18 de julho de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: Começa pagamento do Bolsa Família do mês de julho. Mais de 13,5 milhões de famílias vão sacar o benefício. Pacientes do SUS vão receber avisos de consultas pelo celular. Encontro de países de língua portuguesa termina em Cabo Verde. E Brasil assina compromisso para aumento de circulação das pessoas entre os países do grupo e parcerias comerciais e culturais.

audio/mpeg VOZ180718.mp3 — 44986 KB




Transcrição

 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 18 de julho de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Começa pagamento do Bolsa Família do mês de julho.

 

Gabriela: Mais de 13,5 milhões de famílias vão sacar o benefício. Pâmela Santos.

 

Repórter Pâmela Santos: Esse é o primeiro mês de pagamento com reajuste de 5,67% do valor do benefício médio.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Pacientes do SUS vão receber avisos de consultas pelo celular. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Outra novidade desse sistema é que os profissionais de saúde vão poder registrar as vacinas que o paciente tomou. Essa informação vai evitar que o paciente tome a mesma vacina duas vezes.

 

Nasi: Encontro de países de língua portuguesa termina em Cabo Verde.

 

Gabriela: E Brasil assina compromisso para o aumento de circulação das pessoas entre os países do grupo e parcerias comerciais e culturais.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Começou hoje o pagamento do Bolsa Família de julho.

 

Gabriela: As mais de 13,5 milhões de famílias que têm direito ao benefício vão receber o pagamento com valor reajustado.

 

Repórter Pâmela Santos: O pagamento do Bolsa Família do mês de julho segue até o dia 31. Esse é o primeiro mês de pagamento com reajuste de 5,67% do valor do benefício médio. O que cada beneficiário recebe varia conforme o número de pessoas da família, a idade dos integrantes e a renda declarada pelo titular no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Ao se inscreverem no programa, as famílias assumem compromissos nas áreas de educação e saúde. De acordo com a diretora de Condicionalidade substituta do Ministério do Desenvolvimento Social, Ana Paula Guimarães, esses compromissos são conhecidos como condicionalidades e têm o papel de contribuir para o acesso das famílias à educação e à saúde.

 

Diretora de Condicionalidade substituta - Ana Paula Guimarães: Crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, eles têm que estar matriculados e ter frequência escolar. A saúde, responsáveis das famílias devem levar as crianças menores de sete anos para tomar as vacinas recomendadas pelas equipes de saúde, medir e fazer o acompanhamento do desenvolvimento, e as gestantes devem fazer o pré-natal e ir às consultas nas unidades de saúde.

 

Repórter Pâmela Santos: O pagamento segue o calendário definido pelo Ministério do Desenvolvimento Social, com a liberação dos saques de forma escalonada. Para saber o dia em que o beneficiário poderá sacar, basta conferir o Número de Identificação Social, o NIS, impresso no cartão do programa. Os que terminam com o final 1 podem sacar no primeiro dia do pagamento, os com final 2 no segundo dia e assim por diante. Os recursos ficam disponíveis para saque por um período de três meses. O programa é voltado para famílias inseridas no Cadastro Único para Programas do Governo Federal e que tenham renda mensal por pessoa de até R$ 89, além daquelas com renda familiar mensal por pessoa de até R$ 178, desde que tenham gestantes, crianças ou adolescentes. Reportagem, Pâmela Santos.

 

Nasi: E como a gente acabou de ouvir, crianças e adolescentes que recebem o Bolsa Família precisam estar matriculadas e manter a frequência na escola.

 

Gabriela: Como resultado dessa política, cerca de mil estudantes que recebem o benefício já foram premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática das escolas públicas.

 

Nasi: A Olimpíada tem revelado talentos entre os milhares de participantes, e agora eles têm mais uma oportunidade de testar o conhecimento em matemática, com uma olimpíada internacional que começa na semana que vem.

 

Repórter Cleide Lopes: Identificar e estimular jovens talentos que poderiam passar despercebidos no sistema educacional brasileiro. Com esse objetivo, foi criado há 13 anos a Olimpíada Brasileira de Matemática das escolas públicas do país. A avaliação tem obtido resultados em uma das parcelas mais vulneráveis da população, as famílias que recebem o Bolsa Família. Cerca de mil beneficiários do programa já foram medalhistas. Esse é o caso do paulista Vítor da Silva Barbosa, que tem 15 anos. Ele já ganhou duas medalhas: prata em 2016 e ouro em 2017. Hoje, Vítor estuda Matemática na Universidade Paulista, USP, e diz que a competição estimulou ainda mais.

 

Estudante - Vítor da Silva Barbosa: Depois da Olimpíada eu comecei a estudar mais, eu comecei a me interessar mais. Hoje, eu... Tem umas coisas que eu, sinceramente, anos atrás, nunca pensei que eu fosse aprender.

 

Repórter Cleide Lopes: A mãe de Vítor, a empregada doméstica Maria Adeilda da Silva, que recebe o Bolsa Família há cinco anos, quer dar um futuro melhor aos dois filhos. Ela conta que, por isso, sempre estimulou a frequência escolar.

 

Empregada doméstica - Maria Aldeída da Silva: Eu sempre incentivei os dois a estudarem, sim, porque é o que eu poderia oferecer para eles no momento, não é? Estudo, estudo, estudo, estudo, porque com ele, ele pode crescer mais na frente.

 

Repórter Cleide Lopes: Manter os filhos na escola é uma das condicionalidades para receber o Bolsa Família, e a frequência escolar tem contribuído para que os alunos de escolas públicas tenham bons resultados nas Olimpíadas de Matemática, como explica a secretária substituta do Departamento de Condicionalidades Nacional de Renda do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Ana Paula Fernandes Guimarães.

 

Diretora de Condicionalidade Nacional de Renda - Ana Paula Fernandes Guimarães: Qualquer política que estimule a frequência escolar, ela tem esse efeito de poder participar dessas Olimpíadas e então ter esses resultados.

 

Repórter Cleide Lopes: Alunos do 1º ao 5º ano de ensino fundamental, que gostam de matemática, têm a oportunidade de participar, de 25 de julho a 30 de setembro, da 2ª Olimpíada BRICSMath, uma competição internacional online das disciplina. As tarefas estarão disponíveis em cinco idiomas. Para participar da Olimpíada, basta ter um computador ou um tablet com acesso à internet. Cabe ao professor da turma cadastrar no site os alunos que manifestarem interesse. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: Informações sobre como se inscrever na Olimpíada Internacional de Matemática na página do Ministério da Educação na internet, em portal.mec.gov.br.

 

Nasi: Você já marcou uma consulta médica e se esqueceu da data?

 

Gabriela: Para não esquecer mais, pacientes do Sistema Único de Saúde poderão receber notificações de consultas agendadas pelo celular.

 

Nasi: A nova versão do aplicativo do SUS também permite registrar as vacinas tomadas, montando um histórico de todas as ações do paciente.

 

Repórter Raquel Mariano: Os pacientes que agendam consultas médicas em Unidades Básicas de Saúde agora poderão receber notificação para lembrar da data da consulta marcada. Para isso, precisa ter o aplicativo MeuDigiSus no celular. Com ele, pode ver também seus exames e procedimentos realizados. Aos poucos, todas as unidades de saúde do país farão um prontuário eletrônico do paciente, como explica o diretor de Atenção Básica do Ministério da Saúde, João Salame.

 

Diretor de Atenção Básica - João Salame: Atualizou o sistema 3.0 e o usuário instalou o aplicativo MeuDigiSus, pronto. Já está funcionando.

 

Repórter Raquel Mariano: Até agora, da 43 mil unidades de saúde de todo o país, 19 mil já instalaram o prontuário eletrônico. Outra novidade desse sistema é que os profissionais de saúde vão poder registrar as vacinas que o paciente tomou. Essa informação vai evitar que o paciente tome a mesma vacina duas vezes, dificuldade que a dona de casa Francisca Rodrigues da Costa enfrenta todos os anos.

 

Dona de casa - Francisca Rodrigues da Costa: Quando chega o tempo da vacina, eu já sei, eu digo: Ah, eu vou tomar vacina. Mas cadê o meu cartãozinho? Eu guardo é bem guardado, mas não sei onde é que está. Eu, que vou procurar uma coisa lá dentro, quando eu chego lá, não sei o que é.

 

Repórter Raquel Mariano: Para baixar o aplicativo, é só procurar na loja de aplicativos no seu celular ou tablet, pelo nome MeuDigiSus. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: A campanha nacional de vacinação contra a gripe atingiu a meta de vacinar 90% do público-alvo.

 

Nasi: São 51,4 milhões de pessoas protegidas contra a doença.

 

Gabriela: Apesar da meta ter sido alcançada de forma geral, gestantes e crianças de seis meses a cinco anos, que fazem parte do público-alvo, continuam com cobertura vacinal abaixo do objetivo do Ministério da Saúde.

 

Nasi: Para essa parcela da população, continua a orientação de procurar um posto de saúde e vacinar contra a gripe.

 

Gabriela: E o Ministério da Saúde confirmou 677 casos de sarampo no país.

 

Nasi: Atualmente, são dois surtos da doença em Roraima e no Amazonas.

 

Gabriela: Segundo o Ministério, todos os casos estão relacionados à importação, em função da entrada de imigrantes venezuelanos no Brasil.

 

Nasi: O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário aos estados para intensificar a vacinação das crianças, público mais susceptível à doença.

 

Gabriela: As vacinas tríplice-viral, contra sarampo, rubéola e caxumba, e a tetraviral, contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela, seguem sendo oferecidas de graça em todos os estados.

 

Nasi: E elas fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação e estão disponíveis ao longo de todo o ano nos postos de saúde de todo o país.

 

Gabriela: Internet de alta velocidade para áreas rurais e locais de difícil acesso.

 

Nasi: É o programa Internet Para Todos, que usa o satélite geoestacionário lançado ao espaço pelo Brasil em maio do ano passado, para fornecer conexão a essas localidades.

 

Gabriela: Hoje, a internet começou a funcionar em uma escola pública de Pacaraima, em Roraima, na fronteira com a Venezuela.

 

Nasi: A repórter Gabriela Noronha foi até lá e traz os detalhes.

 

Repórter Gabriela Noronha: Internet rápida, mais barata e de qualidade, até nas regiões mais remotas do Brasil. Esta é a proposta do programa Internet Para Todos, que começou mais uma etapa nesta quarta-feira. A Escola Municipal Casimiro de Abreu, da cidade de Pacaraima, norte de Roraima, foi a primeira no país a receber a internet via satélite. Antes, a conexão lenta impedia a sala de informática de funcionar com todos os computadores. Agora, os mais de 600 estudantes vão poder usar os notebooks para aprender. O professor de informática Wellington de Souza comemora.

 

Professor - Wellington de Souza: Agora a gente tem uma perspectiva de que, com um sinal de 10 mega, a gente possa acessar todo mundo ao mesmo tempo, realizar as atividades todo mundo de forma simultânea e a qualidade de ensino, né?

 

Repórter Gabriela Noronha: A conexão de internet do programa é feita por meio do satélite geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas, e a implantação está a cargo da Telebras. O presidente da empresa, Jarbas Valente, explica que, em Roraima, o serviço vai ser estendido também a outros equipamentos públicos e a outras cidades do estado.

 

Presidente da Telebras - Jarbas Valente: São 200 pontos no estado que nós vamos instalar em alta velocidade, não só nas escolas públicas, municipais, estaduais, nos postos de saúde, hospitais, nos centros também de desenvolvimento tecnológico, que existem aqui, nos quilombolas e em vários pontos do estado que precisam de comunicação em tempo real para atender a demanda que aqui chega no estado.

 

Repórter Gabriela Noronha: O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, que acompanhou o início do programa em Pacaraima, disse que a ideia é que o Internet Para Todos beneficie cerca de 40 mil localidades em todo o país.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Esse programa, Internet para Todos, ele vai proporcionar a todos nós a oportunidade de levar internet banda larga para todas as escolas do Brasil. Também levará internet para todos os equipamentos públicos de saúde. Podemos também citar como outra importante conquista as comunidades indígenas. As áreas rurais de municípios, onde o proprietário rural, o agricultor, ele não conta hoje com a internet, por isso ele tem dificuldade de ter acesso à agricultura de precisão, que dá mais qualidade à sua produção, a partir de agora, a prefeitura, ela tem a possibilidade de identificar áreas que não têm conectividade, a Telebras vem aqui, coloca uma antena nessa área e um raio mínimo de 1,5 Km é coberto por internet. Conforme a região, chega a 4 Km.

 

Repórter Gabriela Noronha: Mais de 3,8 mil cidades já estão aguardando a instalação do sistema, lugares como a Comunidade Indígena Surumu, onde vivem cerca de 400 famílias da etnia Macuxi. A escola estadual da comunidade atende mais de 200 crianças e vai ser a primeira a receber via satélite a internet banda larga. A professora indígena Marinalva dos Santos Rodrigues dá aula há mais de 23 anos nessa escola e está ansiosa para testar a novidade.

 

Professora - Marinalva dos Santos Rodrigues: A internet então vai facilitar o nosso trabalho, tanto para nós como para os alunos. A gente fica muito ansiosa, até porque também eu sou professora, mas eu tenho dificuldade de mexer com a internet, e vou aprender, para que eu possa também trabalhar com meus alunos, né?

 

Repórter Gabriela Noronha: O satélite geoestacionário também garante o monitoramento das fronteiras brasileiras, ampliando as ações de combate ao tráfico de armas e drogas. De Pacaraima, em Roraima, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Nasi: Suplementos alimentares têm novas regras para venda.

 

Gabriela: Fabricantes vão ter que comprovar segurança e eficácia desses produtos.

 

Nasi: Terminou hoje em Cabo Verde a reunião de cúpula da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, CPLP.

 

Gabriela: O compromisso é aumentar a circulação das pessoas entre os países e também fazer mais parcerias comerciais e culturais.

 

Nasi: Na ocasião, o Brasil passou a coordenação da CPLP para Cabo Verde.

 

Gabriela: Representando o Brasil, o presidente Michel Temer também aproveitou para falar com autoridades sobre a situação de três brasileiros presos no país africano.

 

Repórter João Pedro Neto: No segundo dia da cúpula da CPLP, os chefes de Estado e de Governo adotaram a Declaração de Santa Maria, o documento final do encontro. No texto, a comunidade se compromete a aumentar os esforços para facilitar a circulação das pessoas entre os países do grupo. Durante o período que vai ficar na presidência da CPLP, Cabo Verde também quer aumentar a cooperação econômica, buscando, por exemplo, medidas para evitar a dupla cobrança de tributos em transações comerciais. O presidente do país africano, Jorge Carlos Fonseca, disse que é preciso aumentar a integração entre os países.

 

Presidente de Cabo Verde - Jorge Carlos Fonseca: Intensificação dos nossos contatos, das nossas parcerias, das nossas trocas, da nossa cooperação a vários níveis, político, cultural, científico e tecnológico, mas também econômico e empresarial.

 

Repórter João Pedro Neto: Os chefes de Estado e de Governo destacaram que seguem perseguindo a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, das Nações Unidas, tema proposto pelo Brasil na última cúpula. O presidente Michel Temer falou sobre as discussões da conferência.

 

Presidente Michel Temer: O que se verificou foi o tratamento de temas que interessam ao Brasil, interessam aos países integrantes da CPLP, especialmente nesse período, que nós fizemos uma integração da ONU com a CPLP, quando nós colocamos a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

 

Repórter João Pedro Neto: Antes de retornar ao Brasil, o presidente Michel Temer se encontrou com familiares dos três brasileiros que estão presos no país africano desde o ano passado. Os velejadores foram condenados pela justiça local por tráfico internacional de drogas, depois de serem detidos durante passagem pelo país, quando autoridades encontraram uma grande quantidade de cocaína na embarcação. O presidente Michel Temer conversou com o presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, sobre o assunto.

 

Presidente Michel Temer: Eu dei uma palavra sobre a questão dos brasileiros que estão detidos aqui. Claro que tomei todas as cautelas, digamos, diplomáticas, no sentido de dizer: "Olha, esta é uma questão que diz respeito à soberania do estado cabo-verdiano, e mais ainda, está na Justiça de Cabo Verde". Mas nós, o Brasil, temos o dever, como está acontecendo com os trabalhos diplomáticos, nós temos o dever de patrocinar, digamos assim, na defesa desses brasileiros, sem entrar, naturalmente, no mérito.

 

Repórter João Pedro Neto: A próxima cúpula de chefes de Estado e de Governo da CPLP vai acontecer em 2020, em Angola. Da Ilha do Sal, em Cabo Verde, João Pedro Neto.

 

Nasi: Deve voltar esta semana ao Brasil o menino brasileiro separado dos pais nos Estados Unidos, e que está num abrigo sem nenhuma outra criança que fale português.

 

Gabriela: A notícia foi dada pelo ministro dos Direito Humanos, Gustavo do Vale Rocha, que está em viagem no país norte-americano, onde visitou o abrigo e se reúne com uma série de organismos internacionais.

 

Nasi: Quarenta crianças brasileiras ainda estão longe dos pais, como parte da política norte-americana de tolerância zero contra imigrantes supostamente irregulares.

 

Gabriela: A nossa correspondente nos Estados Unidos Paola de Orte traz as informações.

 

Repórter Paola de Orte: Em um abrigo de Nova Iorque, vive um menino brasileiro de sete anos. Ele foi separado do pai, que está no Texas, depois de terem cruzado juntos a fronteira entre o México e os Estados Unidos, supostamente de maneira ilegal. O garoto é o único brasileiro no abrigo e não tem colegas com quem falar português. A situação preocupa o Brasil. Após visitar o abrigo, o ministro dos Direitos Humanos Gustavo Rocha comentou o caso.

 

Ministro dos Direito Humanos - Gustavo do Vale Rocha: A psicóloga que acompanhou essa criança desde o início, ela é brasileira, ela fala português e isso trouxe um conforto muito grande para a criança. É uma criança nova, de sete anos, e ajudou muito para que essa criança pudesse suportar esse período. E a boa notícia é que, na volta do abrigo, a gente foi informado que ainda no curso dessa semana eles estarão de volta ao Brasil.

 

Repórter Paola de Orte: Desde maio deste ano, quando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, instituiu uma política de tolerância zero com a imigração ilegal, mais de 2 mil famílias foram separadas ao tentar entrar no país. O ministro Gustavo Rocha comentou a política norte-americana.

 

Ministro dos Direito Humanos - Gustavo do Vale Rocha: Isso, para a gente, é um absurdo, uma política que, na minha visão, é inaceitável. Até o dia 26, haverá reunião das famílias, mas essas famílias não serão deportadas antes do término do processo, se assim elas entenderem.

 

Repórter Paola de Orte: De acordo com dados do Ministério das Relações Exteriores, 40 crianças brasileiras ainda estão em abrigos, separadas dos pais. Apesar da vulnerabilidade e da dificuldade psicológica, elas estão em boas condições, com alimentação balanceada e estudando, segundo o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha. A Justiça norte-americana decidiu que, até o próximo dia 26, todas as famílias devem ser reunidas. Mas ainda não está claro como isso será feito. De Nova Iorque, nos Estados Unidos, Paola de Orte.

 

Nasi: Eles ajudam a emagrecer, ganhar massa muscular ou até mesmo dar disposição. São os conhecidos suplementos alimentares.

 

Gabriela: Pode ser o ômega 3, uma proteína do soro do leite, vitaminas. Apesar de serem muito comuns, principalmente no mundo das academias, eles não tinham regulamentação específica.

 

Nasi: Pois nesta semana, a Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, criou novas normas para a venda desses produtos.

 

Gabriela: Entre as novidades, os fabricantes precisam agora comprovar a eficácia e a segurança das substâncias.

 

Nasi: As embalagens também precisam vir com informações mais completas.

 

Repórter Alessandra Bastos: Ter mais disposição para treinar e evitar lesões, esses são alguns dos motivos que fizeram a empresária Fernanda Borges, de Uberaba, em Minas Gerais, usar suplementos alimentares. Mas a falta de cuidado fez com que Fernanda comprasse errado o suplemento à base de proteína do soro do leite, o whey protein. Em vez de perder peso, ela engordou.

 

Empresária - Fernanda Borges: Aí depois disso, eu procurei comprar tudo que o nutricionista, hoje também eu vou no médico esportivo, o que eles me passam. Porque é muito sério tomar suplemento sem saber a finalidade, por modismo.

 

Repórter Alessandra Bastos: E para que o consumidor não tenha dúvidas sobre o que está consumindo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, criou uma regulamentação específica para os suplementos alimentares. Essa categoria não existia na legislação brasileira e os produtos eram chamados de medicamentos ou alimentos. Melhor para o consumidor, de acordo com a gerente-geral de Alimentos da Anvisa, Thalita Antony.

 

Gerente-geral de Alimentos da Anvisa - Thalita Antony: A expectativa é de que o consumidor tenha a informação mais clara do que ele está adquirindo, qual é a finalidade daquele produto, qual é a composição daquele produto, e também esperamos que a indústria consiga investir mais em inovações, numa combinação maior das substâncias que podem ser utilizadas.

 

Repórter Alessandra Bastos: A Anvisa criou uma lista com 382 substâncias permitidas, que passarão a ter limites máximos e mínimos indicados para uso. Segundo Thalita Antony, da Anvisa, as embalagens deverão trazer todas as informações sobre o suplemento.

 

Gerente-geral de Alimentos da Anvisa - Thalita Antony: A denominação clara do produto, como suplemento alimentar, e o que ele oferta de suplemento alimentar, se é de vitamina, de aminoácidos. É preciso ter uma frase de advertência também esclarecendo que esse produto não é um medicamento, a recomendação também de que esse produto, o consumo dele obedeça sempre às recomendações do fabricante, e que seja mantido também fora do alcance de crianças.

 

Repórter Alessandra Bastos: A nutricionista Larissa Santana acredita que a nova regulamentação vai trazer mais segurança para quem compra os suplementos, para os profissionais da área de saúde e também para os comerciantes.

 

Nutricionista - Larissa Santana: Com a regulamentação da Anvisa, isso vai facilitar ainda mais o nosso trabalho e até dos comerciantes mesmo, né? Porque por muitas vezes não podiam vender alguns alimentos, devido a essa falta de regulamentação, e agora vai poder melhorar.

 

Repórter Alessandra Bastos: As empresas terão cinco anos para adequarem os produtos que já estão no mercado à nova regulamentação. Os produtos alimentares novos já deverão ser comercializados de acordo com as novas regras. Com locução de Alessandra Bastos, reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: Na segunda semana de julho, a balança comercial brasileira teve saldo positivo de mais de US$ 1,4 bilhão.

 

Nasi: As vendas de produtos brasileiros para outros países ultrapassaram os US$ 5 bilhões, contra US$ 3,5 bilhões em compras.

 

Gabriela: Os produtos mais exportados foram petróleo bruto, carne bovina, soja em grãos e celulose.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com o Minuto do TCU e em seguida as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite e até amanhã.

 

"A Voz do Brasil, Governo Federal".