25 DE OUTUBRO DE 2017

Destaques da Voz do Brasil: Banco Central anuncia 9º corte consecutivo na taxa de juros. Turmas da alfabetização vão contar com assistentes para apoiar professores dentro das salas de aula. Incêndio no Parque da Chapada dos Veadeiros começa a ser controlado.

audio/mpeg VOZ251017.mp3 — 45046 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 25 de outubro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Banco Central anuncia novo corte consecutivo na taxa de juros. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: A Taxa Selic caiu 0,75 ponto percentual e agora é de 7,5% ao ano. Daqui a pouco eu volto com mais informações.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Turmas da alfabetização vão contar com assistentes para apoiar professores dentro das salas de aula. Nei Pereira.

 

Repórter Nei Pereira: A presença de assistentes de alfabetização, que vão trabalhar com os professores em sala de aula deve beneficiar inicialmente 4,6 milhões de alunos.

 

Nasi: Incêndio no Parque da Chapada dos Veadeiros começa a ser controlado. José Luiz Filho.

 

Repórter José Luiz Filho: Há indícios que alguns focos de incêndio começaram depois da ação irresponsável de frequentadores da área, o que será investigado.

 

Gabriela: E vamos falar de uma nova plataforma que vai facilitar a vida de quem compra produtos importados pela internet.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: A Taxa Básica de Juros, a Selic, caiu mais uma vez.

 

Gabriela: O Comitê de Política Monetária, o Copom, acaba de definir a nova taxa. Nós vamos conversar com a repórter Luana Karen que tem os detalhes, ao vivo. Boa noite, Luana. Em quanto ficou a Selic?

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. A nova Taxa Selic é de 7,5% ao ano, uma queda de 0,75 ponto percentual em relação à taxa anterior. É o menor patamar desde abril de 2013 e o nono corte seguido da Selic. Eu estou aqui ao lado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que vai comentar o impacto da Selic na economia em primeira mão e com exclusividade para a Voz do Brasil. Ministro.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles (ao vivo): Pois não. É um passo muito importante que o país está dando, que é na estabilização da economia, no equilíbrio fiscal, com todas as medidas que estão sendo tomadas, as reformas que estão sendo feitas, isso, entre outras coisas, e conjuntamente com decisões corretas do Banco Central, isso fez com que a inflação caísse para patamares baixos e que estão permitindo o Banco Central cortar a taxas de juros. E isto é um duplo benefício para o país. De um lado a inflação baixa, se aumenta o poder de compra da população, dá maior estabilidade, os preços sobem menos. Isso é fundamental para o bem-estar dos brasileiros e a economia. E, ao mesmo tempo, permite que a taxa de juros caia, não é? Então, isso permite que se reflita no crédito que vai cair, o custo do empréstimo, o custo dos financiamentos. Isso permite também que o consumidor seja beneficiado, mais o investidor, o empresário também e os demais da população brasileira e o país possa vir a crescer mais. Portanto, é uma notícia esperada por nós, mas muito positiva.

 

Repórter Luana Karen (ao vivo): Está certo, ministro Henrique Meirelles. Obrigada pela sua participação, ao vivo, na Voz do Brasil. A decisão do Copom foi por unanimidade e reflete um conjunto de indicadores positivos que mostram a recuperação da economia brasileira. A trajetória de queda da taxa básica de juros começou em outubro de 2016, quando estava em 14,25% ao ano. A Taxa Selic é usada como referência para definir os juros pagos em diversos contratos do sistema financeiro. A Selic influencia desde empréstimo para a compra de imóveis a cartões de crédito, como bem lembrou o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O Banco do Brasil, por exemplo, já anunciou queda nas taxas de juros para pessoas físicas e jurídicas a partir da próxima segunda-feira. É isso. Ao vivo, de Brasília, Luana Karen.

 

Nasi: E, além dos juros baixos, a inflação em queda e o aumento no consumo dos brasileiros vêm animando os lojistas.

 

Gabriela: É, Nasi, o cenário econômico aumenta o otimismo desses empresários.

 

Nasi: Hoje o ministro do Desenvolvimento Social participou do Fórum Nacional do Comércio e propôs uma parceria para aproveitar a retomada do crescimento e garantir emprego às famílias de baixa renda.

 

Repórter Diego Queijo: O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, foi um dos palestrantes na abertura da terceira edição do Fórum Nacional do Comércio, realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, a CNDL. Na ocasião, Terra convocou empresários a apoiarem as ações do Governo Federal e destacou o papel do setor varejista na geração de empregos e desenvolvimento econômico e social.

 

Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário - Osmar Terra: Nós já temos montado um portal onde nós vamos casar em cada município a oferta de mão de obra e a oferta de emprego, e o que é que precisa de capacitação técnica para essas pessoas que estão no Bolsa Família entrarem nas lojas. As empresas que forem nossas parceiras nessa proposta vão ter um selo de colaboração na área social. E nós pretendemos com isso reduzir... Nós não vamos terminar com a necessidade do Bolsa Família, mas reduzir, mas reduzindo para cima, né, fazendo com que as pessoas melhorem de vida, progridam na vida, que esse deve ser o objetivo de qualquer programa social.

 

Repórter Diego Queijo: Além de facilitar o acesso dos beneficiários a vagas de emprego, a estratégia do Plano Progredir prevê oferta de microcrédito, estímulo e capacitação para os jovens na área de tecnologia da informação e premiação aos prefeitos que conseguirem realizar ações que aumentem a renda dos mais pobres. A cerimônia de abertura do fórum deixou claro o tom de otimismo com o cenário econômico do país. Números que, de acordo com o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, devem aumentar com a retomada do crescimento.

 

Presidente da CNDL - Honório Pinheiro: Estamos vivendo um momento de retomada e tenho percebido o sentimento de trabalhadores, empresários e investidores que voltaram a ter mais confiança na economia e mais esperança na construção de um Brasil pujante. E, com isso, gerar emprego e renda necessários para absolver o atual contingente de mão de obra desempregada.

 

Repórter Diego Queijo: O setor de comércio e serviços soma 1 milhão de empresas e 6 milhões de empregos em todo o país. Reportagem, Diego Queijo.

 

Gabriela: Os níveis de alfabetização dos estudantes do ensino fundamental foram divulgados hoje.

 

Nasi: E os números mostram uma estagnação na aprendizagem desses alunos.

 

Gabriela: Para reverter esta situação o governo lançou hoje uma série de medidas. Uma delas é investir mais de R$ 500 milhões para incluir assistentes de alfabetização dentro das salas de aula.

 

Nasi: Isso significa atender 4,5 milhões de alunos em 200 mil turmas de todos os municípios a partir do ano que vem.

 

Repórter Nei Pereira: A estudante Emylli Cavaleiro Wagner tem oito anos e está no terceiro ano do ensino fundamental. Aluna aplicada, ela tem notas boas e é apaixonada pela leitura.

 

Estudante - Emylli Cavaleiro Wagner: Eu leio quase todo dia. A minha mãe, ela sempre compra livro para mim para eu continuar lendo.

 

Repórter Nei Pereira: O bom desempenho da Emylli não se repete em todo o país. Segundo dados da Avaliação Nacional de Alfabetização, feita com mais de 2 milhões de estudantes do terceiro ano do ensino fundamental das escolas públicas, mais da metade dos alunos tem nível de aprendizado insuficiente. Na leitura o índice insatisfatório chega a 54,7%, na escrita é de 33,95% e na matemática 54% dos estudantes estão com o desempenho abaixo do esperado. Na avaliação do governo, as políticas públicas de alfabetização implantadas até agora não apresentaram resultado. Por isso, o Ministério da Educação lançou nesta quarta-feira uma nova Política Nacional de Alfabetização. A presença de assistentes de alfabetização que vão trabalhar com os professores em sala de aula deve beneficiar inicialmente 4,6 milhões de alunos, como detalha a ministra interina da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro.

 

Ministra Interina da Educação - Maria Helena Guimarães de Castro: É um programa de apoio aos estados e municípios, às turmas do primeiro e do segundo anos, com materiais didáticos de apoio, de acordo com a escolha dos estados e dos municípios, um apoio para o professor assistente, que será um apoiador na sala de aula do professor regente de classe.

 

Repórter Nei Pereira: O MEC vai investir cerca de R$ 2 bilhões na formação de professores. Segundo Maria Inês Fini, presidente do Instituo Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, a formação de professores é um dos focos para melhorar a alfabetização.

 

Presidente do Inep - Maria Inês Fini: Hoje o nosso curso superior, que é o de pedagogia, essa formação é muito diluída, não há um foco específico na alfabetização. Acredito que o foco na formação inicial e continuada de todos os professores que estão atuando, nós vamos reverter esse quarto.

 

Repórter Nei Pereira: Na semana passada, o governo anunciou o Programa de Residência Pedagógica, que vai ofertar 80 mil vagas a partir do próximo ano. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gabriela: Vinte e cinco por cento do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foram queimados pelo fogo, que já dura mais de uma semana.

 

Nasi: Mas, segundo o Ministério do Meio Ambiente, o reforço no combate ao fogo com aviões e o apoio de voluntários está ajudando a controlar os focos.

 

Gabriela: Além disso, uma investigação começa a ser feita. Há indícios de que o incêndio seja criminoso.

 

Repórter José Luiz Filho: O incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, está controlado, e os focos que ainda resistem devem ser extintos nos próximos dias. A afirmação foi dada hoje pelo ministro do Meio Ambiente, Marcelo Cruz.

 

Ministro do Meio Ambiente - Marcelo Cruz: Tudo indica, considerando as condições atuais de clima, que a gente consiga debelar o incêndio até o final de semana.

 

Repórter José Luiz Filho: Técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade estimam que 25% do parque foram atingidos pelo fogo, o equivalente a 60 mil hectares, uma área do tamanho de 60 mil campos de futebol. De acordo com o ministro do Meio Ambiente, há indícios que alguns focos de incêndio começaram depois da ação irresponsável de frequentadores da área, o que será investigado.

 

Ministro do Meio Ambiente - Marcelo Cruz: Teve relatos que viram pessoas, inclusive motos com combustível na mão, colocando fogo em alguns locais lá da chapada. A gente tem a avaliação técnica que são focos com comportamentos não muito padrão, o que nos leva a querer que tenha sido de fato, alguns desses focos, provocados de forma deliberada.

 

Repórter José Luiz Filho: Cinco aviões-tanque, um cargueiro Hércules C-130 das Forças Armadas e quatro helicópteros são usados no combate ao fogo, além do trabalho de mais de 200 profissionais, que lutam dia e noite para acabar com os focos de incêndio. Brigadistas do ICMBio e do Ibama tentam impedir que as chamas atinjam estruturas administrativas do parque. Especialistas de outros parques nacionais, como o do Itatiaia, no Rio de Janeiro, e bombeiros de Goiás e Brasília, também participam da operação. Moradores da região ajudam no combate ao incêndio e no apoio às equipes. Serena Elufe de Quadros transformou a casa dela em base para o recebimento de doações.

 

Voluntária - Serena Elufe de Quadros: Tem gente que para na rua e dá dinheiro. Vem doação do Brasil inteiro, de fora de Brasil. Brigadas voluntários chegando e querendo atuar.

 

Repórter José Luiz Filho: O veterinário Márcio Bicali Sobrino trabalha como voluntário no atendimento aos animais feridos ou que foram recolhidos ao tentar fugir do incêndio.

 

Veterinário - Márcio Bicali Sobrino: Uma arara é o único bichinho que foi resgatado até agora. Vários brigadistas têm informado que têm visto muitos animais pequenos mortos já pelo fogo.

 

Repórter José Luiz Filho: O Zoológico de Brasília enviou uma equipe com veterinários, biólogo e um técnico para trabalhar no socorro dos animais. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gabriela: 19hs12, no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: E você vai ouvir ir ainda hoje...

 

Gabriela: Cidades de dois estados vão ter o sinal de TV analógico desligado hoje à meia-noite.

 

Nasi: E vamos falar também da nova lista de medicamentos que vão ser oferecidos pelo SUS.

 

Gabriela: Comprar aquele produto importado pela internet, esperar, esperar. Tanta demora que o consumidor muitas vezes acaba desistindo da compra.

 

Nasi: Pois é, Gabriela, mas agora uma parceria entre a Receita Federal e os Correios vai permitir que a importação seja mais rápida, com rastreamento e pagamento de impostos tudo online.

 

Gabriela: O novo sistema vai beneficiar pequenos importadores e as empresas também.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Madeleine Machado é uma compradora assídua em sites da internet que vendem produtos importados. Ela conta que todo mês acaba se rendendo à tentação e comprando alguma coisa. Mas a demora para entregar muitas vezes faz ela repensar a compra ou fazer todo o processo com muita antecedência.

 

Consumidora de Produtos Importados - Madeleine Machado: Às vezes você está pensando para uma data especial: "Poxa, tem um aniversário tal". Você quer comprar para dar de presente também, que já aconteceu de eu fazer isso, e demora muito.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Quando soube pela nossa reportagem que com o lançamento de uma plataforma digital, que integra as informações da Receita Federal e dos Correios, Madeleine, que mora em Brasília, garantiu que vai comprar mais.

 

Consumidora de Produtos Importados - Madeleine Machado: É, dá um ânimo maior. É uma forma de melhorar, sim, esse comércio que a gente tem de produtos importados.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E não é só a redução do prazo de entrega que o novo site vai trazer de benefício. Agora, o rastreamento do produto vai ser eletrônico e mais preciso, e o pagamento dos impostos vai poder ser feito pela internet, por boleto ou cartão de crédito. Antes da plataforma, o comprador precisava ir a uma agência dos Correios para recolher os tributos. Para Luiz Felipe de Barros, subsecretário substituto de Aduana e Relações Internacionais da Receita Federal, mais que trazer comodidade ao comprador, essa nova ferramenta vai aprimorar o controle de entrada de produtos ilícitos no país.

 

Subsecretário Substituto de Aduana e Relações Internacionais da Receita Federal - Luiz Felipe de Barros: Selecionar melhor aquelas remessas que possam ter algum tipo de ilícito, algum tipo de irregularidade, seja por subfaturamento, seja por uma valoração inferior, seja por uma possibilidade de drogas.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Para o presidente dos Correios, Guilherme Campos Júnior, não só os consumidores brasileiros que importam são beneficiados, mas as empresas do país também, já que os impostos sobre esses produtos que entram no Brasil vão ser calculados de maneira mais justa, favorecendo a concorrência.

 

Presidente dos Correios - Guilherme Campos Júnior: Beneficia a todas as empresas nacionais que passam a concorrer com as empresas de fora pagando o imposto de importação específico daquele produto que está sendo internalizado.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Só neste ano, o comércio eletrônico de importados no Brasil já movimentou quase R$ 50 bilhões. São mais de 21 milhões de compradores nesse segmento. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Nasi: A plataforma Minhas Importações já está disponível no site dos Correios, no www.correios.com.br.

 

Gabriela: Novos campos de petróleo na camada do pré-sal vão ser leiloados pelo governo esta semana.

 

Nasi: A expectativa é que com o leilão o Brasil receba investimentos de R$ 100 bilhões e que sejam criados 500 mil empregos diretos e indiretos pelos próximos dez anos.

 

Gabriela: Uma das áreas que vai ser leiloada está na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

 

Nasi: Macaé deve ser uma das cidades que vai ser beneficiada. E como está a expectativa por lá para esse leilão?

 

Gabriela: É o que vamos saber na reportagem de Paulo La Salvia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Macaé fica no litoral norte do Rio de Janeiro. Desde o final da década de 70, com a descoberta de petróleo na Bacia de Campos, a cidade se desenvolveu economicamente, tanto que foi chamada de "capital brasileira do petróleo". Foi uma época importante, segundo o empresário Luiz Renato Lucas Martins.

 

Empresário - Luiz Renato Lucas Martins: A gente viveu uma época de ouro, né, durante 20 anos, e era uma cidade que era invadida por profissionais que vinham prestar serviço, que vinham trabalhar nesse mercado, inclusive com um número expressivo de estrangeiros.

 

Repórter Paulo La Salvia: A riqueza veio dos royalties, espécie de pedágio pago pelas empresas na exploração do petróleo. E foram tantos royalties que a cobrança chegou a ser responsável por 50% do orçamento de Macaé. É o que explica o presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé, Émerson Esteves.

 

Presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé - Émerson Esteves: O petróleo é muito importante, sim, para a economia da cidade, que movimenta muito a cadeia de fornecimento de bens e serviços, a geração de empregos e também a arrecadação para o poder público.

 

Repórter Paulo La Salvia: O campus do Instituto Federal Fluminense, em Macaé, é um exemplo de que tudo gira em torno do setor. Os conteúdos são voltados para áreas de apoio à exploração de petróleo. Marcos Antonio Moreira é professor do instituto há 20 anos e avalia porque os cursos atraem tantos estudantes.

 

Professor do Instituto Federal Fluminense - Marcos Antonio Moreira: A economia de petróleo movimenta não só a atividade-fim, que é a exploração de petróleo e gás, como toda a cadeia de serviços que existe em torno dessa operação.

 

Repórter Paulo La Salvia: É justamente um lugar no setor de exploração de petróleo que a estudante Isadora Rocha busca com o curso de engenharia e controle de automação.

 

Estudante - Isadora Rocha: A área industrial, ela tem vários setores que um engenheiro pode atuar, mas a área de controle de processos, de refinaria, de exploração, perfuração, sempre foi um interesse meu.

 

Repórter Paulo La Salvia: E as oportunidades começam a voltar. Isso depois da crise do setor, que derrubou os preços do barril do petróleo no mercado internacional. É o que afirma o prefeito de Macaé, Aloísio dos Santos Júnior.

 

Prefeito de Macaé - Aloísio dos Santos Júnior: O petróleo hoje representa 30% do PIB do estado do Rio de Janeiro. E para essa região é a âncora da economia. De 2014 para cá muita coisa se modificou com a queda do preço do barril do petróleo e toda a crise internacional da indústria de óleo e gás.

 

Repórter Paulo La Salvia: A perspectiva de retomada do setor de petróleo do país vem com o leilão que ocorre nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro. Vão ser ofertados oito blocos da camada pré-sal nas Bacias de Campos e de Santos. A previsão é de R$ 100 bilhões de investimentos e geração de 500 mil empregos diretos e indiretos nos próximos dez anos. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, está otimista.

 

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República - Moreira Franco: O setor de óleo e gás é um setor extremamente empregador, a cadeia de produção é extremamente complexa. Ela não é só a Petrobras, são várias empresas, empresas grandes que contratam, subcontratam empresas locais, e melhora todo o ambiente na cidade.

 

Repórter Paulo La Salvia: Dezesseis empresas estão inscritas para participar do leilão; 14 delas são multinacionais. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Nasi: O sinal analógico de televisão vai ser desligado à meia-noite de hoje em Vitória e mais seis cidades do Espírito Santo.

 

Gabriela: Mais de 1,9 milhão de pessoas vão começar a receber em casa sinal digital com mais qualidade de som e imagem na TV.

 

Nasi: Também começa hoje o desligamento no Rio de Janeiro, na capital e em mais 18 municípios. No estado o processo deve ser finalizado até 22 de novembro.

 

Gabriela: Até agora, mais de 120 cidades nos estados de Goiás, Pernambuco, Bahia, Ceará, São Paulo e no Distrito Federal recebem integralmente o sinal digital.

 

Nasi: O modelo de desligamento no Brasil vem servindo de referência para muitos países, como explica o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Tem sido considerado uma referência. Uma referência por conta da eficiência, da rápida transformação, porque não é fácil. Nós já, num curto espaço de tempo, beneficiamos mais de 50 milhões de brasileiros que moram nessas regiões atendidas pelo desligamento. É notável, está se transformando num case mundial, e todos os nossos esforços estão sendo despendidos para que nós, até 2023, possamos atingir a meta de universalizar por todo o território nacional o desligamento da TV analógica.

 

Gabriela: 19h21, no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Mais medicamentos disponíveis para a população: a lista de remédios oferecidos pelo SUS cresceu 25%.

 

Gabriela: Agora vão estar disponíveis quase 1.100 itens; antes esse número era de 869.

 

Nasi: É que o governo voltou a incluir na lista remédios contra o câncer e medicamentos hospitalares.

 

Gabriela: De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a medida vai trazer mais segurança para os pacientes e economia para o governo.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: O retorno dos oncológicos e dos hospitalares vêm também no sentido de ampliar a transparência, até porque passa a haver uma referência clara do que deve ser ofertado pelos estados e pelos municípios, que não existia essa padronização, e também vai facilitar a economia da assistência farmacêutica que estados e municípios devem ofertar de medicamentos.

 

Nasi: Esses medicamentos estarão disponíveis com a publicação do Rename, a Relação Nacional de Medicamentos Essenciais, de 2018.

 

Gabriela: A nova lista vai padronizar os medicamentos indicados para a assistência no SUS e deixar claro o que estados e municípios precisam ofertar aos pacientes de todo o país.

 

Nasi: O presidente Michel Temer teve um mal estar hoje e foi levado ao Hospital Militar de Brasília.

 

Gabriela: O repórter Pablo Mundin está no Palácio do Planalto e traz, ao vivo, as últimas informações sobre o estado de saúde do presidente. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundin (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Nasi. Boa noite a todos os ouvintes da Voz do Brasil. O presidente Michel Temer passa bem e deve deixar o hospital ainda hoje. Segundo nota divulgada pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República, Temer foi submetido a uma sondagem vesical de alívio por vídeo na tarde de hoje. Michel Temer teve um desconforto no fim da manhã e foi consultado no próprio departamento médico do Palácio do Planalto. O médico de plantão constatou uma obstrução urológica e recomendou que fosse avaliado no hospital do Exército. A última informação divulgada é que o presidente está em repouso, passa bem e deve ter alta ainda hoje. Ao vivo, Pablo Mundin.

 

Nasi: A partir desta semana, a Receita Federal começa a enviar cartas a 340 mil contribuintes que estão com pendências na declaração do imposto de renda da pessoa física referente a 2016.

 

Gabriela: O objetivo é alertar esses contribuintes a verificarem o processamento de suas declarações e providenciarem a correção, caso constatem erro nas informações declaradas.

 

Nasi: Segundo a Receita, caso o contribuinte não faça a correção, poderá ser intimado formalmente para a comprovação das divergências.

 

Gabriela: Para saber a situação da sua declaração basta consultar as informações disponíveis na página da Receita Federal na internet, em receita.fazenda.gov.br, e clicar no serviço "extrato do imposto de renda".

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com o Minuto do TCU e, em seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".