07 de março de 2018

Destaques da Voz do Brasil: R$ 10 bilhões em crédito para investimento em segurança pública. Dinheiro está disponível para prefeituras das capitais. Em encontro com prefeitos, presidente Michel Temer reforça integração para combate ao crime. Em comemoração ao Dia da Mulher, Ministério da Saúde anuncia ações para reduzir partos cesários no SUS. Brasileiros que contribuem para garantir educação foram premiados pelo governo.

audio/mpeg VOZ070318.mp3 — 45001 KB




Transcrição


 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 7 de março de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: R$ 10 bilhões em crédito para investimento em segurança pública.

 

Nasi: Dinheiro está disponível para prefeituras das capitais.

 

Gabriela: Em encontro com prefeitos, presidente Michel Temer reforça a integração para combate ao crime.

 

Presidente Michel Temer: O objetivo é pautar a segurança pública como um dos temas fundamentais para o país.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Em comemoração ao Dia da Mulher, Ministério da Saúde anuncia ações para reduzir partos cesáreos no SUS. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: O Ministério vai criar um sistema para acompanhar de perto a quantidade de cesarianas na rede pública de saúde.

 

Nasi: Brasileiros que contribuem para garantir educação foram premiados hoje pelo Governo.

 

Gabriela: E nós vamos contar a história de um deles, um diretor de escola pública no interior de São Paulo.

 

Estudante - Daniele: Ele acreditou em mim, ele me deu oportunidades. Então às vezes isso é tudo que a gente precisa, porque saúde eu tenho, então eu preciso que alguém acredite em mim.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: O Governo colocou à disposição dos prefeitos de capitais R$ 10 bilhões para investir em segurança, principalmente em equipamentos e inteligência.

 

Gabriela: Aproximadamente 50 milhões de pessoas vivem nas capitais dos estados, 25% de todos os brasileiros.

 

Nasi: E uma semana depois de se encontrar com governadores, hoje foi a vez do presidente Michel Temer se reunir com os prefeitos das capitais brasileiras, para discutir o combate à violência no país.

 

Repórter Nei Pereira: A reunião com 23 prefeitos de capitais foi mais uma medida do presidente Michel Temer para integrar as ações de segurança pública entre Governo Federal, estados e municípios. E no encontro, no Palácio do Planalto, o Governo anunciou que uma linha de crédito do BNDES, no valor de R$ 10 bilhões, vai estar à disposição dos prefeitos das capitais para investirem em segurança. Para o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, a reunião com prefeitos para tratar do tema é uma iniciativa inédita do Governo.

 

Ministro extraordinário da Segurança Pública - Raul Jungmann: E o Brasil hoje tem um percentual da sua população vivendo nas cidades grandes, capitais metropolitanas, médias e pequenas, de mais de 80% dos brasileiros e brasileiras. Então, não faz sentido, isso ficou comprovado nessa reunião agora com os prefeitos das capitais, a importância que as cidades participem e que haja uma coordenação entre os entes federados, ou seja, entre União, estados e municípios. E nós vamos nos aprofundar nesse relacionamento.

 

Repórter Nei Pereira: Os R$ 10 bilhões fazem parte dos R$ 42 bilhões de financiamento disponíveis para projetos de segurança pública, anunciados na reunião da semana passada, entre o presidente Michel Temer e os governadores. O dinheiro deve ser usado, principalmente, no investimento de equipamentos tecnológicos de segurança, como afirma o prefeito de São Paulo, João Doria.

 

Prefeito de São Paulo - João Doria: Financiamento importante para equipamentos, tecnologia, voltado para segurança, seja para inteligência, seja para as ações preventivas na área de segurança pública.

 

Repórter Nei Pereira: A exemplo do que ocorreu na reunião com governadores, durante o encontro com prefeitos, o presidente Michel Temer voltou a falar que a criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública promove a integração da segurança entre União, estados, municípios e sociedade. Temer pediu o apoio da comunidade, participando de reuniões para discutir o assunto. Outra sugestão do presidente é que as guardas municipais sejam envolvidas na prevenção de crimes.

 

Presidente Michel Temer: Os senhores têm guardas municipais, eu acho que nós precisamos dar, se me permitem a sugestão, uma função mais efetiva, mais participativa às guardas municipais, porque de fora a parte a circunstância de, constitucionalmente, elas guardarem, digamos assim, os próprios municipais, mas evidentemente, na medida que estejam nas praças, nas ruas, diante dos colégios, elas estarão exercendo uma prevenção muito significativa.

 

Repórter Nei Pereira: O prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, afirmou que é possível contar com o apoio da Guarda Municipal na prevenção de crimes.

 

Prefeito de Salvador - Antônio Carlos Magalhães Neto: Hoje, as guardas municipais, elas estão fundamentalmente voltadas para a segurança patrimonial. Mas se a segurança patrimonial puder ser feita a partir do uso de tecnologia, as prefeituras vão ter condições de deslocar pelo menos uma parte dos seus efetivos da Guarda Municipal para estarem presentes nas ruas, aumentando a sensação de segurança, sobretudo nas grandes cidades brasileiras.

 

Repórter Nei Pereira: O ministro Raul Jungmann anunciou também o remanejamento de R$ 100 milhões do orçamento do Ministério Extraordinário da Segurança Pública para ações voltadas para a prevenção de crimes. A maior parte desse recurso vai ser aplicado em medidas de combate à violência contra a mulher e ao feminicídio. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gabriela: Desde o ano passado, o Ministério da Agricultura vem trabalhando novos modelos de auditoria para garantir a qualidade da carne brasileira.

 

Nasi: E um decreto publicado hoje, no Diário Oficial da União, determina centralizar a fiscalização dos frigoríficos.

 

Gabriela: A intenção do Governo é acabar com possíveis influências políticas e dar respostas mais rápidas para os problemas que forem encontrados pelos fiscais.

 

Repórter Luana Karen: A partir de agora, o Governo Federal vai centralizar a fiscalização dos laboratórios que inspecionam os frigoríficos do país. A medida vinha sendo gestada desde o ano passado, após a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que revelou um esquema para liberar a comercialização de carne imprópria para consumo humano. Segundo o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, o Governo espera, com a medida, acabar com influências políticas na fiscalização de produtos de origem animal.

 

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Maggi: Esse é um compromisso que o Ministério da Agricultura assumiu ainda em 2017, naquele período da Carne Fraca, de diminuir ou extinguir qualquer possibilidade de interferências políticas dentro do processo de fiscalização, de sanidade, saúde animal e coisa parecida.

 

Repórter Luana Karen: O país vai ser dividido em dez regiões e a fiscalização vai passar a ser comandada pelo Sistema de Inspeção de Produtos de Origem Animal, ligado ao Ministério da Agricultura, como explicar o ministro Blairo Maggi.

 

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Maggi: Para cada uma dessas regiões, um número de frigoríficos que ficará subordinado a uma pessoa, dentro do Sipoa, que chama, e ele terá a responsabilidade de conversar diretamente, então, com os fiscais que estão nessas unidades, para que ele possa, imediatamente, atuar e resolver, e mediar os problemas que esse setor sempre tem.

 

Repórter Luana Karen: O ministro da Agricultura também disse que está mantendo informados os mercados da União Europeia e outros países, sobre os desdobramentos da terceira fase da Operação Carne Fraca, deflagrada nesta semana pela Polícia Federal. Blairo Maggi também afirmou que, desde o ano passado, foram tomadas várias medidas para melhorar o sistema de defesa agropecuário. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: E uma nova plataforma promete impulsionar o escoamento dos produtos do agronegócio no país.

 

Gabriela: Lançado hoje pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o sistema desenvolvido pela Embrapa mostra os gargalos e identifica as melhores rotas e formas de transporte, para que a produção possa chegar às indústrias e a outros países de maneira mais rápida e mais barata.

 

Nasi: O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, defendeu que melhorar a logística de transporte é essencial para diminuir as perdas do setor.

 

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Maggi: É um estudo que quer ajudar o Governo a tomar as decisões. Ele não é um plano de fazer rodovias, ferrovias e hidrovias, mas de dizer se a ferrovia 'A' ou a hidrovia 'B' e a rodovia 'C' forem construídas nesses trechos ou melhoradas nesses trechos, a carga ficará mais barata e o Brasil será mais competitivo.

 

Gabriela: O sistema já está disponível na internet, no endereço embrapa.br/macrologistica.

 

Nasi: Todos em prol da educação.

 

Gabriela: Hoje, o presidente Michel Temer homenageou 110 pessoas com a Ordem Nacional do Mérito Educativo.

 

Nasi: A condecoração foi criada em 1955, e desde então, é entregue a quem teve uma trajetória de dedicação à área, com relevantes serviços prestados ao país.

 

Repórter Paulo La Salvia: O cartunista, desenhista e criador da Turma da Mônica, Maurício de Souza, foi um dos agraciados pelo conjunto da obra. Ele destacou o trabalho da sua fundação, que ajudou milhões de crianças a descobrir as primeiras letras.

 

Cartunista - Maurício de Souza: Provavelmente, eu estou ajudando a alfabetizar muitos brasileiros, talvez alguns milhões de brasileiros, com o nosso trabalho. E é a minha melhor condecoração.

 

Repórter Paulo La Salvia: E as homenagens não pararam por aí. Luiz Carlos Batista recebeu do próprio presidente Michel Temer a Ordem Nacional do Mérito, uma forma de destacar a ação heroica de sua esposa, Heley de Abreu Silva Batista. Ela morreu no ano passado, ao salvar crianças de um incêndio provocado na creche onde trabalhava, no município de Janaúba, Minas Gerais. Luiz Carlos se disse emocionado pela lembrança.

 

Entrevistado - Luiz Carlos Batista: Em nome da minha esposa Heley, que ali, num ato de amor, de bravura, um ato nobre, ela ter doado a vida para o próximo.

 

Repórter Paulo La Salvia: O ministro da Educação afirmou que educar é abrir oportunidades e horizontes, o que permite um futuro decente. Mendonça Filho também destacou iniciativas do Governo na área.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Investimento de mais de R$ 1 bilhão na formação de professores, melhorando programas antigos, como o Pibid, e ampliando oportunidades com o Programa da Residência Pedagógica, a reforma do ensino médio, tão debatida durante tanto tempo, e que não saía do lugar, e que agente pôde avançar.

 

Repórter Paulo La Salvia: Já o presidente Michel Temer foi enfático ao afirmar que nenhum país vive sem educação.

 

Presidente Michel Temer: Nenhum governante tem o direito de negligenciar a educação. Aliás, investir em nossos jovens é construir um futuro, vou dizer o óbvio, de mais prosperidade, de mais dignidade e mais cidadania. Eu tenho a honra de presidir esta solenidade e presidir este momento no país, em que a educação, de alguma maneira, está crescendo fundamentalmente em favor dos mais pobres, dos mais carentes.

 

Repórter Paulo La Salvia: Tanto a Ordem Nacional do Mérito quanto a Ordem Nacional do Mérito Educativo estão entre as principais condecorações oferecidas pelo Governo Brasileiro no conjunto de honrarias oficiais, destinadas à sociedade civil. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: Quem também recebeu o prêmio foi um professor de 30 anos, único brasileiro selecionado para concorrer a um prêmio mundial de educação.

 

Nasi: E o que ele tem de tão especial? A repórter Gabriela Noronha conta para a gente.

 

Estudante - Daniele: Ele acreditou em mim, ele me deu oportunidades. Então às vezes isso é tudo que a gente precisa, porque saúde eu tenho, então eu preciso que alguém acredite em mim.

 

Repórter Gabriela Noronha: Daniele faz parte do grêmio estudantil da Escola Darcy Ribeiro, em São José do Rio Preto, interior de São Paulo. Quem acreditou em seu potencial foi o diretor Diego Faria Lima, que, desde 2014, assumiu o desafio de mudar a vida das crianças e adolescentes dessa escola pública. Quando começou a trabalhar na escola, o lugar estava tomado por sujeira, depredação e até salas incendiadas, sem falar nos problemas com a violência e o alto índice de criminalidade. Diante da situação complicada, Diego assumiu a responsabilidade, ouviu alunos, professores e pais, e conta que assim começou o processo de reestruturação.

 

Diretor de escola - Diego Faria Lima: Eu comecei a buscar meia lata de tinta, uma lata de tinta, todas as escolas começaram a se envolver nessa doação. Quando eu vi, eu tinha aqui na escola não somente eu e mais dois funcionários da Prefeitura me ajudando na pintura na escola, mas eu já tinha uma comunidade toda envolvida. Esse foi o primeiro reconhecimento.

 

Repórter Gabriela Noronha: O projeto mudou a realidade da escola, que já foi considerada uma das piores do estado. As salas ganharam pintura nova, o pátio, que era um ponto de venda e consumo de drogas, agora é usado para roda de leituras e conversas. Diego explica o poder de transformação da educação.

 

Diretor de escola - Diego Faria Lima: A educação transformou minha vida. Então eu também tenho que demonstrar para eles como essa educação, ela é transformadora e pode mudar a vida de cada um. Essa transformação também, ela vai refletir fora dos muros da escola, vai muito além do que se imagina.

 

Repórter Gabriela Noronha: O projeto de Diego, Minha Escola - Reconstrução Coletiva, ganhou reconhecimento nacional e internacional. O diretor é o único brasileiro entre os dez finalistas do Global Teacher Prize, um dos prêmios mais importantes do mundo da educação. Para Felipe Sigollo, secretário executivo adjunto do MEC, o trabalho de Diego serve de exemplo para todos os professores do Brasil.

 

Secretário executivo adjunto do MEC - Felipe Sigollo: Eu acho que todo mundo se lembra de um professor que marcou a sua vida, que te estimulou, que te incentivou a conseguir crescer, se desenvolver. Então, o professor Diego representa milhares de professores aqui no Brasil, ele pode estimular muito uma geração inteira a ver quão pode ser bonita a profissão de professor, o quanto pode mudar a vida das pessoas e fazer a diferença na sua comunidade.

Repórter Gabriela Noronha: Para Felipe Rodrigues, o diretor é um modelo para ele e os outros estudantes.

 

Estudante - Felipe Rodrigues: Diego é o cara gentil, mas também sabe dar bronca, ele é o cara que gosta das pessoas, gosta da escola. O Diego é essa pessoa que inspira as pessoas.

 

Repórter Gabriela Noronha: Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: 19h15 em Brasília.

 

Mais: Mais saúde para a mulher e o bebê.

 

Gabriela: Daqui a pouco vamos falar das ações anunciadas pelo Ministério da Saúde para reduzir partos cesáreos.

 

Nasi: E vamos falar também de mais investimentos para ajudar essas mulheres a planejarem melhor a gravidez.

 

Gabriela: Aumentar a eficiência da produção e integrar o jovem ao mundo do trabalho. Essas são algumas propostas do Banco Mundial para o desenvolvimento do Brasil.

 

Nasi: O banco, que é uma instituição internacional, que faz empréstimos a países em desenvolvimento, divulgou hoje dois relatórios sobre o Brasil.

 

Repórter Gabriela Noronha: Aos 22 anos, o brasiliense Valdson da Nóbrega, recém-formado em Administração, não pensava em outra coisa: um emprego com carteira assinada. Mas logo percebeu que não seria uma tarefa fácil.

 

Entrevistado - Valdson da Nóbrega: Estava bem difícil, eu estava enviando currículo para um monte de lugar, né? Então, estava meio difícil para chamar mesmo.

 

Repórter Gabriela Noronha: Tudo mudou esta semana, quando Valdson recebeu um telefonema e soube que havia conseguido uma vaga como atendente no Serviço de Atendimento ao Consumidor de Brasília. Nesta quarta-feira, no segundo dia de trabalho, ele já está cheio de planos e conta que acordou até mais disposto.

 

Entrevistado - Valdson da Nóbrega: Antes, a gente acordava cedo, mas era para fazer nada. Só que agora a gente acaba cedo para ir trabalhar, para poder mostrar o nosso potencial.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para que mais jovens, como Valdson, tenham acesso a empregos e para o Brasil crescer de forma sustentável é preciso aumentar a produtividade. A conclusão está no relatório do Banco Mundial, apresentado nesta quarta-feira em Brasília. Para Martin Raiser, diretor do banco, algumas medidas são necessárias para garantir o crescimento do país, entre elas uma ampla reforma tributária e uma maior abertura comercial.

 

Diretor do Banco Mundial - Martin Raiser: O setor da agricultura foi um dos setores que foi "abrido" à concorrência internacional, que tem pouca proteção tarifária. É, de verdade, o motor do crescimento do comércio exterior do Brasil.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Banco Mundial também orienta sobre a necessidade de criar oportunidade de trabalho para a população jovem e desempregada. Para mudar essa realidade, uma das ações propostas no relatório é a melhora da qualidade da educação. Nesse sentido, o Banco Mundial apontou a reforma do ensino médio, aprovada no ano passado, como um passo positivo. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, lembrou que o Governo tem tomado iniciativas para melhorar a produtividade do país, como a criação do teto de gastos e a reforma trabalhista, e que o Governo está se empenhando para manter o Brasil nessa trajetória de crescimento.

 

Ministro da Casa Civil - Eliseu Padilha: A recessão acabou. O Brasil cresceu 1% em 2017 e o mercado projeta expansão próxima a 3% esse ano.

 

Repórter Gabriela Noronha: Ainda de acordo com o ministro Eliseu Padilha, os relatórios do Banco Mundial são importantes para o país e ajudam o Governo a pensar as políticas públicas. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E o Brasil começou o ano com a geração de quase 78 mil vagas de trabalho em janeiro.

 

Nasi: Uma das apostas do Governo para manter esse crescimento é oferecer crédito para as empresas manterem ou contratarem empregados.

 

Gabriela: Uma das linhas de financiamento é o Programa de Geração de Emprego e Renda, o Proger. A expectativa é oferecer, este ano, aproximadamente R$ 3 bilhões em financiamentos.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: No restaurante do Renan Merloni tem comida brasileira para todos os gostos: galinhada, baião de dois, feijão tropeiro. Eles entregam por dia em média 200 pratos. E a empresa do Renan só está de vento em popa porque ele contou com uma linha de crédito do Governo Federal, que o ajudou a investir e ampliar o seu negócio. Para ele, o Proger, o Programa de Geração de Emprego e Renda, do Ministério do Trabalho, foi um divisor de águas.

 

Empresário - Renan Merloni: Com esse recurso do Proger, a gente teve um fôlego a mais, a gente conseguiu renegociar prazos e valores com os nossos fornecedores, consegui adquirir novos equipamentos para otimizar a minha produção, otimizar o meu estoque. Com isso, eu consegui dar um... Botar a empresa em outro patamar.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Desde que começou a operar, em 1995, o Proger já injetou no mercado mais de R$ 80 bilhões em crédito. Esses recursos vêm do FAT, o Fundo de Amparo ao Trabalhador, e são disponibilizados aos empresários por meio de financiamentos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. No ano passado, foram R$ 3 bilhões em crédito. Para 2018, a expectativa é que esse valor se mantenha. O Governo garante que o programa favorece o pequeno empresário, o trabalhador e o próprio FAT, que recebe todo o dinheiro disponibilizado de volta, corrigido. É o que explica Lucilene Estevan Santana, coordenadora de empreendedorismo do Ministério do Trabalho.

 

Coordenadora de Empreendedorismo - Lucilene Estevan Santana: Você tem um impacto social com essas aplicações para os beneficiários. A grande vantagem do Proger, com o custo de captação... Então, esse recurso, ele chega a um custo mais reduzido para os pequenos empresários, as taxas de juros, elas são mais baratas.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Os setores de comércio, serviço e construção são os campeões de contratação. Para saber se você pode conseguir o crédito pelo programa, basta procurar uma agência do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Gabriela: 19h20 em Brasília.

 

Nasi: Amanhã é o Dia Internacional da Mulher, e a comemoração já começou.

 

Gabriela: Foi lançada a Semana de Mobilização pela Saúde das Mulheres e ações para aumentar o parto normal no SUS.

 

Nasi: Também tem mais investimento no cuidado com a vida reprodutiva da mulher. O repórter João Pedro Neto está aqui no estúdio com a gente e explica como uma dessas políticas vai funcionar. Boa noite, João Pedro.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite a todos os ouvintes. Bom, o Ministério da Saúde vai criar um sistema de monitoramento para acompanhar a quantidade de partos cesáreas no Sistema Único de Saúde, o SUS, para incentivar o parto normal como primeira opção e reduzir cesáreas desnecessárias. Outra ação é o Projeto Parto Cuidadoso, que vai ser implantado inicialmente em 634 maternidades do país, com capacitação de enfermeiras e reforço nas ações educativas no pré-natal, para justamente estimular o parto normal. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse que as medidas reforçam o compromisso e o apreço pelas mulheres.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nosso trabalho para mulher é o parto normal, diminuir cesarianas, e todo o conjunto de políticas que as mulheres estão sendo favorecidas ou tendo suas políticas ampliadas aqui no Ministério, são uma demonstração, evidentemente, do nosso apreço pelas mulheres, que são muito parceiras do SUS, não só porque se cuidam mais, mas também porque levam seus filhos, os seus maridos, portanto são assíduas frequentadoras das nossas unidades de atendimento.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): O Ministério também vai liberar R$ 14 milhões para municípios investirem em ações de saúde sexual e reprodutiva. A secretária nacional de Políticas para as Mulheres, Fátima Pelaes, destacou a importância do cuidado com a saúde integral da mulher.

 

Secretária nacional de Políticas para as Mulheres - Fátima Pelaes: É muito importante nós termos a garantia dos direitos da mulher, da saúde integral da mulher, nesse Brasil todo, em cada canto desse país, a mulher, em toda a sua diversidade, a adolescente, a idosa, para que nós possamos garantir a saúde integral. E também em relação à questão da saúde sexual e direitos reprodutivos.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): A pesquisa nacional de saúde de 2013, divulgada nessa quarta pelo IBGE, revela que mais de 97% das gestantes com idades entre 18 e 49 anos foram atendidas pelo menos uma vez em uma consulta pré-natal, e 94% em pelo menos quatro consultas. A administradora de caixa Mirian de Souza Amorim está grávida de sete meses, do primeiro filho, e conta que, logo que descobriu a gestação, já buscou o acompanhamento.

 

Administradora de caixa - Mirian de Souza Amorim: A partir de dois meses, quando eu descobri, já fui procurar logo fazer o pré-natal. Estou fazendo tudo direitinho o pré-natal, tudo pelo SUS, e estou sendo muito bem atendida.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): As iniciativas anunciadas nesta quarta-feira fazem parte das metas previstas pelo Ministério para garantir mais acesso e cuidado à saúde da mulher até 2022, que incluem a redução da gravidez não planejada na adolescência, a inclusão de mulheres idosas nas ações de saúde sexual e a ampliação de 20% na oferta do DIU de cobre. Nasi, Gabriela, segue com vocês.

 

Gabriela: Obrigada, João Pedro, pela participação, ao vivo, na Voz do Brasil.

 

Nasi: O Governo retoma 58% de obras paralisadas.

 

Gabriela: Das 1,6 mil obras paralisadas em junho de 2016, com valor entre R$ 500 mil e R$ 10 milhões, 58% foram retomadas até dezembro de 2017.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".