17 de outubro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: Brasileiros podem se cadastrar para receber por celular alertas de desastres naturais. Serviço já está disponível para moradores do Paraná e Santa Catarina e chega a todo o país até março do ano que vem. Desmatamento da Amazônia cai 16% em um ano. Amanhã é Dia do Médico. E presidente Michel Temer condecora profissionais que atuam em diversas áreas da medicina.

audio/mpeg VOZ171017.mp3 — 46915 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite pra você que nos ouve aí, em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 17 de outubro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Brasileiros podem se cadastrar para receber por celular alertas de desastres naturais.

 

Gabriela: Serviço já está disponível para moradores do Paraná e Santa Catarina e chega a todo o país até março do ano que vem. Natália Koslyk.

 

Repórter Natália Koslyk: O serviço é gratuito e a mensagem pode ser enviada e recebida mesmo quando o aparelho estiver sem crédito ou sem acesso à internet.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Desmatamento da Amazônia cai 16% em um ano. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Em relação a 2004, ano em que o Governo Federal lançou um plano para preservação e controle do desmatamento na Amazônia, a redução foi de 76%.

 

Nasi: Amanhã é Dia do Médico, e presidente Michel Temer condecora profissionais que atuam em diversas áreas da Medicina.

 

Gabriela: O presidente destaca o papel social dos médicos.

 

Presidente Michel Temer: Ou seja, colabora com o desenvolvimento do país, colabora com as causas sociais, colabora com aqueles que, mais carentes, então ele presta um serviço social relevantíssimo, porque ele está levando pras famílias, quando chamado é, a esperança da recuperação.

 

Nasi: Hoje na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E pra assistir a gente ao vivo na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Amanhã é o Dia do Médico e, pra comemorar a data, o presidente Michel Temer entregou hoje a Ordem do Mérito Médico para alguns profissionais que representam a categoria.

 

Gabriela: O presidente ressaltou o importante papel social que os médicos cumprem no país, o que pode ser medido pelo prestígio que esses profissionais têm com a população.

 

Repórter Nei Pereira: A barba e os cabelos brancos são marcas da experiência do médico Áureo Augusto Caribé de Azevedo, que há 40 anos exerce a profissão, a maior parte deles em um posto de saúde no povoado rural no Vale do Capão, em Palmeiras, no interior da Bahia. Ele atende os cerca de 2.000 moradores da comunidade durante a semana, mas sempre tem uma emergência em outros horários.

 

Médico - Áureo Augusto Caribé de Azevedo: Frequentemente, alguém passa mal ou então alguma mulher resolve parir de noite, né? E aí eu vou lá e atendo, né?

 

Repórter Nei Pereira: Áureo está entre os 12 profissionais homenageados pelo presidente da República com a Medalha da Ordem do Mérito Médico, concedida como reconhecimento aos que se destacaram no exercício da profissão, por prestar serviços notáveis ao país, como disse o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Estarão aqui médicos da atenção básica, da atenção especializada, servidores do nosso Ministério, de modo que escolhemos um espectro que represente a todos os profissionais brasileiros, médicos que tanto contribuem para a saúde no Brasil.

 

Repórter Nei Pereira: Um dos programas do Governo para melhorar o atendimento da população brasileira é o Mais Médicos, que chega a cerca de 63 milhões de pessoas. Por isso, um dos homenageados foi Sildo Gonzaga Tomás, médico indígena da etnia Ticuna, que atua pelo programa em aldeias do Alto Rio Solimões, no Amazonas. Tomas se formou em Medicina em Cuba. Ele falou sobre a satisfação de atender ao seu povo.

 

Médico - Sildo Gonzaga Tomás: Eu, trabalhando na mesma comunidade, falando a mesma língua também, né, que é o idioma próprio da aldeia, próprio da tribo Ticuna também, né? E isso é importante pra mim.

 

Repórter Nei Pereira: O presidente Michel Temer destacou a diversidade de profissionais agraciados com a medalha e ressaltou o papel social do médico.

 

Presidente Michel Temer: Quantas e quantas vezes é chamado, nas mais variadas horas do dia, e muitas e muitas vezes nas mais variadas horas da noite. Então, ele presta um serviço social relevantíssimo, porque ele está, digamos assim, levando pras famílias, quando chamado é, a esperança da recuperação.

 

Repórter Nei Pereira: A Ordem do Mérito Médico foi criada em 1950. Já foram concedidas medalhas para nomes como Adib Jatene, Drauzio Varella e Zilda Arns. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Muitos países que sofrem com desastres naturais têm apostado na tecnologia para diminuir os impactos e também salvar vidas. É o caso do Japão, Canadá e Chile, por exemplo.

 

Gabriela: E o Brasil também está nesse caminho. A partir desta semana, os moradores dos estados de Santa Catarina e do Paraná já podem contar com o serviço que manda mensagem via celular antecipando desastres, como inundações, alagamentos, perigos de deslizamentos.

 

Nasi: E a meta é que, até março do ano que vem, todo o Brasil possa contar com o serviço.

 

Repórter Natália Koslyk: O município onde Meuri Bianchim mora, em Santa Catarina, fica perto do Rio Irani. Quando chove, todo mundo fica em alerta. Em 2015, ele e os moradores de Arvoredo levaram um susto quando uma das barragens do rio rompeu. Com medo da água, ele conta que teve que abrigar a família em outro lugar, retirou os pertences que conseguiu e fechou as portas do seu comércio.

 

Comerciante - Meuri Bianchim: Tive que arrancar tudo às pressas, né, e levar tudo pra um outro estabelecimento, né? Também fechamos as portas e ficamos esperando o tempo passar, pra ver o que ocorria na madrugada, né?

 

Repórter Natália Koslyk: Agora, os moradores de Santa Catarina e do Paraná vão poder receber mensagens de alerta de desastres naturais pelo celular, quase em tempo real. A ferramenta estava em fase de teste desde o início do ano, em alguns municípios dos estados, mas agora está pronta pra ser usada. Com isso, o secretário de Defesa Civil de Santa Catarina, Rodrigo Moratelli, espera tornar a comunicação com os catarinenses mais eficiente.

 

Secretário de Defesa Civil de Santa Catarina - Rodrigo Morateli: O grande avanço é levar uma informação necessária, um serviço de uma política pública nova, dentro do nosso estado, e, óbvio, com essa mensagem, garantir a segurança, primeiro da situação física de cada um que recebeu essa mensagem, depois a diminuição da perda patrimonial e fiscal em nosso estado.

 

Repórter Natália Koslyk: O diferencial desse meio de comunicação é que o SMS está presente no dia a dia de todas as pessoas, como explica o gerente da Agência Nacional de Telecomunicações, Gustavo Santana Borges.

 

Gerente da Agência Nacional de Telecomunicações - Gustavo Santana Borges: É uma, um tipo de alerta que está muito próximo do consumidor, está muito próximo do cidadão. Então ele tem um potencial muito grande de ser usado a favor desse intuito de salvar vidas, né?

 

Repórter Natália Koslyk: O município de Arvoredo, onde o Meuri Bianchim mora com a família, participou do projeto piloto. No início do ano, ele mandou uma mensagem para o número 40199, com o número do CEP do seu interesse e começou a receber notificações de alerta da Defesa Civil no seu município. Agora, está se sentindo mais seguro.

 

Comerciante - Meuri Bianchim: É um alerta, né? A gente se previne, a gente ajeita a própria propriedade, a gente sabe que vai vir um tempo ruim, a gente ajeita as coisas, né, da melhor forma, né? E recolhe a família, sem dúvida, né?

 

Repórter Natália Koslyk: Os próximos a receberem o serviço são os moradores de São Paulo, em novembro, e do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Espírito Santo em dezembro deste ano. A expectativa é de que, até março de 2018, todos os estados já tenham sido inseridos no sistema. Lembrando que o serviço é gratuito e a mensagem pode ser enviada e recebida mesmo quando o aparelho estiver sem crédito ou sem acesso à internet. Reportagem, Natália Koslyk.

 

Gabriela: Os moradores de Santa Catarina e do Paraná que quiserem receber os alertas da Defesa Civil devem enviar uma mensagem para o número 40199 com o CEP do lugar de interesse, como a casa ou o local de trabalho.

 

Nasi: O desmatamento na Amazônia diminuiu 16% no último ano.

 

Gabriela: Dados divulgados hoje pelo Inpe, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, mostram que o ritmo de derrubada da floresta diminuiu entre agosto do ano passado e julho deste ano.

 

Repórter Pablo Mundim: A estimativa do Inpe é que houve 6.624 quilômetros quadrados de corte raso na floresta, no período avaliado. Em relação a 2004, ano em que o Governo Federal lançou o plano para preservação e controle do desmatamento na Amazônia, a redução foi de 76%. O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, destacou que o Brasil tem demonstrado empenho no combate ao desmatamento.

 

Ministro do Meio Ambiente - Sarney Filho: Quando fica constatado que está havendo um desmatamento, pra lá se deslocam os fiscais do Ibama, de ICMBio, Polícia Federal, às vezes Polícia Estadual, e aí se dá o combate. Quando os desmatadores ilegais sabem que a presença do Estado Brasileiro está bastante clara, eles diminuem as suas atividades. E é isso que está ocorrendo, nós recuperamos o orçamento desses órgãos, conseguimos adicionalmente mais recursos do Fundo da Amazônia, e as operações voltaram como jamais vistas.

 

Repórter Pablo Mundim: Mas Sarney Filho também diz que, além da fiscalização, são necessárias outras estratégias para manter a floresta em pé.

 

Ministro do Meio Ambiente - Sarney Filho: O Brasil tem feito seu dever de casa. E nós estamos chegando no limite. Se não forem cumpridos acordos, principalmente o Acordo de Paris, os REDs, pagamento por serviços ambientais, tenho convicção, infelizmente, de que será muito difícil manter a queda do desmatamento, mesmo se a gente continuar com recursos orçamentários.

 

Repórter Pablo Mundim: Os estados do Pará e de Mato Grosso apresentaram as maiores áreas desmatadas, segundo o estudo. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Se você recebe o Bolsa Família ou participa de outros programas sociais do governo, atenção! Você pode fazer cursos de qualificação profissional de graça.

 

Gabriela: A iniciativa faz parte do Programa Progredir, que quer promover a autonomia e a melhora da qualidade de vida das famílias inscritas no Cadastro Único.

 

Nasi: E as inscrições para os cursos terminam na sexta-feira.

 

Repórter André Luís Gomes: As oportunidades de capacitação são oferecidas pelo Pronatec Oferta Voluntária. Nesta etapa, serão 870 mil vagas em mais de 50 cursos online. Entre os mais procurados, estão os de assistente administrativo, representante comercial e recepcionista. Vendedora autônoma e beneficiária do Bolsa Família, Dalila Pereira da Silva, de Fortaleza, no Ceará, vê na qualificação profissional uma chance de melhorar o resultado das vendas.

 

Vendedora - Dalila Pereira da Silva: Claro que acrescentaria muito, porque eu ia aprender outras técnicas e também aprender a administrar melhor, né? Então, vendas, tendo um negócio próprio, dá aquela ideia de que você pode realmente mudar de vida.

 

Repórter André Luís Gomes: A qualificação profissional é um dos pilares do Plano Progredir. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, os cursos de qualificação profissional darão aos beneficiários do Bolsa Família a chance de conquistar autonomia e melhorar de vida.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Progredir é um programa para intensificar oportunidades pras famílias, principalmente pros jovens do Bolsa Família, que estão desempregados, enfim, sem um horizonte na vida pro seu progresso, pro seu desenvolvimento econômico e também pessoal. Então, é muito importante que esse programa funcione, tanto na parte de promover empreendedores, né, transformar esses jovens em empreendedores, como também pra oferecer emprego.

 

Repórter André Luís Gomes: A duração dos cursos varia entre 160 e 400 horas. Para participar, é preciso estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e ter mais de 15 anos. Os interessados devem se cadastrar no Portal do Ministério do Desenvolvimento Social, no endereço www.mds.gov.br/progredir. Ao final do cadastro, já é possível fazer a pré-matrícula no curso escolhido. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail ao candidato. Reportagem, André Luís Gomes.

 

Gabriela: 19h13 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Militares vão levar médicos e enfermeiros para atender indígenas no interior do Acre.

 

Gabriela: Daqui a pouco, a gente traz os detalhes da operação das Forças Armadas nesta região afastada e de difícil acesso.

 

"Você na Voz do Brasil".

 

Nasi: A modernização das leis trabalhistas entra em vigor no começo do mês que vem.

 

Gabriela: As novas regras, como a negociação direta entre empresas e trabalhadores para a divisão das férias em três períodos e participação nos lucros geram dúvidas entre a população.

 

Nasi: E se você tem alguma pergunta sobre a modernização das leis trabalhistas, manda pra gente.

 

Gabriela: Basta gravar uma mensagem e enviar para o nosso e-mail, voz@ebc.com.br, ou no Whatsapp (61) 99862-7345. Eu vou repetir: (61) 99862-7345.

 

Nasi: E nós vamos buscar a resposta pra você. Participe.

 

Gabriela: O dinheiro arrecadado com a exploração de petróleo pode ser usado na construção de navios para defesa da costa brasileira.

 

Nasi: O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse hoje que a operação já foi discutida entre os ministérios da Defesa, da Fazenda e do Planejamento.

 

Gabriela: Segundo ele, um Projeto de Lei deve ser enviado ao Congresso com a previsão de destinar os royalties do pré-sal, dinheiro que empresas pagam ao governo pelo direito de explorar o petróleo, para a Emgepron, Empresa Gerencial de Projetos Navais, instituição pública vinculada ao Ministério da Defesa.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: A Emgepron, por ser uma empresa pública não dependente do Tesouro, não fica dentro do chamado teto de gastos. Então, nós fizemos uma operação discutida com a Fazenda e com o Planejamento, pra que recurso do pré-sal capitalizasse a Emgepron e ela pudesse financiar o projeto de corvetas, são quatro corvetas, que são importantíssimas para a defesa das costas do Brasil. O montante ainda não está definido. Vai ser enviado um Projeto de Lei nos próximos dias ao Congresso Nacional, e aí então, nós saberemos qual será esse montante.

 

Nasi: A declaração do ministro foi feita em São Paulo, num seminário organizado pela Aeronáutica, com o objetivo de encontrar soluções para financiar a indústria de Defesa.

 

Gabriela: Segundo Raul Jungmann, além de ser importante para a soberania do país e para o desenvolvimento tecnológico, a indústria da Defesa tem participação significativa na economia brasileira.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: A base industrial de Defesa, sozinha, responde por quase 4% do nosso PIB. Ela emprega 60 mil pessoas diretamente e 240 mil pessoas indiretamente. E eu diria, ela vive à base de inovação, representa empregos de salários mais altos, representa impostos. O que você desenvolve, muitas vezes, pra área de defesa, termina sendo utilizado pela indústria civil. É o caso, por exemplo, do celular, e representa também soberania pro Brasil.

 

Nasi: Raul Jungmann também comentou a atuação das Forças Armadas em ações na área de segurança pública no Rio de Janeiro.

 

Gabriela: Segundo ele, está prevista a implementação do Programa Forças no Esporte em comunidades carentes da cidade.

 

Nasi: O programa oferece alimentação saudável, reforço escolar e atividades esportivas para crianças e jovens.

 

Gabriela: Equipes da Força Nacional de Segurança Pública já estão no canteiro de obras da Usina Hidrelétrica São Manuel.

 

Nasi: As equipes fazem patrulhamento para garantir a segurança dos trabalhadores em instalações da usina, que fica entre os municípios de Jacareacanga, no Pará, e Paranaíta, em Mato Grosso.

 

Gabriela: A atuação da Força Nacional atende a um pedido do Ministério de Minas e Energia.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Nasi: Além de defender nosso território, as Forças Armadas realizam outras ações fundamentais para o país.

 

Gabriela: Uma delas é levar profissionais de saúde até as regiões mais afastadas e de difícil acesso, para levar atendimento à população.

 

Nasi: Desta vez, militares do Exército e da Aeronáutica vão ajudar a levar médicos e enfermeiros até tribos indígenas, localizadas no interior do Acre, na região do Alto Rio Juruá.

 

Repórter Marina Melo: O Ministério da Defesa iniciou recentemente um importante apoio que será dado a agentes de saúde, para prover atendimento a comunidades indígenas de difícil acesso, localizadas na região do Alto Rio Juruá, no estado do Acre. Realizada em parceria com a Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde e com a Associação Expedicionários da Saúde, esta ação deverá realizar mais de 2.000 consultas em várias especialidades, além de mais de 400 cirurgias oftalmológicas, entre outros atendimentos, até o próximo dia 6 de novembro. O Coronel Kennedy Menescal, coordenador da Seção de Operações Complementares do Ministério da Defesa, explica que, além de todo o apoio logístico, levando mais de 15 toneladas de equipamentos, os militares do Exército e da Força Aérea também farão o transporte de médicos e indígenas por vias terrestres, fluviais e aéreas.

 

Coordenador da Seção de Operações Complementares - Coronel Kennedy Menescal: Então o Exército, por meio dos caminhões de grande porte deles, que levará esse equipamento. São basicamente, são a base modular, que vai ser montada lá, né? E os equipamentos também, geradores e outras coisas mais, que são os periféricos dessa base de operações. E a Força Aérea, por meio de uso de aeronaves de transporte de grande porte, o Amazonas C-105, Caravan também, aeronaves de pequeno transporte, que vai ser feito praticamente a ponte aérea, levando a população indígena que vai ser atendida em Morada Nova, helicópteros também H-60 e, provavelmente, aeronaves de grande porte, que vão trazer a equipe médica ou a equipe técnica, que vai fazer toda essa operação, a partir de Campinas. Então, é um grande envolvimento.

 

Repórter Marina Melo: Para a realização desta grande ação, serão montados módulos de consultórios e salas cirúrgicas para realização de cirurgias, consultas e exames, onde 19 equipes médicas farão os atendimentos. O coordenador da Seção de Operações Complementares do Ministério da Defesa explica que, sem o apoio das Forças Armadas, a ação não seria realizada.

 

Coordenador da Seção de Operações Complementares - Coronel Kennedy Menescal: Porque toda vez que a gente participa de algo que leva, como nesse exemplo, levar a saúde pra qualquer comunidade, é um grande benefício particular, pessoal e profissional. E, logicamente, o que o Ministério da Saúde está fazendo, ele não conseguiria fazer sozinho. E buscou, junto com o Ministério da Defesa e as Forças Armadas, essa expertise de logística que tem numa área de difícil acesso.

 

Repórter Marina Melo: Nesta ação, 17 etnias serão visitadas. Algumas delas de indígenas que, até pouco tempo atrás, viviam de forma isolada. Para a realização desta ação, foi feito contato prévio com lideranças indígenas, que já autorizaram a presença dos profissionais de saúde e das equipes de militares. Reportagem, Marina Melo.

 

Gabriela: Você ouviu ontem aqui na Voz do Brasil que o saldo do PIS/Pasep começa a ser pago esta semana para os cotistas que têm 70 anos ou mais.

 

Nasi: Mas os participantes do PIS/Pasep que têm conta na Caixa e os cotistas do Pasep com conta no Banco do Brasil já começaram a receber hoje. Os valores foram depositados automaticamente nas contas dos correntistas.

 

Gabriela: Aqueles que não têm conta nesses bancos podem receber o dinheiro a partir de quinta-feira, nas agências.

 

Nasi: Pra saber se têm saldo a receber, os trabalhadores da iniciativa privada devem consultar o site www.caixa.gov.br/cotaspis.

 

Gabriela: Os servidores públicos devem consultar o saldo em www.bb.com.br/pasep.

 

Nasi: O governo estima que, nesta primeira fase, mais de 3,5 milhões pessoas devem sacar R$ 6,7 bilhões.

 

Gabriela: Juntar esforços para diminuir a pobreza, melhorar a educação e unir todo o país em torno da solidariedade.

 

Nasi: Objetivos do Programa Nacional de Voluntariado, o Viva Voluntário, lançado pelo governo em agosto.

 

Gabriela: E hoje foi aberta a inscrição para representantes da sociedade civil que queiram participar do conselho gestor, que vai definir as linhas gerais do programa.

 

Repórter Alessandra Bastos: Vão ser escolhidos oito representantes de organizações da sociedade civil e oito do setor privado. Para participar, é necessário fazer parte de entidade que desenvolva ações sem fins lucrativos, com atividades voluntárias. O mandato de cada integrante do Conselho Gestor é de dois anos. Lançado há dois meses, o Viva Voluntário incentiva o engajamento da população em atividades voluntárias. O programa prevê, por exemplo, a utilização de horas de trabalho voluntário como critério de desempate em concursos públicos e descontos em eventos culturais. Além dos 16 representantes de organizações e do setor privado, o conselho é composto também por 16 ministérios. As entidades e organizações interessadas devem preencher o formulário no site do programa, no endereço planalto.gov.br/vivavoluntario. As inscrições estão abertas por um mês. O prazo termina no dia 17 de novembro. Alessandra Bastos para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, está na África do Sul, onde participa de encontros para fortalecer acordos de cooperação técnica.

 

Nasi: De lá, o ministro conversou por telefone com a Voz do Brasil, sobre a viagem, que percorreu seis países africanos.

 

Gabriela: Manter laços históricos, culturais e o bom relacionamento são alguns objetivos da viagem.

 

Nasi: No ano passado, o Brasil exportou mais de US$ 8 bilhões em produtos para o continente africano.

 

Repórter Carolina Rocha: A viagem percorreu seis países da África Ocidental: África do Sul, Benin, Costa do Marfim, Gana, Marrocos e Nigéria. O objetivo foi estreitar laços com as nações e fortalecer acordos de cooperação técnica em diversas áreas. O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, conta que o continente africano vem crescendo em população e economia ao longo dos anos.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes: O continente africano está se modernizando, a democracia está se enraizando em muitos países. A África cresceu, economicamente, entre 2016, mais de 4% acima do crescimento mundial. A África hoje tem 1,2 bilhão de consumidores, é um continente com o qual o Brasil tem um relacionamento caloroso, amigo e muita parceria em todos os planos.

 

Repórter Carolina Rocha: As exportações brasileiras para o continente africano contam com produtos manufaturados, como sapatos, tecidos, aviões e equipamentos agrícolas. Segundo o ministro, a produção agropecuária é uma área de intensa troca, já que as condições de cultivo de muitos países africanos são semelhantes às do Brasil.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes: Há uma semelhança ecológica muito grande entre o nosso cerrado e a savana africana. Então, nós podemos, e já estamos fazendo isso, fazer uma cooperação técnica com a nossa Embrapa, para transferir pra eles o nosso conhecimento, a nossa tecnologia em matéria de agricultura tropical. Agora, atrás disso, virá também comércio, virão máquinas, equipamentos agrícolas. Enfim, é uma cooperação.

 

Repórter Carolina Rocha: Aloysio Nunes destaca que, entre os acordos bilaterais fortalecidos durante os encontros, estão a transferência de tecnologias agrícolas e cooperações para ajudar a África a desenvolver programas de alimentação escolar e agricultura familiar em prática no Brasil. Reportagem, Carolina Rocha.

 

Gabriela: Um avião do Greenpeace caiu hoje no município de Novo Airão, interior do Amazonas. De acordo com a organização, havia cinco pessoas a bordo. Uma morreu e as outras quatro ficaram feridas.

 

Nasi: O órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos vai iniciar a investigação desse acidente. As causas ainda não são conhecidas.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite pra você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".