28 de março de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Escolas públicas vão contar com assistente dentro da sala de aula. É o programa Mais Alfabetização, que liberou os primeiros recursos a estados e municípios. Presidente Michel Temer destaca mais uma iniciativa que iguala Brasil a países desenvolvidos. Ministério da Educação também anuncia aumento de 20% no repasse para o transporte escolar. Motoristas vão poder parcelar multas de trânsito no cartão de crédito. No Rio de Janeiro, Exército entrega carros blindados para uso das polícias Civil e Militar. E o combate à violência vai além da atuação policial. Crianças de comunidades cariocas participam de atividades esportivas em unidades militares depois das aulas.

audio/mpeg VOZ280318.mp3 — 45029 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quarta-feira, 28 de março de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Escolas públicas vão contar com assistente dentro da sala de aula.

 

Nasi: É o Programa Mais Alfabetização, que liberou hoje os primeiros recursos a estados e municípios.

 

Gabriela: Presidente Michel Temer destaca mais uma iniciativa que iguala o Brasil a países desenvolvidos.

 

Presidente da República - Michel Temer: A chave, na verdade, além de muitas outras, é uma fundamental: educação todos e educação de qualidade.

 

Nasi: Ministério da Educação também anuncia aumento de 20% no repasse para a transporte escolar.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Motoristas vão poder parcelar multas de trânsito no cartão de crédito. Nei Pereira.

 

Repórter Nei Pereira: Para facilitar a quitação das dívidas dos veículos, o Departamento Nacional de Trânsito autorizou o pagamento de multas e outros débitos parcelados em até 12 vezes no cartão de crédito.

 

Gabriela: No Rio de Janeiro, o Exército entrega carros blindados para uso das Polícias Civil e Militar.

 

Nasi: E o combate à violência vai além da atuação policial.

 

Gabriela: Crianças de comunidades cariocas participam de atividades esportivas em unidades militares depois das aulas.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Ler, escrever, fazer continhas.

 

Gabriela: Em muitas escolas públicas do país esse bê-á-bá, lá no início da vida escolar, precisa de reforço.

 

Nasi: É o que o Ministério da Educação constatou depois de avaliar os índices de aprendizado das nossas crianças.

 

Gabriela: Pensando nisso, iniciou um grande programa, o Mais Alfabetização.

 

Nasi: E hoje foram liberados os primeiros recursos que vão chegar os cidades e municípios.

 

Gabriela: Dinheiro que deve ser usado para contratação de professores auxiliares que vão ajudar na alfabetização dentro de sala de aula.

 

Estudante - Marcela Nunes: "Só resolveu puxar conversa com uma delas, a que lhe pareceu mais simpática".

 

Repórter Cleide Lopes: A pequena Marcela Nunes, de sete anos, é aluna do segundo ano do Ensino Fundamental de uma escola pública de Brasília, ela já sabe ler e interpretar textos. O que é que você entendeu dessa história? Você entendeu o que da Cigarra?

 

Estudante - Marcela Nunes: Eu entendi que ela não queria trabalhar, só inventar música, ouvir música, essas coisas.

 

Repórter Cleide Lopes: Mas essa não é uma realidade em todo o país. O último resultado da Avaliação Nacional de Alfabetização mostra que 54,73% dos estudantes acima de oito anos permanecem em níveis insuficientes de leitura e com dificuldade na matemática. Para melhorar e acelerar o processo de alfabetização no país, o Presidente Michel Temer e o ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciaram a liberação de R$ 253 milhões para estados e municípios dentro do Programa Mais Alfabetização. E esses recursos serão investidos para apoiar escolas no processo de alfabetização dos estudantes do primeiro e segundo ano do ensino fundamental, colocando em cada sala de aula um professor auxiliar. A professora Gabriela Salgueiro, do segundo do Ensino Fundamental de Brasília, diz que esse auxílio será muito importante.

 

Professora - Gabriela Salgueiro: Quando a gente consegue dar um atendimento mais individualizado para o aluno, a gente consegue fazer com que ele aprenda mais. Dá esse suporte para a criança, né?

 

Repórter Cleide Lopes: A expectativa é atender 3,6 milhões alunos, de 156 mil turmas, de 49 mil escolas em todo o país, como explica o ministro da Educação, Mendonça Filho.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Isso produz igualdade de oportunidade, agregando a figura do assistente de alfabetização, que vai auxiliar os professores alfabetizadores nessa missão extremamente importante.

 

Repórter Cleide Lopes: O Presidente Michel Temer fez um balanço das conquistas no governo na educação. E ele destacou que o Brasil se esforça para ficar entre os países desenvolvidos, com a garantia de ensino integral e de qualidade.

 

Presidente Michel Temer: Nós estamos aceitando mais os índices que persistem, na verdade, há muitos na educação brasileira. O Brasil, né, o Brasil pode muito bem atingir o nível de justiça e bem-estar dos países desenvolvidos, e, para tudo isso, a chave, na verdade, além de muitas outras, é uma fundamental: educação para todos e educação de qualidade.

 

Repórter Cleide Lopes: De acordo com o Ministério da Educação, os professores auxiliares vão trabalhar cerca de oito horas em sala de aula, mas antes de serem contratados, eles terão que passar por um processo de seleção elaborado pelas Secretarias Educação. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: E o Ministério da Educação também ou hoje um aumento no repasse de recursos para o transporte escolar.

 

Gabriela: No ano passado, esse reajuste ocorreu no dinheiro liberado para a merenda.

 

Repórter Helen Bernardes: Após oito anos sem reajuste, o Ministério da Educação anunciou aumento de 20% do valor repassado aos estados e municípios para o pagamento do transporte escolar. A medida vai ampliar a verba em R$ 120 milhões e o investimento no Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar passa de R$ 600 milhões para R$ 720 milhões já a partir deste mês. O anúncio foi feito hoje, pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, que lembrou que o dinheiro vai garantir o transporte gratuito dos alunos.

 

Ministro da Educação - Mendonça Filho: Hoje eu quero dizer que recebemos a autorização do presidente da República para reajustar também em 20% o valor do transporte escolar, que é outro item relevante no custo de manutenção de estados e municípios, principalmente.

 

Repórter Helen Bernardes: Em todo país, mais de 4,5 milhões de alunos são atendidos pelo Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar. Reportagem, Helen Bernardes.

 

"Agora é Avançar".

 

Nasi: Apostar nas parcerias da iniciativa privada, esse tem sido o trabalho do governo para melhorar a qualidade dos serviços prestados em nossos aeroportos, portos, rodovias e ferrovias.

 

Gabriela: Para isso, o governo realizou concessões, assinou contratos para investimentos e manutenção dessa infraestrutura e retomou obras paradas.

 

Nasi: Melhorias ajudam o setor produtivo a crescer e dão mais conforto aos brasileiros que viajam pelo país.

 

Repórter Luana Karen: Com índices de aprovação acima dos 90%, os aeroportos brasileiros ganharam novo fôlego nos últimos anos, 4 foram concedidos à iniciativa privada e 13 devem leiloados ainda este ano. Avanços também nos aeroportos regionais, localizados no interior do país. Os primeiros resultados já começaram a aparecer com a entrega dos aeroportos de Jericoacoara, no Ceará, e Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul. Segundo o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, em 2017, 112 milhões de passageiros usaram os aeroportos do país, um crescimento de mais de 2% em relação a 2016.

 

Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil - Maurício Quintella: Nós recebemos um setor em queda muito assentada por conta da crise econômica e foram 18 meses de quedas consecutivas. Nós já estamos no décimo segundo mês de alta também consecutiva.

 

Repórter Luana Karen: Nos portos foram assinados 23 contratos para a construção e exploração de termais de uso privado. Foi feita na dragagem dos portos de Vitória e do Rio de Janeiro, e concluídas as obras de infraestrutura dos portos de Rio Grande, no Rio Grande do Sul, Itaqui, no Maranhão, e Itajaí, em Santa Catarina. Segundo Ricardo Gouveia, diretor-executivo na Associação Catarinense de Avicultura de Santa Catarina, com a obra, o porto aumentou a capacidade de escoamento, prejudicada após uma enchente em 2008.

 

Diretor-executivo da Associação Catarinense de Avicultura - Ricardo Gouveia: Com isso deve ganhar preferência pela exportação das carnes nossas vias Itajaí, né? Principalmente daqui do Sul, né, considerando Rio Grande do Sul e Santa Catarina, são os dois maiores produtores de aves e suínos, né?

 

Repórter Luana Karen: As rodovias também receberam atenção. Em menos de dois, anos 780 quilômetros de rodovias federais foram pavimentadas ou duplicadas. O Ministério dos Transportes também garantiu contratos de manutenção para mais de 90% da malha rodoviária nacional. No último dia no comando da pasta, o ministro Maurício Quintella assinou documento criando a Política Nacional de Transportes.

 

Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil - Maurício Quintella: São diretrizes que vão nortear, tanto o setor público, como o setor privado, e os setores, né, todos os setores, aviação, rodovias, ferrovias, hidrovias, portos em relação aos investimentos e às políticas que o país vai implementar para a setor nos próximos anos.

 

Repórter Luana Karen: São previstos investimentos de mais R$ 15 bilhões até ao final deste ano, em obras como a duplicação de rodovias, a construção de ferrovias e hidrovias e melhorias em aeroportos e portos. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: E você ouviu aí na reportagem que o governo vem retomando grandes obras que estavam paradas no país dentro do Programa Agora é Avançar.

 

Nasi: Mas as obras de menor porte não foram esquecidas.

 

Gabriela: É, Nasi, também foram liberados recursos para elas. E o Ministério do Planejamento já retomou quase mil projetos que estavam abandonados.

 

Repórter Raquel Mariano: Pelo menos quatro vezes na semana Vitória Aparecida de Oliveira, de 18 anos, tem o compromisso certo, ela encontra dez amigas, todas estudantes da Escola Padre Wilson, na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais, para jogar futebol. A paixão por esse esporte agora é garantida para o time da Vitória, que tem uma quadra novinha para treinar.

 

Entrevistada - Vitória Aparecida de Oliveira: Ah, a quadra mudou bastante, e como. A gente jogava o cimento, era ruim, não tinha proteção em cima, aí quando chovia a gente não jogava.

 

Repórter Raquel Mariano: A reforma da Quadra Padre Wilson, onde a Vitória estuda, é uma das 255 obras já concluídas que foram retomadas em junho de 2016. De acordo com o secretário de Infraestrutura do Ministério do Planejamento, Hailton Madureira, das 1,6 mil obras paralisadas, 922 já começaram a ser construídas.

 

Secretário de Infraestrutura do Ministério do Planejamento - Hailton Madureira: A gente conseguiu retomar 922 obras, em 708 municípios, localizados nos 26 estados do Brasil e no Distrito Federal.

 

Repórter Raquel Mariano: Todas essas obras têm valores que variam de R$ 500 mil a R$ 10 milhões. Mesmo com um custo mais baixo, o governo tem priorizado a conclusão desses empreendimentos, como explica Hailton Madureira.

 

Secretário de Infraestrutura do Ministério do Planejamento - Hailton Madureira: Focar os recursos do governo em obras já iniciadas, em especial, em obras abaixa de R$ 10 milhões, que são obras que tenham um componente social muito importante, são obras no setor de educação, saneamento, cultura, turismo, transporte e saúde da população.

 

Repórter Raquel Mariano: Os principais motivos por essas construções não terem sido concluídas são o abandono pelas empresas contratadas, dificuldades financeiras dos municípios ou problemas com licenças para a construção. O Governo Federal pretende retomar todas as obras até o fim de 2018. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: 19h12 em Brasília.

 

Nasi: Motoristas vão poder parcelar multas de trânsito no cartão de crédito.

 

Gabriela: Daqui a pouquinho vamos explicar essa medida, que pode ser implementada por Detrans de todo o país.

 

Nasi: Reforço da segurança do Rio de Janeiro.

 

Gabriela: Em mais uma ação da intervenção federal do estado, o Exército entregou blindados para as polícias Militar e Civil.

 

Nasi: É mais segurança e proteção no combate à criminalidade.

 

Repórter João Pedro Neto: Entre os seis blindados entregues pelo Exército, estão três Urutus, veículos anfíbios fabricados do Brasil e que foram usados durante a missão de paz no Haiti. Eles foram adaptados para serem usados pelo Bope, o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Os outros três blindados, conhecidos como Caveirões, pertencem à Polícia Civil do estado, é o que explica o porta-voz do Comando Militar do Leste, coronel Roberto Itamar.

 

Porta-voz do Comando Militar do Leste - Roberto Itamar: Esses carros, eles têm plena capacidade de atuar em área urbana, eles têm velocidade suficiente para isso e têm a promoção blindada que permite que os policiais possam chegar mais próximo dos alvos que eles pretendem atingir. Então, com segurança, com proteção blindada para que possam realizar os trabalhos de cumprimento de mandados ou outras ações que sejam necessárias na segurança pública.

 

Repórter João Pedro Neto: O entrega dos blindados faz parte das ações de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. O Exército também vai ceder motoristas e colocar à disposição equipes especializadas e toda a estrutura para manutenção dos veículos. Em mais de 40 dias de intervenção federal, já foram realizadas ações e operações de combate à criminalidade e patrulhamento especializado com uso das Forças Armadas, polícias Civil e Militar. Para muitos cariocas a medida é necessária.

 

Entrevistado: Eu acho que elas estão funcionando, né? Estão indo bem.

 

Entrevistado: É a única solução. São pessoas do bem fazendo alguma coisa pela cidade do Rio de Janeiro e pelo Brasil, que está numa situação dificílima.

 

Entrevistado: Uma condição que o estado se encontra, essa violência aí que não está tendo controle, é bastante bem-vinda, né? Eu espero que funcione que, né? E funcione de uma forma permanente.

 

Repórter João Pedro Neto: Também nesta quarta-feira foi publicada a Medida Provisória que autoriza o repasse de R$ 1,2 bilhão para as ações de intervenção federal na segurança pública do Rio. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E como a gente acabou de ouvir, o foco da intervenção federal no Rio de Janeiro não é só na segurança.

 

Nasi: Ações sociais também estão previstas nas comunidades para evitar que crianças e adolescentes sigam pelo caminho do crime e nas drogas.

 

Gabriela: Hoje, mais uma ação foi lançada. Ela faz parte do Programa Forças no Esporte, que oferece aos jovens alimentação saudável, atividades esportivas e reforço escolar no turno contrário ao da escola.

 

Repórter Diego Queijo: Cerca de 2,5 mil crianças passaram a praticar esporte nas unidades militares federais localizadas no Rio de Janeiro, desde a integração das ações sociais. O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, destacou que o esporte irá mostrar às crianças e aos adolescentes, que existem oportunidades de uma vida melhor longe do crime.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Todo ser humano tem um potencial para ser desenvolvido, depende... O que diferencia os seres humanos são as oportunidades que eles têm para desenvolver esse potencial. É uma oportunidade de mostrar que um outro mundo é possível para esses jovens, né? E disputá-los, de não deixar que o crime organizado se aposse da nossa juventude.

 

Repórter Diego Queijo: Com alimentação garantida por recursos do Ministério do Desenvolvimento Social, os alunos têm mais força para participar das atividades esportivas no turno contrário ao da escola. Para o ministro da Defesa, o general Joaquim Silva e Luna, a parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social é fundamental para ajudar o Rio de Janeiro a superar os altos índices de criminalidade.

 

Ministro da Defesa - Joaquim Silva e Luna: Estamos contribuindo com esse esforço que está sendo feito, eu diria assim, para combater ou tentar coordenar o que está acontecendo hoje. Nós estamos colocando semente de futuro. Na verdade, esse programa, ele está trabalhando hoje, mas está, na verdade, está investimento para o futuro.

 

Repórter Diego Queijo: A Camille Albuquerque, da Ilha do Governador, tem 13 anos, ela diz que a vida mudou muito desde que começou a praticar esportes e aprender música no programa Forças no Esporte.

 

Entrevistada - Camille Albuquerque: Ele me ajuda, sim, a sair de muitas coisas erradas que é... ele me ajuda a respeitar, me ajuda a ter educação, me ensina a obedecer, a respeitar regras e a criar também.

 

Repórter Diego Queijo: Durante a cerimônia também foi lançada a modalidade Navegar do Forças no Esporte, que ensina as jovens a velejarem. Além das atividades esportivas, outras ações integram o programa emergencial de ações sociais para o estado do Rio de Janeiro, serviços públicos e assistência social, saúde e educação estão sendo fortalecidos como forma de resgatar a cidadania das pessoas que vivem das áreas violentas. O programa vai oferecer ainda capacitação profissional e incentivo ao empreendedorismo, além de promover o acesso dos jovens ao mercado de trabalho. O investimento total do programa será de R$ 157 milhões para atender a cerca de 50 mil crianças e adolescentes de famílias de baixa renda. Reportagem, Diego Queijo.

 

Nasi: Quatro mil e quatrocentas moradias do programa Minha Casa, Minha Vida foram entregues hoje, no Ceará.

 

Gabriela: Em Fortaleza, 2,9 mil famílias receberam as chaves do Residencial Alameda das Palmeiras. Já em Quixadá, foram mais de 1,4 mil casas entregues.

 

Nasi: Dezessete mil pessoas foram atendidas no estado com a entrega dessas moradias.

 

Gabriela: Segundo o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, as entregas vão continuar em todo o país, já que os recursos estão sendo pagos, sem interrupção, às construtoras.

 

Ministro das Cidades - Alexandre Baldy: Os recursos estão, hoje, em dia. Não há atraso de pagamento por parte dos nossos agentes financeiros, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, para que as empresas que constroem possam estar com as obras em andamento gerando emprego, gerando renda e podendo promover celeremente o sonho moradia e da casa própria aos brasileiros.

 

Gabriela: 19h18 em Brasília.

 

"Trânsito: Atenção, Motorista".

 

Nasi: Multas de trânsito poderão ser pagas de cartão de crédito e parceladas em até 12 vezes.

 

Gabriela: O uso de cartões pelos Detrans de todo o país foi regulamentado pelo Departamento Nacional de Trânsito.

 

Nasi: Mas é bom lembrar os órgãos estaduais não são obrigados a oferecer o serviço.

 

Repórter Nei Pereira: Pagar multas dói no bolso e ainda mais quando tem que ser à vista. Para facilitar a quitação das dívidas dos veículos, o Departamento Nacional de Trânsito, Denatran, autorizou o pagamento de multa e outros débitos parcelados e em 12 vezes no cartão de crédito. A medida beneficia não só motoristas, mas também os órgãos de trânsito, é o que afirma o diretor do Denatran, Maurício Alves.

 

Diretor do Denatran - Maurício Alves: Isso possibilitará uma melhor arrecadação por parte dos órgãos de trânsito, que receberão à vista o valor total e também uma possibilidade do pagamento mais módico, mais controlado e planejado pelo cidadão através do parcelamento.

 

Repórter Nei Pereira: Receber uma multa de trânsito ninguém gosta, mas o pagamento parcelado pode facilitar a regularização do débito. O taxista Rubens Alvim concorda.

 

Taxista - Rubens Alvim: Multa de qualquer maneira é ruim, né? Mas como tem que pagar, não tem outro jeito, se puder dividir, melhor, né?

 

Repórter Nei Pereira: O parcelamento já foi adotado em Minas Gerais e Pernambuco, e está em fase de implantação no Distrito Federal, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Tocantins. No Distrito Federal o serviço começa em abril e o pagamento poderá ser feito pela internet. Segundo o diretor de controle de condutores de veículos do Departamento de Trânsito do Distrito Federal, Uelson Prazeres, além de facilitar a regularização de débitos, a medida pode até ajudar na diminuição de carros apreendidos.

 

Diretor de controle de condutores de veículos - Uelson Prazeres: Tem muitos que querem regularizar, querem quitar seus débitos, mas não têm condições de dispor de imediato daquele recurso ali. Ele vai ter agora uma opção maior de poder parcelar, e, assim, pagar gradativamente de acordo com o seu orçamento.

 

Repórter Nei Pereira: Outra facilidade é o aplicativo SNE, do Sistema de Notificação Eletrônica, desenvolvido pelo Denatran. Com ele, os motoristas podem ter desconto de 40% nas multas e ainda parcelar o valor. A ferramenta pode ser baixada nos sistemas IOS e Android, e o pagamento pode ser feito no próprio celular. Reportagem, Nei Pereira.

 

Gabriela: Cada vez mais brasileiros ligam a TV e têm acesso a som e imagem de qualidade.

 

Nasi: É que eles já estão recebendo o sinal digital em casa. Ao todo, são mais de 90 milhões de pessoas, praticamente metade da população.

 

Gabriela: Hoje, mais gente entrou nesse grupo, cidades do Maranhão e do interior do São Paulo vão desligar totalmente o sinal analógico à meia-noite.

 

Repórter Gabriela Noronha: Mais qualidade de som e imagem, multiprogramação e interatividade, essas são as vantagens do sistema de TV digital que está sendo implantado em todo o país. E nesta quarta-feira chegou a vez de mais de 19 municípios brasileiros darem adeus ao sinal analógico, são dez cidades no entorno de São Luís, no Maranhão, e outras nove na região de Bauru, em São Paulo. Segundo o presidente da Anatel, Juarez Quadros, em outras duas regiões do interior do São Paulo, o desligamento terá início nessa semana e será concluído na segunda quinzena de abril.

 

Presidente da Anatel - Juarez Quadros: Presidente Prudente, que abrange 23 municípios, incluindo Presidente Prudente, e São José do Rio Preto, que congrega 21 municípios. Então, esses dois clusters, como nós chamamos, eles poderão iniciar o desligamento a partir da meia-noite de hoje e irem até justamente o dia 18 de abril.

 

Repórter Gabriela Noronha: Para receber o sinal digital é preciso ter um aparelho de televisão com um conversor embutido ou colocar um conversor no aparelho antigo. Kits gratuitos com uma antena UHF e um conversor com controle remoto estão sendo distribuídos para a população de baixa renda inscrita em programas do Governo Federal como o Bolsa Família. De acordo com o ministro da Ciência Tecnologia Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, mais da metade dos brasileiros já têm TV digital em casa.

 

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - Gilberto Kassab: Nós beneficiamos aproximando já metade da população brasileira, o que é algo extraordinário, sem nenhum ruído, sem nenhum problema, trazendo motivos até para que possamos festejar. Mas vamos esperar até o final. Em pouco tempo nós vamos atingir todo o território brasileiro, toda a população brasileira.

 

Repórter Gabriela Noronha: Com os novos desligamentos do sinal analógico, 555 municípios passam a ter acesso à TV digital no país. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: O Brasil vai se candidatar a ocupar uma vaga rotativa no Conselho de Segurança da ONU em 2022, dez anos antes do que está previsto.

 

Gabriela: Isso foi possível após uma negociação diplomática com Honduras, que iria se candidatar para o biênio de 2022 e 2023, mas cedeu a vaga para o Brasil.

 

Nasi: Lembrando que esse é um assento rotativo, onde os países interessados em participar das discussões se cantam a vagas para participação de dois em dois anos.

 

Gabriela: O Brasil é o país em desenvolvimento que mais vezes integrou o conselho.

 

Nasi: Em nota, o Ministério das Relações Exteriores afirma que a participação brasileira permitirá ao país contribuir diretamente para as principais decisões sobre a paz e a segurança internacionais.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com o Minuto do TCU, e, seguida, as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".