19 de dezembro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: R$ 200 milhões em investimentos para melhorias em aeroportos. E dessa vez terminais que ficam no interior do país vão ser priorizados. E tem obra pronta em mais um eixo do Programa Agora é Avançar. Pista duplicada vai desafogar movimento de caminhões. Iniciativas que geram renda no setor de cultura são premiadas pelo presidente Michel Temer. E neste Natal consumidores estão preferindo comprar tudo pela internet. Então fique ligado nas dicas para evitar dores de cabeça na hora das compras.

audio/mpeg VOZ191217.mp3 — 46884 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Terça-feira, 19 de dezembro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: R$ 200 milhões em investimentos para melhorias em aeroportos.

 

Nasi: E dessa vez terminais que ficam no interior do país vão ser priorizados. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Daqui a pouquinho o Ministério dos Transportes vai anunciar a reforma e a ampliação de 11 aeroportos regionais. Eu volto daqui a pouco com mais informações.

 

Gabriela: E tem obra pronta e mais um eixo do programa Agora é Avançar.

 

Nasi: Pista duplicada vai desafogar movimento de caminhões. Caroline Blauth.

 

Repórter Caroline Blauth: A Serra do Cafezal, trecho da estrada no Estado de São Paulo, tem cerca de 30 quilômetros de distância. Depois de cinco anos, foram concluídas as obras de duplicação da pista.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil hoje.

 

Nasi: Iniciativas que geram renda no setor de cultura são premiadas pelo Presidente Michel Temer.

 

Gabriela: E nesse Natal, consumidores estão preferindo comprar tudo pela internet. Beatriz Albuquerque.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Mas para fazer negócios com segurança e garantir que o produto escolhido chegue à sua casa é preciso estar atento.

 

Nasi: Então, fique ligado porque vamos dar as dicas para evitar dores de cabeça na hora das compras.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir, a gente ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Encurtar distâncias facilitando a vida de quem está no interior do país.

 

Nasi: O Governo Federal vai anunciar ainda hoje novos investimentos em 11 aeroportos regionais de todo o Brasil. O repórter Pablo Mundim está no Ministério dos Transportes e traz mais informações ao vivo. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. É isso mesmo. A cerimônia aqui no Ministério dos Transportes começou faz pouco tempo. Durante esse evento o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, vai assinar os termos de compromisso que garantem investimentos de R$ 212 milhões para 11 aeroportos regionais. Serão obras de infraestrutura, como reformas, ampliação, aquisição de equipamentos, sinalização e melhorias dos terminais. Ao todo, são sete estados contemplados. Haverá contrapartida dos governos municipais e também de governos estaduais para as obras. O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Moreira Franco, disse que os investimentos nesses aeroportos são fundamentais para integrar o país.

 

Ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência - Moreira Franco: Nós não vamos ter a integração, a mobilidade do cidadão brasileiro, ela jamais se dará integralmente por ônibus, por trem, porque o país é muito grande. A aviação é o modal destinado a ser o grande modal de mobilidade do cidadão brasileiro. E os aeroportos regionais são exatamente aqueles que permitirão que, numa distância de cem, cento poucos quilômetros, todo brasileiro possa ter acesso à aviação, a um avião, e, consequentemente a um voo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): O ministro dos Transportes, Maurício Quintella, destacou o empenho do governo na liberação de recursos para reforma e modernização dos aeroportos regionais em todo o país.

 

Ministro dos Transportes Porto e Aviação Civil - Maurício Quintella: O programa de aviação regional do Governo Federal decolou e hoje está em voo de cruzeiro, né? Nós já assinamos 31 termos de parceira, o que significa repasse de recursos do Governo Federal para estados e municípios para que se reforme, amplie, modernize-se aeroportos no Brasil inteiro, aeroportos regionais, né? E hoje vamos assinar mais dez termos de compromisso, né, avançando ainda nesse programa que é tão importante para o Brasil.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): E esse investimento nos aeroportos regionais faz parte do programa Agora é Avançar, que garante recursos nas áreas de saúde, educação, saneamento, esporte, cultura, defesa, comunicações, energia e habitação. O programa do governo vai atender mais de 7 mil projetos em todo o Brasil, com um aporte financeiro de R$ 130 bilhões até o fim de 2018. Ao vivo, Pablo Mundim.

 

Gabriela: E também tem melhoria e mais conforto nas rodovias.

 

Nasi: A BR-116, conhecida como Regis Bittencourt, é uma das principais estradas do país.

 

Gabriela: É por ela que todos os dias são levados produtos entre as regiões Sudeste e Sul.

 

Nasi: E hoje a duplicação do último trecho da rodovia foi inaugurada. A obra faz parte do programa Agora é Avançar Parcerias, que está retomando obras paradas em todo o país.

 

Gabriela: Parceria do governo com o setor privado, que vai beneficiar diretamente a população.

 

Repórter Caroline Blauth: Pelo menos uma vez por semana o caminhoneiro Isaías Loreto de Arruda passa pela BR-116, conhecida como Regis Bittencourt. Há 30 anos ele faz o caminho entre Espírito Santo e o Paraná, e já começa a se prevenir quando vai chegando próximo da serra.

 

Caminhoneiro - Isaías Loreto de Arruda: Pessoal? Tubarões? E aí, como é que vocês estão vendo aí a pista descendo?

 

Repórter Caroline Blauth: O trânsito intenso no local já é um velho conhecido.

 

Caminhoneiro - Isaías Loreto de Arruda: O engarrafamento, ele traz um certo prejuízo para todo mundo, né? Porque você está parado ali, o caminhão está gastando e também tem o desgaste da gente, pessoal, a mente da gente. Quando você sai do engarrafamento, você quer andar muito e é a hora que acontece os maiores acidentes, né? Que as famílias perdem a vida.

 

Repórter Caroline Blauth: A Serra do Cafezal, o trecho da estrada no Estado de São Paulo, tem cerca de 30 quilômetros de distância e é considerada a parte crítica da rodovia. Por muito tempo a BR-116 foi conhecida por 'rodovia da morte', por causa dos inúmeros acidentes fatais já registrados. Mas agora, os motoristas devem ter mais conforto e segurança. Depois de cinco anos, foram concluídas as obras de duplicação da pista. Além de mais tranquilidade para quem passa pela Regis Bittencourt, a conclusão dessa obra tem grande importância econômica para o país e para o Mercosul, como destaca o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella.

 

Ministro dos Transportes Porto e Aviação Civil - Maurício Quintella: Isso vai, sem dúvida nenhuma, melhorar bastante o escoamento da nossa produção, vai baratear o custo Brasil numa obra rodoviária, né, importantíssima para São Paulo, para o Sul do país, para o Mercosul e para o Brasil inteiro.

 

Repórter Caroline Blauth: A concessionária que administra a rodovia investiu R$ 1,3 bilhão para realizar as melhorias necessárias no local, gerando 2 mil empregos diretos. Para o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco, a entrega dessa obra, que faz parte do programa Agora é Avançar Parcerias, é a prova de que o governo e a iniciativa privada precisam trabalhar juntos.

 

Ministro da Secretaria Geral da Presidência da República - Moreira Franco: A iniciativa privada, aquelas que querem efetivamente prestar serviço, poderão prestar serviço de qualidade e barato à população. E o governo do presidente Michel Temer entende que a convocação do capital privado para investir significa crescimento. O melhor caminho para que nós possamos garantir emprego e renda ao trabalhador brasileiro.

 

Repórter Caroline Blauth: Para o presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, César Borges, as parcerias público-privadas têm gerado grandes resultados.

 

Presidente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias - César Borges: No momento em que o país precisa fazer um ajuste das suas contas, que não tem os recursos necessários aos investimentos em setores tão importantes como saúde, educação, segurança pública, e, por isso mesmo, a infraestrutura tem que ser olhada de forma secundária em setores tão importantes à vida do nosso povo, o setor privado vem participar desse esforço.

 

Repórter Caroline Blauth: O Agora é Avançar parcerias tem hoje 145 programas qualificados. Quase metade já concluídos e entregues. De Juquitiba, em São Paulo, Caroline Blauth.

 

Airton: E logo no início do governo, o presidente Michel Temer já defendia a parceria da iniciativa privada da União.

 

Gláucia: É, a ideia é fazer com que as empresas sejam aliadas nessa retomada do crescimento e, consequentemente, na geração de mais empregos do país.

 

Nasi: Hoje, depois de mais um ano e meio de governo, essa parceria acontece em concessões de aeroportos, portos e rodovias.

 

Gabriela: E qual é o resultado disso? A repórter Raquel Mariano conversou com um passageiro e um caminhoneiro que viajam pelo país. Eles contam para a gente como anda a situação nos locais por onde eles passam depois das concessões.

 

Repórter Raquel Mariano: Pode ser para conhecer novos lugares para visitar alguém ou até mesmo a trabalho. Não importa o motivo, viagens são sempre muito desejadas pelas pessoas. E a Voz do Brasil falou com quem entende do assunto. Primeiro vamos viajar com o advogado carioca Carlos Franco, ele já contabilizou 4 mil viagens e deu duas voltas ao mundo. Então, vamos aproveitar todo esse conhecimento e pousar com ele no Aeroporto Internacional de Brasília. Carlos, conta para a gente, o que é que você achou do aeroporto reformado?

 

Advogado carioca - Carlos Franco: O salto de qualidade com a privatização foi... foi importantíssimo e notável. Hoje o Aeroporto de Brasília é um aeroporto que te dá conforto, é um aeroporto que tem uma dimensão, né, muito maior.

 

Repórter Raquel Mariano: E essa modernização feita no Aeroporto de Brasília também ocorreu em outros seis aeroportos desde 2010. Em 2016, o Presidente Michel Temer lança o programa de parcerias de investimentos, ou, o Projeto Crescer. A ideia é ampliar a participação da iniciativa privada na infraestrutura do país. Estão na lista para as concessões 145 empreendimentos no setor de transportes e energia, por exemplo, e de acordo com o diretor-superintendente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, Flávio Freitas, a recuperação da economia ajuda a trazer mais investimentos para o Brasil.

 

Diretor-superintendente da Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias - Flávio Freitas: Juros mais baixos, inflação mais baixa, maior índice de confiança, certamente haverá atratividade para esses grupos que já estão e outros, de continuarem a fazer investimentos.

 

Repórter Raquel Mariano: Mas vamos voltar a colocar na mochila nas costas e acompanhar o caminhoneiro Plínio Dias, que está na estrada de norte a sul do país há 26 anos. Agora a parada é na BR-116, entre São Paulo e Curitiba. Diga aí, Plínio, depois nessa concessão, o que mudou por aí?

Caminhoneiro - Plínio Dias: Antigamente dava muito acidente, tinha que estar pagando os guinchos, as pessoas rodavam na pista, muita denúncia que colocavam soda e óleo ali na pista. Então, isso vai dar uma parada muito grande, sabe?

 

Repórter Raquel Mariano: E um pouco mais de um ano do Programa do Parcerias de Investimentos quase 40% dos projetos já foram concluídos, com investimento de R$ 33 bilhões. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Airton: Está ocorrendo neste momento a cerimônia de entrega da Ordem do Mérito Cultural, a principal homenagem pública da cultura brasileira.

 

Gabriela: A homenagem foi criada pelo Governo Federal em 1995 e é entregue todo ano a pessoas, grupos e iniciativas ou instituições como conhecimento pela contribuição à cultura brasileira.

 

Nasi: Este ano o prêmio teve como tema cultura, inovação e empreendedorismo.

 

Gabriela: O repórter João Pedro Neto acompanha a cerimônia do Palácio do Planalto e tem, ao vivo, as informações. Boa noite, João Pedro.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. É isso. Olha, a Ordem do Mérito Cultural é a principal homenagem pública da cultura no país. Na edição desse ano foram homenageados... estão sendo homenageadas 32 personalidades e instituições de destaque no cenário cultural, nomes, por exemplo, como o cantor e compositor de forró, baião e xaxado Genival Lacerda, para quem a honraria é um reconhecimento e uma valorização para toda a cultura nordestina.

 

Cantor e compositor - Genival Lacerda: Estou felicíssimo, e, além de receber esse prêmio, a cultura nordestina é a principal, é a melhor, e é por isso que nós estamos aqui para receber esse prêmio. Já recebi milhões de prêmios, esse é o mais importante.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Dona Onete, ícone paraense do carimbó, Renato Aragão, o Didi, o publicitário, empresário e diretor de televisão José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, e o grupo popular e bloco de carnaval pernambucano Galo da Madrugada, que também se apresentou na cerimônia, também estão entre os agraciados. O ministro Sérgio Sá Leitão lembrou de avanços do setor ao longo desse ano e falou sobre a importância da cultura para gerar emprego e renda e movimentar a economia.

 

Ministro da Cultura - Sérgio Sá Leitão: A cerimônia de outorga da Ordem do Mérito Cultural em 2017 consagra este novo olhar sobre a cultura brasileira ao adotar o tema cultura, inovação e empreendedorismo, ao valorizar o conceito de economia criativa e, também, ao homenagear pessoas que contribuíram muito em suas trajetórias profissionais para valorizar a cultura brasileira e a dimensão econômica das atividades culturais e criativas.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): A escolha dos agraciados, segundo o Ministério da Cultura, buscou homenagear a variedade de segmentos da cultura, levando em conta a diversidade de regiões, raças e gêneros no país. Ao vivo, João Pedro Neto.

 

Nasi: E o Presidente Michel Temer discursa neste momento no evento. Vamos ouvir um trecho.

 

Presidente Michel Temer: O Cornell Wilde, num dado momento, Boni, estava no piano, piano branco, e cai lá uma gota de sangue, né, tuberculoso que ele ficou. E eu quis, saindo de lá, aprender a tocar piano. Foi a primeira, digamos assim, tentativa de ingresso no mundo cultural. Mas eu morava numa cidadezinha muito pequena no interior de São Paulo, tinha 15, 20 mil habitantes, evidentemente que não tinha nenhuma escola de piano, não é? Eu insisti muito com meu pai, e meu pai acabou me inscrevendo numa escola de datilografia. E eu... Mas eu confesso que eu ia datilografar com a minha velha professora, dona Irene, mas eu fechava os olhos e datilografava com os dez dedos como se estivesse tocando piano. Foi a minha primeira tentativa, aliás, eu tenho, com um muito orgulho, um diploma de datilógrafo com dez anos de idade, não é? Essa foi a minha primeira tentativa. A segunda tentativa deu-se quando eu pretendia ingressar no jornalismo, e eu vi que muitos aqui se dedicam a essa atividade. E logo aos 18, 19 anos, estando eu na faculdade de direito, eu consegui um emprego no Jornal Última Hora, me recordo disso, ficava na Avenida Prestes Maia. Eu ia lá à noite, das 7h às 23h.

 

Nasi: Ouvimos o Presidente Michel Temer, que discursa neste momento no evento da Ordem do Mérito Cultural.

 

Gabriela: 19h15 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Neste Natal a maioria dos consumidores está preferindo comprar tudo pela internet.

 

Gabriela: E daqui a pouquinho vamos dar todas as dicas para evitar dores de cabeça na hora das compras. Não saia daí.

 

Nasi: A economia voltou a crescer em 2017 e deve continuar em alta no ano que vem.

 

Gabriela: A avaliação foi feita hoje pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

 

Nasi: Segundo ele, o governo não vai ter dificuldade para respeitar o limite de gastos. Com o crescimento da economia, o governo vai arrecadar mais.

 

Repórter Paulo La Salvia: Em café da manhã com jornalistas em Brasília, o ministro da Fazenda fez um balanço deste ano. Para Henrique Meirelles, depois da maior recessão da história do país, em 2015 e em 2016, o Brasil voltou a crescer. A previsão é de crescimento de um 1,1% para 2017 e de 3% para o ano que vem.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: A economia está crescendo, crescendo mais do que o esperado, os empregos estão sendo criados. A partir de abril já começou a ser positivo, com uma média de 20 mil por mês subiu para 30 mil, já quase 80 mil em outubro, um pouco mais de 70 mil. E isso esperamos continuar subindo, superar 100 mil. Inflação caiu, a inflação está baixa, o preço do alimento caiu e a economia está pegando força, pegando corpo, a política econômica está tendo sucesso e isso é o que é mais relevante e vamos prosseguir nessa linha em 2018.

 

Repórter Paulo La Salvia: O ministro da Fazenda também afirmou que em 2018 o Brasil vai cumprir o teto de gastos e a meta fiscal, que é a economia que o governo faz para saudar a dívida pública, isso porque, com a recuperação da economia, a tendência é de aumento da receita para os cofres públicos, que devem arrecadar mais. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: Inflação e juros em queda contas, públicas sobre controle, aumento na geração de empregos e na proteção da indústria.

 

Nasi: Medidas adotadas pelo governo, que tem feito o Brasil crescer.

 

Gabriela: Para o país continuar com crescimento econômico é necessário manter o ciclo de reformas, a principal delas, a da Previdência.

 

Nasi: Foi o que afirmaram ministros do governo que paqueraram hoje de um debate em Brasília.

 

Repórter Gabriela Noronha: Os integrantes do governo afirmaram que para o país continuar a trajetória de crescimento, a aprovação de outras reformas, como a da Previdência, é fundamental. Para o ministro do Planejamento, Diogo Oliveira, aprovar a reforma da Previdência, significa o desenvolvimento econômico do país pelos próximos anos.

 

Ministro do Planejamento - Diogo Oliveira: Se a Previdência e as outras reformas avançarem nós vamos ter um crescimento adicional, né? Nós temos a opção agora de sancionar o crescimento e ter mais crescimento, ou de termos um ciclo curto de crescimento.

 

Repórter Gabriela Noronha: A reforma prevê uma idade mínima para a aposentadoria com uma regra de transição. A partir de 2020 o limite da idade vai subir gradualmente. A cada dois anos a idade mínima vai alcançar um ano, essa evolução será mantida até denegar aos 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Além de alcançar a idade mínima, a proposta prevê uma contribuição do trabalhador da iniciativa privada ao INSS de, no mínimo 15 anos, o mesmo que está em vigor atualmente. De acordo com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a despesas previdenciárias tomar mais de 50% do orçamento do governo. Para Meirelles as mudanças são necessárias para garantir não só a retomada da economia, como pagamento das aposentadorias e pensões no futuro.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Se não se aprovar nada a Previdência passa para 71, os outros benefícios para se7te, ocupar 80% do orçamento. Não vai ter recurso suficiente para educação, para a saúde, para segurança. Então, o que nós temos que olhar é que é uma necessidade.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, governo e Congresso precisam avançar e aprovar as reformas necessárias para garantir a recuperação econômica no ano que vem.

 

Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn: É necessário continuar trabalhando nas reformas e nos ajustes, em particular, a reforma da Previdência.

 

Repórter Gabriela Noronha: A expectativa do governo é que a proposta que altera regras da aposentadoria seja votada na Câmara, em fevereiro. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: E em Brasília o Presidente Michel Temer voltou a defender a reforma da Previdência.

 

Nasi: Ao discursar para senadores e deputados do seu partido, explicou porque as mudanças são necessárias para garantir o pagamento das aposentadorias no futuro.

 

Presidente Michel Temer: Vai sair ganhando especialmente o país porque no projeto atual... no projeto atual há uma vantagem, uma economia para o país de cerca de R$ 600 bilhões em dez anos. E não podemos brincar com isso, porque se nós brincarmos com isso, daqui a pouco nós não vamos ter dinheiro para pagar aposentado, e, daqui a pouco eu digo, daqui dois, três anos, não é daqui muito tempo, não.

 

Gabriela: 19h20 no horário brasileiro do verão.

 

Nasi: Um novo hábito está se tornando preferência dos brasileiros.

 

Gabriela: As vendas pela internet cresceram e o comércio virtual deve ser o principal meio de compras no Natal deste ano, superando as vendas nas lojas.

 

Nasi: Mas o consumidor online deve ficar atento às dicas do segurança e saber bem sobre seus direitos na hora de comprar. A repórter Beatriz Albuquerque explica.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Roupas, eletrônicas, livros, brinquedo para o filho. O servidor público Erico Bazzo compra de tudo pela internet. Agora, nas festas de final de ano, não vai ser diferente, ele prefere comprar os presentes na tela do computador ao invés de enfrentar shoppings e comércios lotados, e ainda garante que economiza bastante.

 

Servidor público - Erico Bazzo: Geralmente os preços pela internet são melhores do que nas lojas.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito, SPC, aponta que as pessoas estão fazendo como Erico, preferindo comprar pela internet. O comércio eletrônico deve ser o principal meio de compras no Natal desse ano. No ano passado, os shoppings responderam por 41% nas vendas de Natal. Nesse fim de ano, apenas 13% dos consumidores pretendem fazer as compras de Natal em shoppings. Mas, para fazer em negócios com segurança e garantir que o produto escolhido chegue à sua casa, é preciso estar atento. A diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, Ana Carolina Caram, dá algumas dicas.

 

Diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - Ana Carolina Caram: Desconfie do que está muito barato. Onde tiver um preço que é fora do mercado, aquele produto ali que está muito chamativo em decorrência de um preço muito baixo, verifique se aquele site existe, se aquele site tem o CNPJ ali registrado, se tem o endereço físico daquele fornecedor para que haja uma reclamação, se preciso for, busque informação nos órgãos de proteção e defesa do consumidor, e também na internet, né, jogue o nome daquele site para saber se ele é de boa índole, se ele atende o consumidor.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Ana Carolina explica que quem usa o comércio eletrônico tem direitos específicos que garantem mais segurança na hora de comprar.

 

Diretora do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça - Ana Carolina Caram: Quando o produto chega na sua residência e ele vê que aquele produto não é do seu agrado, por exemplo, comprei uma blusa que eu não gostei, ele tem o jeito de devolver aquele produto dentro do prazo de sete dias, a partir do momento da chegada desse produto à sua residência, sem que nenhum ônus seja imputado a ele, ou seja, nenhuma taxa de envio, nenhuma taxa de embalagem, isso não pode ser cobrado do consumidor.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E o Erico diz que já sabe de cor todas as dicas.

 

Servidor público - Erico Bazzo: No final do ano a demanda pelo serviço é maior, né? Então, possivelmente pode ter algum atraso. Então, não pode deixar muito para a última hora.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E quem tiver qualquer problema com compras na internet, basta procurar o Procon do seu estado, o Ministério Público ou o próprio Ministério da Justiça. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Gabriela: A Receita Federal divulgou hoje a arrecadação no mês de novembro.

 

Nasi: O governo arrecadou mais de R$ 115 bilhões. No acumulado de janeiro a novembro a arrecadação chegou a mais de R$ 1,2 trilhão e.

 

Gabriela: O crescimento real foi de 9,25% acima da inflação, o melhor desde 2014.

 

Nasi: Segundo a Receita, esse crescimento foi possível em função das ações especiais de fiscalização e cobrança dos parcelamentos PRT e Pert, além da elevação das alíquotas do PIS/Cofins sobre combustíveis e da recuperação da atividade econômica.

 

Gabriela: Mais rapidez nos pedidos de isenção de impostos na compra de carros para pessoas com deficiência.

 

Nasi: Hoje, a Receita Federal publicou novas regras para esse pedido, que, a partir de agora, será feito todo pela internet.

 

Gabriela: A regulamentação define a aquisição de veículos destinados a pessoas com deficiência física, visual, mental severa ou profunda e autistas, com isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados, o IPI, e o IOF.

 

Nasi: A Receita contabiliza que cerca de 150 mil pedidos de isenção por ano vão deixar de ser apresentados nas unidades de atendimento.

 

Gabriela: Ainda de acordo da Receita, a medida vai permitir uma resposta mais rápida aos pedidos, até três dias, para as pessoas que atenderem os requisitos legais.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".