24 de janeiro de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Presidente Michel Temer participa do Fórum Econômico Mundial na Suíça e afirma: Brasil voltou a ser um país com oportunidades de negócios. Em reuniões com chefes de estado e investidores, Temer apresenta reformas que fizeram a economia brasileira crescer e garante empenho para aprovar mais uma: a da Previdência. Começou o saque do PIS/Pasep para quem tem mais de 60 anos. Pacientes do SUS vão receber orientações sobre cuidados ao usar remédios. Ideia é reduzir falhas e custos do tratamento. E em mais uma matéria especial sobre as pesquisas realizadas em alto-mar, vamos conferir como é a rotina de trabalho dos pesquisadores no navio da Marinha.

audio/mpeg VOZ240118.mp3 — 45085 KB




Transcrição


Voz do Brasil - 24/01/2018

 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do governo federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 24 de janeiro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia. Presidente Michel Temer participa do Fórum Econômico Mundial, na Suíça, e afirma: "Brasil voltou a ser um país com oportunidades de negócios".

 

Presidente Michel Temer: O Brasil está de volta. E o Brasil que está de volta é um país mais próspero, um país mais aberto, um país de mais oportunidades de investimentos, de comércio e de negócios.

 

Gabriela: Em reuniões com chefes de Estado e investidores, Temer apresenta reformas que fizeram a economia brasileira crescer e garante empenho para aprovar mais uma, a da Previdência.

 

Presidente Michel Temer: Cada vez mais o povo brasileiro percebe que o sistema atual é injusto e insustentável. Portanto, nós vamos batalhar dia e noite pelo voto, no Congresso Nacional, para aprovar a proposta que ali está.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Começou o saque do PIS/Pasep para quem tem mais de 60 anos.

 

Nasi: Pacientes do SUS vão receber orientações sobre cuidados ao usar remédios. Ideia é reduzir falhas e custos do tratamento. Cleide Lopes.

 

Cleide Lopes: O farmacêutico vai orientar o paciente sobre a forma correta de guardar o remédio e o melhor horário para tomar a medicação.

 

Gabriela: E em mais uma matéria especial sobre as pesquisas realizadas em alto-mar, vamos conferir como é a rotina de trabalho dos pesquisadores no navio da Marinha. Gabriela Noronha.

 

Repórter Gabriela Noronha: No navio Vital de Oliveira, mesmo sendo civil, obedecemos à rotina militar. Temos horário para tudo e as refeições são feitas em conjunto. Rapidamente, aprendo a minha primeira lição: viver em coletividade.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: O Brasil voltou a ser um país com oportunidades de investimentos, de negócios e comércio.

 

Gabriela: Esta foi a mensagem que o presidente Michel Temer deu a líderes políticos e empresariais no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

 

Nasi: O presidente discursou no encontro, fez um balanço das ações do governo e falou sobre as possibilidades que o Brasil oferece para investidores internacionais.

 

Repórter João Pedro Neto: A uma plateia de centenas de grandes empresários e investidores internacionais, o presidente Michel Temer disse que o Brasil retomou o crescimento e está se tornando mais eficiente.

 

Presidente Michel Temer: O Brasil está de volta. E o Brasil que está de volta é um país mais próspero, um país mais aberto, um país de mais oportunidades de investimentos, de comércio e de negócios. E tudo isso nós obtivemos em apenas um ano e oito meses de governo. Nesse curto período que nós transformamos o Brasil. Levamos adiante uma ampla agenda de reformas para modernizar a economia, o ambiente de negócios, o mercado de trabalho, a gestão pública, a administração das empresas estatais.

 

Repórter João Pedro Neto: O presidente destacou a melhora de indicadores econômicos, a queda do desemprego e a agenda de reformas em curso no país. Michel Temer reforçou o empenho do governo para aprovar a reforma da Previdência e disse que, até o fim do ano, o governo quer simplificar o sistema tributário no país.

 

Presidente Michel Temer: Nosso próximo passo é consertar a Previdência Social. O povo brasileiro percebe que o sistema atual é injusto e insustentável.

 

Repórter João Pedro Neto: Aos convidados do Fórum Econômico Mundial, o presidente disse que, hoje, o país está mais aberto e afirmou que o Governo tem atuado para integrar cada vez mais o Brasil à economia global, ao citar as negociações comerciais com outros países e a aproximação do Mercosul com blocos econômicos. Michel Temer falou ainda sobre as concessões de serviços públicos e privatizações, e convidou o público internacional a investir no Brasil.

 

Presidente Michel Temer: Adotamos modelo de concessões e privatizações realista, com marco regulatório seguro e estável. Em apenas um ano e meio, só para exemplificar, foram 70 projetos licitados à iniciativa privada e mais 75 outros serão licitados agora em 2018. São portos, aeroportos, rodovias, ferrovias, linhas de transmissão, jazidas de gás e petróleo, que oferecem grandes oportunidades a empresas nacionais e estrangeiras.

 

Repórter João Pedro Neto: Michel Temer usou cinco palavras para resumir o Brasil de hoje: responsabilidade, diálogo, eficiência, racionalidade e abertura. De Davos, na Suíça, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E após o discurso, o presidente Michel Temer teve uma série de reuniões com governantes, representantes de organizações internacionais e executivos de grandes empresas.

 

Nasi: Nos encontros, o presidente falou sobre a situação econômica do Brasil e sobre oportunidades para investir no país.

 

Repórter João Pedro Neto: Depois de se reunir com o presidente Temer, o secretário-geral da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, Angel Gurría, disse que a comunidade internacional tem expectativas positivas em relação ao Brasil. Ele afirmou que o processo de adesão do país à OCDE está em andamento e que o país é grande parceiro da organização.

 

Secretário-geral da OCDE - Angel Gurría: O Brasil é um dos cinco países que nós chamamos parceiros-chave. Damos uma importância particular ao Brasil, a sua importância objetiva, econômica, populacional, geográfica, tudo. E também pela participação do Brasil nos fóruns internacionais, Nações Unidas, etc.

 

Repórter João Pedro Neto: O presidente do Conselho de Administração do Goldman Sachs International, um dos principais bancos de investimentos do mundo, José Manuel Durão Barroso, também se reuniu com o presidente. Ex-primeiro-ministro de Portugal e ex-presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso disse que trocou informações com Michel Temer sobre a situação do Brasil e declarou que as reformas em curso são importantes para a modernização do país.

 

Presidente do Conselho de Administração do Goldman Sachs International - José Manuel Durão Barroso: Vou daqui desta reunião com o Sr. Presidente com confiança no futuro do Brasil.

 

Repórter João Pedro Neto: Michel Temer também se reuniu com o presidente da Shell, que disse que as medidas adotadas pelo governo brasileiro na área de óleo e gás são positivas para os investimentos. Com o diretor-executivo da ArcelorMittal, conglomerado do setor de aço, Temer discutiu as oportunidades de investimentos no Brasil. Em entrevista exclusiva à Voz do Brasil, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que acompanha Temer na viagem, disse que os investidores estão otimistas com a recuperação do país.

 

Ministro da Fazenda - Fernando Meirelles: O Brasil já está aprovando as reformas fundamentais, o Brasil já voltou a crescer, já criou empregos em 2017, está criando empregos e uma expectativa de crescimento elevada em 2018. Hoje, o Brasil claramente é um lugar onde todos pretendem manter ou aumentar os investimentos, aqueles que, evidentemente, já têm presença no Brasil. E aqueles que estão estudando estão bastante encorajados pelo que veem.

 

Repórter João Pedro Neto: O presidente se encontrou ainda com o primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, que disse que espera aumento da relação econômica entre os dois países e que empresas brasileiras são bem-vindas para atuar no Líbano e ajudar a reconstruir a infraestrutura do país. Já o presidente de Angola, João Lourenço, depois de se reunir com Michel Temer, afirmou que os dois líderes trataram da cooperação econômica bilateral. De Davos, na Suíça, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E agora há pouco, o presidente Michel Temer e a delegação brasileira participaram de um jantar com empresários e investidores.

 

Nasi: O presidente voltou a falar sobre resultados alcançados pela economia brasileira e avaliou alta da Bolsa de Valores de São Paulo, que hoje bateu novo recorde de negócios, como reflexo do momento que vive o país.

 

Presidente Michel Temer: Os picos da Bolsa de Valores no passado, 65 mil, quando muito 66 mil, hoje 83 mil pontos, a revelar que as instituições estão funcionando com muita normalidade, muito tranquilamente, uma confiança absoluta no Brasil, porque senão a Bolsa também é reflexo daquilo que as pessoas pensam do nosso mercado e das possibilidades e potencialidades do nosso país. Houve criação de empregos no mês de dezembro do ano passado, o saldo negativo dos empregos era de 1,36 milhão. O saldo deste dezembro, negativo, é de 28 mil.

 

Gabriela: E em vídeo publicado nas redes sociais, o presidente Michel Temer lembrou que hoje é comemorado o Dia do Aposentado.

 

Nasi: Além de cumprimentar os aposentados, Temer reafirmou a necessidade de se aprovar a reforma da Previdência.

 

Gabriela: Para o presidente, ela é fundamental para que todos que têm o direito continuem a receber a aposentadoria no futuro. Vamos ouvir.

 

Presidente Michel Temer: Eu quero, inicialmente, cumprimentá-los, aposentado, aposentada do nosso país. Mas quero também dizer que no dia 20, próximo, de fevereiro, nós vamos votar uma readequação, uma reformulação da Previdência Social, sabe para quê? Para exatamente garantir o que você recebe como aposentado, como aposentada, para garantir o pagamento daqueles servidores públicos, para não acontecer o que aconteceu em vários estados brasileiros, em que a dívida previdenciária, digamos assim, quase quebra os estados brasileiros. Isso não pode acontecer no nosso país, por isso nós estamos empenhados em fazer a reforma da Previdência. Porque digo a você: se não fizermos hoje uma readequação previdenciária, você vai ter prejuízo, porque acontecerá o que aconteceu na Grécia, aconteceu em Portugal, você tem que readequar a Previdência para continuar a receber a aposentadoria. Não é para o meu governo, isso é para o Brasil, é para o próximo governo e é para você. Parabéns no seu dia.

 

Nasi: Começou hoje o saque do PIS/Pasep para quem tem 60 anos ou mais.

 

Gabriela: Nas contas do governo, 3,2 milhões de pessoas devem ser beneficiadas. Elas devem sacar mais de R$ 5,5 bilhões.

 

Nasi: O repórter Nei Pereira foi hoje cedo para o banco saber o que os cotistas vão fazer com o dinheiro extra.

 

Repórter Nei Pereira: O agente administrativo Francisco Matias dos Santos foi o primeiro da fila de uma agência da Caixa Econômica Federal de Brasília para sacar as cotas do PIS. Aos 63 anos e 31 de trabalho, foi beneficiado com a nova regra do PIS/Pasep, que reduziu a idade mínima de saque para 60 anos. O dinheiro chegou em uma hora de aperto financeiro.

 

Agente administrativo - Francisco Matias dos Santos: Para mim, veio numa hora boa, porque eu agora vou pagar minhas dívidas, foi muito bom.

 

Repórter Nei Pereira: O microempreendedor Sérgio Luís Teixeira, de 63 anos, também vai usar o dinheiro para quitar compromissos.

 

Microempreendedor - Sérgio Luís Teixeira: Tem as contas para pagar, está entrando em boa hora.

 

Repórter Nei Pereira: Assim como Francisco e Sérgio, tem direito ao saque do fundo do PIS/Pasep quem trabalhou com carteira assinada entre 1971 e 1988, e já tenha completado 60 anos. Servidores públicos, beneficiários do Pasep, recebem no Banco do Brasil. Já quem trabalhou em empresas particulares podem sacar o PIS na Caixa Econômica Federal. Quem tem conta nesses bancos públicos nem precisa ir até uma agência. O dinheiro já foi liberado, é só conferir no extrato. O superintendente regional da Caixa no Distrito Federal, Paulo Leonel Menezes, lembra que herdeiros de cotistas falecidos também têm direito ao saque.

 

Superintendente regional da Caixa - Paulo Leonel Menezes: Se todos os herdeiros forem maiores de idade, eles fazem o rateio e sacam o recurso. Se houver algum menor de idade, esse menor, esse dinheiro é depositado numa conta até que ele complete 18 anos para que ele possa efetuar, então, o saque, quando ele for maior de idade.

 

Repórter Nei Pereira: Segundo o governo, só nesta etapa, 3,2 milhões de cotistas vão ser beneficiados, e a previsão é que cerca de R$ 5,6 bilhões sejam injetados na economia. O secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos, do Ministério do Planejamento, Marcos Ferrari, destaca a importância da medida.

 

Secretário de Planejamento e Assuntos Econômicos, do Ministério do Planejamento - Marcos Ferrari: Para a economia isso é fundamental, porque se permite incentivar comércio, incentivar o varejo, que têm um impacto positivo no PIB. Então a pessoa ter esse valor, essa renda extra no seu orçamento, é importante para o ano.

 

Repórter Nei Pereira: Para saber se tem direito ao benefício, quem trabalhou em empresa particular deve acessar o site da Caixa, no endereço caixa.gov.br/cotaspis. Já os servidores públicos devem acessar a página bb.com.br/pasep. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gabriela: Dezenove e treze no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Começa amanhã a campanha de vacinação contra a febre amarela nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Gabriela: Daqui a pouco a gente traz detalhes de quem deve tomar a vacina e como vai funcionar a campanha.

 

Nasi: A partir de amanhã, turistas dos Estados Unidos que quiserem vir ao Brasil podem solicitar o visto de entrada no país, de forma mais rápida, pela internet.

 

Gabriela: Com o visto eletrônico, todo o processo passa a demorar, no máximo, três dias.

 

Nasi: Pelas projeções do Ministério do Turismo, o número de turistas norte-americanos pode aumentar 25% todos os anos, chegando a mais de 700 mil.

 

Gabriela: O ministro do Turismo, Marx Beltrão, está nos Estados Unidos para divulgar o visto eletrônico e afirmou que a medida também pode gerar mais investimentos estrangeiros.

 

Ministro do Turismo - Marx Beltrão: Hoje é um dia muito importante para o turismo brasileiro, onde estamos lançando o visto eletrônico aqui nos Estados Unidos, em Nova Iorque, com objetivo de divulgar a questão do visto eletrônico, além de atrair turistas americanos para o nosso país, consequentemente oportunidades. Até porque, quando as pessoas visitam, elas também vão com o intuito de fazer investimentos. Então isso é muito importante para o nosso país, que está precisando e crescendo com relação à geração de emprego.

 

Nasi: Você ouviu ontem aqui na Voz do Brasil a primeira reportagem da série especial sobre o trabalho da Marinha e de vários pesquisadores em alto-mar, como é a rotina dentro de um navio.

 

Gabriela: Hoje, a repórter Gabriela Noronha, que passou 12 dias no navio, nos conta como funcionam as pesquisas do Projeto Pirata.

 

Nasi: Dificuldades, desafios, cansaço e tensão. Será que os pesquisadores vão conseguir realizar a missão?

 

Gabriela: Vamos conferir.

 

Repórter Gabriela Noronha: No terceiro dia, marinheira de primeira viagem, ainda sinto os efeitos da vida no mar, com enjoos constantes. No navio Vital de Oliveira, mesmo sendo civil, obedecemos à rotina militar. Temos horário para tudo e as refeições são feitas em conjunto. Rapidamente, aprendo a minha primeira lição: viver em coletividade. E assim, ao som das águas, se faz o Projeto Pirata, cooperação entre Brasil, França e Estados Unidos, para estudar o Oceano Atlântico com boias espalhadas em alto-mar. As boias estão há cerca de um ano coletando dados e transmitindo tudo via satélite. Com o tempo, os sensores começam a se deteriorar. A própria água do mar corrói os instrumentos e prejudica a transmissão de dados. É preciso trocar as oito boias periodicamente. São dias de reuniões e muita conversa entre a tripulação. Enquanto o grande dia não chega, o engenheiro eletrônico do Inpe, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Paulo Arlino, me convida para ver de perto a nova boia, que em breve será lançada ao mar, e detalha como funciona.

 

Engenheiro Eletrônico do Inpe - Paulo Arlino: O painel solar é sempre um atrativo a mais para alguém que pode passar ao lado da boia, olhar um painel solar e aquilo pode gerar uma certa cobiça. Tendo só a bateria, eu não posso transmitir um volume grande de dados, em pouco tempo eu vou consumir toda a energia da bateria. Agora com a boia, armazena esses dados de alta frequência. Então é fundamental recuperar a boia. Quando eu vou fazer a manutenção, não é só instalar uma boia nova no local, é fundamental que eu possa tirar aquela boia da água e fazer a leitura de um ano de dados, que estão armazenados em cada instrumento.

 

Repórter Gabriela Noronha: É manhã de sábado. Lá no horizonte azul, a oitava boia do Projeto Pirata é avistada. É hora de colocar em prática tudo o que foi planejado. Acompanho a movimentação com curiosidade e até uma certa tensão. O comandante Alex Azevedo conta que a tecnologia de ponta do navio é fundamental para o sucesso.

 

Comandante - Alex Azevedo: Nós precisamos fazer o rodízio anual dessas boias, que nós trocamos os sensores. Então, o Vital de Oliveira, em função do seu parque de guinchos, facilitou muito esse rodízio das boias.

 

Repórter Gabriela Noronha: O trabalho se estende até o final do dia. Chegamos ao fim desta etapa da viagem e, finalmente... a última boia é lançada ao mar. O cansaço e a tensão dão lugar à alegria, e a tripulação toda comemora. A noite traz o céu estrelado e o alívio do dever cumprido. A bordo, todos estão satisfeitos com o sucesso da missão, mesmo sabendo que ainda tem muito trabalho pela frente. E amanhã, na terceira matéria especial sobre o Projeto Pirata, vamos mostrar a coleta de dados para pesquisas. Reportagem especial, Gabriela Noronha.

 

Nasi: A eficácia de um tratamento de saúde não depende só dos médicos, mas de como os pacientes seguem as orientações e usam os remédios.

 

Gabriela: Para evitar desperdícios e garantir o uso correto dos medicamentos, o Ministério da Saúde lançou o programa Cuidados Farmacêuticos.

 

Nasi: O programa vai começar nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

 

Gabriela: Num primeiro momento, pacientes de hepatite e artrite reumatoide vão ter atendimento personalizado nas farmácias do Sistema Único de Saúde.

 

Repórter Cleide Lopes: Na hora de pegar os medicamentos na farmácia do SUS, esses pacientes agora vão ter à disposição um profissional de Farmácia para orientar sobre o uso racional do medicamento que ele usa. Daiane Ferreira de Melo, que mora em Florianópolis, sofre de artrite reumatoide há oito anos. Ela gostou da novidade e fala da vantagem de ter um profissional da área na hora de buscar o medicamento.

 

Entrevistada - Daiane Ferreira de Melo: Muitos pacientes relatam que chegam na farmácia de alto custo e são atendidos por um atendente que não... muitas vezes não informam como a pessoa deve armazenar o medicamento, principalmente biológico. Então eu acredito que, com essa atitude de ter um profissional ali orientando, vai ser excelente para evitar desperdício de medicamentos, descarte e o medicamento ter mais qualidade.

 

Repórter Cleide Lopes: O ministro da Saúde, Ricardo Barros, falou que, até o final do ano, mais sete estados serão inseridos no projeto. Ele explicou que a medida vai promover economia para o Sistema Único de Saúde.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Investindo na qualificação da assistência farmacêutica, na estruturação das farmácias dos municípios, que é o Qualifar-SUS. Provocamos assim economia para o erário, mantendo a qualidade para o atendimento das pessoas.

 

Repórter Cleide Lopes: O uso inadequado de medicamentos pode prejudicar o tratamento, além de elevar os custos do SUS. O farmacêutico vai orientar o paciente sobre a forma correta de guardar o remédio e o melhor horário para tomar a medicação. A ação aproxima o profissional do paciente, promovendo um atendimento mais humanizado, como explica o presidente do Conselho Federal de Farmácia, Walter Jorge João.

 

Presidente do Conselho Federal de Farmácia - Walter Jorge João: Isso vai agregar valorização para o profissional farmacêutico, mas, mais que tudo, isso vai também trazer grande benefício para o usuário do Sistema Único de Saúde.

 

Repórter Cleide Lopes: Para estruturar a assistência farmacêutica em 629 municípios, o Ministério da Saúde vai liberar R$ 22 milhões. Os recursos vão permitir às prefeituras investir na contratação de profissionais e no aprimoramento dos serviços das farmácias locais. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: Está tudo pronto em 69 cidades dos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro para a campanha de vacinação contra a febre amarela, que começa amanhã.

 

Gabriela: Mais de 20 milhões de pessoas devem ser imunizadas.

 

Nasi: A Bahia também vai fazer uma campanha de vacinação contra a doença, a partir do dia 19 de fevereiro.

 

Gabriela: A meta é imunizar mais de 8 milhões de pessoas, em oito municípios.

 

Repórter Raíssa Lopes: A campanha de vacinação será realizada em locais com evidência de circulação do vírus da febre amarela. Será usada a dose fracionada, que, segundo a Fiocruz, tem a mesma proteção da dose padrão. O sábado 27 de janeiro foi escolhido como dia D de vacinação contra a febre amarela no Rio de Janeiro e em São Paulo. A expectativa é que um grande número de pessoas sejam vacinadas já neste dia, como conta o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: A vacina tem excelente efetividade, tem ótima qualidade, está produzindo a imunização, pelos estudos de acompanhamento, de forma adequada, e o dia D, que é dia 27, há uma expectativa de grande número de pessoas vacinadas, até porque alguns estados estabeleceram outros pontos de vacinação, Corpo de Bombeiros, outras áreas, para poder atender melhor a população.

 

Repórter Raíssa Lopes: De julho do ano passado até hoje, foram confirmados 130 casos da doença no país. A maior parte deles, 61, ocorreram no estado de São Paulo, 53 pessoas morreram. Segundo o Ministério da Saúde, de julho de 2016 a janeiro de 2017, foram 397 casos e 131 óbitos. Ricardo Barros acredita que a redução no número de casos mostra que as ações preventivas do governo foram efetivas.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Nós temos menos casos, menos óbitos, o que demonstra que as ações preparatórias da vacinação foram adequadas.

 

Repórter Raíssa Lopes: O Ministério da Saúde lembra que quem já recebeu a vacina alguma vez na vida não precisa de outra dose. Cinquenta e sete milhões e quatrocentas mil de vacinas já foram enviadas para todo o território brasileiro, desde o ano passado. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Nasi: O governo vai investir quase R$ 800 milhões para implantar o novo Ensino Médio, em parceria com os estados.

 

Gabriela: O dinheiro vai ser financiado pelo Banco Mundial.

 

Nasi: Para fazer o financiamento, o presidente em exercício, Rodrigo Maia, assinou hoje um pedido de autorização, que deve ser aprovado pelo Senado. A previsão é que a aprovação ocorra em até 90 dias.

 

Gabriela: O ministro da Educação, Mendonça Filho, explica como vai funcionar a parceria com os estados.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Discussões com relação a itinerários formativos e alternativas, a implementação dos currículos, que serão definidos pelos estados, treinamento e capacitação do pessoal no processo de implementação da reforma do Ensino Médio.

 

Nasi: E essas foram as notícias do governo federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com o Minuto do TCU e em seguida as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Nasi: Boa noite e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".