15 de março de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Presidente Michel Temer convoca reunião de emergência. E condena assassinato da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro. Ministro das Segurança, Raul Jungmann, acompanha de perto as investigações. Criada política para ampliar ações voltadas para os jovens. Governo tenta reverter tarifa de importação do aço pelos Estados Unidos. Mais uma obra que vai ser retomada pelo programa Avançar. O BRT de Goiânia vai atender 120 mil pessoas por dia.

audio/mpeg VOZ150318.mp3 — 46882 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 15 de março de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Presidente Michel Temer convoca reunião de emergência.

 

Nasi: E condena assassinato da vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro.

 

Presidente Michel Temer: Não destruirão o nosso futuro. Nós destruiremos o banditismo antes.

 

Gabriela: Ministro da Segurança, Raul Jungmann, acompanha de perto as investigações.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: O recado que eu dei, repito aqui, é que quem cometeu esse bárbaro crime não ficará impune.

 

Nasi: Você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Criada política para ampliar ações voltadas os jovens. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Além do Sistema Nacional da Juventude, o governo também lançou um pacote com 12 novas iniciativas para os mais de 50 milhões de jovens com idade entre 15 e 29 anos no Brasil.

 

Nasi: Governo tenta reverter tarifa de importação do aço pelos Estados Unidos. Paola De Orte.

 

Repórter Paola De Orte: Embaixador do Brasil em Washington conversou com a Voz do Brasil sobre estratégias do governo para reverter decisão dos Estados Unidos.

 

Gabriela: E vamos falar de mais uma obra que vai ser retomada pelo Programa Avançar.

 

Nasi: O BRT de Goiânia vai atender 120 mil pessoas por dia.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gob.br.

 

Gabriela: O governo vai acompanhar de perto as investigações sobre a morte da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

 

Nasi: A vereadora e o motorista foram assassinados a tiros na noite de ontem, depois de saírem de um evento no centro da cidade.

 

Gabriela: O presidente Michel Temer convocou uma reunião de emergência hoje com ministros para discutir a investigação desse crime e determinou a ida do ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, ao Rio de Janeiro para acompanhar de perto as investigações.

 

Repórter Eduardo Biagini: O presidente Michel Temer convocou uma reunião de emergência com ministros logo na manhã desta quinta-feira para tratar da investigação do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco, e do seu motorista, Anderson Gomes. Temer condenou o crime, afirmando que ele é inaceitável. O presidente lembrou das manifestações e do trabalho da vereadora a favor da paz e tranquilidade no Rio de Janeiro, lembrando que esses também são objetivos da intervenção federal no estado. Michel Temer afirmou que o crime organizado não vai destruir o futuro do país.

 

Presidente Michel Temer: O assassinato da vereadora Marielle e do seu motorista, o Anderson Gomes, é inaceitável, inadmissível, como todos os demais assassinatos que ocorreram no Rio de Janeiro. É um verdadeiro atentado ao estado de direito e um atentado à democracia. Eu quero não só me solidarizar com a família da Marielle, do Anderson Gomes, o seu motorista, e me solidarizar com todos aqueles que foram vítimas de violência no Rio de Janeiro, mas salientar que estas quadrilhas organizadas, essas organizações criminosas, não matarão o nosso futuro.

 

Repórter Eduardo Biagini: Durante a reunião, o presidente Michel Temer determinou que o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, acompanhe todas as investigações sobre os assassinatos. Depois de participar de um evento em Fortaleza, no Ceará, Jungmann embarcou para o Rio de Janeiro, onde vai se encontrar com o interventor federal no estado, general Braga Netto, e as autoridades policiais locais para tratar do crime. O ministro afirmou que as mortes da vereadora e do motorista não vão ficar impunes.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Quem cometeu esse bárbaro crime não ficará impune. Eu estou saindo daqui direto para o Rio de Janeiro por determinação do Sr. Presidente da República, aonde me reunirei com todas as forças de segurança que estão trabalhando nesse momento conjuntamente para desvendar esse crime.

 

Repórter Eduardo Biagini: Em São Paulo, o ministro da Justiça, Torquato Jardim, lamentou as mortes. O ministro afirmou que o crime não é uma ameaça a eficácia da intervenção federal no Rio de Janeiro.

 

Ministro da Justiça - Torquato Jardim: Foi uma tragédia, mais uma tragédia diária do Rio de Janeiro, lamentável. É preciso conhecer bem as razões e ir atrás dos responsáveis. Isso não põe em xeque a eficácia da intervenção federal.

 

Repórter Eduardo Biagini: Em nota, o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, reforçou o pedido de rigor nas investigações do crime e informou que a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos está mobilizada para acompanhar o caso. Reportagem, Eduardo Biagini.

 

Nasi: E ainda nesta edição você vai saber mais detalhes aqui na Voz do Brasil sobre as ações do governo para investigar este crime.

 

Gabriela: E hoje foi lançado pelo governo um pacote de medidas voltadas para a juventude brasileira.

 

Nasi: Iniciativas como a oferta de cursos de empreendedorismo para jovens da periferia e aulas de esportes.

 

Gabriela: O presidente Michel Temer também assinou um decreto que queria o Sistema Nacional de Juventude.

 

Nasi: A ideia é organizar ações da União, estados e municípios nessa área.

 

Repórter Pablo Mundim: Música, dança e poesia. Evento com a participação dos jovens e também com a cara dos jovens. Até o presidente Michel Temer entrou no clima e brincou de equilibrar uma bola de basquete rodando em cima de uma caneta.

 

Presidente Michel Temer: Olha, eu quero dizer a vocês que a bola caiu, mas eu segurei a caneta. Sabe para quê? Para assinar todos os atos necessários ao desenvolvimento da juventude no nosso país.

 

Repórter Pablo Mundim: Com a caneta, Temer assinou um decreto que prevê a regulamentação do Sistema Nacional de Juventude, um modelo que articula esforços dos três níveis de governo, ou seja, municípios, estados e a União na execução da Política Nacional de Juventude. E para Temer as ações para a juventude vão continuar.

 

Presidente Michel Temer: Nós temos que proteger, estimular, valorizar e, olhe, é assustador, mas valorizar os mais de 50 milhões de jovens em nosso país, ou seja, o nosso país é jovem, mas os jovens do nosso país poderão construir um país muito mais sólido, muito mais desenvolvido agora e no futuro.

 

Repórter Pablo Mundim: Além do Sistema Nacional da Juventude, o governo também lançou um pacote com 12 novas iniciativas para os mais de 50 milhões de jovens com idade entre 15 e 29 anos no Brasil. Entre as ações, a ampliação de aulas de esporte no Rio de Janeiro, a realização de diagnósticos focados na atenção e assistência aos jovens rurais e LGBT, e a implantação de 27 espaços físicos voltados para o lazer e a capacitação de jovens pelo país. Várias ações para jovens da periferia, como detalha o secretário Nacional da Juventude, Assis Filho.

 

Secretário Nacional da Juventude - Assis Filho: O Projeto Inovar Jovem, que na sua primeira fase de implantação vai capacitar 2 mil jovens negros e negras nas periferias do Brasil com cursos de empreendedorismos para esses jovens.

 

Repórter Pablo Mundim: A representante da sociedade civil no Conselho Nacional da Juventude, Desire Queiroz, destacou a importância das ações no combate à violência de jovens e também lembrou a morte da vereadora Marielle Franco, assassinada na noite desta quarta-feira no Rio de Janeiro.

 

Representante da Sociedade Civil no Conselho Nacional da Juventude - Desire Queiroz: Nós somos os mais afetados pela violência, pela exploração, pelos problemas sociais, e justamente com esse lançamento do pacote nós garantiremos que não ocorram outras histórias como a da Marielle.

 

Repórter Pablo Mundim: A morte da vereadora também foi lembrada pelo presidente Michel Temer, que durante o evento pediu um minuto de silêncio. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: Nesta semana, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, enviou uma carta ao representante de comércio americano para que o Brasil fique fora das novas tarifas para a importação do aço e do alumínio aos Estados Unidos.

 

Nasi: A correspondente da Voz do Brasil em Washington, Paola De Orte, conversou hoje com o embaixador brasileiro por lá e tem os detalhes sobre as estratégias do país para reverter a medida.

 

Repórter Paola De Orte: A carta enviada pelo governo brasileiro ao Departamento de Comércio Americano argumenta que Brasil e Estados Unidos têm indústrias complementares na área do aço e lembra a parceria histórica entre os dois países. Segundo o embaixador Sérgio Amaral, o país tem bons argumentos para ser poupado da taxa de 25% para as importações de aço e de 10% para as importações de alumínio. Entre eles, o fato de que o saldo do comércio de produtos e serviços entre os dois países foi superavitário em US$ 250 bilhões para os Estados Unidos nos últimos dez anos. O embaixador tem confiança na reversão da medida e os números mostram que a parceria com o Brasil aumenta a competitividade americana.

 

Embaixador do Brasil em Washington - Sérgio Amaral: Eu tenho confiança de que nós poderemos resolver essa questão em conversa com o governo americano. Essa complementaridade que existe, ela não prejudica a indústria americana, pelo contrário, ela aumenta a sua competitividade.

 

Repórter Paola De Orte: O embaixador Sérgio Amaral também destacou a importância das indústrias brasileiras que produzem aço para a geração de empregos em território norte-americano.

 

Embaixador do Brasil em Washington - Sérgio Amaral: Nós temos US$ 11 bilhões de investimentos de empresas brasileiras nos setor do aço. Essas indústrias, onde elas trabalham, estão gerando emprego, elas estão criando riqueza. Nós não somos parte do problema, nós somos parte da solução.

 

Repórter Paola De Orte: Já em São Paulo, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, que esteve em Washington pouco antes do anúncio do governo norte-americano, disse hoje que deve voltar aos Estados Unidos em breve para fortalecer as negociações bilaterais com o governo norte-americano.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge de Lima: Eu e o ministro Aloysio Nunes estaremos indo até os Estados Unidos também para tentar entender de que forma será feito esse recurso, porque ainda não está claro não apenas para o Brasil, mas para os demais países afetados, e a partir daí, apresentarmos, quer seja o setor privado, quer seja o governo brasileiro.

 

Repórter Paola De Orte: A justificativa do governo dos Estados Unidos para o aumento das tarifas é de segurança nacional. O Brasil é o segundo maior exportador de aço para os Estados Unidos e a sobretaxação pode implicar em perda de 10 mil empregos no Brasil. De Washington, nos Estados Unidos, Paola De Orte.

 

Gabriela: E a gente volta a falar sobre o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

 

Nasi: O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, está no Rio de Janeiro, onde participou de uma reunião com autoridades de segurança nacionais e locais para tratar da investigação do crime.

 

Gabriela: A repórter Luana Karen está no local da reunião e traz mais informações, ao vivo. Boa noite, Luana.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que vai acompanhar pessoalmente o caso até que ele seja encerrado. Jungmann afirmou que as investigações vão ficar a cargo da Polícia Civil do Rio de Janeiro, mas que como o estado está sob intervenção federal, será um trabalho integrado.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Estão aqui trabalhando de forma integrada as polícias estaduais, Polícia Civil, Polícia Militar, e juntamente com eles a Polícia Federal, a Abin, a Secretaria Nacional de Segurança Pública e a inteligência das Forças Armadas, Marinha, Exército e Aeronáutica. Todos, todos somando esforços para que a Justiça seja feita e esse bárbaro crime, ele tenha a devida punição e os seus responsáveis vão parar na cadeia. Essa é a nossa determinação.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Jungmann não quis falar sobre os detalhes da investigação, mas afirmou que todas as hipóteses estão sendo consideradas. A vereadora Marielle Franco nasceu e foi criada no Complexo da Maré, uma das regiões mais violentas do Rio. Nas eleições municipais de 2016, Marielle foi a quinta vereadora com maior número de votos. Ela cumpria o primeiro mandato como vereadora da cidade do Rio de Janeiro. Entre as bandeiras defendidas por Marielle estava o respeito aos direitos da mulher e a luta contra o racismo e a desigualdade de gênero. Ao vivo, Luana Karen.

 

Gabriela: 19h13 em Brasília.

 

Nasi: Mais uma obra parada vai sair do papel.

 

Gabriela: Daqui a pouco vamos falar da liberação de recursos para finalizar o BRT em Goiânia.

 

Nasi: Um empreendimento que vai garantir mobilidade para 120 mil moradores da capital e região metropolitana.

 

"Momento Social".

 

Gabriela: Hoje o nosso quadro responde à pergunta da potiguar Jacqueline Martins.

 

Nasi: Ela recebe o Bolsa Família e quer saber se as famílias que participam do Criança Feliz recebem algum valor a mais. Quem responde é o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra.

 

Ouvinte da Voz do Brasil - Jacqueline Martins: Alô, ministro. O meu nome é Jacqueline Martins, moro no Rio Grande do Norte, em Parnamirim. Eu gostaria de saber: quem faz parte do Criança Feliz recebe um valor a mais no Bolsa Família?

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Jacqueline, as famílias que são atendidas pelo Criança Feliz não recebem nenhum benefício extra, nenhum valor a mais do que já recebem nos programas que participam. O que se passa para as crianças e para as famílias do Criança Feliz é um valor muito maior do que o dinheiro, é a possibilidade dessa criança ter uma realização plena, desenvolver plenamente as suas competência, as suas diversas formas de inteligência para que ela possa ter uma escolaridade maior, aprender com muito mais facilidade na escola, ter mais tempo de estudo, ter uma profissão melhor que a dos seus pais e ajudar a família a sair da pobreza. O Programa Criança Feliz acompanha semanalmente as gestantes e as crianças beneficiárias do programa até os três anos. Nas visitas, os técnicos capacitados orientam as famílias sobre como estimular a criança nesse início da vida, bem no início da vida, que é o momento chave, decisivo para a formação de tudo que o ser humano vai ser no futuro.

 

Gabriela: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais manda para a gente.

 

Nasi: Pode ser por e-mail no endereço voz@ebc.com.br e tem também o nosso Facebook: facebook.com/BolsaFamília.

 

Gabriela: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil sempre na quinta-feira. Participe!

 

Nasi: Internet rápida e cursos profissionalizantes.

 

Gabriela: Além das ações emergenciais de saúde e alimentação, o Governo Federal agora começa outro tipo de apoio aos venezuelanos que chegam ao Brasil por Roraima.

 

Nasi: No estado já são mais de 40 mil que saíram da Venezuela em busca de uma vida melhor.

 

Repórter Alessandra Bastos: É hora de profissionalizar para que os venezuelanos consigam entrar no mercado de trabalho e, de fato, se integrar ao Brasil. Em parceria com o setor privado, o governo vai levar internet de alta velocidade 3G e 4G à cidade de Pacaraima, por onde chegam diariamente cerca de mil venezuelanos, e à capital Boa Vista. A expectativa é de que até o meio do ano a internet já esteja funcionando. Com ela, um laboratório está sendo instalado na Universidade Federal da Roraima para oferecer cursos profissionalizantes aos venezuelanos. O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, ressalta que o objetivo é qualificar.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: Um laboratório com o objetivo justamente de qualificar e requalificar os venezuelanos para que possam ter inserção no mercado de trabalho, quer seja lá no estado, quer seja em outros estados do país.

 

Repórter Alessandra Bastos: A iniciativa também prevê a melhoria da conectividade 4G em pontos estratégicos de Boa Vista para apoiar os esforços públicos relacionados aos imigrantes e às atividades da Polícia Federal, como explica o ministro.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: A construção de internet 4G no município de Pacaraima, um município de fronteira do Brasil com a Venezuela, que não tem uma internet de qualidade, o que inviabiliza a prestação de vários serviços públicos, inclusive de segurança, de saúde, de educação.

 

Repórter Alessandra Bastos: A chegada da internet rápida vai possibilitar também a abertura do Centro de Referência ao Refugiado Imigrante. Ele vai funcionar no campus da Universidade Federal em parceria com a Polícia Federal e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur. Reportagem, Alessandra Bastos.

 

Gabriela: E o governo também anunciou hoje a autorização de residência pelo prazo de dois anos para pessoas de países que fazem fronteira com o Brasil. Antes, a medida só era válida para países do Mercosul e associados.

 

Nasi: Com isso, o Brasil oferece uma alternativa mais simples aos venezuelanos que querem permanecer e trabalhar no país.

 

"Agora é Avançar".

 

Gabriela: Mais uma obra parada vai sair do papel.

 

Nasi: É, e dessa vez vai beneficiar 120 mil pessoas por dia em Goiânia, capital de Goiás.

 

Gabriela: Pelo Programa Agora é Avançar o governo liberou hoje recursos para concluir o BRT. O transporte rápido por ônibus vai passar por 148 bairros da capital até chegar em Aparecida de Goiânia.

 

Repórter Nei Pereira: A Ordem de Serviço assinada entre o Ministério das Cidades e a prefeitura de Goiânia nesta quinta-feira, no Palácio do Planalto, libera R$ 140 milhões em financiamento do FGTS para a retomada da obra do trecho norte-sul do BRT de Goiânia, em Goiás. Os trabalhos estavam parados desde 2016 por falta de recursos. O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, disse que desta vez não vai faltar dinheiro para o término da obra do BRT da capital de Goiás.

 

Ministro das Cidades - Alexandre Baldy: Com a determinação do presidente Michel Temer, é de fato que a gente consiga celebrar a retomada de todas as obras: obras de habitação, obras de saneamento, obras de mobilidade, e fundamentalmente as obras de mobilidade urbana, que fazem a diferença na vida das pessoas.

 

Repórter Nei Pereira: O trecho norte-sul do BRT, de aproximadamente 17 quilômetros, deve ser concluído em um prazo de um ano e meio. O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, ressalta que a obra vai trazer benefícios sociais e econômicos para a população.

 

Presidente da Caixa Econômica Federal - Gilberto Occhi: Nós estaremos gerando milhares de empregos, trazendo, ao final dela, a oportunidade de toda essa população estar usufruindo de melhor qualidade no transporte coletivo.

 

Repórter Nei Pereira: O presidente Michel Temer falou do empenho do seu governo em concluir obras que estavam paradas no Programa Agora é Avançar, como as moradias do Minha Casa, Minha Vida e a Transposição do Rio São Francisco. Segundo Temer, a conclusão do BRT de Goiânia vai trazer mais dignidade para os moradores da cidade.

 

Presidente Michel Temer: O que mais o pai e a mãe de família quer é um deslocamento ágil, um deslocamento rápido, não é? Isso está muito ligado à ideia, é interessante a ideia constitucional, da dignidade da pessoa humana. O BRT, de alguma maneira, traz a ideia dessa dignidade de locomoção, digamos assim. A pessoa chega mais cedo em casa ou chega mais cedo no trabalho.

 

Repórter Nei Pereira: Quando todo o empreendimento for finalizado vai contar com sete terminais de integração e 39 estações ao longo de 27 quilômetros de pista exclusiva para ônibus biarticulados. Reportagem, Nei Pereira.

 

"Fórum Mundial da Água - Compartilhando ideias e soluções".

 

Nasi: E nesta semana a Voz do Brasil vem falando dos preparativos para o Fórum Mundial da Água, que começa na próxima semana, aqui em Brasília.

 

Gabriela: Quarenta mil pessoas devem participar do evento, que acontece pela primeira vez em um país da América do Sul.

 

Nasi: E para ajudar estrangeiros a se comunicar por aqui, conhecer novas culturas e sotaques, estudantes brasilienses são voluntários nessa tarefa.

 

Gabriela: O repórter Pablo Mundim foi conhecer de perto esses jovens que vão apresentar o Brasil para pessoas de mais de 150 países.

 

Repórter Pablo Mundim: Não importa qual a língua e de onde vem.

 

Repórter Pablo Mundim: Quem chegar na capital federal para participar do Oitavo Fórum Mundial da Água será muito bem recebido. Cerca de 200 alunos voluntários da rede pública de ensino do Distrito Federal estão se capacitando para recepcionar as mais de 7 mil pessoas, de 150 países, que vão participar do Fórum. É o caso do estudante Felipe Duarte. Fluentes em inglês, ele está muito ansioso para o evento.

 

Estudante - Felipe Duarte: Vai poder conhecer pessoas novas, treinar tudo o que a gente aprendeu aqui na escola e por em prática, né?

 

Repórter Pablo Mundim: O professor e supervisor dos alunos, Patrick Oliveira, explica como os estudantes vão poder ajudar os participantes.

 

Professor e Supervisor dos Alunos - Patrick Oliveira: Eles também têm que saber dar orientações sobre a cidade, um pouco sobre a história da cidade, um pouco sobre os pontos turísticos, o que fazer em Brasília.

 

Repórter Pablo Mundim: Uma oportunidade para aprender, como explica a coordenadora de Gestão Ambiental e Sustentabilidade da Agência Nacional de Águas, Magali Vasconcelos.

 

Coordenadora de Gestão Ambiental e Sustentabilidade da Agência Nacional de Águas - Magali Vasconcelos: Para eles isso é uma oportunidade única, né? Nesse compartilhar, nessa troca de experiência começa a mudar muita coisa na cabeça desses jovens e eles podem aí realmente despontar, não é, no mercado de trabalho.

 

Repórter Pablo Mundim: O Fórum Mundial da Água foi criado em 1996 para estabelecer compromissos sobre recursos hídricos. O encontro global ocorre a cada três anos e já passou por sete países. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: 19h23 em Brasília.

 

Nasi: A importação de armas, munições e químicos, produtos controlados pelo Exército, vai ficar mais rápida.

 

Gabriela: A Receita Federal vai agilizar a entrada dessas mercadorias por meio de convênio com empresas que comprovem segurança.

 

Repórter Raquel Mariano: Normalmente, o Exército precisa autorizar individualmente a entrada de cada produto controlado por ele. A ideia é que agora essa autorização seja dada em bloco. O governo vai creditar empresas consideradas seguras para que elas façam a importação desses produtos perigosos. A parceria com as empresas aumenta a segurança da importação desses materiais, como explica o coordenador-geral de Administração Aduaneira da Receita Federal, Jackson Aluir Corbari.

 

Coordenador-Geral de Administração Aduaneira da Receita Federal - Jackson Aluir Corbari: Aumenta a segurança porque são feitas visitas na empresa, são feitas certificações. Existem critérios para se estabelecer um nível de segurança das empresas, ou seja, a gente está separando um público que é muito mais confiável. E nós vamos poder usar a nossa força, tanto o Exército quanto a Receita, para fiscalizar as demais empresas que tenham um grau de risco maior.

 

Repórter Raquel Mariano: A parceria entre Exército e Receita Federal ocorre por meio do Programa Operador Econômico Autorizado. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: O último lote do abono salarial PIS/Pasep foi liberado hoje.

 

Nasi: Trabalhadores da iniciativa privada que fazem aniversário em maio e junho devem procurar a Caixa Econômica Federal para sacar o dinheiro.

 

Gabriela: Já os servidores públicos com final das inscrições 8 e 9 devem procurar o Banco do Brasil.

 

Nasi: Tem direito ao benefício quem trabalhou por pelo menos um mês em 2016 com remuneração média de até dois salários mínimos e estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos.

 

Gabriela: O prazo final para o saque do abono é 29 de junho.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".