23 de outubro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: R$ 4,5 bilhões em investimentos na recuperação do meio ambiente. Presidente Michel Temer assina decreto que transforma multas ambientais em ações nas áreas degradadas. Ministério da Saúde anuncia mais recursos para diagnóstico do câncer de mama. E o combate a hanseníase está sendo intensificado nesta semana em 20 cidades do país. Começou aplicação da Prova Brasil, que avalia qualidade da educação em escolas públicas e particulares. Tem também a abertura da Semana da Ciência e Tecnologia.

audio/mpeg VOZ231017.mp3 — 46915 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 23 de outubro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: R$ 4,5 bilhões em investimentos na recuperação do meio ambiente.

 

Nasi: Presidente Michel Temer assina decreto que transforma multas ambientais em ações nas áreas degradadas.

 

Presidente Michel Temer: Nós temos que caminhar por essa trilha, e, portanto, juntar aqueles que são produtores com aqueles que preservam o meio ambiente.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Ministério da Saúde anuncia mais recursos para diagnósticos do câncer de mama. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: O Ministério da Saúde reajustou os valores repassados para procedimentos como a biópsia e a punção. A expectativa é que triplique o número de procedimentos mais eficazes na identificação do tumor.

 

Gabriela: E o combate à hanseníase está sendo intensificado nessa semana em 20 cidades do país.

 

Nasi: E começou hoje a aplicação da Prova Brasil, que avalia a qualidade da educação em escolas públicas e particulares.

 

Gabriela: E também a abertura da Semana da Ciência e Tecnologia. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: Já são mais de mil municípios com atividades programadas com o foco na matemática.

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Nasi: O Brasil deu mais alguns passos na preservação e recuperação do meio ambiente.

 

Gabriela: A partir de agora multas ambientais podem ser convertidas em investimentos para recuperar e reflorestar áreas degradadas.

 

Nasi: A expectativa do governo é que esses investimentos cheguem a mais de R$ 4 bilhões.

 

Gabriela: Essa é apenas uma das medidas anunciadas pelo Presidente Michel Temer no final de semana, durante viagem ao Mato Grosso do Sul.

 

Repórter João Pedro Neto: A riqueza do Pantanal se reflete nos números, são 3.500 espécies de planta, mais de 400 aves como o tuiuiú, símbolo da região, e a arara-azul, e centenas de repteis e de mamíferos. O Pantanal ocupa uma área de cerca de 150 mil quilômetros quadrados entre os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Segundo o presidente da ONG Instituto SOS Pantanal, Roberto Klabin, uma região única no mundo.

 

Presidente da ONG Instituto SOS Pantanal - Roberto Klabin: Porque o Pantanal, ele tem essa característica primeiro de ser tão grande, uma área úmida importantíssima, a maior área úmida interna do planeta. E quando você compara o Pantanal a outras áreas similares pelo planeta, você vê o tamanho, você vê a diversidade que nós temos e você repara uma coisa importante, o Pantanal ainda está... a planície pantaneira ainda extremamente bem conservada.

 

Nasi: E o desafio é manter a área protegida enquanto se promove o desenvolvimento sustentável com atividades que geram emprego e renda, como é o ecoturismo. Para discutir esse tipo de desenvolvimento o Presidente Michel Temer visitou neste sábado a região e acompanhou um encontro de um grupo de especialistas e autoridades, que um ano atrás definiu um conjunto de ações pelo Pantanal, é a chamada Carta Caiman, como explica Felipe Augusto Dias, diretor executivo do Instituto SOS Pantanal.

 

Diretor executivo do Instituto SOS Pantanal - Felipe Augusto Dias: Identificar os avanços de todos esses compromissos, e de que forma que o que avançou, o que não avançou, o que precisa ser melhorado para a gente poder ver o que vamos fazer daqui para frente.

 

Repórter João Pedro Neto: O presidente anunciou medidas para ajudar a preservar e desenvolver de forma sustentável o meio ambiente. Uma delas permite que multas ambientais sejam convertidas em investimentos para recuperação de áreas degradadas com descontos de 60%. A expectativa é arrecadar mais de R$ 4 bilhões. No discurso, Michel Temer reafirmou o compromisso do Governo Federal com a preservação do meio ambiente.

Presidente Michel Temer: A verdade é que nosso compromisso com o meio ambiente, com o desenvolvimento sustentável, e quando falo em desenvolvimento sustentável, mais uma vez eu uso a palavra diálogo. E o que nós precisamos fazer no Brasil? Nós precisamos juntar brasileiros com brasileiros, nós temos que caminhar por essa trilha, e, portanto, juntar aqueles que são produtores com aqueles que preservam o meio ambiente. E nenhum, nem outro fará algo, senão depois de um largo e intenso diálogo.

 

Repórter João Pedro Neto: Outra medida estabelece que parte das compras do Governo Federal seja feita de forma sustentável, é o que explica o ministro substituto do Meio Ambiente, Marcelo Cruz.

 

Ministro substituto do Meio Ambiente - Marcelo Cruz: Partes dessas compras terão que ser feitas de forma sustentável, ou seja, madeira manejada, madeira reflorestada, isso dá um ganho também, inclusive, na contensão do desmatamento que já está em queda na gestão do governo Michel Temer.

 

Repórter João Pedro Neto: Nascido e criado na região, o fazendeiro César Queiroz diz que o Pantanal é risco justamente por ser como é, e, para ele, só essa união de esforços pela preservação pode garantir toda a diversidade.

 

Fazendeiro - César Queiroz: E dá para ter as duas coisas com muito equilíbrio, a pecuária e o turismo.

 

Repórter João Pedro Neto: O governo também criou um comitê para a recuperação do Rio Taquari, que corta o Pantanal. Além disso, definiu a elaboração do Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai e fixou regras para que novos empreendimentos compensem os impactos ambientais gerados durante a sua implantação. De Miranda, no Mato Grosso do Sul, João Pedro Neto para a Voz do Brasil.

 

Nasi: Bom, e para dar mais detalhes sobre as medidas de preservação ao meio ambiente, a gente conversa agora, ao vivo, com a presidente do Ibama, Suely Araújo. Boa noite, presidente.

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: Boa noite. Pode falar.

 

Nasi: Presidente, vamos falar primeiro da conversão das multas ambientais em investimentos para recuperar a vegetação nativa. Qual é a principal vantagem dessa mudança para a preservação do meio ambiente?

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: Olha, as multas aplicadas pelos órgãos federais, elas têm um percentual de pagamento historicamente reduzido. Nas multas do Ibama, por exemplo, só 5% do valor de multas que nós aplicamos são afetivamente pagos. E esses 5%, quando eles são pagos, 20% vai para o Fundo Nacional do Meio Ambiente e o restante para o Tesouro. Ou seja, esse recurso, ele vem muito pouco para a projetos ambientais. A ideia é implantar um grande programa, uma iniciativa ampla de instaurar a cultura da conversão de multas em serviços ambientais. São previstas duas modalidades, a conversão direta, na qual o próprio autuado faz o serviço, e a conversão indireta, que o autuado opta por colocar os recursos de suas multas em cotas de projetos estruturantes que o órgão ambiental previamente selecionou. Então, é uma verdadeira revolução em termos de volume de recursos direcionados para a proteção ambiental no país. Essa é a grande vantagem.

 

Gabriela: Presidente, isso também vai acelerar, né, esses pagamentos dessas multas?

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: Nós acreditamos que sim. Nós estamos prevendo descontos para estimular os autuados a aderirem à conversão de multas e acreditamos que isso vai criar toda uma cultura que vai incentivar as pessoas, logo que forem multadas, a fazer essa opção por conversão. Então, os projetos de conversão, eles vão envolver multas que o Ibama já aplicou ou o Instituto Chico Mendes, que são... qualquer órgão federal que aplica, né, multas ambientais. Mas ele tem uma perspectiva, assim, para o futuro, Gabriela, de injeção permanente de recursos para fazer esses projetos, né? Porque o Ibama, por ano, ele aplica, por baixo, R$ 3 bilhões em multas, quer dizer, e esses recursos não vêm de perto para a questão ambiental. Então, a ideia é reverter isso e fazer, assim que a multa fora aplicada, estimular as pessoas a aderirem à conversão de multa.

 

Nasi: Agora, presidente, com mais pessoas trocando as multas por investimentos em recuperação ambiental, isso aí pode criar um novo segmento de mercado, ajudando a preservar ainda mais o meio ambiente?

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: Não tenha dúvida. Nós entendemos a conversão como geradora de emprego e renda, sim, né? Então, por exemplo, toda fase inicial nós estamos direcionando a questão das áreas críticas em termos da questão hídrica, né? Então, a ideia é recuperação florestal em áreas de alta criticidade hídrica, né? O primeiro edital da conversão indireta vai ser em sub-bacias de alto potencial de recarga de aquífera na bacia do São Francisco. Então, a ideia, nesse edital, que já mais adiantada a elaboração, o que é que nós estamos fazendo? Nós estamos mapeando nessas sub-bacias, mais potencialmente... que geram mais água no rio, estamos mapeando organizações interessadas em tocar projetos, estamos mapeando fornecedores de sementes e mudas, estamos estimulando as pessoas a se organizar para fornecer essas sementes e mudas. Então, você cria todo um mercado de recuperação ambiental. Isso para o país é um avanço enorme e gera emprego e renda também, né?

 

Gabriela: A gente conversou ao vivo com Suely Araújo, presidente do Ibama. Presidente, muito obrigada pela sua participação aqui na Voz do Brasil.

 

Presidente do Ibama - Suely Araújo: Muito obrigada. Eu que agradeço.

 

Nasi: E o Presidente Michel Temer disse hoje, por meio da sua rede social, que o governo está trabalhando com força total para acabar com o incêndio florestal no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

 

Gabriela: O fogo já consumiu 35 mil hectares unidade, ou seja, quase 15% da área total, segundo cálculos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio.

 

Nasi: O presidente Temer agradeceu engajamento da população que está apoiando as ações de combate ao fogo com um grande número de voluntários.

 

Gabriela: Cento e dez brigadistas, quarenta e cinco bombeiros, quatro aviões e dois helicópteros trabalham sem descanso no local. O parque está fechado para visitação.

 

Nasi: O câncer de mama pode ser detectado bem no início, aumentando as chances de tratamento e de cura.

 

Gabriela: E neste Outubro Rosa o Ministério da Saúde anunciou hoje a ampliação de exames de câncer de mama realizados no SUS para agilizar esse diagnóstico.

 

Nasi: E para melhorar o tratamento o SUS também vai comprar novos equipamentos, além de começar a fabricá-los no Brasil para baixar os custos.

 

Repórter Luana Karen: A aposentada Gratia de Melo, tem na parede da sala de casa fotos dos últimos dez meses, desde que recebeu a notícia de que estava com câncer de mama. Nos registros, visitas de amigos que levaram solidariedade a brasiliense de 49 anos. Gratia está fazendo todo o tratamento contra o câncer do Sistema Único de Saúde.

 

Aposentada - Gratia de Melo: Foi todo pelo SUS mesmo. O hospital onde eu faço, todo mundo muito prestativo, fui bem acolhida, muito bom. Particular é muito caro, né? E aí eu não tinha conseguido se não fosse, de fato, o SUS.

 

Repórter Luana Karen: Em grande parte dos casos, o câncer de mama pode ser detectado bem no início, aumentando as chances de tratamento e de cura. Para incentivar a realização de exames que auxiliem nesse diagnóstico, o Ministério da Saúde reajustou os valores repassados para procedimentos como a biópsia e a punção. Em média, o reajuste foi de 100%, com isso, a expectativa é que triplique o número de procedimentos mais eficazes na identificação do tumor, é o que afirma do ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Quanto mais cedo confirmado o diagnóstico, mais chances de cura e mais rápido, barato e confortável é o tratamento. Então, nós decidimos fazer este reajuste para dar mais acesso às mulheres.

 

Repórter Luana Karen: O ministro Ricardo Barros explica que o Ministério da Saúde também está distribuindo cem novos equipamentos para radioterapia em todo o país.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Temos uma média recomendada pela OMS de um equipamento para cada 500 mil habitantes e estamos tentando alcançar essa média implantando novos serviços, apoiando entidades filantrópicas que têm o interesse em implantar o serviço e através da fabricação no Brasil dos equipamentos, portanto, um custo muito menor para atendimento da população.

 

Repórter Luana Karen: Em 2016 foram feitos quase 70 mil exames auxiliares no diagnóstico do câncer de mama no Sistema Único de Saúde. A expectativa é que neste ano esse número ultrapasse os 200 mil. O Instituto Nacional do Câncer estima que cerca de 58 mil mulheres vão ter câncer de mama este ano. A obesidade e o sedentarismo são apontados como fatores de risco para o desenvolvimento da doença. Mais da metade das mulheres estão em excesso de peso e quase 20% estão obesas. Em seis anos, o número de mamografias pelo SUS aumentou 35%. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: Uma doença silenciosa e rodeada de preconceitos, a hanseníase é um problema de saúde pública em vários estados brasileiros.

 

Nasi: E durante essa semana o Ministério da Saúde faz uma campanha de esclarecimento e tratamento nos municípios mais afetados. A repórter Carolina Rocha tem os detalhes.

 

Repórter Carolina Rocha: Dores nos nervos, inchaço, formigamento e dormência nas mãos, esses eram os sintomas com que Francilene Carvalho de Mesquita, que mora em Barras, no Piauí, convivia diariamente em 2006. Quando soube do diagnóstico, levou um susto.

 

Entrevistada - Francilene Carvalho de Mesquita: Quando eu vi a palavra hanseníase, esse nome, ele assusta, e para mim foi um baque muito grande.

 

Repórter Carolina Rocha: Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde, nos últimos cinco anos o Brasil respondeu 94% dos diagnósticos de hanseníase em um conjunto de 24 países das Américas. Em 2015 foram cerca de 26 mil casos no país. A coordenadora-geral de hanseníase e doenças em eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro Filha, diz que os números novos detectados caíram nos últimos anos, mas que isso não chega a ser uma boa notícia.

 

Coordenadora-geral de hanseníase e doenças em eliminação do Ministério da Saúde, Carmelita Ribeiro Filha: Onde a gente tem crianças adoecendo, isso é um indicador muito forte de que existe adultos, né, ao lado dessa criança, convivendo com essa criança que estão sem tratamento.

 

Repórter Carolina Rocha: E para ajudar na detecção precoce da hanseníase e estimular a população a falar sobre o assunto, começou essa semana uma ação nas cidades que mais registram casos entre crianças. São 20 municípios dos estados do Maranhão, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Piauí e Tocantins. O conselheiro nacional de Saúde, Artur Custódio, que também atua numa organização de enfrentamento à doença, a Morhan, conta sobre as atividades.

 

Conselheiro nacional de saúde - Artur Custódio: Está acontecendo o treinamento de médicos, agentes de saúde, é ir nos bairros. E no sábado vai ter um mutirão e os agentes de saúde vão prioprizar as pessoas com sinais e sintomas para poderem ser examinadas.

 

Repórter Carolina Rocha: O SUS oferece tratamento para a hanseníase. A doença é curável, mas se o paciente demorar para começar o tratamento, pode ficar com sequelas, foi o que aconteceu com a Francilene, que lá no início da reportagem nos contou como descobriu a doença. Nove anos depois da cura, ela atua hoje na ação do Ministério da Saúde.

 

Entrevistada - Francilene Carvalho de Mesquita: Na Mobilizador Social, conscientizando os cidadãos dos sinais e sintomas da doença.

 

Repórter Carolina Rocha: Para saber mais se prevenção, detecção e tratamento da hanseníase, acesse na internet o Portal Saúde, em: portalsaude.saude.gov.br. Reportagem, Carolina Rocha.

 

Gabriela: 19h16 pelo horário brasileiro de verão.

 

Nasi: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Gabriela: Estudantes de todo o país participam da Prova Brasil para avaliar a qualidade da educação.

 

Nasi: E a gente também vai falar sobre a Semana da Ciência e Tecnologia, que começou hoje em mais de mil cidades.

 

Gabriela: Atenção, micro e pequenos empresários, a Receita Federal identificou quase 100 mil empresas que caíram na malha fina na declaração do Simples Nacional.

 

Nasi: E vamos saber os detalhes no nosso quadro de hoje Pra Você Cidadão.

 

"Pra Você, Cidadão".

 

Repórter - Daniel Costa: A Receita Federal alerta que micros e pequenas empresas que caíram na malha fina precisam regularizar a situação. Segundo o órgão, cerca de 100 mil micros e pequenas empresas estão impedidas de transmitir a declaração mensal do Simples Nacional do mês do novembro. A Receita identificou que essas empresas declararam de forma errada no PGDas-D, nos campos como: imunidade, isenção, redução, cesta básica ou ainda lançamento de ofício. Essa marcação reduziu indevidamente o valor dos impostos a serem pagos. Para resolver, a empresa que está na malha fina vai ter de retificar as declarações anteriores, gerar e pagar o documento complementar para efetuar a regularização. Só assim vai ser possível evitar penalidades futuras como, por exemplo, a exclusão do Simples Nacional. O próprio PGDas-D vai apontar as declarações a serem retificadas. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: Hoje é o Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira.

 

Nasi: A data comemora o primeiro voo do 14-Bis, realizado 111 anos atrás por Santo Dumont, em Paris, na França.

 

Gabriela: E para lembrar a data, a Aeronáutica entregou medalhas em homenagem a civis e militares. A entrega foi feita pelo Presidente Michel Temer.

 

Repórter Eduardo Biagini: Ao som da banda da Aeronáutica, 196 homens e mulheres receberam das mãos do Presidente Michel Temer a Ordem do Mérito Aeronáutico, a mais importante condecoração da Força Aérea Brasileira. Ela homenageia civis e militares que se destacaram em ações de defesa do país. É o que explica o Ministério da Defesa, Raul Jungmann.

 

Ministro da Defesa - Raul Jungmann: É uma forma de destacar essas pessoas como aquelas que têm contribuído com a Força Aérea Brasileira, mas também com o Brasil, com a nossa soberania, com o nosso presente e com o nosso futuro.

 

Repórter Eduardo Biagini: Pelas redes sociais o presidente Temer ressaltou que os aviadores brasileiros são responsáveis por defender um espaço aéreo de 22 milhões de quilômetros quadrados. O presidente ainda comentou sobre outras atribuições da Força Aérea Brasileira, como assistência a populações que vivem em locais de difícil acesso, tanto no Brasil, quanto em cooperação com países amigos, levando ajuda humanitária. Reportagem, Eduardo Biagini.

 

Gabriela: E começou hoje a maior edição do Saeb, o Sistema de Avaliação da Educação Básica.

 

Nasi: Mais de 6,5 milhões de estudantes fazem a chamada Prova Brasil, com questões de português e matemática até o dia 3 de novembro.

 

Gabriela: A ideia é saber como anda a qualidade da educação em todo o país.

 

Repórter Raquel Mariano: Como está o desempenho dos estudantes em português e matemática por todo o Brasil? Essa é a dúvida que o Ministério da Educação quer responder por meio do Saeb, o Sistema de Avaliação da Educação Básica. A partir dessa segunda-feira, vão ser avaliadas as escolas públicas que tenham, pelo menos, dez alunos do quinto e do nono anos do Ensino Fundamental e da terceira série do Ensino Médio. Além disso, professores, diretores e alunos também respondem questionários, que possibilitam que conhecer a formação profissional e práticas pedagógicas, como explica Luana Bergmann Soares, diretora de avaliação da educação básica do Inep, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

 

Diretora de avaliação da educação básica do Inep - Luana Bergmann Soares: Nós não avaliamos, nesse caso, os alunos, ou seja, nós não damos uma devolutiva para o aluno em si, a gente dá o resultado para a escola e para as redes de ensino, e fazemos agregações por estado, por município e no âmbito do Brasil.

 

Repórter Raquel Mariano: E na cidade de Uberaba, em Minas Gerais, a aplicação das provas já começou. A estudante do nono ano, Júlia da Cruz Alves, da Escola Municipal Arthur Mello Teixeira fez a prova hoje e nos conta como foi a experiência.

 

Estudante do nono ano - Júlia da Cruz Alves: É uma prova em que muitas coisas que são dadas na sala da aula diariamente caem, né? Então, se o aluno, ele presta realmente atenção na aula, ele é um aluno que faz as atividades, ele facilmente consegue fazer uma prova dessas, sim.

 

Repórter Raquel Mariano: E neste ano, mais de 6,5 milhões de estudantes de 73.700 escolas fazem avaliação, que termina no dia 3 de novembro. Essa é a primeira vez que escolas particulares do Ensino Médio também participam. As escolas que aderiram à avaliação recebem um boletim com o desempenho dos alunos e informações sobre a qualidade do ensino. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Nasi: Muita gente tem dificuldade, mas a matemática está em tudo, seja na programação de computadores, na medicina, nas compras domésticas.

 

Gabriela: E a popularização da matemática é o tema da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que começa hoje em todo o Brasil.

 

Nasi: São atividades em quase todos os estados em mais de mil cidades, e a gente foi visitar uma feira em Brasília.

 

Repórter Gabriela Noronha: Até o próximo domingo o governo, escolas, universidades, centros de pesquisa, empresas e organizações da sociedade civil vão promover eventos em todo o país. Já são mais de mil municípios com atividades programadas com o foco na matemática, Jailson Bittencourt de Andrade, secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Comunicação e Inovações, explica que esta edição homenageia o matemático Jacob Palis.

 

Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência Tecnologia Comunicação e Inovações - Jailson Bittencourt de Andrade: A matemática do Brasil é considerada uma das melhores ciências matemáticas do mundo. O nosso homenageado que representa isso, o professor Jacob Palis Junior é um dos matemáticos mais premiados. Ele ganhou prêmios importantíssimos, inclusive, o Prêmio Balzan, que é dado para pouquíssimas pessoas.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para o matemático Jacob Palis, a ciência é fundamental para o desenvolvimento do país.

 

Matemático - Jacob Palis Junior: Para a justiça social, para você criar focos de excelência, e, ao mesmo tempo, de riqueza no país.

 

Repórter Gabriela Noronha: Em Brasília foi montada uma grande feira de ciências com entrada gratuita para o público. Entre as atrações, um protótipo em tamanho real do avião de combate Gripen NG, futuro caça da Força Aérea Brasileira. Quem for à exposição vai poder subir na cabine da aeronave e conhecer seu funcionamento em um simulador de voo. E que tal conhecer a Matcaverna? Isso mesmo, 'mat', de matemática. No espaço, alguns super-heróis famosos ajudam a garotada a entender algumas aplicações da ciência, como o cálculo da velocidade. A brasiliense Maria Eduarda Nóbrega, de 13 anos, adorou.

 

Entrevistada - Maria Eduarda Nóbrega: Porque aqui a gente está vendo as coisas que a gente gosta em matemática. Lá é sempre teoria, essas coisas chatas. E aí, aqui, quando a gente vê na prática é bem mais legal.

 

Repórter Gabriela Noronha: A exposição, que começou nesta segunda, promete conquistar até gente que não é muito fã da matéria, como a adolescente Camila Andrade.

 

Entrevistada - Camila Andrade: Eu estudo porque tem que estudar, mas, não, mas aqui está sendo muito legal.

 

Repórter Gabriela Noronha: A expectativa é que 100 mil pessoas visitem as atividades da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada todo ano, desde 2004, em todo o país. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: Quem financia os estudos pelo Fies, o Fundo de Financiamento Estudantil, ganhou mais prazo para fazer renovação do contrato. Ela pode ser feita até o dia 20 de novembro.

 

Nasi: Também foi estendido até o dia 20 de novembro o período para realizar a transferência integral de curso ou de instituição de ensino. E para solicitar maior prazo para usar o financiamento.

 

Gabriela: Os contratos do Fies devem ser renovados a cada semestre.

 

Nasi: O Fies é um programa do Governo Federal que finança os estudos de alunos de faculdades particulares.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".