20 de dezembro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: 21 mil famílias recebem a chave da casa própria. Governo entrega moradias em 30 municípios. E presidente Michel Temer comemora fim de ano com obras concluídas em todo o país. Assinada nova base curricular que unifica o ensino em todas as escolas do país. Revitalização do Rio São Francisco vai receber primeiros recursos com pagamento de multas ambientais. Valor do seguro DPVAT fica mais barato no ano que vem.

audio/mpeg VOZ201217.mp3 — 45179 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.




"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".




Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.




Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.




Gabriela: Quarta-feira, 20 de dezembro de 2017.




Nasi: E vamos ao destaque do dia.




Gabriela: Vinte e uma mil famílias receberam hoje a chave da casa própria.




Nasi: Dia em que o governo entregou moradias em 30 municípios.




Gabriela: E o presidente Michel Temer comemora fim de ano com obras concluídas em todo o país.




Presidente Michel Temer: Estamos juntos encerrando este ano com chave de ouro, ou seja, com a chave da sua casa própria.




Nasi: E com a liberação de mais recursos vem mais obras por aí. Luana Karen.




Repórter Luana Karen: Até o final do ano, R$ 2 bilhões vão ser destinados a obras de saneamento em todo o país.




Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil do hoje.




Nasi: Assinada a nova base curricular que unifica o ensino em todas as escolas do país. Eduardo Biagini.




Repórter Eduardo Biagini: Todas as escolas devem readaptar e rever os currículos no ano que vem para iniciar a implementação da base em 2019 e concluir o processo até 2020.




Gabriela: Revitalização do Rio São Francisco vai receber primeiros recursos com pagamento de multas ambientais.




Nasi: E atenção, motorista: valor do seguro DPVAT fica mais barato no ano que vem.




Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.




Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.




Gabriela: Fim de ano de festa para milhares de brasileiros.




Nasi: Gente que acreditou e realizou um sonho.




Gabriela: Em 14 estados do país, o Programa Agora é Avançar beneficiou mais de 20 mil famílias.




Nasi: E que agora vão começar o Ano Novo de casa nova.




Repórter Caroline Blauth: Com o sorriso no rosto e brilho no olhar, a manicure Ana Cláudia Duarte resume o motivo de tanta felicidade.




Manicure - Ana Cláudia Duarte: O quarto da minha filha é a coisa mais linda, vai ficar lindo. Tem um banheiro bonito, é tudo branquinho, tudo bonitinho. É tudo que eu sempre sonhei, né?




Repórter Caroline Blauth: A filha, também Ana Cláudia, sabe direitinho tudo que vai trazer felicidade.




Filha - Ana Cláudia: Lá tem criança para eu brincar.




Repórter Caroline Blauth: Sabe toda essa felicidade de mãe e filha? Em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, mais de 5 mil pessoas sentiram também nesta terça-feira. Em outros 30 municípios de 14 estados o mesmo sentimento foi compartilhado por mais 21 mil famílias. E desde o começo desse ano, mais de 350 mil pessoas já comemoraram o sonho da casa própria. E não para por aí. Por meio do Programa Avançar, criado pelo Governo Federal para retomar e concluir obras paradas, serão contratadas 800 mil novas unidades habitacionais até o fim de 2018, como garante o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco.




Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República - Moreira Franco: Há recuperação evidente da arrecadação, o Governo Federal tem mais recursos, consequentemente ele pode assumir este compromisso, e no ano que vem nós vamos entregar muito mais.




Repórter Caroline Blauth: O Programa Minha Casa, Minha Vida prioriza as famílias que moram em áreas de risco ou que tenham sido desabrigadas, assim como as chefiadas por mulheres ou que tenham pessoa com deficiência. A prestação não pode ser maior que 30% da renda familiar mensal. Por meio de um vídeo, o presidente Michel Temer enviou um recado aos novos moradores do Residencial Venda da Cruz, em São Gonçalo.




Presidente Michel Temer: Trabalhamos sempre para que 2018 seja bem melhor para todos. A inflação foi controlada e os juros caíram. Nos últimos meses, mais de 1 milhão de novos postos de trabalho foram criados. O país está melhorando e com os programas sociais estamos juntos encerrando este ano com chave de ouro, ou seja, com a chave da sua casa própria.




Repórter Caroline Blauth: Outros quatro residenciais do Minha Casa, Minha Vida estão sendo construídos pelo Governo Federal no município carioca. De São Gonçalo, no Rio de Janeiro, Caroline Blauth.




Gabriela: É, e de Norte a Sul do país tem gente feliz com a entrega das chaves da casa própria.




Nasi: Moradores de dezenas de municípios que foram contemplados e que a partir de agora começam uma nova vida.




Repórter Luana Karen: No Norte do país, Maria Dulcenir Ribeiro e os dois filhos vão ganhar um novo endereço nesta semana, graças ao Minha Casa, Minha Vida. A paraense de Parauapebas conta que esperou muitos anos pela casa própria e não consegue conter a alegria.




Entrevistada - Maria Dulcenir Ribeiro: É um sonho que vai ser realizado. Eu não estou mais nem conseguindo dormir de noite de tanta felicidade.




Repórter Luana Karen: No Centro-Oeste, Maria Catarina dos Santos, de 61 anos, é empregada doméstica no município de Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Depois de tanto cuidar das casas dos outros, vai finalmente realizar o sonho de cuidar da sua casa.




Empregada Doméstica - Maria Catarina dos Santos: Quando eu trabalhava, que tinha idade que trabalhava, eu via as casa bonita das pessoas, ajeitadinha. Eu sonhava ser assim a minha, né? E daqui para frente eu vou ter o meu sonho e estou feliz.




Repórter Luana Karen: E lá no Sul do país, a aposentada Ivone Barbosa, de 68 anos, é uma dos mais de 300 moradores do município de Canoas que receberam as chaves da casa própria, e já está com tudo encaixotado para deixar a vida de aluguel para trás.




Aposentada - Ivone Barbosa: Pago aluguel, 400 pila por mês. Vai me ajudar bastante, que eu compro remédio. Até na minha alimentação vai melhorar um pouco tudo.




Repórter Luana Karen: E teve festa também para os moradores de Sorocaba, na região Sudeste de São Paulo, como conta o repórter Pablo Mundin.




Repórter Pablo Mundin: A D. Monalisa de Souza, auxiliar de limpeza e moradora de Sorocaba, interior de São Paulo, é só felicidade. Ela e os quatro filhos vão receber a casa própria do Governo Federal por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida.




Auxiliar de limpeza - Monalisa de Souza: Nossa, eu fiquei tão feliz, tão feliz que eu sonhava, eu entrei no apartamento e olhava: "Não, aqui eu vou por tal coisa, aqui eu vou por tal coisa".




Repórter Pablo Mundin: Assim como a D. Monalisa, outros 2.168 beneficiários receberam nesta quarta-feira as chaves dos apartamentos do Residencial Altos do Ipanema. Além do conforto, o que mais surpreende a D. Monalisa é a infraestrutura e a segurança do empreendimento.




Auxiliar de limpeza - Monalisa de Souza: Tudo muito bem feito. O playground para as criança brincar. Com piso, azulejo, coisa que se a gente fosse fazer, eu não ia ter condição de fazer, nem de comprar um lugar daquele ali.




Repórter Pablo Mundin: A Gisele Garcia, auxiliar de cozinha e mãe de três filhos, não consegue esconder a ansiedade para entrar na casa própria.




Auxiliar de Cozinha - Gisele Garcia: Um sonho que está se realizando. Ano novo, vida nova.




Repórter Pablo Mundin: Cada unidade tem 49 metros quadrados, distribuídos em dois quartos, sala e cozinha. Reportagem, Pablo Mundin.




Gabriela: E lá em Fortaleza a entrega foi feita para 560 famílias.




Nasi: Uma iniciativa histórica e um presente de Natal para centenas de pessoas que sonhavam com a casa própria.




Gabriela: A repórter Raíssa Lopes acompanhou a emoção de realizar um sonho.




Repórter Raíssa Lopes: Num cômodo com menos de 20 metros quadrados a cama de casal divide espaço com o fogão e a geladeira. Banheiro não existe ali. É assim que a dona de casa Adriana da Silva e seus três filhos vivem. Eles moram no bairro Barroso, em Fortaleza. A região fica na faixa de alagamento do Rio Cocó e é considerada de alto risco.




Dona de Casa - Adriana da Silva: O Samuel dorme na rede, a Adrielle dorme no colchão e a neném dorme mais eu na cama. É apertado porque é pequena a casa, né?




Repórter Raíssa Lopes: Mas a família dela e outras 560 estão prestes a deixar para trás a violência, as enchentes e o mau cheiro. É que elas foram beneficiadas com novas moradias pelo Programa Minha Casa, Minha Vida sem pagar nada mais por isso.




Dona de Casa - Adriana da Silva: A gente vai tomar banho no banheiro, tem o chuveiro. No meu quarto eu vou ter a privacidade e o das crianças, né? A gente chega a sonhar indo para o apartamento já.




Repórter Raíssa Lopes: Outro que também está ansioso para entrar na casa nova é Jefferson de Lima. Casado com Jane Rodrigues, eles têm dois filhos e também deixarão o bairro Barroso para trás.







Entrevistado - Jefferson de Lima: Eu fiquei praticamente no aberto. Naquele frio danado, a chuva pegando em mim. Dormia com goteira na cara. Então, este foi um período muito ruim que eu digo: "Rapaz, um dia eu vou vencer, um dia eu saio daqui, um dia eu consigo um lugar melhor". E eu acho que esse dia chegou.




Repórter Raíssa Lopes: As casas fazem parte da segunda etapa do Residencial José Euclides Ferreira Gomes. A terceira etapa deve ser entregue em janeiro do próximo ano. De Fortaleza, no Ceará, Raíssa Lopes.




Nasi: E, além de casais, têm também obras para melhorar a qualidade de vida de muita gente.




Gabriela: O presidente Michel Temer liberou, hoje, R$ 1,5 bilhão para obras de saneamento no estado do Paraná.




Nasi: Os recursos fazem parte do Programa Saneamento para Todos.




Gabriela: Outros R$ 2 bilhões devem ser liberados até o final do mês para obras de esgoto e abastecimento de água em todo o país.




Repórter Luana Karen: Água encanada, esgoto tratado e lixo no lugar certo. As obras de saneamento básico em 57 municípios do Paraná ganharam um reforço de R$ 1,5 bilhão. Beto Richa, governador do Paraná, fala sobre os investimentos em saneamento no estado.




Governador do Paraná - Beto Richa: R$ 1,5 bilhão. É a maior liberação no país e a maior que o Governo Federal já fez para o estado do Paraná. Isso vai possibilitar novas obras em todas as regiões do território paranaense.




Repórter Luana Karen: Até o final do ano, outros R$ 2 bilhões vão ser destinados a obras de saneamento em todo o país, totalizando, em 2017, R$ 6 bilhões em investimentos no setor por meio do Programa Saneamento para Todos. Segundo o presidente Michel Temer, o recurso vai financiar medidas que acabam por melhorar as condições de saúde e de qualidade de vida da população.




Presidente Michel Temer: Eu fico muito impressionado, como os senhores e as senhoras certamente ficam, quando verifico as reportagens referentes à falta de saneamento do país. É incrível. O percentual que nós temos de áreas saneadas é mínimo. E isto, volto a dizer, envolve a questão da saúde. Então, neste ano, a economia crescendo, a arrecadação cresce, a arrecadação crescendo nós temos recursos para praticar atos tal como aquele que hoje nós estamos aqui praticando. E quero dedicar muito desses recursos para o saneamento no país.




Repórter Luana Karen: O presidente também fez um balanço das medidas adotadas desde que assumiu o governo, como a renegociação das dívidas dos estados e o repasse de R$ 2 bilhões para que os municípios possam fechar as suas contas. Reportagem, Luana Karen.




Gabriela: 19h11 no horário brasileiro de verão.




Nasi: Você vai ouvir ainda nesta edição.




Gabriela: Assinada a nova base curricular que unifica o ensino em todas as escolas do país.




Nasi: E atenção, motorista: valor do seguro DPVAT fica mais barato no ano que vem.




Gabriela: Ele está nas canções de Luiz Gonzaga, na literatura de João Guimarães Rosa.




Nasi: É. É o Velho Chico, que nasce na Serra da Canastra, em Minas Gerais, segue pelo território mineiro e atravessa a Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, até desembocar no mar.




Gabriela: E é por causa da sua grande importância que suas bacias hidrográficas vão ser as primeiras a receber recursos vindos da compensação de multas ambientais.




Repórter Gabriela Noronha: As primeiras áreas beneficiadas com a conversão de multas ambientais representam a caixa d'água do Velho Chico. Segundo o governo, foram escolhidas oito sub-bacias do São Francisco, que correspondem a quase 70% das águas que chegam ao rio. Também farão parte do programa áreas em processo de desertificação da bacia do Rio Parnaíba. De acordo com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, a escolha levou em conta a importância dessas nascentes em meio a um período de seca.




Ministro do Meio Ambiente - Sarney Filho: O Nordeste passa por sua pior seca da história. São Francisco é o rio da integração nacional, é o rio que tem a transposição para o Nordeste, e se a gente não cuidar da recarga do rio, da água, hoje a gente não deve pensar só na qualidade da água, tem que pensar também na quantidade.




Repórter Gabriela Noronha: A medida que prevê tome a conversão de multas ambientais foi lançada em outubro e oferece descontos de até 60% para empresas devedoras. Segundo a presidente do Ibama, Sueli Araújo, o governo espera captar mais de R$ 1 bilhão com os acordos que devem ser fechados nos próximos seis meses. Sueli explica que o decreto traz rigor na conversão das multas e que exige a restauração da área degradada.




Presidente do Ibama - Sueli Araújo: Esse novo decreto, ele é muito mais rigoroso ambientalmente falando. Por quê? Ele fala: "Autuado, o seu dano você tem que recuperar". Isso é uma obrigação na esfera civil.




Repórter Gabriela Noronha: O ministro Sarney Filho anunciou, ainda, o repasse de R$ 10 milhões para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás. O parque, de 175 mil hectares, teve quase 30% da área devastada por um incêndio este ano. O dinheiro está disponível graças a uma medida provisória que libera recursos para compensação ambiental. Reportagem, Gabriela Noronha.




Nasi: O Programa Avançar Parcerias já transferiu para a administração da iniciativa privada 70 empreendimentos.




Gabriela: De acordo com o governo, as concessões melhoraram a qualidade dos serviços prestados e deram origem a investimentos, que geraram emprego e renda.




Nasi: O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, fez hoje um balanço do programa.




Gabriela: O repórter João Pedro Neto acompanhou e traz, ao vivo, as informações. Boa noite, João Pedro.




Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. Bom, criado para fazer a coordenação dos investimentos em infraestrutura por meio de parcerias entre o poder público e a iniciativa privada, o Programa Agora é Avançar Parcerias já concedeu à iniciativa privada quase metade dos 145 projetos qualificados em um ano e meio. São 70 empreendimentos nas áreas de portos, aeroportos, energia, óleo e gás que vão gerar R$ 142 bilhões em investimentos nos próximos anos. Ao fazer um balanço das ações do programa, o ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco, destacou os resultados positivos e disse que para o ano que vem o governo vai dar atenção especial às ferrovias.




Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República - Moreira Franco: Se nós tivemos um excelente resultado nos aeroportos, se nós tivemos um excelente resultado nos portos, nós precisamos esse ano que vem nos dedicar para a questão ferroviária. O Brasil não pode mais continuar com o sistema ferroviário que tem. O dano que isto causa à nossa principal sustentação econômica, que é o agrobusiness, é brutal. Então, nós temos que ter um compromisso com o país e esse compromisso agora é mobilizar toda a nossa capacidade de trabalho, de força, de criatividade, de liderança, para que nós possamos destampar esta perseguição, vamos dizer assim, que nos impede de ter uma estrutura ferroviária no Brasil.




Repórter João Pedro Neto (ao vivo): O Governo Federal também anunciou nessa quarta-feira a criação de um selo de qualidade para a concessão de projetos em infraestrutura. A ideia é melhorar o controle e dar mais qualidade e agilidade aos estudos e projetos e maior transparência aos processos de concessões. Ao vivo, João Pedro Neto.




Nasi: Escolas públicas e particulares de todo o país agora tem um currículo básico a seguir na hora de ensinar crianças e adolescentes.




Gabriela: É a Base Nacional Comum Curricular, assinada hoje pelo governo.




Repórter Pablo Mundim: A Base Nacional Comum Curricular define todas as etapas de ensino da educação básica no Brasil. Até ser assinada nesta quarta-feira, foram realizadas centenas de audiências por quase quatro anos. Professores e especialistas em educação participaram da elaboração do documento, que unifica todo o ensino nas escolas públicas e particulares. Para ajudar municípios, estados e o Distrito Federal a colocar em prática a base, o governo vai liberar R$ 100 milhões. Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, a nova base vai dar oportunidades iguais a todos os estudantes do país.




Ministro da Educação - Mendonça Filho: Eu creio que o que se estabelece a partir dessa base curricular coloca o Brasil no mesmo patamar, do ponto de vista de base curricular, das principais nações do mundo também. E mais: garante o mesmo tratamento para um filho de um pobre, de uma família pobre, para uma família de classe média.




Repórter Pablo Mundim: O presidente Michel Temer disse que o governo promove inúmeras reformas e modernizações, como a do ensino médio, e que a nova base torna mais claro o que as crianças e adolescentes devem aprender nas escolas.




Presidente Michel Temer: A base curricular é a bússola de nossas escolas, indica com precisão em que direção caminhar. E, por isso mesmo, agora nós temos mais clareza quanto às competências que nossas crianças devem desenvolver ao longo da vida escolar.




Repórter Pablo Mundim: Todas as escolas devem por em prática a Base Nacional Comum Curricular até 2020. Reportagem, Pablo Mundim.




Nasi: E como professores e diretores estão recebendo esta nova base e qual vai ser o impacto no ensino?




Gabriela: Nossa reportagem foi até uma escola no Distrito Federal para saber.




Repórter Eduardo Biagini: Uma das principais mudanças aprovadas na Base Nacional Comum Curricular é que a alfabetização das crianças deve ser concluída até o segundo ano do ensino fundamental e não mais até o terceiro ano. Pela primeira vez o Brasil tem uma Base Nacional Comum Curricular para o ensino fundamental. O documento define quais conteúdos as escolas públicas e particulares de todo o país devem ensinar aos estudantes de 4 a 14 anos. A base é um importante instrumento para unificar o ensino no país. É o que afirma Mônica Neves, diretora de uma escola pública em Taguatinga, no Distrito Federal.




Diretora de Escola Pública - Mônica Neves: Um país que fala a mesma língua tem que ter a mesma unidade. Língua portuguesa, matemática e ciências têm que ter um ponto chave, um ponto comum que favoreça esse aluno. E claro que as outras disciplinas, elas podem valorizar e tem que valorizar a cultura do local. Nós somos muito soltos hoje e a base comum veio para quê? Para unificar isso.




Repórter Eduardo Biagini: Para a professora de geografia da escola de Taguatinga, Ivani Lima, ao criar um padrão de ensino a base vai ajudar alunos que mudam de escola e cidade durante o ano letivo.




Professora - Ivani Lima: O aluno que a gente recebe hoje, ele vai começar a ter o mesmo desenvolvimento que os que a gente já tem em sala de aula. O de sala de aula não vai voltar com o conteúdo que o nosso aluno que está chegando não sabia, né, anteriormente. Agora ele vai conseguir se desenvolver no mesmo nível.




Repórter Eduardo Biagini: O documento também inclui o ensino religioso no currículo das escolas. Para o coordenador pedagógico, José Fernandes, este conteúdo não vai impor uma religião específica.




Coordenador Pedagógico - José Fernandes: O aluno vai ter conhecimento, vai passar a entender melhor e não vai se falar, discutir religião, vamos dizer assim, mas ele vai conhecer as origens das estruturas filosóficas que norteiam a humanidade.




Repórter Eduardo Biagini: Todas as escolas devem adaptar e rever os currículos no ano que vem para iniciar a implementação da base em 2019 e concluir o processo até 2020. Com locução de Eduardo Biagini, Reportagem, Cleide Lopes.




 "Trânsito - Atenção, motorista".




Nasi: Quem tem carro sabe: início de ano é período de pagar contas como o Seguro DPVAT.




Gabriela: Donos de carros, táxis, ônibus, caminhões, reboques e motocicletas são obrigados a pagar essa taxa.




Nasi: Mas aí vem a boa notícia: o Conselho Nacional de Seguros Privados decidiu reduzir o valor do seguro, que deve ser 35% menor no ano que vem.




Repórter Carolina Rocha: Maria do Rosário Fonseca, de Sete Lagoas, em Minas Gerais, que utiliza o carro todos os dias para ir ao trabalho e buscar os filhos na escola, ficou feliz por pagar menos pelo Seguro DPVAT. A microempresária acredita que qualquer alívio nas contas é válido, ainda mais no início do ano.




Microempresária - Maria do Rosário Fonseca: Nossa, eu achei bom demais saber que vai diminuir 35% do DPVAT. Ainda mais, assim, a gente tem muita despesa em fim de ano. Mesmo com o 13º qualquer ajuda assim já vale, né?




Repórter Carolina Rocha: O estudante Renan Ribeiro também depende do carro para cumprir as atividades diárias em Brasília, no Distrito Federal, e gostou da novidade.




Estudante - Renan Ribeiro: Eu acho muito bom esse desconto, com certeza alivia aí na carga que isso representa no início do ano.




Repórter Carolina Rocha: O DPVAT cobrado por carros de passeio que custou aproximadamente R$ 63, em 2017, vai passar para cerca de R$ 42, já em 2018. A estimativa é que o total da arrecadação nacional do DPVAT no ano que vem chegue a mais de R$ 4 bilhões, como explica o superintendente Joaquim Mendanha, da Superintendência de Seguros Privados, Susep.




Superintendente da Susep - Joaquim Mendanha: Vai ter um faturamento em torno de R$ 4,745 bilhões: 45% desse valor vai para o SUS, 5% vai aí para o Denatran, o restante é alocado para pagamentos de sinistros, despesas administrativas, e a lucratividade, a margem de resultado da companhia, que continua em 2%.




Repórter Carolina Rocha: A redução de 35% vai abarcar todas as categorias que pagam DPVAT, menos a nº 9, que inclui motocicletas e motonetas, por causa do número elevado de acidentes com esse tipo de veículo. Reportagem, Carolina Rocha.




Gabriela: E uma nova lei que aumenta a pena para o motorista alcoolizado que provocar acidente com morte foi publicada hoje no Diário Oficial da União.




Nasi: A punição para o crime passa a ser de cinco a oito anos de prisão. A anterior previa a pena máxima de quatro anos.




Gabriela: A nova pena também vale para os motoristas que estiverem sob o efeito do álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que cause dependência, como LSD ou cocaína.




Nasi: E a nova lei entra em vigor em 120 dias.




Gabriela: Durante todo este ano, mais de 43 mil armas de fogo e 300 mil munições foram destruídas no estado do Rio de Janeiro.




Nasi: Somente hoje, o Exército Brasileiro e o Conselho Nacional de Justiça eliminaram 2 mil armas.




Gabriela: O armamento foi aprendido por agentes de segurança ou recolhido durante a Campanha do Desarmamento.




Nasi: A ação faz parte de um acordo assinado em novembro entre o Exército e o Conselho Nacional de Justiça para agilizar a destruição de armas de fogo apreendidas.




Gabriela: A partir de agora, as rodoviárias de todo o país vão ter que divulgar em cartazes o Programa Identidade Jovem do Governo Federal.




Nasi: Com o programa, jovens de baixa renda têm o direito de retirar a chamada ID Jovem, que garante benefícios como vagas gratuitas em transporte coletivo interestadual ou 50% de desconto no valor das passagens.




Gabriela: Além disso, a Identidade Jovem assegura meia-entrada em shows, eventos esportivos e artísticos, culturais.




Nasi: Tem direito ao documento jovens de 15 a 29 anos, e com renda familiar de até dois salários mínimos, inscrito no Cadastro Único.




Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.




Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.




Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.




Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.




Gabriela: Boa noite para você e até amanhã.




"Brasil, ordem e progresso".