26 de dezembro de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Feriado de Natal com menos acidentes nas estradas federais. Balanço da Operação Rodovida aponta redução de mais de 13% no número de acidentes em relação ao ano passado. E mais de 70 mil motoristas foram flagrados por excesso de velocidade. Não gostou do presente de Natal? Ele veio com defeito ou não é do tamanho correto? Vamos falar quais direitos você tem na hora de trocar os presentes. E a Voz do Brasil foi até a Antártica para acompanhar de perto o trabalho de militares e pesquisadores por lá. Pesquisas que trazem benefícios para o país e o planeta.

audio/mpeg voz 26dez.mp3 — 45052 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 26 de dezembro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Feriado de Natal com menos acidentes nas estradas federais.

 

Gabriela: Balanço da Operação Rodovida aponta redução de mais de 13% no número de acidentes em relação ao ano passado.

 

Nasi: E mais de 70 mil motoristas foram flagrados por excesso de velocidade.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Não gostou do presente de Natal?

 

Gabriela: Ele veio com defeito ou não é do tamanho correto?

 

Nasi: Vamos falar quais direitos que você tem na hora de trocar os presentes.

 

Gabriela: E a Voz do Brasil foi até a Antártica para acompanhar de perto o trabalho dos militares e pesquisadores por lá.

 

Nasi: Pesquisas que trazem benefícios para o país e o planeta. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: O Brasil é um dos países mais próximos geograficamente e sofre influência direta dos fenômenos antárticos. Entender esse ambiente é fundamental.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br .

 

Gabriela: A Polícia Rodoviária Federal divulgou hoje um balanço do movimento nas estradas durante o feriado prolongado de Natal.

 

Nasi: Foram mais de 1.100 acidentes nas rodovias federais brasileiras de sexta-feira até ontem.

 

Gabriela: Mesmo com um dia a mais do que no ano passado, o feriado de Natal teve menos acidentes este ano.

 

Nasi: A repórter Danielle Popov conversou hoje com um representante da Polícia Rodoviária Federal e traz os detalhes, ao vivo, aqui para a gente. Boa noite, Daniele.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite a todos. A Operação Rodovida abordou mais de 155 mil pessoas nas estradas federais entre 21 e 25 de dezembro, foram registrados 1.166 acidentes, um pouco menos do que no ano passado, quando foram mais de 1.350 acidentes, isso mesmo com um dia a mais de feriado em 2018. Dessa vez, o policiamento foi reforçado nos pontos mais perigosos em comparação com outros anos. O coordenador de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal, Diego Brandão, diz quais foram os principais flagrantes nas rodovias.

 

Coordenador de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: Nós temos o excesso de velocidade com maior número de flagrantes, ajudado pela tecnologia também dos radares, mas ainda é preocupante, nós temos mais de 72 mil flagrantes de excesso de velocidade. Junto a esse excesso de velocidade, temos as ultrapassagens indevidas, mais de 8 mil. Então, juntando essas duas, as campeãs, assim por dizer, nós temos ainda uma conduta do motorista muito imprudente, é lesiva ao trânsito, porque juntando os dois, excesso de velocidade e ultrapassagem indevida, nós temos geralmente temos a colisão frontal, que é responsável por um terço das mortes em rodovias federais.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): Também foram flagrados mais de 1.900 motoristas dirigindo após terem ingerido bebida alcoólica, um flagrante a cada 21 testes de bafômetro. Mais de 5 mil foram flagrados sem cinto de segurança. Morreram 89 pessoas em acidentes no feriado de Natal. Diego Brandão, da Polícia Rodoviária Federal, diz que apesar do aumento de fiscalização, de equipamentos e operações, o motorista ainda precisa se conscientizar.

 

Coordenador de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: Fiscalização faz parte da solução do problema também, mas a conscientização é uma parte importantíssima. Vendo os números, em si, nós temos quase 2 mil pessoas flagradas dirigindo alcoolizadas, nós temos mais quase 6 mil pessoas flagradas sem o cinto de segurança, mais de mil crianças sendo transportadas fora da cadeirinha, do equipamento de segurança. Então, veja que ainda falta a conscientização do motorista para que a gente diminua o número de acidentes e de mortes.

 

Repórter Danielle Popov (ao vivo): A Polícia Rodoviária Federal também apreendeu drogas, armas de fogo, veículos roubados e foram presas 677 pessoas. A Operação Rodovida é feita desde 2011, ela reforça a fiscalização das estradas federais até o período de Carnaval. Ao vivo, Danielle Popov.

 

Gabriela: Dia 26 de dezembro no comércio é sempre igual, é a tradicional data para trocar os presentes de Natal.

 

Nasi: E os motivos são os mais variados.

 

Gabriela: E quais são os direitos do consumidor para trocar um produto?

 

Nasi: É sobre isso que nós vamos conversar, ao vivo, aqui com o repórter Pablo Mundim, que está com a gente no estúdio.

 

Gabriela: Olá, Pablo, boa noite. Você visitou hoje um shopping aqui em Brasília, qual é o principal motivo das trocas de presentes de Natal?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi, principalmente a você, ouvinte da Voz do Brasil. Os presentes de Natal nem sempre agradam, por causa da cor ou modelo, às vezes não são do tamanho certo e tem ainda aqueles que vêm com defeito, e aí é preciso trocar. O Código de Defesa do Consumidor estabelece as regras para trocas em todas essas situações, mas eu conversei hoje com vários consumidores e nem todo mundo sabe exatamente quais são os direitos do consumidor. Caso, por exemplo, da assistente social Meirilande de Souza e da psicóloga Célia de Almeida.

 

Assistente social - Meirilande de Souza: Eu não sei de cor, porque é difícil você saber tudo o que está no Código do Consumidor.

 

Psicóloga - Célia de Almeida: A gente sabe, assim, mais ou menos, né? Tipo, que normalmente você tem um prazo para trocar.

 

Nasi: Então, Pablo, vamos falar, então, sobre essas regras. A loja é obrigada a trocar?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Só em caso de defeito, isso é o que diz o Código de Defesa do Consumidor, para produtos comprados em lojas físicas. E aí é bom observar os prazos, que mudam de acordo de tipo de produto. No caso de itens duráveis, que são, por exemplo, roupas, eletrodomésticos, móveis, celulares, o consumidor tem até 90 dias para apresentar a reclamação. Para produtos não duráveis, como alimentos, flores e bebidas são 30 dias.

 

Gabriela: Pablo, e no caso de o consumidor descobrir o defeito num eletrodoméstico, por exemplo, depois desse prazo?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Aí o prazo começa a contar quando o consumidor descobre o defeito. Em qualquer um desses casos, o fornecedor tem 30 dias para consertar a falha. Depois desse prazo, aí, sim, o consumidor pode exigir a troca do produto ou a devolução do dinheiro. Além disso, quando se trata de produto considerado essencial, como fogão e geladeira, ou quando o conserto pode comprometer as características do produto, a troca deve ser imediata.

 

Nasi: Então, Pablo, aquelas trocas que são bem comuns por causa de tamanho ou modelo, não são obrigatórias.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Não, não são, Nasi, mas muitas lojas fazem essas trocas. Eu conversei com o diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, Gabriel Reis, e ele explicou quando essas trocas são possíveis.

 

Diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - Gabriel Reis: O Código de Defesa do Consumidor não obriga a trocar um produto em perfeito estado, porém, se a loja tem uma política de trocas, ela precisa cumprir essa política exatamente como foi dita ao consumidor.

 

Gabriela: Agora, Pablo, as compras pela internet têm regras diferentes, né?

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Tem sim, Gabriela. Se a compra foi pela internet, catálogo, telefone ou qualquer outra forma que não seja em loja, o consumidor tem direito a desistir e pedir a troca em até sete dias a partir do recebimento do produto, independente do motivo. O prazo para a troca é o mesmo da loja física, 30 dias. O diretor Gabriel Reis também deu algumas dicas para o consumidor não ter dor de cabeça, vamos ouvir.

 

Diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - Gabriel Reis: Primeiro é importante que o consumidor compre em lojas confiáveis. Depois, se houver algum problema, o primeiro lugar onde o consumidor tem que ir é o próprio estabelecimento, é o próprio fornecedor. Se não for possível, os Procons estão à disposição, seja pelo atendimento presencial, como também telefônico. Se o consumidor for lesado, ele também pode procurar o Poder Judiciário ou até uma delegacia de polícia, caso haja um dano efetivo a ele.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): E uma última dica, produtos importados vendidos em lojas ou sites no Brasil seguem as mesmas regras dos nacionais, devem trazer etiquetas, rótulo e manuais em língua portuguesa. Nasi e Gabriela.

 

Nasi: Obrigado, Pablo, então, pelos esclarecimentos, ao vivo, aqui no estúdio do Voz do Brasil.

 

Gabriela: Manter a Carteira de Vacinação dos filhos em dia.

 

Nasi: E para as grávidas realizarem o pré-natal.

 

Gabriela: Alguns dos compromissos de quem recebe o Bolsa Família.

 

Nasi: Daqui a pouco vamos mostrar como as condicionalidades do programa ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas que recebem o benefício.

 

"Primeiro de janeiro de 2019, dia de celebrar o Brasil, dia de celebrar a nossa democracia, dia da posse do presidente eleito Jair Bolsonaro. A NBR e a Rede Nacional de Rádio vão mostrar todos os detalhes da cerimônia, ao vivo, a partir das 10h da manhã. Não perca, acompanhe tudo no canal de TV da NBR, no satélite da Voz do Brasil, nos perfis da NBR no Youtube, Twitter e Facebook, e você ainda pode participar da transmissão mandando mensagens para o nosso WhatsApp. O número é: (61) 99867-8787. Cerimônia de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, dia 1º de janeiro a partir das 10h da manhã".

 

Gabriela: Caminhada, musculação e futebol, atividades esportivas mais praticadas pelos brasileiros.

 

Nasi: É, e o número de pessoas que fazem esportes está aumentando.

 

Gabriela: Segundo o Ministério da Saúde, 37% da população pratica atividades físicas regularmente.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Devagar se vai ao longe, o velho ditado é cumprido à risca por cerca de um terço dos brasileiros que se exercitam regularmente, 33,6% da população considerada ativa pratica caminhada e chega mais longe também no tempo de vida. Atividade física regular é fundamental para prevenir as doenças como obesidade, hipertensão e diabetes, responsáveis por 76% das mortes ocorridas no país, explica Michele Lessa, coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde.

 

Coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde - Michele Lessa: Nós temos 76% das causas de mortes no Brasil são por doenças crônicas não transmissíveis. Então, incluindo essas doenças e outras como o câncer, e todas elas são preveníveis, podem... grande parte delas pode ser prevenida por uma alimentação mais saudável e atividade física regular.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Os números fazem parte do levantamento de vigilância dos fatores de risco e proteção das doenças crônicas por inquérito telefônico, o Vigitel, do Ministério da Saúde. A caminhada é seguida pela musculação na preferência dos praticantes de atividades físicas, 17,7% dos entrevistados frequentam academia e 11,7% jogam futebol. A pesquisa também revelou o aumento de outras modalidades entre os esportistas, as artes marciais cresceram 194% e a corrida 109%. A servidora pública Cássia Espínola começou a correr há cinco anos e já viu a saúde mudar radicalmente nesse período.

 

Servidora pública - Cássia Espínola: Me deu mais disposição, melhorou muito meu condicionamento físico, ajuda também no emagrecimento e sem falar nas amizades que você acaba criando.

 

Repórter Ricardo Ferraz: A Organização Mundial de Saúde considera ativas as pessoas que realizam ao menos 150 minutos de atividade física moderada ou 75 de minutos de atividade intensa por semana. Segundo o Vigitel, 37% da população brasileira é ativa, número que vem crescendo a cada ano, mas é preciso aumentá-lo ainda mais, explica Michele Lessa.

 

Coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde - Michele Lessa: Ainda não alcançamos o ideal, mas mostra que a população está buscando, principalmente a população adulta, praticar cada vez mais atividade física. O ideal é que toda a população brasileira adulta tenha a prática de atividade física.

 

Repórter Ricardo Ferraz: Para aumentar o hábito da população em praticar exercícios, o Ministério da Saúde já implantou 3.800 academias da saúde, espaços públicos com aparelhos de ginástica localizados nas proximidades nas Unidades Básicas de Saúde. Reportagem: Ricardo Ferraz.

 

Nasi: Quem recebe o Bolsa Família deve cumprir uma série de compromissos para continuar recebendo o benefício.

 

Gabriela: É, Nasi, são as chamadas condicionalidades.

 

Nasi: Na área de saúde, por exemplo, as grávidas devem realizar o pré-natal e todas as crianças têm que estar com a carteirinha de vacinação em dia.

 

Gabriela: Ações que melhoram a qualidade de vida de quem recebe o benefício.

 

Repórter Pâmela Santos: A cada seis meses, Patrícia Rodrigues Vaz, de 23 anos, caminha até o posto de saúde perto de sua casa para fazer o acompanhamento dos três filhos. Iasmim, de 5 anos, Miguel, de 4 anos, e Helena, de 2 anos. A família mora em Padre Bernardo, município a 246 quilômetros de Brasília, e é beneficiária do Bolsa Família. Nos últimos meses, a frequência dos acompanhamentos de saúde aumentou, Patrícia está grávida de oito meses e não perde uma consulta de pré-natal. Com a saúde em dia, Patrícia mantém o Cadastro Único para programas sociais do governo federal atualizado, foi assim que ela começou a receber as visitas semanais do Criança Feliz. O programa auxilia os pais no desenvolvimento da pequena Helena e do bebê que está por vir. Muito além de contar com a renda do Bolsa Família, Patrícia sabe bem que acompanhar a saúde dos filhos é garantia de uma vida muito mais saudável.

 

Entrevistada - Patrícia Rodrigues Vaz: O dinheiro do Bolsa Família ajuda muito, e com esse dinheiro cada vez mais me ajudando, eu posso comprar fruta, verdura, o que eles precisarem para eles se manterem sempre saudáveis. Eu sei que eles estão saudáveis porque eles vêm no posto de saúde.

 

Repórter Pâmela Santos: Assim como Patrícia, mais de 8,8 milhões famílias estão sendo acompanhadas dentro das condicionalidades de saúde do Bolsa Família. São cerca de 5,6 milhões crianças com o cartão de vacinação em dia, e mais de 364 mil gestantes que realizaram o pré-natal. Segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o Bolsa Família é um programa de transferência de renda condicionada e as condicionalidades, sejam elas de saúde ou educação, têm como finalidade melhorar a qualidade de vida de quem é beneficiário do programa.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Mais do que uma obrigação das famílias, é um grande benefício adicional que o Bolsa leva consigo, de um lado criando uma obrigação para a família, mas, de outro lado, agregando um enorme valor à transferência de renda, que é o melhor cuidado com a saúde dos beneficiários.

 

Repórter Pâmela Santos: Levar as crianças menores de 7 anos para tomar as vacinas, pesar, medir, avaliar o crescimento e o desenvolvimento é um dos principais compromissos dos beneficiários do programa. Além da saúde, a frequência escolar é outro compromisso assumido pelas famílias. As condicionalidades são ferramentas usadas pelo poder público para identificar as vulnerabilidades sociais e melhorar a oferta e a qualidade dos serviços prestados à população. Reportagem: Pâmela Santos.

 

Nasi: E melhorar a vida de quem recebe o Bolsa Família é objetivo do Plano Progredir.

 

Gabriela: Para isso, o programa incentiva o empreendedorismo e a qualificação profissional.

 

Nasi: Esta semana, a gente exibe aqui na Voz do Brasil uma série especial com projetos que têm como base as metas do Progredir.

 

Gabriela: Hoje, na segunda reportagem da série, vamos falar de uma iniciativa no Espírito Santo, que investe na educação para mudar a vida das pessoas.

 

Repórter André Luiz Gomes: Com qualificação profissional e parcerias de empresários, o Programa Gerar está transformando a realidade das pessoas da cidade de Viana, no Espírito Santo. Entre elas está Josiana Coutinho Laeber, de 36 anos, beneficiária do Bolsa Família que conseguiu voltar a estudar. A mãe de três filhos está agora no quarto semestre de Pedagogia, graças a uma bolsa de estudos parcial oferecida pelo projeto.

 

Entrevistada - Josiana Coutinho Laeber: Eu não imaginava, eu imaginava meus filhos fazendo uma faculdade. É bem satisfatório, você receber o carinho, não só da criança, da família, também, que a gente interage com todo mundo.

 

Repórter André Luiz Gomes: Como Josiana, mais de 500 pessoas tiveram acesso ao Ensino Superior por meio do Programa Gerar. Os moradores do município recebem oportunidades para melhorar de vida por meio do Ensino Superior ou de capacitações de pequena duração. Foi com o curso de garçom oferecido pelo Gerar que Daniel Peçanha, de 23 anos, conseguiu conquistar uma vaga no mercado de trabalho.

 

Entrevistado - Daniel Peçanha: Isso expandiu a minha mente em questão do mundo, de negócios, porque realmente eu sempre tive vontade de ter um negócio, só que precisa ter um curso, tem que ter um preparo, ter o conhecimento, foi o que eu busquei, eu fiz as rotinas administrativas, departamento pessoal, agora estou fazendo um curso online de gestão financeira de pequenas e médias empresas.

 

Repórter André Luiz Gomes: Experiências como essas mostram para a gestão local que as metas do programa estão sendo alcançadas, como ressalta o secretário municipal de Desenvolvimento Social de Viana, Fabrício Lacerda.

 

Secretário municipal de Desenvolvimento Social de Viana - Fabrício Lacerda: A gente entende que a educação é a porta para todas as outras que a pessoa busca alcançar. E o Programa Gerar, na verdade, vem fazer isso na vida das pessoas, essa transformação social.

 

Repórter André Luiz Gomes: De acordo com o secretário de Inclusão Social e Produtiva do Ministério do Desenvolvimento Social, Vinícius Botelho, é importante levar em conta a vocação econômica do município e estar próximo das empresas para que a política pública seja eficaz.

 

Secretário de Inclusão Social e Produtiva do Ministério Do Desenvolvimento Social - Vinícius Botelho: Essa articulação com o setor produtivo, ela é essencial para que se possa obter uma inclusão produtiva efetiva, uma inclusão produtiva que, de fato, melhore a vida das pessoas, porque isso só pode acontecer quando as pessoas conseguirem efetivamente as oportunidades no setor privado de forma independente.

 

Repórter André Luiz Gomes: O Programa Gerar de Viana foi um dos vencedores do Prêmio Progredir no início deste ano, iniciativa do governo federal. Reportagem: André Luiz Gomes.

 

Nasi: Antártica, o continente gelado. A imensidão de gelo guarda segredos que interessam o mundo todo.

 

Gabriela: E o Brasil faz parte dos países que possuem uma base de pesquisas por lá.

 

Nasi: É, Gabriela, nós acompanhamos uma das expedições à Antártica.

 

Gabriela: E nessa primeira reportagem especial, você vai saber por que a presença brasileira é tão importante e que benefícios as pesquisas podem trazer para o país e para o planeta.

 

Repórter João Pedro Neto: A Antártica é o continente mais frio do planeta e onde foi registrada a menor temperatura da Terra, quase 90 graus abaixo de zero, mas é também o mais seco, o que tem a maior média de altura e o mais isolado, e com uma área de cerca de 14 milhões de quilômetros quadrados, com mais de uma vez e meia o tamanho do Brasil, a Antártica exerce influência em toda a vida na Terra, é o que afirma o secretário de Políticas e Programas de Pesquisas e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações, Álvaro Prata.

 

Secretário de Políticas e Programas de Pesquisas e Desenvolvimento do Ministério da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações - Álvaro Prata: É parte do nosso planeta e o nosso planeta, ele é um sistema dinâmico, o que acontece numa região influencia o que acontece na outra. Então, se nós queremos conhecer o planeta Terra, sobretudo, o clima, sobretudo, a influência das correntes marinhas, a relação e a influência que há entre o ar, a água e o solo, nós precisamos conhecer o que ocorre em cada região do planeta.

 

Repórter João Pedro Neto: E esse território não é propriedade de nenhum país, e, sim, um espaço da ciência, é o que prevê o Tratado da Antártica, uma convenção internacional que estabelece regras para as atividades no continente, determina, por exemplo, que nenhum país pode ter ocupação territorial, operações militares ou explorar economicamente a região. O país aderiu ao tratado em 1975. Na década de 90, outro instrumento internacional reforçou a proteção ambiental sobre a Antártica, o Protocolo de Madri. E, de acordo com a diretora do Departamento de Conservação de Ecossistemas do Ministério do Meio Ambiente, Ana Paula Prates, o Brasil monitora de perto os impactos que provoca no continente.

 

Diretora do Departamento de Conservação de Ecossistemas do Ministério do Meio Ambiente - Ana Paula Prates: A gente formou o Grupo de Avaliação Ambiental, que chama Gaam, que faz parte desse Programa Antártica, e o grupo ambiental é responsável por fazer toda a avaliação do impacto dessas pesquisas que vão acontecer lá. E aí não só das pesquisas, a gente também é responsável por, por exemplo, tem pedidos de turismo feitos na Antártica, a gente também tem que avaliar isso, e, principalmente, a avaliação da nossa presença brasileira na Antártica.

 

Repórter João Pedro Neto: Além dos efeitos globais, o Brasil é um dos países mais próximos geograficamente e sofre influência direta dos fenômenos antárticos. Entender esse ambiente é fundamental, lembra o subsecretário do Programa Antártico Brasileiro, Paulo César Galdino.

 

Subsecretário do Programa Antártico Brasileiro - Paulo César Galdino: O continente antártico ainda é um continente inexplorado, né? Ele tem uma série de riquezas. Já foram feitos estudos aqui com possível existência de petróleo, de ouro, de uma série de minerais e você ter poder de voto sobre o que vai acontecer aqui é de suma importância para o Brasil.

 

Repórter João Pedro Neto: Na avaliação do conselheiro Rodrigo Almeida do Ministério das Relações Exteriores, a presença do Brasil no continente gelado é uma questão estratégica.

 

Conselheiro do Ministério das Relações Exteriores - Rodrigo Almeida: É importante que o Brasil esteja aí também por considerações de segurança, de estratégia, obviamente. A Antártica é um continente importante por diversas razões para o mundo inteiro. Existe uma quantidade de água doce ali impressionante e há também uma consequência do que acontece na Antártica sentida muito pelos continentes, pelos outros continentes do mundo em termos de clima, em termos de meio ambiente.

 

Repórter João Pedro Neto: De acordo com o Protocolo de Madri, qualquer mudança a respeito das condições de ocupação e exploração do continente só pode acontecer depois de 2048. Reportagem: João Pedro Neto.

 

Nasi: Mais de 19.200 vagas em cursos de faculdades e universidades particulares vão ser abertas em todo o país no ano que vem.

 

Gabriela: São 138 novos cursos em 23 estados nas 5 regiões do Brasil.

 

Nasi: As autorizações foram publicadas pelo Ministério da Educação no Diário Oficial de hoje.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU, e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".