23 de fevereiro de 2018

Destaques da Voz do Brasil: É hora de começar a preparar os documentos. Dia 1º de março começa o prazo para declaração do Imposto de Renda. Bandeira na conta de energia continua verde. Pequenos empreendedores podem contar com uma mãozinha para alavancar os negócios. O programa Inovativa Brasil está com inscrições abertas.

audio/mpeg VOZ230218.mp3 — 46893 KB




Transcrição


Apresentador Luciano Seixas: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Luciano: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018.

 

Luciano: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: É hora do começar a preparar os documentos.

 

Luciano: Dia 1º março começa o prazo para a declaração do imposto de renda. Beatriz Albuquerque.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: O programa para declarar o imposto renda vai estar disponível na página da Receita Federal na internet a partir da segunda-feira, dia 26 de fevereiro.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Luciano: Bandeira na conta de energia continua verde.

 

Gabriela: Pequenos empreendedores podem contar com uma mãozinha para alavancar os negócios.

 

Luciano: O Programa Inovativa Brasil está com inscrições abertas. Paulo La Salvia.

 

Repórter Paulo La Salvia: A meta desta nova edição é capacitar 300 empresas.

 

Gabriela: E também tem inscrições para cursos gratuitos de quantificação para o setor de turismo.

 

Luciano: Hoje na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Luciano Seixas.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Luciano: Começa na semana que vem o prazo para entrega das declarações do imposto de renda.

 

Gabriela: E na segunda-feira já vai ser possível abaixar o programa para o preenchimento da declaração.

 

Luciano: Para este ano tem novidades, como a exigência de CPF para dependentes a partir de oito anos e mais detalhes na hora do declarar bens.

 

Gabriela: Quase 29 milhões de contribuintes devem entregar a declaração.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: O prazo para declarar o imposto de renda ano base 2017 começa na semana que vem, dia 1º de março. Quem for declarar vai encontrar novidades, a partir desse ano é obrigatória a informação de CPF para dependentes com oito anos ou mais. É o que explica Joaquim Adir, supervisor nacional de imposto de renda.

 

Supervisor nacional de imposto de renda - Joaquim Adir: A Receita tem reduzido essa idade, ou melhor, a exigência do CPF dos dependentes, né, para identificar melhor o contribuinte. A partir do próximo ano ele terá que informar de todos seus dependentes e alimentandos.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E quem tiver bens como automóveis ou imóveis vai ter preencher novos campos com mais informações. Para Joaquim Adir, supervisor nacional de imposto de renda, essas mudanças trazem mais segurança ao processo.

 

Supervisor nacional de imposto de renda - Joaquim Adir: Exemplo, o veículo, ele terá que informar o Renavam, o imóvel ele terá que informar o número do registro. Isso é importante que ele preencha nesse ano, mas se ele não preencher ainda não será obrigatório. Sempre identificação de todos os bens do contribuinte leva sempre a um trabalho mais eficiente da Receita.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: O programa para declarar o imposto de renda, vai estar disponível na página da Receita Federal na internet a partir de segunda-feira, dia 26 de fevereiro. A expectativa da Receita é receber cerca de 28,8 milhões declarações e algumas dicas podem evitar problemas na hora de acertar as contas com o leão. A contadora Renata Vanessa Oliveira fala algumas delas.

 

Contadora - Renata Vanessa Oliveira: Atenção ao prazo para recolher documentação com antecedência para, quanto mais cedo, quem declarar primeiro tem ainda vantagem de estar restituindo... fazendo a restituição nos primeiros lotes, quem tem a restituir. E tenha muita atenção à documentação, se você tem todos os informes de rendimentos, de todas as fontes tributáveis e não tributáveis, recolhimento de extratos, verificação dos bens que foram comprados, os bens que foram vendidos, tudo isso tem que entrar na declaração, atentar às despesas médicas, para incluir todas as despesas médicas, despesas escolares.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Precisa declarar imposto de renda quem recebeu no ano passado rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70. Para atividade de rurais o valor é de a R$ 142.798,50. O prazo para a declaração vai até o dia 30 de abril. Quem não declarar vai pagar multa. Reportagem Beatriz Albuquerque.

 

Luciano: A bandeira verde continua pelo terceiro mês consecutivo.

 

Gabriela: Isso significa que as contas de luz não terão custo adicional, a jornalista Alessandra Bastos está aqui no estúdio e traz os detalhes. Boa noite, Alessandra.

 

Repórter Alessandra Bastos (ao vivo): Boa noite, Gabriela, Luciano. Boa noite ouvintes da Voz do Brasil. Seguindo a tendência de janeiro e fevereiro, a conta de luz em março vai continuar sem a cobrança da taxa extra. Com a grande quantidade de chuvas durante o verão, o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas está alto e não vai ser preciso usar as termoelétricas que é, Gabriela, a alternativa mais cara quando não há água suficiente para as hidrelétricas abastecerem todo o país. As bandeiras tarifárias verde, amarela e vermelha são uma forma de dividir com o consumidor os bons e os maus momentos também, né? Quando chove bastante, os níveis de água das hidrelétricas estão altos, não há cobrança extra. Mas quando não tem águia e o custo para se produzir essa energia aumenta, a conta fica mais cara. Agora, com o verão, a água em abundância e contas sem cobrança extra. Com a chegada das chuvas, há três mês consecutivos, desde janeiro, o país opera com a bandeira e verde. E na cor verde não há nenhum acréscimo de cobrança na conta de luz. Mas, atenção, a Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, lembra que é importante continuar combatendo o desperdício. Segue com vocês.

 

Luciano: Um documento que traz informações sobre todos os empregadores e empregados do país.

 

Gabriela: E possibilita que todo trabalhador tenha acesso à licença-maternidade, abono salarial, Fundo de Garantia e outros direitos.

 

Luciano: Essa é a Rais, a Relação Anual de Informações Sociais, que deve ser entregue por todos os empregadores. O prazo neste ano termina em um mês, no dia 23 de março.

 

Repórter Raíssa Lopes: Alessandra tem um escritório de contabilidade. Início de ano é hora de preencher a Relação Anual de Informações Sociais, a Rais, pois sabe o quanto documento é importante.

 

Entrevistada - Alessandra: Faz parte do calendário tributário dela, até para não prejudicar meus funcionários em questão de aposentadoria, de imposto de renda, e até mesmo quem vai receber o PIS. Não podemos deixar de entregar.

 

Repórter Raíssa Lopes: A Rais é a fonte mais completa sobre empregadores e trabalhadores formais no Brasil e deve ser preenchida por quem tem empresas com CNPJ ativo na Receita Federal, estabelecimentos com cadastro específico do INSS e por microempreendedores individuais com empregados. O documento é importante, principalmente para o empregado, pois permite o saque de benefícios trabalhistas, como abono salarial e o seguro-desemprego, como explica o coordenador-geral de Pesquisas e Identificação Profissional e Cadastro de Ministério do Trabalho, Salvador Abrantes Neto.

 

Coordenador-geral de Pesquisas e Identificação Profissional e Cadastro de Ministério do Trabalho - Salvador Abrantes Neto: Sem o envio dessas informações, o empregado pode se sentir prejudicado para fins de seguro-desemprego, abono salarial, e, inclusive, também para contagem de período para fins de aposentadoria.

 

Repórter Raíssa Lopes: Neste ano, com a alteração da lei trabalhista, a Rais tem novos campos a serem completados, são eles: trabalho por tempo parcial, teletrabalho, trabalho intermitente e desligamento por acordo entre empregador e trabalhador. Empregadores que não entregarem ao documento pagam multas que podem chegar a mais de R$ 42 mil. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: E, além de ser importante para o acesso do trabalhador a direitos, a Rais também é fonte de dados para a elaboração de políticas para geração de empregos.

 

Luciano: E esses número apurados nos últimos dez anos mostram que a participação da mulher do mercado de trabalho aumentou, assim como a remuneração.

 

Gabriela: Mas ainda há muito a se fazer para garantir a equidade entre os gêneros. A repórter Raíssa Lopes também foi buscar essas informações e conta para gente como melhorar cada vez mais esse cenário.

 

Repórter Raíssa Lopes: Karen Yoken é engenheira, ao escolher a profissão pensou que fosse encontrar apenas homens em sua sala de aula, mas não foi bem assim. Dos 60 alunos, 25 eram mulheres. Hoje, trabalha na área e coordena oito funcionários, todos do sexo masculino.

 

Engenheira - Karen Yoken: Todos nós sabemos que a capacidade da mulher é a mesma que a de um homem, é deixar de lado aquela imagem de que a mulher, ela é frágil, que ela não consegue estar em algum posto que era considerado anteriormente masculino e ir em frente.

 

Repórter Raíssa Lopes: Dados da Relação Anual de Informações Sociais, a Rais, mostram que a participação das mulheres mercado de trabalho formal cresceu quase 4% de 2007 para 2016. A diferença salarial entre homens e mulheres caiu, passou de 17% para 15%. A analista de políticas sociais do Observatório Nacional do Mercado de Trabalho, do Ministério do Trabalho, Mariana Eugênio, explica alguns dos motivos.

 

Analista de política sociais do Observatório Nacional do Mercado de Trabalho do Ministério do Trabalho - Mariana Eugênio: O aumento do nível de escolaridade das mulheres, a questão a redução da taxa de fecundidade, ou seja, as mulheres estão tendo menos filhos, e fatores relacionados também à maior possibilidade de conciliação entre o trabalho remunerado e os cuidados com a família e os filhos.

 

Repórter Raíssa Lopes: Segundo a Rais, o único setor em que as mulheres são a maioria é a administração pública. Para a Mariana Eugênia, é possível atingir a igualdade com algumas ações.

 

Analista de política sociais do Observatório Nacional do Mercado de Trabalho do Ministério do Trabalho - Mariana Eugênio: Políticas públicas adequadas que impeçam a discriminação no ambiente de trabalho, a qualificação profissional das mulheres, o acesso ao crédito. Então, a gente vê hoje muitas mulheres empreendedoras, mulheres que têm o seu próprio negócio, que são microempreendedoras individuais.

 

Repórter Raíssa Lopes: O Distrito Federal é a única unidade da Federação em que mulheres ganham mais do que homens. São Paulo é o estado com a maior diferença salarial entre os gêneros. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Luciano: Você ouviu ontem, aqui na Voz do Brasil, que o Conselho Monetário Nacional aprovou ampliando e facilitando o crédito fundiário para agricultores familiares.

 

Gabriela: E o conselho também aprovou resolução que facilita a portabilidade de conta salário para a instituições não financeiras e não só bancos tradicionais.

 

Luciano: Essa decisão está em linda com uma agenda do Banco Central para atualizar regras e tornar mais eficiente a prestação de serviços a público.

 

Gabriela: A decisão permite ainda que o trabalhador solicite a transferência da conta salário na instituição de destino. Antes o interessado só podia fazer isso no seu banco de origem. 19h11 em Brasília.

 

Luciano: Tem uma ideia boa para vender?

 

Gabriela: Então, fique atento e participe do Inovativa Brasil.

 

Luciano: Daqui a pouquinho vamos explicar o que é esse programa que promete alavancar os negócios de pequenos empreendedores.

 

Gabriela: Os tumores são a primeira causa de morte por doença entre crianças e jovens de 1 a 19 anos.

 

Luciano: E quanto mais cedo diagnosticar a doença, mais chance de cura.

 

Gabriela: Por isso é fundamental que pais e mães levem os filhos a consultas periódicas com o pediatra.

 

Repórter Gabriela Noronha: Quando a brasiliense Viviane Maciel procurou um pediatra para tratar um inchaço na barriga do filho Vitor ela não imaginava o que viria a seguir. Após uma bateria de exames, foi diagnosticada a leucemia, o que, segundo Viviane, causou desespero na família.

 

Brasiliense - Viviane Maciel: Foi como cair um meteoro na nossa cabeça, né? Perdemos o chão completamente, porque ninguém espera receber uma notícia dessa.

 

Repórter Gabriela Noronha: Com o diagnóstico, a família foi encaminhada para o tratamento na rede pública de saúde. Há oito meses, toda semana, Vitor vai a hospital da criança em Brasília para sessões de quimioterapia. As chances de cura do câncer em crianças e adolescente são de até 80%. Por isso, Isis Magalhães, coordenadora de oncologia e hematologia do Hospital da Criança, em Brasília, alerta sobre a necessidade de levar os filhos a consultas periódicas com o pediatra e informar sobre qualquer alteração no comportamento ou no corpo da criança, como perda de peso anemia ou febre constante.

 

Coordenadora de oncologia e hematologia do Hospital da Criança - Isis Magalhães: Esses sintomas têm que ser analisados dentro de um contexto, porque se você fala de um sintoma isolado, ele a assemelha-se muito a sinais e sintomas das doenças comuns de infância. Então, a gente bate muito de capacitar o pediatra geral para fazer esse diagnóstico diferencial.

 

Repórter Gabriela Noronha: De acordo do Instituto Nacional de Câncer, o Inca, em 2018 mais de 12 mil novos casos devem ser diagnosticados no Brasil. O Sistema Único de Saúde oferece exames e tratamento. No hospital da Criança em Brasília, por exemplo, o acompanhamento multidisciplinar é oferecido não só para a criança, mas também para a família. Viviane conta que a atendimento deu novas esperanças da cura ao filho.

 

Brasiliense - Viviane Marciel: Toda a equipe médica, tanto na área do tratamento, quanto na área psicológica fomos acompanhados. E foi que nos norteou.

 

Repórter Gabriela Noronha: No ano passado, o Ministério da Saúde e o Inca lançaram o primeiro protocolo de diagnóstico precoce do câncer pediátrico. O estudo auxilia profissionais da saúde a conduzir casos suspeitos e confirmados dentro uma linha de cuidados. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Luciano: Um trabalho que envolve toda a sociedade, quem produz, quem vende e você que compra uma lâmpada para a sua casa.

 

Gabriela: O objetivo é garantir que produtos tóxicos, como mercúrio, sejam descartados corretamente.

 

Luciano: Só no ano passado quase 200 mil lâmpadas foram recolhidas em pontos de coleta.

 

Gabriela: Tudo isso é resultado de uma política chamada logística reversa, que garante a destinação adequada de resíduos químicos.

 

Repórter João Pedro Neto: O trabalho de distribuição dos pontos de coleta de lâmpadas e recolhimento do material vem sendo conduzido pela Reciclus, associação sem fins lucrativos, composta por fabricantes, comerciantes, distribuidores e importadores do setor. Segundo o gerente de operações, William Gutierrez, a organização também promove a reciclagem dos componentes das lâmpadas de uso doméstico.

 

Gerente de operações - William Gutierrez: Nós extraímos o vidro, o latão, o alumínio. Então, nós conseguimos aproveitar também o próprio mercúrio, porque na medida que você tem milhões de lâmpadas sendo rompidas, quebradas e colocando na atmosfera esse metal volátil, isso pode gerar um problema. Então, é isso que a gente tenta evitar.

 

Repórter João Pedro Neto: Só no ano passado, 29 toneladas de lâmpadas deixaram de ser descartadas de forma inadequada. A diretora de qualidade ambiental e gestão resíduos do Ministério do Meio Ambiente, Zilda Veloso, explica que a política nacional de resíduos sólidos reforça a importância do consumidor se conscientizar para fazer o descarte correto das lâmpadas.

 

Diretora de qualidade ambiental e gestão resíduos do Ministério do Meio Ambiente - Zilda Veloso: É muito importante a presença, a participação do cidadão. Nós costumamos dizer que não adianta o governo obrigar a indústria, o comércio a estruturarem toda a cadeia se o consumidor não fizer o descarte correto.

 

Repórter João Pedro Neto: Hoje são 336 pontos de coleta espalhados pelo país. A meta é chegar a 1,1 mil neste ano. E, segundo a Reciclus, o custo para o comerciante que quiser instalar um ponto de coleta no estabelecimento é zero. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Luciano: A Organização Mundial do Comércio estima que a movimentação de bens, mercadorias e serviços somou no ano passado cerca de US$ 20 trilhões.

 

Gabriela: E para que pequenos empreendedores possam entrar nesse mercado global o primeiro passo por ser decisivo.

 

Luciano: Pensando nisso, o governo de uma mãozinha com programas de aceleração de empresas, como Inovativa Brasil.

 

Gabriela: Quem tem uma boa ideia para vender pode participar. As inscrições estão abertas.

 

Repórter Paulo La Salvia: Fernanda Teles, que tem uma empresa em Brasília, desenvolveu um equipamento para a ginástica que trabalha três conceitos, esporte, saúde e tecnologia. Com o um tipo de elástico que se conecta a um aplicativo na internet, a pessoa pode se exercitar onde estiver. Fernanda disse que vai participar na nova seleção do Inovativa Brasil, que, de acordo de ela, é uma ótima vitrine para os novos empreendedores.

 

Entrevistada - Fernanda Teles: Vai ser uma etapa com muitos empreendedores e concretizando muitas parcerias e esse contato no futuro com fundos de investimentos e investidores anjos para realmente alavancar muitas ideias.

 

Repórter Paulo La Salvia: Em mais de quatro anos de atuação, o Inovativa Brasil já capacitou o número de superior a 640 empresas brasileira iniciantes, as chamadas startups, e agora abriu mais um processo de seleção. A meta desta nova edição é capacitar 300 empresas. E o processo não para por aí, segundo Igor Nazaré, diretor de Inovação e Propriedade Intelectual do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

 

Diretor de Inovação e Propriedade Intelectual do Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços - Igor Nazaré: Elas se apresentam para uma banca de investidores na expectativa de estabelecer parcerias ou de ter o aporte de recurso ao seu negócio. A gente vai acompanhar as startups, seja na negociação com grandes empresas, com investidores ou num processo de internacionalização de startups se for a opção do empreendedor.

 

Repórter Paulo La Salvia: As inscrições para esta etapa do Inovativa Brasil se encerram em 5 de março. Os interessados podem se inscrever no endereço: www.inovativabrasil.com.br. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Luciano: A agência de classificação de risco Fitch Ratings comunicou hoje ao governo brasileiro a reavaliação da nota de crédito do Brasil de BB para BB-.

 

Gabriela: A nota do chamado risco país é um indicador que tenta determinar o grau da segurança para investidores.

 

Luciano: No comunicado, a Fitch reconhece que a economia brasileira pode absolver crises internas e externas, garantindo a sustentabilidade da dívida pública.

 

Gabriela: Em nota, o Ministério da Fazenda ressalta os avanços já obtidos com a aprovação de medidas, como teto de gastos, a reforma trabalhista e o programa de recuperação fiscal dos estados.

 

Luciano: Além disso, o governo segue comprometido em progredir com a agenda de reformas para garantir o equilíbrio das contas públicas, o crescimento econômico e o bom ambiente de negócios.

 

Gabriela: Estão abertas as matrículas para cursos de qualificação em turismo.

 

Luciano: É o Pronatec Turismo Voluntário, uma parceria dos Ministérios do Turismo e da educação.

 

Gabriela: São mais de 200 mil vagas em cursos de graça em inglês, espanhol, recepcionista e até produtor de cerveja.

 

Repórter Márcia Fernandes: Gabriel Souza estuda jornalismo e quer trabalhar com produção de eventos culturais. Para chegar preparado ao mercado, ele fez um curso de organização de eventos pelo Pronatec. Gabriel conta que o curso ajudou na escolha da faculdade e da profissão, além de abrir portas.

 

Estudante de Jornalismo - Gabriel Souza: Vou usar as duas técnicas que eu aprendi no curso, e agora estou aprendendo na faculdade, para levar para a meu futuro profissional e assim poder juntar as duas e realizar um trabalho melhor ainda.

 

Repórter Márcia Fernandes: Quem quiser fazer como o Gabriel, pode se matricular do Pronatec Turismo. São mais de 200 mil vagas em todo o Brasil para 24 cursos de qualificação nas áreas de turístico e hotelaria, como mensageiro, recepcionista, auxiliar administrativo, assistente de recursos humanos, inglês e espanhol básico. Os cursos são de graça, a maioria, à distância e no final entregue um certificado de conclusão. Para quem gosta de viajar, como o funcionário público Joaquim Fortunado, encontrar um profissional preparado faz toda a diferença na hora de conhecer um lugar.

 

Funcionário público - Joaquim Fortunado: É muito importante a cultura do nosso país e é muito importante esses recursos que vai direcionar um pouco mais os turistas nos locais que merecem ser conhecidos para turistas, né?

 

Repórter Márcia Fernandes: Para o secretário substituto da Secretaria Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Hercy Filho, os cursos podem ajudar os jovens a atuar numa área que gera renda e tem importância para a economia do país. Só no ano passado, por exemplo, o turismo movimentou mais de R$ 530 bilhões, 8% de toda a riqueza produzida no Brasil.

 

 

Secretário substituto da Secretaria Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo - Hercy Filho: Você, como turista, você chega em qualquer localidade, você quer que desde o setor de hotel que te recebe em primeiro lugar, do aeroporto que ele te recebe ou do carro que você está viajando, que seja bem recebido. Então, a qualificação é no sentido de melhorar o preparo dessas pessoas que trabalham no setor turístico para que o turismo possa ser mais incentivado, possa gerar mais rendas.

 

Repórter Márcia Fernandes: As inscrições podem ser feitas até o dia 19 de março na página: sistec.mec.gov.br. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Gabriela: 19h21 em Brasília.

 

Luciano: Quem viaja de avião, ao passar pelo aeroporto de Brasília, pode se deparar com o Leo.

 

Gabriela: Ele é do tipo quieto, caladão, mas muito observador.

 

Luciano: Leo é o cachorro da Vigilância Sanitária, que chega a vistoriar, pelo olfato, quase mil malas por dia.

 

Gabriela: Ele trabalha no Aeroporto de Brasília e é responsável por evitar que doenças e pragas entrem no país por meio de alimentos proibidos

 

Luciano: Aliás, Gabriela, você sabe quais alimentos podem ser levados ou não na mala? Vamos conferir aí na reportagem de Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: O passageiro que desembarca no Brasil não faz ideia do que ocorre internamente no Aeroporto Internacional de Brasília. Antes de as malas percorreram as esteiras, passam por minuciosa vistoria sanitária. O responsável por identificar produtos de origem vegetal ou animal na bagagem é o Leo. Um cachorro de três anos da raça labrador. O pelo viscoso, cor chocolate e orelha sempre caída revelam um cão dócil, mas é o colete do animal que mais chama a atenção com as palavras "cão de detecção". Leo é um especialista, explica o auditor fiscal federal agropecuário Romero Teixeira.

 

Auditor fiscal federal agropecuário - Romero Teixeira: Nós contamos como índice de acerto dele 100%, porque nenhuma bagagem que contém o produto ao qual que ele é treinado para identificar ele deixar passar em nossa fiscalização. Contudo, ele tem um índice de superacerto, que é o que a gente chama, onde que alguma bagagem que já teve, né, algum produto de origem animal ou vegetal ao qual ele esteja treinado a identificar, ele acaba nos identificando.

 

Repórter Pablo Mundim: Vários produtos são proibidos de serem levados nas malas em viagem internacionais. Entre eles, frutas, verduras, laticínio, mel, alimentos para animais, produtos veterinários, plantas, sementes e flores. O auditor fiscal orienta os passageiros a se informarem antes de viajar.

 

Auditor fiscal federal agropecuário - Romero Teixeira: Antes mesmo de regressar ao Brasil o passageiro acessa a site: www.agricultura.gov.br na aba "vigilância agropecuária internacional", lá ele vai encontrar toda a lista de produtos que não pode entrar no Brasil, aqueles que podem entrar e aqueles que podem, as regras das quais eles têm que cumprir para poder entrar no país.

 

Repórter Pablo Mundim: Com o focinho sempre apurado, Leo consegue identificar mais de 80 tipos de produtos diferentes. Com o um olhar atento, ele é rápido, chega a vistoriar, em média, mil malas por dia. Assim que ele identifica o produto, a reação é imediata. Em silêncio, ele senta diante da mala, um sinal de alerta ao fiscal. É impossível escapar dele. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: O Ministério da Saúde estuda ampliar a vacinação contra a febre amarela para todo o país.

 

Luciano: A proposta será discutida com os estados e organismos internacionais, e a vacinação deve ser feita de forma gradual, de acordo com as possibilidades de cada região.

 

Gabriela: Ao apresentar a proposta, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse que a ideia é incluir todos os estados como área de recomendação para vacinação. Hoje, estados do Nordeste e parte do Sul e Sudoeste não fazem parte dessas áreas por não apresentarem circulação do vírus.

 

Luciano: Nestes locais devem ser vacinadas 34 milhões de pessoas.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Luciano: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite e bom fim de semana.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".