08 de maio de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Fies atende parcela mais pobre da população. E dá oportunidade a milhares de estudantes de ingresso em uma universidade. É o que mostra levantamento divulgado. Operação prende quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Pará. O estado é o que mais registra fraudes no pagamento do benefício. Ministério dos Direitos Humanos organiza mutirão para tirar documentos de vítimas do desabamento de prédio em São Paulo. E você sabe o que é o telefone popular? Vamos tirar essa dúvida no nosso quadro Você na Voz.

audio/mpeg VOZ080518.mp3 — 46895 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 8 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Fies atende parcela pobre da população.

 

Nasi: E dá oportunidade a milhares de estudantes de ingresso numa universidade.

 

Gabriela: É o que mostra um levantamento divulgado hoje. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Dois milhões e seiscentos mil estudantes financiaram os estudos pelo Fies, desse total, 47% recebiam até um salário mínimo.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Operação prende quadrilha que fraudava seguro-desemprego no Pará.

 

Nasi: O estado é que mais registra fraudes no pagamento do benefício. Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: A fraude foi denunciada pelos próprios trabalhadores, que quando eram demitidos, não conseguiam sacar o benefício, retirado antes pelos fraudadores.

 

Gabriela: Ministério dos Direitos Humanos organiza mutirão para tirar documentos de vítimas do desabamento de prédio em São Paulo.

 

Nasi: E você sabe o que é o telefone popular? Vamos tirar essa dúvida hoje no nosso quadro Você na Voz.

 

Gabriela: Na apresentação da Voz do Brasil de hoje: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: O tão sonhado diploma não fica só no imaginário.

 

Nasi: É que cada vez mais estudantes de baixa renda têm acesso a programas do governo para ingressar numa universidade.

 

Gabriela: É o caso do Fies. Um levantamento do Portal Governo do Brasil mostra que 1,2 milhão estudantes que têm renda de até 1 salário mínimo acessaram o financiamento para fazer um curso superior.

 

Nasi: Isso significa que o programa atende à parcela mais pobre da população e democratiza acesso à universidade.

 

Repórter Raquel Mariano: Catarine de Arruda tem 23 anos, e ainda este ano vai receber o diploma de psicologia. Ela estuda em uma universidade particular. Catarine, mora com a mãe e cada uma recebe um salário mínimo. E para conseguir estudar recorreu ao Fies, o Fundo de Financiamento Estudantil.

 

Entrevistada - Catarine de Arruda: Eu ganhava um salário mínimo e minha mãe também, né, em carteira as duas. Então, eu diria que se não fosse pelo Fies eu não conseguiria ingressar na faculdade.

 

Repórter Raquel Mariano: E assim como Catarine, 2,6 milhões estudantes também financiaram os estudos pelo Fies de 2010 até o ano passado. O programa atinge, principalmente, a parcela mais pobre da população. Desse total, 47%, ou seja, 1,2 milhão pessoas beneficiadas recebiam até um salário mínimo, e 59% são mulheres. É o que mostra um levantamento feito pelo Portal Governo do Brasil. Segundo o diretor de políticas e programas de educação superior do Ministério da Educação, Vicente Almeida Junior, o Fies vem democratizando o acesso ao ensino superior.

 

Diretor de políticas e programas de educação superior - Vicente Almeida Junior: O Fies é bastante procurado, já que é bom lembrar que a rede de ensino superior do país, mais de 80% é rede privada. Então, o Ministério da Educação procura criar mecânicos que possibilitem o acesso do estudante a esse público-alvo.

 

Repórter Raquel Mariano: E no fim do ano passado o Ministério da Educação lançou um novo Fies, que oferece juros zero para as estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos. Agora também é possível participar do programa com renda familiar de até cinco salários mínimos. O diretor do Ministério da Educação lembra que essas novas regras possibilitam que mais estudantes possam participar do programa.

 

Diretor de políticas e programas de educação superior - Vicente Almeida Junior: Estamos agora com um novo programa sustentável, mais transparente, mais justo para o estudante, além de ter mais modalidades.

 

Repórter Raquel Mariano: Nesse ano, o Fies vai ofertar 310 mil novas vagas, dessas, 100 mil serão sem juros. O processo de seleção deste primeiro semestre já está em andamento. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: E o Enem, para quem busca uma vaga em universidades e institutos federais, está com inscrições abertas.

 

Nasi: Nas primeiras 24 horas, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, registrou mais de 1,3 milhão inscrições.

 

Gabriela: O prazo para se inscrever no Exame Nacional do Ensino Médio vai até 18 de maio e o endereço é: enem.inep.gpv.br/participante.

 

Nasi: E operação da Polícia Federal realizada, hoje, em duas cidades do Pará, desarticulou uma quadrilha especializada em fraudar benefícios de seguro-desemprego.

 

Gabriela: A fraude foi detectada por uma ferramenta do Ministério do Trabalho, capaz de identificar irregularidades na requisição do benefício.

 

Nasi: O estado é um dos que mais registram fraudes no pagamento do benefício.

 

Repórter Márcia Fernandes: O grupo de fraudadores atuava nas cidades de Marabá e Redenção, no Pará. Os servidores do Sistema Nacional de Empregos, o Sine, eram aliciados pela quadrilha e convencidos a informar a senha que dava acesso ao sistema de solicitação de seguro-desemprego, em troca do recebimento de propina. Com esses dados, os aliciadores simulavam a demissão de pessoas que ainda estavam trabalhando e sacavam o seguro-desemprego, como explica o delegado da Polícia Federal, Rômulo Rodovalho.

 

Delegado da Polícia Federal - Rômulo Rodovalho: A fraude apurada consistia em aliciar servidores do Sine para que eles, através de seus usuários, acessassem ou permitissem o acesso de terceiros ao sistema de concessão do benefício do Ministério do Trabalho. E aí eles faziam a inserção fraudulenta, para que elas recebessem indevidamente parcelas do seguro-desemprego.

 

Repórter Márcia Fernandes: O grupo realizou saques do seguro-desemprego em várias cidades do país, como São Luís, no Maranhão, Belém, no Pará, e São Paulo. A fraude foi denunciada pelos próprios trabalhadores que, quando eram demitidos, não conseguiam sacar o benefício, retirado antes pelos fraudadores. Foi registrado um prejuízo de mais de R$ 4,5 milhões. Segundo o Ministério do Trabalho, os golpes foram detectados pelo sistema antifraude, que ajuda a identificar irregularidades no pagamento do seguro-desemprego. O ministro do Trabalho, Helton Yomura, conta que desde que foi instalado, em dezembro de 2016, o sistema bloqueou quase 62 mil requerimentos.

 

Ministro do Trabalho - Helton Yomura: Isso é um importante sinal que nós estamos dando para a sociedade de que nós estamos atentos, monitorando todas as operações de seguro-desemprego que são feitas no país em tempo real e identificando essas mutações no modus operandi desses criminosos.

 

Repórter Márcia Fernandes: Os investigados vão responder por corrupção passiva e ativa, associação criminosa, inserção de dados falsos em sistemas de informação e estelionato. Eles podem ser condenados a mais de 30 anos de prisão. O Ministério do Trabalho também anunciou o desenvolvimento de uma nova plataforma, o seguro-desemprego web. Com a ferramenta, os pedidos de seguro-desemprego vão ser feitos pela internet. Além de facilitar a vida do trabalhador, a plataforma deve ajudar a diminuir o número de fraudes. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Gabriela: Hoje completa uma semana do desabamento de um prédio no centro de São Paulo depois de um incêndio.

 

Nasi: Desde então, o poder público vem trabalhando para prestar assistência às pessoas que moravam no local.

 

Gabriela: São quase 180 famílias desabrigadas. Parte delas aceitou ficar em abrigos e outra parte está acampada num local próximo ao prédio que caiu, no Largo do Paissandu.

 

Nasi: Em parceria com os governos locais, o Ministério dos Direitos Humanos está organizando um mutirão para conseguir a documentação básica dessas pessoas que perderam tudo.

 

Gabriela: Até ontem, 135 atendimentos tinham sido feitos, com emissão de Certidão de Nascimento, de Casamento e Carteira de Identidade e o foco agora é a Carteira de Trabalho, tudo de graça.

 

Nasi: E o coordenador-geral dos direitos da população em situação de rua do Ministério, Carlos Ricardo, fala da importância desse trabalho.

 

Coordenador-geral dos direitos da população em situação de rua - Carlos Ricardo: A documentação básica, ela é uma representação da cidadania para acesso a diversas políticas públicas, né? Acesso a trabalho, para fazer qualquer cadastro, seja ele na área da habitação, seja Cadastro Único, acessar benefícios como o Bolsa Família. Para qualquer tipo de acesso à política pública a documentação civil, que é a identificação da pessoa, né, o próprio título eleitoral e tudo mais, ele é essencial para o acesso aos direitos.

 

Gabriela: O turismo brasileiro continua em alta e aquecendo a economia.

 

Nasi: Depois das últimas férias, quando o Brasil registrou o melhor mês de janeiro da história, agora é a vez das férias de julho.

 

Gabriela: A expectativa de ocupação dos hotéis é grande.

 

Repórter Pablo Mundim: Segundo dados do Ministério de Turismo, o setor injeta mais de R$ 520 bilhões na economia brasileira todos os anos e gera 7 milhões de postos de trabalho. E este 8 de maio, Dia Nacional do Turismo, está sendo comemorado com expectativas ainda maiores para 2018. Estudo feito pelo segmento revela otimismo para temporada de férias escolares no mês de julho, com 85% da ocupação hoteleira já garantida, expectativa também compartilhada por Guilherme Paulus, empresário do setor.

 

Empresário - Guilherme Paulus: Porque as férias entraram no cotidiano do brasileiro, não só da época da alta temporada, quando a gente fala julho, dezembro, janeiro. A nova lei do trabalho hoje, que você pode tirar férias em dois períodos ou até três períodos, isso cresce muito para o turismo, facilita muito. As pessoas tiram para visitar os parentes ou para fazer sua viagem de lazer.

 

Repórter Pablo Mundim: E para isso, o Governo Federal tem implementado políticas e criado parcerias e metas para a segmento. É o que ressalta o Ministro do Turismo, Vinícius Lummertz.

 

Ministro do Turismo - Vinícius Lummertz: Mudanças na lei geral do turismo são 113 para desburocratizar o ambiente de negócios. Nós tivemos reformas importantes, como os vistos eletrônicos que precisamos expandir, além de Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália, hoje mesmo nós nos reunimos de embaixador da Índia. E nós estamos olhando também para a China, nós estamos olhando para outros mercados.

 

Repórter Pablo Mundim: E atrair esses mercados internacionais são justamente o principal desafio para a turismo brasileiro, de acordo com a nova presidente do Instituto Brasileiro de Turismo, Embratur, Tetê Bezerra.

 

Presidente da Embratur - Tetê Bezerra: Nós somos referência a nível mundial, um país com mais quantidades de belezas naturais, somos o oitavo no mundo em belezas culturais, e, com certeza, nós temos que promover o país.

 

Repórter Pablo Mundim: Nas férias de final de ano o Brasil registrou o melhor mês de janeiro da história, quando os turistas estrangeiros injetaram quase US$ 800 milhões na economia brasileira. Reportagem Pablo Mundim.

 

Nasi: Telefone popular.

 

Gabriela: Essa é a dúvida de um dos nossos ouvintes no quadro Você na Voz.

 

Nasi: Daqui a pouquinho a gente explica o que é esse programa e quem tem direito.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Gabriela: Há 73 anos, do dia 8 de maio de 1945, o mundo inteiro comemorava o fim da Segunda Guerra Mundial.

 

Nasi: Nem todo mundo se lembra, mas, no Brasil, o clima também era de muita alegria, não apenas pelo fim da guerra, mas pelo orgulho do país em saber que tropas brasileiras fizeram parte desta importante vitória.

 

Gabriela: Então, vamos saber mais sobre como foi essa atuação brasileira na reportagem de Marina Melo.

 

Repórter Marina Melo: O dia de hoje, 8 de maio, é comemorado mundialmente como o Dia da Vitória, que foi a data em que as tropas dos chamados países aliados, conseguiram vencer o nazismo com a derrota da Alemanha, que deu fim à Segunda Guerra Mundial. O Brasil fazia parte do grupo dos aliados e foi o único país da América do Sul a enviar combatentes para a Europa. Em 1944, 25 mil militares brasileiros chegaram à Itália para lutar ao lado dos aliados. Em cerimônia realizada nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, o ministro da Defesa interino, Joaquim Silva e Luna, falou da importância em celebrar atuação do Brasil na Segunda Guerra como forma de valorizar a cidadania nacional.

 

Ministro da Defesa interino - Joaquim Silva e Luna: O 8 de maio, o Dia da Vitória, nós rememoramos isso há 73 anos. Além de reverenciar os mortos na guerra, nossos pracinhas, nossos aviadores, os nossos marinheiros, nós lembramos também, e, principalmente, aquilo que eles defenderam, os valores e os ideais de democracia, de liberdade e de paz.

 

Repórter Marina Melo: A Marinha do Brasil viabilizou o transporte das tropas e defendeu o litoral da Itália, contribuindo para a proteção do tráfego marítimo no Atlântico Sul. O Exército compôs a Força Expedicionária Brasileira, com bravos soldados que contribuíram com vitórias importantes em batalhas como as de Monte Castelo e Montese. Já a Força Aérea Brasileira, teve importante papel na proteção do extenso litoral brasileiro e também esteve presente no Teatro de Guerra, com o primeiro grupo de caça, que impediu diversos ataques de tropas inimigas. José Cândido da Silva integrava o Primeiro Regimento de Infantaria do Exército, e foi um dos brasileiros que esteve na Itália lutando ao lado dos aliados. Hoje, prestes, a completar 95 anos de vida, ele se lembra, com emoção, do dia da tão esperada vitória.

 

Ex-combatente - José Cândido da Silva: Foi levantado o chapéu, muito direito, muita alegria, choro, tudo isso houve nos batalhões, nas... principalmente no fronte onde eu estava, onde eu atuei. Para mim foi... e para os que estão vivo ainda, foi inesquecível.

 

Repórter Marina Melo: Apesar da tristeza pela morte de mais de 400 brasileiros no combate, a participação do país na Segunda Guerra foi fundamental para a história do Brasil e para consolidar a sua posição internacional, além de ter sido algo emblemático para as nossa Forças Armadas, que, após o combate, se viram diante da necessidade de fomentar seus equipamentos e treinamentos para se tornarem o que são hoje, forças singulares, sempre prontas a defender o Brasil e o seu povo. Reportagem, Marina Melo.

 

Nasi: Ao longo do tempo, áreas de floresta foram dando lugar à ocupação do homem.

 

Gabriela: E a fauna original dessas matas, incluindo a dos papagaios, foi perdendo o ambiente necessário para a reprodução.

 

Nasi: Junto com isso, traficantes de animais silvestres capturam filhotes e ovos para comercializar nas cidades.

 

Gabriela: E várias espécies da ave entraram na lista de animais ameaçados de extinção.

 

Nasi: Mas, projetos de conservação de mais de 20 anos começam a apresentar bons resultados na recuperação dessas espécies.

 

Repórter Cleide Lopes: Em bando de milhares, papagaios ameaçados de extinção já são vistos novamente em grandes revoadas nas florestas do sul de Santa Catarina. Eles também estão voltando a biomas como a Mata Atlântica, o Cerrado, o Pantanal e a Caatinga, graças a projetos de conservação. O Programa Papagaios do Brasil, por exemplo, tem o foco nas espécies ameaçadas ou quase ameaçadas de extinção, como explica a coordenadora do Plano Nacional de Preservação dos Papagaios do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, Patrícia Serafini.

 

Coordenadora do Plano Nacional de Preservação dos Papagaios do ICMBio - Patrícia Serafini: Seis espécies hoje estão contempladas por esse plano. Em 2010, desses seis papagaios, cinco eram ameaçados de extinção, agora temos apenas quatro. O que saiu da lista foi o papagaio-de-cara-roxa, o Amazona brasiliensis.

 

Repórter Cleide Lopes: Os papagaios começaram a sumir das matas por causa da destruição do meio ambiente e do tráfico de animais silvestres, que, no Brasil, só fica atrás do tráfico de armas e drogas. O papagaio-verdadeiro, por exemplo, é capturado aos milhares no período de reprodução. A ave, dócil e capaz de repetir frases, sobrevive e se reproduz com facilidade na natureza. A coordenadora do Plano Nacional de Preservação dos Papagaios também faz um alerta.

 

Coordenadora do Plano Nacional de Preservação dos Papagaios do ICMBio - Patrícia Serafini: Então, é muito importante que as pessoas tenham isso em mente, se o cidadão brasileiro sabe que ele faz parte desse elo e é peça fundamental na tomada disso, se ele não comprar mais animais sendo do ambiente natural, não fomentar esse tráfico, não precisa nem de fiscalização.

 

Repórter Cleide Lopes: No Zoológico de Brasília, a maioria dos papagaios-verdadeiros veio de apreensões de tráfico de animais silvestres e a diretora responsável por cuidar dessas aves, Ana Cristina de Castro, fala das consequências.

 

Diretora do Zoológico - Ana Cristina de Castro: Você tira o animal da natureza, você vai botando em risco a espécie, né? Ela pode vir a ser extinta futuramente. Eles ficam em gaiolas, deixando de estar livres, deixando de se reproduzir. É muito prejuízo.

 

Repórter Cleide Lopes: Para denunciar o tráfico de animais silvestres basta ligar para o Ibama no 0800-61-8080. Reportagem, Cleide Lopes.

 

"Você na Voz do Brasil".

 

Gabriela: Telefone popular, você ouviu falar?

 

Nasi: Pois, é Gabriela, o ouvinte da voz, Cláudio Barbosa, que é lá de Pernambuco, mandou essa dúvida para a gente em nossas redes sociais. Vamos ouvir.

 

Ouvinte - Cláudio Barbosa: Olá, meu nome é Cláudio Barbosa e falo da cidade de Arco Verde, Pernambuco. Gostaria de saber se quem tem Bolsa Família tem direito ao telefone social e como faço para solicitar este benefício.

 

Gabriela: Cláudio, nós fomos buscar a resposta para você, e que também pode ajudar muita gente que tem direito e não sabe. A repórter Raquel Mariano tem as informações.

 

Repórter Raquel Mariano: Olá, Cláudio. Pois é, toda a família que possui Cadastro Único no Governo Federal tem direito de solicitar o serviço. O telefone popular funciona assim, o usuário paga uma franquia que custa um terço do preço oferecido pela operadora no seu estado e você tem acesso a 90 minutos para realizar chamadas locais para outros telefones fixos. Mas, atenção, essa franquia não acumula, isso significa que o que você não gastou naquele mês dos minutos, no mês seguinte não pode ser creditado e você volta a ter 90 minutos disponíveis. Eu conversei com Eduardo Jacomassi, gerente de universalização e ampliação do acesso da Anatel, e ele detalhou para a gente como é feita essa cobrança.

 

Gerente de universalização e ampliação do acesso da Anatel - Eduardo Jacomassi: O telefone é um telefone fixo residencial, é convencional. A diferença dele é que ele, para essas pessoas do Cadastro Único, ele tem um valor diferenciado. Então, o valor de assinatura mensal, né, que é aquele valor que a pessoa paga todo mês para a disponibilidade do serviço, ele é um terço do valor da assinatura convencional. Então, o valor da assinatura varia de acordo com o estado, né, por causa da concessionária e dos impostos que são cobrados, mas ele é um terço só do valor total de assinatura mensal.

 

Repórter Raquel Mariano: E para solicitar uma linha de telefone fixo mais barata, o processo é bem simples, é só entrar em contato com a operadora responsável pela telefonia no seu estado e solicitar uma linha para telefone fixo. É necessário que o você forneça o número do Cadastro Único quando for contratar o serviço. A linha fixa também permite fazer ligações interurbanas e para celular, mas nesses casos a cobrança é a mesma de um plano de telefone normal. Cláudio, caso você tenha algum problema na solicitação desse serviço aí em Arco Verde, a Anatel pode te ajudar. Por telefone, é só ligar no número 1331. E pela internet você pode acessar a página da Anatel ou baixar o aplicativo Anatel Consumidor, disponível para celular. É com vocês aí no estúdio.

 

Nasi: Obrigado, Raquel. E lembrando que o Cadastro Único é aquele feito em Secretarias de Assistência Social aí da sua cidade, e é com esse cadastro que é possível receber, por exemplo, o Bolsa Família.

 

Gabriela: E você, que tem dúvida sobre algum programa do Governo Federal, manda a sua pergunta aqui para a Voz do Brasil.

 

Nasi: Basta gravar uma mensagem e mandar para o nosso e-mail: voz@ebc.com.br ou no nosso WhatsApp: 61-99862-7345. Eu vou repetir: 61-99862-7345.

 

Gabriela: A nossa produção vai procurar a resposta para você. Participe.

 

Nasi: Música, danças, filmes, palestras. Diversidade é o que não falta na programação do Centro Cultural do Banco do Brasil.

 

Gabriela: O CCBB, desde que foi criado, já levou cultura a 85 milhões de brasileiros.

 

Nasi: E já está aberto o edital que vai escolher os próximos projetos que deverão se apresentar nos palcos e salas dos centros nas cidades de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

 

Repórter Gabriela Noronha: Em cena a cantora e compositora Ellen Oléria, a poeta e também cantora Elisa Lucinda, entre outras artistas criadoras. O espetáculo "L o Musical" ficou em cartaz por oito meses, passando pelos centros culturais do Banco do Brasil de Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Para o diretor e dramaturgo Sérgio Maggio, a parceria com o CCBB contribuiu para o sucesso do show.

 

Diretor e dramaturgo - Sérgio Maggio: Você entrar num edital e estar no palco do CCBB já é uma chancela de qualidade, né? Os projetos que o CCBB seleciona no edital, eles exigem ineditismo, originalidade.

 

Repórter Gabriela Noronha: Em 29 anos de atuação, os Centros Culturais do Banco do Brasil receberam mais de 85 milhões de visitantes, entre as atrações estão as exposições de artes plásticas e fotografia, apresentações de teatro, filmes, palestras, dança e música. A programação dos Centros Culturais do Banco do Brasil é definida por meio de editais públicos, que são divulgados anualmente. E os interessados em ocupar os palcos e salas têm que ficar atentos, projetos de artes cênicas, cinema, exposições e músicas já podem se inscrever no edital de 2018, como explica Karen Machado, gerente executiva da Diretoria de Marketing e Comunicação do Banco do Brasil.

 

Gerente executiva da Diretoria de Marketing e Comunicação do BB - Karen Machado: Podem saber inscritos presentes não só da cidade de onde tem os CCBB, mas do Brasil todo. Então, qualquer artista, qualquer produtor cultural de qualquer estado do Brasil pode se inscrever e se apresentar no Centro Cultural.

 

Repórter Gabriela Noronha: As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no endereço: www.bb.com.br/patrocinios até o dia 8 de junho. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: Mais de R$ 4,4 bilhões foram movimentados durante o Feirão da Caixa da Casa Própria, realizado no último final de semana em três capitais.

 

Nasi: Mais de 62 mil pessoas visitaram os estandes de venda em São Paulo, Porto Alegre e Salvador.

 

Gabriela: No Feirão é possível encontrar umas das milhares de casas e apartamentos ofertados, simular o valor da prestação e assinar contrato de financiamento.

 

Nasi: O Feirão da Caixa retorna do dia 18 de maio, em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Uberlândia, Goiânia e São Luís.

 

Gabriela: Com a definição do consórcio que continuará as obras de conclusão do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, a expectativa é que as águas cheguem ao Ceará até agosto.

 

Nasi: A informação é do ministro da Integração Internacional, Pádua Andrade. Segundo o ministro, é prioridade do governo entregar o trecho ainda este ano.

 

Gabriela: Com o Eixo Norte, que já tem mais de 90% das obras finalizadas, serão beneficiados mais de 7 milhões de pessoas em cidades no Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".