16 de julho - poder executivo

Presidente Michel Temer vai participar em Cabo Verde da reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Ideia é promover parcerias, especialmente nas áreas social, cultural e econômica. Infarto, colesterol elevado, pressão alta e câncer. Algumas das doenças que mais afetam os homens. E na semana em que se comemora o Dia do Homem, vamos falar sobre os tratamentos oferecidos pelo SUS. Agricultores familiares podem vender a produção para o governo por meio do PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos. Beneficiários do Pis/Pasep que ainda não sacaram os recursos já podem consultar o saldo corrigido.

audio/mpeg VOZ160718.mp3 — 46809 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 16 de julho de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Presidente Michel Temer vai participar em Cabo Verde da reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

 

Gabriela: A ideia é promover parcerias, especialmente nas áreas social, cultural e econômica.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Infarto, colesterol elevado, pressão alta e câncer, algumas das doenças que mais afetam os homens.

 

Nasi: E na semana em que se comemora o Dia do Homem, vamos falar sobre os tratamentos oferecidos pelo SUS. Nei Pereira.

 

Repórter Nei Pereira: Prevenção dessas doenças pode ser feita de graça em um posto de saúde.

 

Gabriela: Agricultores familiares podem vender a produção para o Governo por meio do PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos. Roberto Rodrigues.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Serão comprados itens como açúcar, arroz, farinhas, feijão, leite em pó, sucos, carnes, frutas, verduras, entre outros.

 

Nasi: Beneficiários do PIS/Pasep que ainda não sacaram os recursos já podem consultar o saldo corrigido.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br .

 

Gabriela: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste.

 

Nasi: Esses são os nove países que formam a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, a CPLP.

 

Gabriela: O grupo foi criado faz mais de 20 anos, e trabalha para promover parcerias, especialmente nas áreas social, cultural e econômica.

 

Nasi: Amanhã, os chefes dos países da comunidade vão estar reunidos mais uma vez, agora na Ilha do Sal, em Cabo Verde.

 

Gabriela: O presidente Michel Temer vai representar o Brasil no encontro.

 

Nasi: E nós vamos acompanhar. O repórter João Pedro Neto já está em Cabo Verde e traz, ao vivo, mais informações sobre a reunião para a gente. Uma boa noite, João.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. O presidente Michel Temer deve chegar amanhã à tarde aqui à Ilha do Sal, em Cabo Verde, para participar da abertura da Cúpula dos Chefes de Estado da CPLP. O Brasil esteve à frente do grupo nos últimos dois anos e priorizou as discussões sobre a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Nossa equipe preparou uma reportagem para explicar o que é a CPLP. Vamos ouvir.

 

Repórter Paulo La Salvia: O idioma é idêntico nas duas costas do Atlântico, no Brasil e em Angola. Mas, mesmo que o berço seja o português, existem também diferenças na forma de se expressar. É neste caminho que a angolana Neirete Peixote ajusta o sotaque. Ela estuda há dois anos Ciências Políticas na Universidade de Brasília.

 

Estudante - Neirete Peixote: Existem coisas completamente diferentes, palavras, expressões, a maneira de falar. O angolano fala muito rápido e a gente tem que treinar bastante, tentar falar um pouquinho mais calminho, para que a gente possa entender.

 

Repórter Paulo La Salvia: Bruno Rodrigues Gil é outro estudante da UnB que vem de um país de língua irmã, Cabo Verde. Ele faz Engenharia Aeroespacial na universidade. O futuro ainda é incerto, mas a herança cultural comum traz boas perspectivas.

 

Estudantes - Bruno Rodrigues Gil: Temos muitas oportunidades, mesmo na UnB, para fazer uma pós-graduação, seria muito bom para mim. Mas, tipo, eu tenho planos de fazer uma pós em outro lugar também, mas a UnB seria uma boa opção.

 

Repórter Paulo La Salvia: Neirete e Bruno fazem parte de um programa de graduação que promove o intercâmbio de estudantes estrangeiros em universidades públicas brasileiras. Para o coordenador do programa, Rogério Almeida, tanto o Brasil quanto os países africanos se beneficiam com a parceria.

 

Coordenador de programa de intercâmbio - Rogério Almeida: Muitos desses alunos viram professores em suas universidades, nos seus países, e acabam mantendo esse vínculo e eles, depois de ter vivido esses quatro, cinco anos no Brasil, eles vão ter uma busca pelo Brasil depois.

 

Repórter Paulo La Salvia: A herança cultural e da língua apresenta uma unidade entre o Brasil e alguns países africanos. São nações que tiveram uma íntima relação com Portugal, destinos que se cruzaram no passado durante o período colonial e que continuam se cruzando. Só que agora estes caminhos são pautados pela cooperação na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, a CPLP. Criada em 1996, a Comunidade é formada por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. O Brasil coordenou a CPLP nos últimos dois anos. Uma das prioridades, segundo o subsecretário-geral da África e do Oriente Médio, embaixador Fernando Abreu, foi colocar em prática ações ligadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, a Agenda 2030, como promover o crescimento econômico, respeitando o meio ambiente.

 

Embaixador - Fernando Abreu: A implementação e a divulgação da Agenda 2030 em países que não tinham isso como prioritário. Então, nós conseguimos fazer isso e a Agenda 2030, que é extremamente ampla e ambiciosa, tem uma série de objetivos, de metas. Então nós, pela definição de pontos focais, pelas várias reuniões ministeriais, conseguimos avançar nessas áreas.

 

Repórter Paulo La Salvia: O próximo passo na história da CPLP é a 12ª Reunião de Presidentes, em Cabo Verde. É quando o Brasil vai transferir ao país africano a coordenação da Comunidade até 2020. O embaixador de Cabo Verde no Brasil, Domingos Dias Pereira Mascarenhas, avalia que, entre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, a erradicação da fome vai merecer atenção especial daqui para a frente.

 

Embaixador de Cabo Verde no Brasil - Domingos Dias Pereira Mascarenhas: A CPLP, tanto enquanto organização quanto como o espaço de articulação bilateral entre os países, seja propiciadora dessa cooperação, visando garantir a alimentação de qualidade e em quantidade suficiente para os nossos países.

 

Repórter Paulo La Salvia: O tema do encontro é Cultura, Pessoas e Oceanos. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): A expectativa é que a maioria dos líderes dos nove países participe desse encontro de cúpula que ocorre a cada dois anos. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, participou nessa segunda-feira da reunião do conselho de ministros aqui na Ilha do Sal. Em entrevista à Voz do Brasil, ele falou sobre os desafios para aumentar a integração entre os países da comunidade.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: A cultura é um campo muito importante de afirmação dessa solidariedade e desse terreno comum que existe entre nós. Aliás, uma iniciativa brasileira, que é a itinerância do Museu da Língua Portuguesa, sucesso muito grande, já que tivemos a presença aqui em Cabo Verde, em Luanda e vamos, ele vai circular em todos os demais países da Língua Portuguesa. Nós temos que trabalhar também para a maior mobilidade, maior convívio entre os nossos povos. Nós, com base na Nova Lei de Imigração, ampliamos a possibilidade de vistos para segmentos, como por exemplo mais recentemente estudantes provenientes de países da Língua Portuguesa, para que possam ter mais facilidades de viver no Brasil durante seus estudos.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Também hoje, o ministro Aloysio Nunes Ferreira assinou, junto ao ministro de Negócios Estrangeiros, de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, a adesão do país africano ao programa Mais Alimentos Internacional, uma versão do programa brasileiro que estimula a produção da agricultura familiar em outros países, oferecendo financiamento e cooperação técnica. Da Ilha do Sal, em Cabo Verde, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E o presidente Michel Temer participa, na semana que vem, de mais um encontro internacional.

 

Nasi: Temer vai até a África do Sul, onde vai ocorrer a reunião dos chefes de Estado do BRICS, bloco de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

 

Gabriela: As lideranças vão tratar de temas relacionados à paz e segurança mundial.

 

Nasi: Também estão na agenda da cúpula as discussões sobre o conjunto de inovações tecnológicas chamado de Quarta Revolução Industrial, ou Indústria 4.0.

 

Repórter Cleide Lopes: O BRICS discute as principais questões da agenda internacional e defende, por exemplo, que o Conselho de Segurança das Nações Unidas seja reformado. Na cooperação econômico-financeira, os cinco países assinaram na cúpula de 2014, em Fortaleza, o acordo para a criação do Novo Banco de Desenvolvimento, com o objetivo de financiar projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável em economias emergentes. Na mesma cúpula, foi criado o arranjo contingente de reservas, destinado a prover apoio aos membros do BRICS. Na cúpula que vai ser realizada em Joanesburgo, na África do Sul, entre os principais temas estão os avanços tecnológicos que constituem a chamada Indústria 4.0. O diretor de departamento de Mecanismos Regionais do Ministério das Relações Exteriores, Kenneth Nóbrega, falou sobre os assuntos de maior importância para o Brasil que vão ser tratados na cúpula.

 

Diretor de departamento de Mecanismos Regionais - Kenneth Nóbrega: Se espera a assinatura de um acordo de sede entre o Governo Brasileiro e o Novo Banco do Desenvolvimento, o Banco do BRICS. O acordo de sede prevê a abertura de um escritório regional para as Américas, e a sede vai ser na cidade de São Paulo, e Brasília também vai ter uma pequena unidade. Fora isso, na área de saúde, vai ser inaugurado um centro de pesquisa de vacinas do BRICS, na África do Sul. Um outro resultado, este já de proposta brasileira mesmo, é o estabelecimento de uma rede de parques tecnológicos do BRICS, não é? A ideia da rede é encorajar a cooperação entre parques científicos dos cinco países, com o objetivo de auxiliar desenvolvimentos de pequenas e médias empresas, sempre com o foco em novas tecnologias e capacitação de recursos humanos.

 

Repórter Cleide Lopes: No encerramento da cúpula do BRICS, prevista para o dia 27 de julho, o presidente Temer inaugura em Joanesburgo o Centro de Treinamento de Lançamentos da Embraer. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: Você sabia que, no Brasil, existe do Dia do Homem?

 

Nasi: Pois é, e ele é comemorado no dia 15 de julho. A ideia é lembrar os cuidados que todos nós, homens, devemos ter com a saúde.

 

Gabriela: E não existem motivos para que eles não se cuidem. O SUS oferece exames preventivos e tratamento de graça para as principais doenças que afetam a população masculina.

 

Repórter Nei Pereira: Quem vai a um dos parques de Brasília encontra uma turma que leva a saúde a sério, sem preguiça de acordar cedo todos os dias para uma corrida. O aposentado Amadeu Ferreira da Costa é um deles. Aos 65 anos, ele corre cerca de 25 Km diariamente.

 

Aposentado - Amadeu Ferreira da Costa: O esporte, ele ajuda muito, mas exige da pessoa, precisa ser disciplinado, comer bem, dormir bem, tudo, fica tudo legal.

 

Repórter Nei Pereira: Exames e consultas médicas também ajudam a manter a saúde em dia. O publicitário Renato Moura, que corre todo dia, faz acompanhamento médico periodicamente.

 

Publicitário - Renato Moura: Faço exames periódicos, todo ano, faço check-up geral. Tem que ter.

 

Repórter Nei Pereira: Cuidados para manter a saúde que nem todo mundo segue. Entre os homens, uma pesquisa do Ministério da Saúde, com mais de 7,5 mil entrevistados, revelou que cerca de um terço deles não faz acompanhamento médico. Eles alegam que não sentem necessidade. Entre os problemas que afetam as pessoas do sexo masculino, estão doenças do coração, como o AVC, infarto, transtornos mentais, colesterol elevado, pressão alta e câncer. E, entre os tipos de câncer que afetam os homens, o de próstata é o segundo que mais mata no Brasil. O médico urologista Eurico Lopes afirma que os homens ainda têm resistência ao exame de toque retal, que detecta a doença, mas que é o mais eficiente.

 

Médico urologista - Eurico Lopes: Ainda existe um certo tabu em relação ao exame urológico. Então, é preciso que nós trabalhemos isso junto à população masculina, para diminuir essa mortalidade.

 

Repórter Nei Pereira: O coordenador nacional de Saúde do Homem, do Ministério da Saúde, Francisco Norberto Moreira, lembra que a prevenção dessas doenças pode ser feita de graça em um posto de saúde.

 

Coordenador nacional de Saúde do Homem - Francisco Norberto Moreira: O SUS, ele tem profissionais capacitados, como médicos, enfermeiros e também os agentes comunitários de saúde. A atuação do profissional de saúde é sempre de avaliar de forma integral esse homem.

 

Repórter Nei Pereira: Com medidas de prevenção, os homens podem diminuir a diferença da expectativa de vida em relação às mulheres, que hoje é de mais de sete anos, segundo o IBGE. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Agricultores familiares podem vender a produção para o Governo por meio do PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos.

 

Gabriela: Daqui a pouco, a gente traz os detalhes sobre as chamadas públicas.

 

Nasi: Você ouviu aqui na Voz do Brasil que trabalhadores que ainda não sacaram o PIS/Pasep devem receber 8,97% a mais na hora de retirarem os valores a que têm direito.

 

Gabriela: Esse é o percentual de reajuste das cotas.

 

Nasi: Os pagamentos do PIS/Pasep vão ser retomados no dia 8 de agosto, mas quem tem direito ao saque já pode consultar o saldo que tem para receber.

 

Gabriela: E como fazer essa consulta? Assunto do quadro Pra você, Cidadão de hoje.

 

"Pra você, Cidadão".

 

Repórter Daniel Costa: A partir desta segunda-feira, os beneficiários dos fundos PIS/Pasep que não sacaram os recursos já podem consultar o saldo. O valor final vai ter correção de 8,97%. O prazo para os saques das cotas terá início no dia 8 de agosto. A atualização do valor será realizada apenas nas contas de trabalhadores que ainda não sacaram o benefício. Nesta segunda fase, todos os trabalhadores com carteira assinada, da iniciativa privada ou no serviço público civil ou militar, que trabalharam entre 1971 e 1988, vão poder resgatar o dinheiro até o dia 28 de setembro. No caso de morte do cotista, os herdeiros também têm direito ao dinheiro. E no caso das contas do PIS vinculadas aos trabalhadores do setor privado, o beneficiário pode consultar o saldo pelo site www.caixa.gov.br/cotaspis . Já no caso das cotas do Pasep, vinculadas aos servidores públicos, é possível conferir pelo site www.bb.com.br . Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Nasi: Começou hoje o prazo de inscrição para quem quer financiar os estudos numa faculdade particular, por meio do Fies, o Fundo de Financiamento Estudantil.

 

Gabriela: São 155 mil vagas em diferentes modalidades, com juros zero para quem mais precisa, até uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato.

 

Nasi: As inscrições vão até sexta-feira pela internet, no endereço fies.mec.gov.br.

 

Gabriela: Agricultores familiares têm a oportunidade de aumentar a renda e garantir a venda da produção por meio do PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos.

 

Nasi: Dezoito órgãos públicos estão com chamadas públicas abertas para compra de alimentos, como arroz, feijão, frutas, verduras e carnes.

 

Gabriela: Quem quiser participar, tem que ficar atento aos prazos.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Unidades militares de dez estados, a Universidade Federal Rural da Amazônia e a Prefeitura Municipal de São Paulo estão com chamadas públicas abertas para aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar. Ao todo, são 18 órgãos, que vão investir R$ 36 milhões por meio da modalidade compra institucional, no Programa de Aquisição de Alimentos, o PAA, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social. Serão comprados itens como açúcar, arroz, farinhas, feijão, leite em pó, sucos, carnes, frutas, verduras, entre outros. Tudo é produzido pelos pequenos produtores e cooperativas da agricultura familiar. A Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Educação, vai investir R$ 4 milhões na compra de alimentos, como explica o secretário Alexandre Schneider.

 

Secretário de Educação de São Paulo - Alexandre Schneider: A gente tem uma pauta variável, que vai do arroz à geleia, a sucos, banana, frutas de diversas ordens, enfim, a gente tem ampliado o consumo aqui na cidade de São Paulo de alimentos provenientes da agricultura familiar e produtos de base agroecológica, que vêm também da agricultura familiar.

 

Repórter Roberto Rodrigues: A legislação determina que, pelo menos, 30% dos alimentos adquiridos para abastecer órgãos federais venham da agricultura familiar. A coordenadora-geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos do Ministério do Desenvolvimento Social, Ethel Santos, explica como os interessados podem participar.

 

Coordenadora-geral de Aquisição e Distribuição de Alimentos - Ethel Santos: Para a agricultura familiar, para os agricultores e as cooperativas, as associações, é importante que eles então, acessem o Portal de Compras da Agricultura Familiar, entrem no link 'chamadas abertas', no seu estado, procurando então os editais, porque ali é que eles vão poder ver quais especificações técnicas dos produtos e também os prazos para entrega então, das suas propostas de venda.

 

Repórter Roberto Rodrigues: Cada agricultor familiar pode vender até o limite de R$ 20 mil por ano para cada órgão comprador. Já para as cooperativas ou associações, o limite é de R$ 6 milhões por ano por órgão comprador. Os prazos para envio das propostas encerram em datas diferentes. Para acompanhar os editais, é só acessar o Portal de Compras da Agricultura Familiar, no endereço www.comprasagriculturafamiliar.gov.br . Reportagem, Roberto Rodrigues.

 

Nasi: E a agricultores têm acesso a uma linha de crédito para desenvolver novas práticas no campo, que ajudam na preservação do meio ambiente.

 

Gabriela: A ideia é promover o aumento da produção agropecuária, ao mesmo tempo que diminui o chamado efeito estufa e os efeitos do aquecimento global.

 

Repórter Márcia Fernandes: Os produtores rurais acessam o financiamento para investir em tecnologias para uma produção com baixa emissão de carbono. Foi o caso do produtor rural Adolfo Petri, de Campo Novo do Parecis, em Mato Grosso. Ele produz soja, milho e também cria cabeças de gado. Com o crédito do Programa ABC, recuperou uma área degradada. O novo capim, cultivado na área, ajudou a fixar o carbono no solo e a liberar mais oxigênio. E como a qualidade do pasto aumentou, a criação de gado também teve melhoras, como aponta Adolfo Petri.

 

Produtor rural - Adolfo Petri: Possibilita que o produtor consiga ter renda, que ele consiga continuar preservando e cuidando dos nossos ativos ambientais, permite que ele continue ampliando a sua produtividade.

 

Repórter Márcia Fernandes: O Programa ABC tem seis linhas de ação, que trabalham desde a recuperação de pastagens degradadas, o reflorestamento e até o tratamento de dejetos animais. No Distrito Federal, a Embrapa desenvolve estudos sobre uma das principais linhas do programa, o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta. Esse sistema é um dos responsáveis pela redução do carbono na agricultura, como explica o pesquisador Lourival Vilela.

 

Pesquisador - Lourival Vilela: É uma prática que vem em todos os sentidos mostrando, vamos dizer, a mitigação da emissão de gases de efeito estufa.

 

Repórter Márcia Fernandes: Segundo o Ministério da Agricultura e Pecuária, o Programa ABC já modificou 10 milhões de hectares no país. O secretário substituto de Mobilidade do Produtor Rural e Cooperativismo, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Neto, explica que o Programa ABC gera renda para o produtor rural e ajuda a proteger o meio ambiente.

 

Secretário substituto de Mobilidade do Produtor Rural e Cooperativismo - Pedro Neto: Nós estamos falando de processos produtivos que são lucrativos para o produtor e ajudam, contribuem para a redução da emissão de gases.

 

Repórter Márcia Fernandes: O programa recebeu mais de R$ 15 bilhões em investimentos. Para ter acesso ao crédito, é preciso procurar um banco público, como o BNDES ou o Banco do Brasil. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Nasi: Aposentados e pensionistas vão receber de forma antecipada a primeira parcela do 13º salário.

 

Gabriela: A medida foi assinada hoje pelo presidente Michel Temer.

 

Nasi: A antecipação de até 50% vai ser paga em agosto, junto com os benefícios do mês.

 

Gabriela: Já a segunda parte do 13º vai ser paga em novembro.

 

Nasi: A medida atinge mais de 29 milhões de aposentados.

 

Gabriela: Tem direito ao 13º salário quem, durante o ano, recebeu benefícios previdenciários, como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, auxílio-reclusão ou salário-maternidade.

 

Nasi: No caso de auxílio-doença e salário-maternidade, o valor do abono anual será proporcional ao período recebido.

 

Gabriela: E quem precisa ter acesso ao extrato previdenciário, em uma agência do INSS, vai ter que agendar o atendimento por telefone.

 

Nasi: A medida começou a valer a partir de hoje.

 

Gabriela: O documento já pode ser acessado pela internet.

 

Nasi: O extrato é um dos principais documentos para solicitar benefícios previdenciários.

 

Repórter Raíssa Lopes: O extrato de vínculos e contribuições da Previdência, o CNIS, relatório que permite ao cidadão visualizar todos os vínculos trabalhistas e previdenciários, só será emitido pelo Meu INSS, ou por meio de agendamento em agências de INSS ou pelo número 135. O coordenador-geral de Controle e Avaliação da Rede de Atendimento do INSS, Vitor Poubel, conta que, nos últimos 12 meses, a instituição realizou mais de 49 milhões de atendimentos, 9 milhões deles para retirar o extrato. Com a mudança, o fluxo de atendimento das agências deve ser melhorado.

 

Coordenador-geral de Controle e Avaliação - Vitor Poubel: Como a gente consegue agendar, a gente vai ter condições de organizar o atendimento, facilitando tanto para o cidadão quanto para o INSS. Porque com essa organização, o INSS consegue deslocar força para o reconhecimento do direito, e isso vem diminuir o tempo de espera em outros pleitos. Em questão de benefício e outras coisas que ele esperaria mais tempo, agora ele consegue com um menor tempo, depois dos agendamentos e organização do atendimento.

 

Repórter Raíssa Lopes: O Meu INSS pode ser acessado pelo computador, pelo site meuinss.gov.br, ou por aplicativo para smartphone. No portal, além de ser possível retirar o extrato do CNIS, o cidadão tem acesso a diversos serviços do INSS, como explica Vitor Poubel, do INSS.

 

Coordenador-geral de Controle e Avaliação - Vitor Poubel: Além do extrato CNIS, ele consegue tirar informações do benefício, histórico de consignações, acompanhar o requerimento dele, quando der entrada, consegue fazer a simulação tempo de contribuição. Tudo que ele tentaria fazer e conseguiria na agência, hoje ele consegue fazer pela internet, de novo pelo aplicativo do Meu INSS.

 

Repórter Raíssa Lopes Dúvidas sobre o CNIS ou qualquer outro serviço da previdência, como aposentadoria, podem ser tiradas pelo 135, o Disque Previdência. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: Já está disponível para mais de 3,3 milhões de contribuintes a restituição do Imposto de Renda.

 

Nasi: Foram depositados neste segundo lote R$ 5 bilhões nas contas informadas pelos contribuintes no momento da declaração.

 

Gabriela: Para saber se a restituição foi liberada, acesse a página da Receita na internet: www.receita.fazenda.gov.br , ou ligue no Receita Fone, no número 146. A ligação é de graça.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"A Voz do Brasil, Governo Federal".