19 de outubro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: País abre mais de 34 mil novas vagas no mercado de trabalho em setembro. Emprego cresce pelo sexto mês seguido. Primeira etapa de saques do PIS/Pasep já começou. Estamos no horário de verão. E que tal aproveitar esta época para economizar energia? A Voz do Brasil traz as dicas do Inmetro.

audio/mpeg VOZ191017.mp3 — 46877 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Uma boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 19 de outubro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: País abre mais de 34 mil novas vagas no mercado de trabalho em setembro.

 

Nasi: Emprego cresce pelo sexto mês seguido. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: O principal responsável pela geração de empregos em setembro foi a indústria, com destaque para o setor de alimentos, bebidas e álcool etílico.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Primeira etapa de saques do PIS/Pasep já começou. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Nessa etapa serão atendidos mais de 3,5 milhões de cotistas que vão sacar R$ 6,7 bilhões.

 

Gabriela: Estamos no horário do verão, e que tal aproveitar essa época para economizar energia?

 

Nasi: A Voz do Brasil traz as dicas do Inmetro. Natália Melo.

 

Repórter Natália Melo: Se adotadas as medidas recomendadas, a economia anual na conta de luz pode ser de mais de R$ 1,7 mil.

 

Gabriela: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Gabriela: O Brasil continua gerando empregos com carteira assinada. Pelo sexto mês consecutivo o número de contratações foi maior que o de demissões.

 

Nasi: O resultado contribui para o saldo positivo de 2017, que já registra criação de mais de 200 mil empregos até setembro.

 

Gabriela: Os dados foram divulgados hoje e são do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

 

Repórter Luana Karen: Setembro trouxe boa notícia para Eliávio Santos. Mês passado ele conseguiu empregado de copeiro com carteira assinada em uma lanchonete do centro de Rio de Janeiro, e isso depois de cerca de dois anos desempregado.

 

Copeiro - Eliávio Santos: Depois de dois anos eu consegui essa vaga aqui através do meu sogro também, que já conhecia aqui e arrumou para mim. Está difícil, mas aparece.

 

Repórter Luana Karen: Pelo sexto mês seguido, setembro teve saldo positivo na criação de empregos com Carteira assinada. Foram registradas quase 34.400 novas vagas de trabalho, aumento de 0,1% em relação a agosto deste ano. Foi o melhor resultado para o mês de setembro desde 2014, há três anos. Mário Magalhães, coordenador-geral de Estatísticas do Ministério do Trabalho, comenta.

 

Coordenador-geral de Estatísticas do Ministério do Trabalho - Mário Magalhães: Os dados de setembro mostram que há uma continuidade na retomada do crescimento da economia. Os dados de 34 mil empregos gerados foi um dado muito positivo e o diferencial dos resultados de setembro é que já está mais disseminado em termos setoriais e em termos regionais. Nós vemos que a indústria de transformação, que foi o grande destaque no mês de setembro, gerando 25 mil empregos isoladamente, gerou empregos em dez dos seus 12 subsetores.

 

Repórter Luana Karen: O principal responsável pela geração de empregos em setembro foi a indústria, com destaque para o setor de alimentos, bebidas e álcool etílico. Entre as regiões do país, a Nordeste foi a que mais criou vagas de trabalho no mês passado. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: E o Ministério do Trabalho também divulgou hoje a Rais, a Relação Anual de Informações Sociais.

 

Gabriela: A pesquisa, uma das principais fontes de informação sobre o mercado de trabalho formal, mostra o Brasil perdeu 2 milhões de empregos formais no ano passado.

 

Nasi: Para Mário Magalhães, do Ministério do Trabalho, o resultado demonstra a forte crise que o país viveu, mas neste ano a tendência é de reverter esse quadro.

 

Coordenador-geral de Estatísticas do Ministério do Trabalho - Mário Magalhães: O que a gente constata entre a Rais e o Caged, que tem os resultados mensais, é que, de fato, 31 de dezembro foi o ápice da crise e em 2017 espera claramente uma tendência de reversão dessa tendência.

 

Gabriela: E, além do aumento emprego, outro dado divulgado hoje mostra a retomada da economia do país.

 

Nasi: Em setembro a arrecadação do governo foi de mais de R$ 105 bilhões.

 

Gabriela: Aumento de quase 9% em relação a setembro do ano passado.

 

Nasi: De janeiro a setembro, a arrecadação federal acumula mais de R$ 968 bilhões, aumento de mais de 2%, se comparado ao mesmo período em 2016.

 

Gabriela: Funciona assim, se a indústria produz, o comércio contrata e as pessoas consomem, automaticamente a arrecadação de impostos pelo governo aumenta.

 

Nasi: Começou hoje o pagamento das cotas do PIS/Pasep para quem tem mais de 60 anos e não tem conta na Caixa ou no Banco do Brasil.

 

Gabriela: Os trabalhadores ou aposentados que têm conta nesses bancos já receberam o dinheiro em depósitos em conta corrente.

 

Repórter Pablo Mundim: As pessoas de 70 ou mais que trabalharam com Carteira assinada entre 1971 e 1988 podem sacar, a partir desta quinta-feira, a cotas do fundo PIS/Pasep. O Governo Federal dividiu o pagamento em três fases. Nessa etapa serão atendidos mais de 3,5 milhões de cotistas que vão sacar R$ 6,7 bilhões, dinheiro que, para muitos aposentados, já tem destino certo.

Entrevistado: Pagar conta.

Entrevistada: Depositar e deixar lá quietinho.

Repórter Pablo Mundim: Os participantes do PIS, fundo dos trabalhadores da iniciativa privada, vão receber pela Caixa Econômica Federal. Os que têm conta da Caixa começaram a receber o dinheiro nesta terça-feira em depósitos feitos automaticamente. Os outros devem procurar uma agência ou um correspondente bancário, como as lotéricas. O vice-presidente de Habitação da Caixa, Nelson Antônio de Souza, explica que antes de procurar a agência, o ideal é consultar o site da Caixa para tirar dúvidas.

 

Vice-presidente da Habitação da Caixa - Nelson Antônio de Souza: Lá ele consulta o que tem direito, consulta o saldo.

 

Repórter Pablo Mundim: Em novembro começa a pagamento para aposentados. A partir de dezembro recebem mulheres com 62 anos e homens com 65 anos. Até o final do ano o governo pretende disponibilizar um total de R$ 11,2 bilhões, recurso que, segundo o secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Marcos Ferrari, vai gerar um impacto positivo no crescimento da economia.

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento - Marcos Ferrari: Nossa estimativa é que tenha um impacto de 0,2% percentuais. Significa o quê? Se hoje nós estamos projetando um crescimento de 0,5%, nós poderemos atingir 0,7% com essa medida.

 

Repórter Pablo Mundim: Os cotistas do Pasep, fundo dos setores públicos, vão receber o dinheiro pelo Banco do Brasil, os correntistas de banco também começaram a receber as cotas por meio de depósito na conta corrente, na terça-feira. Outras informações em: www.caixa.gov.br/cotaspis ou www.bb.com.br/pasep. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Água boa de beber.

 

Gabriela: É assim que moradores de pequenas comunidades do semiárido nordestino se referem ao Programa Água Doce, do Ministério do Meio Ambiente.

 

Nasi: Uma tecnologia que transformou a vida de quase 200 mil pessoas.

 

"Chegou o poço com água doce, matando a sede do meu irmão".

 

Repórter José Luiz Filho: Água boa para o consumo humano, algo difícil de encontrar em muitas regiões do mundo, como no semiárido do nordeste brasileiro. Uma área onde desde o 2003 o Programa Água Doce, do Ministério do Meio Ambiente, instala dessalinizadores para transformar a água salobra, retirada do subsolo, em água pura. Uma ação que ameniza o drama de milhares de famílias, como nos conta Vanuzia Diógenes, presidente da associação de moradores de uma comunidade no interior do Ceará.

 

Presidente da associação de moradores de uma comunidade no interior do Ceará - Vanuzia Diógenes: Com esse programa ofereceu o quê? Água da boa qualidade para eles, evitando muita doença, né, porque no começo existia doença por causa da água. E agora não, um benefício para todos.

 

Repórter José Luiz Filho: Ao passar melo dessalinizador, 30% da água é purificada e o que sobra é um concentrado salino usado na criação de peixes e na irrigação de plantas usadas para a alimentação de animais. Segundo o ex-pesquisador e consultor do Programa Água Doce, Everaldo Porto, é um ciclo completo de aproveitamento da água.

 

Ex-pesquisador e consultor do Programa Água Doce - Everaldo Porto: Leva água para a comunidade beber, leva o peixe para a comunidade se alimentar ou vender como fonte de renda e é capaz de produzir forragem para os animais se alimentarem.

 

Repórter José Luiz Filho: As ações e experiências do Programa Água Doce foram apresentadas a empresários e autoridades internacionais no Congresso Mundial de Reuso e de Dessalinização de Água, realizado pela primeira vez na América Latina e considerado o principal evento do setor. E, segundo o coordenador nacional do Programa Água Doce, do Ministério do Desenvolvimento, Renato Ferreira, a iniciativa brasileira chamou a atenção de participantes de vários países.

 

Coordenador nacional do Programa Água Doce do Ministério do Desenvolvimento - Renato Ferreira: Temos sistemas funcionando há mais de dez anos. Então, acho que alguma demonstra que a gente está no caminho certo. Nós temos a meta de 1.200 sistemas, nesse momento já estamos chegando em 500 sistemas em 190 comunidades.

 

Repórter José Luiz Filho: Rogério Alves e José Nogueira, moradores de comunidades atendidas pelo Programa Água Doce nos estados do Rio Grande do Norte e Paraíba, acompanharam a apresentação. Segundo eles, o programa mudou a vida das populações atendidas.

 

Entrevistado - Rogério Alves: Água realmente potável, o dessalinizador realmente está mudando a vida de muita gente, né, da região Nordeste.

 

Entrevistado - José Nogueira: Antes nós só bebíamos água da chuva. E com a chegada do Programa Água Doce melhorou muito.

 

Repórter José Luiz Filho: Em 14 anos o Programa Água Doce beneficia mais de 480 pequenas comunidades. A produção diária é de cerca 1,9 milhão de litros de água com qualidade para o consumo. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gabriela: E moradores de João Câmara, no Rio Grande do Norte, vão ser os próximos a receber os benefícios do Programa Água Doce.

 

Nasi: Vão ser entregues 68 sistemas de dessalinização no assentamento Serra Verde.

 

"Momento Social".

 

Gabriela: Terminam amanhã as inscrições para os cursos de qualificação profissional do Plano Progredir.

 

Nasi: A ideia do plano é garantir mais oportunidades de melhoria da vida para as pessoas de baixa renda.

 

Gabriela: E a Aline Monteiro, de Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul, quer saber quem pode fazer esses cursos. O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, responde.

 

Entrevistada - Aline Monteiro: Olá, ministro, meu nome é Aline. Eu moro em Cachoeirinha, Rio Grande do Sul. Eu gostaria de saber quais as pessoas que podem fazer o cadastro para participar dos cursos do Programa Progredir. São somente as pessoas que têm o Bolsa Família? Ou pode ser qualquer pessoa?

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Olá, Aline, os cursos de qualificação profissional do Plano Progredir são para os beneficiários do Bolsa Família e também para aquelas pessoas que fazem parte do Cadastro Único para programas sociais. Além disso, é preciso ter mais de 15 anos para se inscrever, nessa etapa, serão 870 mil vagas em mais 50 cursos online. Os mais procurados, por exemplo, são os de assistente administrativo, representante comercial, recepcionista, mas existem muitas outras opções para formação em várias áreas. Tem que ver o que é que tem mercado de trabalho, o que é mais fácil conseguir emprego onde você vive. Os interessados devem se cadastrar no portal do Ministério do Desenvolvimento Social no endereço: www.mds.gov.br/progredir. Ao final do cadastro já é possível fazer a pré-matrícula no curso escolhido. A confirmação da inscrição será enviada por e-mail ao candidato. Estamos realizando essas ações do Plano Progredir para garantir que as famílias de baixa renda tenham mais oportunidade de melhorar de vida, além de promover a autonomia dos beneficiários e facilitar o acesso ao mercado de trabalho. Não perca essa oportunidade, faça a sua matrícula.

 

Nasi: E se você também tem alguma dúvida sobre programas sociais, manda para a gente.

 

Gabriela: Pode ser por e-mail no endereço: voz@ebc.com.br e também tem no nosso Facebook, facebook.com/bolsafamilia.

 

Nasi: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil sempre na quinta-feira. Participe.

 

Gabriela: O programa Criança Feliz começou esta semana a atender crianças da uma aldeia indígena do Tocantins.

 

Nasi: O programa, lançado há um ano, presta atendimento a meninos e meninas na primeira infância em áreas como saúde, educação, assistência social, cultura e direitos humanos.

 

Gabriela: E uma comitiva de chineses está no Brasil para conhecer a iniciativa.

 

Repórter Nathália Koslyk: Os cuidados da criança nos primeiros anos de vida são a base de todas as fases seguintes do desenvolvimento infantil, por isso foi lançado há um ano o programa Criança Feliz, voltado para a atenção à primeira infância, que vai da gestação até o terceiro ano. Nesta semana, uma comitiva chinesa veio até o Brasil para conhecer a experiência. A delegação foi recebida no Palácio da Alvorada pela embaixadora do programa, a primeira-dama Marcela Temer, que falou sobre a parceria entre os países na área social.

 

Primeira-dama - Marcela Temer: A primeira infância é um tema que une os países porque trata do futuro de uma nação, e na reunião nós tivemos uma demonstração disso. Brasil e China se unindo em prol do desenvolvimento infantil e na primeira infância.

 

Repórter Nathália Koslyk: O Criança Feliz reúne ações nas áreas da saúde e assistência social, cultura e educação. A ideia é promover o estímulo às crianças por meio de visitas à casa das famílias que mais precisam, e, assim, contribuir para que elas tenham um futuro melhor, como explica o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: A ciência mostra que é nos primeiros mil dias, contando com a gestação, que toda a inteligência, as competências do ser humano se organizam conforme os estímulos que ele tem. Então, uma criança estimulada, certamente ela vai ter uma facilidade maior quando ela chegar na escola, vai ter uma escolaridade maior que a dos seus pais, uma renda maior que a dos seus pais no futuro e vai ajudar a família a sair da pobreza.

 

Repórter Nathália Koslyk: O programa também fortalece as ações voltadas aos povos e comunidades tradicionais. No início da semana, o Criança Feliz foi levado a uma aldeia indígena no interior do município de Tocantinha, em Tocantins. O ministro Osmar Terra e a comitiva chinesa acompanharam as visitas. Para João Paulo Airu, que vive na aldeia com a esposa e os seis filhos, a iniciativa vai trazer mudanças para toda a comunidade.

 

Entrevistado - João Paulo Airu: Eu espero que continue, né? Não para nós, mas para os nossos filhos, para crescer. Quero que eles, né, estudem, quero que eles entrem na faculdade e continuem estudando para ajudar os nossos povos, né?

 

Repórter Nathália Koslyk: O programa acompanha as crianças beneficiárias do Bolsa Família de até três anos de idade e aquelas que recebem o Benefício de Prestação Continuada, o BPC, até os seis anos de idade. Até agora mais de 2.600 municípios aderiram ao Criança Feliz e mais de 65 mil crianças e gestantes já estão sendo atendidas pelo programa. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Gabriela: 19h15 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Que tal economizar na conta de luz?

 

Gabriela: Daqui a pouco a gente traz dicas para poupar energia e ajudar o meio ambiente.

 

Nasi: Modernizar, informatizar o atendimento à população, reduzir custos.

 

Gabriela: Para achar soluções, o governo criou a Semana de Inovação em Gestão Pública.

 

Nasi: Em sua terceira edição, a semana mostra um pouco dos vários programas e ações para informatizar os serviços públicos.

 

Gabriela: Vamos conhecer na reportagem de Warbe Kalil.

 

Repórter Warbe Kalil: Processos e documentos em cima de mesas ou empilhados em armários, cena muito comum de se ver nas repartições públicas, riscos de sumirem ou até mesmo de perder o prazo, mas isso está se tornando passado. Em abril deste ano começou a ser implantado o SEI, Sistema Eletrônico de Informações. O SEI movimenta processos e arquivos por meio eletrônico de um setor para outro ou até mesmo de um órgão para outro com maior agilidade, é o que explica o secretário de gestão do Ministério do Planejamento, Gleisson Rubin.

 

Secretário de gestão do Ministério do Planejamento - Gleisson Rubin: No processo físico, se ele tiver que passar por cinco áreas, cada área vai analisar aquele processo isoladamente e a próxima área só pode começar o seu trabalho quando a área anterior tiver concluída. No processo eletrônico nós podemos abrir aquele documento para todas as áreas interessadas e aí se realiza uma avaliação simultânea, de modo que o tempo de tramitação do processo se reduz enormemente.

 

Repórter Warbe Kalil: Outro exemplo de inovação que vem diminuindo o desperdício de dinheiro público é o Sistema de Painel de Preços e Compras. Com essa plataforma as compras feitas pelo governo ganharam agilidade e transparência. Antes, só a pesquisa de preços para se realizar uma compra demorava até três meses. Com o novo sistema a pesquisa leva 15 minutos, isso porque o valor das compras anteriores ou de outros órgãos fica salvo, como conta Gleisson Rubin.

 

Secretário de gestão do Ministério do Planejamento - Gleisson Rubin: O Painel de Preços, ele pode ser, inclusive, utilizado como uma ferramenta de controle pelo próprio cidadão. O cidadão pode, por exemplo, verificar se a prefeitura do seu município comprou um produto, por quanto este produto foi comprado e comparar com preço que foi pago daquele mesmo produto na prefeitura da cidade ao lado.

 

Repórter Warbe Kalil: Esses aplicativos são exemplos de facilidades desenvolvidas por órgãos públicos participantes da Semana de Inovação. Neste Dia Nacional de Inovação, o Ministério do Planejamento, lembra que o prazo para os órgãos instalarem essas duas plataformas, o SEI e o Painel de Despesas, se encerra agora no final de outubro. Todos os órgãos federais executivos são obrigados a participarem. Reportagem, Warbe Kalil.

 

Nasi: O Brasil tem o maior sistema público de transplantes do mundo.

 

Gabriela: E nos primeiros seis deste ano, o país bateu um recorde, foram mais com 12 mil transplantes.

 

Nasi: Mesmo assim, 41 mil brasileiros ainda esperam por um órgão.

 

Gabriela: Para reduzir a lista de espera e o número de famílias que recusam a doação, o Sistema Nacional de Transplantes foi modernizado.

 

Nasi: Entre as medidas para facilitar a doação de órgãos, a partir de agora o companheiro ou companheira pode autorizar o procedimento.

 

Repórter Paulo Mundim: O decreto assinado pelo Presidente Michel Temer moderniza o Sistema Nacional de Transplantes. A nova lei reafirma a importância da família na decisão da doação de órgãos e apresenta novidades com relação ao antigo decreto, de 20 anos atrás. Entre as mudanças está a inclusão do companheiro ou companheira como autorizador da doação, ou seja, não será necessário estar casado oficialmente para fazer a autorização. Também está previsto a retirada da exigência do médico especialista em neurologia para diagnóstico de morte encefálica. Essa era uma demanda do Conselho Federal de Medicina. Com a nova medida, a constatação da morte deve ser feita por médicos com capacitação específica, que devem observar o protocolo já estabelecido. Para o Presidente Michel Temer, a medida vai incentivar e aumentar o aproveitamento de órgãos no país.

 

Presidente Michel Temer: Hoje o aproveitamento dos órgãos, né, não é tão intenso como deveria ser e eu penso que este ato vai incentivar exatamente a utilização desses órgãos para serem transplantados.

 

Repórter Paulo Mundim: Hoje, o Brasil possui o maior sistema público de transplantes do mundo e cerca de 95% dos procedimentos de todo o país são financiados pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. Os pacientes possuem assistência integral e gratuita, incluindo exames preparatórios, cirurgia, acompanhamento e medicamentos pós-transplante. Reportagem, Paulo Mundim.

 

Gabriela: A falta de chuvas fez com que o país tivesse que usar mais as termoelétricas para produzir energia, que têm um custo mais alto do que as hidrelétricas.

 

Nasi: Com isso, este mês, a conta de luz vai vir com uma cobrança extra, a chamada bandeira vermelha.

 

Gabriela: Com o custo mais alto da energia elétrica, algumas mudanças dentro de casa podem fazer a diferença para diminuir a conta. A economista pode chegar, em alguns casos, a R$ 1,7 mil no ano.

 

Nasi: E quem economiza também ajuda a questão ambiental.

 

Estudante de engenharia ambiental - Taiane Maciel: E aí, pessoal, estamos de volta de hoje na gente vai falar sobre um tema muito importante que é a economia de energia.

 

Repórter Natália Melo: Sempre que podem, a estudante de engenharia ambiental Taiane Maciel e a bióloga Marcela Zeitune, que moram juntas no Rio de Janeiro, publicam vídeos na internet com dicas de sustentabilidade. E o exemplo para Taiane já começa dentro de casa.

 

Estudante de engenharia ambiental - Taiane Maciel: A gente mudou a lâmpada, né? Aqui na sala é LED, por exemplo. A gente sempre tira os aparelhos da tomada. A gente tem que cuidar do mundo e do meio ambiente como se fosse a nossa casa mesmo, não só aqui dentro, mas na rua.

 

Repórter Natália Melo: Com Marcela não é diferente.

 

Bióloga - Marcela Zeitune: O tempo inteiro eu estou preocupada se tem uma luz acesa onde não tem ninguém.

 

Repórter Natália Melo: As lâmpadas de LED são as mais recomendadas pelo Instituto Nacional de Metrologia e Tecnologia, o Inmetro. O pesquisador Leonardo Rocha fala da economia que esse tipo de iluminação traz.

 

Pesquisador - Leonardo Rocha: São lâmpadas que, comparativamente às lâmpadas incandescentes, gastam oito vezes menos energia para gerar a mesma quantidade de luz, com uma proposta de durabilidade de até 25 vezes mais.

 

Repórter Natália Melo: Além de trocar as lâmpadas e desligar os aparelhos da tomada, o Inmetro também alerta que é sempre bom observar a classificação do Programa Brasileiro de Etiquetagem, um selo que classifica o desempenho energético dos produtos. O eletrotécnico Marlon Wagner, que nunca foi de observar o selo de energia, diz que agora vai ficar mais atento.

 

Eletrotécnico - Marlon Wagner: Às vezes eu olho mais pela aparência, vou passar agora visar mais nessas coisas.

 

Repórter Natália Melo: Segundo o Inmetro, se adotadas a medidas recomendadas, a economia anual na conta de luz pode ser de mais de R$ 1,7 mil em uma casa com dois quartos, ar-condicionado, televisão, máquina de lavar, três ventiladores de teto e um chuveiro elétrico. Reportagem, Natália Melo.

 

Gabriela: 19h22 pelo horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Este recado é para quem vai fazer o Enem.

 

Gabriela: Amanhã, a partir das 10h, já vai ser possível consultar o local onde o candidato vai fazer as provas.

 

Nasi: Os dados vão estar disponíveis no cartão de confirmação da inscrição, acessado pela internet.

 

Repórter Eduardo Biagini: Os inscritos no Enem vão poder consultar as datas, horários e locais de prova, o número de inscrição, a língua estrangeira escolhida e os atendimentos específicos que tiverem sido solicitados. Tudo isso vai estar disponível para consulta no cartão de confirmação da inscrição. O documento vai poder ser acessado pelo aplicativo do Enem ou pela página da participante, no endereço: enem.inep.gov.br/participante. Para consulta, basta fornecer o número do CPF e a senha cadastrada na inscrição. Não é obrigatório levar o cartão de confirmação no dia das provas, mas o Inep sugere que todos os inscritos levem o documento para facilitar o acesso às informações. E nessa sexta-feira terminam as inscrições para o Enem das pessoas privadas de liberdade, neste caso o cadastro deve ser feito pelos responsáveis pedagógicos de unidades prisionais. Eduardo Biagini para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: Os repasses do governo para as Obras Sociais Irmã Dulce, entidade assistencial que faz atendimento pelo SUS, foram reajustados.

 

Nasi: Maria Rita Ponte, superintendente da instituição, se encontrou hoje com o Presidente Michel Temer para agradecer a liberação dos recursos.

 

Gabriela: Segundo, ela, com o reajuste, vai ser possível manter o atendimento às 4 milhões de pessoas que todos os anos procuram a entidade em Salvador, na Bahia.

 

Superintendente da instituição - Maria Rita Ponte: Graças a esse reajuste do contrato foi possível manter todos os serviços da obra em funcionamento. É uma obra 100% SUS, com 954 leitos. É um hospital de ensino, referência no Brasil, no ensino médico. Então, era muito importante que esse reajuste fosse concedido.

 

Nasi: As Obras Sociais Irmã Dulce foram fundadas em 1959 pela freira baiana, reconhecida internacionalmente pela vida dedicada a ajudar os pobres.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma Boa noite.

 

Gabriela: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".