16 de abril de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Pessoas com deficiência vão poder sacar o FGTS para comprar órteses e próteses. Decreto foi assinado pelo presidente Michel Temer. Caixa reduz juros e aumenta valores para financiamento da casa própria. Mais 160 municípios foram selecionados para o Cartão Reforma. Cidades agora vão cadastrar famílias que serão beneficiadas. Aumenta a fiscalização para combate a roubo de carros em todo o país. Polícia Rodoviária Federal multiplica número de radares que vão identificar esses veículos. Vamos falar ainda do combate a fraudes no BPC, o Benefício de Prestação Continuada.

audio/mpeg VOZ160418.mp3 — 46909 KB




Transcrição


 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 16 de abril de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Pessoas com deficiência vão poder sacar o FGTS para comprar órteses e próteses.

 

Nasi: Decreto foi assinado hoje pelo presidente Michel Temer.

 

Presidente Michel Temer: Acabei de assinar um decreto que permite que você, que tem alguma deficiência, possa liberar o seu Fundo de Garantia para órtese ou prótese.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Caixa Econômica Federal melhora condições para a compra da casa própria. Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: Agora, os juros dos empréstimos ficaram mais baixos e o comprador vai poder pegar um financiamento maior.

 

Gabriela: E mais 160 municípios foram selecionados para o Cartão Reforma. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: As prefeituras dos municípios já selecionados devem fazer o cadastro das pessoas que devem receber o benefício. Trinta e uma mil famílias devem ser beneficiadas.

 

Nasi: Aumenta a fiscalização para combate a roubo de carros em todo o país.

 

Gabriela: Polícia Rodoviária Federal multiplica número de radares que vão identificar esses veículos.

 

Nasi: Também aumenta cerco no combate a fraudes, em benefícios do Governo. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: A fiscalização de benefícios concedidos pelo Governo, como o auxílio-doença, Bolsa Família e o BPC já gerou uma economia de quase R$ 10 bilhões.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: A partir de agora, o trabalhador com algum tipo de deficiência vai poder usar o FGTS para compra de órteses e próteses.

 

Nasi: O decreto alterando o regulamento do fundo foi assinado hoje pelo presidente Michel Temer e será publicado no Diário Oficial de amanhã.

 

Gabriela: O presidente Temer ressaltou que a medida vai atender necessidades urgentes de muitos brasileiros.

 

Presidente Michel Temer: Eu estou assinando uma modificação do regulamento do Fundo de Garantia para permitir o saque das importâncias daqueles que têm alguma deficiência, para aquisição de órtese ou prótese, que haja necessidade. Acho que é um fato importante. Nós temos trabalhado muito nessa direção. Penso que seja algo que mereça esta comunicação. Portanto, nós estamos flexibilizando a aplicação dos recursos do Fundo de Garantia, atendendo naturalmente àqueles que têm necessidades mais urgentes, como é o caso que eu acabei de mencionar.

 

Nasi: Para o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, a ajuda técnica, como são chamadas as órteses e próteses, melhora as condições de vida das pessoas com deficiência.

 

Ministro dos Direitos Humanos - Gustavo Rocha: A assinatura do decreto pelo presidente da República, após iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos, representa um avanço no atendimento e inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho.

 

Gabriela: Segundo o decreto, para aquisição de órtese ou prótese, deve haver prescrição médica que comprove a promoção da acessibilidade e da inclusão social do trabalhador com deficiência.

 

Nasi: A Caixa Econômica Federal terá um prazo de até 120 dias para definir os procedimentos e colocar  a nova regra em prática.

 

Gabriela: O conflito militar na Síria foi o principal assunto dos debates da Cúpula das Américas, realizada no fim de semana em Lima, no Peru.

 

Nasi: A Síria foi alvo de bombardeios no sábado. A ação dos Estados Unidos, França e Reino Unido atacou locais supostamente relacionados a armas químicas.

 

Gabriela: Os bombardeios foram em resposta ao suposto ataque contra a cidade de Duma, no início do mês. O governo da Síria negou o uso de armas químicas.

 

Nasi: O presidente Michel Temer mostrou preocupação com os ataques e que o mundo precisa encontrar uma solução duradoura para os conflitos na Síria.

 

Repórter Paulo La Salvia: O uso de armas químicas pelo governo sírio na guerra civil do país foi condenado na Cúpula das Américas. Sobre o ataque dos Estados Unidos, Reino Unido e França a Síria, o presidente Michel Temer defendeu que a solução do conflito passa pela ONU.

 

Presidente Michel Temer: Condenamos, naturalmente, o uso de armas químicas, que é inaceitável. Esta é uma tese pregada e divulgada no nosso país há muito tempo, como de resto, mesmo a utilização de armas nucleares ou energia nuclear, no nosso caso, não é proibida apenas pela ação do Governo, mas é uma questão de Estado, já que está escrito na Constituição que armas nucleares ou experiências nucleares, apenas para fins pacíficos. Portanto, nossos pensamentos se voltam para todas as vítimas desse conflito. É urgente, portanto, que todos os envolvidos se engajem em abordagem abrangente e consertada, capaz de fazer cessar tanto sofrimento.

 

Repórter Paulo La Salvia: A crise na Venezuela foi outro tema abordado pelos chefes de Estado e de Governo na Cúpula. Eles pediram que o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, aceite a ajuda humanitária internacional, e vários disseram que não vão reconhecer a eleição presidencial marcada para o mês que vem no país. O presidente Michel Temer também falou sobre o assunto e defendeu a retomada da democracia na Venezuela.

 

Presidente Michel Temer: Nós temos acolhido dezenas de milhares de venezuelanos, que buscam no Brasil condições para vida digna. E o que é mais espantoso, registro aos senhores, há tempos atrás, nós tentamos mandar remédios e alimentos para a Venezuela, o que foi negado pelo Governo Venezuelano. Portanto, eu reitero que já não há espaço, em nossa região, para alternativas à democracia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Às margens do encontro, Michel Temer teve reuniões bilaterais. De parlamentares norte-americanos, recebeu indicação de que vão ajudar a resolver a taxação extra sobre o aço e o alumínio do Brasil, importados pelos Estados Unidos. Até o fim deste mês, estas taxas estão suspensas. Já com o presidente do Chile, Sebastian Piñera, Michel Temer disse que avançaram as negociações para uma parceria entre o Mercosul e a Aliança para o Pacífico.

 

Presidente Michel Temer: Eu percebo que, a partir de hoje, nós vamos incentivar muito e crescer muito nessa história. Uma comissão de parlamentares, nove parlamentares americanos, já me disseram que estão trabalhando para resolver a questão da tarifa do aço.

 

Repórter Paulo La Salvia: Combater a corrupção, este foi o tema da 8ª Cúpula das Américas. Com esta meta, foi aprovado o Compromisso de Lima. O documento tem o objetivo de prevenir o desvio de recursos em obras públicas, além de garantir transparência no financiamento de campanhas. O presidente Michel Temer afirmou que a corrupção corrói a democracia e tira recursos de outras áreas, como Saúde, Educação e Segurança Pública. De Lima, no Peru, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: Pensando em comprar a casa própria? Então, essa pode ser a hora.

 

Nasi: Caíram as taxas de juros para financiamento de imóveis pela Caixa Econômica Federal.

 

Gabriela: E também tem novidade para quem quer financiar um imóvel usado.

 

Repórter Márcia Fernandes: Comprar a sonhada casa própria ficou mais fácil. A Caixa Econômica Federal anunciou mudanças nas linhas de financiamento. Agora, os juros dos empréstimos ficaram mais baixos e o comprador vai poder pegar um financiamento maior. Para compra de imóveis de até R$ 800 mil, a taxa mínima de juros caiu de 10,25% para 9% ao ano. No caso dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal, o imóvel pode custar até R$ 950 mil. Para imóveis mais caros que este valor, a taxa mínima caiu de 11,25% para 10% ao ano. Para o presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do DF, Hermes Alcântara, a redução da taxa de juros vai facilitar na compra dos imóveis.

 

Presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Distrito Federal - Hermes Alcântara: Nós vamos ter mais pessoas na busca do crédito imobiliário e ele, sendo favorecido com essa redução de juros, vem favorecer o aquecimento do mercado imobiliário.

 

Repórter Márcia Fernandes: O percentual do valor que pode ser financiado dos imóveis usados também mudou, subiu de 50% para 70%. No caso de casas novas, foi mantido o percentual de 80%. A Caixa Econômica Federal disponibilizou, neste ano, mais de R$ 82 bilhões para o crédito habitacional. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Nasi: De acordo com o superintendente da Caixa Econômica em São Paulo, Clayton Carneiro, as novas regras beneficiam todo um setor da economia.

 

Superintendente da Caixa Econômica em São Paulo - Clayton Carneiro: Eu não tenho dúvida que o que está projetado para esse ano é superar inclusive o ano passado. Nós vamos conseguir atender a todos a contento. Todo o polo produtivo desse nicho sai beneficiado, porque, até então, a Caixa que detém o maior share do mercado, com aproximadamente 70%, demonstra ao mercado que as condições agora estão mais favoráveis. Então para quem constrói investimento ficou melhor e, obviamente, para aquele fornecedor de material, para aquele comprador. Então, toda a cadeia tem um significado importante.

 

Gabriela: E falando em habitação, o Cartão Reforma vai chegar a mais 161 cidades.

 

Nasi: Saiu hoje o resultado da primeira lista de municípios contemplados neste ano pelo programa e que devem receber recursos de mais de R$ 160 milhões.

 

Gabriela: Com o dinheiro, as famílias de baixa renda selecionadas vão receber entre R$ 2 mil e R$ 9 mil para reformar, ampliar ou construir. A repórter Raquel Mariano explica.

 

Repórter Raquel Mariano: Um dinheiro exclusivo para garantir a reforma ou terminar a obra da casa, esse é o Cartão Reforma, que oferece às famílias um crédito para compra de materiais de construção. E nesse ano de 2018, mais de 160 cidades, de 22 estados brasileiros, foram selecionadas para participar do Programa Cartão Reforma. Nessa etapa, as prefeituras enviaram os projetos para o Ministério das Cidades, detalhando as regiões dos municípios que devem ser beneficiados pelo programa. Uma das escolhidas foi a cidade de Itapaci, em Goiás. O prefeito, Mário Sales, diz que a população aguarda ansiosa pela liberação do dinheiro.

 

Prefeito de Itapaci - Mário Sales: Nós temos alguns setores de nossa cidade, que é o setor da Vila Santana, onde tem uma comunidade que vive numa dificuldade muito grande de moradia. E esse Cartão Reforma vai levar um benefício, que essa comunidade, que essas famílias que lá moram, não teriam jamais condição de ter uma melhoria na parte de saneamento interno das suas casas, de uma melhoria na condição de moradia, na condição de vida que eles vivem lá. E, através desse programa, nós vamos beneficiar lá 151 famílias.

 

Repórter Raquel Mariano: As prefeituras dos municípios já selecionados devem fazer o cadastro das pessoas que devem receber o benefício. Só nessa etapa, 31 mil famílias devem ser beneficiadas. Para participar do programa, a família deve ter uma renda mensal de até R$ 2.811 por mês e morar em área regular ou que possa ser regularizada. Até agora, 300 cidades já foram selecionadas, em três editais. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Nasi: A Polícia Rodoviária Federal vai aumentar a fiscalização nas estradas do país, para combater crimes e recuperar carros roubados.

 

Gabriela: Para isso, vai ampliar o uso do sistema Alerta Brasil, de 30 para 300 pontos nas rodovias federais.

 

Nasi: O sistema permite monitorar os veículos através de imagens, identificando carros roubados, clonados ou com problemas de documentação. É o que explica o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Esse sistema tem uma base de dados, ele é basicamente uma câmera que faz a leitura das características daquele veículo e da placa, passa aqueles dados imediatamente para um centro, que então vai dizer se aquele carro é um carro roubado, se aquele carro é desviado, se aquele carro esteve envolvido em assaltos, se aquele carro, os motoristas, ou seja, pelo menos o dono, ele está em dia com as suas obrigações para poder transitar nas nossas estradas. E, ao mesmo tempo que ele diz: "Olha, tem problema aí", emite-se um sinal para 200... Num raio de 200 quilômetros, a todas as forças de segurança, que, imediatamente, sabem que têm que deter, que ali tem problema, que ali pode ter um bandido, que ali pode estar relacionado a roubo de carga, a roubo e furto de veículos, a narcotráfico, seja o que for. Então, é um imenso avanço que essa ferramenta tecnológica traz à PRF e toda à segurança do Rio de Janeiro e Brasil.

 

Gabriela: O investimento dos novos pontos do Alerta Brasil é de R$ 112 milhões.

 

Nasi: No ano passado, a Polícia Rodoviária Federal recuperou mais de 7 mil veículos roubados em todo o país.

 

Gabriela: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Nasi: Cruzamento de dados vai combater fraudes no pagamento do BPC, o Benefício de Prestação Continuada.

 

Gabriela: Vamos falar da campanha de vacinação contra a gripe. Estados estão recebendo as vacinas e, em alguns locais, a vacinação já começou.

 

"As rádios de todo o país já podem transmitir a Voz do Brasil em horário flexível. As emissoras de radiodifusão são obrigadas a retransmitir diariamente entre às 7h da noite e às 10h da noite, exceto aos sábados, domingos e feriados. A duração continua a mesma, 60 minutos, de forma ininterrupta. As emissoras devem informar aos ouvintes, às 7h da noite, o horário em que vão transmitir o programa. A Rede Nacional de Rádio mantém a transmissão às 7h da noite, pelo satélite e ao vivo, pela internet, no site redenacionalderadio.com.br."

 

Nasi: Atenção, jovens e adultos que não concluíram os estudos.

 

Gabriela: Estão abertas as inscrições para o Encceja. Alcançando nota mínima exigida, é possível tirar o diploma do ensino fundamental e médio.

 

Nasi: Os detalhes do nosso quadro de hoje, "Pra você, Cidadão".

 

"Pra você, Cidadão".

 

Repórter Rosamélia de Abreu: Estão abertas as inscrições para o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, Encceja Nacional. O exame é direcionado aos jovens e adultos que não concluíram os estudos na idade apropriada para o ensino fundamental e médio. Os participantes devem ter, no mínimo, 15 anos completos na data de realização do exame, para quem busca a certificação do ensino fundamental. Já o estudante interessado em obter a certificação do ensino médio, é preciso ter, no mínimo, 18 anos completos na data do exame. O prazo para fazer a inscrição termina no dia 27 de abril, no site encceja.inep.gov.br. As provas serão aplicadas no dia 5 de agosto. Rosamélia de Abreu para a Voz do Brasil.

 

Nasi: Quase 4 milhões de brasileiros solicitaram a isenção da taxa de inscrição do Enem 2018.

 

Gabriela: O prazo para solicitar essa gratuidade terminou ontem, domingo.

 

Nasi: Duzentos mil participantes que pediram a isenção também foram isentos no ano passado, mas faltaram aos dois dias de aplicação das provas. Como não comprovaram o motivo de ausência, não terão direito a nova isenção da taxa.

 

Gabriela: E atenção, é bom lembrar a todos os interessados em fazer o Enem: Mesmo com a solicitação de isento atendida, ainda é preciso fazer a inscrição para o exame entre os dias 7 e 18 de maio.

 

Nasi: A Justiça e o Governo Federal fizeram um acordo para recuperar dinheiro de corrupção.

 

Gabriela: É o chamado acordo de leniência, uma espécie de delação premiada, só que para pessoa jurídica.

 

Nasi: Ou seja, uma empresa que praticou crime contra a administração pública colabora com a Justiça, em troca de benefícios, com a redução de penas e isenção de multas.

 

Gabriela: Com o acordo firmado hoje com uma empresa de publicidade, são mais de R$ 153 milhões desviados e que agora vão voltar para os cofres públicos. O repórter Pablo Mundim tem os detalhes.

 

Repórter Pablo Mundim: A Advocacia-Geral da União, a Controladoria-Geral da União e o Ministério Público Federal fecharam um acordo de leniência em conjunto para resgatar aos cofres públicos dinheiro fruto de corrupção. Esta é a primeira vez que os três órgãos assinam juntos esse tipo de acordo. Ao todo, R$ 53,1 milhões vão ser devolvidos. A Caixa Econômica Federal vai ficar com a maior parte desses recursos, quase R$ 35 milhões. Petrobras, Ministério da Saúde, BR Distribuidora e Tribunal Superior Eleitoral são algumas instituições que também vão ser ressarcidas. Para a advogada-geral da União, ministra Grace Mendonça, o acordo é uma importante celebração entre os órgãos no resgate ao dinheiro público.

 

Advogada-geral da União - Grace Mendonça: Nós só pudemos assinar porque a empresa, de fato, colaborou, e colaborou efetivamente, para identificação dos agentes envolvidos, colaborou efetivamente para identificação daqueles que receberam propina, colaborou efetivamente para que o lucro diretamente ligado à propina fosse aferido, então, diante de todo esse aspecto colaborativo é que nós pudemos assinar o acordo de leniência.

 

Repórter Pablo Mundim: O ministro da Transparência, Wagner Rosário, destacou que os recursos já estão bloqueados judicialmente e devem ser direcionados para os órgãos lesados.

 

Ministro da Transparência - Wagner Rosário: Esse dinheiro já está em conta judicial. Nós vamos fechar os cálculos, porque houve rendimento desses valores, desde a data que eles estão, vamos fazer uma adaptação ao percentual de lucro de cada contrato. Eu imagino que mais 30 dias aí, em torno de 30, 40 dias, esse dinheiro deve estar sendo direcionado para os órgãos e entidades que foram lesados.

 

Repórter Pablo Mundim: O Acordo de Leniência foi fechado com as empresas de publicidade Mullen Lowe Brasil e FCB Brasil. Elas pagaram propina para obter e manter contratos com os órgãos públicos entre 2011 e 2014. Além de devolver o dinheiro, as empresas também realizaram auditoria independente e assumiram o compromisso de interromper qualquer ato ilícito. Em troca, as agências não vão ser alvos de novas ações judiciais que poderiam proibir que voltassem a assinar contratos com o poder público. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Combater fraudes em pagamentos de benefícios e melhorar a aplicação dos recursos.

 

Gabriela: Para isso, uma plataforma que reúne informações sobre ações de vários ministérios vai ajudar o Governo a comparar os dados de diferentes programas.

 

Repórter João Pedro Neto: A fiscalização de benefícios concedidos pelo Governo, como Auxílio-Doença, aposentadorias por invalidez, Bolsa Família e o BPC, Benefício de Prestação Continuada, que é pago a idosos ou pessoas com deficiência de baixa renda, já gerou uma economia de quase R$ 10 bilhões. Até o ano que vem, a estimativa é que os cofres públicos poupem mais de R$ 20 bilhões, como explicou o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Nós estamos falando aí, entre 2016 e 2019, em torno de R$ 20 bilhões de economia. Importante também é salientar o seguinte: Nós estamos falando aí de números que são cumulativos. Os benefícios que nós cancelamos lá em outubro de 2016, ele não foi mais pago, obviamente, o auxílio-doença. Então, ele gera uma economia permanente.

 

Repórter João Pedro Neto: Nos casos do Bolsa Família e do BPC, o cruzamento de informações de diferentes bases de dados foi fundamental para identificar casos de pagamentos indevidos de benefícios. E agora, para facilitar o acesso e a análise das informações de diversos órgãos governamentais, o Governo lançou uma plataforma, que vai reunir os bancos de dados de vários órgãos numa única ferramenta. É a Plataforma de Análise de Dados do Governo Federal, chamada de GovData. O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago, disse que essa é uma medida estrutural.

 

Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Esteves Colnago: Essa medida que a gente está adotando é uma medida estrutural. Foi uma medida anunciada em maio do ano passado, em que o Governo ia buscar ter acesso às suas próprias bases de dados, de forma que o Governo pudesse ter as informações dos cidadãos que estão nessas bases, tanto para que ele preste o melhor serviço a esses cidadãos, a partir do momento então, com isso que a gente está acessando, eu posso facilitar a vida desse cidadão, requerer menos informações, dado que eu já as tenho, e também saber se os recursos alocados estão indo para as pessoas que deveriam receber realmente esses recursos.

 

Repórter João Pedro Neto: Para o Governo, concentrar as informações de diversos órgãos num só lugar facilita a tomada de decisões, o desenvolvimento, gestão e controle de políticas públicas e ações do Governo. O sistema começa com mais de dez bancos de dados e a ideia é que bancos de dados de outros órgãos também sejam acrescentados ao sistema. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gabriela: Cinco municípios receberam hoje reconhecimento de situação de emergência pelo Ministério da Integração Nacional.

 

Nasi: Nova Maringá, em Mato Grosso, Bom Jesus do Tocantins, no Pará, Nova Cantu, no Paraná e Recursolândia, em Tocantins, tiveram emergência reconhecida por causa de fortes chuvas, enxurradas e inundações.

 

Gabriela: Já em São Gabriel, no Rio Grande do Sul, o estado de emergência é causado pela estiagem.

 

Nasi: Com o reconhecimento, esses municípios garantem apoio do Governo Federal às famílias afetadas, além de recursos para a recuperação de danos causados.

 

Gabriela: O inverno está chegando e, com ele, aumentam os casos de gripe.

 

Nasi: Isso porque as pessoas permanecem mais tempo em lugares fechados, com pouca ventilação, o que favorece a circulação dos vírus.

 

Gabriela: Para proteger as pessoas contra a doença, o Ministério da Saúde vai começar a campanha nacional de vacinação contra a gripe.

 

Nasi: As doses das vacinas já estão sendo distribuídas aos estados que têm a autonomia para iniciar a imunização quando desejarem, tanto que, em Goiás, a vacinação já começou na semana passada, e no Distrito Federal começa amanhã.

 

Gabriela: O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, explica a meta da campanha e quem tem prioridade na vacinação.

 

Ministro da Saúde - Gilberto Occhi: Nosso foco são as crianças até cinco anos, as mulheres grávidas, aqueles que trabalham no ambiente da saúde também, e os idosos, acima de 60 anos. Nós devemos começar agora, na segunda quinzena de abril. O nosso objetivo é que nós possamos atingir 100% dessas pessoas, que são alvo, foco e prioridade, e ela já vem proteger e a cada ano nós fazemos isso.

 

Nasi: Começou a valer hoje um novo prazo para compensação de cheques.

 

Gabriela: A partir de agora, os cheques de qualquer valor vão cair em um dia útil na conta das pessoas físicas, empresa ou favorecidos.

 

Nasi: Antes dessa mudança, as ordens de pagamento de até R$ 300 demoravam dois dias úteis para serem compensadas.

 

Gabriela: O novo prazo para compensação segue determinação do Banco Central de novembro do ano passado.

 

Nasi: A Receita Federal já recebeu, até às 5h da tarde de hoje, mais de 12 milhões de declarações.

 

Gabriela: A expectativa é de que quase 29 milhões de contribuintes precisem entregar o documento. O prazo vai até 30 de abril.

 

Nasi: A Receita alerta que os contribuintes que perderam o prazo estarão sujeitos ao pagamento de multa mínima de R$ 165 e 20% do imposto devido.

 

Gabriela: Para baixar o programa para o envio da declaração, basta acessar o endereço na internet: receita.fazenda.gov.br.

 

Nasi: E estas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".