23 de março de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Criados 61 mil empregos com carteira assinada em fevereiro. Em visita à fábrica de automóveis, presidente Michel Temer destaca o bom cenário econômico. E comemora otimismo dos empresários, que significa mais emprego para os brasileiros. Otimismo que também significa maior arrecadação. 94 mil pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez foram convocadas pelo INSS. Na Bahia, presidente Michel Temer inaugura projeto de irrigação que beneficia pequenos produtores. E em Pernambuco, Temer anuncia mais investimentos para produção de remédios com derivados do sangue.

audio/mpeg VOZ230318.mp3 — 46949 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 23 de março de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Criados 61 mil empregos com a carteira assinada em fevereiro. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: É o melhor resultado para o mês desde 2015.

 

Nasi: Em visita a fábrica de automóveis, Presidente Michel Temer destaca o bom cenário econômico.

 

Gabriela: E comemora o otimismo dos empresários, o que significa mais emprego para os brasileiros.

 

Presidente Michel Temer: Tudo isso, meus amigos, não se deve apenas ao Governo, deve-se à empresas que investem no Brasil e deve-se, especialmente, primacialmente, fundamentalmente, singularmente, especialmente aos trabalhadores do Brasil.

 

Nasi: Otimismo que também significa maior arrecadação. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: O resultado foi o melhor desde 2014, influenciado pela maior produção da indústria, vendas no setor de produtos e serviços e mais empregos.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Noventa e quatro mil pessoas que recebem auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez foram convocadas hoje, pelo INSS. André Luiz Gomes.

 

Repórter André Luiz Gomes: Quem não entrar em contato com o INSS até o dia 13 de abril terá o benefício suspenso.

 

Gabriela: Na Bahia, Presidente Michel Temer inaugura projeto de irrigação que beneficia pequenos produtores.

 

Nasi: E em Pernambuco Temer anuncia mais investimentos para a produção de remédios com derivados do sangue.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: O Brasil continua gerando empregos em 2018.

 

Nasi: Informações divulgadas hoje mostram que no mês passado foram criados mais de 61 mil postos de trabalho.

 

Gabriela: É o melhor resultado para o mês de fevereiro desde 2015, e o destaque ficou com o setor de serviços, que contratou mais de 60 mil pessoas no mês.

 

Repórter Raquel Mariano: O aumento do número de postos de trabalho em fevereiro representa 0,16% a mais do que em janeiro deste ano, e é o segundo resultado positivo de 2018. Segundo o ministro interino do Trabalho, Helton Yomura, esse crescimento demonstra a recuperação da economia.

 

Ministro interino do Trabalho - Helton Yomura: Mês passado, em janeiro, mais de 77 mil postos de trabalhos criados, e, agora, no mês de fevereiro, 61 mil postos de trabalho criados, uma variação positiva nesse bimestre e significativa porque vem puxando o setor de serviços e da indústria de transformação. Isso só demonstra que as medidas que foram adotadas na economia e com a modernização trabalhista já estão gerando empregos na nossa economia.

 

Repórter Raquel Mariano: A melhora da economia refletiu, principalmente, no setor de serviços, área que mais gerou empregos em fevereiro. Um exemplo é uma rede de hamburguerias que possuí 110 restaurantes espalhados pelo Brasil. Dos 4,2 mil funcionários da empresa, 300 foram contratados em fevereiro. De acordo do diretor de recursos humanos na empresa, Fábio Voelz, a rede ainda deve criar mais 2,8 mil vagas durante o ano.

 

Diretor de recursos humanos - Fábio Voelz: Muitas vezes a crise gera muita oportunidade. Então, felizmente, o nosso negócio aí está com uma forte expansão, e, de fato a gente tem focado no crescimento em todas as regiões do Brasil. Agora, pela frente, vamos ter aí Rio de Janeiro, vamos ter Nordeste e entre outras regiões também com novas operações nossas.

 

Repórter Raquel Mariano: Os estados que mais criaram postos de trabalho foram São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Nasi: E uma fábrica em Pernambuco tem ajudado a gerar ainda mais empregos para o país.

 

Gabriela: A montadora de carros Fiat-Chrysler, localizada na cidade de Goiana, vai ampliar um turno de trabalho, e com isso gerar mais 1,5 mil vagas.

 

Nasi: O anúncio contou com a presença do Presidente Michel Temer, que comemorou a expansão da fábrica e o aumento de empregos no país.

 

Repórter João Pedro Neto: São 1,5 mil novas vagas de emprego com a abertura do terceiro turno de trabalho na fábrica de automóveis. O técnico de processo industrial, Moisés Domingos da Silva, que trabalha há mais de um ano no local, diz que a fábrica vem abrindo cada vez mais oportunidades para trabalhadores da região.

 

Técnico de processo industrial - Moisés Domingos da Silva: Para quem não conhece a Zona da Mata, é uma zona rural muito carente. E onde chegou essa fábrica, e, como eu falei, transformou a vida de muitos jovens.

 

Repórter João Pedro Neto: A fábrica fica na cidade de Goiana, região metropolitana do Recife, e tem capacidade de produzir 250 mil veículos por ano. Na cerimônia, o Presidente Michel Temer destacou o peso do setor automotivo para a economia do país. Temer comemorou a geração de empregos em fevereiro e afirmou que a expansão da fábrica em Pernambuco revela o otimismo da iniciativa privada com o país.

 

Presidente Michel Temer: Eu tenho, meus amigos, absoluta convicção de que legitimamente ninguém contrata, ninguém estende jornada de trabalho sem um horizonte econômico favorável. Ora, se a Fiat, que fabrica 860 veículos por dia, resolveu ampliar esta jornada de trabalho, é porque está tendo uma visão a longo prazo.

 

Repórter João Pedro Neto: O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, lembrou que a produção de automóveis cresceu cerca de 25% no ano passado.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: E essa trajetória segue firme. No primeiro bimestre desse ano foram produzidos 431,6 mil veículos no Brasil, número 15% superior ao mesmo período do ano passado.

 

Repórter João Pedro Neto: Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a fábrica de Goiana é um modelo de ponta para todo o mundo. Ele afirmou também que o setor de automóveis é protagonista da retomada do crescimento no país.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Entre o pior momento e hoje, a produção de automóveis no Brasil cresceu impressionantes 40%. Isso significa que o Brasil, de novo, entrou na direção, agora sim, para valer, numa direção certa e os brasileiros podendo agora, cada vez mais, a ter orgulho de serem brasileiros.

 

Repórter João Pedro Neto: Além da fábrica principal, o polo automotivo conta com um parque de fornecedores com mais de uma dezena de empresas instaladas no local. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E durante visita à fábrica, o Presidente Michel Temer anunciou a prorrogação por mais cinco anos do Regime Automotivo do Nordeste, que dá benefícios fiscais para montadoras instaladas na região.

 

Nasi: Com essa decisão, as fábricas de automóveis continuam recebendo incentivos fiscais de crédito do Imposto Sobre Produtos Industrializados, o IPI, até 2025.

 

Gabriela: Nesse período, as montadoras também recebem ressarcimento das contribuições de PIS/Cofins sobre o valor das vendas no mercado interno.

 

Nasi: O benefício está condicionado à realização de investimentos na produção e em inovação tecnologia na região Nordeste.

 

Gabriela: E com mais gente trabalhando, o reflexo imediato é o aumento no consumo.

 

Nasi: E mais gente consumindo faz com que os empresários invistam para dar conta da demanda para aumentar a produção. No fim das contas, isso leva à contratação de mais de pessoas.

 

Gabriela: É, Nasi, é a roda da economia.

 

Nasi: E o crescimento econômico, Gabriela, traz também, faz o governo arrecadar mais. Pelo segundo mês consecutivo, neste ano, teve aumento na arrecadação federal.

 

Repórter Pablo Mundim: A arrecadação com impostos contribuições e outras receitas somou mais de R$ 105 bilhões em fevereiro, alta de mais de 10% em comparação ao mesmo mês do ano passado. Este é o melhor resultado da arrecadação para fevereiro desde 2014. Crescimento da produção industrial, vendas de produtos e serviços, aumento no número de trabalhadores, o que reflete em mais dinheiro circulando na economia, e, principalmente, o valor em dólar das importações, influenciaram no resultado. O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, explica que o Brasil está retomando o crescimento econômico e que os valores estão próximos ao que país arrecadava antes da recessão.

 

Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal - Claudemir Malaquias: Esse é o melhor fevereiro dos os últimos três anos, em está em linha com a retomada da atividade econômica. Isso é importante porque nós estamos aí restabelecendo o patamar de arrecadação que tínhamos antes do período recessivo.

 

Repórter Pablo Mundim: Somados os valores dos dois primeiros meses deste ano o governo arrecadou mais de R$ 260 bilhões. Segundo Malaquias, os efeitos da retomada da atividade econômica e os pagamentos de Refis, o programa de parcelamento de débitos tributários, ajudaram o bom desempenho na arrecadação.

 

Chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal - Claudemir Malaquias: Os índices de produção industrial estando positivos e a perspectiva de aumento de renda por parte da pressão que está havendo sobre o consumo, quer dizer, a medição do consumo está indicando um aumento de renda disponível por parte das famílias, isso é uma sinalização positiva para a retomada da economia como um todo.

 

Repórter Pablo Mundim: No ano passado a Governo Federal arrecadou R$ 1 trilhão e 340 milhões, foi o primeiro resultado positivo após três anos seguidos na queda na arrecadação. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: A falta de água não será mais um problema para pequenos agricultores e empresas no interior do Bahia.

 

Nasi: O Presidente Michel Temer inaugurou no município de Xique-Xique um trecho do maior projeto de irrigação da América Latina.

 

Gabriela: Com a possibilidade de aumento de produção agrícola na região, a expectativa é gerar 25 mil empregos diretos e indiretos nos próximos anos.

 

Nasi: E tem mais, os agricultores também ganharam a possibilidade de acessar recursos para aumentar a produção.

 

Repórter Raíssa Lopes: Joacir aprendeu a arte de cultivar o pai e o avô, e hoje sustenta filhos e netos com o que vende de sua produção. Ele mora em Xique-Xique, cidade baiana com 49 mil habitantes, castigada pela seca do semiárido nordestino.

 

Agricultor - Joacir: Lembro que o meu avô falava isso há 40 anos atrás: "Nós vivemos num sertão muito castigado pela seca, tudo o que a gente fez perde".

 

Repórter Raíssa Lopes: Mas agora a água não será mais um problema para Joacir, o agricultor foi beneficiado pelo Projeto de Irrigação Baixio do Irecê. Com a água pertinho de casa o agricultor já pensa em aumentar a produção e até em exportar.

 

Agricultor - Joacir: A gente tem a intenção migrar para outras culturas, tipo, fruticultura, né? Para exportação. Já pensou a gente exportar aqui? É tudo o que a gente quer.

 

Repórter Raíssa Lopes: O Projeto de Irrigação Baixio de Irecê começa em Xique-Xique, na Bahia, e percorre 90 quilômetros até Itaguaçu, no meu estado. Hoje o Presidente Michel Temer inaugurou 42 quilômetros de canais nas etapas um e dois da obra. O presidente lembrou que o projeto de irrigação era mais uma obra inacabada que foi retomada pelo governo, e anunciou que os produtores da região terão agora água e recursos para aumentar a produção. Uma Medida Provisória, assinada hoje, vai permitir que os irrigantes tenho acesso a crédito, usando o lote como garantia.

 

Presidente Michel Temer: A Medida Provisória, ela entra em vigor imediatamente, portanto, a partir de amanhã vocês podem procurar o crédito porque podem usar o lote como garantia.

 

Repórter Raíssa Lopes: O ministro da Integração, Helder Barbalho, destacou que desenvolver a agricultura nordestina e gerar empregos é uma prioridade do governo. O ministro lembrou da renegociação de dívida dos agricultores do Nordeste, onde os pequenos produtores tiveram descontos de até 90% de juros e multa. Para o ministro, uma importante medida para que esses agricultores pudessem continuar produzindo.

 

Ministro da Integração - Helder Barbalho: Gente que precisa apenas da oportunidade com a sua capacidade de produção garantir a renda, garantir a dignidade para nossa população.

 

Repórter Raíssa Lopes: No Projeto de Irrigação do Baixio de Irecê o governo já investiu R$ 500 milhões. Quando concluída, a expectativa do governo é criar 60 mil empregos diretos e 109 mil indiretos. De Xique-Xique, na Bahia, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: E em Xique-Xique o Presidente Michel Temer anunciou que vai apoiar no Congresso a derrubada ao veto do programa de Refinanciamento de dívidas para micro e pequenas empresas.

 

Nasi: O Refis prevê o parcelamento das dívidas em até 180 meses para os pequenos empreendimentos incluídos no Simples Nacional.

 

Gabriela: O presidente disse que a decisão foi possível após esforços e uma reavaliação das contas.

 

Presidente Michel Temer: Como houve um problema de natureza legislativa, nós fomos obrigados a vetar esse projeto, mas imediatamente mandamos fazer estudos de vistas a fazer com que o veto fosse derrubado. E hoje nós concluímos dos estudos que permitem que o Governo dê a vocês, e aqui é o primeiro anúncio, que eu faço. Eu e o Meirelles podemos, a essa altura, patrocinar a quebra do veto para que micro e pequena empresa tenha a possibilidade de refinanciar os seus débitos.

 

Gabriela: 19h13.

 

Nasi: E ainda nesta edição você vai saber os detalhes sobre a convocação de beneficiários do INSS.

 

Gabriela: Noventa e quatro mil pessoas foram chamadas para realização de perícia.

 

Nasi: E depois de sair da fábrica da Fiat, o Presidente Michel Temer e o ministro da Saúde fizerem visita a uma fábrica da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia, a Hemobras.

 

Gabriela: A repórter Luana Karen está na fábrica em Goiana, Pernambuco, e tem mais informações, ao vivo, para a gente. Boa noite, Luana.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa, Noite Gabriela. Boa noite, Nasi e a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O Governo Federal anunciou quase R$ 643 milhões entre investimentos públicos e privados para concluir o parque industrial da Hemobras, localizado em Goiana, Pernambuco. A obra estava parada há um ano e meio. Por enquanto, a Hemobras apenas recepciona o plasma, derivado do sangue colhido nos hemocentros do país, prepara o material e encaminha para o exterior. Agora, com a produção dos remédios na fábrica brasileira, o governo deve economizar R$ 600 milhões por ano. É o que afirma o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: E só o fato de essa fábrica estar funcionando, nos economizará algo em torno de R$ 600 milhões por ano por fracionarmos aqui, por fabricarmos aqui o sangue que nós hoje mandamos para a exterior para ser fracionado e devolvido para o Brasil.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): A previsão é que toda instalação física da Hemobras esteja pronta em dois anos. O Presidente Michel Temer destacou a importância do papel da empresa, tanto do ponto de vista social, quanto tecnológico.

 

Presidente Michel Temer: Mas quero dizer que, em termos científicos, né, em termos tecnológicos, em termos de evolução tecnológica, em termos de produção de remédios, em termos, de alguma maneira, de atendimento social porque evidentemente que a Hemobras tem também, não é, Fernando Monteiro, uma atividade volta para o social muito significativa, por isso que nós sobre dizemos que nós estamos conectando, ligando, a ideia da responsabilidade social com a responsabilidade fiscal.

 

Nasi: Luana, então a produção desse medicamento aqui vai gerar uma boa economia para o SUS e vai ser importante para os pacientes, não é isso?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): É isso mesmo, Nasi. Mais cedo eu conversei com um voluntário da Sociedade Pernambucana de Hemofílicos, Luis Gomes da Silva. Desde o berço ele já apresentava os sintomas da hemofilia, doença provocada pela ausência de proteínas responsáveis por fazer a coagulação do sangue, o que faz com que o paciente hemofílico tenha mais dificuldade de conter um sangramento e sem o tratamento adequado, a vida fica em constante risco. Hoje, aos 49 anos de idade, Luis leva uma vida normal e o medicamento que ele usa é distribuído de graça pelo Sistema Único de Saúde, e também passará a ser fabricado na Hemobras, o que deixa o Luis mais tranquilo.

 

Voluntário da Sociedade Pernambucana de Hemofílicos - Luis Gomes da Silva: A gente tem um problema sério de que não pode faltar essa medicação. Eu digo até que o hemofílico sem o fator, é um carro sem gasolina, ele não consegue viver sem a medicação. Com esse funcionamento da Hemobras, isso só tem nos deixar mais seguro, não é?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): A expectativa é de que todo o complexo industrial da Hemobras fique pronto em dois anos, ao vivo, Luana Karen.

 

Gabriela: Noventa e quatro mil pessoas que recebem o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez foram convocadas hoje, pelo INSS.

 

Nasi: São beneficiários que estão sendo fazer perícia por longo tempo e não foram localizados numa primeira convocação por carta.

 

Gabriela: Quem não agendar e realizar a perícia corre o risco de perder o benefício.

 

Repórter André Luiz Gomes: Mais de 94 mil beneficiários do auxílio-doença e de aposentadoria por invalidez devem agendar as perícias médicas de revisão dos benefícios. Eles foram convocados nesta sexta-feira por meio de um edital publicado pelo Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, no Diário Oficial da União. O agendamento é obrigatório e deve ser feito exclusivamente pelo telefone 135. Não é preciso ir até uma agência do INSS para fazer a marcação da perícia. O secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, explica quem são os segurados que foram convocados.

 

Secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: O edital publicado contém uma relação de pessoas que têm auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez há mais de dois anos e há mais de dois anos sem revisão e que não foram localizadas ou não receberam a carta de convocação para a revisão. Todas essas pessoas, a partir do edital, têm 15 dias para tomar conhecimento do seu conteúdo e mais cinco dias para marcarem através do telefone 135, data e hora da realização da perícia de revisão do benefício.

 

Repórter André Luiz Gomes: Quem não entrar em contato com o INSS até o dia 13 de abril terá o benefício suspenso. Depois de 60 dias sem a manifestação, o benefício será cessado. O pente-fino do INSS já economizou aos cofres públicos, entre agosto de 2016 e dezembro de 2017, cerca de R$ 5,8 bilhões. A expectativa desta segunda etapa é economizar mais R$ 10 bilhões. A lista com os nomes dos beneficiários convocados pelo INSS está disponível no site do Ministério do Desenvolvimento Social: www.mds.gov.br. Reportagem, André Luiz Gomes.

 

"Fórum Mundial da Água - Compartilhando Ideias e Soluções".

 

Nasi: Já em clima saudade, o mundo se despede hoje de Brasília.

 

Gabriela: Durante uma semana milhares de pessoas de 172 países discutiram soluções para preservação e distribuição da água.

 

Repórter Cleide Lopes: O 8º Fórum Mundial da Água já é considerado o maior da história, recebeu cerca de 100 mil pessoas de 172 países, entre congressistas, autoridades e visitantes. Foram centenas de discussões, debates e propostas para ajudar a solucionar problemas graves como a falta de d'água, mudanças climáticas e a necessidade de estabelecer estratégias de uso racional desse bem, que antigamente acreditava-se não ter fim. O diretor da Agência Nacional da Água, Ricardo Andrade, fez um balanço do fórum, realizado pela primeira vez em um país do hemisfério Sul.

 

Diretor da Agência Nacional da Água - Ricardo Andrade: Os números foram surpreendentes, o maior e mais relevante fórum já realizado. Vinte mil pessoas passaram pela Vila Cidadã no domingo, e nos demais dias nós tivemos 17 mil em média.

 

Repórter Cleide Lopes: O israelense Alex Becker é uma das milhares de pessoas que participaram do fórum e avaliou de forma positiva as discussões sobre a preservação da água e o envolvimento dos países participantes.

 

Entrevistado - Alex Becker Minha avaliação é muito positiva, principalmente por causa do intercâmbio das experiências, os painéis de alto nível.

 

Repórter Cleide Lopes: Já para o espanhol Juan Barrero, o dever de casa é lembrar que a questão da água deve ser uma discussão diária.

 

Entrevistado - Juan Barrero: O mais importante é que isso tenha uma continuação, né? Porque hoje termina o fórum e já esquecemos o problema da água.

 

Repórter Cleide Lopes: O 8º Fórum termino aqui, mas o compromisso com a preservação da água continua. A nona edição será no Senegal com o tema: 'Segurança da água para a paz e desenvolvimento durável'. A senegalesa Jopi Mama já está animada em ser anfitriã, e ressalta que a água é sinônimo de vida.

 

Entrevistada - Jopi Mama: Nós todos estamos muito felizes. Água é vida, água é tudo para nós.

 

Repórter Cleide Lopes: Até que a nova reunião global ocorra, o adeus veio em várias línguas, mas o discurso é um só: a água é responsabilidade de todos.

 

Entrevistada: [outro idioma].

 

Entrevistada: [outro idioma].

 

Entrevistado: Tchau, tchau, povo brasileiro.

 

Entrevistado: [outro idioma].

 

Entrevistado: Adiós. Até a próxima.

 

Repórter Cleide Lopes: Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E nos últimos dias ouvimos falar de inúmeras ideias, fórmulas e possibilidades para o melhor uso da água no dia a dia das pessoas.

 

Gabriela: É, Nasi, todo mundo buscando soluções, incluindo quem mora do campo e tira da terra o sustento.

 

Repórter Gabriela Noronha: Fazer florescer espécies nativas do cerrado ao lado da plantação de milho e eucaliptos onde antes era soja. Desde que a Fazenda Entre Irmãos foi escolhida por pesquisadores da Embrapa para participar do Projeto Biomas, a paisagem do local, que fica a 64 quilômetros de Brasília, está mudando. Segundo o pesquisador, Alexandre Uhlmann, da Embrapa Florestas, a ideia é mostrar como é possível integrar produção agrícola e preservação do meio ambiente com a reintrodução de árvores em áreas desmatadas.

 

Pesquisador da Embrapa Florestas - Alexandre Uhlmann: Na medida em que a gente restaura o ambiente, faz com desencadeie esse processo ecológico que acaba trazendo um benefício em si.

 

Repórter Gabriela Noronha: Há cinco anos o produtor Adriano Varela cedeu 20 hectares de sua fazenda para o projeto. Para ele, preservar a água significa sobrevivência do produtor.

 

Produtor - Adriano Varela: Não existe crescimento sem pesquisa. Pesquisa é a forma de você romper Barreiras. A água é a base de tudo. Sem água não tem agricultura, não tem pecuária, não tem vida na cidade.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para o engenheiro agrônomo, Cláudio Malinski, que participa de uma cooperativa de produtores rurais, com as novas tecnologias é possível produzir com economia de água.

 

Engenheiro agrônomo - Cláudio Malinski: Hoje os produtores rurais estão usando programas de informática de forma que eles usam a água só na quantidade exata que a planta necessita conforme a fase da cultura, e aí ele economiza água e energia ao mesmo tempo.

 

Repórter Gabriela Noronha: O uso racional da água pela agricultura é hoje uma preocupação mundial, e, no mundo, a agricultura consome cerca de 70% das reservas de água doce. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, a CNA, levou essa discussão ao Fórum Mundial da Água, em Brasília. De acordo do Gustavo dos Santos Loretti, assessor técnico da instituição, a ideia é mostrar que o produtor pode ser um aliado na preservação da água.

 

Assessor técnico da CNA - Gustavo dos Santos Loretti: O produtor hoje, ele está preocupado, né, com a questão da quantidade de água que ele aplica nas culturas. Ao longo dos anos, a evolução dos equipamentos e do manejo de água nas propriedades vêm melhorando bastante. Então, a gente gasta menos água e produz mais.

 

Repórter Gabriela Noronha: O Projeto Biomas é uma parceria da CNA e a Embrapa, e envolve o trabalho de mais de 400 pesquisadores em seis biomas brasileiros. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Nasi: Boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".