09 DE FEVEREIRO DE 2018

Destaques da Voz do Brasil: Carnaval movimenta o país. Atenção motoristas. Tem fiscalização reforçada nas estradas. Tem também operação nos aeroportos. E se vai chegar ao destino de ônibus, saiba sobre direitos e deveres dos passageiros. Lançada campanha contra o assédio no Carnaval. Presidente Michel Temer pede investigação para saber se redução da Petrobras, no preço da gasolina, chega ao consumidor. Depois de 2 anos de queda, as vendas no comércio voltam a crescer em 2017.

audio/mpeg VOZ090218.mp3 — 46881 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Carnaval movimenta o país.

 

Gabriela: Atenção motoristas: tem fiscalização reforçada nas estradas.

 

Nasi: Tem também operação nos aeroportos. Vamos saber do movimento nos terminais.

 

Gabriela: E se vai chegar ao destino de ônibus, saiba sobre direitos e deveres dos passageiros.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Lançada a campanha contra o assédio no carnaval. Alessandra Bastos.

 

Repórter Alessandra Bastos: Assédio não é paquera, denuncie, ligue 180.

 

Nasi: Presidente Michel Temer pede investigação para saber se redução da Petrobras no preço da gasolina chega ao consumidor.

 

Presidente Michel Temer: Nós vamos botar a Polícia Federal, o Cade, atrás dessa fiscalização para exatamente impedir essa espécie quase de, digamos, de agressão ao consumidor, né?

 

Gabriela: Depois de dois anos de queda as vendas do comércio voltam a crescer em 2017.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: E o feriado de carnaval já começou para muita gente que resolveu viajar nesta sexta-feira.

 

Gabriela: Então, a gente abre a Voz do Brasil com movimento nas estradas e os cuidados que você motorista precisa ter.

 

Nasi: O repórter Pablo Mundim está na principal saída aqui de Brasília de tem as informações para a gente. Uma boa noite, Pablo, como é que está por aí?

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite ouvintes da Voz do Brasil. Oficialmente o carnaval só começa neste final de semana, mas, para muitos, o feriadão já começou. Eu estou em uma via de Brasília que interliga as principais rodovias que cortam o Distrito Federal. Por aqui o movimento já é bastante intenso. Muitos motoristas preferem pegar a estrada logo no fim do expediente para não perder nenhum minuto de folia. Mas é preciso ficar atento. No carnaval do ano passado a Polícia Rodoviária Federal registrou quase 1.700 acidentes nas rodovias federais, foram 140 mortes. E para reduzir esta estatística, começou hoje a Operação Carnaval 2018 em todas as rodovias federais. Eu estou com porta-voz do Polícia Rodoviária Federal, Diego Brandão que conta para gente os cuidados que os motoristas devem ter ao pegar a estrada. Boa noite, Diego. Quais são as principais ações dessa operação da PRF?

 

Porta-voz do Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: Boa noite. As principais ações é reforço de policiamento em pontos críticos, fiscalização daquelas condutas que causam maior número de acidentes, tal como excesso de velocidade, ultrapassagem indevida, uso de álcool de volante; e a presença policial, presença policial naqueles postos-chave, naqueles horários-chave.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Diego, no carnaval do ano passo a PRF realizou quase 100 mil testes de bafômetro e multou mais de 2 mil motoristas que dirigiam com efeito do álcool. Como combater essa prática, Diego?

 

Porta-voz do Polícia Rodoviária Federal - Diego Brandão: Além da própria fiscalização, nós contamos também a conscientização do motorista. Infelizmente, a cada feriado, ainda temos flagrantes aos milhares, né? De embriaguez ao volante. Então, contamos também com a consciência do motorista, ele tem que tomar consciência de que ele também é um dos fatores para solução da violência do trânsito. Fazemos a fiscalização e também contamos com a consciência do motorista para que não use álcool durante o ato de dirigir.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Obrigado, Diego, pelas informações. Uma boa noite para você. E grande parte desse movimento intenso aqui, onde estou em Brasília, é por causa do alto número de ônibus na via. A repórter Cleide Lopes foi na rodoviária aqui da capital federal e vai contar para a gente os direitos dos passageiros que vão viajar de ônibus para curtir o carnaval.

 

Repórter Cleide Lopes: Só no Terminal de Brasília, entre chegadas e partidas, a estimativa é que 73 mil passageiros passem pelo local e os destinos mais procurados são Rio de Janeiro, São Paulo, Goiânia, Caldas Novas, em Goiás, e Salvador. E para evitar qualquer tipo de problema na hora de pegar a estrada é bom ficar atento aos deveres e direitos do passageiro. O arte finalista Leonardo Buerin tem preocupações com a segurança.

 

Arte finalista - Leonardo Buerin: Um transporte de segurança, né? As nossas malas em segurança, chegar lá bem, né? Acho que é um direito nosso, né? A gente pagando por isso.

 

Repórter Cleide Lopes: O auxiliar de cozinha, Francisco Duarte, também se preocupa com a segurança e o conforto.

 

Auxiliar de cozinha - Francisco Duarte: Tudo o que eles estão falando tem que ter lá dentro do ônibus. Então, o ônibus tem que ter ar-condicionado, tem que ter segurança, o motorista tem que habilitado, tem que verificar se o ônibus está revisado. Para você que vai viajar, gente, chegar meia hora antes para o embarque, para não dar problema.

 

Repórter Cleide Lopes: É uma hora.

 

Auxiliar de cozinha - Francisco Duarte: É uma hora? Eu não sabia.

 

Repórter Cleide Lopes: Pois é, Francisco, além de chegar uma hora antes do embarque, os passageiros também não devem esquecer o documento de identificação com foto. Cada passageiro tem direito a uma mala de 30kg e até 5kg de bagagem de mão. O gerente substituto na Agência Nacional de Transportes Terrestres, José da Silva, alerta: é bom prestar atenção em alguns detalhes para que a viagem não vire um pesadelo.

 

Gerente substituto na Agência Nacional de Transportes Terrestres - José da Silva: Extravio de bagagens. Havendo qualquer situação em que a sua bagagem seja extraviada, a empresa, a transportadora, ela tem um prazo de até 30 dias para fazer o ressarcimento. E os usuários do transporte rodoviário, eles têm que ter conscientização de uso do cinto de segurança.

 

Repórter Cleide Lopes: Em casos de desistência ou impossibilidade de viajar, a remarcação e reembolso da passagem podem ser feitas com até três horas de antecedência, diretamente com a empresa de ônibus. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): E olha, Gabriela, Nasi, o tempo está bom aqui, sem chuvas por enquanto. Mas quem vai viajar tem que se lembrar de manter os faróis ligados para não levar multa e ficar atento à fiscalização para evitar acidentes. Um bom carnaval para vocês e para os ouvintes da Voz do Brasil. Eu volto com vocês no estúdio.

 

Gabriela: Obrigada, Pablo Mundim, que trouxe ao vivo, informação sobre as estradas. Mas, como será que está o movimento dos aeroportos?

 

Nasi: Pois é, então, vamos para lá, Gabriela. O repórter Paulo La Salvia está no Aeroporto Internacional de Brasília e vai falar com a gente agora. Uma boa noite, Paulo. Como é que está o movimento por aí?

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela, a todos os ouvintes da Voz do Brasil. É aquela história, Nasi, para cair no samba o folião não mede esforços, e é isso o que eu vejo aqui no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília. O movimento vem aumentando desde às 4h da tarde, quando eu cheguei aqui para preparar esta entrada ao vivo. É gente que não acaba mais. Segundo a empresa que administra o terminal, é esperado um público de 55 mil pessoas no aeroporto nesta sexta-feira de carnaval, e 249 mil passageiros até quarta-feira de cinzas. Já nos principais aeroportos brasileiros, a previsão da Secretaria de Aviação Civil é que pelo menos 3,5 milhões de foliões embarquem e desembarquem durante o carnaval deste ano. Agora, para manter o ritmo e curtir a folia sem preocupações, os passageiros têm que ficar de olho nos seus direitos e acionar os órgãos de defesa do consumidor se alguma coisa sair errado, é isso o que diz Fabiana Todesco, diretora do Departamento de Planejamento e Gestão Aeroportuária. Vamos ouvi-la.

 

Diretora do Departamento de Planejamento e Gestão Aeroportuária - Fabiana Todesco: Chegue com antecedência nos voos doméstico uma hora e meia e nos voos internacionais umas três horas antes, provido de todos seus documentos para que tenha uma boa viagem. Procure os seus direitos e deveres no guia dos passageiros, e qualquer reclamação procure as empresas áreas, ou, se tiver uma reclamação, não conseguir resolver com a empresa área, faça sua reclamação junto ao site consumidor.com.br.

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): E, além de samba do pé, o carnaval revela a sua capacidade de movimentar a economia. De acordo com o Ministério do Turismo, a festa deste ano deve injetar mais de R$ 11 bilhões no Brasil. Bom carnaval para vocês. Ao vivo, do Aeroporto de Brasília, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: E nesse carnaval muitos jovens de baixa renda estão viajando de graça ou com desconto de 50% na passagem de ônibus.

 

Nasi: O benefício é concedido a quem tem a Identidade Jovem. A repórter Cleide Lopes explica para a gente o que é a benefício e como ter acesso a ele.

 

Repórter Cleide Lopes: O estagiário paulista Eliseu Roberto Cândido já perdeu a conta de quantas cidades brasileiras conheceu no último ano e de quantos eventos cultural participou. Ele já está de malas prontas para o carnaval. Bahia, Brasília, Rio de Janeiro estão no roteiro, mas ele garante que só conseguiu planejar tudo isso por causa do ID Jovem, um programa social destinado a jovens inscritos no Cadastro Único e que garante a ele passagens de ônibus gratuitas ou com desconto.

 

Estagiário paulista - Eliseu Roberto Cândido: Já conheci muitos lugares, graças a Deus. Tive muitas experiências muito boas, e, assim, esse ID Jovem, meu, é um o negócio mais maravilhoso que eu posso ter na vida.

 

Repórter Cleide Lopes: assim como o Eliseu, o ID Jovem já beneficia mais de meio milhão de pessoas, depois de um ano e meio de lançamento do programa. O secretário nacional de Juventude, Francisco de Assis Costa Filho, explica como eles podem ser acesso ao ID Jovem garantindo uma série de benefícios.

 

Secretário nacional de Juventude - Francisco de Assis Costa Filho: Desde que seja de 15 a 29 anos e tenha [falha no áudio] do NIS, ele pode baixar um aplicativo do seu smartphone e poder gerar sua Identidade Jovem. Com a sua Identidade Jovem, esse jovem paga metade do preço no circo, no cinema, do teatro, no parque de diversão, em qualquer show cultural ou esportivo.

 

Repórter Cleide Lopes: A emissão do cartão do ID Jovem pode ser feita no site da Secretaria Nacional de Juventude, no: wwwjuventude.gov.br. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: Você ouviu ontem aqui na Voz do Brasil que a Petrobras reduziu os preços da gasolina e do diesel nas refinarias. Para a gasolina a redução foi de 3%.

 

Nasi: E para que esta queda do preço chegue aos motoristas, o governo acionou a Polícia Rodoviária Federal e o Cade, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica, ligado ao Ministério da Justiça.

 

Gabriela: Os dois órgãos vão investigar porque as reduções da Petrobras não têm sido repassadas nas bombas dos postos de combustível.

 

Nasi: Em entrevista à Rádio Guaíba, na manhã de hoje, o Presidente Michel Temer afirmou que as providências estão sendo tomadas.

 

Presidente Michel Temer: Quando tem aumento os distribuidores, enfim, a bomba de gasolina registra o aumento, quando tem redução, não registra a redução. Daí se vem um novo aumento, o novo aumento é sobre o preço anteriormente cobrado. Nós não vamos permitir isso. Nós vamos botar a Polícia Federal, o Cade atrás dessa fiscalização para, exatamente, impedir essas espécies quase de, digamos, de agressão ao consumidor, né? Nós queremos que isso seja cumprido. Essa providência estava sendo tomada.

 

Gabriela: A Petrobras adotada aos combustíveis uma política de preços baseada no mercado internacional.

 

Nasi: Por isso tem semanas que o valor sobe nas refinarias e em outras tem redução.

 

Gabriela: Segundo o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, essa política de preços beneficia o consumidor, mas isso não vem ocorrendo, por isso a investigação.

 

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República - Moreira Franco: O consumidor tem direito a ter o preço mais baixo, escolher o preço mais baixo. Isso só se dá quando existe concorrência, quando não há cartel. E o que nós vamos vendo é que os resultados já obtidos quando há queda no preço da Petrobras, essa queda não se reflete nas bombas de gasolina, ou seja, o consumidor não está sendo beneficiado por esta nova política, e ela existe exatamente para beneficiar os consumidores.

 

Nasi: E o Presidente Michel Temer também disse que estuda uma maneira de deixar o preço do gás de cozinha mais barato para as pessoas de baixa renda.

 

Gabriela: Para o presidente, essa parte da população sente o maior impacto do aumento do valor.

 

Presidente Michel Temer: Eu estou examinando uma fórmula de compensar esse aumento para os mais pobres, naturalmente para os mais pobres, porque para os mais pobres é que o gás de cozinha sempre tem um efeito muito grande, né?

 

Gabriela: 19h13 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Daqui a pouco vamos voltar a falar no carnaval.

 

Gabriela: A festa deve movimentar a economia em mais de R$ 11 bilhões.

 

Nasi: E atenção, mulheres, vamos falar da campanha contra o assédio lançada hoje. Não saia daí.

 

Gabriela: Diminuir o rombo da Previdência e garantir que as aposentadorias e pensões sejam pagas do futuro.

 

Nasi: Estes são alguns dos motivos para a necessidade da reforma da Previdência.

 

Gabriela: Para o governo, a reforma vai deixar o sistema previdenciário mais justo com as mesmas regras para todos.

 

Nasi: A proposta de reforma, que está em discussão no Congresso, foi assunto do programa Por Dentro do Governo, esse programa é transmitido pela TV NBR e pela Rede Nacional de Rádio.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Beneficiar os mais pobres e acabar com privilégios. Para o Governo Federal esses são os pontos fundamentais da reforma da Previdência. O secretário de previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, afirmou que nenhum direito adquirido vai ser retirado e garantiu que a Previdência vai continuar a oferecer renda para quem precisa.

 

Secretário de previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Todos aqueles que completaram suas condições de acesso ao benefício e estão recebendo seu benefício regularmente, podem ficar completamente tranquilos, que vão continuar a receber o benefício da mesma maneira. Esse, inclusive, é o próprio objetivo a reforma da Previdência, que é manter o pagamento dos benefícios previdenciários.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Com o envelhecimento da população, a cada ano que passa, o sistema de aposentadoria do país apresenta déficit. A diferença entre o que é arrecadado em contribuições previdenciárias e o que é pago da aposentadorias e pensões fechou o ano de 2017 com o um saldo negativo de R$ 268 bilhões, um aumento de quase 20% em relação a 2016. Marcelo Caetano disse que a reforma vai deixar a previdência sustentável e garantir a continuidade do pagamento dos benefícios. E mais do que isso, os reflexos da reforma vão chegar no bolso do cidadão.

 

Secretário de previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Com a reforma da Previdência, o governo consegue ter contas públicas mais equilibradas, fazer com que o dinheiro que entre todo o mês seja mais parecido com que o dinheiro que saia todo o mês. Isso permite que o Brasil tenha um ambiente de juros mais baixos. E aí o que importa efetivamente para a população? Juros mais baixos, as empresas investem mais, criam mais lojas, mais fábricas e aí se geram mais empregos e mais salários que é o que interessa efetivamente à população.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Entre as mudanças previstas com a reforma estão a idade mínima de aposentadoria com uma regra de transição. A partir de 2020 o limite de idade vai subir gradualmente, a cada dois anos a idade mínima vai avançar um ano. Essa evolução, que vai ser mantida até chegar aos 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. A reforma da previdência mantém as mesmas regras para os trabalhadores rurais e para idosos e pessoas com deficiência que recebem o BPC, o Benefício de Prestação Continuada. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Gabriela: O paciente que tem a cobertura de determinado procedimento negada pelo plano de saúde pode recorrer ao SUS.

 

Nasi: O sistema público, ao realizar ao atendimento, cobra do plano de saúde o reembolso dos custos.

 

Gabriela: Mas essas cobranças foram parar na justiça, porque os planos privados consideravam que não deviam o pagamento.

Nasi: Uma decisão da justiça mudou esse atendimento e os planos deverão ressarcir o SUS, da mesma forma que reembolsam as clínicas e os hospitais privados pelo atendimento de seus clientes.

 

Repórter Raquel Mariano: Nessa semana o Supremo Tribunal Federal decidiu que planos de saúde devem ressarcir o Sistema Único de Saúde, o SUS, em casos de pacientes que possuem o plano privado e sejam atendidos em hospitais públicos. Essa prática já existia e era garantida por lei, mas a Confederação Nacional de Saúde, representante de hospitais particulares e operadoras, questionou a obrigatoriedade. A advogada-geral da União, Grace Mendonça, que defendeu o ressarcimento das operadoras no processo, ressaltou que a decisão prioriza o direito do consumidor.

 

Advogada-geral da União - Grace Mendonça: Esses recursos, com a absoluta certeza, serão reinvestidos na própria manutenção do sistema, na qualidade da prestação do serviço e isso, obviamente, que culmina com o favorecimento direto da própria população brasileira.

 

Repórter Raquel Mariano: O ministro da Saúde, Ricardo Barros, espera que com a decisão do STF, aumente o ressarcimento da verba para o SUS.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: São R$ 5,6 bilhões que estão judicializados e que poderão agora ter mais facilidade de serem recebidos pelo SUS. Agora consideramos que isso aumente o ressarcimento do SUS, que longo de todos esses anos, desde 2000, foi de apenas R$ 1,9 bilhões.

 

Repórter Raquel Mariano: Segunda a ANS, a Agência Nacional de Saúde Suplementar, 47,3 milhões pessoas pagam por planos de saúde no Brasil. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: Nessa semana a gente falou aqui na Voz do Brasil da queda dos juros, que têm a menor taxa da história.

 

Nasi: Falamos também da inflação, que começa o ano com menor índice desde 1994.

 

Gabriela: É, Nasi, o cenário na economia vem mudando e o brasileiro começa a sentir a diferença, tanto que depois de dois anos de queda, as vendas do comércio voltaram a crescer em 2017.

 

Nasi: Os comerciantes respiram aliviados com o aumento de 2% nas vendas do acumulado do ano.

 

Gabriela: Móveis e eletrodoméstico foram os produtos que puxaram esse resultado positivo.

 

Repórter Raíssa Lopes: O servidor público Mário Henrique Silva está renovando os móveis de casa. Desde o ano passado tem pesquisado preços e condições de compra. Ele conta que a partir do meio de 2017 percebeu que as lojas passaram a oferecer mais ofertas e aumentaram os prazos para pagamento.

 

Servidor público - Mário Henrique Silva: No começo, né, a gente passou por aquela turbulência da crise, mas depois do meio do ano a gente sentiu que realmente a gente começou a ter mais ofertas, né? E a gente começou a procurar mais essas ofertas, esses descontos, na verdade.

 

Repórter Raíssa Lopes: E a percepção de Mário está correta. Dados do IBGE mostram que as vendas do comércio varejista cresceram 2% em 2017, a taxa foi impulsionada pela venda de móveis e eletrodomésticos e pela queda da taxa de juros. Outro setor que teve aumento nas vendas foi o de supermercados, como explica a coordenadora de serviços e comércio do IBGE, Isabela Nunes.

 

Coordenadora de serviços e comércio do IBGE - Isabela Nunes: O setor supermercadista é o setor de maior peso do varejo e que vem se beneficiando, principalmente, da redução da inflação e da recomposição da renda, o que promove um maior poder de compra para as famílias, principalmente, em atividades mais básicas como hipermercados e farmacêuticos.

 

Repórter Raíssa Lopes: Para Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo, o comércio varejista deve continuar crescendo em 2018.

 

Economista da Associação Comercial de São Paulo - Marcel Solimeo Depois de um longo período de queda, é o primeiro ano que a gente fecha com um crescimento. A direção ao longo do segundo semestre mostra que esse crescimento deve continuar.

 

Repórter Raíssa Lopes: Ao comparar dezembro de 2017 com o mês anterior, as vendas do comércio caíram 1,5% depois de crescerem 1% em novembro. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Nasi: E aproveitando esse aquecimento da economia, a gente volta a falar de carnaval.

 

Gabriela: É Nasi, quem pensa que carnaval não combina com números está enganado. A folia é oportunidade para muita gente ganhar dinheiro.

 

Nasi: E nesse embalo, os bares, restaurantes e hotéis começam a lucrar. Para o Ministério do Turismo, o evento deste ano vai ser a mais rentável para o país, como conta a repórter Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para o professor Samir Breno de Oliveira, o carnaval sempre foi sinônimo de viagem.

 

Professor - Samir Breno de Oliveira: A gente já foi para Florianópolis, nos carnavais no interior de Minas e de Goiás, para o carnaval de Olinda, amo o carnaval de Salvador.

 

Repórter Gabriela Noronha: Assim como o Samir, muitos brasileiros resolveram viajar na data. A expectativa para o carnaval de 2018 é um recorde na movimentação turística. Além de fazer a alegria de foliões, o carnaval também significa economia aquecida. Este aumento de turista em hotéis, bares e restaurantes deve injetar mais de R$ 11 bilhões na economia nacional. Para o ministro do Turismo, Marx Beltrão, os destinos brasileiros estão cada vez mais preparados para receberem os visitantes de todo o país e também do mundo.

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: A expectativa de 15% de aumento comparado ao mesmo período do ano passado, ou seja, o carnaval de 2018 será o melhor carnaval em fomento da economia da história do Brasil.

 

Repórter Gabriela Noronha: E esse ano o carnaval deve gerar receita para outras cidades, e não só para os destinos tradicionalmente mais procurados, como o Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Olinda. Brasília é uma delas. Segundo Jael Antônio da Silva, presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes do Distrito Federal, a expectativa é que o faturamento aumente quase 10%.

 

Presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes do Distrito Federal - Jael Antônio da Silva: Aqui em Brasília as pessoas estão aproveitando esse momento de blocos e nós esperamos que, por conta disso, a gente tenha um faturamento em torno de 5% a 10% acima do que normalmente é esperado.

 

Repórter Gabriela Noronha: Segundo o Ministério do Turismo, a perspectiva dos hotéis, principalmente nos grandes destinos do carbono carnaval, é de mais de 90% de ocupação. Reportagem. Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E atenção, assédio e paquera não são a mesma coisa.

 

Nasi: Assediar alguém é crime e neste carnaval os foliões devem tomar cuidado para brincar sem ofender ninguém.

 

Gabriela: Para explicar essa diferença e incentivar as mulheres a denunciarem o assédio, o governo lançou hoje uma campanha na internet.

 

Repórter Alessandra Bastos: Para combater a violência contra as mulheres, um grupo de jornalistas criou uma revista digital. Especialmente neste período de carnaval as mulheres devem estar atentas para denunciar um possível assédio, que é bem diferente da paquera, como explica Carolina Vicentin, repórter da revista.

 

Repórter da revista - Carolina Vicentin: Numa festa, você pode achar uma pessoa interessante, trocar olhares com essa pessoa e você vai percebendo sinais que não são verbais e que essa pessoa está a fim de você, porque você chegando e vai chegando com delicadeza, vai tentando conversar com a pessoa, com calma. O que é que não pode fazer? O que é que não pode fazer, por exemplo, num carnaval, que é muito comum no carnaval de rua, né? Os amigos todos cercam a menina e só deixam ela sair se ela der um beijo em alguém, em algum dos caras. Isso é assédio, isso é abuso. Ou então, você chega, está andando na rua e aí fica o cara pegando em você. Você não conversou com essa pessoa, essa pessoa chega pegando no seu braço, pegando do seu cabelo, isso é desrespeito, isso é assédio.

 

Repórter Alessandra Bastos: E para alertar as mulheres sobre assédio do carnaval, a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, lançou nesta sexta-feira uma campanha na internet. O trabalho explica justamente essa diferença entre assédio e paquera. A coordenadora-geral do Programa Mulher Viver Sem Violência, da Secretaria, Carolina Vaz, lembra que as vítimas do assédio sexual devem fazer a denúncia no Ligue 180.

 

Coordenadora-geral do Programa Mulheres Viver Sem Violência - Carolina Vaz: Essa denúncia vai ser recebida, são atendentes que são totalmente treinadas para receber e atuar da melhor forma possível, para auxiliar a mulheres nesse momento tão difícil. E, além disso tudo, ele é confidencial. Então, deixa a mulher ainda mais confortável para fazer essa denúncia.

 

Repórter Alessandra Bastos: A chamada para a Ligue 180 é totalmente gratuita. O serviço funciona 24 horas, sete dias por semana. Com locução de Alessandra Bastos, reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: E atenção, estudantes, daqui a pouquinho termina o prazo para inscrições no Prouni, o Programa Universidade Para Todos.

 

Gabriela: Para você que deixou para a última hora, tem até às 23h59 da noite para entrar no site e fazer sua inscrição. O endereço é: siteprouni.mec.gov.br.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Nasi: Boa noite para você, bom carnaval e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".