10 de setembro de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Mais recursos para preservar os museus do país. Governo muda a forma de gestão desses espaços. Mais de R$ 20 bi parados no banco. Milhões de trabalhadores que têm direito à cota do PIS/PASEP ainda não fizeram o saque. Vamos dar os detalhes de como sacar estes valores. Hoje é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. E vamos falar da parceria do Ministério da Saúde com o CVV, Centro de Valorização à Vida, que garante ajuda a quem precisa.

audio/mpeg VOZ100918.mp3 — 46924 KB




Transcrição

Apresentador Luciano Seixas: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Luciano: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 10 de setembro de 2018.

 

Luciano: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Mais recursos para preservar os museus do país.

 

Luciano: Governo muda a forma de gestão desses espaços. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: Com as alterações, vão ser possíveis parcerias com a iniciativa privada, emitindo doações e captação de mais recursos. Daqui a pouco eu volto com mais detalhes.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Luciano: Mais de R$ 20 bilhões parados no banco.

 

Gabriela: Milhões de trabalhadores que têm direito à cota do PIS/Pasep ainda não fizeram o saque.

 

Luciano: Vamos dar os detalhes de como sacar esses valores.

 

Gabriela: E hoje é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

 

Luciano: E vamos falar da parceria do Ministério da Saúde com o CVV, Centro de Valorização à Vida, que garante ajuda a quem precisa.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Luciano Seixas.

 

Luciano: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: Milhões de trabalhadores que têm direito a receber o saldo do PIS/Pasep ainda não foram retirar o benefício.

 

Luciano: Para quem tem até 60 anos de idade, o prazo termina no final deste mês.

 

Gabriela: Mais de R$ 20 bilhões ainda não foram retirados por cotistas que trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 1988.

 

Repórter Pablo Mundim: Mais de 11 milhões de brasileiros ainda não sacaram o dinheiro do PIS/Pasep. Têm direito a receber o benefício pessoas de qualquer idade, que trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 1988. Para quem tem até 60 anos, o prazo para a retirada termina no dia 28 deste mês. São mais de R$ 20 bilhões disponíveis para saque, dinheiro que pode ajudar no orçamento de muita gente. É o caso do autônomo Donaldo Amaral da Cunha, que mora na cidade de Cristalino, em Goiás.

 

Autônomo - Donaldo Amaral da Cunha: Quando eu descobri que esse dinheiro estava disponível para mim, fiquei muito feliz. Foi muito bom, eu estava fazendo uma reforma aqui de casa e comprei toda a cerâmica, ficou em R$ 2 mil em pouco. Então, deu para pagar.

 

Repórter Pablo Mundim: Segundo o Ministério do Planejamento, de junho até agora, já sacaram o benefício mais da metade dos cotistas do fundo, que ainda não tinham recebido o dinheiro, somando mais de R$ 11 bilhões em pagamentos. Para sacar o benefício, os servidores públicos devem ir a uma agência do Banco do Brasil. Já os trabalhadores da iniciativa privada devem sacar o benefício na Caixa Econômica Federal. O superintendente nacional de Benefícios Sociais da Caixa, Rogério Saab, destaca que o cotista pode checar se tem direito ao benefício, através do site do banco e do aplicativo Caixa Trabalhador.

 

Superintendente nacional de Benefícios Sociais - Rogério Saab: Todo cidadão pode consultar no endereço www.caixa.gov.br/cotaspis . Tem o 0800 da Caixa, que é o 0800 7260101, e também tem o Caixa Trabalhador, é um aplicativo em que constam todos os benefícios para o trabalhador e também um link para o acesso à consulta do benefício de cotas do PIS.

 

Repórter Pablo Mundim: Para quem tem conta no Banco do Brasil ou na Caixa, o dinheiro foi depositado automaticamente. A partir desta terça-feira, correntistas de outros bancos também começam a receber depósito em conta. Segundo o diretor de Assuntos Financeiros do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Sérgio Calderini, os pagamentos nesse caso vão até o dia 23 de setembro.

 

Diretor de Assuntos Financeiros - Sérgio Calderini: A partir de amanhã, nós começamos a efetuar os créditos. Então, o correntista do Bradesco, do Itaú, do Santander, Bancoob, Sicoob, Mercantil, vai também ser beneficiado pelo crédito automático. Entretanto, como esse cruzamento de dados está sendo feito de uma maneira bem cautelosa, nem todo grupo potencial de pessoas que receberia vai receber esse crédito. Se a pessoa quiser o seu recurso e quiser até com certa urgência, vá à Caixa e vá ao Banco do Brasil e solicite o seu resgate.

 

Repórter Pablo Mundim: A liberação do recurso, que teve início no dia 13 de junho deste ano, vai beneficiar 25 milhões de pessoas, injetar cerca de R$ 35 bilhões na economia. Os herdeiros também têm direito ao benefício, basta apresentar identificação pessoal e documentos que comprovem a condição de herdeiro. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Luciano: Hoje, no Dia Mundial de Combate ao Suicídio, vamos falar sobre algumas iniciativas que estão sendo feitas para acolher quem precisa.

 

Gabriela: O Centro de Valorização à Vida e outras entidades estão desenvolvendo ações em todo o Brasil sobre o tema. É o Setembro Amarelo.

 

Voluntário - Antônio Batista: CVV, boa tarde. Você gostaria de conversar?

 

Repórter Graziela Mendonça: É assim que os voluntários do Centro de Valorização à Vida, o CVV, atendem milhares de chamadas, todos os dias, no número 188. O serviço oferece apoio emocional para pessoas que estão passando por dificuldades, numa tentativa de evitar casos de suicídio. Em julho deste ano, uma parceria com o Ministério da Saúde tornou a ligação gratuita em todo o país. Antônio Batista, que é voluntário do CVV há 18 anos, explica como é feito o atendimento.

 

Voluntário - Antônio Batista: O antídoto é calor humano, é você conversar de forma aberta, sem crítica, sem julgamento, sem menosprezar o sentimento, aquela dor que a pessoa está sentindo.

 

Repórter Graziela Mendonça: Entre 2011 e 2016, foram mais de 48 mil tentativas de suicídio no Brasil e cerca de 62 mil mortes, de acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde, veiculados no ano passado. E a principal forma de combater esse problema de saúde pública é a prevenção. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 90% das mortes por suicídio poderiam ser evitadas. A psicóloga Gláucia Flores conta que o trabalho começa em casa.

 

Psicóloga - Gláucia Flores: Os amigos, familiares, que convivem com a pessoa, podem perceber, às vezes, mudanças de comportamento, mudanças inesperadas, isolamento, frases: "Eu não aguento mais. Quero morrer. Quero sumir".

 

Repórter Graziela Mendonça: O mês de setembro foi escolhido para unir esforços na prevenção ao suicídio. São eventos, palestras e ações educativas sobre o tema, em todo o Brasil. Segundo a diretora do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas do Ministério da Saúde, Thereza de Lamare, iniciativas como essa ajudam a diminuir os índices de mortes.

 

Diretora do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas - Thereza de Lamare: É muito importante que a gente converse sobre isso, para poder orientar as pessoas, orientar os familiares, orientar a sociedade sobre como lidar com essa temática.

 

Repórter Graziela Mendonça: E o Sistema Único de Saúde oferece assistência integral para prevenir os casos de suicídio, de acordo com a diretora.

 

Diretora do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas - Thereza de Lamare: A nossa assistência vai desde a atenção básica, os nossos profissionais da atenção básica, quando fazem um acolhimento, seja da família, seja da própria pessoa, nos hospitais, e também nos Capes. Então, toda a nossa rede, ela é orientada para fazer todo esse atendimento, como também a própria prevenção.

 

Repórter Graziela Mendonça: Quem estiver precisando de ajuda pode ligar para o número do CVV, 188, que funciona 24 horas, ou procurar um dos centros de atenção psicossocial em todo o país. Reportagem, Graziela Mendonça.

 

Luciano: A ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar, suspendeu de forma temporária a venda de 26 planos de saúde.

 

Gabriela: A medida é resultado do programa de monitoramento da Agência, que avalia as reclamações de usuários dos planos.

 

Luciano: Os mais de 75 mil usuários desses planos continuam a ser atendidos normalmente, mas as operadoras estão impedidas de firmar novos contratos, até que comprovem a melhoria no atendimento.

 

Gabriela: A lista dos planos suspensos está na página da ANS na internet, em ans.gov.br.

 

Luciano: Um novo modelo de gestão, que traz mais recursos públicos e privados para os museus do país.

 

Gabriela: Hoje, o Governo publicou duas medidas provisórias fundamentais para o setor cultural. A primeira é a criação da Agência Brasileira de Museus, a Abram, que vai ser responsável pelos 27 principais museus do país.

 

Luciano: A Agência vai receber aproximadamente R$ 200 milhões, três vezes mais do que o orçamento dos museus no ano passado.

 

Gabriela: E o Governo regulamentou também a criação dos fundos patrimoniais, que vão arrecadar e destinar doações a projetos de interesse público. O repórter João Pedro Neto acompanhou o anúncio e tem mais informações ao vivo. Boa noite, João Pedro.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Luciano. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Pois é, a nova instituição, a Abram, vai ser responsável pela gestão de 27 museus federais e seus acervos, como o Museu da Abolição, o Museu Imperial, Museu da Inconfidência e Museu Nacional de Belas Artes. Outras instituições também poderão ser administradas pela Agência, a partir de assinatura de contratos de gestão. Segundo o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, a Abram vai ter mais do que o dobro de recursos à disposição, em relação ao orçamento destinado ao Instituto Brasileiro de Museus, e também poderá ter receitas próprias, o que garante uma gestão mais adequada dos museus.

 

Ministro da Cultura - Sérgio Sá Leitão: Nós, com isso, estamos criando uma instância muito mais adequada, com autonomia, autonomia de gestão, autonomia sobre os seus recursos, com capacidade de arrecadar recursos com muito mais agilidade do que o que nós tínhamos antes. Eu acho que nós estamos estabelecendo um paradigma para a gestão cultural como um todo.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): A Abram vai ter status de serviço social autônomo e também vai promover ações de desenvolvimento do setor de museus. Os dirigentes das instituições administradas pela Agência vão ser escolhidos de acordo com critérios técnicos, e a Secretaria de Museus e Acervos Museológicos, criada dentro da estrutura do Ministério da Cultura, passa a ser responsável pela gestão de políticas públicas na área. Outra Medida Provisória assinada pelo presidente Michel Temer agora há pouco define regras para a criação dos chamados fundos patrimoniais, que vão poder arrecadar recursos privados, doados por empresas e pessoas físicas, para serem aplicados em instituições e projetos em várias áreas. E o primeiro fundo patrimonial a ser criado vai captar recursos para serem utilizados na reconstrução do Museu Nacional e recomposição do seu acervo. O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, disse que a experiência vale para outras áreas.

 

Ministro do Planejamento - Esteves Colnago: Medida Provisória dos fundos patrimoniais, uma medida que está em discussão desde 2012 no Congresso Nacional, uma medida importante, que pode gerar receitas, não só para o setor da cultura, mas para o setor da educação, da saúde, dos desportos, enfim, para uma infinidade de áreas no Governo que precisam ter um pouco mais de liberdade para atuar, ter uma gestão melhor, se aproximar da iniciativa privada. Então, se permite a criação de um círculo virtuoso junto aos museus.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Apenas o valor dos rendimentos desses fundos patrimoniais poderá ser usado para apoiar projetos ou instituições, que poderão ser de áreas como educação, cultura, ciência, tecnologia e inovação, esportes, saúde e meio ambiente. Depois de assinar as duas medidas provisórias, o Presidente Michel Temer lamentou mais uma vez o incêndio que atingiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro e disse que a ideia dessas medidas é modernizar a forma de gerir os museus e acervos históricos do país.

 

Presidente Michel Temer: A Agência Brasileira de Museus já cria, na própria Medida Provisória, um fundo patrimonial destinado exclusivamente à recuperação dos museus. Então, este é o primeiro fundo patrimonial criado pela própria agência, pela própria Medida Provisória que institui a Agência Brasileira de Museus. Eu acho que nós damos um salto de qualidade, como aqui foi revelado. Hoje eu diria que foi uma segunda-feira compensadora. A tragédia de ontem vai se transformar em algo que não apenas se destinará à recuperação do Museu Nacional, mas à preservação de todo o patrimônio histórico, científico e cultural e dos museus no país.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): A Agência Brasileira de Museus vai passar a ser responsável pelas ações de reconstrução do Museu Nacional no Rio de Janeiro, mas a instituição segue como parte da estrutura da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ao vivo, João Pedro Neto.

 

Luciano: Acessar a situação e o valor do benefício do Bolsa Família e o calendário de pagamento a qualquer hora do dia.

 

Gabriela: Tudo isso é possível com o aplicativo do Bolsa Família.

 

Luciano: Daqui a pouco a gente vai dar detalhes de como você pode baixar esse aplicativo, de graça, no celular.

 

Gabriela: Durante o feriado da Independência, houve uma queda no número de acidentes nas rodovias federais no país.

 

Luciano: No entanto, o número de mortos e feridos aumentou.

 

Gabriela: Quem tem as informações é a repórter Natália Koslik.

 

Repórter Natália Koslik: De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, por meio da Operação Independência, foram registrados 820 acidentes nas rodovias federais do Brasil, 80 a menos que o no mesmo período do ano passado. Já o número de feridos aumentou, de quase 900 em 2017, para mais de mil. E o número de mortos também foi maior neste ano, subindo de 73 para 82. Os estados onde foram registrados o maior número de mortes nas estradas foram a Bahia, Minas Gerais, Pará e Paraná. Ainda de acordo com a Operação, o número de motoristas flagrados dirigindo embriagados aumentou mais de 40%. Também cresceram as infrações cometidas por usuários de motocicleta, em quase 80%, e as relativas ao transporte de crianças em veículos sem os equipamentos exigidos por lei. Em relação às apreensões, foram recolhidos mais de quatro toneladas de maconha, quase 14 quilos de cocaína e também cigarros e armas de fogo, entre outros. A Operação Independência aconteceu entre os dias 6 e 9 de setembro e durou um dia a menos do que no ano passado, quando o feriado caiu em uma quinta-feira. Natália Koslik para a Voz do Brasil.

 

Luciano: Um evento que reúne crianças, jovens e adultos de todas as idades para celebrar o nosso país.

 

Gabriela: Esse é o desfile de 7 de setembro. O repórter João Pedro Neto esteve na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, para acompanhar o evento, e conta tudo para a gente.

 

Repórter João Pedro Neto: Cerca de 30 mil pessoas acompanharam o desfile de 7 de setembro, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Pessoas de todas as idades, que vibraram com a comemoração do Dia da Independência. O aposentado Moisés Batista fez questão de fortalecer o patriotismo.

 

Aposentado - Moisés Batista: Num momento tão importante desse, a gente deve prestigiar, sim, os nossos militares. O patriotismo tem que fazer parte da vida cotidiana do brasileiro.

 

Repórter João Pedro Neto: Mais de 4,5 mil militares, civis e estudantes participaram do desfile, que contou também com cerca de 150 viaturas e aeronaves, além da cavalaria. Para a estudante Julie McComic, o desfile é uma aula de cidadania

 

Estudante - Julie McComic: Na escola, a gente fala no auditório, mas não é a mesma coisa que vir aqui e você assistir, ver todas as escolas. Muito legal, porque mostra o patriotismo entre todas as pessoas que moram aqui no Brasil.

 

Repórter João Pedro Neto: O início do desfile foi autorizado pelo presidente Michel Temer.

 

Apresentador: Solicito a vossa Excelência autorização para iniciar o desfile.

 

Presidente Michel Temer: Autorização concedida.

 

Repórter João Pedro Neto: O motociclista Gustavo Barros fez questão de levantar cedo para levar a família para ver o desfile e disse que saiu satisfeito.

 

Motociclista - Gustavo Barros: Ele gosta muito do Exército, dos aviões, e é uma satisfação e orgulho trazer ele pela primeira vez.

 

Repórter João Pedro Neto: O desfile foi encerrado com a passagem dos Dragões da Independência, o Primeiro Regimento de Cavalaria de Guarda, e foi seguido de uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Luciano: Você sabia que tem um canal direto com o Governo para reclamar, fazer denúncias, sugerir mudanças nos serviços públicos?

 

Gabriela: É o que vamos saber agora no nosso quadro Pra você, cidadão, de hoje.

 

"Pra você, cidadão".

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Agora, o cidadão brasileiro pode, em um só lugar, obter informações, fazer denúncias, solicitações, reclamações, sugestões e elogios aos serviços públicos. É o sistema informatizado de ouvidorias, o chamado eOuve. São 386 unidades de ouvidoria federais juntas. O serviço é gratuito e integrado com outros sistemas. Uma das principais vantagens é que o sistema permite também o encaminhamento de manifestações entre os órgãos envolvidos, sem perda de informação ou necessidade de que o cidadão reenvie a sua mensagem. Quem quiser participar dessa nova experiência, basta acessar sistema.ouvidorias.gov.br. Lá o cidadão encontra várias abas, como denúncia, reclamação e elogio, por exemplo. Aí é só escolher e preencher com o assunto, e, no final, escolher se o registro vai ou não ser anônimo. Quem completar os dados pessoais pode solicitar que sejam mantidos em sigilo. Assim, é possível acompanhar o andamento dos pedidos. Beatriz Albuquerque para a Voz do Brasil.

 

Luciano: Um equipamento que é capaz de identificar um problema em uma linha de produção e selecionar a melhor solução para resolver a irregularidade.

 

Gabriela: Essa nova fase de desenvolvimento industrial, chamada de Indústria 4.0, vai exigir mão de obra com mais qualificação.

 

Luciano: E o Brasil já começou a se preparar para essa nova fase.

 

Repórter Cleide Lopes: Há seis anos, o engenheiro mecatrônico Fernando Lopes e mais dois mestrandos da Universidade de São Paulo criaram uma empresa que usa a inteligência artificial na seleção de produtos agrícolas. Inteligência artificial é a capacidade de determinados mecanismos ou programas de computador de analisar situações e definir procedimentos. Fernando explica que a utilização do conceito aumenta a produtividade, reduz custos e traz qualidade para o consumidor.

 

Engenheiro mecatrônico - Fernando Lopes: Nosso produto, eles são câmeras inteligentes. Então a câmera tira uma foto, o computador processa essa imagem e a câmera pode tomar alguma ação, seja desligar uma máquina, mandar os dados para o servidor, daí é bem amplo, assim, as possibilidades.

 

Repórter Cleide Lopes: A inteligência artificial faz parte de um conjunto de tecnologias digitais avançadas, conhecido como Indústria 4.0, ou a 4ª Revolução Industrial. Hoje, no universo de 30 mil empresas, 2% trabalham com a Indústria 4.0, como é o caso da empresa de Fernando Lopes em São Paulo. A meta do Governo é que, em dez anos, 18% da indústria brasileira esteja usando o conceito. Para isso, algumas políticas estão sendo desenvolvidas, como explica o secretário de Inovação e Novos Negócios, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Rafael Moreira

 

Secretário de Inovação e Novos Negócios - Rafael Moreira: Nós oferecemos mais de R$ 9 milhões em crédito direcionado, por meio de bancos de fomento e agências de fomento do Governo Brasileiro, nós zeramos os impostos de importação para a importação de robôs colaborativos, robôs industriais, impressoras 3D, partes e peças para impressoras 3D, fizemos também algumas medidas com editais de fomento, para que montássemos, por exemplo, a vitrine da Indústria 4.0.

 

Repórter Cleide Lopes: A 4ª Revolução Industrial vai exigir mão de obra mais qualificada, por isso o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços lançou um mestrado e um doutorado com ênfase na região amazônica, onde fica a Zona Franca de Manaus, um dos polos industriais do país, como explica o secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério, Rafael Moreira.

 

Secretário de Inovação e Novos Negócios - Rafael Moreira: A formação de recursos humanos é fundamental para esse novo contexto. Então, qualificar, requalificar, trazer novas tecnologias que estão sendo desenvolvidas em outras partes do planetas e treinar as pessoas nessa direção é fundamental para a nossa diretriz.

 

Repórter Cleide Lopes: A ideia é formar nesta primeira turma 30 profissionais de mestrado e 15 de doutorado, que farão seus estágios de doutoramento na Universidade do Porto, em Portugal, e vão depois atuar como multiplicadores na Zona Franca de Manaus. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: Quem recebe o Bolsa Família pode ter acesso a todas as informações do benefício na palma da mão.

 

Luciano: Isso é possível com o aplicativo do programa, que pode ser baixado de graça no celular.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Facilitar o acesso à informação pelo celular para os beneficiários do Bolsa Família, esta é a proposta do aplicativo do programa, disponível de forma gratuita, em que o cidadão pode acompanhar o calendário, valor do pagamento e a situação do benefício. As informações disponíveis no aplicativo do Bolsa Família são as mesmas que o cidadão encontra no extrato de pagamento, porém com a vantagem de poder acessá-las a qualquer hora, como explica a diretora de Benefícios, da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania, Caroline Paranaíba.

 

Diretora de Benefícios - Caroline Paranaíba: Então, por exemplo, ela vai poder consultar a parcela do benefício, antes mesmo dela conseguir sacar. A situação e o benefício dela, se ele está liberado ou se ela tem que resolver alguma situação junto ao setor responsável pelo Bolsa Família no município, ela vai conseguir ver os pagamentos feitos nos meses anteriores, vai conseguir consultar as suas datas de pagamento para os próximos meses, porque cada final de Número de Identificação tem uma data para sacar.

 

Repórter Roberto Rodrigues: A ferramenta é de responsabilidade da Caixa e foi desenvolvida em conjunto com a equipe do Bolsa Família, do Ministério do Desenvolvimento Social, o MDS. Para Caroline Paranaíba, o aplicativo evita transtornos e traz facilidades ao beneficiário.

 

Diretora de Benefícios - Caroline Paranaíba: A disponibilidade do saque é uma informação importante, para a família não se deslocar antes, e chegar lá e não conseguir acessar o valor do benefício. Essa informação, nós encaminhamos para quase todas as famílias, todos os meses. Então, se tem uma situação para resolver, se tem um ponto de atenção para observar, na frequência escolar, na agenda de saúde ou na própria agenda para atualizar o cadastro, isso tudo a gente se comunica com a família lá. E o aplicativo garante que a gente chegue mais rapidamente na família com essa informação.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Para baixar o aplicativo, faça uma busca no Bolsa Família Caixa, na loja do aplicativo do seu celular. Toque no ícone amarelo e faça o download. Após instalar, é só abrir e digitar o Número de Identificação Social, o NIS. Reportagem, Roberto Rodrigues.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Luciano: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Luciano: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"A Voz do Brasil, Governo Federal".