29 de março de 2018

Destaques da Voz do Brasil: Inaugurado novo aeroporto de Vitória, no Espírito Santo. Terminal vai receber quase 3 vezes mais passageiros. E presidente Michel Temer destaca retomada da obra, esperada há mais de 10 anos pelos capixabas. Véspera de feriado e a Polícia Rodoviária Federal já reforça a fiscalização em rodovias de todo o país. Leilão de exploração de petróleo e gás rende R$ 8 bilhões em arrecadação. Atletas brasileiras contam experiências de assédio. E apoiam campanha "Esporte sem Assédio", lançada pelo governo.

audio/mpeg VOZ290318.mp3 — 46893 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 29 de março de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Inaugurado o novo aeroporto de Vitória, no Espírito Santo.

 

Nasi: Terminal vai receber quase três vezes mais passageiros.

 

Gabriela: E presidente Michel Temer destaca a retomada da obra, esperada há mais dez anos pelos capixabas.

 

Presidente Michel Temer: Nós conseguimos caminhar por suas vertentes: uma, que era retomar as obras e levarmos adiante, e outras, recuperar a economia do país.

 

Nasi: Você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Véspera de feriado e a Polícia Rodoviária Federal já reforça a fiscalização em rodovias de todo o país.

 

Nasi: Leilão de exploração de petróleo e gás rende R$ 8 bilhões em arrecadação. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: É a maior arrecadação da história em um leilão de exploração de petróleo e gás natural.

 

Gabriela: Atletas brasileiras contam experiências de assédio.

 

Nasi: E apoiam campanha "Esporte sem Assédio", lançada hoje pelo governo. Raquel Mariano.

 

Repórter Raquel Mariano: A ideia é mobilizar todos os envolvidos com o esporte para combater esse tipo de crime.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

"Agora, é Avançar".

 

Gabriela: O Brasil ganhou hoje um novo aeroporto.

 

Nasi: O terminal de Vitória, capital do Espírito Santo, foi inaugurado depois de mais 15 anos do início da obra.

 

Gabriela: Agora, os passageiros contam com um terminal com capacidade quase três vezes maior, mais vagas de estacionamento, uma pista nova, mais lojas e mais conforto.

 

Nasi: O presidente Michel Temer participou da inauguração e falou que o novo aeroporto faz parte do trabalho do governo de retomar obras que estavam paralisadas.

 

Repórter Paulo La Salvia: Infraestrutura e tecnologia de ponta. São as marcas do novo aeroporto de Vitória, no Espírito Santo. O terminal recebeu cerca de R$ 560 milhões em investimentos do Governo Federal. O superintendente da Infraero na capital capixaba, Afrânio de Souza Mar, falou sobre as inovações do novo terminal.

 

Superintendente da Infraero em Vitória - Afrânio de Souza Mar: Esse conjunto que está sendo entregue agora aqui nessa fase, que compreende um terminal de passageiro com toda a infraestrutura de embarque, desembarque, estacionamento, via de acesso, táxis para as aeronaves e uma nova pista, com uma extensão maior, falando de um novo complexo aeroportuário.

 

Repórter Paulo La Salvia: Em relação ao antigo aeroporto o fluxo também vai praticamente triplicar: saltará de mais de 3 milhões de passageiros por ano para quase 8,5 milhões. Na área de embarque do antigo aeroporto a informação foi bem recebida pelos passageiros, como é o caso do supervisor de vendas da capital, Rodrigo Pinto, que viaja toda semana para São Paulo.

 

Supervisor de Vendas - Rodrigo Pinto: A expectativa que nós temos é de que vai ser a maior superação do ano essa realização dessa inauguração desse aeroporto.

 

Repórter Paulo La Salvia: Antes de atender o público em geral, o aeroporto foi inaugurado pelo presidente Michel Temer, que visitou o terminal acompanhado por ministros. O dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, falou da evolução do setor. Foram 18 meses de queda no número de passageiros e cargas nos aeroportos no Brasil.

 

Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil - Maurício Quintella: Nós revertemos esses números e hoje nós já estamos no décimo segundo mês consecutivo de alta, e alta forte na movimentação de passageiros e de carga no setor aéreo brasileiro. Isso se deve, presidente, às reformas que foram feitas, à dinamização da economia.

 

Repórter Paulo La Salvia: O presidente Michel Temer destacou a retomada de obras paradas no país, como o aeroporto de Vitória, que demorou mais de 15 anos para ser construído.

 

Presidente Michel Temer: Quando cheguei ao governo, eu verifiquei algumas coisas fundamentais. Eu fiquei espantado, ficamos todos, com o número de obras que estavam paralisadas. E resolvemos retomar essas obras. E daí a retomada da obra aqui do aeroporto de Vitória. Como fizemos com a transposição do Rio São Francisco.

 

Repórter Paulo La Salvia: O novo terminal de Vitória, no Espírito Santo, é um dos 13 aeroportos que o governo pretende conceder para a iniciativa privada explorar por um período de 30 anos. O estudo para viabilizar o negócio já foi concluído. Este é o primeiro passo para o leilão, que está previsto para ocorrer no segundo semestre deste ano. De Vitória, no Espírito Santo, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: O governo leiloou hoje áreas para exploração de petróleo e gás.

 

Nasi: No total, foram arrecadados mais de R$ 8 bilhões, um recorde.

 

Gabriela: O valor ultrapassou as expectativas, o que para o governo é sinal de confiança dos empresários na economia do país, e que vai contribuir para a geração de empregos.

 

Repórter João Pedro Neto: O governo arrecadou com o leilão mais de R$ 8 bilhões em bônus de assinatura, que são os valores a serem pagos pelas empresas pela exploração. É a maior arrecadação da história em um leilão de exploração de petróleo e gás natural. O secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Márcio Felix, disse que o resultado expressivo é consequência das ações e políticas adotadas pelo governo.

 

Secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia - Márcio Felix: As andanças pelo mundo que o governo brasileiro fez, mostrou o diálogo aberto, o ataque e enfrentamento, a agenda, o equacionamento da agenda que tinha, criadas as regras. Foram aprovadas novas polícias de exploração e produção permitindo um calendário de leilões. Então, assim, o Brasil começou a virar a bola da vez.

 

Repórter João Pedro Neto: As áreas marítimas respondem por todo o valor arrecadado. Dos 47 blocos ofertados, 22 foram arrematados. Eles ficam nas bacias de Campos e Santos, entre os estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo, e também em bacias no Ceará, Rio Grande do Norte, Sergipe e Alagoas. As empresas devem fazer investimentos para a exploração nas áreas arrematadas de, no mínimo, R$ 1,2 bilhão. O presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Jorge Camargo, destacou a variedade das áreas ofertadas e a diversidade de operadoras que participaram do leilão.

 

Presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, - Jorge Camargo: Esse talvez seja um dos melhores indicadores de sucesso. Mais do que o bônus, você ver a quantidade de operadores que hoje estão atuando no Brasil, investindo no Brasil, e operadores já que estavam e estão aumentando o apetite, operadores que estão chegando de fora. Essa diversidade de operadores é que dá a saúde, a qualidade no ambiente da indústria de petróleo no Brasil.

 

Repórter João Pedro Neto: O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, destacou o esforço do governo para promover segurança jurídica aos investidores.

 

Ministro da Secretaria-Geral da Presidência - Moreira Franco: Tivemos que buscar um caminho de estimular o investimento para gerar emprego através do Programa de Parceria de Investimentos. E foi um sucesso. E esse sucesso, ele se deu por dois objetivos fundamentais que nós nos colocamos: o primeiro, o de dar transparência ao processo, à governança, de se dar transparência a todo o arcabouço das regras, que eram extremamente confusos, eram equivocados, e o segundo é a garantia da segurança jurídica.

 

Repórter João Pedro Neto: De acordo com o governo, a assinatura dos contratos com as empresas para exploração de petróleo e gás natural deve ocorrer até o final do ano. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Nasi: O Banco Central reduziu a projeção de inflação para este ano.

 

Gabriela: E o PIB, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país, deve crescer 2,6%.

 

Nasi: Números da economia que foram divulgados hoje pelo presidente da instituição, Ilan Goldfajn.

 

Gabriela: Segundo ele, neste ano a ideia também é focar em medidas importantes para o bolso dos brasileiros, reduzir as taxas e tarifas dos bancos.

 

Repórter Gabriela Noronha: A economia brasileira continua crescendo com o aumento do otimismo das empresas, que estão deixando para trás o endividamento. De acordo com o relatório trimestral de inflação divulgado pelo Banco Central, o cenário levou a uma queda na expectativa de inflação para 2018, de 4,2% para 3,8%, como explica o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

 

Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn: O nosso cenário básico é bem claro: sai de uma inflação mais baixa e vai convergindo para as metas ao longo do tempo. A economia vai se recuperando, vai aquecendo, e essa recuperação nós vemos como consistente, e, portanto, a inflação leva de volta para as metas.

 

Repórter Gabriela Noronha: Na divulgação do relatório, o presidente do Banco Central disse que a situação econômica do país deve permitir mais uma redução na taxa básica de juros, atualmente em 6,5% ao ano, a mais baixa da história, queda que já foi sinalizada pela ata do Conselho de Política Monetária, o Copom, que define a Taxa Selic. O que o Banco Central quer agora é reduzir os juros cobrados pelas instituições financeiras, considerados muito altos pela autoridade monetária. Uma das medidas já anunciadas é a redução na taxa dos depósitos compulsórios. Esses depósitos são recursos dos clientes que os bancos são obrigados a depositar no Banco Central. Com a redução, sobra dinheiro para que os bancos aumentem a oferta de crédito. Goldfajn destacou que o Banco Central continuará trabalhando para que os juros cobrados na praça caiam cada vez mais.

 

Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn: Nós estamos trabalhando para isso, trabalhando na questão do cartão de débito, sabemos que haverá mudança no cheque especial ainda em abril. Então, nós esperamos e vamos trabalhar para uma queda mais rápida nas taxas bancárias.

 

Repórter Gabriela Noronha: E a projeção do crescimento do PIB, que é a soma de tudo que é produzido pela economia do país, é de 2,6% este ano. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Nasi: Feriado prolongado é sinônimo de movimento nas estradas e aeroportos.

 

Gabriela: Nos aeroportos tem reforço nas equipes para garantir a viagem de todos os passageiros.

 

Nasi: Já nas estradas, a Polícia Rodoviária Federal iniciou hoje a Operação Semana Santa, com o reforço do policiamento em todo o Brasil.

 

Repórter Raíssa Lopes: É feriado e as pessoas aproveitam para viajar. O bancário Jean Francesco, por exemplo, mora em Brasília e vai aproveitar a Páscoa para visitar a família e descansar em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

 

Bancário - Jean Francesco: Aproveitar o feriado, visitar a família e descansar um pouquinho.

 

Repórter Raíssa Lopes: A Infraero estima que, assim como Francesco, mais de um milhão de pessoas passem pelos principais aeroportos do país até segunda-feira. E feriado também significa mais carros nas estradas. Para garantir a segurança dos motoristas, a Polícia Rodoviária Federal vai ter reforço em locais e horários de maior incidência de acidentes graves e criminalidade, como explica o porta-voz da PRF, Diego Brandão.

 

Porta-Voz da PRF - Diego Brandão: Então, naqueles locais onde a registrou o maior número de acidentes e de condutas lesivas, ali a gente posiciona os nossos equipamentos e os nossos policiais, evitando, assim, a conduta lesiva e o acidente.

 

Repórter Raíssa Lopes: Haverá bafômetros em todas as viaturas da polícia. Quem for pegar a estrada deve tomar alguns cuidados, como lembra o porta-voz.

 

Porta-Voz da PRF - Diego Brandão: Manutenção preventiva do veículo, planejamento da viagem, conhecendo pontos de parada, pontos de descanso. E hoje o que você precisa é o motorista estar descansado para poder fazer a viagem com tranquilidade.

 

Repórter Raíssa Lopes: Para não ter problemas ao viajar de ônibus ou avião também é importante tomar alguns cuidados, como chegar cedo nos terminais, não esquecer os documentos de identificação e ficar atento às regras de bagagem das empresas. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: E amanhã, Sexta-Feira Santa, o peixe é tradição na mesa de muitos brasileiros.

 

Nasi: É, Gabriela, mas tem que ter atenção para ver se está fresco e também se o que está sendo anunciado é mesmo a espécie que você está levando.

 

Gabriela: Para ajudar nesse trabalho, o Ministério da Agricultura fez uma fiscalização e descobriu muita gente querendo passar a perna nos consumidores.

 

Repórter Luana Karen: Têm uns que não são muito chegados, mas gostam de preservar a tradição. É o caso da professora Lenini Inácio Pereira.

 

Professora - Lenini Inácio Pereira: Em virtude da minha precisão familiar, né, então a minha mãe já me acostumou necessariamente a comer peixe na sexta-feira.

 

Repórter Luana Karen: Outros são declaradamente fãs de peixe, como o professor José Carlos Oliveira.

 

Professor - José Carlos Oliveira: Eu nasci no Nordeste. Então, eu gosto de mar, de praia, de tudo e de peixe.

 

Repórter Luana Karen: Para garantir que o peixe que o consumidor põe na sacola é realmente o produto anunciado, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento fez uma operação em mercados de 12 estados e do Distrito Federal. Entre os produtos analisados, pouco mais de 9% dos peixes importados ou com selo de inspeção federal não eram da espécie que estava indicada no rótulo. Já quando o pescado tem selo de inspeção estadual ou municipal, o índice de gato vendido por lebre chegou a 55%. Robalo, pescada, linguado, sardinha e surubim são as espécies mais fraudadas. De acordo com o chefe do Serviço de Inspeção de Violações e Notificações do Ministério da Agricultura, Paulo Humberto Araújo, as empresas flagradas vendendo o produto com indicação falsa serão notificadas.

 

Chefe do Serviço de Inspeção de Violações e Notificações do Ministério da Agricultura - Paulo Humberto Araújo: Além das sanções administrativas e de multas, apreensões, ter que recolher o produto do mercado, elas entram num regime de medida cautelar: se interdita a expedição da empresa e todo produto só sai depois de avaliação criteriosa pelos auditores fiscais do Ministério da Agricultura.

 

Repórter Luana Karen: Caso o consumidor se depare com peixes vendidos fora dos padrões pode fazer uma denúncia na Ouvidoria do Ministério da Agricultura, no número 0800-7041995. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: 19h14, em Brasília.

 

Nasi: É preciso combater o assédio.

 

Gabriela: Crime que está presente no dia a dia de muitas brasileiras, inclusive no esporte.

 

Nasi: E ainda nesta edição você vai saber mais sobre a nova campanha lançada hoje pelo governo, "Esporte sem Assédio". É daqui a pouco.

 

"Momento Social".

 

Gabriela: A pergunta do nosso quadro de hoje é do agricultor familiar Antonio Augusto Mendes, de Santa Catarina.

 

Nasi: Ele quer vender a produção para o governo e quer saber como fazer.

 

Gabriela: O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, responde.

 

Agricultor Familiar - Antonio Augusto Mendes: Olá, ministro. O meu nome é Antonio Augusto. Eu sou da cooperativa CoperFamília de Rio Fortuna, Santa Catarina. Eu gostaria de saber do senhor como nós podemos aumentar a venda dos nossos produtos da agricultura familiar para as instituições federais.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: Existe uma ferramenta muito importante que tem aproximado os agricultores familiares dos órgãos públicos federais que estão comprando alimentos. É o portal de compras da agricultura familiar. Portal que fica dentro do site do Ministério do Desenvolvimento Social. Nesse site, você que é agricultor e as cooperativas podem cadastrar os produtos que querem vender para as unidades, os quartéis das Forças Armadas e instituições e universidades federais. A compra é feita pela modalidade compra institucional, dentro do Programa de Aquisição de Alimentos. Então, lá no portal você também encontra as chamadas públicas de compra de alimentos que estão abertas em todo o país. Isso ajuda muito as instituições, que acabam comprando um produto mais sadio, mais barato e fresco. Por outro lado, promove também o desenvolvimento local da região que você mora. Então, não perca essa oportunidade. Acesse www.comprasagriculturafamiliar.gov.br e faça o seu cadastro.

 

Nasi: Atendimento especializado para bebês com microcefalia.

 

Gabriela: Esses são os chamados Centros-Dia, unidades de assistência social que oferecem de graça toda a atenção para mamães e crianças de baixa renda.

 

Nasi: Em todo o país já são quatro unidades, e mais uma foi inaugurada hoje, em Teresina, no Piauí.

 

Repórter André Luiz Gomes: Logo que Rebeca, de dois anos, nasceu, a mãe Ana Paula Nascimento Dias sabia que a vida da filha seria bem diferente. A pequena tinha microcefalia, resultado do zika vírus, que a mãe contraiu enquanto estava grávida. Ana Paula é uma das 30 famílias que serão atendidas diariamente pelo novo Centro-Dia de Referência para Pessoa com Deficiência de Teresina, no Piauí. A unidade é pertinho de casa e a mãe está comemorando a conquista que irá ajudar na estimulação e desenvolvimento integral da Rebeca.

 

Entrevistada - Ana Paula Nascimento Dias: Para mim veio numa boa hora, com certeza, não só para mim, mas para todas as mães, que eu acho que aqui vai interagir mais com as outras crianças, vai aprender mais.

 

Repórter André Luiz Gomes: Na inauguração da unidade de Teresina, ocorrida nesta quinta-feira, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, afirmou que agora as crianças terão um acompanhamento adequado para se desenvolverem melhor e com mais qualidade de vida.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Osmar Terra: É um centro de acolhimento dessas crianças onde elas vão poder passar várias horas do dia, vão ter o tratamento adequado, tanto na questão de fisioterapia quanto na questão pedagógica. São crianças que vão ter uma oportunidade de se desenvolver melhor do que teriam sem a existência desse centro. Estamos fazendo em várias cidades do Nordeste, onde a epidemia foi mais forte, e eu tenho a convicção de que isso vai ajudar muito.

 

Repórter André Luiz Gomes: Ao todo, o Governo Federal já repassou R$ 2,4 milhões para a implantação das unidades em dez municípios das regiões com mais incidências de vítimas do zika vírus. O primeiro foi inaugurado em Campina Grande, na Paraíba, seguido por Salvador, Campo Grande e Arapiraca. Reportagem, André Luiz Gomes.

 

Gabriela: Praticar esportes traz saúde, bem-estar, promove amizades, o respeito entre as pessoas.

 

Nasi: E por que não aproveitar para usar estes valores e a popularidade que o esporte profissional tem no país para combater a violência e o assédio contra as mulheres?

 

Gabriela: É, essa é a ideia de uma campanha do governo que foi lançada hoje.

 

Gabriela: A atleta Joana Maranhão já passou grande parte da vida na piscina. Como nadadora, conquistou oito medalhas nos jogos Pan-Americanos e representou o Brasil nas quatro últimas edições das Olimpíadas. Mas também foi na piscina que Joana vivenciou o seu maior trauma.

 

Nadadora - Joana Maranhão: Eu fui vítima de abuso sexual aos nove anos de idade pela pessoa que era o meu técnico. E, como a maioria das vítimas, eu me calei, porque dentro da minha casa nunca houve nenhuma conversa, até porque sempre foi tabu, e aí só com a maturidade, a adolescência e primeiras experiências com meninos é que eu fui percebendo que eu não era uma adolescente normal como as minhas colegas.

 

Repórter Raquel Mariano: Assim como Joana Maranhão, Renata Ruel também é apaixonada por esporte. O encanto que Renata tem pelo futebol a levou a trabalhar como auxiliar de arbitragem. Com uma vasta experiência em campeonatos estaduais e até no campeonato brasileiro, Renata também convive de perto com o assédio.

 

Auxiliar de Arbitragem - Renata Ruel: A falta de respeito na maioria das vezes dos torcedores. Sabe, as coisas que nós escutamos assim no estádio não dá para dizer. Quando eu estou no campo trabalhando eu também não quero ouvir as coisas absurdas. Qual a diferença de eu estar trabalhando num campo e eu estar trabalhando no escritório?

 

Repórter Raquel Mariano: E para combater esses tipos de violência o Ministério do Esporte e a Secretaria Nacional de Política para as Mulheres lançaram a campanha "Esporte sem Assédio". A ideia é mobilizar todos os envolvidos com o esporte para combater esse tipo de crime. É o que explica o ministro do Esporte, Leonardo Picciani.

 

Ministro do Esporte - Leonardo Picciani: Para que os clubes, as entidades esportivas, as atletas, os profissionais do esporte estejam atentos à ocorrência de assédio no esporte.

 

Repórter Raquel Mariano: A campanha também quer incentivar a denúncia pelo Disque 180, a Central de Atendimento à Mulher. De acordo com a secretária Nacional de Política para as Mulheres, Fátima Palaes, existe uma equipe treinada para receber essas queixas.

 

Secretária Nacional de Política para as Mulheres - Fátima Palaes: Considerando o alto índice de mulheres que têm sofrido assédio e principalmente no esporte, vamos disponibilizar o canal do 180, que é um canal 24 horas, com nossas atendentes preparadas, e começarmos também a dar voz a essas mulheres que sofrem e que têm medo.

 

Repórter Raquel Mariano: A campanha também tem o objetivo de falar sobre o assédio. A ex-atleta de tênis de praia, Joana Cortês, lembra que é importante tratar deste assunto no nosso dia a dia.

 

Ex-Atleta - Joana Cortês: Eu acho que a partir do momento que uma atleta começa a falar e se posicionar, e esse movimento das campanhas são superimportantes, os pais principalmente estarem ali acompanhando, né?

 

Repórter Raquel Mariano: E no próximo domingo times de futebol do Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco vão entrar em campo vestindo a camisa da campanha. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Gabriela: 19h22, em Brasília.

 

Nasi: Você sabia que a Marinha brasileira tem um veleiro?

 

Gabriela: É, Nasi, e não é um veleiro qualquer. O Cisne Branco é muito diferente, a começar pela decoração, e cumpre até funções diplomáticas.

 

Nasi: E em breve a embarcação segue numa missão muito especial: uma regata internacional onde vai percorrer 19 mil quilômetros no mar.

 

Gabriela: Antes disso, quem estiver passeando pelo Rio de Janeiro tem a chance de conhecê-lo de pertinho.

 

Repórter João Pedro Neto: O Cisne Branco, o único veleiro da Marinha, não é uma embarcação antiga. A construção terminou no ano 2000, a tempo das comemorações pelos 500 anos do descobrimento do Brasil, quando o barco refez a rota de Pedro Álvares Cabral desde Portugal até Porto Seguro. Mas por dentro tudo remonta ao século XIX, época da criação da Marinha Brasileira. O veleiro também é conhecido como Embaixada Flutuante, porque é usado em atividades de representação no Brasil e internacionalmente. Participa agora da primeira etapa da regata Velas Latino-América 2018, no Rio de Janeiro, como explica o capitão-tenente Hallan Maforte.

 

Capitão-Tenente - Hallan Maforte: Os principais objetivos do navio veleiro Cisne Branco é essa identificação da sociedade com o mar, até porque nós fomos descobertos pelo mar.

 

Repórter João Pedro Neto: No Píer Mauá, no Rio de Janeiro, o Cisne Branco parte nesse domingo para uma regata que vai passar por outros desses países da América do Sul, América Latina e Caribe. A viagem só termina no México daqui a sete meses, depois de 19 mil quilômetros percorridos. O tenente Rodrigo Corman vai ser o responsável pela navegação e fala sobre os desafios da regata.

 

Tenente - Rodrigo Corman: O navio vem se preparando para essa comissão de sete meses já desde o ano passado. Então, são diversas tratativas de logísticas, abastecimentos em outros portos que têm que ser vistos daqui no Brasil, combinados para o navio não passar necessidade no mar, porque realmente no mar nós não temos a quem recorrer, estamos sozinhos.

 

Repórter João Pedro Neto: Mas enquanto não começa a jornada, na etapa carioca o Cisne Branco está aberto à visitação do público, na orla da cidade, junto com veleiros de outros seis países. E em vez dos marinheiros, quem ocupa os barcos são turistas e cariocas, como o engenheiro naval José Antonio, que aproveitou o dia de folga para conhecer as embarcações.

 

Engenheiro Naval - José Antonio: Eu estou achando ótimo, muito bonita. Eu acho que é um incentivo para a garotada, inclusive para como cultura conhecer esse mundo aí da náutica, que é muito bacana, muito interessante.

 

Repórter João Pedro Neto: A visitação do público ao Cisne Branco está aberta gratuitamente nesta sexta e sábado, da 1h à 5h30 da tarde, no cais do Píer Mauá, no centro do Rio. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Amanhã, feriado nacional, não tem a Voz do Brasil. Nós voltamos na segunda. Uma boa noite e um bom feriado para você.

 

"Brasil, ordem e progresso".