13 de agosto de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Em 14 estados, mais o Distrito Federal, Defesa Civil está em alerta por causa da baixa umidade do ar. E em algumas cidades o estado é de emergência. A umidade não passa de 12 por cento. Estamos na Semana da Aprendizagem. E Ministério do Trabalho quer conscientizar empresas sobre obrigação de contratar jovens e adolescentes. E em mais uma série de reportagens especiais, vamos falar dos direitos do trabalhador. Hoje você vai saber sobre o FGTS, o que é e em que situações você pode sacar o dinheiro.

audio/mpeg VOZ130818.mp3 — 46838 KB




Transcrição


Apresentador Luciano Seixas: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Luciano: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 13 de agosto de 2018.

 

Luciano: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Defesa Civil de 14 estados mais o Distrito Federal está em alerta por causa da baixa umidade do ar.

 

Luciano: E em algumas cidades, o estado é de emergência.

 

Gabriela: A umidade não passa dos 12%. Helen Bernardes.

 

Repórter Helen Bernardes: Vamos falar dos riscos à saúde da população e dar as dicas para evitar tanto desconforto.

 

Luciano: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Estamos na Semana da Aprendizagem.

 

Luciano: E Ministério do Trabalho quer conscientizar empresas sobre a obrigação de contratar jovens e adolescentes. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: Hoje, o país tem uma média anual de 400 mil jovens em treinamento, o que contribui para a formação dos adolescentes e também para combater o trabalho infantil.

 

Gabriela: E em mais uma série de reportagens especiais, vamos falar dos direitos do trabalhador.

 

Luciano: Hoje, você vai saber sobre o FGTS, o que é e em que situações você pode sacar o dinheiro.

 

Gabriela: Na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Luciano Seixas.

 

Luciano: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Quatorze estados mais o Distrito Federal receberam hoje o alerta do Instituto Nacional de Meteorologia para baixa umidade do ar.

 

Luciano: O órgão é responsável por emitir alertas à Defesa Civil dos estados em caso de risco, seja com chuvas intensas ou secas prolongadas.

 

Gabriela: E atenção: em quatro estados mais o Distrito Federal o alerta é de estado de emergência, ou seja, umidade abaixo dos 12%, o que significa grande risco à saúde da população.

 

Repórter Helen Bernardes: Em cidades de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, São Paulo e Tocantins o Inmet alerta para umidade do ar de até 30%, o que, segundo a Organização Mundial de Saúde, significa estado de atenção. Por outro lado, a população que mora nos estados de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal precisam ficar ainda mais atentos. Para esses locais, o estado é de emergência. A umidade do ar está abaixo dos 12%, o que significa grande risco à saúde da população e maior possibilidade de queimadas, como explica a meteorologista chefe do Centro de Análise e Previsão do Tempo do Inmet, Morgana Almeida.

 

Meteorologista - Morgana Almeida: Porque existe o risco para a saúde humana, porque o nível de desidratação aumenta e, além disso, tem a questão dos incêndios florestais, porque nessa época do ano, como estamos há vários dias consecutivos sem chuva, e qualquer fogo que venha a ocorrer, ele pode se tornar incontrolável.

 

Repórter Helen Bernardes: A boa notícia, segundo a meteorologista, é que, nos próximos dias, haverá uma leve mudança nos estados mais críticos. Além disso, neste ano, o período da seca vem acompanhado com chuvas localizadas, o que, segundo Morgana Almeida, ameniza o calor.

 

Meteorologista - Morgana Almeida: Por exemplo, aqui no Distrito Federal, depois de 81 dias, choveu. Essa semana, apesar de toda essa secura, a gente tem uma perspectiva que novamente, no final da semana, possa haver chuva, mas isso não quer dizer o final do período seco, mas dá pelo menos uma amenizada. Mas o término por total do período seco, ele só deve ocorrer a partir de meados de setembro.

 

Repórter Helen Bernardes: E quem mora nessas regiões sente: nariz ressecado, problemas respiratórios, como rinites e sinusites, alergias e até infecções urinárias, com a falta de hidratação. A pneumologista Lícia Zanol dá as dicas sobre o que fazer para evitar tanto desconforto.

 

Pneumologista - Lícia Zanol: Tomar mais líquido, suco, água de coco, para que se mantenham sempre hidratados. Outra recomendação é de atenção com a pele. A gente tem que lembrar que a perda de líquido pela pele, ela é muito importante. Então, o uso de hidratante, pelo menos duas vezes ao dia, pode usar também à noite a toalha molhada ou a bacia de água no quarto, para poder melhorar a respiração, principalmente das crianças, no período da noite.

 

Repórter Helen Bernardes: E quem quiser acompanhar os alertas do Inmet para os próximos dias, seja para umidade ou também para as chuvas, é só acessar a página na internet: inmet.gov.br. Reportagem, Helen Bernardes.

 

Luciano: E a população de todo o país também já conta com alertas da Defesa Civil via mensagem no celular.

 

Gabriela: Em caso de estado de emergência, como este que você ouviu aí na reportagem, a Defesa Civil emite um alerta para os moradores de cada região, com as dicas sobre como se prevenir.

 

Luciano: Para isso, você precisa cadastrar sua linha, enviando uma mensagem com seu CEP para o número 40199, repetindo, 40199.

 

Gabriela: A partir daí, o celular do usuário está apto para receber os alertas assim que forem identificadas situações de risco à população.

 

Luciano: A qualquer momento, se o usuário desejar, também é possível cancelar o serviço.

 

Gabriela: Toda empresa de médio e grande porte é obrigada a contratar uma cota de adolescentes e jovens.

 

Luciano: São os jovens aprendizes, que têm a oportunidade de iniciar uma carreira profissional e se qualificar.

 

Gabriela: Eles têm acompanhamento e contrato especial, mas nem todas as empresas cumprem com a obrigação.

 

Luciano: E é por isso que o Ministério do Trabalho, em parceria com outras instituições, organiza a Semana Nacional da Aprendizagem.

 

Gabriela: A ideia é informar e fazer valer a lei em todas as empresas do país.

 

Repórter Cleide Lopes: Karine Albuquerque tem 17 anos e quase dois deles como aprendiz numa agência da Caixa Econômica Federal, em Brasília. Nesse tempo, ela garante que ganhou experiência que vai além da profissional.

 

Jovem aprendiz - Karine Albuquerque: Aprendi ter respeito pelo outro, convivência. Em quesito financeiro, de você saber o que você vai gastar, ter uma maturidade sobre isso.

 

Repórter Cleide Lopes: A Caixa tem em todo o país 3.800 jovens entre 14 e 24 anos em treinamento. A instituição reconhece as vantagens de contratar esses funcionários, como explica a coordenadora de projeto de aprendizagem da Caixa Econômica Federal, Wamilla Rodrigues.

 

Coordenadora de projeto de aprendizagem - Wamilla Rodrigues: E esse público traz pra Caixa ideias inovadoras, soluções criativas, faz um contraste com o público de empregado Caixa, e esse contraste, ele é muito bom, ele é muito favorável.

 

Repórter Cleide Lopes: Contratar adolescentes e jovens é uma obrigação criada pela Lei do Jovem Aprendiz. Ela determina que toda empresa de grande ou médio porte tenha de 5% a 15% de aprendizes entre seus funcionários. A contratação tem prazo determinado de, no máximo, dois anos e podem participar pessoas entre 14 e 24 incompletos, que tenham concluído ou então cursando o ensino fundamental ou médio. De acordo com Antônio Mendonça, chefe da divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Infantil e Promoção da Aprendizagem, do Ministério do Trabalho, hoje, o país tem uma média anual de 400 mil jovens em treinamento, o que contribui para a formação dos adolescentes e também para combater o trabalho infantil.

 

Chefe da divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Infantil e Promoção da Aprendizagem - Antônio Mendonça: Se a gente pegar, por exemplo, a partir do Decreto nº 5.598/2005, e analisar o número de aprendizes contratados, comparado com a exploração de trabalho infantil, a gente vai ver que o número da exploração de trabalho infantil caiu para menos da metade, do que havia em 2005 e do que há hoje, enquanto o número de aprendizes subiu cerca de 300%, 400%, saindo de 50 mil para 400 mil aprendizes contratados por ano.

 

Repórter Cleide Lopes: Para que outras empresas entendam a importância da contratação de adolescentes e jovens, o Ministério do Trabalho, em parceria com o Tribunal Superior do Trabalho e o Ministério Público do Trabalho, promove a 3ª Semana Nacional de Aprendizagem em todo o país, como explica Antônio Mendonça, do Ministério do Trabalho.

 

Chefe da divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Infantil e Promoção da Aprendizagem - Antônio Mendonça: É uma semana voltada para conscientizar os empresários sobre a importância da aprendizagem, mas também conscientizar os aprendizes, conscientizar juízes, procuradores, auditores fiscais do trabalho, sobre a importância de valorizar, de compreender o papel que a aprendizagem pode ter para a melhoria das condições dos adolescentes do Brasil.

 

Repórter Cleide Lopes: Gabriele Lima, de 17 anos, está no Banco do Brasil como aprendiz há um ano e oito meses. No banco, ela é responsável pelo dossiê de funcionários da instituição cedidos para outros órgãos. Além do amadurecimento pessoal, Gabriele já consegue vislumbrar uma profissão.

 

Jovem aprendiz - Gabriele Lima: Sim, vou passar no concurso do banco, se Deus quiser, é o meu sonho agora, né? Eu peguei isso pra mim.

 

Repórter Cleide Lopes: A aprendizagem é uma das maneiras de combinar educação e qualificação no trabalho, permitindo que os jovens tenham garantias trabalhistas, segurança e remuneração justa. No Brasil, o trabalho é totalmente proibido antes dos 16 anos, salvo na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Luciano: Quem trabalha com carteira assinada já sabe, o trabalho formal garante uma série de direitos que funcionam como uma proteção.

 

Gabriela: A partir desta semana, vamos falar aqui na Voz do Brasil sobre estes direitos.

 

Luciano: Na primeira reportagem, o assunto é o FGTS, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

 

Gabriela: Um dinheiro depositado todo mês pelo empregador e que serve como uma segurança em caso de demissão sem justa causa.

 

Luciano: Além desta proteção, o FGTS também pode ser usado para financiar a casa própria, além de financiar obras de saneamento, habitação e infraestrutura.

 

Publicitário - Pedro Lex: Aqui é o quarto do Gabriel, onde ele faz a bagunça dele aí.

 

Repórter Luana Karen: O publicitário Pedro Lex fala com orgulho do apartamento recém-comprado. A casa própria foi planejada durante 15 anos. Quando o filho nasceu, veio a motivação que faltava, e para tornar o projeto realidade a contribuição veio de onde Pedro nem imaginava.

 

Publicitário - Pedro Lex: Eu tenho 25 anos de carreira de publicidade, e eu já tinha saído de algumas agências, mas sempre entrava em outras e não tinha pensado no FGTS. Aí lembrei que eu podia tirar enquanto ainda estivesse trabalhando, porque a gente sempre pensa: Não, é um negócio que você tem quando você é demitido, não é? E aí o corretor que me atendeu, ele me deu a dica: "Vamos ver quanto é que você tem de FGTS", porque inclusive baixa o juros do financiamento.

 

Repórter Luana Karen: Pedro foi atendido pelo Martins Junior. De acordo com o corretor, sete em cada dez imóveis que vende têm recursos do FGTS.

 

Corretor - Martins Junior: Tem pessoas que nem comprariam imóvel se ela não tivesse esse fundo, esse saldo. E outra, as pessoas podem até comprar, como aconteceu muito comigo, de comprar um imóvel melhor por ter o FGTS.

 

Repórter Luana Karen: Além de poder ser usado na compra de imóveis, o FGTS tem outras possibilidades. O fundo, criado 52 anos atrás para garantir uma espécie de poupança ao trabalhador, também pode ser sacado quando o empregado tem uma doença grave, como câncer, ou for portador do vírus HIV. Se a conta ficar sem depósito por três anos seguidos, o dinheiro também pode ir para a mão do titular, e se for demitido sem justa causa ou se aposentar, está lá o FGTS para o que ele precisar. Henrique José Santana, gerente nacional do passivo do FGTS da Caixa Econômica Federal, destaca que o fundo não atende só o trabalhador, mas também permite investimentos no país.

 

Gerente nacional do passivo do FGTS - Henrique José Santana: Hoje, ele tem um patrimônio de cerca de R$ 500 bilhões e atende a duas grandes finalidades. Primeiro, ser proteção financeira ao trabalhador. Mas há uma outra finalidade tão relevante, que é: os recursos do FGTS são aplicados, são investidos em habitação, saneamento e infraestrutura.

 

Repórter Luana Karen: Cabe à Caixa Econômica Federal controlar as contas e o trabalhador deve ficar atento aos valores depositados. E nessa hora, a tecnologia está aí para ajudar. É o que afirma Henrique José Santana, da Caixa Econômica.

 

Gerente nacional do passivo do FGTS - Henrique José Santana: A Caixa encaminha mais de 100 milhões de extratos para a residência dos trabalhadores todo ano, mas novos mecanismos foram desenvolvidos para tornar o trabalhador fiscal da sua própria conta. Um muito especial é o envio através do SMS, e a gente já tem 22 milhões de trabalhadores que já optaram por receber através do SMS as informações da sua conta vinculada. Mas existem ainda outros mecanismos, a exemplo do aplicativo App FGTS. Mas a Caixa ainda disponibiliza o acesso nas suas agências ou através do seu site.

 

Repórter Luana Karen: Caso o FGTS não esteja sendo depositado, o trabalhador pode procurar uma Delegacia Regional do Trabalho. De acordo com o advogado Rafael Rodrigues, se o empregado não está mais na empresa, o caminho é a Justiça.

 

Advogado - Rafael Rodrigues: Procurar um advogado e ingressar com a reclamação trabalhista o mais rápido possível, porque existe uma prescrição em relação a esse direito, então o empregado, quando ele é desligado da empresa, quando ele é demitido sem justa causa, ele tem até dois anos para ingressar com a reclamação trabalhista, da data da rescisão do contrato de trabalho. E recentemente o Supremo Tribunal Federal declarou que a prescrição para reclamar os depósitos de FGTS não realizados é de cinco anos.

 

Repórter Luana Karen: Dinheiro garantido e que pode ser muito bem usado. Essa é a dica do Pedro, que conhecemos lá no início da reportagem.

 

Publicitário - Pedro Lex: Vai olhar o seu FGTS, vai descobrir quanto é que você tem, porque tem muita gente que nem sabe quanto tem, né? Você acha que está lá um dinheirinho besta e às vezes é um dinheirinho bom. E, cara, esse negócio de aluguel é complicado, porque você sempre pensa que não consegue comprar o imóvel. Você sempre está na cabeça: Não, eu não tenho dinheiro para comprar o imóvel. E às vezes você precisa de muito menos do que você acha.

 

Repórter Luana Karen: Têm direito ao FGTS quem tem carteira assinada, além dos trabalhadores rurais temporários e atletas profissionais. O empregado doméstico também pode ser incluído no sistema. O valor é o equivalente a 8% do salário bruto, e atenção: O FGTS não pode ser descontado do salário, pois é uma obrigação do patrão. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: Mais de 80 mil famílias procuram desaparecidos em todo o país.

 

Luciano: São parentes e amigos que um dia saíram de casa e nunca mais voltaram.

 

Gabriela: E para ajudar essas pessoas, a ideia é unir forças.

 

Luciano: Daqui a pouco, vamos detalhar a nova estratégia do Governo para localizar e identificar desaparecidos.

 

Gabriela: Começou hoje o prazo para entrega da declaração do imposto sobre área rural.

 

Luciano: Os detalhes você ouve agora no nosso quadro Pra você, Cidadão.

 

"Pra você, Cidadão".

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Você tem um imóvel rural, fique atento. Começa nesta segunda-feira o prazo para fazer a declaração anual territorial rural referente a 2018. A declaração deve ser feita pelo programa gerador, que está disponível no site da Receita Federal. O prazo vai até o dia 28 de setembro. O documento pode ser transmitido pela internet ou entregue em unidade removível em um posto da Receita. Para quem tiver imposto a pagar, o valor pode ser dividido em até quatro cotas iguais, mensais e consecutivas. O valor de cada cota não pode ser menor que R$ 50. Impostos devidos cujo valor for inferior a R$ 100 devem ser pagos em cota única. Todas as informações estão disponíveis e rfb.gov.br. Beatriz Albuquerque para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: Técnicos do Governo se reuniram hoje para discutir o decreto que vai estabelecer os procedimentos para a chamada relicitação.

 

Luciano: Esse processo vai permitir a uma administradora de rodovia, ferrovia ou aeroporto abrir mão do item administrado, quando estiver em dificuldades financeiras.

 

Gabriela: O decreto vai regulamentar a lei sancionada no ano passado.

 

Luciano: A empresa que devolver a concessão não terá multas e dívidas perdoadas e não poderá participar da nova licitação.

 

Repórter Gabriela Noronha: O presidente Michel Temer, ministros, técnicos e representantes de empresas privadas discutiram nesta segunda-feira no Palácio do Planalto o decreto que regulamenta a Lei de Relicitação, sancionada em maio do ano passado. Pela norma, empresas vencedoras de licitações para administrar ou construir rodovias, ferrovias ou aeroportos poderão devolver os empreendimentos ao Governo, caso fiquem impossibilitadas de cumprir o contrato por causa de problemas financeiros. De acordo com o presidente Temer, a reunião foi convocada para dar mais transparência ao processo, antes do documento ser assinado pelo Governo.

 

Presidente Michel Temer: Queremos que todo o povo brasileiro, que a imprensa em geral, acompanhe o que está por vir, que é exatamente um decreto permitindo a relicitação das rodovias. Eu convidei a todos para essa reunião para que nós possamos, transparentemente, ouvir dos nossos membros do Governo as razões que poderão nos levar à assinatura desse decreto e, de igual maneira, ouvir os senhores concessionários.

 

Repórter Gabriela Noronha: O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro, disse que o aspecto mais importante da relicitação é a continuidade dos serviços.

 

Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil - Valter Casimiro: O maior ganho desse procedimento de relicitação é a continuidade na prestação do serviço ao usuário, é não perder a qualidade do serviço ao usuário enquanto o Governo faz uma nova licitação.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para Diogo Oliveira, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, BNDES, a lei também vai facilitar o financiamento de novos projetos.

 

Presidente do BNDES - Diogo Oliveira: O projeto de relicitação, ele surge exatamente para evitar que os projetos de infraestrutura entrem nessa fase terminal. Antes disso, há uma saída organizada, em que uma parte do recurso da indenização será utilizado para fazer o pagamento desses créditos.

 

Repórter Gabriela Noronha: Atualmente, há duas concessionárias de rodovias candidatas à relicitação: a Via 040, que opera um trecho de mais de 936 quilômetros da BR-040, entre o Distrito Federal e Juiz de Fora, Minas Gerais, e a Rodovia do Aço, que administra 200 quilômetros da BR-293, no Rio de Janeiro, desde a divisa com Minas Gerais até o entroncamento com a Via Dutra. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: Unir forças para identificar e localizar desaparecidos em todo o país.

 

Luciano: Para isso, o ministro da Segurança Pública anunciou hoje uma parceria com órgãos do Poder Judiciário. Quem vai explicar pra gente que parceria é essa é o repórter Pablo Mundim, que tem as informações ao vivo. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Luciano. Boa noite, Gabriela. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. O Ministério da Segurança Pública e a Procuradoria-Geral da República firmaram um termo de cooperação técnica sobre o Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos, conhecido como Sinalid. O termo foi assinado nessa segunda-feira pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. O ministro Jungmann explicou como a cooperação entre os órgãos vai funcionar. Segundo ele, no Brasil, são mais de 80 mil pessoas desaparecidas, e essa integração pode ajudar essas famílias.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Tem 82 mil famílias que vivem a dor, que vivem a incerteza, que vivem, sobretudo, a expectativa de reencontrar os seus filhos, os seus netos, os seus pais, os seus parentes. Então, ao fazer esse protocolo, nós vamos ter acesso a todas as bases de dados que são possíveis de acessar. Por exemplo, se um desaparecido tirou um título de eleitor, nós vamos saber. Se um desaparecido, você tem um atestado de óbito, a gente vai saber. Se um outro tirou um CNH, uma carteira nacional de habilitação, você vai saber.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): E essa integração é aguardada pelas famílias que estão em busca de seus entes queridos. Nós conversamos mais cedo com a Ivanise Esperidião da Silva, de 56 anos, que 22 anos atrás criou a Associação Mães da Sé. A filha de Ivanise, a Fabiana, desapareceu em 1995, aos 13 anos. Hoje, Ivanise atua na presidência da associação em São Paulo e conta da importância dessa integração.

 

Presidente da Associação Mães da Sé - Ivanise Esperidião da Silva: Eu espero realmente, de coração, que esse sistema interligado, ele funcione de fato para minimizar a dor de milhares de mães, que, assim como eu, procuram por uma resposta, há meses, há dias, há anos. Eu procuro pela minha filha há 23 anos praticamente. E não queiram imaginar o que é a dor de não saber o que aconteceu com o seu filho.

 

Gabriela: Pablo, e hoje o ministro também falou sobre uma nova parceria com o BNDES para a construção de presídios. Explica pra gente o que é isso.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Isso mesmo, Gabriela. O ministro explicou o novo modelo de contrato de parcerias público-privada para construção de presídios no Brasil, com o apoio do BNDES. Segundo Jungmann, a participação do setor privado pode diminuir o déficit prisional no país.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Em lugar de você estar devolvendo o dinheiro, que é o que hoje está se fazendo no sistema prisional, e levando quatro a cinco anos para fazer uma unidade prisional, você vai poder fazer uma unidade prisional em seis meses, o setor privado coloca essa unidade prisional à disposição, pode fazer a hotelaria, ou seja, ele pode levar também a comida, a educação e até trabalho para aqueles que estão presos, e os estados têm 15, 20 anos para poder pagar. Eu acho que é, digamos assim, um ovo de colombo para você destravar a necessidade que nós temos e suprir as 350 mil vagas, 358 mil vagas hoje, que é o déficit que o sistema prisional brasileiro tem.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Última informação, Luciano e Gabriela. O ministro Raul Jungmann também falou que homens da Força Nacional vão reforçar a segurança de nossas fronteiras, além de dobrar o contingente de policiais federais nessa região, para combater o tráfico de drogas e armas. Ao vivo, Pablo Mundim.

 

Luciano: Os municípios de São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas, vão ganhar 18 escolas indígenas.

 

Gabriela: De acordo com o ministro da Educação, Rossieli Soares, a ideia é atender a população indígena e também ribeirinhos dos municípios de Barcelos, São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel do Rio Negro.

 

Ministro da Educação - Rossieli Soares: Nós estamos lançando a primeira etapa, por uma questão de logística, de metodologia e de processo de escolha e discussão com as comunidades. Estamos lançando essas 18, em breve lançaremos as demais, extremamente discutido. Nós temos um grande desafio no estado do Amazonas, que é atender a população ribeirinha e a população indígena, e nós temos aqui uma demanda de mais de 800 escolas em todo o estado. Mas temos uma necessidade que precisa ser olhada, e nós estamos em busca de pilotos, de testes que consigam demonstrar qual é o caminho que a gente possa chegar realmente a atender todas as comunidades.

 

Luciano: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

Luciano: Boa noite.

 

"A Voz do Brasil, Governo Federal".