públicos, a questão da infraestrutura, nos níveis que estão, e nós temos de implementar, e melhorar, e dar um tratamento maior à questão de alguns serviços prestados aos nossos clientes, questão de comércio, questão da alimentação, para que fique no mesmo nível dos demais itens avaliados.

 

Repórter Nathália Koslyk: A pesquisa foi realizada pela Secretaria Nacional de Aviação Civil nos 15 principais aeroportos brasileiros responsáveis por 80% da movimentação de passageiros no país, ao todo, 37 indicadores foram avaliados, como tempo de espera e cordialidade dos funcionários por mais de 13 mil passageiros de voos nacionais e internacionais. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Nasi: Mais recursos para o Sistema Único de Saúde de dois estados.

 

Alessandra: Maranhão recebeu mais de R$22 milhões para qualificar, ampliar e fortalecer os serviços de atenção básica, o dinheiro vai atender 84 municípios do estado.

 

Nasi: O Ministério da Saúde também liberou R$36 milhões para melhorar o atendimento no SUS em 85 municípios do Pará.

 

Alessandra: O ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou os dois estados hoje e disse que a atenção básica de saúde é uma prioridade nos investimentos do Governo Federal.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Um esforço muito grande, como temos feito em todo o Brasil, equipe Saúde da família, agentes comunitários de saúde, saúde bucal, estamos investindo recursos bastante significativos, por conta também da economia de R$3,5 bilhões que fizemos no Ministério e que estamos reaplicando em mais recursos de saúde.

 

Nasi: E hospitais universitários lançam estratégia para cuidar da saúde do homem.

 

Alessandra: Sempre que um homem procurar um hospital por alguma razão vai ser encaminhado para um check-up completo.

 

Nasi: A ideia é prevenir e também facilitar o diagnóstico de alguma doença já existente.

 

Repórter José Luiz Filho: O pescador Carliane Santos diz que nunca foi de ligar muito para a saúde, mais depois de alguns problemas com próstata, ele deixou preconceitos de lado e hoje vai o médico com frequência.

 

Pescador - Carliane Santos: O homem tem esse preconceito de não procurar a saúde. A mulher todo mês está no hospital procurando, mas o quer ser machista. Hoje eu vou cuidar direto da minha saúde, porque eu já passei por problemas. Então, não quero mais passar.

 

Repórter José Luiz Filho: O aposentado Eltino dos Santos há 12 anos também faz os exames da próstata.

 

Aposentado - Eltino dos Santos: Foi um pouquinho difícil para mim pelo motivo que muitos falam, a gente fica um pouco inibido. Aí depois eu me soltei, fiz de conta que eu estou no meio da minha família.

 

Repórter José Luiz Filho: Mudar essa realidade é o objetivo de um projeto criado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Ebserh, vinculado ao Ministério da Educação, a ideia é estimular os homens a criarem o hábito de ir ao médico, facilitar a realização de exames de rotina e o acompanhamento hospitalar. A estratégia é encaminhar para um check-up preventivo os homens que buscarem um hospital atendimento para o um problema de saúde específico, nos moldes do que já é feito pelo programa Saúde da Mulher, implantado em toda a rede pública. Como explica o presidente da Ebserh Kleber Morais.

 

Presidente da Ebserh - Kleber Morais: Com isso ele não precisa estar indo e voltando, marcando e remarcando exame. Então, seria para otimizar essa estrutura da rede hospitalar e ter essa linha funcionando com maior objetividade.

 

Repórter José Luiz Filho: O projeto piloto já funciona no Hospital do Paranoá, no Distrito Federal, administrado pelo Hospital Universitário de Brasília. E de acordo do presidente da Ebserh, Kleber Morais, outros hospitais da rede universitária também contam com estrutura necessária para o atendimento especializado do público masculino. A meta é que até o fim deste ano toda a rede de hospitais universitários do país tenha estrutura para atender público masculino, com a realização de exames simples como diabetes, até diagnóstico com câncer de próstata e problemas oftalmológicos. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Alessandra: Começou o período de inscrições para vagas remanescentes do Programa Universidade Para Todos, o Prouni.

 

Nasi: Você garantir bolsas de até 100% em faculdades e universidades particulares de todo o país.

 

Alessandra: Quer saber o que fazer? Então, fique ligado no Pra Você Cidadão de hoje.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Mirna Ledo: Estão abertas as inscrições para as vagas remanescentes do segundo semestre no Programa Universidade Para Todos, são 77 mil bolsas de estudo integrais ou parciais de 50% em instituições privadas de educação superior. O prazo termina em 25 de agosto para quem não estiver matriculado na faculdade e em 30 de outubro para quem já estiver cursando. Um dos critérios exigidos para conseguir uma bolsa integral é ter renda familiar bruta mensal de até 1 salário mínimo e meio. Já para as bolsas parciais a renda pode ser de até três salários mínimos por pessoa. Para outras informações e para fazer a inscrição, acesse: siteprouni.mec.gov.br. Mirna Ledo para a faz do Brasil.

 

Alessandra: 19h13 em Brasília.

 

Nasi: Criança Feliz.

 

Alessandra: Daqui a pouco você acompanha a primeira de uma série de reportagens especiais sobre o início das visitas domiciliares do programa. Não saia daí.

 

Nasi: Um encontro para fortalecer a parceria comercial entre Reino Unido e Brasil.

 

Alessandra: Esse é o objetivo do diálogo econômico-financeiro entre os dois países, que ocorreu pela vez em 2015.

 

Nasi: Na reunião de hoje os ministros da Fazenda dos dois países conversaram com empresários. Henrique Meirelles falou sobre as reformas que estão sendo promovidas no Brasil e que vão trazer mais investimentos para cá.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: A ideia do encontro é fortalecer os laços entre os países e aumentar os investimentos na área de infraestrutura, serviços financeiros, comércio e finanças verdes, que são investimentos em projetos que ofereçam benefícios ambientais. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que o Reino Unido já é um grande investidor do Brasil.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O Reino Unido é um parceiro importante do Brasil e certamente o será agora neste momento em que a economia brasileira retoma a sua trajetória de crescimento, e, em consequência, de investimento, e, ao mesmo tempo, em que abre oportunidades bastante substanciais de investimento da área de infraestrutura.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Em 2016 foram £16 bilhões movimentados no comércio entre os dois países, desse total, £4 bilhões foram exportações para o Reino Unido, além disso, houve um aumento de 30% no número de empresas brasileiras no país em relação a 2015. O ministro britânico, Philip Hammond, afirmou que o Reino Unido já investe no Brasil e que a ideia agora é realizar parcerias que beneficiem as duas economias. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

"Entenda a Reforma Trabalhista".

 

Alessandra: Chegou a hora de esclarecer para você mais um ponto da modernização trabalhista enviada pelo governo e aprovada pelo Congresso Nacional.

 

Nasi: E uma das novidades são alterações nas regras do trabalho parcial, aquele em que o empregado dedica apenas algumas horas por dia à atividade.

 

Alessandra: De acordo com o Ministério do Trabalho, o regime parcial facilita a contratação de estudantes, idosos e pessoas com filhos pequenos.

 

Nasi: Para muitos profissionais é a possibilidade de ter tempo livre para outros trabalhos, para o estudo e também para ficar com a família.

 

Repórter Nei Pereira: O professor de educação física Christopher Mendes trabalha em regime parcial há seis meses em uma academia em Brasília. Para ele, horário flexível é melhor porque pode trabalhar e estudar.

 

Professor de educação física - Christopher Mendes: Tenho mais tempo livre, tanto para poder trabalhar como personal, quanto para a gente se especializar, fazer cursos.

 

Repórter Nei Pereira: O contrato de trabalho parcial como o de Christopher já está previsto na CLT, Consolidação das Leis Trabalhistas, mas com jornada máxima de 25 horas por semana sem horas extras. Com a reforma trabalhista, a jornada parcial poderá chegar a até 30 horas semanais sem trabalho extraordinário. Outra mudança está nas férias para quem tem trabalho parcial, antes o trabalhador só tinha direito a férias proporcionais de, no máximo, 18 dias, e não podia vender os dias de descanso, com a reforma, as férias são ampliadas para 30 dias e um terço do período pode ser pago em dinheiro. Para a assessora-chefe da Casa Civil Martha Seillier. A mudança nas regras do trabalho parcial não retira direito dos trabalhadores.

 

Assessora-chefe da Casa Civil - Martha Seillier: Em nenhum momento existe retirada de direitos, perda de direitos, o que existe é trazer para o mundo das normas trabalhistas realidades que já acontecem hoje e que são absolutamente desprovidas de garantias desses direitos por não encontrar contratos de trabalho que permitam formalizá-los.

 

Repórter Nei Pereira: Essa modalidade de contratação pode ser melhor para o empregado quando o assunto é remuneração. Segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais, Rais, de 2015, do Ministério do Trabalho, no regime parcial a média da remuneração foi de R$24,28, enquanto que o regime integral foi de R$11,67. Reportagem, Nei Pereira.

 

"Criança Feliz. Primeira Infância".

 

Alessandra: Começaram as primeiras visitas domiciliares do programa Criança Feliz.

 

Nasi: Técnicos vão até a casa das famílias para mostrar aos pais a melhor maioria de estimular as crianças.

 

Alessandra: E a Voz do Brasil vai acompanhar de perto essas visitas. Durante toda essa semana você confere aqui uma série de matérias sobre o programa.

 

Nasi: Hoje vamos à tribo indígena xerente, que fica às margens do Rio Tocantins.

 

Alessandra: Na aldeia, indígenas que recebem Benefício de Prestação Continuada, o BPC, e o Bolsa Família, tiveram atendimento especial.

 

Repórter Carolina Graziadei: A pintura dos corpos mostra que a tribo se preparou para a festa. A aldeia dança ao som de cantos tradicionais. Foi assim que os índios da etnia xerente receberam os visitadores do Criança Feliz. A comunidade é uma das primeiras no Brasil receber as visitas do programa. A primeira visita foi na casa da Juliana Xerente. Sentada em um banco de madeira, ela ouviu com atenção às orientações, aprendeu que coisa simples como cantar para as crianças e brincar com elas fazem uma diferença enorme para o futuro dos filhos. A visitadora vai explicando tudo em acuê, o idioma falado na comunidade. Juliana é mãe da Laricê, de 11 anos, do Cisdacran, de sete, e da Dandara, de apenas dois anos. Ela não costuma brincar muito com as crianças, falta tempo para dar atenção aos pequenos. Com as orientações da visitadora, um fruto típico da região e alguns pedaços de capim podem se transformar em uma brincadeira divertida e estimulante para a caçula. A mãe conta, em português, que está feliz em saber que pode mudar a realidade dos filhos para a melhor a partir de pequenas atitudes.

 

Mãe - Juliana Xerente: Para mim, assim, eu achei importante, né? Vocês estarem acompanhando o desenvolvimento da criança, né?

 

Repórter Carolina Graziadei: Para a visitadora do Criança Feliz, Elisabete da Silva, acompanhar o desenvolvimento das crianças indígenas é especial. É que ela também pertence à etnia xerente e conhece bem a realidade de cada família que será atendida.

 

Visitadora do Criança Feliz - Elisabete da Silva: Eu quero compartilhar o carinho que eu tenho, o amor que tenho, o conhecimento que eu tenho. Tudo o que eu tenho eu quero estar dividindo com o meu povo.

 

Repórter Carolina Graziadei: As visitas domiciliares na aldeia servirão como modelo para os atendimentos a povos e comunidades tradicionais em outras regiões do país. A coordenadora estadual do Criança Feliz, Katilvânia Guedes, explica que o atendimento aos indígenas é diferenciado adaptando as melhores técnicas de estímulo aos costumes locais.

 

Coordenadora estadual do Criança Feliz - Katilvânia Guedes: O trabalho não é de checar e de impor uma nova cultura, uma nova forma de a família cuidar da criança, de a família proteger a criança, né? Mas é um trabalho que foi planejado considerando essas especificidades.

 

Repórter Carolina Graziadei: A atenção é fazer com que as crianças cheguem à escola com melhores condições de aprendizado, estudem mais e tenham mais chances de vencer a pobreza. Serão acompanhadas pelo programa as crianças beneficiárias do Bolsa Família até os três anos de idade e aquelas que recebem o Benefício de Prestação Continuada, o BPC, até os seis anos. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Nasi: E agora vamos até Uberaba, em Minas Gerais, onde o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, esteve hoje para apresentar o programa.

 

Alessandra: Mais de 2.500 municípios de todo o país já aderiram ao Criança Feliz, que não traz nenhum custo para o município.

 

Repórter André Luiz Gomes: Um programa de desenvolvimento integral da criança com foco nos beneficiários do Bolsa Família, foi assim que o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, apresentou o programa Criança Feliz para o G-70 nessa segunda-feira, em Uberaba, Minas Gerais. O grupo formado por 70 prefeitos do triângulo mineiro e Alto Paranaíba, conheceu as ações do programa, que vai visitar semanalmente as crianças beneficiárias e a importância dos estímulos nos primeiros mil dias de vida. Osmar Terra ressaltou a importância de levar este atendimento às crianças mais vulneráveis.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: E hoje a ciência motiva que é nos primeiros mil dias de vida que as principais competências humanas se organizam no cérebro. Então, é um programa que vai ajudar as famílias, dar apoio às famílias para estimular da melhor forma possíveis suas crianças.

 

Repórter André Luiz Gomes: O ministro explicou ainda que o Criança Feliz não vai gerar custos para os municípios, todos os recursos estão garantidos pelo Ministério do Desenvolvimento Social. Em Minas Gerais 261 municípios já aderiram ao programa, Uberaba ainda não participa das ações do Criança Feliz. De acordo com o prefeito Paulo Piau, a gestão está empenhada em implementar o programa.

 

Prefeito - Paulo Piau: Como o estado não aderiu, os municípios mineiros demoraram um pouco mais a aderir. Então, mas, com certeza, a nossa região vai fazer uma adesão agora com o menor espaço de tempo possível.

 

Repórter André Luiz Gomes: Até o momento, 2.547 municípios aderiram ao Criança Feliz. Reportagem, André Luiz Gomes.

 

Alessandra: 19h23.

 

Nasi: Nós terminamos a edição de hoje da Voz do Brasil com uma mensagem do Presidente Michel Temer sobre a economia.

 

Alessandra: Em vídeo publicado na internet, Temer falou que as ações do governo têm melhorado a economia.

 

Nasi: O presidente citou a queda da inflação e da taxa de juros, alta na produção industrial e modernização da mineração, vamos ouvir.

 

Presidente da República - Michel Temer: O governo está melhorando a economia. A inflação baixou no mês de junho. Nos últimos 12 meses está em 3,5%, contra mais de 10%, quando assumi a Presidência da República no ano passado. Outra boa notícia é que pela primeira vez em quatro anos a taxa básica de juros está abaixo de dois dígitos, os juros caíram para 9,25% ao ano, é a sétima queda seguida, isso é importante para você que quer comprar a casa própria, adquirir um carro ou eletrodomésticos, por exemplo. Mas as boas notícias não param por aí, a produção industrial avançou e cresceu 4% em relação a maio do ano passado. Demos ainda um passo decisivo na modernização das leis do setor mineral, eliminamos entraves, facultamos atividades de pesquisa, fortalecermos a segurança jurídica, simplificamos processos e criamos a Agência Nacional de Mineração, tudo isso, respeitando o meio ambiente. Estes bons resultados só nos animam a continuar trabalhando pelo Brasil. Vamos em frente.

 

Alessandra: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Alessandra: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Alessandra: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".