21 de março de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Taxa de juros cai mais uma vez. E chega a menor da história. E presidente Michel Temer faz balanço positivo da economia, com queda dos juros e da inflação. Sobre segurança, destaca novos recursos, criação do ministério e a intervenção no Rio de Janeiro. Divulgados cronograma e novas regras do Enem. E neste ano os estudantes vão ter um tempinho a mais para fazer a prova. E vamos dar os detalhes da queda de energia que ocorreu na tarde de hoje em algumas cidades do país.

audio/mpeg VOZ210318.mp3 — 45110 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 21 de março de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Taxa de juros cai mais uma vez.

 

Nasi: E chega a menor da história. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Banco Central reduz 0,25% da taxa Selic. Daqui a pouco eu volto com mais informações.

 

Gabriela: E presidente Michel Temer faz balanço positivo da economia com queda dos juros e da inflação.

 

Nasi: Sobre segurança, destaca novos recursos, criação do Ministério e a intervenção no Rio no Janeiro.

 

Presidente Michel Temer: Eu, como presidente da República, eu garanto que não pouparemos esforços para trazer tranquilidade de volta às nossas cidades.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Divulgados cronograma e novas regras do Enem.

 

Gabriela: E neste ano, os estudantes vão ter um tempinho a mais para fazer a prova. Cleide Lopes.

 

Repórter Cleide Lopes: Neste ano, os candidatos que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio terão 30 minutos a mais para fazer a prova do segundo dia.

 

Nasi: E vamos dar os detalhes da queda de energia que ocorreu na tarde de hoje em algumas cidades do país.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: E agora pouco terminou mais uma reunião do Comitê de Política Monetária, o Copom.

 

Nasi: E o Conselho decidiu baixar ainda mais a taxa de juros. A repórter Raquel Mariano está aqui com a gente no estúdio e tem as informações sobre essa decisão. Boa noite, Raquel. Foi mais uma queda histórica, não é isso?

 

Repórter Raquel Mariano (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Isso mesmo. O Copom, do Banco Central, acabou de divulgar a nota básica de juros, a Selic. Foi um corte de 0,25%. É a menor taxa da história. Isso significa que os juros saem dos atuais 6,75% para 6,5% ao ano. Mas o que essa medida interfere na nossa vida? Essa taxa é uma referência para o custo de crédito no Brasil. Eu conversei agora pouco com o economista professor da FGV Rogério Mori, que me explicou a importância da queda desses juros.

 

Economista - Rogério Mori: Como isso é a taxa mais baixa, que ele tem, as variações nessa taxa vão refletir nas demais taxas praticadas pelos bancos. Então, quando essa taxa cai, significa que fica mais barato para o banco se financiar por um dia. Então ele vai, em algum momento, repassar essa redução dessa taxa para as taxas praticadas na ponta do empréstimo, pode ser pessoa física, pessoa jurídica, então pode ser cheque especial, cartão de crédito.

 

Gabriela: E, Raquel, conforme o professor falou, os juros dos bancos para os consumidores devem cair. E algum banco já anunciou esse corte?

 

Repórter Raquel Mariano (ao vivo): Sim, Gabriela, alguns bancos já anunciaram a redução, viu? O Banco do Brasil, por exemplo, disse, em nota, que, a partir de segunda-feira, o parcelamento do cartão de crédito já terá um juro mais baixo. Outro banco privado também já anunciou, e isso é o só começo, depois dessa decisão do Copom.

 

Nasi: E Raquel, o presidente Michel Temer comentou essa queda da Selic, não foi?

 

Repórter Raquel Mariano (ao vivo): Pois é. Pelas redes sociais, o presidente disse que a sua política econômica está fazendo história com essa queda da Selic, a menor já registrada. O presidente afirma que é graças à inflação, que continua baixando, e que esse resultado é mais investimento das empresas e mais empregos e maior consumo das famílias. Agora é com vocês.

 

Gabriela: Obrigada, Raquel, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: E a economia brasileira foi um dos principais temas da reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social realizada em Brasília hoje.

 

Gabriela: O Conselho é um espaço onde o Governo discute propostas e sugestões da sociedade civil em diversas áreas.

 

Nasi: O presidente Michel Temer participou da reunião e anunciou o que considerou uma boa notícia para o país e também para a nossa economia.

 

Gabriela: Pois é, Nasi. O presidente afirmou que o Governo dos Estados Unidos ainda não vai sobretaxar o aço e o alumínio exportados pelo Brasil. Vai ser aberta uma negociação antes.

 

Repórter Paulo La Salvia: No começo deste mês de março, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que aumentaria as taxas de importação do aço e do alumínio. A medida foi criticada por vários países, incluindo o Brasil, um dos principais vendedores dos produtos para os Estados Unidos. Das 15 milhões de toneladas de aço exportadas ao mundo no ano passado, 35% foram para o mercado norte-americano. E nesta quarta-feira o presidente Michel Temer afirmou que as novas taxas anunciadas por Trump ainda vão ser negociadas entre os dois países antes de serem aplicadas.

 

Presidente Michel Temer: Estou vendo agora uma declaração, feita pela Casa Branca, de que o Brasil é um dos países com quem começarão as negociações, visando a eventuais exceções às tarifas sobre importação de aço e alumínio. As novas tarifas, mensagem da Casa Branca, não se aplicarão enquanto estivermos conversando sobre o tema. Portanto uma boa notícia.

 

Repórter Paulo La Salvia: O presidente Michel Temer também fez um balanço do Governo na área econômica, durante a reunião do Conselho. Queda da inflação e juros baixos foram citados por Temer, além da responsabilidade fiscal. O ministro da Fazenda foi na mesma linha. Henrique Meirelles disse que os investimentos em máquinas e equipamentos aumentaram 24% na comparação do segundo semestre em relação ao primeiro semestre do ano passado. E o consumo das famílias de bens duráveis, como veículos, por exemplo, subiu mais de 17% no mesmo período. Para Meirelles, isso significa um crescimento forte.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Nós estamos agora vivendo um ciclo mais longo de crescimento, devido ao fato de que isso está sendo sustentado por aumento de investimentos e aumento de consumo de duráveis, e, principalmente, por ganhos de produtividade, e não uma bolha insustentável de consumo.

 

Repórter Paulo La Salvia: Os representantes do Governo valorizaram o diálogo com a sociedade, que tem sido feito por meio do Conselho. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, citou alguns avanços, como a melhoria na simplificação de registros e legalização de empresas.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Os municípios do Rio de Janeiro e de São Paulo, que tinham mais de cem dias como meta para poder abrirmos um negócio, nós temos agora o tempo caído para menos de oito dias.

 

Repórter Paulo La Salvia: O levantamento apontou que 65% das propostas feitas pelos conselheiros no ano passado foram implementadas e quase 30% estão sendo feitas. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Nasi: E durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, destacou outros avanços sugeridos pelos conselheiros e que foram implementados pelo Governo.

 

Gabriela: Segundo o ministro, sugestões para facilitar a vida do cidadão, que a partir de agora pode conseguir alguns documentos sem sair de casa, tudo pela internet.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Habilitação de motorista, já se faz hoje digitalmente, o Sine Fácil, a informatização do programa Passe Livre interestadual e o INSS digital, em que se pode buscar a aposentadoria por idade, já por meio digital, sem sair de casa. Isso é avanço, que nós conseguimos em tão pouco tempo e que nós estamos trabalhando com o governo digital do presidente Michel Temer.

 

Nasi: Já na área de educação, o ministro da Casa Civil cita como sugestões acatadas pelo Governo a inclusão digital das escolas e o investimento para melhorar a qualificação dos professores.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Nós temos o investimento de R$ 1 bilhão para a criação, em 2018, de 340 mil vagas de formação de professores. Foi lançado o programa de Gestão para Educação Municipal, GEM, com o objetivo de apoiar a formação continuada dos dirigentes e técnicos municipais de todo o país. Lançada a Política de Inovação na Educação Conectada, que irá universalizar o acesso à internet de alta velocidade nas escolas, incentivar a formação de professores para práticas pedagógicas.

 

Gabriela: E a segurança pública também foi discutida no Conselho.

 

Nasi: O Governo destacou as ações que vem tomando na área, como criação de um ministério, a intervenção federal na segurança no Rio de Janeiro e liberação de mais recursos para o combate ao crime.

 

Repórter João Pedro Neto: Ministro da pasta criada para cuidar dessa área, Raul Jungmann apresentou um diagnóstico da violência no país, ao mostrar números como as mais de 60 mil mortes violentas em 2016. E anunciou que o Governo vai editar nos próximos dias uma medida provisória para integrar ações na área de segurança, entre Governo Federal, estados e municípios.

 

Ministro Extraordinário da Segurança Pública - Raul Jungmann: Os recursos estarão à disposição, desde que os estados e os municípios assumam contratos de gestão, assumindo metas em termos de redução de homicídios, metas em termos de cursos de formação, enfim, assumam uma contrapartida, porque esse é o papel da União Federal, a indução de políticas.

 

Repórter João Pedro Neto: O ministro da Segurança Pública falou ainda sobre a questão prisional. Disse que, apesar do aumento de vagas nas penitenciárias, o déficit tem crescido, e defendeu a aplicação de penas alternativas eficientes, para crimes mais brandos. O presidente Michel Temer falou sobre a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro e confirmou a verba de R$ 1 bilhão a ser destinada para as ações no estado. Michel Temer também destacou a prioridade que o Governo vem dando à segurança, ao lembrar a criação de um ministério para cuidar especificamente da área.

 

Presidente Michel Temer: A União Federal sempre achou que devia ficar fora disso, ao fundamento de que a matéria compete aos estados. De fato, o trato da segurança pública é competência básica dos estados federados, mas o que nós almejamos com essa criação é uma integração e coordenação de toda a segurança pública no país.

 

Repórter João Pedro Neto: Os conselheiros apresentaram sugestões ao Governo na área, como o descontingenciamento do orçamento da segurança pública, para investimento, prevenção e investigação de crimes contra a vida, principalmente das populações mais afetadas pela violência. A conselheira Luzia Laffite falou que segurança pública depende de ações integradas em várias áreas.

 

Conselheira - Luzia Laffite: Como é que nós podemos falar em segurança pública, em segurança pública se envolve uma universalidade, sem falar, sem deixar de incluir a questão da cidadania, que aí é o aspecto preventivo?

 

Repórter João Pedro Neto: O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, destacou que as recomendações estão em linha com as medidas que o Governo vem adotando.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: Essa necessidade de integração dos serviços de segurança pública é a razão primordial da criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Não nos omitimos diante da situação particularmente grave no Rio de Janeiro. Como se vê, há uma perfeita sintonia entre o que são as sugestões e a posição do Governo, não para o amanhã, mas pelo que já está acontecendo hoje.

 

Repórter João Pedro Neto: Ainda de acordo com os ministros, o Governo está empenhado na criação de leis que ajudem a aperfeiçoar o combate à criminalidade, e criou uma linha de crédito no BNDES de R$ 42 bilhões para estados e municípios financiarem projetos de segurança. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gabriela: 19h12 em Brasília.

 

Nasi: Atenção, estudantes.

 

Gabriela: Daqui a pouquinho vamos dar todos os detalhes sobre o cronograma e novas regras do Enem 2018.

 

Nasi: Os candidatos vão ter um tempinho a mais para fazer a prova.

 

Gabriela: Uma queda na energia elétrica deixou hoje alguns estados das regiões Norte e Nordeste sem luz.

 

Nasi: A jornalista Alessandra Bastos está aqui no estúdio e conta para a gente como está a situação neste momento e o que aconteceu. Boa noite, Alessandra.

 

Jornalista Alessandra Bastos (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. As causas do desligamento ainda estão sendo investigadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico, o ONS. São eles que cuidam de todo o sistema interligado brasileiro e divulgaram uma nota agora há pouco informando que aconteceu o seguinte: Como o sistema elétrico brasileiro é todo interligado, hoje, às 3h48 da tarde, houve uma espécie de pane nesse sistema, e desligou a luz das regiões Norte e Nordeste. Foi para evitar que o restante do país fosse afetado que as regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul foram desconectadas do sistema. Meia hora depois, às 4h15 da tarde, já havia sido realizada a recomposição de praticamente toda a carga nessas três regiões, Sul, Sudeste e Centro-Oeste. E neste momento, Nasi e Gabriela, as equipes do ONS, o Operador Nacional do Sistema Elétrico, estão trabalhando no retorno da energia elétrica do Norte e Nordeste, que, aos poucos, já está sendo restabelecida. Segue com vocês.

 

Gabriela: Obrigada, Alessandra, pelas informações. E a gente aqui na Voz do Brasil segue acompanhando esse assunto.

 

"Defesa do Brasil! Defesa do Brasil! Defesa do Brasil!".

 

Nasi: O esporte pode se tornar grande aliado no combate à pobreza e à violência.

 

Gabriela: Com esse objetivo, o programa Forças no Esporte, que conta com apoio do Ministério da Defesa, oferece no contraturno da escola atividades culturais, esportivas e de reforço escolar às crianças.

 

Nasi: No Rio de Janeiro, por exemplo, o programa vai receber mais recursos, para que ainda mais crianças possam ser atendidas.

 

Repórter Marina Melo: Unidades militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica abrem espaço para que crianças e adolescentes possam praticar atividades físicas e fazer suas tarefas de casa quando não estão na escola. Assim funciona o Profesp, Programa Forças no Esporte, que, por intermédio da Secretaria Nacional da Juventude, contará com mais recursos, na ordem de R$ 6 milhões, para expandir suas atividades. O investimento será usado na melhoria de infraestrutura de cozinhas, equipamentos e instalações esportivas, além da compra de uniformes, material, contratação de professores e monitores e alimentação dos alunos, como explica o secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto, do Ministério da Defesa, Brigadeiro Ricardo Machado.

 

Secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto - Brigadeiro Ricardo Machado: A nossa intenção é cada vez mais aumentar o número de crianças que participam desse programa, haja vista, por exemplo, o Rio de Janeiro, que nós estamos, por conta dessas atividades de garantia da lei e da ordem, nós estamos ampliando também no Rio de Janeiro. Mas enfim, é importante ter ação em todo o Brasil. Existem soluções possíveis de nós alcançarmos esses objetivos, ou seja, a nossa meta é cada vez ela ser a ampliação do Profesp.

 

Repórter Marina Melo: Este ano, como parte da medida de um pacote social, foram iniciadas atividades do Profesp nas áreas de atuação das operações de garantia da lei e da ordem no Rio de Janeiro. A medida integra as ações emergenciais em apoio ao estado, que enfrenta uma crise na área de segurança pública e conta atualmente com uma intervenção federal. Além da questão da segurança, as ações também passam pela questão social, levando serviços e a presença do Estado para dentro das comunidades. O porta-voz do Comando Conjunto das Operações, Coronel Carlos Cinelli, explica que parte desse trabalho já foi levada à Vila Kennedy, e destaca a importância desse esforço.

 

Porta-voz do Comando Conjunto das Operações - Coronel Carlos Cinelli: A diminuição dos índices de criminalidade e a percepção de segurança estão diretamente relacionados à possibilidade que o estado tem, aí entendidos os entes nos níveis estadual e municipal, em particular, de acorrerem à comunidade e prestarem os seus serviços, impedindo que as organizações criminosas substituam esses entes legítimos na prestação desse serviço.

 

Repórter Marina Melo: Presente em todos os estados do país, atualmente mais de 24 mil crianças são beneficiadas pelo Profesp. No Rio de Janeiro, somente nas áreas de atuação pela garantia da lei e da ordem, já são mais de 3 mil crianças participando de atividades em unidades militares das Forças Armadas. Reportagem, Marina Melo.

 

Gabriela: Candidatos do Enem 2018 vão ter mais tempo para fazer as provas de exatas, entre elas a de matemática.

 

Nasi: E este ano, também mudam as regras para isenção da taxa do exame.

 

Gabriela: É que, nas últimas cinco edições, o Governo teve um prejuízo de R$ 1 milhão com estudantes que pediram o benefício e não compareceram para fazer as provas.

 

Nasi: O edital com as regras foi publicado hoje pelo Ministério da Educação. As inscrições para o exame serão abertas em maio.

 

Repórter Cleide Lopes: Neste ano, os candidatos que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, terão 30 minutos a mais para fazer a prova do segundo dia, que reúne conteúdos de ciências da natureza e matemática, de acordo com o edital da prova, publicado nesta quarta-feira, no Diário Oficial da União. Para o ministro da Educação, Mendonça Filho, o prazo maior atende uma antiga reivindicação dos candidatos.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: A ampliação do prazo de aplicação em mais 30 minutos significa, na prática, um atendimento a uma grande demanda dos estudantes que se submeterão ao Enem 2018.

 

Repórter Cleide Lopes: A novidade agradou bastante os candidatos. O estudante Pedro Meriguetti diz que isso vai aumentar a pontuação.

 

Estudante - Pedro Meriguetti: O Enem 2017, eu parei para olhar a prova de matemática, eu deixei de fazer umas dez questões por falta de tempo. Isso vai ser muito bom para aumentar mesmo a nota.

 

Repórter Cleide Lopes: Para o coordenador preparatório de um cursinho em Brasília, onde cerca de 4,2 mil alunos vão fazer o exame, meia hora a mais vai representar um ganho importante para os alunos.

 

Coordenador preparatório de cursinho: Tivemos esse aumento de meia hora, algo que possibilita resolver, ali, em tese, pelo menos dez questões a mais do que ele fez no mesmo tempo, no certame anterior.

 

Repórter Cleide Lopes: Mas as novidades do Enem 2018 não param por aí. A data de solicitação de isenção da taxa passa a ser separada da data de inscrição. Para evitar prejuízos aos cofres públicos com as isenções, estudantes que fizeram o pedido do benefício em 2017 e não compareceram às provas terão que se justificar, como explica a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, Inep, Maria Inês Fini.

 

Presidente do Inep - Maria Inês Fini: Uma vez que ele obteve a isenção em 2017 e não compareceu, ele deverá apresentar a justificativa de ausência. Deverá apresentar a justificativa oficial: boletim de ocorrência, laudo médico, todas as justificativas oficiais. Não se aceitará autodeclaração que justifique ausência.

 

Repórter Cleide Lopes: As inscrições para o Enem deverão ser feitas entre os dias 7 e 18 de maio. As provas serão realizadas em dois domingos seguidos, nos dias 4 e 11 de novembro. Todas as informações sobre o Exame Nacional do Ensino Médio estão disponíveis no portal do Inep, no www.enem.inep.gov.br. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: 19h20 em Brasília.

 

"Fórum Mundial da Água - Compartilhando ideias e soluções".

 

Nasi: Recuperar nascentes pode aumentar a quantidade e a qualidade da água.

 

Gabriela: E mais que isso, Nasi, melhora a agricultura, a produção de alimentos e enche reservatórios que abastecem a cidade.

 

Nasi: Então vamos conhecer uma ação importante, reconhecida pelas Nações Unidas e que cuida de nascentes no Sul do país, onde a água se transforma em energia elétrica.

 

Gabriela: Projeto que foi apresentado hoje no Fórum Mundial da Água.

 

Repórter Pablo Mundim: É da pequena cidade de São José das Palmeiras, no Paraná, que uma iniciativa tem comprovado que é possível usar a água de forma racional. Com escavadeiras do programa Cultivando Água Boa, da Usina Hidrelétrica de Itaipu, seu Quirino Kesler ganhou o apelido de Indiana Jones das nascentes. Em 2009, a cidade passou por um período de seca. Desde então, o Indiana Jones paranaense já recuperou 82 nascentes, com resultado na fauna e flora e até mesmo na agricultura e produção de alimentos. O trabalho se tornou referência, não só na região, mas para outros países também.

 

Entrevistado - Quirino Kesler: Eu tenho recebido muitas comitivas da região, do estado também e várias comitivas internacionais, da Guatemala, das Nações Unidas, aí o próprio ministro do Meio Ambiente agora no final do ano também passou lá.

 

Repórter Pablo Mundim: Outros 53 municípios da região oeste do Paraná e de Mato Grosso do Sul também fazem parte do programa Cultivando Água Boa da Itaipu, que recupera bacias do Rio Paraná com plantio de vegetação e preservação de microbacias. O Paraná é a principal fonte de energia da usina que abastece Brasil e Paraguai. A gerente de Divisão de Educação Ambiental da Itaipu, Leila Alberton, veio ao 8º Fórum Mundial da Água mostrar a iniciativa e falar dos resultados.

 

Gerente de Divisão de Educação Ambiental da Itaipu - Leila Alberton: Depois que o programa foi criado, teve um trabalho muito forte de recuperação de nascentes e de matas ciliares. Então, além de ter a quantidade de água melhorada, nós também temos a qualidade de água e aumentou o IDH dos municípios. Então, isso já comprova que um trabalho com responsabilidade, ele dá certo.

 

Repórter Pablo Mundim: Além do Rio Paraná, várias bacias brasileiras possuem projetos de recuperação. A ideia agora é aumentar ainda mais este trabalho. A Larissa Rosa, analista ambiental do Ministério do Meio Ambiente, defende a criação de um programa nacional, para todo o país, de revitalização das bacias hidrográficas.

 

Analista ambiental - Larissa Rocha: A ideia é ir chamando toda a sociedade para a construção coletiva de um programa nacional de revitalização.

 

Repórter Pablo Mundim: Mais de 50 mil pessoas, de 150 países, já passaram pelo Fórum, que ocorre até sexta-feira, em Brasília. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: E uma última informação sobre a queda de energia agora à tarde em vários estados do Norte e Nordeste do país. O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico, Luiz Eduardo Barata Ferreira, fala neste momento com a imprensa de todo o Brasil.

 

Gabriela: E ele explicou que praticamente todos os estados das regiões Nordeste e Norte foram afetados, com exceção do Acre e Rondônia.

 

Nasi: Mas que praticamente 100% da região Norte e 50% da região Nordeste já estão com a energia elétrica restabelecida.

 

Gabriela: E estas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".