31 DE OUTUBRO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Estudantes vão poder renegociar dívidas com o Fies. Segurança reforçada para o Enem. Centro Integrado da Polícia Federal vai acompanhar em tempo real qualquer tentativa de fraude nos dias de prova. Transição de governo tem primeira reunião oficial no Palácio do Planalto. Brasil reduz o número de mortes de bebês e crianças. Vamos falar das ações que garantem atendimento à saúde desde a gestação.

audio/mpeg 31.10.18.mp3 — 44991 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.




"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".




Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.




Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.




Gabriela: Quarta feira, 31 de outubro de 2018.




Nasi: E vamos ao destaque do dia. Estudantes vão poder renegociar dívidas com o Fies. Graziela Mendonça.




Repórter Graziela Mendonça: São mais de meio milhão de estudantes que estão em atraso há mais de três meses com o Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies, e vão poder renegociar o valor.




Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.




Nasi: Segurança reforçada para o Enem.




Gabriela: Centro Integrado da Polícia Federal vai acompanhar, em tempo real, qualquer tentativa de fraude nos dias de prova. Márcia Fernandes.




Repórter Márcia Fernandes: Para que não haja problema na segurança, um Centro Integrado de Comando e Controle da Polícia Federal, que já funcionou um outros eventos, como na Copa do Mundo, vai atuar também no Enem.




Nasi: Transição de governo tem a primeira reunião oficial no Palácio do Planalto.




Gabriela: Brasil reduz o número de mortes de bebês e crianças.




Nasi: E vamos falar das ações que garantem atendimento à saúde desde a gestação. Natália Koslyk.




Repórter Natália Koslyk: Uma das iniciativas que contribuem para a redução da mortalidade de crianças é o Estratégia Saúde da Família.




Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.




Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .




Gabriela: O Fies, Fundo de Financiamento Estudantil, é um auxílio para muita gente cursar uma faculdade.




Nasi: O estudante só começa a pagar as mensalidades depois que termina o curso.




Gabriela: Mas, muitos têm dificuldade para saldar esse compromisso.




Nasi: E hoje foi aprovada uma resolução que vai permitir uma renegociação para quem está em débito com o Fies.




Repórter Graziela Mendonça: A enfermeira Vanessa Lopes, de Rio Branco, no Acre, se formou pelo Fies, mas, há cerca de um ano, está com dificuldade de pagar as parcelas.




Enfermeira - Vanessa Lopes: Em setembro do ano passado, começaram as cobranças da primeira parcela, e, sem emprego, ficou difícil de pagar né?




Repórter Graziela Mendonça: São mais de meio milhão de estudantes que estão em atraso há mais de três meses com o Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies, e vão poder renegociar o valor. O débito total do Fies atualmente está em torno de R$ 10 bilhões. O ministro da Educação, Rossieli Soares, explicou o objetivo da resolução aprovada nesta quarta feira.




Ministro da Educação - Rossieli Soares: Abrir a possibilidade de renegociação é importante, especialmente para que essas pessoas possam ter uma tranquilidade para a sua vida e para outros processos que desejem, e também para o governo, que vai buscar manter uma boa condição de relação pagamento, considerando especialmente o histórico do Fies, que sempre foi muito difícil.




Repórter Graziela Mendonça: Os estudantes vão poder aderir à renegociação até 31 de dezembro de 2019. Vão ser duas opções: o estudante pode estender o prazo de pagamento para até 48 parcelas mensais ou distribuir os valores em atraso nas parcelas a vencer. Nos dois casos, o estudante vai ter que dar uma entrada de R$ 1 mil ou 10% do financiamento, o que for maior. Os detalhes de renegociação ainda serão definidos com os bancos operadores do financiamento, como explica o ministro da Educação.




Ministro da Educação - Rossieli Soares: Provavelmente lançaremos o edital ainda este ano, o detalhamento, os prazos, os dias de atendimento como será, serão discutidos ainda.




Repórter Graziela Mendonça: O Fies oferece financiamento de mensalidades em instituições privadas de ensino superior de todo o Brasil. Em 2018, foram ofertadas 100 mil vagas para o programa, quase 80 mil foram preenchidas. Reportagem, Graziela Mendonça.




Gabriela: Uma verdadeira operação de guerra para garantir que mais de 5,5 milhões inscritos façam com tranquilidade a prova do Enem.




Nasi: São mais de 600 mil pessoas trabalhando em 10 mil locais de provas em todo o Brasil.




Gabriela: E os órgãos responsáveis pelo exame estão nos últimos ajustes. Uma das preocupações é alertar os candidatos da mudança no horário de verão, no fim de semana.




Nasi: E também combater notícias falsas que circulam em redes sociais.




Repórter Márcia Fernandes: Os candidatos precisam ter ainda mais atenção neste ano com ao horário da prova. É que no é domingo começa o horário de verão. Os portões vão ser fechados a 1h da tarde, no horário de Brasília. Já no Acre, em alguns municípios de Amazonas, por exemplo, os portões vão fechar às 10h da manhã. Em Rondônia, Roraima e no restante do Amazonas, às 11h. No restante de Norte, no Nordeste, no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, os portões fecham meio dia. O ministro da Educação, Rossieli Soares, disse hoje que o Ministério entrou em contato com a Anatel e com as operadoras de telefonia para que os horários fosse atualizados corretamente nos celulares.




Ministro da Educação - Rossieli Soares: A gente sabe que, hoje, a atualização do horário no celular, ela é muito importante. Nós tivemos episódios recentes de mudanças em data errada, que causou uma confusão no Brasil. Você imagina, então, se o estudante recebe ou não recebe a informação correta da mudança no horário de celular, poderia trazer um prejuízo para alguns estudantes no Brasil.




Repórter Márcia Fernandes: Para que não haja problemas na segurança, um Centro Integrado de Comando e Controle da Polícia Federal, que já funcionou um outros eventos, como a Copa do Mundo, vai atuar também no Enem, como explica o secretário nacional de Segurança Pública, brigadeiro João Tadeu Fiorentini.

 

Secretário nacional de Segurança Pública - João Tadeu Fiorentini: Vou saber em tempo real o que vai estar ocorrendo em Natal, Rio Grande do Sul, Amazonas, Tabatinga, no Acre, e nós temos representantes do Inep dentro do Centro e também temos capacidade de falar diretamente com o Inep para alguma decisão eventual.




Repórter Márcia Fernandes: Outra preocupação do Governo Federal são com as 'fake news'. A presidente do Inep, Maria Inês Fini, conta que nesta semana notícias falsas sobre o exame foram divulgadas na internet.




Presidente do Inep - Maria Inês Fini: Ontem nós já tivemos a oportunidade, por meio do Facebook do MEC, de já desmontar uma delas, que estava, inclusive, anunciando o adiamento da realização das provas em função do horário de verão. Isso não existe. As provas serão aplicadas no dia 4 e no dia 11. E eu peço especial atenção para o horário de verão.




Repórter Márcia Fernandes: No dia da prova fique atento, não se esqueça do documento de identificação com foto e da caneta preta com tubo de material transparente. Qualquer dúvida sobre o exame você pode tirar na página do Enem, na internet ou pelo telefone 0800-616161. Reportagem, Márcia Fernandes.

Gabriela: E para aguentar as mais de cinco horas de prova, apenas no primeiro dia do Enem, muitos estudantes não abrem mão de levar aquele lanche para comer enquanto resolvem as questões.




Nasi: E esta é a dúvida do quadro Minuto Enem de hoje.




Gabriela: A Gabriela de Almeida quer saber que alimentos pode levar para as provas.




Nasi: A diretora de avaliação e educação básica do Inep, Luana Soares, responde.




Estudante - Gabriela Almeida: Eu gostaria de saber quais os lanches que eu posso levar no dia da prova?




Diretora de avaliação e educação do Inep - Luana Soares: Ótima pergunta, pessoal. Lembrem- se, antes da prova façam uma alimentação leve, bebam bastante líquido, água. E no momento da prova, vocês vão poder levar lanches industrializados, fruta. Mas preste atenção, em relação a esses lanches industrializados, vocês vão precisar levar as embalagens intactas, fechadas. Você não vai poder entrar no local de prova com embalagens abertas. Isso é para garantir a isonomia de todos os participantes.

 

"Minuto Enem".




"Está chegando a hora. Dia 4 de novembro começa o Enem, e na sexta-feira, dia 2, a TV NBR e a TV Escola trazem para você um supertime de professores no Aulão do Enem. Tem dúvida sobre o que vai cair na prova? Mande pelo WhatsApp: 61-99867-8787. Então, se liga, Aulão do Enem, dia 2 de novembro às 5h da tarde. Transmissão ao vivo Pela NBR, pelo Youtube da NBR, rede sociais da TV Escola ou pelo site: redenacionalderadio.com.br".




Gabriela: As mortes nas rodovias federais caíram 15% em relação ao ano passado.




Nasi: Daqui a pouco a gente traz detalhes sobre os motivos para este resultado.




Gabriela: O Copom, Comitê de Política Monetária do Banco Central, decidiu agora há pouco, por unanimidade, manter a taxa básica de juros em 6,5% ao ano.




Nasi: A chamada taxa Selic é usada pelo Banco Central para ajudar a controlar a inflação.




Gabriela: A repórter Graziela Mendonça está, ao vivo, no estúdio aqui com a gente, e tem mais informações. Boa noite, Graziela.




Repórter Graziela Mendonça (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Nasi e ouvintes da Voz do Brasil. É isso mesmo, a taxa básica de juros vai continuar em 6,5%, conforme era esperado no mercado financeiro. E segue no menor patamar da história desde março, depois de uma série de 12 reduções seguidas. Em comunicado, o Copom diz que economia brasileira está em recuperação gradual e a inflação se encontra em níveis apropriados, próximos da meta, com expectativas em torno de 4,2% para 2019. A Selic é uma referência para a economia brasileira e para as demais taxas de juros praticadas no mercado, e é também o principal instrumento do Banco Central para manter a inflação sob controle. Nasi, Gabriela.




Nasi: Obrigado, Graziela, pela participação, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.




Gabriela: Foi realizada hoje, no Palácio do Planalto, em Brasília, a primeira reunião oficial sobre a transição de governo.




Nasi: Técnicos da Casa Civil da Presidência da República se encontraram com a equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro.




Gabriela: A repórter Danielle Popov está no Palácio do Planalto e traz, ao vivo, as informações. Boa noite, Daniele.




Repórter Danielle Popov (ao vivo): Olá, Gabriela, boa noite. Boa noite, Nasi. Boa noite ouvintes da Voz do Brasil. Essa reunião marca o início oficial do processo de transição. O coordenador de governo de transição, Onyx Lorenzoni, trouxe uma lista com os primeiros 22 nomes da equipe. Segundo ele, as informações prestadas pelos técnicos da Casa Civil vão ajudar nesse processo de transição.




Coordenador de governo de transição - Onyx Lorenzoni: Tivemos a possibilidade de poder conversar com as áreas técnicas da Casa Civil, que já nos permitiram ter uma visão das áreas que foram escolhidas pelo atual governo, dos avanços obtidos e daquilo que está ainda por ser alcançado, e que vai permitir que o presidente Jair Bolsonaro possa ter relatórios que vão dar condição a que ele decida, junto com a equipe final, aquilo que vai ser implementado no curto, no médio e no longo prazo a partir de 1º de janeiro.




Repórter Danielle Popov (ao vivo): O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que também participou da reunião, afirmou que o governo pretende garantir as melhores condições para o processo de transição.




Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Queremos fazer um transição da mais absoluta tranquilidade, dando ao próximo presidente e a toda a sua equipe, condições, as melhores possíveis, de conhecer como está o governo, para onde nós estamos caminhando e tudo aquilo que nós estamos fazendo e o que projetamos ainda fazer. Naturalmente que o novo governo é que ditará o rumo a partir do dia 1º de janeiro de 2019.




Repórter Danielle Popov (ao vivo): Onyx Lorenzoni adiantou que o presidente eleito Jair Bolsonaro vem a Brasília na próxima semana para conhecer a estrutura de governo. Ao vivo, Daniele Popov.




Nasi: O número de mortes nas rodovias federais está menor este ano em comparação com o ano passado.




Gabriela: De acordo com balanço divulgado hoje pela Polícia Rodoviária Federal, foram quase 4 mil mortes de janeiro a setembro deste ano.




Nasi: Número 15% menor do que no mesmo período do ano passado.




Repórter Gabriela Noronha: O balanço de 2018 divulgado pela Polícia Rodoviária Federal mostra uma redução na violência do trânsito em rodovias federais. Além da diminuição das mortes, também caiu o número de feridos em 10%, e o total de acidentes em 22%. De acordo com o diretor-geral da PRF, Renato Dias, o maior investimento em tecnologia ajudou na fiscalização das estradas.




Diretor-geral da PRF - Renato Dias: A PRF trabalha praticamente com todos os sistemas informatizados, sistema móvel PRF, todo policial rodoviário federal trabalha com seu smartphone que tem esse sistema e ali ele recebe online os alertas e as determinações em relação ao nosso Núcleo de Ciências de Dados que trabalha levantando os pontos críticos na rodovia e nisso tem todo um planejamento operacional para direcionar a fiscalização para esses pontos críticos.




Repórter Gabriela Noronha: A Polícia Rodoviária Federal conta hoje com um efetivo de cerca de 10 mil agentes que fiscalizam mais de 70 mil quilômetros de rodovias federais. Só de janeiro a setembro deste ano, equipes da PRF fiscalizaram mais de 7 milhões de veículos. E para continuar reduzindo os acidentes, foi lançada nesta quarta-feira uma Campanha Nacional de Conscientização no Trânsito. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, fala sobre alguns desafios.




Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Antes as pessoas ouviam apenas com o celular, agora, como tem imagem, elas desviam o olhar da estrada e isso aumenta a possibilidade de acidentes, por isso mesmo, não use celular quando estiver dirigindo. Em segundo lugar, os próprios pedestres que também andam e caminham olhando para o celular e desatento, isso aumenta a possibilidade de ocorrência de incidentes. Fora disso, a bebida e também o desrespeito à regra do trânsito.




Repórter Gabriela Noronha: Um dos vídeos da campanha alerta sobre o excesso de velocidade que ainda é o responsável por 12% dos acidentes nas estradas.




"Pra quê a pressa?".




"É, tem que respeitar os limites de velocidade".




"Só ultrapasse com segurança e em locais permitidos".




"A pressa faz muita gente se acidentar".




"Evitar acidentes também é com você, mas se acontecer, ligue pra gente, 191, Polícia Rodoviária Federal".




Repórter Gabriela Noronha: O balanço também mostrou os números das fiscalizações da PRF este ano, foram apreendidas quase 230 toneladas de maconha, mais de 14 toneladas de cocaína, além de mais de 5 mil veículos recuperados. Reportagem, Gabriela Noronha.




Gabriela: O Brasil tem reduzido o número de mortes de crianças com até cinco anos de idade nos últimos 40 anos.




Nasi: Resultado de ações de governo na área de saúde.




Gabriela: Os dados fazem parte de uma pesquisa divulgada hoje pelo IBGE.




Nasi: Os estudos apontam o aumento no número de nascimentos e informações sobre registros de nascimento, casamento, divórcios e mortes repassados pelos cartórios de todo o país.




Repórter Natália Koslyk: No ano passado foram registrados quase 2,9 milhões nascimentos no país, crescimento de 2,6% em relação ao ano anterior e a mortalidade de crianças de até 5 anos de idade diminuiu. Quarenta anos atrás, as mortes nessa faixa etária representavam 33,5%, agora o percentual caiu para 2,8, queda que a gerente de pesquisa, Clívia Oliveira, atribui aos avanços nas políticas públicas.




Gerente de pesquisa - Clívia Oliveira: É um avanço das várias iniciativas do governo que têm contribuído para isso, não só para o aumento de cobertura dos registros de nascimento e óbito, quanto às várias políticas voltadas para queda dos óbitos infantis.




Repórter Natália Koslyk: Uma das iniciativas que contribui para a redução da mortalidade de crianças é o Estratégia Saúde da Família. O programa promove visitas às casas dos pacientes para melhorar a qualidade de vida e intervir nos fatores que colocam a saúde em risco. É o que explica o Dr. Pedro Alexandre Barreto Coelho, médico da família.




Médico da família - Pedro Alexandre Barreto Coelho: A gente é capaz de lidar da maior parte dos problemas mais prevalentes na população, desde o pré-natal de baixo risco até acompanhar a família e o fim de vida das pessoas.




Repórter Natália Koslyk: Nesta quarta-feira, foi dia de consultar o paciente Oliver, de cinco meses.




Médico da família - Pedro Alexandre Barreto Coelho: Ei, Oliver! Caderneta dele? Joia. E as vacinas estão em dia?

 

Entrevistada - Fernanda Rangel: Tudo em dia.




Médico da família - Pedro Alexandre Barreto Coelho: Joia.




Repórter Natália Koslyk: A mãe do bebê, Fernanda Rangel, recebe acompanhamento da equipe da saúde da família desde o comecinho da gestação e fala sobre a importância desse trabalho.




Entrevistada - Fernanda Rangel: Eles sempre estão com a gente, nos ajudando, nos assistindo em tudo, questão de alimentação, vacinas, consultas, os cuidados tudo direitinho, a atenção que ele tem com o paciente também está muito bom.




Repórter Natália Koslyk: A pesquisa do IBGE mostrou que a mulher está se casando mais tarde, o que colabora para o crescimento da taxa de fecundidade depois dos 30 anos de idade, em dez anos, aumentou quase 10% o número de mães nessa faixa etária, elas foram responsáveis por 35% dos nascimentos registrados no ano passado. Os dados da pesquisa também mostram que o número de casamentos registrados caiu 2,3% em relação ao 2016, apesar de aumento de 10% nas uniões homoafetivas. E os divórcios aumentaram 8,3%, com uma taxa de quase dois divórcios e meio para cada mil pessoas. Reportagem, Natália Koslyk.




Gabriela: O processo de interiorização de imigrantes venezuelanos de Roraima para os outros estados teve hoje mais uma etapa.




Nasi: Um voo da Força Aérea Brasileira levou 39 imigrantes para Curitiba, onde eles vão ser acomodados em dois abrigos.




Gabriela: Viviane Esse, representante da Casa Civil, explica que a transferência dos venezuelanos desafoga a demanda por serviços públicos em Roraima.




Nasi: Segundo ela, a interiorização também dá aos imigrantes a possibilidade de começar uma vida nova.




Representante da Casa Civil - Viviane Esse: Ajuda os brasileiros em Roraima, que têm toda a sua vida modificada por esse movimento migratório que é o maior que já vivenciamos também, e também ajudamos de forma acolhedora os nossos vizinhos venezuelanos e essa já é a maior ajuda humanitária que o Brasil faz em território nacional. É um processo voluntário e eles podem ir para qualquer uma das unidades da Federação, hoje aproximadamente 3 mil imigrantes já participaram desse processo promovido pelo governo brasileiro, com o apoio da ONU e de parceiros da sociedade civil e entidades religiosas.




Gabriela: Amanhã outros 46 imigrantes vão ser transferidos para a cidade de Guarulhos, em São Paulo.




Nasi: Já faz quase três anos que a cidade de Mariana, em Minas Gerais, sofreu o maior desastre socioambiental do país.




Gabriela: Mais de 32 milhões de metros cúbicos de rejeitos de mineração foram lançados no meio ambiente, com o rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco.




Nasi: A lama atingiu o Rio doce e foi até o Espírito Santo, chegando no Oceano Atlântico.




Gabriela: Em resposta ao desastre, a mineradora e suas acionistas criaram a Fundação Renova, encarregada de executar as medidas de recuperação.




Nasi: E hoje o comitê que acompanha os trabalhos da fundação apresentou um balanço dessas ações.




Repórter Leandro Alarcon: Em 5 de novembro de 2015, o rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, deixou um rastro de destruição. A vida dos moradores da região de Mariana, em Minas Gerais, foi transformada pelos poluentes que ultrapassaram a Barragem de Santarém até o Rio Doce. A presidente do Ibama, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Suely Franco, lembra que a catástrofe levou a vida de 19 pessoas e os danos socioambientais foram incontáveis.




Presidente do Ibama - Suely Franco: Ninguém nunca tinha tido uma experiência de um desastre dessas dimensões, a natureza tem seu tempo. Você não faz recuperação ambiental em dois, três anos, isso não existe, né? Então, há todo, principalmente nos de recuperação ambiental, nós temos a perspectiva ainda de 15 anos de trabalho, mais ou menos, pela frente.




Repórter Leandro Alarcon: O comitê criado para acompanhar a reparação às famílias e ao meio ambiente apresentou um balanço das ações desenvolvidas. A Fundação Renova deve repassar mais de R$ 53 milhões para gastos extraordinários a 39 municípios, sendo 35 em Minas Gerais e 4 no Espírito Santo. União e estados já receberam da Renova cerca de R$ 20 milhões, o que representa 74% do previsto em ações de recuperação que foram executadas até março de 2016. Das 21 mil famílias cadastradas, 7 mil começaram a ser indenizadas, mas a presidente do Ibama, Suely Franco, quer mais agilidade nos pagamentos.




Presidente do Ibama - Suely Franco: A gente tem que conseguir colocar os programas relacionados a pagamentos de indenização de uma forma mais ágil do que tem ocorrido até agora.




Repórter Leandro Alarcon: Obras de reconstrução e de recuperação ambiental estão em andamento. Além de monitorar a qualidade da água, o programa de recuperação de nascentes assegurou proteção de mais de mil nascentes. A meta é atingir 5 mil em dez anos. Ao todo, são 42 programas socioeconômicos e ambientais, com a aplicação de R$ 20 bilhões em 15 anos. Reportagem, Leandro Alarcon.

 

Gabriela: A Rússia decidiu reabrir o mercado para a importação de carne suína e bovina do Brasil.




Nasi: Pelo Twitter, o presidente Michel Temer agradeceu ao presidente russo Vladimir Putin pela decisão.




Gabriela: O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que está em missão oficial em Dubai, nos Emirados árabes, divulgou uma mensagem comemorando a decisão do governo russo.




Ministro da Agricultura - Blairo Maggi: Desde dezembro, nós esperávamos ter a reabertura do mercado de carnes suínas e bovinas para a Rússia, uma coisa muita desejada, muito esperada pelos produtores, suinocultores brasileiros, principalmente. É difícil abrir mercado, é fácil perder mercado, é muito mais difícil reconquistar os mercados. Então, estamos todos muito felizes hoje pela reabertura desse mercado.




Nasi: O Brasil avançou 33 posições no ranking de comércio exterior do Banco Mundial.




Gabriela: O documento divulgado hoje avalia a facilidade de fazer negócios em um país, o que possibilita a criação de empregos e estimula investimentos.




Nasi: Ações de governo, como o Portal Único de Comércio Exterior, contribuíram para o desempenho.




Gabriela: O presidente Michel Temer afirmou em uma rede social que a melhora do Brasil no ranking mostra que a reforma trabalhista realizada pelo governo trouxe o Brasil para o século 21 e que o país está pronto para avançar ainda mais nas reformas que beneficiam a população.




Nasi: Para o presidente, o compromisso do governo é melhorar o ambiente de negócios para pequenas e médias empresas.




Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.




Nasi: Uma realização de Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.




Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.




Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU, e em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional, uma boa noite.




Gabriela: Uma boa noite e até amanhã.




"Brasil, Ordem e Progresso".