17 de julho de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Brasil participa de encontro de países de língua portuguesa em Cabo Verde. E reforça parceria e cooperação na educação, saúde e cultura. Aposentados e pensionistas vão receber primeira parcela do 13º salário mês que vem. Mais de 1 milhão de consumidores já usam plataforma do governo na internet para resolver problemas com empresas. Qualificação profissional de graça. Cursos do Plano Progredir estão com inscrições abertas.

audio/mpeg VOZ170718.mp3 — 46959 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 17 de julho de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Brasil participa de encontro de países de língua portuguesa em Cabo Verde.

 

Gabriela: E reforça parceria e cooperação em educação, saúde e cultura.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Aposentados e pensionistas vão receber primeira parcela do décimo salário mês que vem. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: A medida deve representar uma injeção de R$ 21 bilhões na economia.

 

Nasi: Mais de 1 milhão de consumidores já usaram a plataforma do governo na internet para resolver problemas com empresas. Nei Pereira.

 

Repórter João Pedro Neto: A plataforma consumidor.gov permite a comunicação direta entre consumidores e empresas para resolver conflitos de forma simples e sem custos.

 

Gabriela: Qualificação profissional de graça.

 

Nasi: Cursos do Plano Progredir estão com inscrições aberta.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação do Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Começou hoje mais uma reunião de chefes de estado e do governo da comunidade dos países de língua portuguesa, a CPLP.

 

Nasi: São noves países que tem em comum a língua e que buscam ações de integração em outras áreas como mobilidade e economia.

 

Gabriela: O Presidente Michel Temer abriu a conferência e passou a presidência do grupo a Cabo Verde.

 

Nasi: Dentre as novidades, Temer anunciou a liberação de conteúdos audiovisuais do Brasil para os países da CPLP.

 

Repórter João Pedro Neto: Na sessão de abertura da conferência da CPLP o Presidente Michel Temer fez um balanço dos últimos dois anos, período em que o Brasil esteve à frente do grupo. Em seguida, transferiu a presidência rotativa da comunidade para Cabo Verde, que sedia a conferência este ano. Para Temer, o grupo conquistou avanços e aumentou a cooperação em várias áreas.

 

Presidente Michel Temer: Nós apoiamos a estruturação de institutos nacionais de saúde pública e estimulamos a formação de recursos humanos para o combate a doenças tropicais. Na área da justiça e da segurança pública nós também aprofundamos a cooperação jurídica no espaço da CPLP, com destaque, naturalmente, para a questão do tráfico de pessoas. Por meio do ensino à distância o Brasil ofereceu cursos de capacitação sobre a prevenção do crime e enfrentamento da exploração de crianças e adolescentes.

 

Repórter João Pedro Neto: Na abertura da conferência, Michel Temer também anunciou que o Brasil vai licenciar os direitos de uso de 30 horas de conteúdos audiovisuais para exibição em televisões públicas dos países membros da comunidade.

 

Presidente Michel Temer: O Brasil está licenciando para todos os países da CPLP 30 horas de conteúdo audiovisual da nossa Empresa Brasil Comunicação, ou seja, haverá uma troca de informações entre os países da CPLP, exata e precisamente em função dessa sessão de 30 horas, que logo mais vamos ajustar a fórmula de fazer essa transmissão. Aí, portanto, é com grande prazer que eu faço esse anúncio que visa, mais uma vez, a integrar mais ainda os países da CPLP.

 

Repórter João Pedro Neto: O licenciamento da produção será sem custo e o conteúdo poderá ser reproduzido por cinco anos, reforçando a cooperação entre os países do campo cultural. No período em que esteve na coordenação na CPLP, o Brasil definiu como tema a Agenda 2030 das Nações Unidas de Desenvolvimento Sustentável. Agora, Cabo Verde escolheu o tema A Cultura as Pessoas e os Oceanos. E segundo o presidente do país africano, Jorge Carlos Fonseca, facilitar a circulação de pessoas entre os países membros é um dos desafios do grupo.

 

Presidente do país africano - Jorge Carlos Fonseca: A tarefa é, sem dúvida, difícil, muito difícil, no entanto, o nosso dever é tudo fazer para que um dia possamos livremente deslocarmos neste espaço que é comum.

 

Repórter João Pedro Neto: O último compromisso do dia é um jantar oferecido pelo presidente de Cabo Verde aos chefes de Estado e de governo da CPLP. Nesta quarta-feira o Presidente Michel Temer deve participar de outras reuniões do grupo antes de retornar ao Brasil. Da Ilha do Sal, em Cabo Verde, João Pedro Neto.

 

Gabriela: Antes da abertura da reunião, Michel Temer conversou, em particular, com o presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca.

 

Nasi: Eles falaram sobre temas como educação, defesa, agricultura e saúde.

 

Gabriela: Os aposentados e pensionistas do INSS vão receber, já no mês que vem, a primeira parcela do décimo salário.

 

Nasi: O decreto que autoriza a antecipação foi publicado, hoje, no Diário Oficial.

 

Repórter Gabriela Noronha: O paraense Rui Guilherme de Almeida tem 71 anos e a quatro está aposentado pelo INSS. Ele, que era motorista, conta que hoje recebe cerca de um salário mínimo por mês. Rui faz parte dos mais de 30 milhões de aposentados e pensionistas que vão receber de forma antecipada a primeira parcela do décimo terceiro salário.

 

Aposentado - Rui Guilherme de Almeida: Sempre vem em boa hora, sabe? Ajuda em casa, às vezes, saio com meus netos.

 

Repórter Gabriela Noronha: A antecipação de até 50% vai ser paga em agosto, junto com os benefícios do mês, de acordo com o decreto publicado nesta terça-feira no Diário Oficial. A outra parcela do abono anual será paga em novembro. A medida, segundo o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, deve representar uma injeção de R$ 21 bilhões na economia.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Isso faz com que a economia se movimente e gere mais empregos, mais consumo, enfim, é todo um ciclo de desenvolvimento que a injeção de recursos definida pela antecipação do décimo propicia para os beneficiários e para o país. E, antes de mais nada, uma boa notícia para todas aquelas pessoas que dependem de recursos dos seus benefícios da previdência para tocarem suas vidas.

 

Repórter Gabriela Noronha: A primeira parcela do décimo salário dos aposentados e pensionistas é tradicionalmente paga em agosto. Tem direito ao décimo terceiro quem, durante o ano, recebeu benefícios previdenciários como aposentadoria, pensão por morte, auxílio-acidente ou auxílio-reclusão. Quem recebeu auxílio-doença ou salário maternidade tem direito a abono proporcional ao período recebido. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: Mais de 450 empresas já aderiram ao consumidor.gov.

 

Nasi: É por meio dele que consumidores fazem reclamações pela internet e negociam uma solução direta com as empresas, com acompanhamento pelo Ministério da Justiça.

 

Gabriela: E para acessar a plataforma é fácil, basta fazer um cadastro.

 

Repórter Nei Pereira: Quem nunca recebeu uma cobrança indevida ou aquele serviço que você não pediu? Resolver isso é um transtorno, tem que ligar para a empresa, aguardar, e, em muitos casos, recorrer ao Procon. O que nem todo mundo sabe que situações como essas podem ser solucionadas de casa, pela internet. A plataforma consumidor.gov permite a comunicação direta entre consumidores e empresas para resolver conflitos de forma simples, rápida e sem custos. A diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, Ana Carolina Karam, destaca que existe prazo para a reclamação ser respondida.

 

Diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor - Ana Carolina Karam - Ele é um facilitador, porque a partir do momento que o consumidor, ele busca essa plataforma virtual, o fornecedor tem um prazo de dez dias para respondê-lo, e aí buscar uma solução do seu problema.

 

Repórter Nei Pereira: O servidor público, Flávio Maciel de Almeida, está entre os mais de 1 milhão de usuários que utilizam o consumidor.gov. Toda vez que ele tem um problema com alguma empresa, tenta negociar, mas, se a situação não é resolvida, recorre à plataforma. A última foi com uma empresa de telefonia celular.

 

Servidor público - Flávio Maciel de Almeida: Funciona, já utilizei pelo menos umas cinco vezes e todas as vezes o problema foi solucionado.

 

Repórter Nei Pereira: Para se cadastrar na plataforma a pessoa deve acessar o portal: consumidor.gov.br, informar os dados pessoais e criar uma senha. Para registrar a reclamação é preciso que a empresa tenha aderido à plataforma. Hoje, já são 456 cadastradas. As reclamações são acompanhadas pela Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Mais esperança de vida para milhares de brasileiros.

 

Gabriela: De acordo com a Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos, só no ano passado foram realizadas 27 mil cirurgias.

 

Repórter Cleide Lopes: Há quatro anos no peito do brasiliense Almir Gonçalves, de 47 anos, bate um novo coração. Há nove anos ele descobriu que tinha um problema cardíaco sério, teria mesmo que fazer um transplante. Depois de uma longa espera, em 2014 esse novo coração chegou. Almir Gonçalves conta que depois da cirurgia ganhou qualidade de vida e a esperança de continuar sonhando e fazendo planos.

 

Entrevistado - Almir Gonçalves: Mudou tudo, a forma de a gente viver, a forma de pensar, a forma de sempre estar ajudando mais o próximo, você entendeu?

 

Repórter Cleide Lopes: E o país também ganhou maior agilidade no transporte dos órgãos. Um decreto de fevereiro de 2017 determina que uma aeronave na Força Aérea Brasileira, a FAB, permaneça em solo exclusivamente para o transporte de órgãos para transplante. O resultado foi um aumento nas cirurgias, no mesmo ano foram cerca de 27 mil transplantes realizados. No primeiro semestre de 2018, já foram transportados 98 órgãos. O tenente-aviador, Lucas Reine, explica que os acionamentos são realizados a qualquer hora do dia ou da noite.

 

Tenente-aviador - Lucas Reine: É em torno de três a quatro missões por semana a gente realiza e praticamente todas são no período da madrugada. A gente não está carregando um objeto qualquer, uma carga qualquer, a gente está transportando a esperança de uma... da prolongação de uma vida.

 

Repórter Cleide Lopes: No ano passado o Brasil registrou quase 17 doadores para cada milhão de habitantes e pela primeira vez as doações estão em escala crescente nos últimos sete trimestres seguidos. Apesar dos avanços, ainda há muito a fazer. No fim do ano passado, mais de 32 mil pacientes adultos estavam na fila de espera por um órgão. Além de outras mil crianças. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: Qualificação profissional de graça.

 

Gabriela: Cursos do Plano Progredir estão com inscrições abertas.

 

Nasi: Daqui a pouco a gente traz detalhes de quem pode participar e como se inscrever.

 

Gabriela: Estamos em pleno inverno, época onde aumentam os casos de gripes, resfriados e doenças alérgicas.

 

Nasi: Para evitar as complicações da gripe a recomendação do Ministério da Saúde é a vacinação, principalmente de grupos mais propensos à doença, como idosos, crianças e gestantes.

 

Gabriela: Mas, em algumas regiões do país, além do frio, esta época traz também a baixa umidade do ar, e, nesse caso, alguns cuidados podem evitar uma série de doenças, como a rinite e o refrigerado.

 

Repórter Raíssa Lopes: O time de vôlei de praia, do qual Luel Santos é técnico, treina em parque de Brasília sempre por volta das 15h. Mas nesta época do ano os atletas se cansam mais e alguns apresentam alergias ou problemas respiratórios. É que estamos no inverno, época de seca no Distrito Federal. O técnico explica que para encarar os treinos os atletas tomam cuidados especiais, principalmente quando a umidade do ar está baixa.

 

Técnico - Luel Santos: Usar sempre a manhã para poder malhar, né, a parte da manhã, de 7h às 9h, 9h30. A gente tenta diminuir o tempo do treino, aumentar os descansos durante os treinos.

 

Repórter Raíssa Lopes: Segundo a Organização Mundial de Saúde, a umidade do ar abaixo dos 30% traz riscos para a saúde, e esta é uma situação comum em várias regiões do país no inverno. Em Brasília, por exemplo, no ano passado, a umidade chegou a 12%. Para o personal trainer, Thiago Menon, que passa boa parte do dia se exercitando, a época seca exige cuidados com hidratação.

 

Personal trainer - Thiago Menon: A hidratação muito maior do que o período normal, protetor solar também. É importante, né, os óculos escuros, às vezes, o boné também para ajudar.

 

Repórter Raíssa Lopes: Segunda a médica Carolina Gambeta, há outras dicas que também ajudam na proteção contra as doenças típica da época da seca.

 

Médica - Carolina Gambeta: É muito importante a lavagem das mãos, né, a higienização adequada das mãos, a higiene nasal pode ajudar bastante também com o soro fisiológico se alimentar adequadamente, dormir bem, né? Tudo isso é importante.

 

Repórter Raíssa Lopes: Crianças e adultos sofrem mais com os efeitos da seca, e no caso dos sintomas persistirem, a orientação mais segura é procurar atendimento médico. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Nasi: Mais da metade dos 127 mil venezuelanos que entraram no Brasil pela fronteira de Pacaraima, em Roraima, já saíram do país.

 

Gabriela: Os dados são da Polícia Federal e mostram que a maioria dos quase 69 mil venezuelanos que deixaram o Brasil foi por fronteira terrestre.

 

Nasi: Ao todo, cerca de 4 mil imigrantes do país vizinho permanecem em nove abrigos de Roraima.

 

Gabriela: Até agora, quase 700 venezuelanos já participaram do processo de interiorização, sendo levados para outras cidades, São Paulo, Manaus, Cuiabá, Rio de Janeiro, Igaraçu, em Pernambuco, em Conde, na Paraíba.

 

Nasi: Quem recebe o BPC, o Benefício de Prestação Continuada, precisa se inscrever no Cadastro Único.

 

Gabriela: O registro é obrigatório e garante o acesso a outros programas sociais do governo.

 

Repórter André Luiz Gomes: As pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada, o BPC, também conhecido como benefício Loas, tem até dezembro para se inscrever no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal. O registro é obrigatório. O benefício mensal do valor de um salário mínimo é voltado para idosos acima de 65 anos e pessoas com deficiência que têm renda familiar de até um quarto de salário mínimo por pessoa. Isto é, menos de R$ 238,00. O coordenador-geral de benefícios assistenciais do Ministério do Desenvolvimento Social, Francis Magalhães, explica como funciona e quais os documentos necessários para a inscrição no Cadastro Único.

 

Coordenador-geral de benefícios assistenciais - Francis Magalhães: Para se inscrever no Cadastro Único o responsável familiar deve procurar um Centro de Referência de Assistência Social, o Cras, ou um posto de Cadastro Único do seu município, munido do CPF de todos os membros da família do beneficiário. É importante lembrar que não precisa ser o próprio beneficiário que vai fazer esse cadastramento, qualquer membro familiar maior do que 16 anos e que tenha capacidade de prestar informações pode ser o responsável familiar para a realização do cadastro.

 

Repórter André Luiz Gomes: Para idosos e pessoas com deficiência com alguma dificuldade de deslocamento, a inscrição pode ser feita por outra pessoa da família. O Cadastro Único reúne informações das famílias com renda per capita de até meio salário mínimo ou renda total familiar de até três salários mínimos e é utilizado por diversos programas sociais. Nele, são registradas as características da residência, a identificação de cada pessoa, a escolaridade, a situação de trabalho e renda, entre outras informações. Reportagem, André Luiz Gomes.

 

Nasi: E quem recebe o Bolsa Família ou participa de outros programas sociais do governo pode se qualificar de graça.

 

Gabriela: As inscrições para os cursos do Plano Progredir estão abertas.

 

Nasi: São oportunidades de qualificação profissional em diversas áreas.

 

Repórter Carolina Graziadei: Os beneficiários do Bolsa Família e pessoa inscritas do Cadastro Único têm novas oportunidades de qualificação profissional. Estão abertas as inscrições para cursos gratuitos por meio do Plano Progredir. Para os beneficiários do Rio de Janeiro estão sendo oferecidos cursos na área da construção civil, por exemplo. Já para o público de todo país, há vagas para formação profissional nas áreas de saúde, administração e comunicação. Os cursos são online ou presenciais e os alunos recebem certificados de participação. O secretário de Inclusão Social e Produtiva do Ministério do Desenvolvimento Social, Vinícius Botelho, destaca os cursos que estão com inscrições abertas.

 

Secretário de Inclusão Social e Produtiva - Vinícius Botelho: O Plano Progredir está oferecendo cursos de capacitação empreendedora, assim como recursos para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais, de diversos parceiros, incluindo o Sistema S, ofertando cursos que podem desenvolver habilidades socioemocionais e habilidades técnicas relacionadas ao trabalho.

 

Repórter Carolina Graziadei: Os interessados devem se cadastrar no portal do Progredir no endereço: mds.gov.br/progredir. Na página há informações sobre todos os cursos que estão disponíveis. Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social, o Progredir é um plano de ações voltado às famílias de baixas renda para o acesso ao empreendedorismo, à qualificação profissional e ao mercado de trabalho. Reportagem, Carolina Graziadei.

 

Gabriela: Atividades esportivas que são praticadas do espaço aéreo, como paraquedismo, voo livre, uso de balões, asas-deltas, planadores e ultraleves, vão ter novas regras.

 

Nasi: A ideia da Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil, é dar mais segurança ao espaço aéreo, principalmente aos aviões comerciais.

 

Repórter Pablo Mundim: A partir de janeiro de 2019, o Brasil terá novas regras para a prática de modalidades como balonismo, paraquedismo, voo livre, ultraleves motorizados, planadores e acrobacia aérea, o chamado aerodesporto. As atividades consideradas esportivas só vão ser realizadas em áreas autorizadas pela Anac, Agência Nacional de Aviação Civil, ou pelo Departamento de Controle Aéreo. Nessa categoria estão as aeronaves sem motor e de até 80 quilos ou motorizadas de até 200 quilos, acima disso, o equipamento fica sujeito às mesmas normas da aviação convencional, como a emissão de matrícula e certificado de piloto. O diretor da Anac, Ricardo Fenelon, acredita que o novo marco vai simplificar as regras e aumentar a segurança dos espaços aéreos.

 

Diretor da Anac - Ricardo Fenelon: O nosso objetivo é trazer mais segurança para o sistema de aviação como um todo, e, ao mesmo tempo, permitir a prática desses esportes no Brasil. Quem se integrar com sistema de aviação civil vai ter que seguir as regras de navegação aérea, o piloto vai ter que estar certificado dentro das regras de um piloto normal. Agora, quem tiver praticando uma atividade aerodesportiva, isso vai ser em áreas restritas, que não interferem nas atividades da aviação civil, por exemplo, essas aeronaves, elas não podem sobrevoar áreas densamente povoadas.

 

Repórter Pablo Mundim: As novas regras foram baseadas em práticas internacionais e foram elaboradas em conjunto com a comunidade aerodesportiva. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: Está disponível para consulta a lista dos aprovados na segunda chamada do Prouni.

 

Nasi: Os estudantes têm até a segunda-feira da semana que vem, dia 23, para comprovarem as informações prestadas da hora da inscrição.

 

Gabriela: Neste semestre, o Prouni oferece quase 175 mil bolsas de estudos integrais e parciais para estudantes em faculdades e universidades particulares.

 

Nasi: A lista dos aprovados está na internet em: siteprouni.mec.gov.br.

 

Gabriela: Uma indústria que movimenta bilhões de dólares todos os anos e gera milhares de empregos.

 

Nasi: Você deve estar pensando que vamos falar de automóveis, petróleo, alimentos, nada disso, o assunto é videogame.

 

Gabriela: Isso mesmo, os jogos digitais, um mercado que está cada vez maior no Brasil. De acordo com o censo sobre o setor divulgado recentemente, já são 375 empresas que desenvolvem jogos no país.

 

Nasi: E quase metade delas usa incentivos público para produzir os games.

 

Repórter Paulo La Salvia: Parece brincadeira, passatempo, mas, na verdade, é um setor que utiliza alta tecnologia e aquece a economia, é a área dos games. De acordo com o Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais, são 375 empresas do setor em todo o país. Para o diretor-executivo de uma empresa de jogos de Brasília, Pedro Machado, a tendência do Brasil é seguir o que ocorre no exterior.

 

Diretor-executivo - Pedro Machado: Hoje o setor de jogos, globalmente, ele é o maior da área de entretenimento, né? O faturamento do ano passado global foi US$ 116 bilhões. Então, acompanhando esse mercado internacional, o Brasil também está crescendo e não só empresas fazendo sucesso nacionalmente, mas, principalmente, internacionalmente.

 

Repórter Paulo La Salvia: Nos últimos dois anos mais de 1,7 mil jogos foram criados no Brasil, em parte pela própria dinâmica no setor, em parte pela ajuda de políticas públicas. São cursos e editais de incentivo econômico para o desenvolvimento de games, que, para Otávio Soato, dono de outra empresa da área em Brasília, são fundamentais para a manutenção do negócio.

 

Empresário - Otávio Soato: A gente não tem dinheiro, capital, os recursos para desenvolver esses jogos são muito grandes, demoram muito tempo para serem desenvolvidos, de um a dois anos. E com essa ajuda desses editais a gente é capaz de desenvolver, e vender, e colocar esses jogos nas plataformas.

 

Repórter Paulo La Salvia: De acordo com o censo da indústria brasileira de jogos digitais, quase metade das empresas que desenvolvem games no Brasil conhecem e utilizam incentivos públicos. Mais de 70% dos empreendimentos faturam até R$ 81 mil por mês e quase 30% exportam os jogos. Para o desenvolvedor de games, Luan Morais, que ainda está na universidade, o crescimento do setor faz parte do próprio desenvolvimento da indústria do entretenimento.

 

Desenvolvedor de games - Luan Morais: Antigamente da gente tinha filme, tem livro, mas essas são mídias que você não tem controle sobre, você está lendo o livro e você não está interagindo com o livro, você não define o personagem vai para a direita ou para esquerda do livro e qual é o ponto final daquele negócio. Então, acho que jogos são o futuro da indústria de entretenimento.

 

Repórter Paulo La Salvia: O Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais mostra ainda que o ambiente dos jogos é masculino e os empregados, em mais de 60% dos casos, falam outra língua, geralmente o inglês. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: Mais de 1,2 mil indígenas e quilombolas matriculados em cursos de graduação em instituições federais já fizeram inscrição para receber o Programa de Bolsa Permanência.

 

Nasi: A bolsa é um auxílio financeiro pago a estudantes de baixa renda que estudam em instituições federais de ensino superior.

 

Gabriela: O Ministério da Educação paga um valor de um R$ 900 por aluno para ajudar a pagar custos como materiais didáticos e alimentação.

 

Nasi: Hoje são pagas 10 mil Bolsas Permanência para indígenas e quilombolas. E quem ainda não se inscreveu ainda dá tempo, o prazo termina em 31 de agosto.

 

Gabriela: Mais informações acesse o endereço na internet: sisbp.mec.gov.br.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite e até amanhã.

 

"A Voz do Brasil, Governo Federal".