29 de janeiro de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Pesquisa aponta que empresários do comércio e serviços apoiam a Reforma da Previdência. E presidente Michel Temer afirma que se a reforma não for aprovada, servidores públicos e aposentados vão ser prejudicados. Receita Federal faz apreensão recorde de drogas e mercadorias ilegais em 2017. Saiu o resultado do Sisu. E se você está fora da lista ainda tem chance de concorrer a uma vaga pela lista de espera.

audio/mpeg VOZ290118.mp3 — 46912 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 29 de janeiro de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia: Pesquisa aponta que empresários do comércio e serviços apoiam a reforma da Previdência.

 

Gabriela: E o presidente Michel Temer afirma que, se a reforma não for aprovada, servidores públicos aposentados vão ser prejudicados.

 

Presidente Michel Temer: Quem não votar pela Previdência está fazendo mal para o país e fazendo mal para os aposentados, e até para os servidores públicos, porque num dado momento você terá que cortar vencimentos dos servidores públicos.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Receita Federal faz apreensão recorde de drogas e mercadorias ilegais em 2017. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: Além de drogas, a Receita Federal confiscou também cigarros e outras mercadorias, resultando em uma apreensão recorde de R$ 2,3 bilhões.

 

Nasi: Saiu o resultado do Sisu, e se você está fora da lista, ainda tem chance de concorrer a uma vaga pela lista de espera.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nassi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: A reforma da Previdência tem o apoio de empresários do setor de comércio e serviços.

 

Nasi: E este é o resultado de uma pesquisa feita por entidades que representam o setor. Para eles, a aprovação da reforma vai gerar novos negócios e investimentos para o país.

 

Gabriela: A pesquisa apontou também que os empresários são favoráveis a outras medidas econômicas adotadas pelo Governo, como o teto de gastos públicos e a modernização das leis trabalhistas.

 

Repórter Cleide Lopes: A Reforma da Previdência é apoiada por dois de cada três comerciantes entrevistados na pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Para o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal, Antônio Xará, as mudanças no sistema previdenciário são necessárias para mudar o ambiente de negócios no Brasil.

 

Superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal - Antônio Xará: A reforma da Previdência é uma necessidade que o Brasil está tendo para colocar a sua dívida em dia, não só junto com a população, mas também junto a seus governos.

 

Repórter Cleide Lopes: No governo, a reforma da Previdência é tratada como prioridade. De acordo com o assessor especial da Casa Civil, Bruno Leal, as mudanças devem atrair novos investimentos, com reflexos positivos sobre a economia.

 

Assessor especial da Casa Civil - Bruno Leal: O Brasil, fazendo com que as contas previdenciárias se equilibrem, ele vai mostrar para o mundo que ele está fazendo reformas que tornarão os sistemas equilibrados. Isso gera, de imediato, queda da inflação, queda de juros de longo prazo e um investimento do Brasil e do próprio exterior no Brasil.

 

Repórter Cleide Lopes: Na pesquisa, além da reforma da Previdência, os comerciantes e lojistas também opinaram sobre outros temas, 79% deles consideram que as mudanças recentes na política econômica são importantes para o crescimento do país; 73% avaliam como positivo o teto de gastos do Governo; e 70% apoiam a reforma trabalhista. É o que explica Antônio Xará.

 

Superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal - Antônio Xará: A reforma trabalhista vai ajudar o empresário, uma melhor entre empregador e empregado, acabando com aquelas reclamações trabalhistas, que oneram demais o custo operacional das empresas, aonde o empregador poderá admitir mais pessoas.

 

Repórter Cleide Lopes: O Governo pretende levar a proposta de reforma da Previdência à votação na Câmara dos Deputados no mês de fevereiro. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Nasi: A reforma da Previdência tem o apoio de empresários do setor de comércios e serviços.

 

Gabriela: E o presidente Michel Temer, em entrevista à Rádio Bandeirantes de São Paulo, disse que um dos objetivos da reforma é combater privilégios.

 

Nasi: O presidente deu como exemplo funcionários públicos que ganham acima do teto de R$ 5.600 do INSS e se aposentam com o salário integral.

 

Gabriela: Segundo ele, esse grupo responde por quase metade do déficit da Previdência.

 

Presidente Michel Temer: No instante em que você diga: Olha, quem ganha acima de R$ 5.645 vai ter que fazer uma previdência complementar, você está acabando com privilégios. Porque você não dá uma aposentadoria especial para aqueles que estão no serviço público, que ganham mais, e uma aposentadoria menor para o trabalhador privado.

 

Nasi: Michel Temer disse ainda que, se a reforma da Previdência não for aprovada na Câmara dos Deputados, beneficiários do sistema vão ser prejudicados.

 

Presidente Michel Temer: Quem não votar pela Previdência está fazendo mal para o país e fazendo mal para os aposentados, e até para os servidores públicos, porque num dado momento você terá que cortar vencimentos dos servidores públicos.

 

Gabriela: E o governo cumpriu com folga a meta fiscal do ano passado.

 

Nasi: O déficit previsto nas contas públicas, que era de R$ 159 bilhões, ficou em R$ 124 bilhões.

 

Gabriela: Isso significa que, apesar do saldo negativo, o Governo está conseguindo economizar, aumentar a arrecadação e caminha em direção ao equilíbrio de seus gastos.

 

Repórter Paulo La Salvia: A administração pública apertou o cinto no ano passado. A atitude levou a uma economia dos chamados gastos discricionários, são aqueles que podem ser cortados como diárias de servidores. O Governo também revisou incentivos econômicos e passou um pente fino em programas, a partir da revisão de cadastros. O resultado, R$ 30 bilhões a menos em despesas. As receitas também ficaram acima da expectativa em mais de R$ 4,5 bilhões, em parte pela recuperação da economia com aumento na arrecadação de impostos, além do parcelamento de débitos de grandes devedores, privatizações e ganhos com a exploração do petróleo. A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, disse que o Governo não vai fugir das responsabilidades.

 

Secretária do Tesouro Nacional - Ana Paula Vescovi: Há um governo disposto, engajado em cumprir as metas. Nós temos uma preocupação em cumprir com as metas e da forma mais transparente possível.

 

Repórter Paulo La Salvia: Mesmo com o resultado, os gastos obrigatórios do orçamento, como a Previdência Social, continuam pressionando as contas públicas. Só com trabalhadores da iniciativa privada, o rombo foi de R$ 185 bilhões no ano passado. Pressão à parte, o Governo não estourou o teto com o aumento de gasto de 3,1%, abaixo do limite, que era de 7,2%. A regra de ouro também foi cumprida, ou seja, o Governo evitou contrair dívidas para pagar despesas, como salário de servidores, o que é proibido pela Constituição. A secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, defendeu que o Governo busca cada vez mais ajustar as contas públicas.

 

Secretária do Tesouro Nacional - Ana Paula Vescovi: Estamos falando de um déficit muito acentuado, que precisa ser revertido no Brasil. Nós estamos numa transição para uma consolidação fiscal, onde nós teremos que chegar a um resultado tal que ele estabilize a evolução da dívida pública, para que o Brasil possa continuar colhendo os benefícios disso, né? Um ambiente macroeconômico estável, com a inflação baixa, com crescimento, geração de empregos.

 

Repórter Paulo La Salvia: Segundo o Tesouro Nacional, o volume de investimentos do Governo Federal no ano passado foi superior a R$ 46 bilhões. Reportagem, Paulo La Salvia.

 

Nasi: A Receita Federal está fechando o cerco para quem pensa entrar no país com mercadorias ilegais, sejam medicamentos, cigarros, roupas, calçados ou drogas.

 

Gabriela: Só no ano passado, foram R$ 2,3 bilhões apreendidos em mercadorias nas ações de combate ao contrabando e à pirataria.

 

Repórter Raquel Mariano: Quase 46 toneladas. Esta foi a quantidade de drogas apreendida pelas aduanas de todo o Brasil no ano passado. Esse número representa um aumento de mais de 122% em relação ao ano anterior. Além de drogas, a Receita Federal confiscou também cigarros e outras mercadorias, resultando em uma apreensão recorde de 2,3 bilhões. O coordenador de Combate ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal, Arthur Casella, detalha a apreensão.

 

Coordenador de Combate ao Contrabando e Descaminho - Arthur Casella: O mais marcante foi o aumento das nossas apreensões de drogas, né? Cocaína aumentou 460% do ano passado para esse. Nós vamos ter mais de 46 mil quilos de drogas apreendidos esse ano, então é muita coisa realmente. O que mais aumentou esse ano, isso é muito importante, foi medicamento, 381%. Em segundo lugar, já foi calçados, 338%.

 

Repórter Raquel Mariano: O diretor destacou ainda que esse número de apreensões foi consequência das mudanças de estratégias da Receita Federal.

 

Coordenador de Combate ao Contrabando e Descaminho - Arthur Casella: Usando gestão de risco, realmente, inteligência, informação, tanto que a gente conseguiu chegar nesse belo resultado esse ano.

 

Repórter Raquel Mariano: As mercadorias apreendidas pela Receita Federal podem ser destruídas, incorporadas aos órgãos de administração pública federal, estadual ou municipal, ou doadas a entidades beneficentes e leiloadas. Todas as mercadorias piratas são destruídas. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: 19h10 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: Vai visitar algum parque nacional neste verão?

 

Gabriela: A recomendação é se vacinar contra a febre amarela. Daqui a pouco a gente traz os detalhes.

 

Nasi: Acabou a espera. Foi divulgada hoje a lista de aprovados no Sisu, o Sistema de Seleção Unificada.

 

Gabriela: Ao todo, foram ofertadas quase 240 mil vagas em 130 universidades e faculdades públicas.

 

Nasi: Os estudantes aprovados devem realizar a matrícula a partir de amanhã, nas instituições em que vão estudar. O prazo termina no dia 7 de fevereiro.

 

Gabriela: Quem não foi aprovado, tem ainda a chance de concorrer a uma vaga pela lista de espera. O candidato pode manifestar interesse a partir de amanhã. O prazo também vai até o dia 7 do mês que vem.

 

Nasi: A lista dos aprovados está na página do SISU na internet, em www.sisu.mec.gov.br.

 

Gabriela: Acompanhar e atender crianças com microcefalia faz parte de programas e ações do Governo.

 

Nasi: Uma delas é o Centro-Dia, uma unidade de atenção que conta com profissionais para orientar os pais sobre cuidados e para acolher essas crianças.

 

Gabriela: Um desses centros fica em Salvador. Inaugurado no mês passado, ele já faz a diferença na vida de muitas famílias.

 

Repórter Pâmela Santos: Quando Judaiane da Silva Freitas, de 29 anos, descobriu que a filha Aira tinha microcefalia, causada pelo Zika vírus, soube que a vida ia mudar para sempre. Foi difícil encontrar um lugar que a acolhesse e orientasse sobre como cuidar da filha. Hoje, Aira tem dois anos e frequenta o Centro-Dia de Referência para Crianças com Deficiência. Lá, ela encontrou o atendimento especial que a pequena tanto precisava. A mãe conta que a menina fica feliz quando reconhece as cuidadoras e que foi importante o acolhimento que teve na unidade.

 

Entrevistada - Judaiane da Silva Freitas: Eu gostei do atendimento das meninas, das cuidadoras, são um amor, são muito carinhosas, demonstram que têm paciência com os nossos filhos. Acho [ininteligível] muito bem recepcionada.

 

Repórter Pâmela Santos: O Centro-Dia de Salvador foi uma das primeiras unidades para atendimento prioritário a crianças com deficiência inaugurada no Brasil. A outra sede fica em Campina Grande, na Paraíba. Em Salvador, 60 crianças são atendidas diariamente no Centro-Dia. A equipe profissional conta com assistentes sociais, psicólogos, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais e cuidadores. Segundo a secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador, Tia Eron, agora que o surto da doença passou, é preciso dar muita atenção às famílias.

 

Secretária de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador - Tia Eron: Lá, o mais importante é o cuidado e o foco, que é exatamente o tratamento, para que essas crianças tenham uma qualidade de vida, ou tenham uma sobrevida. E por fim, essa família, ela não venha ter os seus vínculos familiares comprometidos.

 

Repórter Pâmela Santos: Para o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, é graças ao atendimento de qualidade ofertado pelas unidades que as crianças têm a oportunidade de se desenvolverem melhor e com qualidade de vida.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Tem um período crítico no início da vida, os primeiros mil dias, ou os primeiros anos, dois, três anos de vida, que a criança bem estimulada, ela responde muito melhor, ela organiza muito melhor as suas competências, suas habilidades. E quando se trata de uma criança com lesão neurológica grave, ela diminui a dependência que ela tem dos cuidados de outras pessoas no futuro. Por isso que nós estamos criando, em várias cidades onde houve surto maior de epidemia de Zika, nós estamos criando Centros-Dia.

 

Repórter Pâmela Santos: Ao todo, o Governo Federal já repassou R$ 2,4 milhões para implantação de Centros-Dias em dez municípios, das regiões com maior incidência de vítimas do Zika vírus. Reportagem, Pâmela Santos.

 

Nasi: Com a confirmação de 130 casos de febre amarela no país em áreas silvestres, o ICMBio recomenda a vacinação para todos os visitantes de parques nacionais situados nas regiões afetadas.

 

Gabriela: Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal são as regiões onde a doença tem feito vítimas.

 

Nasi: O ICMBio esclarece que não existe registro de macacos mortos em parques nacionais e ressalta que a doença não é transmitida por macacos.

 

Repórter Natália Koslyk: Quem quiser ir visitar algum dos parques nacionais neste verão deve estar imunizado contra a febre amarela. A recomendação é do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, que protege tanto os visitantes dos parques quanto os animais vítimas da doença, como explica o coordenador-geral de uso público do ICMBio, Pedro Menezes.

 

Coordenador-geral de uso público do ICMBio - Pedro Menezes: O mosquito vetor hoje da febre amarela transmite a versão silvestre da doença. Portanto, ele se encontra mais em florestas onde há macacos, de modo que estar imunizado protege tanto a fauna quanto o próprio visitante. É uma recomendação preventiva para os nossos visitantes em áreas onde temos primatas.

 

Repórter Natália Koslyk: O Parque Nacional do Caparaó é uma das 324 unidades de conservação federais. Fica na divisa entre Minas Gerais e Espírito Santo, abriga o terceiro ponto mais alto do país, o Pico da Bandeira, e possui diversos atrativos para os visitantes. Neste carnaval, a expectativa é de que mais de 3 mil pessoas passem por lá, mas para que a diversão seja segura, Welington Antônio Lopes, chefe do Parque do Caparaó, alerta sobre a importância de os visitantes estarem com cartão de vacinação em dia.

 

Chefe do Parque do Caparaó - Welington Antônio Lopes: Nós recomendamos, no Carnaval, a apresentação do cartão de vacina, para poder ingressar ao parque. E também estamos avisando da parte hoteleira também, a fazer, exigirem dos seus hóspedes já com reservas marcadas que trazem os seus cartões de vacinação, para poder ficar mais fácil o acesso ao Parque Nacional do Caparaó.

 

Repórter Natália Koslyk: Pedro Menezes, do ICMBio esclarece que não há nenhum registro de macacos mortos em parques nacionais, e que a medida tem caráter preventivo.

 

Coordenador-geral de uso público do ICMBio - Pedro Menezes: Não é uma proibição. A gente parte do princípio de que é responsabilidade de cada cidadão cuidar de sua própria saúde. A gente está fazendo um trabalho de alerta.

 

Repórter Natália Koslyk: De acordo com o Ministério da Saúde, até a última semana, foram registrados 130 casos de febre amarela no país, em áreas silvestres de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Reportagem, Natália Koslyk.

 

Gabriela: E o número de casos de febre amarela no país nesse início de ano vem assustando muitos brasileiros.

 

Nasi: E é neste momento que surgem muitas dúvidas sobre formas de prevenção, quando é preciso se vacinar e até mesmo sintomas da doença.

 

Gabriela: Por isso, fique atento. Vamos responder essas dúvidas no quadro "Pra você, Cidadão" de hoje.

 

"Pra você, Cidadão".

 

Repórter Roberta Lopes: A vacinação contra a febre amarela já começou nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. A febre amarela é uma doença infecciosa febril, transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado e não há transmissão direta de pessoa para pessoa. O vírus pode ficar incubado no corpo por até 15 dias. Entre os sintomas da doença estão febre repentina, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, além de fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após esses sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período, de horas a um dia, sem sintomas, e então desenvolvem uma forma mais grave da doença. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia, que é a coloração amarelada da pele e do branco dos olhos, e hemorragia gastrointestinal. Caso você sinta algum desses sintomas, procure imediatamente um médico. A febre amarela pode até matar. A melhor prevenção contra a doença é a vacina, que pode ser encontrada nas unidades de saúde. Caso você vá para alguma área onde há risco de contrair a doença, é bom tomar a vacina dez dias antes da data da viagem. Roberta Lopes para a Voz do Brasil.

 

Nasi: E mais de um milhão de pessoas se vacinaram nos últimos dias contra a febre amarela em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde a situação da doença está mais grave.

 

Gabriela: Os dois estados iniciaram nova campanha de vacinação na última quinta-feira.

 

Nasi: Em São Paulo, nos dois primeiros dias de vacinação, 521 mil pessoas foram vacinadas.

 

Gabriela: Já no Rio de Janeiro, só no dia D de vacinação, realizado no sábado, cerca de 500 mil pessoas se imunizaram contra a febre amarela.

 

Nasi: Além de São Paulo e Rio, o estado da Bahia também vai fazer nova campanha de vacinação, que começa no dia 19 de fevereiro.

 

Gabriela: No restante do país, a vacina continua sendo aplicada normalmente. O Governo Federal ressalta que existe estoque da vacina suficiente para todo o país.

 

Nasi: Microempreendedores individuais podem ter acesso aos planos de saúde empresariais e com direito de oferecer também aos funcionários e familiares.

 

Gabriela: A mudança faz parte das novas regras da ANS, Agência Nacional de Saúde Suplementar, e começaram a valer hoje.

 

Repórter Pablo Mundim: As novas regras determinam que o dono de uma empresa de pequeno porte, de uma microempresa ou microempreendedor individual comprovem que exercem a atividade empresarial por no mínimo seis meses. Além de oferecer o benefício para os funcionários, também é possível incluir na cobertura os dependentes. A diretora adjunta da ANS, Carola Soares, avalia que as novas regras são mais protetivas e garantem os direitos do microempreendedor.

 

Diretora adjunta da ANS - Carola Soares: É preciso comprovar que ele realmente exerce a atividade de empresário individual, é preciso comprovar a regularidade de inscrição e de cadastro na Receita Federal e a manutenção dessa situação.

 

Repórter Pablo Mundim: Responsáveis por ajudar a movimentar a economia, os microempreendedores individuais no Brasil já somam mais de 6 milhões de inscritos, de acordo com recente levantamento do Portal do Empreendedor. Além de oferecerem serviços, esses microempreendedores também ajudam a combater o desemprego. Para a diretora adjunta de produtos da ANS, esse nicho é muito importante para a economia do país.

 

Diretora adjunta da ANS - Carola Soares: Essa atividade, né, o empreendedorismo, tem crescido muito. É um setor da economia muito importante. E agora essa contratação de plano coletivo empresarial, esses empresários vão poder também disponibilizar o plano para o seu empregado.

 

Repórter Pablo Mundim: Outra mudança é quanto à rescisão unilateral pela operadora de plano de saúde. Agora, o contrato só poderá ser rescindido, ou seja, cancelado sem motivos, após uma notificação prévia de 60 dias, e somente depois de um ano de vigência do contrato. Para saber mais sobre as mudanças, basta acessar o site ans.gov.br. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Empresas que estão excluídas do Simples Nacional podem pedir nova adesão até esta quarta-feira, dia 31.

 

Gabriela: Para isso, é necessário regularizar os débitos também até esta quarta.

 

Nasi: E a Receita Federal alerta: não vai prorrogar o prazo.

 

"Então, vamos juntos nessa aventura?".

 

Repórter Raissa Lopes: O Peixe Laranjinha é personagem do teatro de fantoches de Riane Bosson.

 

"Vários animais marinhos resolveram acabar com a poluição".

 

Repórter Raissa Lopes: Com ele, ela fala sobre a importância da reciclagem em escolas e shoppings. Há seis anos, Riane sentiu necessidade de levar sua mensagem a mais pessoas e percebeu que precisaria do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica e de notas fiscais. Procurou o Sebrae, fez cursos, virou uma MEI, microempreendedora individual, e se inscreveu no Simples Nacional. O regime de tributação unifica oito impostos para o pequeno empresário. Segundo ela, entre os benefícios está a segurança para o empresário e para quem compra o produto.

 

Empresária - Riane Bosson: Você pode ter nota fiscal. Eu já tinha essa necessidade, empresas queriam me contratar e muitas vezes eu já estava deixando de atuar. Empresas queriam comprar os meus livros e eu não tinha uma nota fiscal. Até a credibilidade, você passa a ter mais credibilidade. Outra coisa que muitas pessoas não sabem: Com CNPJ, você pode comprar qualquer produto com desconto.

 

Repórter Raissa Lopes: Riane paga os impostos do Simples Nacional em dia, mas as empresas que, por alguma razão, foram excluídas do regime e não querem perder os benefícios, só têm até esta quarta-feira, dia 31, para fazer nova adesão. Para isso, é preciso que quitem seus débitos. Segundo o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, 560 mil empresas estão nessa situação. Ele sugere que elas façam parcelamento.

 

Presidente do Sebrae - Guilherme Afif Domingos: Quem ainda não conseguiu fazer o acerto, até porque elas têm dificuldade de dinheiro, de recursos, o que nós aconselhamos é buscar o reparcelamento dessa dívida, com juros, multa, até 60 meses para pagar. Não deixar de fazer essa regularização.

 

Repórter Raissa Lopes: Para pagar os débitos, a opção de parcelamento está disponível no portal do Simples Nacional. O endereço: receita.fazenda.gov.br/simplesnacional. A Receita Federal ressalta que o prazo não será prorrogado. Reportagem, Raissa Lopes.

 

Gabriela: O Governo criou uma força-tarefa para apoiar a Secretaria de Segurança Pública do Ceará em investigações e ações de inteligência.

 

Nasi: Em nota, o Ministério da Justiça informa que a força-tarefa vai ajudar a reprimir de forma exemplar a ação de grupos criminosos envolvidos na chacina ocorrida no sábado em Fortaleza.

 

Gabriela: Um grupo de homens armados disparou contra um clube, matando 14 pessoas. Outras dez ficaram feridas.

 

Nasi: A força-tarefa tem a participação de membros da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Departamento Penitenciário Nacional.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".