14 de junho de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: No Dia Mundial da Doação de Sangue, Ministério da Saúde lança nova campanha para aumentar número de doadores. Nesta época do ano, estoques costumam cair em hemocentros do país. Tem dúvida se tem direito ao saque do PIS/PASEP liberado para todas as idades? A gente vai explicar direitinho quem pode sacar e o que deve fazer. Intervenção federal no Rio de Janeiro reduz criminalidade em 4 meses de ações. Vamos falar ainda do aplicativo para celular que pode ajudar você a economizar na feira.

audio/mpeg VOZ140618.mp3 — 45951 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Quinta feira, 14 de junho de 2018. Dia Mundial da Doação de Sangue.

 

Nasi: E Ministério da Saúde lança nova campanha para aumentar número de doadores.

 

Alessandra: Nesta época do ano, estoques costumam cair em hemocentros do país. Raíssa Lopes.

 

Repórter Raíssa Lopes: Além de fazer uma homenagem àqueles que já são doadores, o Ministério quer atrair novos voluntários, especialmente nesta época do ano.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Alessandra: Tem dúvida se tem direito ao saque do PIS/Pasep liberado para todas as idades?

 

Nasi: A gente vai explicar direitinho quem pode sacar e o que deve fazer.

 

Alessandra: Intervenção federal no Rio de Janeiro reduz criminalidade em quatro meses de ações. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: O roubo de veículos diminuiu cerca de 6% e o cargas caiu mais de 15% em maio, comparado a abril.

 

Nasi: Vamos falar ainda do aplicativo para celular que pode ajudar você a economizar na feira.

 

Alessandra: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Alessandra: E a gente abre essa edição da Voz do Brasil falando sobre o saque das cotas do PIS/Pasep que foi ampliado para trabalhadores de todas as idades.

 

Nasi: É, e você que está aí nos ouvindo, sabe se tem ou não direito ao benefício?

 

Alessandra: Pois é, Nasi, de ontem para hoje vimos que muita gente tem dúvida e nem sabe que tem dinheiro para receber.

 

Nasi: E para ajudar a tirar todas essas dúvidas a gente conversa agora com o jornalista Eduardo Biagini, que está aqui no estúdio da gente. Boa noite, Eduardo.

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Alessandra. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Vamos aí tirar as dúvidas.

 

Nasi: Eduardo, só para relembrar, quem tem direito a sacar as cotas do PIS/Pasep?

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Então, vamos recapitular. Quem trabalhou com Carteira assinada entre 1971 até outubro de 1988 tem direito a receber a cota do PIS/Pasep, que era uma contribuição depositada por empresas e pelo serviço público na época. E aqui é importante não confundir a cota com o abono salarial do PIS/Pasep, que é um benefício pago até hoje, de um salário mínimo, para trabalhadores que recebem, em média, até dois salários mínimos por mês. Feita essa explicação, vamos continuar. Antes dessa mudança anunciada ontem, de garantia que todos os trabalhadores que têm direito possam sacar o PIS/Pasep, só quem tinha mais de 60 anos podia fazer esse saque. Então, se você trabalhou entre 1971 e 1988 e ainda não sacou o PIS/Pasep, é bom ficar atento, porque você tem direito a esse dinheiro que está parado.

 

Alessandra: E, Eduardo, essa medida também vale para quem ainda está trabalhando?

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Sim, Alessandra. Se o trabalhador tem direito à cota, pode fazer o saque, respeitando o calendário de pagamento.

 

Nasi: Então, quando começam esses pagamentos?

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Os saques começam na segunda-feira da semana que vem, dia 18, Nasi, e vão até o dia 29 junho, mas isso só para quem tem entre 57 e 59 anos. Eles podem procurar uma agência da Caixa, no caso de quem trabalha ou trabalhou em empresa privada, ou do Banco do Brasil para servidores públicos. Do dia 30 de junho ao dia 7 de agosto o calendário de pagamentos é suspenso, isso porque às cotas, elas recebem um reajuste. No ano passado, por exemplo, o saldo das contas foi corrigido 8,8%.

 

Alessandra: Hum, importante essa informação, hein, Eduardo? Isso significa, então, que quem sacar só em agosto vai receber mais?

 

REPÓRTER EDUARDO BIAGINI: Isso, Alessandra. Então, a dica é para quem puder esperar até agosto para fazer esse saque, porque vai receber um dinheiro a mais. No dia 8 de agosto, o calendário vai ser retomado, aí nessa fase, quem tem conta na Caixa ou na Banco do Brasil vai receber o depósito de forma automática. A estimativa do governo é que 16 milhões de pessoas que têm direito à cota sejam correntistas desses bancos, somando R$ 5 bilhões. No dia 14 de agosto começa a terceira fase do calendário, para todos os cotistas. Apenas os beneficiários de até 59 anos devem ficar atentos porque o prazo para saques para eles termina no dia 29 de setembro, depois dessa data, apenas cotista com 60 anos ou mais vão pode sacar o benefício.

 

Nasi: E no caso de alguém que já morreu, esse benefício pode ser sacado por alguém da família?

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Sim, os herdeiros têm direito a esse saque. Para quem está nessa situação, vamos passar as dicas agora. Antes de mais nada, separe a documentação básica. Você vai precisar do CPF, o número do NIS, do PIS e do Pasep e da data nascimento do trabalhador que morreu. Com tudo isso em mãos, você pode consultar se existe saldo da conta do PIS/Pasep. Para quem era trabalhador da iniciativa privada, isso pode ser feito em uma agência da Caixa Econômica ou na página do banco na internet, anota aí www.caixa.gov.br/cotaspis. Para servidores públicos falecidos a consulta pode ser feita no Banco do Brasil ou na página do banco na internet. Vamos lá: www.bb.com.br/pasep. Se houver saldo para saque é hora de partir para a próxima etapa. Para sacar você vai precisar de outros documentos e lista está lá nos sites dos bancos que eu acabei de falar.

 

Alessandra: E o governo, Eduardo, já tem uma estimativa de quantas pessoas podem sacar esse dinheiro?

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Tem sim, Alessandra. Pelas contas do governo, 25 milhões de cotistas ainda não sacaram esse benefício. Se todos eles fizerem esse saque, seriam R$ 34 bilhões a mais na economia. Além de ajudar as famílias a organizarem o orçamento doméstico, pagar uma dívida, fazer uma pequena reforma, realizar um projeto adiado, todo esse dinheiro também vai ajudar no crescimento da economia, foi o que explicou o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago. Vamos ouvir.

 

Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Esteves Colnago: Bom, são dois objetivos, né? Primeiro é dar a possibilidade de as pessoas de ter acesso a uma poupança que é dela, uma poupança que foi constituída ali até 1988, e de lá para cá vem sendo corrigida. Tinha várias restrições de saque. Então, o objeto do governo é facilitar o acesso dessas pessoas a uma poupança que é dela. E obviamente isso pode ajudar a economia a retomar o seu crescimento, né? A ganhar tração. Então, a economia, ela vinha ganhando tração do primeiro trimestre, nós tivemos um incidente dos caminhoneiros, e agora a gente precisa retomar esse crescimento. Então, se os R$ 34 bilhões que ainda restam a ser sacados, forem sacados, nós estimamos que isso pode ajudar o PIB em quase 0,5%, o que é bastante.

 

Repórter Eduardo Biagini (ao vivo): Bom, se você ainda estiver com dúvidas ou precisa de mais explicações, a nossa dica é entrar nas páginas da Caixa ou do Banco do Brasil na internet ou procurar uma agência mais próxima. Lembrando que na Caixa é para trabalhadores da iniciativa privada e do Banco do Brasil, para servidores públicos. Nasi.

 

Nasi: Obrigado, Eduardo, Biagini, pelos detalhes. E a Voz do Brasil vai acompanhar todo o calendário de saques para levar a você todos os detalhes dessa medida. É só ficar ligado com a gente.

 

Alessandra: Férias escolares, festas juninas, época boa, cheia de atrações em todo o país.

 

Nasi: Mas, também é nesse período que muita gente deixa de doar sangue, e os estoques costumam cair.

 

Alessandra: E é para fazer esse alerta que o Ministério da Saúde lançou hoje mais uma campanha para incentivar doadores, aproveitando também a data que marca o Dia Mundial da Doação de Sangue.

 

"Eu só queria dizer obrigado. Obrigado por me dar mais tempo com a minha família. Obrigado pela sua doação de sangue".

 

"Doe sangue regularmente. Tem sempre alguém precisando de você. Procure o hemocentro mais próximo e seja um doador".

 

Nasi: É, você acabou de ouvir a campanha que vai ser veiculada em todo o país.

 

Alessandra: Então, se você tem boa saúde e pesa mais de 50 quilos e tem entre 16 e 69 anos, essa pode ser a sua oportunidade de salvar vidas.

 

Repórter Raíssa Lopes: O técnico em radiologia Dario do Santos precisou de uma transfusão de sangue assim que nasceu. Depois de adulto, percebeu que só está vivo porque alguém doou voluntariamente sangue, e também passou a ser um doador regular.

 

Técnico em radiologia - Dario do Santos: Porque eu estou ajudando fazendo o bem sem ver a quem, né? E isso é muito importante. Sinto feliz em ajudar as pessoas, uma doação... uma simples doação de sangue que pode salvar vidas.

 

Repórter Raíssa Lopes: Dario é um dos participantes da Campanha Nacional de Doação de Sangue, lançada nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde. Além de fazer uma homenagem àqueles que já são doadores, o Ministério quer atrair novos voluntários, especialmente nesta época do ano, quando os estoques dos bancos de sangue do país costumam diminuir, como o explica o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Adeílson Cavalcanti.

 

Secretário-executivo do Ministério da Saúde - Adeílson Cavalcanti: Nesse período que junta inverno, férias e períodos de festas, você tem uma redução natural que ocorre todos os anos. E é por essa razão que a campanha desta data, para fortalecer o ato da doação e deixar os bancos de sangue abastecidos para que a gente possa fazer frente às necessidades do dia a dia.

 

Repórter Raíssa Lopes: No Brasil, pessoas entre 16 e 69 anos podem ser doadores de sangue. Para os menores de 18 anos é necessária a autorização dos responsáveis. É preciso pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde. A pessoa deve estar descansada, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação e não estar de jejum. No dia é preciso levar documentos de identidade com foto. Homens podem doar até quatro vezes por ano, mulheres três. Marcelo Veiga é técnico do Bragantino, time de futebol do anterior de São Paulo. Após descobrir que um ex-atleta da equipe está de leucemia e vai precisar de sangue, realizou uma campanha para que jogadores e equipe técnica doassem. A adesão foi grande e eles devem continuar a doar, como diz Marcelo.

 

Técnico d e futebol - Marcelo Veiga: O pessoal que foi pela primeira vez, que não tinha ido e conheceu o hospital, que foi o Instituto Brasileiro do Combate ao Câncer, eles tiveram uma outra visão, né? E hoje, com certeza, a gente ganhou mais um monte de gente doador aí.

 

Repórter Raíssa Lopes: Cada doação pode beneficiar até pode quatro vidas. Segundo o Ministério da Saúde, 1,6% da população brasileira é doadora de sangue, percentual maior do que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde, que é 1%. O Brasil é referência na América Latina, Caribe e África. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Nasi: Quer saber quais frutas e verduras estão mais baratas na feira da sua cidade?

 

Alessandra: Um aplicativo pode te ajudar a economizar e comprar só o que está mais em conta.

 

Nasi: Ainda nesta edição vamos falar dessa novidade. Não saia daí. Os números da criminalidade no Rio de Janeiro diminuíram desde que começou a intervenção militar no estado, em fevereiro.

 

Alessandra: Estudo do Instituto de Segurança Pública mostra que houve redução nos índices de homicídios dolosos, roubo de veículos e de cargas.

 

Nasi: Hoje, o general do Exército, Braga Netto, responsável pela intervenção, fez um balanço os resultados já alcançados e entregou ao Presidente Michel Temer o plano estratégico da ação federal no Rio.

 

Repórter Luana Karen: Perto de completar quatro meses, a intervenção federal no Rio de Janeiro já apresenta resultados. Dados do Instituto de Segurança Pública mostram que o número de homicídios dolosos, aqueles em que há a intenção de matar, caiu quase 12% em maio, comparado a abril. O roubo de veículos diminuiu cerca de 6% e o de cargas caiu mais de 15% no mesmo período. Segundo o general no Exército, Braga Netto, interventor federal no Rio de Janeiro, a redução da criminalidade é um dos objetivos do plano estratégico da intervenção na segurança pública do estado, apresentado, hoje, ao Presidente Michel Temer.

 

General no Exército - Braga Netto: A redução dos índices de criminalidade, esse é um objetivo estratégico. O plano meu, ele é inclusive, um legado para governos futuros. Ele tem continuidade.

 

Repórter Luana Karen: O plano tem cinco objetivos, além de reduzir a criminalidade, a intervenção na segurança pública no Rio de Janeiro pretende recuperar a capacidade de operação das forças do estado. Para isso, segundo o general Braga Netto, cerca de 40% do orçamento de R$ 1,2 bilhão destinado à intervenção já está em processo de compra, e até setembro todas as aquisições devem ter sido concluídas.

 

General no Exército - Braga Netto: Já estamos em processo de licitação de proximamente 40% dos valores que foram fornecidos, mas eu tenho que seguir os procedimentos. O TCU está me observando, mesmo com inexigibilidade ou dispensa de licitação, eu tenho que especificar o material que é comprado e toda as secretarias que estão ligadas à intervenção estão sendo beneficiadas.

 

Repórter Luana Karen: O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que governo está rediscutindo a distribuição de partes do prêmio da Loteria, para que a destinação de verba para a Ministério da Segurança Pública não prejudique áreas como Cultura e Esporte.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Você tem três usos para esse recurso. Um uso é o prêmio, o chamado payout, para aqueles que ganhassem naquelas loterias. O outro uso é o custo da administração da Caixa, o terceiro é o que é redistribuído. Você vai fazer do interior disso aí uma redistribuição para que essas áreas sejam atendidas. Nós estamos tentando isso, agora é evidente, tem que observar a Lei de Responsabilidade Fiscal e isso tudo que a gente convive hoje.

 

Repórter Luana Karen: A intervenção federal na segurança pública no Rio de Janeiro vai até o dia 31 de dezembro deste ano. O plano estratégico apresentado hoje também traz sugestões para o próximo governo de Rio de Janeiro. Reportagem, Luana Karen.

 

"Momento social".

 

Alessandra: Idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência que recebem o BPC devem estar inscritos no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal.

 

Nasi: A Patrícia de Oliveira quer saber o porquê desse cadastro e o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, responde.

 

Entrevistada - Patrícia de Oliveira: Olá, ministro. Eu sou Patrícia Braga de Oliveira, moro em Brasília, no Distrito Federal, e eu gostaria de saber qual é a importância da pessoa idosa e do deficiente que recebem BPC estarem inscritos no Cadastro Único?

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Olá, Patrícia. A inscrição no Castro Único para todos os beneficiários do BPC é obrigatória. Por que é que importante o Cadastro Único? Para que o governo possa conhecer melhor os beneficiários do BPC, e que esses beneficiários possam ter acesso a outros programas sociais do Governo Federal, como Minha Casa, Minha Vida, a tarifa social de energia elétrica, enfim, são mais de 20 programas do governo que podem ser acessados desde que as pessoas estejam cadastradas no Cadastro Único. O prazo de inscrição no cadastro vai até dezembro deste ano. Então, é importante não deixar para a última hora. Compareça a um Cras, um Centro de Referência de Assistência Social, do seu município, ou compareça à Prefeitura Municipal para obter informações, ou ainda pode ligar para telefone 135 e perguntar o endereço do centro de referência mais próximo de onde você mora. Mas não deixe para última hora, faça o cadastro logo.

 

Alessandra: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, mande para a gente.

 

Nasi: Pode ser por e-mail no endereço: voz@ebc.com.br e tem também do nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Alessandra: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe.

 

Nasi: Mais proteção para as florestas, reservas e áreas de preservação ambiental.

 

Alessandra: Um acordo entre o Ministério do Meio Ambiente e o Conselho Nacional do Ministério Público vai reforçar as ações de fiscalização ambiental no país.

 

Nasi: O conselho terá acesso aos dados do sistema de Cadastro Ambiental Rural, que reúne dados de mais de 5 milhões de propriedades rurais no país.

 

Alessandra: De acordo com o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, esse acordo vai permitir que o Ministério Público atue com mais rapidez contra o desmatamento em áreas protegidas.

 

Ministro do Meio Ambiente - Edson Duarte: É um instrumento importante e necessário na consolidação do trabalho de acompanhamento e fiscalização importante para valorizar a propriedade rural brasileira, o produtor brasileiro, e, ao mesmo tempo, impedir que o uso indevido do cadastrado ou da propriedade rural para fins, como por exemplo, o desmatamento ilegal nos nossos biomas, como da Amazônia. Essa integração entre o Cadastro Ambiental Rural, as atividades do Ministério do Meio Ambiente, em parceria com o Ministério Público Federal, é, de fato, estratégico na consolidação da Política Nacional de Meio Ambiente, e, em especial, o combate ao desmatamento ilegal dos nossos biomas.

 

Nasi: Você ouviu falar em internet das coisas?

 

Alessandra: Cada vez mais os eletrodomésticos, meios de transporte e até mesmo roupas conectadas à internet e outros dispositivos.

 

Nasi: A internet das coisas é justamente essa revolução tecnológica de itens do nosso dia a dia.

 

Alessandra: E o BNDES abriu, hoje, edital para a seleção de projetos. A ideia é investir em novas tecnologias que facilitam a vida dos brasileiros.

 

Repórter Pablo Mundim: Imagina se, por um simples comando de voz, fosse possível controlar os eletrodomésticos ou fazer o acompanhamento da sua saúde pelo próprio celular. Inovação que já é realidade no Morro do Alemão, no Rio de Janeiro. Para 400 moradores com diabetes ou hipertensão a tecnologia traz uma vida mais tranquila. Há quase um ano uma empresa monitora os pacientes por meio de aplicativo do celular. Os dados são enviados pela internet para a clínica, que encaminha a assistência médica. Soluções que surgem com a tecnologia da internet das coisas, como explica o diretor da empresa que desenvolveu o aplicativo, Francisco Giacomini Soares.

 

Diretor de empresa - Francisco Giacomini Soares: O uso de tecnologias móveis pode melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, dando prioridade ao atendimento.

 

Repórter Pablo Mundim: Assim como o projeto do Morro do Alemão, outras ideias também podem ser desenvolvidas para melhorar o dia a dia. E, para isso, o Governo Federal lançou, nesta quinta-feira, a seleção de projetos-piloto de internet das coisas. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, vai financiar os projetos em diferentes áreas, como explica o ministro do BNDES, Diogo Oliveira.

 

Ministro do BNDES - Diogo Oliveira: Entidades de pesquisa aliadas a empresas e outras instituições de interesse público possam formular projetos utilizando essas tecnologias da internet das coisas aplicadas na área de saúde, na área rural, na área de cidades e na área de indústria.

 

Repórter Pablo Mundim: A ideia da seleção de projetos, segundo o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, é colocar o Brasil na vanguarda internacional da tecnologia.

 

Ministro da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab: A participação do BNDES é fundamental para que a gente possa preparar o Brasil no mesmo momento que os outros países atingirem a sua plenitude na utilização, na implantação da internet das coisas, nós estarmos também vivendo o mesmo momento.

 

Repórter Pablo Mundim: O investimento total é de R$ 20 milhões. Podem participar instituições tecnológicas públicas ou privadas sem fins lucrativos, com até três projetos cada. As propostas devem enviadas até 31 de agosto pelo site: bndes.gov.br. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: O mês de abril foi positivo para o comércio varejista e para o setor de serviços no Brasil.

 

Alessandra: Ontem, o IBGE divulgou que o varejo havia crescimento 1% de março para abril. Hoje, o instituto informa que os serviços também cresceram um 1% no mesmo período.

 

Nasi: É a primeira vez que o setor registra crescimento no ano, e o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, conta quais foram setores que mais cresceram em abril.

 

Gerente da pesquisa - Rodrigo Lobo: A gente tem a maioria das atividades mostrando crescimento, com quatro das cinco atividades avançando em relação à março, com destaque para os transportes, que avançaram 1,2%, e para o setor de serviços profissionais, que avançaram 1,7%.

 

Alessandra: Vai fazer a feira? Já sabe quando quanto está custando o quilo do tomate, do chuchu, enfim, das verduras, legumes e frutas?

 

Nasi: Pois é, agora, antes de sair de casa, você pode acompanhar, pelo smartphone, os preços praticados pelas Ceasas de todo país.

 

Repórter Cleide Lopes: Acompanhar diariamente, de forma eletrônica, sem sair de casa, a subida e descida dos preços dos hortifrutigranjeiros em todo o país. Isto é possível graça a um aplicativo que acabou de ser lançado pela Companhia Nacional de Abastecimento, Conab. Para o consumidor, facilidade na busca pelos preços mais baixos, para os comerciantes e produtores, a consulta ao aplicativo ajuda a modelar a tabela de valores praticada de acordo com a movimentação do mercado. A produtora familiar Neide Xavier, que produz na região rural de Brasília cerca de 500 caixas de hortifrutigranjeiros por semana, entre milho, cenoura, beterraba, tomate, vagem, chuchu e folhagem, e comercializa na Ceasa, a novidade agradou Neide, que garante que a nova tecnologia vai ajudar na comercialização de seus produtos.

 

Produtora familiar - Neide Xavier: A gente abre o aplicativo e imediatamente a gente sabe quanto que a gente pode comercializar ou não.

 

Repórter Cleide Lopes: Já o comerciante Alex Ramos, que compra por semana 2 mil quilos de vegetais, diz que o aplicativo vai ajudar a garantir bom preço para o consumidor.

 

Comerciante - Alex Ramos: Porque a gente comprando mais barato, a gente vai repor a mercadoria na prateleira para o cliente mais barato também, né?

 

Repórter Cleide Lopes: Ele disponibiliza os preços diários de 48 produtos hortifrutigranjeiros nas 40 centrais de abastecimentos de capitais e do anterior do país, como explica o gerente de modernização do mercado hortifrutigranjeiro da Campanha Nacional de Abastecimento, Conab, Erick Farias.

 

Gerente de modernização do mercado hortifrutigranjeiro da Conab - Erick Farias: Esses 48 produtos abrangem 90% da comercialização realizada nesses mercados, né? A gente não pode estabelecer preço de mercado, mas quanto mais transparência, o mercado vai se autorregulando.

 

Repórter Cleide Lopes: Aplicativo semelhante chamado Ceasa de Bolso, já está disponível para os produtores cearenses desde 2016. Segundo o presidente das centrais de abastecimento do Ceasa do Ceará, Maximiliano Quintino, o aplicativo tem ajudado os produtores do estado a regular preços.

 

Presidente das centrais de abastecimento do Ceasa do Ceará - Maximiliano Quintino: Isso abriu, de fato, para que as Ceasas sirvam como referências dos seus preços.

 

Repórter Cleide Lopes: O aplicativo Prohort Ceasas é gratuito, basta baixar no smartphone. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E a gente termina esta edição da Voz do Brasil com uma mensagem do Presidente Michel Temer sobre o início da Copa do Mundo de Futebol.

 

Alessandra: Temer deseja boa sorte aos jogadores que vão defender o país e convoca o povo brasileiro para a torcida rumo ao hexa. Vamos ouvir.

 

Presidente Michel Temer: Somos mais de 200 milhões de corações pulsando, batendo forte por nosso país. Vamos todos torcer pela nossa seleção. É hora de acreditar na força da camisa verde e amarela, no talento de nossos jogadores, na tradição da única seleção, convenhamos, pentacampeã do mundo. O Brasil sempre é favorito, jogadores unidos formam um time fortíssimo. A partir de agora, desaparecem todas as diferenças, prevalece nossa alma verde e amarela. E todos nós estaremos juntos na mesma torcida, na mesma fé na vitória de nosso país. É hora de todos nos somarmos aos 11 que estarão no gramado. Boa sorte aos atletas de ouro do Brasil. E vamos rumo ao hexa.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Alessandra: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Alessandra: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Nasi: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".