19 de junho de 2018 - poder executivo

Destaques da Voz do Brasil: 10 anos de Lei Seca. Polícia Rodoviária Federal aplica 26 mil multas por ano em quem insiste em beber e dirigir. Mesmo assim, número de mortes caiu. Pesquisa também mostra que brasileiros estão levando vida mais saudável. Roraima recebe mais recursos para garantir educação aos filhos de venezuelanos. Vamos falar da nova lei trabalhista. Os desafios e conquistas depois de 7 meses em vigor.

audio/mpeg VOZ190618.mp3 — 46895 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19 horas.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Terça-feira, 19 de junho de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Alessandra: Dez anos da Lei Seca.

 

Nasi: E Polícia Rodoviária Federal aplica 26 mil multas por ano em quem insiste em beber e dirigir.

 

Alessandra: Mesmo assim, número de mortes caiu. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Houve uma redução de 14% das mortes de trânsito, segundo o levantamento do Ministério da Saúde.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Alessandra: Pesquisa também mostra que brasileiros estão levando a vida mais saudável. Raíssa Lopes.

 

Repórter Raíssa Lopes: Mais pessoas estão se alimentando melhor e se exercitando mais, é o que mostra pesquisa do Ministério da Saúde.

 

Nasi: Roraima recebe mais recursos para garantir educação aos filhos de venezuelanos, Márcia Fernandes.

 

Repórter Márcia Fernandes: Para que essas crianças possam frequentar as escolas daqui, o Governo Federal brasileiro liberou R$ 2,5 milhões em recursos.

 

Alessandra: Vamos falar da nova lei trabalhista.

 

Nasi: Os desafios e conquistas depois de sete meses em vigor.

 

Alessandra: Na apresentação de hoje da Voz do Brasil, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Alessandra: Criada para gerar mais empregos, mas sem retirar direitos, a modernização das leis trabalhistas está em vigor há sete meses.

 

Nasi: A modernização permite que empresas e trabalhadores negociem a divisão das férias em três períodos e a participação nos lucros da empresa, por exemplo.

 

Alessandra: A nova lei também abriu a possibilidade de se trabalhar de casa, pelo celular ou computador.

 

Nasi: E mesmo em vigor desde o ano passado, a modernização das leis trabalhistas ainda gera dúvidas em relação a ser colocada em prática.

 

Alessandra: Por isso o governo está apoiando uma série de encontros para explicar a nova lei.

 

Nasi: As Jornadas Brasileiras de Relações do Trabalho vão passar por diversas cidades.

 

Alessandra: E para falar sobre a jornada, a gente conversa por telefone ao vivo com Ronaldo Fonseca, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República. Boa noite, ministro.

 

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República - Ronaldo Fonseca (ao vivo): Boa noite, é um prazer falar com vocês.

 

Alessandra: Ministro, por que é importante esse debate para explicar a modernização das leis trabalhistas?

 

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República - Ronaldo Fonseca (ao vivo): Bom, a reforma, como vocês já informaram, ela tem sete meses, quase um ano, ainda é um trabalho que foi feito ainda novo, né? E um dos maiores inimigos do trabalhador e do empregador é a falta de informação, a desinformação. A gente ouve até algumas críticas da reforma do trabalho simplesmente porque a pessoa não está informada do que foi mudado, e, obviamente, que é um ganho para o trabalhador quando nós podemos discutir em todo o Brasil a reforma trabalhista, a modernização das leis do trabalho.

 

Nasi: Ministro, por que ainda existem essas dúvidas e essa falta de informações em relação à reforma?

 

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República - Ronaldo Fonseca (ao vivo): Veja bem, a legislação trabalhista no Brasil, ela estava arcaica. Foi uma reforma muito contundente, uma reforma muito ampla e trouxe muitas modernizações, inclusive, no direito comparado, colocando o Brasil no nível de países que realmente se destacaram nas leis trabalhistas. Aí, veja bem, mudou-se mais de cem artigos da CLT e sem tirar nenhum direito constitucional do trabalhador, mas deu ao trabalhador segurança jurídica, deu ao trabalhador um relacionamento mais efetivo com o empregador, e, isto, obviamente, por uma mudança tão contundente, você traz muitas vezes a desinformação porque todos nós sabemos que no Brasil as pessoas ainda, infelizmente, leem muito pouco, deveriam ler um pouco mais. E quando você leva, quando você coloca de forma mais aberta, mais exposta para o trabalhador brasileiro, o empregador brasileiro, o que foi mudado na lei trabalhista, a modernização da lei trabalhista, você possibilita a esse cidadão, a essa cidadã exatamente a possibilidade de defender os seus direitos que ficaram garantidos na reforma trabalhista.

 

Alessandra: E essas jornadas que começaram hoje, elas são abertas a toda a população? Quem pode participar?

 

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República - Ronaldo Fonseca (ao vivo): Sim, ela é aberta. Essa jornada, ela está sendo divulgada amplamente, inclusive, os seus participantes, aqueles que vão estar participando são ministros. Hoje, por exemplo, teve um ministro do Tribunal Superior do Trabalho que participou, são os tribunais presentes. E essa jornada, ela é idealizada pelo IBC, né? O Ibec, desculpe, o Ibec, que é um órgão especialista nesta área, né? E ele tem um site, o ibecnet.com.br, que, inclusive, com transmissão ao vivo da jornada e tendo todas as informações. Portanto, todo trabalhador brasileiro, empregador brasileiro interessado pode então ter acesso.

 

Nasi: A gente conversou então com Ronaldo Fonseca, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República. Ministro, muito obrigado pela participação aqui na Voz do Brasil.

 

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República - Ronaldo Fonseca (ao vivo): Ok. Eu agradeço e saliento também a importância dessa reforma como visão do presidente Temer, do Presidente da República, de forma corajosa, propôs para o Brasil a modernização da lei do trabalho.

 

Alessandra: E se você quiser saber em quais cidades vão ser realizadas as jornadas, acesse a página da Secretaria-Geral da Presidência da República na internet, em: secretariageral.gov.br.

 

"Trânsito. Atenção, motorista".

 

Nasi: A Lei Seca completa hoje dez anos.

 

Alessandra: E desde a implantação da lei, as mortes do trânsito reduziram em 14%, segundo o Ministério da Saúde.

 

Nasi: Mas ainda é preciso mais, viu, Alessandra? De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, tem muita gente que ainda se arrisca dirigir depois de beber.

 

Repórter Raquel Mariano: Numa comemoração, encontro com amigos depois do trabalho, uma partida de futebol, qualquer desculpa vale para comemorar com bebida alcoólica. Foi o que aconteceu com o jornalista Rafael Padilha. Em 2010, ele foi para um bar assistir a um jogo de futebol e depois de consumir cerveja, na volta para casa, foi parado em uma blitz, e, além da multa, Rafael ainda teve a Carteira de Habilitação suspensa.

 

Jornalista - Rafael Padilha: Ficou a lição, né? Eu passei quase seis anos para poder recuperar minha carteira. Hoje em dia, quando saio para me divertir, quando eu saio para algum bar, evito dirigir, entendeu?

 

Repórter Raquel Mariano: Depois de dez anos de implantação da Lei Seca, houve uma redução de 14% nas mortes de trânsito, segundo levantamento do Ministério da Saúde. Fátima Marinho, diretora do ministério, explica que os efeitos do álcool na pessoa não devem ser minimizados.

 

Diretora do Ministério da Saúde -  Fátima Marinho: Reduz a capacidade de percepção e reduz também os reflexos. Então, qualquer buraco, um outro carro que faça alguma manobra imprevista, né? Quem está dirigindo e bebeu, ele perde muito do reflexo de resposta. Além de que, normalmente quem bebe também perde a noção da velocidade e acaba correndo muito.

 

Repórter Raquel Mariano: Segundo a Polícia Rodoviária Federal, desde o início da Lei Seca, em 2008, houve uma média de 26 mil multas por ano, aplicadas a motoristas que dirigiam embriagados. O inspetor da PRF, Diego Brandão, afirma que o número de acidentes e mortes causados pela combinação de álcool e direção ainda impressionam.

 

Inspetor da PRF - Diego Brandão: Temos números que ainda assustam, por exemplo, nós temos uma média 410 mortos, durante esses dez anos, 410 mortos por ano em acidentes que tiveram a causa provável uso de álcool. Nós temos uma média de 1.540 acidentes graves por ano em rodovias federais que tiveram a causa provável do acidente o uso de álcool.

 

Repórter Raquel Mariano: De acordo com a Lei Seca, não é permitido nenhum consumo de álcool antes de dirigir. O motorista embriagado comete uma infração gravíssima e recebe multa no valor de R$ 2.334, a retenção do vínculo e a suspensão da Carteira de Habilitação. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Alessandra: E os brasileiros estão melhorando a alimentação e também praticando mais exercícios nos últimos anos.

 

Nasi: Isso é o que mostra uma pesquisa divulgada esta semana pelo Ministério da Saúde.

 

Alessandra: E um dos fatores que contribuiu para melhorar os hábitos alimentares das pessoas foi o investimento no governo para deixar a comida nas escolas públicas mais saudável.

 

Nasi: Mas, mesmo com essa melhora, é preciso ainda ter cuidado. A pesquisa mostra que um em cada cinco brasileiros está obeso.

 

Repórter Raíssa Lopes: Após dois anos sem praticar exercícios físicos, o servidor público Carlos Abrantes começou a sentir falta de energia para executar as atividades do dia a dia, como trabalhar e brincar com a filha de 3 anos. Foi quando procurou uma academia e começou a se alimentar melhor. Ele conta que desde então sua qualidade de vida melhorou muito.

 

Servidor público - Carlos Abrantes: Nesses três meses já mudou tudo, assim, a composição corporal, ânimo, disposição para enfrentar o dia, energia para brincar com a minha filha. Então, é bom, é bom demais.

 

Repórter Raíssa Lopes: A comerciante Nice Aquino, de 60 anos, também começou a se exercitar recentemente, ela diz que assim fica mais fácil envelhecer.

 

Comerciante - Nice Aquino: Me faz muito bem, assim, levanta meu ego também, né? Porque a gente vai envelhecendo e vai ficando triste, parece que a gente vai ficando triste, né? Por se sentir só, os filhos crescem, casam, aí se você procura alguma coisa, atividade física, você começa a fugir dessa rotina enjoada de só ficar dentro de casa vendo televisão.

 

Repórter Raíssa Lopes: Assim como Carlos e Nice, mais pessoas estão se alimentando melhor e se exercitando mais, é o que mostra a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção Para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, a Vigitel, do Ministério da Saúde. Segundo o levantamento, o consumo regular de frutas e hortaliças cresceu quase 5% e o de refrigerantes e bebidas açucaradas caiu mais de 50% nos últimos dez anos. A pesquisa também mostrou que a prática de atividade física aumentou mais de 24% no mesmo período. Mesmo assim, o número de brasileiros acima do peso ainda preocupa, uma em cada cinco são obesos e mais da metade da população que mora nas capitais está com excesso de peso. Por isso, o Ministério da Saúde conta com ações para estimular a alimentação saudável desde a escola, como conta a diretora de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério de Saúde, Fátima Marinho.

 

Diretora de Doenças e Agravos Não Transmissíveis e Promoção da Saúde do Ministério de Saúde - Fátima Marinho: Na pública a gente já tem toda uma política de substituição do que se vende e também da merenda escolar, de usar mais alimentos frescos. Nas escolas que ficam mais para o interior do país, em cidades menores, trazer o produtor de comida mais para perto da escola, garantir compra de produção agrícola de família, de pequenos produtores, para aí com isso você colocar uma comida fresca na escola para as crianças aprenderem a comer melhor.

 

Repórter Raíssa Lopes: Em parceria com a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação, o Ministério da Saúde também conseguiu retirar mais de 17 mil toneladas de sódio dos alimentos processados em quatro anos. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Alessandra: Quase 145 mil trabalhadores aproveitaram o primeiro dia do novo calendário de saque das cotas do PIS/Pasep.

 

Nasi: No total, foram sacados mais R$ 160 milhões.

 

Alessandra: Nesta primeira fase, quem tem entre 57 e 59 anos pode fazer o saque até o dia 29 de junho.

 

Nasi: Tem direito ao benefício quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 até outubro de 1988 e ainda tem saldo disponível.

 

Alessandra: Para saber se tem direito ao saque, você pode fazer a consulta nos terminais de autoatendimento da Caixa Econômica Federal, no caso do PIS, ou no Banco do Brasil, no caso do Pasep.

 

Nasi: Também é possível fazer a consulta pelas páginas dos bancos na internet em: bb.com.br ou caixa.gov.br, ou indo a uma agência.

 

Alessandra: Garantir educação para os filhos de imigrantes venezuelanos que entram no Brasil.

 

Nasi: Daqui a pouco vamos falar de mais essa ação do governo para acolher quem foge da crise no país vizinho.

 

Alessandra: O presidente Michel Temer participou agora à tarde de uma reunião com os ministros que atuam na área social, como Educação e Saúde.

 

Nasi: E após reunião, o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, fez um balanço do que foi discutido. O repórter Pablo Mundim acompanhou e conversa agora, ao vivo, com a gente. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Alessandra. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. A reunião do presidente Michel Temer com os ministros da área social tratou sobre as ações e avanços conquistados nos dois anos de governo, como, por exemplo, os reajustes históricos no valor repassado para os beneficiários do Bolsa Família. Sobre o programa, o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, destacou o fim da fila de espera, o poder de compra de alimentos pelas famílias devido à queda da inflação, além dos programas que possam promover a emancipação dos beneficiários, como o Progredir.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: O programa Progredir tem três eixos fundamentais: um, da qualificação profissional; o outro, apoio e estímulo ao empreendedorismo apoiado por microcrédito; e o terceiro, acesso ao mercado de trabalho. Estamos nos aproximando já de empréstimo de R$ 3 bilhões para mais de 1 milhão de famílias de melhor [ininteligível] pessoas que tomaram empréstimo, sendo que desses 60% são do Bolsa Família, os restantes todos dentro do Cadastro Único, já conseguimos colocar em posição de trabalho formal 200 mil pessoas de outubro até agora, e a qualificação profissional são já há milhares de pessoas completando a qualificação profissional.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): O ministro Beltrame também falou dos avanços em outros ministérios, ele adiantou que o mês de maio apresenta números positivos de brasileiros com a criação de empregos. O ministro ressaltou as campanhas de vacinação feitas pelo Ministério da Saúde, além de tratamento do Serviço Único de Saúde oferecido para a população. Sobre o calendário eleitoral, Alberto Beltrame disse que a recomendação do Presidente da República é de manter as ações, que os ministérios sigam com as metas que levem os benefícios para a população. Ao vivo, Pablo Mundim.

 

Alessandra: Os venezuelanos que buscam oportunidades no Brasil muitas vezes trazem a família.

 

Nasi: E aqui as crianças precisam ir para a escola.

 

Alessandra: A rede de ensino em Roraima não estava preparada para receber um grande número de novos alunos em um curto espaço de tempo.

 

Nasi: Por isso o Ministério da Educação liberou esta semana R$ 2,5 milhões para apoiar a ampliação de escolas na capital Boa Vista.

 

Repórter Márcia Fernandes: Eduardo Rivas tem 10 anos e não tira os olhos do livro de matemática, presta atenção em cada detalhe que a professora brasileira ensina, ele é venezuelano e mora no Brasil há cinco meses. Em Boa Vista, capital de Roraima, está matriculado em uma escola pública e conta que já aprendeu muito aqui.

 

Entrevistado - Eduardo Rivas: E eu aprendi muitas coisas, verbo, substantivos.

 

Repórter Márcia Fernandes: Eduardo é uma das 2 mil crianças venezuelanas que estão matriculadas hoje no Ensino Fundamental das escolas públicas de Boa Vista. A professora dele, Lizete Santana, diz que só na escola onde trabalha o número de alunos venezuelanos triplicou do ano passado para cá.

 

Professora - Lizete Santana: De 30 alunos que tinha ano passado, esse ano nós temos mais de cem alunos venezuelanos na escola. Então, o que [ininteligível]? Vamos estudar, vamos ler mais, vamos aprender um pouco a língua deles para poder recebê-los aqui e ensinar.

 

Repórter Márcia Fernandes: Para que estas crianças possam frequentar a escolas daqui, o Governo Federal brasileiro liberou esta semana R$ 2,5 milhões em recursos, a verba é do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. O objetivo é aumentar vagas e ampliar a infraestrutura das escolas, como explica o ministro da Educação, Rossieli Soares.

 

Ministro da Educação - Rossieli Soares: Liberamos uma resolução especificamente para auxiliar na ampliação dos espaços escolares para receber mais de 700 crianças com a perspectiva de, em havendo necessidade, a gente vai ampliando cada vez o investimento, apoiando especialmente aqui a prefeitura de Boa Vista.

 

Repórter Márcia Fernandes: Um mapeamento feito pela prefeitura de Boa Vista, em maio e junho deste ano, apontou que os venezuelanos já representam 7,5% da população do município. Mais de 20% desses imigrantes são crianças. De Boa Vista, Márcia Fernandes.

 

Alessandra: Ontem nós falamos aqui na Voz do Brasil que serviços em sete parques nacionais vão ser concedidos para empresas privadas.

 

Nasi: Tudo para preservar ainda mais o meio ambiente e prestar o melhor serviço a quem visita, com geração de empregos e renda para a população local.

 

Alessandra: A cidade de Barreirinhas, nos Lençóis Maranhenses, vai ser uma das que vai contar com serviços administrados por empresas.

 

Nasi: Hoje o ministro do Meio Ambiente foi até lá ver de perto o que a população precisa para que o projeto atenda aos interesses de todos.

 

Repórter Bruna Saniele: O portão de entrada para uma paisagem repleta de dunas de areia de até 40 metros de altura, o equivalente a um prédio de dez andares, cercado de lagoas de água doce nos tons de verde e azul, esse é o visual que encontra quem vai para Barreirinhas, a principal entrada para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. O município, com pouco mais de 60 mil habitantes, vive do turismo do parque, e com a concessão de serviços como alimentação, transporte, hospedagem e atividades de lazer dentro de parque a empresas privadas, a expectativa é aumentar o número de turistas. O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, foi hoje a Barreirinhas, onde conversou com a população e destacou a importância do projeto para ampliar o turismo na região.

 

Ministro do Meio Ambiente - Edson Duarte: Porque a ideia é fortalecer o turismo, fortalecer essa atividade tão importante, melhorar a qualidade dos parques, preservar os parques, mas também ajudar a comunidade a se desenvolver, a encontrar essa sua vocação para o turismo sustentável.

 

Repórter Bruna Saniele: Além do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, outros seis parques de todo país vão receber investimentos de R$ 81 milhões das empresas, que vão prestar serviços nesses locais. A expectativa é que a cada real investido, 7 reais retornem em benefícios diretos para a população. Segundo Paulo Carneiro, presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio, o edital vai garantir a melhoria dos serviços oferecidos à população, mas não interfere na fiscalização das áreas de conservação feitas pelo instituto.

 

Presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - Paulo Carneiro: Fiscalização, autorização. A gestão, no geral da conservação da biodiversidade continua na nossa mão. Então, é um modelo que a gente enxerga com grande poder de aprimorar a gestão das unidades e garantir a melhoria de um serviço que é muito importante para nós.

 

Repórter Bruna Saniele: A expectativa do Ministério do Meio Ambiente é de que já no primeiro ano de concessão dos serviços a movimentação do turismo em torno dos sete parques nacionais gerem uma receita de mais de R$ 6 bilhões. Reportagem, Bruna Saniele.

 

Alessandra: O Brasil já tem quase 80 mil inscritos do Cadastur do Ministério do Turismo.

 

Nasi: Desde que o Ministério do Turismo iniciou a fiscalização na Operação Verão, o número de estabelecimentos de atividades turísticas que se legalizaram aumentou mais de 20%.

 

Alessandra: A lei determina que guias, agências de turismo, setor de hospedagem e transporte de turistas, acampamentos e parques temáticos sejam legalizados.

 

Nasi: O cadastramento é fácil e pode ser feito pela internet no: cadastur.turismo.gov.br.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Alessandra: O alistamento militar é obrigatório para todo jovem que completa 18 anos.

 

Nasi: É, Alessandra, e todo ano o primeiro semestre é o período que esses jovens têm para se alistar.

 

Alessandra: E, atenção, quem ainda não se apresentou, é bom se apressar, o prazo termina na semana que vem.

 

Repórter Marina Melo: Jovens do sexo masculino, que completam 18 anos este ano têm até o próximo dia 30 de junho para fazer o alistamento militar obrigatório. A partir deste ano, seguindo a estratégia de governança digital do Governo Federal, o alistamento deve ser feito prioritariamente pela internet, utilizando o dado do CPF de cada inscrito. Quem não tiver facilidade de acesso à internet também pode procurar a Junta de Serviço Militar mais próxima portando Certidão de Nascimento ou Carteira de Identidade ou de Motorista, duas fotos 3X4 recentes e comprovante de residência. O coordenador da Seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa, coronel André Buarque, explica o que pode acontecer caso o jovem não realize o alistamento obrigatório.

 

Coordenador da Seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa - André Buarque: O cidadão que não está em dia com as suas obrigações em relação ao serviço militar, as suas obrigações militares, ele ficará impedido de obter passaporte, ingressar como funcionário público, assinar contratos com o Governo Federal, estadual e municipal, matricular-se em estabelecimento de ensino, obter carteira profissional, prestar concurso para cargo público e até mesmo estará impedido de receber prêmios do Governo Federal, prêmios do governo estadual e do municipal.

 

Repórter Marina Melo: Por ano, aproximadamente 1,8 milhão jovens realizam o alistamento, destes, apenas cem mil são incorporados para trabalharem em organizações militares da Marinha, do Exército ou da Aeronáutica. O coordenador da Seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa explica que como atualmente são muitos os jovens que querem trabalhar nas Forças Armadas, a preferência é dada para eles, desde que cumpram com os requisitos necessários.

 

Coordenador da Seção de Serviço Militar do Ministério da Defesa - André Buarque: Como o efetivo é grande e o número de voluntários também é grande, a gente busca, obviamente, se atender todos os aspectos do processo seletivo da saúde, da capacidade física, capacidade intelectual, a gente procura aproveitar o voluntário. É melhor trabalhar com aquele que deseja trabalhar conosco.

 

Repórter Marina Melo: Os jovens que completam 18 anos este ano são aqueles que nasceram no ano 2000. Todos eles devem realizar o alistamento no site: www.alistamento.eb.mil.br. Reportagem, Marina Melo.

 

Nasi: A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, suspendeu a venda de 79 lotes de fraldas descartáveis da marca Huggies Turma da Mônica Tripla Proteção.

 

Alessandra: Segundo a agência, a falta de informações de conservação e utilização podem ocasionar reações alérgicas nos bebês.

 

Nasi: A Anvisa determinou que a empresa recolha o estoque que está no mercado e oriente os clientes que usam o produto a procurar o SAC, o Serviço de Atendimento ao Cliente. O contato está disponível no rótulo das fraldas.

 

Alessandra: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Alessandra: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Alessandra: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, Ordem e Progresso".