31 DE AGOSTO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Juros e inflação em queda e melhor ambiente de negócios. Presidente Michel Temer apresenta a empresários chineses um Brasil pronto para receber investimentos. Mais uma vez, cai o número de desempregados. Na hora de escolher cursos de graduação, brasileiros estão optando pela educação a distância. Tropas brasileiras se despedem do Haiti.

audio/mpeg 31-08-17_A VOZ DO BRASIL.mp3 — 23338 KB




Transcrição

A Voz do Brasil - 31/08/2017

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19 horas.

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

Nasi: Boa noite pra você que nos acompanha aí em todo o país. 

Gabriela: Quinta-feira, 31 de agosto de 2017.

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

Gabriela: Juros e inflação em queda e melhor ambiente de negócios.

Nasi: Presidente Michel Temer apresenta a empresários chineses um Brasil pronto pra receber investimentos.

Presidente Michel Temer: Foram quatro grandes empresas chinesas que estão investindo no Brasil e querem investir cada vez mais, revelando uma confiança extraordinária no nosso país.

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

Nasi: Mais uma vez, cai o número de desempregados. José Luís Filho.

Repórter José Luís Filho: Setecentos e vinte e um mil brasileiros voltaram a trabalhar com carteira assinada entre os meses de maio e julho.

Gabriela: E na hora de escolher cursos de graduação, os brasileiros estão optando pela educação à distância.

Nasi: E neste momento, as tropas brasileiras se despedem do Haiti.

Gabriela: Vamos dar os detalhes dessa missão, que ampliou a projeção do Brasil no cenário internacional.

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum. 

Gabriela: E para assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

Nasi: Um conjunto de 39 ações, com a participação de 13 ministérios, beneficia jovens de 15 a 29 anos em todo o país.

Gabriela: É o Brasil Mais Jovem, que foi lançado essa semana. E quem vem dar os detalhes dessas ações é o secretário nacional de Juventude, Assis Filho, que conversa com a gente ao vivo aqui no estúdio da Voz do Brasil. Boa noite, secretário.

Secretário Nacional de Juventude - Assis Filho: Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. É uma satisfação imensa estar de volta aqui com vocês.

Gabriela: Secretário, o Brasil Mais Jovem é um pacote de programas do Governo Federal pra juventude. Quais são as principais ações e quantos jovens podem ser beneficiados por elas?

Secretário Nacional de Juventude - Assis Filho: Seguindo a orientação do presidente Michel Temer, a Secretaria Nacional de Juventude tem buscado integralizar e articular todas as ações, projetos, iniciativas e programas que são executados no Governo Federal, pra juventude brasileira. O Brasil possui 51 milhões de jovens de 15 a 29 anos. Nós vivemos o que o IBGE chama de bônus demográfico da juventude. O governo, preocupado em atender as especificidades desses milhões de brasileiros em todas as regiões do país, desenvolve, através do Comitê Interministerial de Juventude, instituído pelo presidente Michel Temer, através de Decreto Presidencial nº 9.025, de abril desde ano de 2017. Esse comitê foi o responsável e está sendo o responsável por articular as 39 iniciativas que são desenvolvidas para a Juventude em 13 ministérios. O fruto desse papel de articulação, integração e coordenação dessas iniciativas, que são executadas em 13 ministérios do governo federal, foi um pacote de ações chamado Brasil Mais Jovem, lançado agora, dia 23, durante o 2º Encontro Nacional de Gestores Municipais e Estaduais de Juventude. Esse pacote reúne 90 iniciativas, dentre elas são 20 ações, 4 planos, 59 programas e 7 projetos, distribuídos nos 13 ministérios que atuam nas políticas públicas voltadas pros jovens no Brasil.

Nasi: Agora, secretário, essas propostas aí foram apresentadas a 200 gestores estaduais e municipais. Isso é uma integração com estados e municípios, pra fazer tudo dar certo, é isso?

Secretário Nacional de Juventude - Assis Filho: O governo acredita fielmente que o cidadão vive nos municípios e que as políticas têm que chegar nos municípios, chegar nas periferias, nos becos, nas comunidades, nos povoados, porque é de fato que lá está o dia a dia. E é nesse objetivo que nós temos mantido um canal próximo de interlocução com os estados e municípios, pra que eles tenham conhecimento, especialmente os gestores da política de juventude, dessas ações que o governo tem executado, e possam conhecer os meios de levar todos esses programas até a ponta, até os munícipes.

Gabriela: Nós conversamos aqui com Assis Filho, secretário Nacional de Juventude. Muito obrigada, secretário, pela participação ao vivo aqui na Voz do Brasil.

Secretário Nacional de Juventude - Assis Filho: Eu que agradeço a participação, de estar aqui mais uma vez.

Nasi: Taxa de juros e inflação em queda, desburocratização e oportunidades. Muitas oportunidades. 

Gabriela: Assim, o presidente Michel Temer apresentou o Brasil a empresários chineses em sua primeira agenda no país.

Nasi: Temer falou das medidas que o governo vem tomando pra melhorar o ambiente de negócios e saiu animado da conversa.

Gabriela: O repórter João Pedro Neto acompanhou e traz as informações pra gente.

Repórter João Pedro Neto: No primeiro dia da viagem, o presidente Michel Temer teve reuniões com diretores de grandes empresas do país asiático que já atuam no Brasil, nos setores de energia, infraestrutura, telecomunicações e aviação. Temer apresentou as oportunidades no Brasil com as concessões à iniciativa privada no âmbito do PPI, o Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal. Depois dos encontros, o presidente afirmou aos jornalistas que os chineses demonstraram confiança e interesse em investir mais no país.

Presidente Michel Temer: Foram quatro grandes empresas chinesas que estão investindo no Brasil e querem investir cada vez mais, revelando uma confiança extraordinária no nosso país. Nós salientamos a questão da Eletrobrás e dos 57 novos setores que estão colocados à disposição da iniciativa privada. Todos eles revelaram interesse.

Repórter João Pedro Neto: O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, que acompanha o presidente na viagem, também falou sobre os encontros com os empresários. E disse que as reformas em curso no Brasil e a melhora no ambiente de negócios favorecem a chegada de novos investimentos estrangeiros. 

Ministro da indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Pereira: A modernização da legislação trabalhista, por exemplo, já está sendo recebida pelos investidores, e eles mencionaram isso nas suas falas, como algo positivo, que vai dar mais segurança jurídica, vai dar mais estabilidade para que as empresas façam os seus investimentos. É a agenda do governo, a agenda das reformas, da desburocratização.

Repórter João Pedro Neto: Mas ainda antes de chegar a China, a viagem internacional já produziu resultados. Em escala em Portugal, Michel Temer se reuniu com o presidente do país europeu, Marcelo Rebelo. Já durante a parada no Cazaquistão, teve encontro com empresários locais, que sinalizaram a intenção de aumentar os investimentos no Brasil.

Presidente Michel Temer: O presidente de Portugal me recebeu e confirmou algo que já vinha sendo negociado, que é a compra de aviões da Embraer. E agora, interessante, parando em Astana, no Cazaquistão, um grande empresário de lá foi me visitar, no setor de autoridades, e comunicou que vai continuar investindo no Brasil. Ele já investiu R$ 1,4 bilhão lá na Bahia, e mais R$ 1 bilhão agora.

Repórter João Pedro Neto: Ainda no último dia da visita à capital chinesa no próximo sábado, o presidente Temer participa de um seminário de promoção de investimentos organizado pelo Governo Federal. De Pequim, na China, João Pedro Neto para a Voz do Brasil.

Nasi: E se aqui já são 7h07 da noite, Gabriela, em Pequim, na China, está quase amanhecendo.

Gabriela: É, Nasi, mais um dia de agenda cheia pro presidente Michel Temer, que será recebido pelo presidente chinês Xi Jinping. 

Nasi: O encontro deve fortalecer as relações entre os dois países, que vão assinar acordos em diversas áreas. Amanhã, você acompanha aqui, na Voz do Brasil, todos os detalhes.

Gabriela: O desemprego cai, de maio a julho, segundo o IBGE. 

Nasi: Para os especialistas, com a estabilização da economia e a modernização trabalhista, o desemprego vai cair ainda mais.

Repórter José Luís Filho: Aos 20 anos, Felipe Aros viveu no primeiro semestre o drama de milhões de brasileiros, o desemprego.

Entrevistado - Felipe Aros: Fiquei uns cinco meses atrás de um emprego. Cara, estava bem complicado, eu mandava currículo, tinha pouca resposta, sabe? De sair pra entregar, se inscrever em sites de emprego, tava bem complicado, não chegava nada.

Repórter José Luís Filho: Depois de muito procurar, em maio, o técnico em informática conseguiu um trabalho com carteira assinada.

Entrevistado - Felipe Aros: Agora registrado, tudo dentro da lei, certinho.

Repórter José Luís Filho: Assim como Felipe, 721 mil brasileiros voltaram a trabalhar com carteira assinada entre os meses de maio e julho. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira pelo IBGE. Com essa queda, a taxa de desocupação caiu de 13,6% para 12,8%, resultado que, na opinião de Eduardo Velho, vice-presidente da Ordem dos Economistas do Brasil, reflete a melhora do ambiente econômico e de negócios, motivada pelas ações do Governo Federal.

Vice-presidente da Ordem dos Economistas do Brasil - Eduardo Velho: Fica claro que a demanda está crescente, os juros vão continuar caindo, a inflação vai ficar estável, num patamar mais baixo, as empresas ficam mais confiantes em aumentar sua produção e contratar mais. Inclusive, há sinais claros que vai aumentar o emprego formal.

Repórter José Luís Filho: A expectativa dos especialistas é de que a abertura de novos postos seja contínua e ganhe ainda mais fôlego com a nova legislação trabalhista. Reportagem, José Luís Filho.

Gabriela: Nas redes sociais, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, comentou a queda. Segundo ele, após a maior recessão da história, a melhora do emprego mostra a retomada da economia.

Nasi: Segundo Meirelles, é preciso seguir com as reformas para que o Brasil continue a crescer e gerar ainda mais empregos.

Gabriela: A educação à distância cresceu em todo o país nos últimos dez anos.

Nasi: Os dados são do Censo da Educação Superior, divulgado hoje.

Gabriela: Os números também mostram um aumento significativo no número de brasileiros que tiveram acesso ao ensino superior nos últimos anos.

Repórter Pablo Mundin: O número de brasileiros que fazem graduação à distância aumentou no ano passado. É o que apontam os números do Censo da Educação Superior 2016, divulgado nessa quinta-feira. Quase 1,5 milhão matrículas foram feitas na modalidade à distância, conhecidas como EAD. Um aumento de praticamente 8%, quando comparado com o ano passado, e de 19% nos últimos dez anos. É o caso da estudante de pedagogia, Juliana [ininteligível], de 29 anos. Acadêmica da cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, ela escolheu a educação à distância por considerar prática e eficiente.

Estudante - Juliana: Eu decidi o EAD, pela praticidade que ele tem, tu poder fazer seus horários.

Repórter Pablo Mundin: De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inpe, 8,052 milhoes estudantes foram matriculados na rede de ensino superior em 2016, um aumento de 62,8% nos últimos dez anos. Ao analisar as matrículas das instituições públicas na última década, o censo revela que a rede federal foi a que mais cresceu, um aumento de 105,8%. O ministro da Educação, Mendonça Filho, destaca os investimentos feitos na educação superior nos últimos anos.

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Investimentos que ampliam as condições de infraestrutura nas universidades federais em todo o país. Então, a gente prioriza, evidentemente, o investimento em pessoal, que é o componente primordial pra uma boa qualidade na educação como um todo.

Repórter Pablo Mundin: Elaborado anualmente, o censo é como um raio-X do ensino superior no Brasil, um importante guia para a criação das políticas públicas que podem ajudar estudantes, professores e instituições de ensino. Reportagem, Pablo Mundin.

Gabriela: 19h12 em Brasília.

Nasi: E você vai ouvir ainda nesta edição.

Gabriela: Acontece neste momento cerimônia de despedida das tropas brasileiras no Haiti.

Nasi: E os primeiros testes para internet com tecnologia 5G foram realizados hoje no Brasil.

Gabriela: O Governo Federal anunciou hoje a retomada de obras do programa Minha Casa, Minha Vida no Rio de Janeiro.

Nasi: O estado também vai receber investimentos em obras de saneamento e contenção de encostas.

Repórter Natália Melo: As obras de 4 mil unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, que estavam paralisadas, serão retomadas em 11 municípios do Rio de Janeiro, além da construção de cinco novos empreendimentos do Minha Casa, Minha Vida, na cidade do Rio de Janeiro, em Campos e em Volta Redonda. O ministro das Cidades, Bruno Araújo, destacou a importância dos recursos destinados ao Rio para a geração de emprego e renda.

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: Nesse conjunto de ações, entre recursos de FGTS e recursos do Tesouro Nacional, acho que, tendo uma participação importante do Rio, na geração de emprego, na geração de renda.

Repórter Natália Melo: Também foram anunciados investimentos para obras de contenção de encostas e saneamento. Os investimentos totais nas obras passam de R$ 1,2 bilhão. Reportagem, Natália Melo.

Gabriela: E o presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, participou da assinatura desses contratos no Rio de Janeiro.

Nasi: Lá, ele falou das recentes medidas do governo para apoiar a recuperação econômica do estado e destacou a aprovação da Reforma da Previdência, como forma de também ajudar o Brasil no equilíbrio das contas.

Gabriela: A proposta está em análise no Congresso Nacional.

Presidente em Exercício - Rodrigo Maia: A gente vai ter condição sim, de aprovar a reforma da previdência, que sinalize aos investidores um país sério, que não vai, nos próximos anos, caminhar pra falência ou pra uma moratória, e que todos poderão vir pro Brasil investir, como faz hoje o trabalho do presidente Michel Temer na China, tentando atrair investimento dos chineses pra infraestrutura do Brasil.

Nasi: O Brasil deu mais um passo pra ter uma internet mais rápida, eficiente e acessível a todos os brasileiros.

Gabriela: Foi realizada hoje a primeira transmissão de som e imagem com a tecnologia 5G.

Nasi: Além da qualidade superior, ela vai permitir uma internet com velocidade cem vezes maior do que o atual sistema, o 4G. 

Gabriela: Depois de testar o 5G, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, fez uma declaração com exclusividade para os ouvintes da Voz do Brasil.

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Caros ouvintes, hoje o Brasil viveu mais um momento importante, no que diz respeito à tecnologia. Nós estamos inaugurando, com tecnologia 100% brasileira, o modelo 5G de comunicações. Hoje tivemos a oportunidade de fazer a primeira comunicação já nesse modelo. Isso significa progresso, desenvolvimento, crescimento do país. Isso significa oportunidades que terão os serviços públicos, de contar com avanços notáveis, que proporcionarão uma sensível melhoria na qualidade dos serviços e também na qualidade de vida dos brasileiros, as pessoas que moram no Brasil.

Nasi: E pra que você entenda direitinho como vai funcionar, a repórter Beatriz Albuquerque tem os detalhes.

Repórter Beatriz Albuquerque: O celular, há tempos, já deixou de ser apenas um aparelho de fazer e receber ligações. Hoje em dia, as pessoas têm acesso a instituições bancárias, redes sociais e ligações de vídeo, tudo na palma da mão.

Entrevistado: Faço pesquisas pra faculdade e redes sociais também, entretenimento, Youtube, essas coisas.

Entrevistada: Eu converso com meus familiares que moram longe, eu tenho uma família que mora em São Luís do Maranhão, então eu converso com eles por vídeo, consigo vê-los, conhecer meus sobrinhos...

Repórter Beatriz Albuquerque: E para melhorar a qualidade da internet móvel e ampliar o acesso a essa tecnologia, o Brasil está implementando a solução 5G de comunicação. As pesquisas para implantação do 5G no Brasil estão sendo feitas com tecnologia e mão de obra 100% nacionais. A expectativa é ampliar a cobertura das antenas de 10 quilômetros para 50 quilômetros. Isso significa que, com uma infraestrutura mais moderna, a internet vai ter mais qualidade e vai poder chegar a quase todos os lugares do país. O governo garante que a novidade vai melhorar a vida das pessoas e aprimorar serviços como saúde e educação. E para o gestor de projetos em tecnologia, Alex Lima, a chegada do 5G vai melhorar muito a eficiência e a qualidade do seu trabalho. Ele, que usa a internet para desenvolver todos os seus projetos na área de tecnologia, garante que a novidade chegou em boa hora.

Gestor de projetos em Tecnologia - Alex Lima: A possibilidade de você usar inteligência artificial e a internet das coisas, dos produtos e processos, vai garantir que o nosso produto seja mais competitivo, competitividade no mercado.

Repórter Beatriz Albuquerque: A implantação da tecnologia 5G no Brasil começa em 2020 e deve durar três anos. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

Gabriela: 19h17 em Brasília.

Nasi: A missão de paz das Nações Unidas no Haiti, comandada pelo Brasil, chegou ao fim, depois de 13 anos.

Gabriela: É, e nesse exato momento, autoridades e militares realizam uma cerimônia na capital Haitiana, Porto Príncipe, que marca o encerramento da missão e o início da retirada das tropas.

Nasi: E antes da cerimônia, o General Ajax Porto Pinheiro, comandante-geral das Forças de Paz da ONU, falou com a Voz do Brasil e afirmou que as tropas estão saindo no momento certo.

Comandante-geral das Forças de Paz da ONU - General Ajax Porto Pinheiro: O Haiti está pronto. Nós estamos saindo no momento certo. Desde 7 de fevereiro, quando o presidente Jovenel Moise assumiu, o país entrou num clima de normalidade, de paz, como há muito não se via. Ele progrediu, as instituições se fortaleceram ao longo desses anos, as eleições foram realizadas. Foram três eleições presidenciais. E a Polícia Nacional do Haiti foi preparada e aumentou-se os efetivos nesse período, justamente para assumir as responsabilidades de segurança do Haiti, nesse exato momento, em que nós estamos saindo. Nós estamos saindo na hora certa. Acreditamos, sim, que o Haiti está preparado para, a partir de agora, cuidar do seu próprio destino. Deixamos também uma imagem internacional que foi construída ao longo desses 13 anos, que é marcante para as Nações Unidas e é marcante para a comunidade internacional. Então, a projeção que nós conseguimos, projeção internacional que o país conseguiu no Haiti, é algo que, valioso também para o país.

Gabriela: Pois é. E mais do que garantir a paz e lidar com situações inesperadas, como o terremoto e o furacão que atingiram o Haiti, as tropas brasileiras foram além.

Nasi: É, fizeram parte da missão a construção de hospitais e escolas, pavimentação de ruas, reconstrução de praças, além da distribuição de filtros, importantes num país em que apenas 10% da população tem acesso à água encanada. 

Gabriela: E pra dar alegria à população do país mais pobre das Américas, nada melhor do que levar o nosso principal cartão de visitas, a Seleção Brasileira de Futebol.

Nasi: Já se passaram 13 anos do famoso Jogo da Paz, mas aqueles momentos ficaram eternizados na memória de quem viveu aquele dia, que ajudou os haitianos a terem ainda mais carinho e respeito com os brasileiros.

Repórter Natália Koslik: No dia a dia da missão de paz no Haiti, as tropas brasileiras assumiram responsabilidades que foram além do dever. A missão surgiu em 2004, pra conter a crise social e política que se instalou no país caribenho. Mas, ao longo desses 13 anos, os capacetes azuis, como eram conhecidos os militares do batalhão brasileiro, prestaram ajudas sociais e humanitárias. É o que conta o tenente-coronel Guilherme Bernardes, comandante da Companhia Brasileira de Engenharia de Força de Paz, no Haiti.

Comandante da Companhia Brasileira de Engenharia de Força de Paz - Tenente-coronel Guilherme Bernardes: Após o terremoto de 2010, o país foi praticamente destruído. Hoje, a realidade já é diferente. E essa realidade começou a mudar com a participação da engenharia militar aqui no Haiti. Nós também trabalhamos recentemente na construção de três hospitais, em parceria entre o Brasil, Cuba e Haiti. Nós trabalhamos também muito na perfuração de poços artesianos aqui no Haiti, estradas, principalmente no interior do país. Trabalhamos também no campo da educação, onde nós procuramos semear no rosto das crianças a esperança e a tentativa de construir um país melhor para eles.

Repórter Natália Koslik: Além das construções e da ajuda humanitária, o Brasil também quis proporcionar alegria aos haitianos. Para isso, organizou um amistoso entre a Seleção Brasileira e o Haiti. O Jogo da Paz, como ficou conhecido, foi realizado em 2004, na capital haitiana, Porto Príncipe, e contou com os principais craques do Brasil na época, como Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Roberto Carlos. O placar do jogo pouco importou. Para o ex-técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Carlos Alberto Parreira, o que ficou foi a oportunidade de proporcionar um momento único para aquele povo.

Ex-técnico da Seleção Brasileira - Carlos Alberto Parreira: O importante era as pessoas aglomeradas na rua, dos dois lados, às vezes passando em áreas muito pobres, mas as pessoas com um sorriso nos lábios, gritando. Eles conheciam todos os jogadores: "Ronaldo! Ronaldinho! Pelé!". Eles não paravam de agitar os braços, bandeirinhas, e de gritar, e acompanhando, correndo e se atropelando uns aos outros, do lado esquerdo, do lado direito, mas com um sorriso no lábio.

Repórter Natália Koslik: Estima-se que mais de um milhão de haitianos saudaram os jogadores brasileiros nas ruas. De acordo com o ex-técnico Parreira, nas horas que antecederam o jogo, o Haiti esqueceu a guerra.

Ex-técnico da Seleção Brasileira - Carlos Alberto Parreira: O jogo foi um detalhe, o Brasil entrou em campo, o povo lá dentro uma loucura, uma alucinação, né? O resultado era o que menos importava. Eu acho que foi seis a zero, seis a um. O importante foi a festa em si, a comemoração e a certeza de que, naquele momento, naquelas horas, do aeroporto até o estádio, a guerra ficou em segundo plano.

Repórter Natália Koslik: Por tudo isso, a relação entre brasileiros e haitianos, durante a Minustah, Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti, foi a mais amistosa possível. É o que conta o General José Luís Jaborandi, um dos comandantes da missão.

Comandante - General José Luís Jaborandi: O povo do Haiti, ele identifica no soldado da ONU, e particularmente naqueles que carregam a bandeira verde-amarela, como irmãos que aqui estão para ajudá-lo.

Repórter Natália Koslik: E o reconhecimento veio naturalmente para o haitiano Chamir Ajan (F), tradutor do Batalhão Brasileiro de Infantaria de Força de Paz no Haiti.

Tradutor - Chamir Ajan (F): Nunca a gente não vai esquecer isso, é uma lembrança que fica dentro do nosso coração. Se não chegou a Minustah, não sei se vai existir o Haiti. Essa alegria vai ficar pra sempre.

Repórter Natália Koslik: A missão de paz da ONU no Haiti, liderada pelo Brasil, se encerra nesta quinta-feira. A retirada das tropas começa nesta sexta-feira e termina no dia 15 de outubro. Trinta e sete mil soldados brasileiros passaram pelo país durante esses 13 anos. Reportagem, Natália Koslik.

"Momento Social"

Gabriela: E hoje nós vamos responder a dúvida da Alessandra Vidigal, que recebe o Bolsa Família e tem dois filhos.

Nasi: Ela quer saber o que acontece quando a família não cumpre as condicionalidades do programa.

Gabriela: O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, responde.

Ouvinte - Alessandra Vidigal: Olá, ministro. Sou Alessandra Vidigal, moro em Boa Vista, Roraima. Eu gostaria de saber o que acontece se os meus filhos descumprissem as condicionalidades de saúde e educação.

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Para receber o Bolsa Família é preciso cumprir alguns compromissos, são as chamadas condicionalidades do programa. É necessário, por exemplo, estar com a carteira de vacinação das crianças em dia e manter os filhos na escola. Com essa exigência, o governo quer promover o acesso das famílias à saúde e à educação. Você sabe que a educação que vai fazer com que os seus filhos possam, no futuro, ter uma renda muito maior que a sua e ajudar toda a família a sair da pobreza. Caso não cumpra as condicionalidades, as famílias passam a receber atenção prioritária da assistência social. Se a situação não for normalizada, o pagamento vai sofrendo efeitos, que vão do bloqueio até o cancelamento do benefício.

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

Nasi: Boa noite pra você e até amanhã.

"Brasil, ordem e progresso."