10 de maio de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Sábado é dia D de vacinação contra a gripe. Vamos conversar com o ministro da Saúde. Ele vai tirar dúvidas e falar sobre a importância de se proteger antes da chegada do inverno. Economia aquecida anima o comércio para o Dia das Mães. Inflação de janeiro a abril é a menor desde o Plano Real. Anatel inicia bloqueio de celulares piratas em Goiás e no Distrito Federal. Vamos explicar quais aparelhos entram nessa medida e por que eles não devem ser utilizados.

audio/mpeg VOZ100518.mp3 — 44975 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 10 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Sábado é Dia 'D' de vacinação contra a gripe.

 

Nasi: Vamos conversar, ao vivo, com o ministro da Saúde.

 

Gabriela: Ele vai tirar dúvidas e falar sobre a importância de se proteger antes da chegada do inverno.

 

Nasi: E você também vai ouvir ele a Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Economia aquecida anima o comércio para o Dia das Mães. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: A expectativa é que o comércio varejista tenha alta de 6,1%, a maior para o Dia das Mães em cinco anos.

 

Nasi: Inflação de janeiro a abril é a menor desde o Plano Real. Raíssa Lopes.

 

Repórter Raíssa Lopes: De janeiro a abril deste ano, o índice está em 0,92%.

 

Gabriela: Anatel inicia bloqueio de celulares piratas em Goiás e no Distrito Federal.

 

Nasi: Vamos explicar quais aparelhos entram nessa medida e porque não devem ser utilizados.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Sábado é o Dia 'D' de vacinação contra a gripe.

 

Nasi: Postos de saúde de todo o país reforçam o atendimento para imunizar a população-alvo da campanha.

 

Gabriela: Para falar sobre essa mobilização, nós conversamos, ao vivo, por telefone, com o ministro da Saúde, Gilberto Occhi. Boa noite, ministro.

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi.

 

Gabriela: Ministro, então sábado não é dia de descanso, não é? É dia de vacinação. Por que é que essa campanha é tão importante?

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Olha, a campanha de vacinação, como qualquer uma outra campanha de outros tipos de vacina, é muito importante para proteger a população brasileira. Nós estamos num momento de prevenção da gripe Influenza e a campanha, ela visa o combate ao vírus da gripe. Então, para nós é fundamental. Nós temos aí cerca de 54 milhões de brasileiros que são alvo dessa vacinação e nós estabelecemos o dia 12, próximo sábado, para que nós possamos fazer um grande movimento no Brasil inteiro nos postos de saúde, nos municípios brasileiros, para que nós possamos vacinar essas pessoas e protegê-las contra qualquer mal que uma gripe pode ocasionar ao nosso cidadão.

 

Nasi: Ministro, e tem vacina para todo mundo?

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Tem vacina para todo mundo. Eu particularmente fui ao Instituto Butantã, nós compramos do Instituto Butantã cerca de 60 milhões de vacinas para um público que nós estimamos que é de 54 milhões de brasileiros. Então, vai ter a vacina. As vacinas já estão nos estados e nas cidades, já fizemos cerca de 80% da distribuição dessas vacinas. Então, isso para nós é a garantia de que a população que for ao posto de saúde não terá problema de vacinação.

 

Gabriela: Ministro, e tem muita gente que tem uma dúvida: a vacina é mesmo segura, não faz mal à saúde?

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Não, a vacina, ela é segura, eu posso garantir isso. Todos os médicos, todos os nossos cientistas, eles têm afirmado que a vacina é segura. Ela não gera gripe como muitas pessoas possam argumentar, por quê? Porque o vírus que está na vacina é inativo, então não tem a capacidade de gerar qualquer outro mal se não o de proteger as pessoas vacinadas contra o vírus da gripe.

 

Nasi: Então, ministro, o senhor pode fazer um convite a quem está nos ouvindo agora para que não deixe de se vacinar?

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Olha, eu faço um convite aos pais, aos idosos, às mães, aos professores, aos profissionais de saúde, todos aqueles, às crianças que têm até cinco anos de idade. Senhores pais, levem as suas crianças para se vacinar. As mães grávidas devem se vacinar. As mães que já tiveram seus nenéns aí, em 45 dias já de nascidos, elas também devem se vacinar para que nós tenhamos o maior número da população-alvo, que são essas pessoas que têm a maior probabilidade de pegar uma gripe e ter uma complicação que pode ser maior e até levar a óbito. Então, o nosso apelo é que nesse dia 12, no próximo sábado, véspera do Dia das Mães, nós tenhamos condições de ter o maior número de postos de saúde abertos no Brasil inteiro, e que as pessoas possam ir se vacinar durante o dia e, assim, proteger e se prevenir. Este é o melhor que podemos fazer para a nossa população. E a população deve se engajar nesse trabalho que o Ministério da Saúde, que o Governo Federal junto com os municípios, junto com os estados, estamos fazendo para que possamos vacinar essa nossa população e fazer aquilo que é mais importante na saúde no Brasil: prevenir. Prevenir é vacinar.

 

Gabriela: Ok, ministro.

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Boa noite a todos.

 

Gabriela: Ministro, a gente agradece muito a sua participação, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Obrigado a todos e um bom trabalho nesse sábado a todos aqueles que vão trabalhar na vacinação.

 

Nasi: O Dia das Mães está chegando, uma data especial para a família e também para o comércio.

 

Gabriela: É, Nasi. O volume de vendas só perde o Natal. E a expectativa é de que o crescimento seja o maior dos últimos cinco anos.

 

Nasi: Ganha o comércio e ganha também quem precisa de emprego.

 

Gabriela: Vinte e uma mil vagas temporárias estão sendo criadas e parte desses trabalhadores devem ser contratados.

 

Repórter Cleide Lopes: O dia delas são todos os dias, mas um deles é especial. E quem não quer declarar o seu amor com um presentinho ou um presentão? A representante comercial brasiliense, Heloísa Santos, quer dar um bom presente, mesmo dividindo em prestações.

 

Representante Comercial - Heloísa Santos: Ah, eu vou gastar um pouquinho, que eu vou comprar uma máquina de lavar, que estragou a dela, eu vou comprar à prestação.

 

Repórter Cleide Lopes: O Dia das Mães é considerado para os comerciantes o Natal do primeiro semestre. A expectativa é que o comércio varejista tenha alta de 6,1%, a maior para o Dia das Mães em cinco anos. É o que aponta o levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. Devem se destacar neste ano os artigos de uso pessoal e doméstico, com alta de mais de 12%, e de supermercados, com um crescimento de 7%. Para o economista Fábio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio, esses números já apontam um aquecimento da economia.

 

Economista - Fábio Bentes: Deve criar uma movimentação financeira de R$ 9,4 bilhões agora, no mês de maio. Então, é uma data importantes, um termômetro importante nesse processo já de recuperação do comércio varejista.

 

Repórter Cleide Lopes: Mas não é só o volume de vendas que crescerá com o Dia das Mães. A contratação de trabalhadores temporários deve ter 21 mil vagas a mais que no ano passado. A taxa de efetivação desses temporários também deve crescer, como adianta o presidente da Federação do Comércio do Distrito Federal, Adelmir Santana.

 

Presidente da Federação do Comércio do DF - Adelmir Santana: Em torno de 10%, 15% daqueles trabalhadores que entram de forma temporária, terminam ficando no quadro definitivo, que se revelam ótimos profissionais, sabem trabalhar em equipe, são empreendedores por natureza, então quase sempre são avaliados.

 

Repórter Cleide Lopes: O coordenador-geral de Estudos e Monitoramento de Mercado do Ministério da Justiça, Bernardo Argôlo, alerta que as lojas não são obrigadas a trocar produtos que não tenham defeito, a menos que informe, na hora da compra que realizam a troca. Já para os produtos com defeito de fábrica é importante prestar atenção nos prazos.

 

Coordenador-Geral de Estudos e Monitoramento de Mercado - Bernardo Argôlo: Caso um produto porventura apresente algum problema, ele tem 30 dias para realizar a troca, caso ele seja algum produto não durável, e um produto durável como eletrônico, eletrodomésticos, tem até 90 dias para realizar a troca daquele produto que tenha defeito.

 

Repórter Cleide Lopes: Qualquer reclamação pode ser feita diretamente pela internet no endereço consumidor.gov.br. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E se quem compra paga direitinho, é possível que tenha benefícios no futuro.

 

Gabriela: É que o governo apoia a aprovação do projeto do novo cadastro positivo, que está sendo discutido no Congresso.

 

Nasi: Hoje ele é uma opção, mas o projeto quer tornar a iniciativa obrigatória.

 

Gabriela: Isso vai permitir a milhões de brasileiros usar o histórico para ter uma nota que reduza o custo dos empréstimos.

 

Repórter Luana Karen: De olho na Copa do Mundo, a aposentado Paulo Borges quer comprar uma TV para o sobrinho. Na negociação com a loja, acredita que poderiam ser oferecidas condições melhores para bons pagadores.

 

Aposentado - Paulo Borges: Qualquer benefício para o bom pagador é bom, é aceito, né?

 

Repórter Luana Karen: Assim como Paulo, o analista de controle Bruno Santiago acredita ser justo que quem paga em dia tenha alguma vantagem.

 

Analista de Controle - Bruno Santiago: Quem consegue pagar as suas contas em dia deveria ter mais esse incentivo com relação a créditos mais facilitados.

 

Repórter Luana Karen: O incentivo defendido pelo Bruno e pelo Paulo pode vir com o cadastro positivo, uma espécie de ranking que busca oferecer acesso mais fácil a crédito e com custos menores aos bons pagadores. O cadastro existe desde 2011, mas a inclusão do consumidor na lista é optativa. Agora, o Congresso Nacional analisa proposta para tornar a inclusão de bons pagadores no cadastro positivo obrigatória. Se aprovado, gestores de bancos de dados terão acesso a todas as informações sobre empréstimos quitados e pagamentos em dia. A partir dos dados o consumidor vai receber uma nota que poderá ser consultada por quem for oferecer um empréstimo, por exemplo. Vander Nagata, vice-presidente de Informações sobre Consumidor da Serasa Experian, empresa que analisa e vende estes dados para lojas e bancos, por exemplo, cita a possibilidade de o consumidor se beneficiar com uma análise de perfil mais completa, mesmo se atrasou alguma conta.

 

Vice-Presidente de Informações sobre Consumidor da Serasa Experian - Vander Nagata: Por exemplo, um consumidor que ele está inadimplente com determinado financiamento, vamos dizer assim, uma parcela, hoje as empresas conseguem enxergar, os credores conseguem enxergar esta parcela que ele está inadimplente. No entanto, esse consumidor, ele tem uma série de outros compromissos que ele honra: ele tem o aluguel, ele tem o financiamento da casa. Todos esses pagamentos quem está concedendo crédito não consegue enxergar e isso acaba prejudicando uma visão completa desse consumidor. Então, hoje tem um contingente bastante relevante de inadimplentes, está em torno de 60 milhões de pessoas, então, que podem se beneficiar justamente mostrando o seu lado adimplente, o lado dos pagamentos que esse consumidor realiza.

 

Repórter Luana Karen: O projeto também permite que o cidadão possa solicitar a qualquer instituição de crédito para sair da lista de bons pagadores. Com isso, os dados não poderão ser armazenados ou usados. João Manoel Pinho de Mello, do Ministério da Fazenda, afirma que os dados do consumidor estarão mais protegidos com a nova proposta.

 

Funcionário do Ministério da Fazenda - João Manoel Pinho de Mello: O sigilo bancário que se aplica aos bancos hoje, cujas penas, consequências penais, criminais, passará para os birôs de crédito, por exemplo, Serasa ou SPC. Se houver vazamento de crédito, de birô de crédito, quem seja, vai responder nas penas da lei, com consequências criminais além de cíveis.

 

Repórter Luana Karen: O projeto que torna a inclusão de consumidores no cadastro positivo obrigatória já foi aprovado no Senado e aguarda votação na Câmara dos Deputados. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: O texto base do projeto foi aprovado ontem na Câmara, mas ainda é preciso finalizar a votação dos destaques.

 

Gabriela: O IBGE divulgou, hoje, a inflação de abril.

 

Nasi: Embora lá tenha crescido em relação a março, no acumulado do ano o índice é o menor desde o Plano Real.

 

Repórter Raíssa Lopes: A pesquisa do IBGE mostra que a inflação continua em baixa no país. De janeiro a abril deste ano, o índice está em 0, 92%. É o menor nível para os primeiros quatro meses do ano desde a implantação do Plano Real, em 1994. A queda na energia elétrica foi uma das responsáveis por isso. Até abril, a bandeira estava verde, e também tiveram preços menores em outros itens, como explica o gerente de Índice de Preços do IBGE, Fernando Gonçalves.

 

Gerente de Índice de Preços do IBGE - Fernando Gonçalves: O frango vem acumulando queda esse ano, a carne também, a passagem aérea. Então, todos esses componentes que pesam no orçamento das famílias, principalmente a parte alimentícia, muitos deles importantes, vêm com deflação.

 

Repórter Raíssa Lopes: Em comparação com março, a inflação apresentou crescimento de 0,13% em abril, com destaque para a alta de remédios e planos de saúde. Mas algumas coisas ficaram mais baratas, como passagens aéreas e o etanol, e também comer fora de casa, como comenta Fernando Gonçalves, do IBGE.

 

Gerente de Índice de Preços do IBGE - Fernando Gonçalves: Isso provavelmente por conta de promoções que foram oferecidas aos clientes ou até num realinhamento de preços, já que a gente teve altas em meses anteriores, e é uma forma de se cativar o cliente, né?

 

Repórter Raíssa Lopes: Os alimentos têm ajudado a manter a inflação em baixa no país. Segundo o economista José Luiz Pagnussat, as super safras de grãos de 2017 e de 2018 fizeram com que os preços caíssem.

 

Economista - José Luiz Pagnussat: Com a entrada da safra agora a tendência é que nos próximos meses nós tenhamos ainda uma queda ainda maior da inflação.

 

Repórter Raíssa Lopes: A inflação acumulada dos últimos 12 meses está em 2,7% e segue abaixo da meta do Banco Central, que é de 3%. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: A Anatel começou o bloqueio de celulares piratas no estado de Goiás e no Distrito Federal.

 

Nasi: Daqui a pouquinho vamos explicar quais aparelhos entram nessa medida e porque eles não devem ser utilizados.

 

Gabriela: Empresas que vencem licitações para administrar portos, aeroportos ou rodovias se comprometem a investir na melhoria do serviço e na manutenção do bem público.

 

Nasi: Se durante o contrato a concessionária tiver problemas de caixa, não conseguir honrar os compromissos e quebrar, o serviço pode acabar interrompido.

 

Gabriela: Por isso, o governo está criando regras para substituir essas empresas. O objetivo é garantir a continuidade da prestação do serviço.

 

Repórter Pablo Mundim: O governo quer evitar a interrupção dos serviços prestados em itens de infraestrutura, como rodovias e aeroportos, administrados por empresas ou consórcios que enfrentam dificuldades financeiras. Essas concessionárias vão poder solicitar a chamada relicitação. Segundo o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, Dyogo Oliveira, a medida vai evitar prejuízos para os usuários e os cofres públicos.

 

Presidente o BNDES - Dyogo Oliveira: Haveria um grande prejuízo tanto para a União, porque não receberia os valores devidos, quanto para os bancos públicos, quando for o caso, que também perderiam os seus valores aplicados, e o usuário teria o inconveniente do prejuízo da qualidade do serviço.

 

Repórter Pablo Mundim: Para solicitar a relicitação as concessionárias precisam comprovar que não têm mais condições de cumprir os compromissos de investimento e manutenção e devem se comprometer a manter a prestação dos serviços até a escolha do novo concessionário. O ministro dos Transportes, Valter Casimiro, explica que o pedido de relicitação precisa ser avaliado e aprovado pelo governo.

 

Ministro dos Transportes - Valter Casimiro: O processo colocado pela concessionária vai ser analisado pela agência e ele precisa, primeiro, ter uma avaliação do Ministério dos Transportes, e aí, sim, ir para a PPI para que seja requalificado, e aí a agência vai iniciar o procedimento de relicitação dessa concessão.

 

Repórter Pablo Mundim: O decreto que está em elaboração com as novas medidas prevê que as empresas que solicitam a relicitação ficam impedidas de participar dessa nova licitação. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Mais transparências e controle de obras realizadas nos estados e municípios.

 

Gabriela: Um novo aplicativo vai permitir aos fiscais enviar ao governo informações sobre o andamento dos projetos.

 

Nasi: Assim, vai ser responsável acompanhar a real situação do empreendimento. A União só vai liberar recursos se tudo estiver dentro da legalidade.

 

Repórter Gabriela Noronha: Pelo aplicativo Siconv Fiscalização, os fiscais de cada estado poderão incluir fotos de obras em andamento, além de outras informações como latitude e longitude do local em que foram tiradas. Para Wagner Rosário, ministro substituto da Transparência e Controladoria-Geral da União, a ferramenta vai melhorar a fiscalização.

 

Ministro Substituto da Transparência e Controladoria-Geral da União - Wagner Rosário: A gente tinha problemas de fotos que não eram referentes àquela obra, porque a obra realmente estava com algum problema, não alimentação de informações. Hoje eu vou ter que ter essas informações para realizar os pagamentos, as transferências de recursos. Isso vai dar uma segurança maior e evitar essa quantidade de obras que nós temos paradas hoje.

 

Repórter Gabriela Noronha: Serão monitoradas obras realizadas com recursos repassados por convênios entre os governos federal, estados, municípios e organizações da sociedade civil. De acordo com Glaison Cardoso Rubin, secretário-executivo do Ministério do Planejamento, as informações vão ajudar a dar mais transparência ao Sistema de Gestão de Convênios e contratos de repasses do Governo Federal.

 

Secretário-Executivo do Ministério do Planejamento - Glaison Cardoso Rubin: Ganha a sociedade de modo geral, estado, cidadão, empresas, porque nós temos informações que são de conhecimento público e, portanto, retratam aquilo que cada um está fazendo dentro das suas responsabilidades.

 

Repórter Gabriela Noronha: As fotos de cada obra fiscalizada podem ser acessadas pelo cidadão na página portal.convenios.gov.br/acesso-livre. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E o Governo Federal enviou ao Congresso um projeto de lei para mudar a legislação que trata de falências e recuperação judicial e extrajudicial de empresas.

 

Nasi: O objetivo, de acordo com o governo, é preservar os bens da União e ajudar a superar a crise econômica do devedor, preservando empregos e os direitos dos credores.

 

Gabriela: O presidente Michel Temer disse, em vídeo divulgado na internet, que o projeto faz parte do trabalho do governo para modernizar toda a legislação brasileira.

 

Presidente Michel Temer: É um texto moderníssimo, visto, examinado e reexaminado por grandes juristas nacionais e especialistas dessa área que trabalharam juntamente com o governo para que, afinal, formatássemos esse projeto que hoje eu assinei. É mais um tema, digamos assim, de atualização legislativa, portanto, colocando o Brasil no século XXI.

 

Nasi: O comércio de celulares piratas é bem comum no Brasil.

 

Gabriela: São aparelhos de marcas sem certificação da Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel.

 

Nasi: É, e muita gente é atraída pelo preço, pois geralmente são bem mais baratos.

 

Gabriela: Mas, agora, a comercialização desses celulares está com os dias contados. A Anatel inicia um processo de bloqueio dos aparelhos, começando por Goiás e o Distrito Federal.

 

Nasi: Nesses dois lugares a medida vale para todos os aparelhos irregulares habilitados desde 22 de fevereiro deste ano.

 

Repórter Luana Karen: Ano passado, o advogado Paulo Carvalho comprou um celular no camelô. Pagou R$ 280,00 no aparelho que costuma sair por R$ 1,5 mil. As surpresas não demoraram a aparecer.

 

Advogado - Paulo Carvalho: A bateria não recarregava, a câmera era horrível, não funcionava a câmera. Então, realmente compensa você pagar um pouquinho mais, mas obter alguma coisa que funcione de verdade.

 

Repórter Luana Karen: Os prejuízos de um celular sem certificação ou falsificados podem ir além dos financeiros. Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, aparelhos irregulares podem ser perigosos para a saúde do usuário por, por exemplo, apresentarem grande quantidade de chumbo e cadmio, ou utilizarem materiais de baixa qualidade, como explica Felipe Roberto de Lima, gerente de Regulamentação da Anatel.

 

Gerente de Regulamentação da Anatel - Felipe Roberto de Lima: O Brasil certifica baterias. Então, as baterias que são certificadas pelos organismos credenciados pela Anatel, elas sofrem vários testes que levam aquele equipamento até à exaustão e garantem uma maior segurança ao consumidor para poder utilizar aquele equipamento, que no caso da bateria, por exemplo, não vai ter um superaquecimento ou um risco de explosão, por exemplo.

 

Repórter Luana Karen: Por enquanto, a Anatel está desabilitando celulares irregulares no Distrito Federal e em Goiás. Existe um cronograma de ações e a meta da agência é desativar todos os celulares irregulares até março do ano que vem. Na dúvida, melhor seguir o conselho do Paulo.

 

Advogado - Paulo Carvalho: Eu aprendi a lição que com jeitinho não dá certo.

 

Repórter Luana Karen: Celulares comprados no exterior, desde que certificados por agências internacionais aceitas pela Anatel, não serão bloqueados. Os consumidores que terão aparelhos irregulares bloqueados vão receber notificação no aparelho. O consumidor pode consultar a regularidade do celular na página da Anatel, na internet, em www.anatel.gov.br/celularlegal. Reportagem, Luana Karen.

 

"Momento Social".

 

Gabriela: O Thiago Lemos, de Caatiba, na Bahia, quer saber do prazo para que as pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada possam se inscrever no Cadastro Único.

 

Nasi: Quem responde é o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

 

Ouvinte - Thiago Lemos: Olá, ministro. Eu sou o Thiago Lemos, aqui de Caatiba/Bahia. Eu tenho uma dúvida: eu gostaria de saber qual é o prazo para que os beneficiários do BPC possam ser inclusos de Cadastro Único?

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Thiago, o Governo Federal quer conhecer melhor os beneficiários do Benefício de Prestação Continuada, também chamado de LOAS, que é um benefício que é repassado a pessoas com deficiência e idosos acima de 65 anos sem renda. O cadastramento tem esse objetivo, ter melhores informações de cada beneficiário e ampliar a nossa capacidade de formulação de políticas para esse grupo em especial. Além disso, os inscritos no Cadastro Único têm acesso a outros programas sociais oferecidos pelo Governo Federal que também utilizam o Cadastro Único para a concessão dos seus benefícios. Posso dar alguns exemplos, como o Minha Casa, Minha Vida, tarifa de energia elétrica, o próprio Bolsa Família, enfim, outros benefícios que podem ser acessados através do Cadastro Único. O prazo para cadastramento é final de dezembro deste ano. Mas não deixe para a última hora, cadastre agora, vá a um CRAS do seu município ou procure a prefeitura municipal, que poderá lhe dar as informações.

 

Gabriela: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda para a gente.

 

Nasi: Pode ser por e-mail no endereço voz@ebc.com.br e também o nosso Facebook: Facebook.com/bolsafamilia.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".