27 de novembro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: Reforma da Previdência. Propostas para aposentadoria dos trabalhadores são detalhadas pelo secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano. Retomada de obras do programa Agora é Avançar vai entregar 20 mil casas em todo o país, em dezembro. Começa a terceira fase de saque do PIS/PASEP. Novos investimentos vão aumentar diagnóstico e tratamento do câncer de próstata no SUS. E pra quem comprou na Black Friday, vamos falar das reclamações e como os Procons estão trabalhando para garantir os direitos dos consumidores.

audio/mpeg VOZ271117.mp3 — 46927 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 27 de novembro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Reforma da Previdência.

 

Nasi: E a Voz do Brasil detalha as propostas para a aposentadoria dos trabalhadores.

 

Gabriela: Vamos conversar, ao vivo, com o secretário da Previdência do Ministério da Fazenda.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Retomada de obras do programa Agora É Avançar vai entregar 20 mil casas em todo o país em dezembro.

 

Nasi: Começou a terceira fase de saques do PIS/Pasep. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Agora é a vez das mulheres com mais de 62 anos e dos homens com mais de 65 anos que podem sacar o benefício a partir da hoje.

 

Gabriela: Novos investimentos vão aumentar diagnóstico e tratamento do câncer de próstata no SUS.

 

Nasi: E para você que comprou na Black Friday.

 

Gabriela: Nós vamos falar das reclamações e como os Procons estão trabalhando para garantir os direitos dos consumidores.

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

"Reforma da Previdência: a Voz Explica".

 

Nasi: A reforma da Previdência está em discussão no Congresso Nacional.

 

Gabriela: É, na última semana, em diálogo com os parlamentares, o governo apresentou um novo texto com mudanças em alguns pontos das aposentadorias.

 

Nasi: Para a gente explicar essa proposta, vamos conversar, ao vivo, aqui no estúdio na Voz do Brasil, com o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano. Boa noite, secretário.

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Boa noite a vocês e a todos os ouvintes.

 

Nasi: Secretário, primeiro, explica para quem está nos ouvindo agora e que não entende porque essas mudanças são necessárias, o senhor pode falar um pouco sobre a importância de se fazer uma reforma da Previdência nesse momento?

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Sim, a reforma da Previdência é fundamental para o país, é uma questão de estado, é uma questão de nação, não é só uma questão de governo. Ela é fundamental para uma questão de igualdade, nós começarmos a tratar iguais de modo igual. Então, essa reforma, ela feita com intuito de ter as contas públicas mais equilibradas, fazer com que o dinheiro que entra todo o mês bata com dinheiro que saia todo mês e fazer esse ajuste das contas públicas quebrando privilégios, tratando, afetando mais a população mais rica e deixando preservada a população mais pobre.

 

Gabriela: Secretário, de que forma isso vai acontecer?

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Isso vai acontecer tratando iguais de modo igual. Então, daqui para frente não importa se a pessoa for deputado, senador, juiz, desembargador ou então se ele vier ocupar um cargo de salário mais baixo no setor privado, não importa, as regras vão ser as mesmas, as regras previdenciárias vão ser as mesmas para todo mundo.

 

Nasi: E qual será a idade mínima para se aposentar no país?

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: A idade mínima, na regra permanente, será de 65 anos para homens e 62 anos para a mulher. Mas é importante ressaltar que tem um período de transição que é bastante longo e bastante gradual. Então, no início, a idade mínima de aposentadoria vai ser de 55 anos para homem, 53 anos para mulher e vai crescendo devagarzinho, paulatinamente, até quando chegar em 2038, só daqui a mais de 20 anos é que vão se observar essa idade mínima de 65 anos para homem e 62 para mulher. Mas de partida, são 55 anos para os homens e 53 anos para as mulheres.

 

Gabriela: Secretário, e o tempo de contribuição, quanto tempo uma pessoa vai ter que contribuir para se aposentar?

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Essa foi uma das manutenções dos 15 anos de tempo de contribuição que serão necessários para a aposentadoria e um dos pontos da reforma que beneficia a camada mais pobre da população, a camada mais carente da população, que tem mais dificuldade de inserção no mercado de trabalho e só consegue contribuir por 15 anos.

 

Nasi: Secretário, entre os pontos que geravam aí muita discussão estava a aposentadoria para trabalhadores rurais. Como é que vai ficar agora?

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Também não há alteração nenhuma para esse grupo. Esse grupo também faz parte da população mais carente, e aí um dos objetivos da reforma é beneficiar a população mais carente e fazendo ajuste das contas públicas afetando, quebrando privilégios, afetando a população mais rica. Então, trabalhadores rurais, não há nenhuma alteração em relação a eles.

 

Gabriela: E o Benefício de Prestação Continuada? Houve mudanças nesse ponto da proposta?

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: É outro ponto também para preservar a população mais carente, a população que tem mais necessidade. O Benefício de Prestação De Continuada, algumas pessoas conhecem como Loas, outros como BPC, também voltado para a população mais carente, seja deficiente, seja idoso, também permanece tudo exatamente igual, de acordo das regras atuais.

 

Nasi: Então, nós agradecemos aqui a participação do secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, aqui na Voz do Brasil. Muito obrigado, secretário.

 

Secretário de Previdência do Ministério da Fazenda - Marcelo Caetano: Obrigado a todos.

 

Gabriela: E a Voz do Brasil continua acompanhando todas as informações sobre a reforma da Previdência.

 

Nasi: É. Se você tiver alguma dúvida, pode gravar uma mensagem e mandar para o nosso e-mail: voz@ebc.com.br.

 

Gabriela: Tem também o nosso WhatsApp, anota aí: (61) 99862-7345. Eu vou repetir: (61) 99862-7345

 

Nasi: E o nossa produção vai buscar a resposta para você, participe.

 

Gabriela: E o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que as mudanças na proposta de reforma da Previdência são equilibradas.

 

Nasi: O ministro reafirmou que a reforma nas regras da Previdência é necessária para garantir que no futuro o país consiga pagar benefícios aos segurados.

 

Repórter José Luiz Filho: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que as mudanças na proposta de reforma da Previdência Social são satisfatórias. O ministro voltou a ressaltar a necessidade de se aprovar, de preferência, ainda neste ano, a reforma da Previdência.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Uma reforma equilibrada, que atende às condições de hoje do país e que, em última análise, vai garantir a todos os brasileiros o direito de receber a aposentadoria.

 

Repórter José Luiz Filho: Para Henrique Meirelles, se não for aprovada neste ano, a reforma da Previdência terá de ser discutida e aprovada pelo próximo presidente, caso contrário, o país corre o risco de não ter condições, em um futuro próximo, de pagar aposentadorias, pensões e benefícios aos contribuintes do INSS.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Os brasileiros têm que ter segurança de que não só vão receber o valor da aposentadoria, mais, que o país vai continuar crescendo e que o governo vai estar pagando suas contas no futuro. Por exemplo, alguém vai abrir uma pequena loja, um pequeno negócio. Este alguém não vai abrir um negócio se ele achar que o Brasil vai entrar em crise daqui a três anos. Ele tem que ter segurança de que as contas vão estar equilibradas, que ele vai poder contratar gente, arrumar dívida, abrir seu pequeno negócio e progredir.

 

Repórter José Luiz Filho: O projeto de reforma da Previdência deve ser votado na Câmara dos Deputados no dia 6 de dezembro. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Gabriela: A partir de hoje a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil começaram a pagar as cotas da terceira fase do saque do PIS/Pasep.

 

Nasi: Nesta etapa 2 milhões de pessoas têm direito a sacar o dinheiro.

 

Repórter Pablo Mundim: São quase R$ 16 bilhões que o Governo Federal disponibilizou para saque do PIS/Pasep. Depois dos aposentados e de trabalhadores com mais de 70 anos, agora é a vez das mulheres com mais de 62 anos e dos homens com mais de 65 anos que podem sacar o benefício a partir de hoje. Mais de 8 milhões de trabalhadores brasileiros têm direito a sacar o benefício. Mas até agora só 20% dos beneficiários, ou seja, pouco mais de 1,5 milhão de trabalhadores, foram à agência bancária retirar o dinheiro. É o caso da dona Rosilda Lacerda, moradora de Brasília, ela se enquadra dentro dos requisitos do benefício e não sabia que tinha direito ao dinheiro.

 

Entrevistada - Rosilda Lacerda: Se a gente tem esse direito do PIS/Pasep, então, direito nosso a gente tem que ir atrás.

 

Repórter Pablo Mundim: O secretário de Planejamento em Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento, Marcos Ferrari, ressalta a importância do sacar o benefício.

 

Secretário de Planejamento em Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento - Marcos Ferrari: Nós estamos trabalhando de forma bem intensa para que a informação chegue aos trabalhadores. Procure se informar, vá à agência da Caixa, vá à agência do Banco do Brasil. Acho que é importante que eles façam isso para que, nesse final de ano, eles possam com uma renda extra.

 

Repórter Pablo Mundim: Somente para o PIS, que é administrado pela Caixa Econômica Federal, há R$ 2,6 bilhões para serem sacados por 1,5 de pessoas. O vice-presidente de governo da Caixa, Roberto Derziê, explica como o trabalhador faz para saber se tem direito ao benefício.

 

Vice-presidente de governo da Caixa - Roberto Derziê: Nós criamos um site, o: www.caixa.gov.br/cotaspis, lá o beneficiário, o cidadão pode consultar usando seu CPF ou seu número de NIS. O número de NIS está na Carteira de Trabalho. Também pode identificar, se posicionar, se dirigir ao uma agência da Caixa que ele será muito atendido.

 

Repórter Pablo Mundim: A dona Rosilda já sabe o que vai fazer com o dinheiro.

 

Entrevistada - Rosilda Lacerda: Comprar, trocar uns móveis, né? Pagar IPVA do carro que já aí chegando daqui uns dias, né?

 

Repórter Pablo Mundim: Os trabalhadores com direito ao Pasep recebem o benefício pelo Banco do Brasil. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: Na semana passada você acompanhou esqui os preparativos para a Black Friday, essa sexta-feira cheia de descontos.

 

Nasi: Pois é, a Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, fez uma parceria com o site Reclame Aqui e os Procons para vigiar as empresas.

 

Gabriela: É isso mesmo, Nasi. E quem tentou cometer fraudes contra os consumidores pode ter problemas.

 

Nasi: A gente foi saber os direitos dos consumidores em caso de arrependimento e as sanções que as empresas podem receber em caso de descumprimento da lei.

 

Repórter Raíssa Lopes: O vigilante Juscelino Souza, de São Paulo, esperou a Black Friday para comprar produtos no aplicativo de uma grande marca de cosméticos nacional, mas, para sua surpresa, a empresa cancelou seu pedido sem nenhuma explicação após três dias. Juscelino entrou em contato com a companhia, que afirmou não saber o que ocorreu e que terá que solucionar problemas em seu sistema antes de resolver a situação do vigilante.

 

Vigilante - Juscelino Souza: Eles não me dão a resposta concreta, já enviei e-mail, já mandei comprovante de pagamento, já enviei no Reclame Aqui, só que eles me ligam e falam: "Desculpa, está em análise. Não podemos fazer nada". Ou seja, eles erram e o consumidor paga pelo erro deles.

 

Repórter Raíssa Lopes: Neste ano, a Secretaria Nacional do Consumidor e os Procons de todo país se uniram à plataforma digital privada Reclame Aqui, no combate à maquiagem de preços e às ofertas enganosas da Black Friday. E os dados mostram que Juscelino não está sozinho. O Reclame Aqui registrou cerca de cem queixas por hora no primeiro dia da promoção. As empresas que desrespeitarem o Código de Defesa do Consumidor devem ficar atentas, pois estão sujeitas a multas de até R$ 9,5 milhões e à interdição do estabelecimento. O assessor jurídico do Procon do Distrito Federal, Felipe Mendes, explica que quem compra pela internet tem até sete dias para desistir do produto ou serviço sem nenhum custo.

 

Assessor jurídico do Procon do Distrito Federal - Felipe Mendes: Por exemplo, aquele consumidor que realizou a compra na sexta-feira do Black Friday, percebeu que não foi uma boa compra, ele não queria realmente aquele produto, ele gostaria de ter outro produto, comprou por impulso, ele, no sábado mesmo, ele pode exercer seus direitos de arrependimento e cancelar a compra. Agora, os consumidores que aguardarem os produtos e depois que eles receberem esses produtos, eles também têm um prazo de sete dias a partir da chegada do produto para que ele possa analisar se aquele produto é realmente aquilo que ele procurava.

 

Repórter Raíssa Lopes: Os consumidores que tiverem problemas com as compras na Black Friday devem procurar o Procon de sua cidade ou registrar sua queixa no Reclame Aqui: reclameaqui.com.br ou na plataforma do governo: consumidor.gov.br. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: 19h12 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Gabriela: Tem mais entrega de moradias do Minha Casa Minha Vida, no mês que vem serão 20 mil unidades.

 

Nasi: E tem investimentos para ampliar tratamento do diagnóstico do câncer no SUS.

 

Gabriela: É daqui a pouquinho, não saia daí.

 

Nasi: Atenção, pequenos produtores rurais, últimos dias para adesão ao Programa de Regularização Rural da Receita Federal.

 

Gabriela: Para saber mais, fique ligado no nosso quadro de hoje Pra Você, Cidadão.

 

"Pra Você, Cidadão".

 

Repórter Daniel Costa: Os pequenos produtores rurais têm até o próximo dia 30 de novembro para aderir ao Programa de Regularização Rural. A iniciativa oferece condições especiais aos agricultores para renegociarem dívidas em relação às contribuições de empregadores rurais e de segurados especiais. A medida vale para pagamentos atrasados até abril deste ano. Para participar, os produtores devem quitar pelo menos 4% dos débitos até dezembro. Depois disso o valor restante pode ter abatimento de 25% sobre a total de multas e 100% dos juros. Nos casos em que as dívidas forem menores do que R$ 15 milhões, 96% do débito será dividido em 176 parcelas de pelo menos R$ 100. Mais informações no endereço da internet: www.pgfn.fazenda.gov.br. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Nasi: A nova lei trabalhista já completou 15 dias e ainda tem gente com dúvidas sobre as novas regras.

 

Gabriela: Um seminário realizado hoje aqui em Brasília reuniu instituições financeiras.

 

Nasi: O ministro do Trabalho participou das discussões para mostrar como a modernização pode trazer mais segurança para empregadores e trabalhadores e geração de novos empregos.

 

Repórter Cleide Lopes: Para o governo, a reforma traz a formalidade para milhões de pessoas que não tinham qualquer garantia trabalhista, cria melhores condições no ambiente de trabalho para os empregados e mais segurança jurídica nas relações entre trabalhadores e empregadores. E o resultado é a geração de novos investimentos e postos de trabalho no país, garante o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

 

Ministro do Trabalho - Ronaldo Nogueira: É a regulamentação do contrato de trabalho intermitente e o contrato de trabalho que regulamenta o teletrabalho. Com essas duas modalidades de contratos de trabalho, o Brasil tem que capacidade de gerar nos próximos dois anos mais de 2 milhões de empregos.

 

Repórter Cleide Lopes: Para o presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra, a modernização da legislação trabalhista vai dar maior proteção ao trabalhador, ao definir de forma clara, responsabilidades entre patrões e empregados. Para o ministro, o resultado será redução do número de causas trabalhistas.

 

Presidente do Tribunal Superior do Trabalho - Ministro Ives Gandra: A diminuição de ações trabalhistas na primeira instância de recursos para o TST, faz com que nós passamos julgar mais rápido e com maior igualdade.

 

Repórter Cleide Lopes: A reforma trabalhista entrou em vigor no último dia 11 de novembro, trazendo alterações na Consolidação das Leis do Trabalho, CLT de 1943. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: Vida nova para quase 3.300 moradores de Santa Cruz, no Rio de Janeiro.

 

Nasi: É. Eles são os mais novos beneficiados do programa Minha Casa Minha Vida.

 

Gabriela: As entregas das chaves foram feitas neste fim de semana e fazem parte do programa Agora É Avançar, que no próximo mês vai entregar mais 20 mil moradias em todo o país.

 

Repórter Caroline Blauth: A vida era um aperto só, foi assim que o aposentado Silvio Pereira definiu o antigo lar. Ele, a esposa, a filha e dois netos moravam de favor na casa de um outro filho, mas agora, depois de receber as chaves da casa própria, a vida da sua família vai ter um novo conforto.

 

Aposentado - Silvio Pereira: Conseguir essa chave é difícil para caramba. Conseguimos hoje estamos felizes de poder receber essa benção de Deus.

 

Repórter Caroline Blauth: A família de Silvio Pereira é uma das 820 beneficiadas com novas unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida, em Santa Cruz, no Rio de Janeiro. As residências foram 100% financiadas pelo Governo Federal. Ao todo, nove unidades em casa empreendimento são adaptadas para pessoas com deficiência. Durante o evento de entrega das chaves, o presidente da Caixa Econômica, Gilberto Occhi, fez três pedidos aos novos moradores.

 

Presidente da Caixa Econômica - Gilberto Occhi: Vamos pagar os R$ 120, R$ 130, R$ 110, R$ 80, R$ 200, mas vamos pagar para a gente juntar esse dinheiro e construir mais. O segundo pedido é cuidar aqui, que aqui é de vocês. E o terceiro pedido que eu vou fazer para vocês é não vender, não alugar, não trocar, não passar adiante, porque aqui foi feito para quem precisa.

 

Repórter Caroline Blauth: Recomendações que o seu Silvio pretende seguir à risca.

 

Aposentado - Silvio Pereira: São R$ 127 que vamos pagar, sempre no dia certo, cumprindo as nossas obrigações, que é pagar o condomínio, pagar água, luz, telefone, isso que sempre fizemos, agora mais ainda.

 

Repórter Caroline Blauth: E milhares de brasileiros vão poder sentir na pele a felicidade do seu Silvio, isso porque, de acordo do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco, o Minha Casa Minha Vida ainda tem um extenso cronograma de entregas.

 

Ministro da Secretaria Geral da Presidência da República - Moreira Franco: Agora mesmo no mês de dezembro, o presidente Temer vai entregar no Brasil inteiro 20 mil unidades. E a expectativa é que quando nós tivermos já tocando com mais rapidez o Programa Avançar, nós haveremos de ter obras grandes, médias, pequenas, que estavam paralisadas, sendo entregues ao longo do ano que vem em todas as áreas, na área de saúde, na área de educação, de saneamento básico, de energia, de óleo e gás, rodoviária, ferroviária, ou seja, o Brasil voltou.

 

Repórter Caroline Blauth: As casas que foram entregues no sábado estão entre os 218 projetos do programa Agora É Avançar, no estado do Rio de Janeiro. Reportagem, Caroline Blauth.

 

Airton: E o governo vem atuando em outras áreas para o desenvolvimento do Rio de Janeiro.

 

Gláucia: O porto da cidade, o segundo maior do país em movimentação de cargas, agora pode receber maiores embarcações que chegam ao Brasil.

 

Airton: Isso porque o governo acaba de concluir a dragagem de aprofundamento do acesso ao porto.

 

Gláucia: Estrutura para exportar ainda mais nossos produtos, gerando emprego e renda. A reportagem Caroline Blauth também acompanhou a inauguração da obra.

 

Repórter Caroline Blauth: A dragagem retirou quase 3 milhões de metros cúbicos de material do fundo da área de acesso ao porto, o que daria para encher mais de uma piscina olímpica. Com isso, a profundidade do canal vai chegar a quase 15 metros, o que deve ampliar em 50% o potencial econômico do porto, além das condições de segurança de navegação, é o que explica o ministro dos Transportes, Portos e Aeroportos, Maurício Quintela.

 

Ministro dos Transportes Portos e Aeroportos - Maurício Quintela: Com isso a nossa expectativa é que a movimentação aumente em até 42%, atraindo investimentos, aumentando a arrecadação e, principalmente, gerando empregos no estado do Rio de Janeiro e na cidade do Rio.

 

Repórter Caroline Blauth: O governo ainda renovou por mais 12 anos os contratos com dois terminais portuários. A empresa responsável, que já opera os locais há dez anos, se comprometeu eu a investir quase R$ 64 milhões até 2023. Para o presidente da Companhia Docas do Rio de Janeiro, Tarcísio Tomazoni, as ações do governo vão garantir e aumentar a competitividade das empresas.

 

Presidente da companhia Docas do Rio de Janeiro - Tarcísio Tomazoni: Um planejamento inteligente e de interesses produzem o que esse país necessita e demanda com uma incansável voracidade: o aumento da competitividade.

 

Repórter Caroline Blauth: A prorrogação faz parte do Projeto Crescer, que prevê parceiras de investimentos com o setor privado. Para o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Moreira Franco, contratos como este mostram o compromisso do governo com o setor produtivo.

 

Ministro da Secretaria Geral da Presidência da República - Moreira Franco: Nós estamos melhorando o custo Brasil, diminuindo o custo Brasil, nos fazendo capazes de colaborar, não só na geração de emprego do país, na geração de renda do país, mas também de colaborar para que, entre outras coisas, o mundo possa se alimentar, porque somos hoje um dos maiores produtores de grãos e de proteína animal do mundo.

 

Repórter Caroline Blauth: Dos 145 empreendimentos que podem participar do Projeto Crescer, 57 já foram leiloados. Esse número corresponde a 39% de execução no programa previsto pelo governo. Reportagem, Caroline Blauth.

 

Gabriela: 19h21 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: O novo Centro de Diagnóstico do Câncer de Próstata vai realizar 3.600 diagnósticos por ano.

 

Gabriela: É, e com o diagnóstico rápido, significa iniciar o tratamento mais cedo, dando mais chances de cura para o paciente.

 

Nasi: O centro foi inaugurado hoje, no Rio de Janeiro, e marca o Dia Nacional de Combate ao Câncer, neste Novembro Azul pela saúde do homem.

 

Repórter Natália Melo: O Centro de Diagnóstico do Câncer de Próstata do Inca, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, vai atender pacientes do Sistema Único de Saúde no Rio de Janeiro, facilitando o acesso de pessoas com suspeita da doença. Com a indicação do urologista, será possível fazer a biópsia em um curto espaço de tempo, aumentando as chances de cura do câncer, que, segundo, o coordenador de novo centro, Franz Campos, mata um homem a cada 38 minutos do Brasil.

 

Coordenador de novo centro - Franz Campos: Algumas pesquisas dizem que 50% dos homens acima de 50 anos não se submeteram a qualquer tipo de exame de próstata ou de diagnóstico a partir dos 50 anos. Isso é grave. Doentes diagnosticados precocemente, e a gente diz precoce quando o mínimo de lesão, tem a chance de 90% de cura.

 

Repórter Natália Melo: O câncer de próstata é um dos mais comuns entre os homens brasileiros, e o segundo que mais mata. Com o novo centro, a ideia é zerar o tempo de espera pela biópsia e com um diferencial, sem dor para o paciente. O ministro da Saúde participou da inauguração do Centro de Diagnóstico de Câncer de Próstata. Para Ricardo Barros, o governo quer priorizar o usuário da rede pública de saúde.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Serão 3.600 diagnósticos anualmente para iniciar o tratamento precocemente para ter mais possibilidade de cura, para ter mais conforto para os pacientes.

 

Repórter Natália Melo: Durante a inauguração do novo centro, neste Dia Nacional de Combate ao Câncer, foi lançada a campanha do Ministério da Saúde 'O câncer não pode acabar com a vontade de viver'. O objetivo é mostrar como o avanço nos tratamentos, assim como o diagnóstico precoce e prevenção, podem aumentar as chances de cura, desconstruindo medos e preconceitos relacionados ao câncer. Reportagem, Natália Melo.

 

Gabriela: O Presidente Michel Temer recebeu alta hoje e passa bem após ter sido submetido à desobstrução de três artérias coronárias, procedimento mais conhecimento como angioplastia.

 

Nasi: Temer deu entrada no Hospital Sírio-Libanês na última sexta-feira para reavaliação urológica e realização de cateterismo.

 

Gabriela: De acordo com o médico Roberto Kalil Filho, coordenador da equipe médica que cuida do presidente, o procedimento foi bem-sucedido e Michel Temer pode voltar ao trabalho.

 

Coordenador da equipe médica que cuida do presidente - Médico Roberto Kalil Filho: O presidente acabou de sair do hospital bem e já deve retornar à sua vida normal, à agenda a partir da hoje à tarde. Ele está muito mais protegido agora do que antes. Antes havia umas obstruções graves nas artérias e a gente não sabia, nem ele saiba. Agora foi corrigido.

 

Nasi: Dezembro terá bandeira tarifária vermelha no patamar um nas contas de luz.

 

Gabriela: A Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, informa que houve uma pequena evolução na situação dos reservatórios em relação a outubro, o que possibilitou baixar a bandeira do patamar dois para o patamar um.

 

Nasi: O custo será de R$ 3 a cada cem quilowatts/hora consumido.

 

Gabriela: As bandeiras tarifárias variam exatamente para dar esse sinal aos consumidores.

 

Nasi: A vermelha indica a necessidade de operar usinas térmicas, mais caras, para compensar a baixa na geração das hidrelétricas com a falta de chuvas.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".