18 de dezembro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: População em áreas de risco vão receber mensagem de celular em caso de chuvas ou temporais. Serviço começou a funcionar em mais 3 estados. Presidente Michel Temer volta a defender aprovação da reforma da Previdência. E atenção: empreendedores do Centro-Oeste vão ter mais dinheiro disponível para investir. Governo libera R$ 13 milhões para ações de apoio a moradores de rua e dependentes químicos em São Paulo.

audio/mpeg VOZ181217.mp3 — 46895 KB




Transcrição


Apresentador Roberto Camargo: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Roberto: Boa noite para você que acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 18 de dezembro de 2017.

 

Roberto: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: População em áreas de risco vai receber mensagem de celular em caso de chuvas ou temporais.

 

Roberto: Serviço começou a funcionar hoje em mais 13 estados. Carolina Rocha.

 

Repórter Carolina Rocha: Para deixar bem informada a população em risco em áreas de risco, o serviço gratuito de alertas de desastres naturais começa a funcionar a partir desta segunda-feira nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Roberto: Presidente Michel Temer volta a defender aprovação da reforma da Previdência.

 

Presidente Michel Temer: Não causa nenhum prejuízo aos mais pobres, ao contrário, faz com que os mais ricos é que possam compensar aqueles que são pais pobres e contribuintes da Previdência Social.

 

Gabriela: E atenção, empreendedores do Centro-Oeste vão ter mais de dinheiro disponível para investir. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: O Fundo Constitucional do Centro-Oeste vai oferecer no próximo ano R$ 9,6 bilhões em crédito.

 

Roberto: Governo libera R$ 13 milhões para ações ao apoio a moradores de rua e dependentes químicos em São Paulo.

 

Gabriela: Na apresentação do Voz do Brasil de hoje: Gabriela Mendes e Roberto Camargo.

 

Roberto: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Gabriela: A aprovação da reforma da Previdência continua ser a prioridade número um do governo.

 

Roberto: Hoje, o Presidente Michel Temer voltou a defender a reforma em um evento em Brasília.

 

Gabriela: Para o presidente, é preciso combater os privilégios de quem ganha muito e se aposenta cedo.

 

Repórter João Pedro Neto: O Presidente Michel Temer destacou medidas que vêm sendo adotadas pelo governo e que têm ajudado na recuperação do país. Temer citou o teto para os gostos públicos, a reforma do Ensino Médio e a modernização da legislação trabalhista. O presidente também falou sobre a necessidade de fazer a reforma da Previdência no país.

 

Presidente Michel Temer: É um tema do momento, é um tema que nós estamos enfrentando, nós vamos levar adiante. Não causa nenhum prejuízo aos mais pobres, ao contrário, faz com que os mais ricos é que possam compensar aqueles que são mais pobres e contribuintes da Previdência Social.

 

Repórter João Pedro Neto: O novo texto da reforma estabelece uma idade mínima para a aposentadoria, com uma regra de transição que começa aos 55 anos para os homens e 53 para as mulheres. A partir de 2020 o limite de idade sobe gradualmente, e a cada dois anos a idade mínima vai avançar um ano até chegar aos 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres. A proposta prevê ainda uma contribuição do trabalhador da iniciativa privada ao INSS de, no mínimo, 15 anos, o mesmo em vigor atualmente. Para os servidores públicos, o tempo mínimo de contribuição é de 25 anos. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, também disse que o governo segue empenhado em aprovar a medida.

 

Ministro da Casa Civil - Eliseu Padilha: Esse é o tema prioridade um do governo, portanto, ele vai ser mantido na pauta. Nós temos que convencer os parlamentares que ainda não estão convencidos daquilo que é o óbvio, o Brasil precisa de uma reforma da Previdência. E o governo Temer, o orçamento de 2018 já está aprovado. Nós teremos agora as consequências é para o Brasil, para os brasileiros, para aqueles que têm a sua aposentadoria e querem ter a certeza de que vão continuar recebendo e por aqueles que vão se aposentar e terão que ter também a certeza que seu direito será respeitado.

 

Repórter João Pedro Neto: As mudanças nas regras da Previdência não alteram nada para quem já está aposentado ou reúne as condições para obter o benefício. Nada muda também para os trabalhadores rurais e os que recebem o BPC, Benefício de Prestação Continuada. A expectativa do governo é retomar a discussão e votar o texto na Câmara em fevereiro do ano que vem. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Roberto: E agora há pouco o Presidente Michel Temer voltou a defender a aprovação da reforma da Previdência.

 

Gabriela: Temer participou de um evento no Palácio do Planalto que alterou a lei que trata da mineração no país.

 

Roberto: O repórter Paulo La Salvia acompanhou e traz mais informações, ao vivo. Boa noite, Paulo.

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Boa noite, Roberto, Gabriela e a todos os ouvintes da Voz do Brasil. Agora há pouco o Presidente Michel Temer reafirmou a importância da reforma da Previdência, que não retira direitos, mas, sim, corta privilégios, segundo Michel Temer. E disse que, mesmo com as mudanças no projeto inicial, o governo espera uma economia de cerca de R$ 600 bilhões nos próximos anos. O presidente falou sobre o assunto em discurso depois de sancionar a Medida Provisória que muda os royalties de minérios do Brasil, que são uma espécie de imposto cobrado na exploração do produto. O minério de ferro, por exemplo, que responde por 75% das exportações do setor, vai ter como alíquota máxima 3,5% sobre a receita bruta e não 2% sobre a receita líquida, como era a cobrança anterior. Ao vivo, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: As Forças Armadas Brasileiras têm tido participação ativa em ações de segurança pública, no controle de fronteiras e na manutenção da paz em regiões que vivem em situação de conflito.

 

Roberto: Atuação que foi destaque hoje em cerimônia de apresentação de oficiais generais ao Presidente Michel Temer.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Presidente Michel Temer falou sobre o papel das Forças Armadas. Segundo ele, Exército, Marinha e Aeronáutica são o suporte da institucionalidade no país, garantem a lei e a ordem e a tranquilidade da nação. Temer também falou sobre a participação do Brasil em forças de paz no exterior e destacou ainda o trabalho das Forças Armadas nas regiões de fronteira e em ações de segurança pública.

 

Presidente Michel Temer: As Forças Armadas estão aplaudidas permanentemente pelos estados que fazem fronteira no combate ao tráfico de drogas, de armas, de pessoas. Na segurança pública, veja, as Forças Armadas têm tido uma presença efetiva não só no auxílio que dá às Polícias Militares, não só na varredura dos presídios, como também na própria segurança de várias capitais. Foi assim no Rio de Janeiro, assim no Rio Grande do Norte, assim no Espírito Santo, enfim, em vários estados brasileiros.

 

Repórter Gabriela Noronha: O ministro da Defesa, Raul Jungmann, também falou sobre o trabalho das Forças Armadas na segurança pública no Brasil e citou como exemplo as ações de combate à criminalidade no Rio de Janeiro. Jungmann também elogiou a participação das formas brasileiras no processo de reconstrução do Haiti.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: O Brasil conquistou um ativo em termos de respeito internacional, em termos de projeção internacional, a partir do seu desempenho no Haiti e em outros países. É preciso manter esse ativo. Se o Brasil quer ter o destino, uma participação no mundo, ele tem que manter seus compromissos em termos de estabilidade e em termos de paz.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Presidente Michel Temer e o ministro da Defesa, Raul Jungmann, participaram da cerimônia de apresentação de novos oficiais generais recém-promovidos nesta segunda-feira, em Brasília. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E ainda falando em Forças Armadas, as mulheres são 10% do quadro de militares da Marinha.

 

Robero: Mas, elas não tinham acesso a todos os postos da carreira militar.

 

Gabriela: Uma lei sancionada hoje pelo Presidente Michel Temer dá a elas o direito de ocupar cargos que até agora eram exclusivos de militares do sexo masculino.

 

Repórter Paulo La Salvia: Direitos iguais para homens e mulheres, também nas Forças Armadas. Com a sanção de uma lei pelo Presidente Michel Temer, que muda o funcionamento da Marinha, a partir de agora, mulheres poderão se tornar fuzileiros navais, o que era permitido somente a militares homens. Para o comandante da Marinha, Eduardo Bacelar Leal Ferreira, a alteração reflete os novos ventos da sociedade brasileira.

 

Comandante da Marinha - Eduardo Bacelar Leal Ferreira: A experiência em contar por de 37 anos com a riqueza e a competência da mulher brasileira em nossas fileiras nos mostrou a importância de abrirmos novas oportunidades para melhor aproveitarmos seu imenso potencial.

 

Presidente da República - Michel Temer: Já para o Presidente Michel Temer, a igualdade de direitos entre homens e mulheres é um princípio da Constituição.

 

Presidente Michel Temer: Hoje a regra é homens e mulheres são iguais em direitos deveres, o que significou uma ascensão, digamos, jurídica da mulher naquele momento da Constituição de 88, e, convenhamos, uma luta que vem de muito tempo. Eu tenho certeza que nós, do governo, praticarmos mais um ato compatível com o texto constitucional, mas especialmente compatível com as aspirações da Marinha brasileira e das mulheres do Brasil.

 

Repórter Paulo La Salvia: A lei sancionada pelo Presidente Michel Temer também estabelece as mesmas regras entre civis e militares em concursos públicos para os cursos de oficiais da Marinha. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Roberto: Em menos de uma semana o verão chega aí. Em grande parte do país ele vem com muita, muita chuva.

 

Gabriela: E pensando na segurança da população, o governo ampliou o sistema de alertas de riscos de desastres naturais via mensagem no celular.

 

Roberto: No Paraná, por exemplo, as mensagens enviadas por causa de uma forte chuva permitiram que a população saísse de casa a tempo, salvando bens e vidas.

 

Gabriela: Agora, a população de mais três estados também vai contar esse serviço. A repórter Carolina Rocha explica direitinho como funciona.

 

Repórter Carolina Rocha: Na cidade de São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro, passa um rio chamado Alcântara, que desemboca na Baía de Guanabara. Quando chove muito, a água sobe e ameaça as casas que ficam às margens dele. Geneci Batista, de 77, anos morou muitos anos perto o rio e se lembra da última enchente que viveu, em 2010.

 

Entrevistada - Geneci Batista: De repente bateu aquela chuva, foi dois dias de chuva, dois dias cheio de água, sem poder sair, caiu o muro da casa. Graças a Deus não aconteceu nada de... só perdemos as coisas, né?

 

Repórter Carolina Rocha: Hoje, Geneci Batista mora em um condomínio do Minha Casa, Minha Vida, mas se preocupa com os antigos vizinhos, que ainda sofrem com o risco de enchentes. Para ela, estar bem informada é fundamental para não correr risco de morrer por causa de desastres naturais.

 

Entrevistada - Geneci Batista: Se tivesse avisado da chuva que vinha aí a gente dava um jeito de sair fora, né?

 

Repórter Carolina Rocha: Para deixar bem informada a população que vive em áreas de risco, um serviço gratuito de alertas de desastres naturais começa a funcionar a partir desta segunda-feira nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. Funciona assim, a pessoa informa o número do CEP ao sistema, e quando houver a possibilidade de ocorrência de algum evento de risco na região, a Defesa Civil manda informações via SMS com alertas e providências rápidas que devem ser tomadas pela população. Para o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, o serviço gratuito deve diminuir os impactos dos desastres naturais.

 

Ministro da Integração Nacional - Helder Barbalho: Com a informação, com a tecnologia, nós possamos poupar vidas, nós possamos diminuir todos os impactos dos desastres naturais que, de forma muito rotineira, acontecem pelo Brasil.

 

Repórter Carolina Rocha: O sistema de alerta de desastres por SMS já funciona nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo desde outubro. Em dois meses já foram enviadas cerca de 5 milhões de mensagens, como explica o Coronel Élcio Barbosa, diretor do Cenad, Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres do Ministério da Integração Nacional.

 

Diretor do Cenad - Coronel Élcio Barbosa: Foram mensagens exitosas, nós temos o caso do Paraná, onde a mensagem chegou com três horas de antecedência, evitando o risco de granizo.

 

Repórter Carolina Rocha: Mais de 1 milhão de brasileiros já se cadastraram no sistema. A expectativa é que ele funcione em todos os estados brasileiros e Distrito Federal até março de 2018. Reportagem, Carolina Rocha.

 

Roberto: Empreendedores da região Centro-Oeste vão ter, no ano que vem, mais de R$ 9 bilhões em crédito para investir no negócio.

 

Gabriela: Os recursos são do Fundo Constitucional de Financiamento da Região, o FCO.

 

Roberto: Entre as novidades para 2018, investimentos para projetos de energia limpa e financiamento estudantil.

 

Repórter Luana Karen: Salgados, pães e doces, na loja da Andrea Teixeira Alves é possível encontrar de tudo um pouco. Andrea toca o negócio ao lado da irmã, são três lojas no Distrito Federal que contam com 260 funcionários para atender cerca de 2 mil clientes por dia. A empresária afirma que nos 21 anos de existência, recorreu pelo menos três vezes aos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste, o FCO, para ampliar o negócio.

 

Empresária - Andrea Teixeira Alves: O FCO tem uma taxa de juros bem mais baixa do mercado, ele nos proporciona também uma carência, que é o tempo de você estar investimento e ter um retorno para poder começar a pagar.

 

Repórter Luana Karen: Criado para ajudar negócios como o da Andrea a gerar emprego e renda, o Fundo Constitucional do Centro-Oeste vai oferecer do próximo ano R$ 9,6 bilhões em crédito. Os recursos são administrados pela Sudeco, a Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste. Luciana Barros, coordenadora-geral de fundos da Sudeco, explica quais tipos de projetos podem ser financiados pelo FCO.

 

Coordenadora-geral de fundos da Sudeco - Luciana Barros: A área de comércio e serviço, tanto a indústria, agroindústria, o setor de turismo, a infraestrutura, financia praticamente tudo. O fundo, ele foi criado justamente para financiar o setor produtivo de uma forma geral.

 

Repórter Luana Karen: Criado há 28 anos, o Fundo Constitucional do Centro-Oeste injetou na economia da região R$ 69 bilhões. Quase 1 milhão de operações que levaram à geração ou manutenção de mais de 7 milhões de empregos. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: 19h15 no horário brasileiro de verão.

 

Roberto: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Gabriela: São Paulo tem uma das maiorias opções de rua do mundo.

 

Roberto: E está recebendo ajuda do governo para ampliar ações a essas pessoas, R$ 13 milhões estão sendo liberados.

 

Gabriela: Vinte e dois serviços públicos já estão indisponíveis para o cidadão numa única página na internet.

 

Roberto: O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão concluiu a integração desses serviços. Como acessar e o que encontrar neste portal é o que você acompanha agora no nosso quadro Pra Você Cidadão.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Luciano Seixas: Agora é possível acessar serviços públicos do Governo Federal de forma mais fácil e rápida. Está no ar o Portal de Serviços, a ideia é ampliar e simplificar o acesso dos cidadãos brasileiros a informações e documentos públicos digitais. Ao entrar no portal, a pessoa também poderá criar uma conta ao clicar no botão "Entrar com Brasil Cidadão", no topo da página. A partir desse único cadastro, ele passará a ter acesso aos serviços públicos digitais sem precisar recorrer a outras formas de autenticação. A proposta visa reduzir em até 97% o custo para o governo, eliminando os deslocamentos, o tempo de espera nas filas, a impressão de certidões e autenticação de documentos. Na página também é possível saber como sacar benefícios como PIS/Pasep, tirar a carteirinha idoso, obter auxílio-doença ou retirar o Passaporte. O endereço do Portal de Serviços na internet é: servicos.gov.br. Luciano Seixas para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: O Brasil se prepara para sediar mais uma cúpula de chefes do Estado do Mercosul na próxima quarta e quinta-feira.

 

Roberto: No encontro, presidentes dos países vêm a Brasília discutir rumos do bloco, em especial, as negociações para um acordo com a União Europeia.

 

Gabriela: Além disso, depois de presidir o Mercosul por seis meses, o Brasil passa a presidência para o Paraguai e comemora avanços.

 

Repórter Pablo Mundim: Criado há mais de duas décadas, o Mercosul reúne Argentina, Brasil Paraguai e Uruguai, já que a Venezuela está suspensa há três meses. A presidência é trocada a cada seis meses. Na próxima reunião, o Brasil entrega o cargo ao Paraguai, depois de mais de 300 reuniões e avanços significativos em transações comerciais, é o que garante o subsecretário-geral para América Latina e Caribe, embaixador Paulo Estivallet de Mesquita.

 

Subsecretário-geral para América Latina e Caribe - Paulo Estivallet de Mesquita: Mais de 80 medidas restritivas ao comércio que foram identificadas tanto em países individuais ou como em dois ou três países ou em todo o Mercosul. E se conseguiu eliminar três quartos dessas medidas. Então, nós recolocamos o Mercosul no seu trilho original na área econômica e comercial.

 

Repórter Pablo Mundim: A prioridade do Mercosul, neste momento, é o acordo com a União Europeia. Após anos de negociações, os dois blocos podem assinar um tratado comercial no ano que vem, avalia o diretor do Departamento de Negociações Comerciais Extrarregionais, embaixador Ronaldo Costa Filho.

 

Diretor do Departamento de Negociações Comerciais Extrarregionais - Ronaldo Costa Filho: É um acordo que vai além de simplesmente comércio de bens e serviços, compras governamentais, propriedade intelectual, investimentos, tem uma série disciplinas que vão regular e abrir a cooperação e o investimento e o comércio recíproco.

 

Repórter Pablo Mundim: Entre os últimos avanços do Mercosul está uma declaração conjunta assinada há 11 dias para fortalecer parques temático como indutores do turismo na região, além de negociações para criação de roteiros integrados e maior coletividade aérea. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Roberto: Mais de 50% da população adulta brasileira está acima do peso.

 

Gabriela: E grande parte dessas pessoas têm um plano de saúde.

 

Roberto: Além de garantir bom atendimento em clínicas e hospitais particulares, esses planos também precisam desenvolver ações de prevenção a doenças.

 

Gabriela: A Agência Nacional de Saúde Suplementar lançou um manual para apoiar essas ações no combate à obesidade.

 

Repórter Nathália Koslyk: Mais de 50% dos beneficiários de plano de saúde estão acima do peso, de acordo da pesquisa Vigitel Brasil 2016 da Saúde Suplementar. Pensando nisso, a Agência Nacional de Saúde lançou um manual com diretrizes para o combate à obesidade voltado aos operadores de saúde. A gerente do monitoramento assistencial da ANS, Kátia Audi. Explica que é necessário um esforço coletivo.

 

Gerente do monitoramento assistencial da ANS - Kátia Audi: É preciso que haja uma união de esforços dos diversos atores. A inatividade física, alimentação inadequada são os fatores de riscos principais para excesso de peso na população.

 

Repórter Nathália Koslyk: Os cuidados começam desde a infância. Antigamente se dizia que criança gordinha é criança saudável, mas a pediatra Asta Brandão alerta que o controle nutricional desde a gestação é muito importante para prevenir doenças na fase adulta.

 

Pediatra - Asta Brandão: As crianças que já desenvolvem obesidade ou adolescentes, elas têm uma grande chance de se tornarem adultos obesos e virem a ter todas as doenças relacionadas à obesidade, como diabetes, pressão alta. A gente já pensa na prevenção.

 

Repórter Nathália Koslyk: Odete Freitas é diretora de sustentabilidade de um plano de saúde com mais de 6 milhões de beneficiários no Brasil. Desde 2014, a empresa investe em ações como campanhas em redes sociais e eventos em escolas de conscientização sobre a importância para a saúde de combater a obesidade.

 

Diretora de sustentabilidade de plano de saúde - Odete Freitas: Nós temos uma grande parte da população sob custódia das operadoras. E aí é tão importante que a gente trabalhe na prevenção e na promoção de saúde.

 

Repórter Nathália Koslyk: São consideradas com excesso de peso as pessoas com Índice de Massa Corporal igual ou acima de 25, e obesas com IMC igual ou maior que 30. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Gabriela: 19h21 no horário brasileiro de verão.

 

Roberto: Maior cidade da América do Sul, São Paulo possui uma das maiores populações de rua do mundo.

 

Gabriela: Hoje, cerca de 20 mil habitantes dessa grande metrópole não têm moradia fixa.

 

Roberto: E para reforçar o atendimento a estas pessoas, em especial aos dependentes químicos que vivem nas ruas, a prefeitura da cidade recebeu ajuda do governo, quase R$ 13 milhões.

 

Repórter Juline Pogorzelski: O Ministério do Desenvolvimento Social anunciou o repasse de R$ 12,960 milhões, que serão investidos em duas iniciativas municipais que prestam assistência a este público, os programas Redenção e o Vida Nova. O Redenção atende dependentes químicos, enquanto o Vida Nova busca reintegrar ao mercado de trabalho as pessoas sem moradia abrigadas dos Centro Temporários de Acolhimento, os CTAs. Com este recurso emergencial, a expectativa é oferecer atendimento a 5.400 pessoas ao longo de seis meses. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, este é apenas o primeiro repasse feito para fortalecer a rede de assistência social da capital paulista.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Nós vamos continuar apoiando o programa, apoiando as ações sociais da prefeitura, que são efetivas, são um passo adiante ao que se fazia, né? Então, eu acredito que vão ter um impacto bem maior ao longo do tempo.

 

Repórter Juline Pogorzelski: O prefeito de São Paulo, João Dória, comemorou a medida.

 

Prefeito de São Paulo - João Dória: Um esforço coletivo do Governo Federal, do governo estadual e do governo municipal. Mas, como eu dizia, não apenas os recursos, como também a ação integrada de política pública através do Ministério da Assistência Social com as duas secretarias, da cidade de São Paulo e do estado de São Paulo. E o resultado é muito positivo.

 

Repórter Juline Pogorzelski: Os recursos serão repassados ainda esta semana, em parcela única. O ministério ainda ajudará o município a planejar e a executar as ações. Reportagem, Juline Pogorzelski.

 

Gabriela: O horário do verão tem data definida para começar e terminar.

 

Roberto: O Presidente Michel Temer assinou um decreto que transfere o início do horário de verão para novembro.

 

Gabriela: De acordo com o documento, publicado hoje no Diário Oficial da União, fica instituída a hora de verão a partir de 0h do primeiro domingo do mês de novembro de cada ano.

 

Roberto: O horário termina à 0h do terceiro domingo do mês de fevereiro do ano subsequente, isso apenas nos estados onde o horário do verão é válido.

 

Gabriela: As hortaliças pesaram menos no bolso do consumidor nas centrais atacadistas no mês passado.

 

Roberto: É, a maior queda foi no preço do tomate em São Paulo, quase 29% mais barato.

 

Gabriela: Os dados são do boletim mensal da Conab, a Companhia Nacional de Abastecimento, divulgado hoje.

 

Roberto: Também apresentaram queda nos custos, batata, cebola, pimentão, vagem, chuchu e beterraba.

 

Gabriela: E a queda dos preços ocorreu também com várias frutas, como banana, melancia, ameixa, tangerina, limão e pêssego.

 

Roberto: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Roberto: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Roberto: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".