30 de outubro de 2017

Destaques da Voz do Brasil: Presidente Michel Temer assina medidas para reduzir gastos e aumentar a arrecadação. Ministro Henrique Meirelles prevê maior ritmo de crescimento do país e mais geração de empregos. Incêndio na Chapada dos Veadeiros está controlado e parque deve reabrir ainda esta semana. No Amazonas, Forças Armadas e Força Nacional reforçam segurança para garantir fiscalização do Ibama em garimpos ilegais.

audio/mpeg VOZ301017.mp3 — 46889 KB




Transcrição

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 30 de outubro de 2017.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Presidente Michel Temer assina medidas para reduzir gastos e aumentar a arrecadação. Paulo La Salvia.

 

Repórter Paulo La Salvia: Entre as medidas anunciadas, o adiamento do reajuste salarial e o aumento da contribuição previdenciária dos servidores públicos.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Ministro Henrique Meirelles prevê maior ritmo de crescimento do país e mais geração de empregos.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Hoje já temos criado, desde o início do ano, mais de 1 milhão de empregos. Aos poucos isso vai começar a ficar cada vez mais claro. Mas o importante é que o Brasil está já crescendo.

 

Nasi: Incêndio na Chapada dos Veadeiros está controlado e parque deve abrir ainda esta semana.

 

Gabriela: E no Amazonas, Forças Armadas e Força Nacional reforçam a segurança para garantir fiscalização do Ibama em garimpos ilegais.

 

Nasi: Hoje na apresentação: Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo na, internet, basta acessar: www.voz.gov.br.

 

Nasi: O Presidente Michel Temer teve alta médica do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, no início da tarde de hoje.

 

Gabriela: Temer se recuperou bem de uma pequena intervenção cirúrgica na última sexta-feira. Agora, segue determinação dos médicos para repouso.

 

Repórter José Luiz Filho: O Presidente Michel Temer deixou o Hospital Sírio-Libanês pouco depois do meio-dia. Ele saiu caminhando acompanhado pelo médico urologista Miguel Srougi. Antes de entrar no carro ele cumprimentou o médico, acenou para as câmeras e disse que está bem.

 

Presidente Michel Temer: É bom dizer para vocês que está tudo bem.

 

Repórter José Luiz Filho: O presidente recebeu alta depois de ficar internado durante todo o fim de semana para se recuperar de uma intervenção cirúrgica na próstata. O procedimento, conhecido como cistoscopia, foi realizado na noite de sexta-feira para desobstruir a uretra. Segundo o médico urologista, Miguel Srougi, que realizou o procedimento, a próstata do presidente estava bastante inchada, algo comum em homens acima dos 70 anos de idade, e apertava a uretra, causando a obstrução dela. De acordo com o médico, também foi feito uma biópsia no material retirado da proposta para saber se esse crescimento era maligno ou benigno.

 

Médico urologista - Miguel Srougi: Nós fizemos biópsia que chama de congelação, que nós dá uma ideia se tem alguma coisa maligna ou não na próstata. A próstata, todos sabem que é um local onde a câncer cresce com grande frequência no homem, o principal câncer no homem. Essa biópsia deu normal, quer dizer, era um processo de crescimento benigno, que nós chamamos de hiperplasia.

 

Repórter José Luiz Filho: Já o médico particular do presidente, o cardiologista Roberto Kalil Filho, informou também que interrompeu temporariamente o tratamento que o presidente vinha fazendo com um remédio para afinar o sangue, algo preventivo por conta de obstrução parcial de uma artéria do coração, mas assim que ele se restabelecer esse tratamento será retomado.

 

Médico particular do presidente - Roberto Kalil Filho: O cateterismo, que teoricamente estaria previsto, isso nós vamos deixar para o futuro. Primeiro resolver a próstata, no futuro nós vamos ver a parte cardíaca.

 

Repórter José Luiz Filho: O presidente passou a noite de sexta para sábado na unidade de semi-intensiva e pela manhã foi transferido para o quarto, onde ficou internado até a manhã de hoje. Do hospital, o Presidente Michel Temer seguiu para a casa dele aqui em São Paulo, onde, por orientação dos médicos, deverá permanecer em repouso até a próxima quarta-feira, quando estará liberado para retornar a Brasília e aos compromissos oficiais. Reportagem, José Luiz Filho.

 

Nasi: Um incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi controlado.

 

Gabriela: A chuva ajudou a conter parte do fogo e um levantamento dos prejuízos será feito ao longo dos próximos dias.

 

Repórter Nathália Koslyk: O fogo no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, já está sob controle e a desmobilização das equipes que atuam para combater as chamas será gradual. As investigações sobre as suspeitas de que o incêndio tenha sido criminoso já começaram a ser feitas pela Polícia Federal. A previsão é que as atividades do parque sejam retomadas nos próximos dias, como explica o chefe do parque, Fernando Tatagiba.

 

Chefe do parque - Fernando Tatagiba: Nós estamos nos preparando para reabrir o parque à visitação a partir da quarta-feira e retomar as nossas atividades, de proteção, de pesquisa, de monitoramento da biodiversidade. Agora, de toda forma, estamos já em contato com as autoridades policiais, com a Polícia Federal, que tem a responsabilidade de desenvolver o trabalho de investigação com vistas a identificar o autor ou os autores desse incêndio, e, eventualmente, esclarecer as motivações.

 

Repórter Nathália Koslyk: Ainda de acordo do chefe do parque, Fernando Tatagiba, o levantamento completo das perdas de fauna e flora devem ser feitos num futuro próximo, depois que o incêndio for declarado extinto. O trabalho de ajuda aos animais da reserva continua. O presidente da Fundação Jardim Zoológico de Brasília, Gerson Norberto, diz que muitos acabam sendo atropelados ao tentarem fugir das áreas atingidas pelo incêndio.

 

Presidente da Fundação Jardim Zoológico de Brasília - Gerson Norberto: Se um animal que foi atropelado, ele vai ser atendido por um desses dois pontos de apoio, onde será feito o primeiro atendimento, né? Esse animal é estabilizado e virá para o hospital aqui do Zoológico de Brasília, onde ele será operado e concluído o processo de reabilitação.

 

Repórter Nathália Koslyk: O incêndio atingiu mais de 65 mil hectares, o que corresponde a 27% da área do parque. Reportagem, Nathália Koslyk.

 

Nasi: Militares do Exército, da Marinha e homens da Força Nacional reforçaram a segurança em Humaitá, no sul do estado do Amazonas.

 

Gabriela: A medida foi tomada depois que garimpeiros queimaram carros, prédios e um barco do Ibama e do ICMBio, no final da semana.

 

Nasi: O vandalismo foi provocado depois de uma operação contra extração ilegal de ouro no Rio Madeira.

 

Gabriela: José Leland Barroso, superintendente do Ibama no Amazonas, afirma que ninguém ficou ferido e que os servidores foram transferidos para Porto Velho, capital de Rondônia.

 

Superintendente do Ibama no Amazonas - José Leland Barroso: O nosso primeiro cuidado foi com eles. De início eles se abrigaram no quartel do 12º BI do Exército e depois nós movimentamos tudo o que foi possível para resgatá-los de lá. Tiramos todo mundo, ninguém ficou ferido, só houve perdas materiais. O pessoal está... está todo mundo agora em segurança. Nós não vamos nos curvar, deixar que o Estado Brasileiro se curve diante de vândalos. Nós vamos continuar a ação, é lógico que nós vamos levar um tempo para nos reorganizar, mas o Ibama vai continuar fazendo o que tem que fazer, fazendo o que a lei determina que ele faça, senão nós estaríamos sendo omissos, o que não é o caso, né? A gente não... embora com um custo alto desse, a gente vai continuar fazendo o que tem que fazer.

 

Nasi: A reforma da Previdência, o crescimento da economia, a nova lei trabalhista e a proposta de reforma tributária foram alguns dos temas tratados hoje pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em entrevista ao programa por Dentro do Governo.

 

Gabriela: No programa, também transferido pela TV NBR, emissora do Governo Federal, Meirelles respondeu a perguntas de radialistas de várias cidades e esclareceu dúvidas de ouvintes.

 

Nasi: Sobre a alta da PIB, o Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas produzidas no país, o ministro fez uma previsão otimista.

 

Repórter Mara Kenupp: O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, falou sobre as perspectivas para a economia brasileira. Segundo ele, a projeção atual de crescimento para o próximo ano, de 2%, deve ser revisada e pode indicar alta acima de 3% em 2018. Meirelles afirmou que a crise acabou e que agora o país está criando empregos.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: A crise em si já acabou, o Brasil já está crescendo. Às vezes a população ainda não nota isso porque tem ainda um grande número de desempregados, mas estão sendo criado empregos no Brasil. Hoje já temos criado, desde o início do ano, mais de 1 milhão de empregos. Aos poucos, isso vai começar a ficar cada vez mais claro. Mas o importante é que o Brasil está já crescendo.

 

Repórter Mara Kenupp: O ministro também falou sobre a reforma da Previdência. Meirelles afirmou que a mudança nas regras é importante para o crescimento do país e defendeu a aprovação da proposta ainda este ano.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: O próximo ano é um ano eleitoral, é difícil uma aprovação de medidas desse porte no próximo ano. E eu vou mais longe, é muito importante que seja feita neste governo. Se não for feita agora, isso vai ser a primeiro desafio do próximo governo. Melhor para o país se for feita agora, garantir a aposentadoria para todos os brasileiros, e, ao mesmo tempo, dar condições para o próximo governo assumir o país em condições em que possa manter a taxa de crescimento.

 

Repórter Mara Kenupp: Sobre a reforma tributária, que será apresentada ao Congresso, Henrique Meirelles disse que o imposto sobre patrimônio deve ser debatido e que a ideia do governo é simplificar os tributos para todos.

 

Ministro da Fazenda - Henrique Meirelles: Nós temos, no Brasil, uma tributação que ela, muitas vezes, é muito complicada. Então, o que nós estamos pensando é simplificar o sistema. Isto é, você, quando for pagar seu imposto, passa fazer isso de uma maneira mais simples, e as empresas que possam também ter um sistema mais eficiente de pagamento, visando ser menos caro, menos complicado, menos dispendioso.

 

Repórter Mara Kenupp: O ministro também prevê geração de mais de 6 milhões de empregos no país com a nova lei trabalhista, que entra em vigor agora em novembro. Segundo Meirelles, as novas regras vão dar mais poderes de negociação para os empregados. Reportagem, Mara Kenupp.

 

Gabriela: E a governo pretende arrecadar mais e gastar menos no ano que vem.

 

Nasi: Medidas Provisórias assinadas hoje pelo Presidente Michel Temer promovem alterações na proposta de orçamento para o ano que vem, de previsão de novas fontes de arrecadação e cortes de despesas.

 

Gabriela: O repórter Paulo La Salvia, ao vivo, tem as informações. Boa noite, Paulo.

 

Repórter Paulo La Salvia (ao vivo): Boa noite, Gabi, Nasi, ouvintes do Voz do Brasil. O orçamento do ano que vem vai ter mais receitas e menos gastos. Do lado das receitas são R$ 6 bilhões com um novo modelo de tributação para fundos de investimento de grandes investidores, R$ 8,3 bilhões com a reoneração das folhas de pagamento das empresas e R$ 2,2 bilhões com a elevação da contribuição previdenciária dos atuais 11% para 14% para servidores públicos que recebem mais de R$ 5 mil por mês. Já do lado das despesas, a conta leva em consideração uma economia de R$ 4,4 bilhões com o adiamento do reajuste de categorias de servidores públicos de 2018, do ano que vem, para 2019. O ministro do Planejamento, Diogo Oliveira, disse que o governo está promovendo uma reestruturação da despesa pública.

 

Ministro do Planejamento - Diogo Oliveira: Este ano a proposta orçamentária está sendo enviada dentro do limite do teto do gasto, mas com uma folga muita pequena de apenas R$ 170 milhões. Basicamente, uma margem de segurança aqui para eventuais ajustes nas projeções.

 

Repórter Paulo La Salvia: O ministro Diogo Oliveira também anunciou outras mudanças na proposta orçamentária para o ano que vem. O salário mínimo, que antes estava previsto em R$ 969,00 por mês, foi corrigido para R$ 975,00 em 2018, isso porque esse valor é calculado com base na inflação, que está em queda, e no crescimento do Produto Interno Bruto, que foi negativo no ano passado. A nova proposta orçamentária prevê ainda para o ano que vem inflação de 4,2% e crescimento da economia de 2%. Segundo o ministro, o governo também pretende retomar em 2018 a realização de concursos públicos. Ao vivo, Paulo La Salvia.

 

Gabriela: 19h12 no horário brasileiro de verão.

 

Nasi: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Gabriela: Governo vai anunciar construção de mais moradias pelo Minha Casa Minha Vida.

 

Nasi: E tem mais recursos liberados para atendimento em hospitais universitários de todo o país.

 

Gabriela: Domingo é dia de Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio.

 

Nasi: E se você é um dos mais de 6 milhões de inscritos, fique atento, nesse ano tem mudanças importantes na aplicação das provas. Esse é o nosso assunto de hoje Pra Você Cidadão.

 

"Pra Você Cidadão".

 

Repórter Daniel Costa: As provas do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, vão acontecer nos dias 5 e 12 de novembro. São dois domingos seguidos. Antes, as provas eram aplicadas em dois dias do mesmo fim de semana. Vão ser usados detectores de ponto eletrônico para localizar e identificar, sem a necessidade de busca pessoal, participantes que tentarem fraudar as provas. Também vão ser utilizados 67 mil detectores de metal, um para cada cem participantes. Essa quantidade vai garantir a vistoria dos participantes na entrada e na saída de todos os banheiros durante a aplicação. O Enem não vai servir mais para certificar o Ensino Médio. Quem deseja essa certificação deve realizar o Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos, o Encceja. Nos dois domingos, 5 e 12 de novembro, os portões de acesso aos locais de prova vão ser abertos ao meio-dia e fechados à 1h da tarde, de acordo com o horário de Brasília. Os resultados do Enem 2017 vão estar disponíveis a partir de 19 de janeiro de 2018, apresentados por área de conhecimento. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: E em novembro também tem prova para alunos de universidades e faculdades de todo o país.

 

Nasi: E neste ano o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, o Enade, tem novidades.

 

Gabriela: A prova, que deve ser realizada por estudantes de graduação, é uma das formas de avaliação dos recursos superiores no Brasil.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Antes de se formar, estudantes da graduação passam por uma prova, é o Enade, o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Esse é um dos itens que o Ministério da Educação utiliza para avaliar a qualidade do ensino nas unidades e faculdades do país. A Estefânia Sandriele, estudante de pedagogia, está quase terminando e se prepara para fazer a prova. Ela acredita que uma boa avaliação de onde estuda pode fazer a diferença na hora de conseguir um emprego.

 

Estudante de pedagogia - Estefânia Sandriele: É preciso que a gente tenha um olhar sobre esse desempenho da universidade para que a gente entre num curso que tenha um bom desempenho, que a gente tenha a certeza de que vai ter no futuro uma boa qualidade no trabalho que a gente vai seguir.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Natália Boaventura pensa o mesmo, ela estuda numa universidade em Brasília e se forma em engenharia civil nesse ano. Para ela, que quer seguir carreira acadêmica, o desempenho da faculdade também é fundamental.

 

Entrevistada - Natália Boaventura: Quero seguir no mestrado, doutorado, então, o Enade é fundamental. A classificação da universidade e a nota individual, porque muitas universidades ao longo do Brasil utilizam essas duas notas para classificação do estudante na concorrência.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: E esse ano tem novidade, além da prova do Enade, o estudante também deve responder um questionário. Ele vai avaliar a estrutura e qualidade dos professores e até responder sobre seu próprio desempenho. Mariângela Abrão, diretora de avaliação superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, o Inep, órgão responsável pela prova, o exame é essencial para estimular uma formação mais humana e social dos estudantes.

 

Diretora de avaliação superior do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais - Mariângela Abrão: Eu acredito que tenhamos uma boa participação em cima de possibilitar um melhor desenho do que pode ser oferecido para a sociedade brasileira em termos de educação superior.

 

Repórter Beatriz Albuquerque: Neste ano o Enade vai avaliar 23 áreas e a prova é obrigatória. Quem não comparecer pode ficar sem diploma. O exame acontece no dia 26 de novembro. Reportagem, Beatriz Albuquerque.

 

Nasi: Mil e seiscentas pessoas receberam hoje a chave da casa própria, em Goiânia, Goiás. Elas foram beneficiadas com moradias do programa Minha Casa Minha Vida.

 

Gabriela: Entre elas a promotora de vendas, Fernanda Moura. Mãe de três filhos, ela diz que agora começa uma vida nova.

 

Promotora de vendas - Fernanda Moura: Estou muito feliz, me sinto com um alicerce novo, me sinto hoje com uma visão nova, com visão nova de vida.

 

Nasi: Com investimentos de mais de R$ 120 milhões, o Residencial Nelson Mandela, em Goiânia, conta com apartamentos construídos para atender famílias de baixa renda, integrantes da faixa um do programa.

 

Gabriela: O ministro das Cidades, Bruno Araújo, participou da entrega das casas e adiantou que na próxima semana o governo deve anunciar a construção de milhares de novas casas em todo o país.

 

Ministro das Cidades - Bruno Araújo: Desde que terminou a eleição presidencial em outubro de 14, que o Governo Federal não anunciou novas unidades novas. Anunciamos as 70 mil estavam paralisadas... 50 mil paralisadas, 15 mil novas unidades de imigração, e nós estamos anunciando ao longo da semana que vem mais de 120 mil unidades habitacionais para o Brasil inteiro, num estado de governança que nós buscamos equilíbrio para permitir geração de emprego, renda e a entrega do sonho da casa própria.

 

Nasi: O Ministério da Saúde quer qualificar o atendimento médico e hospitalar para a população.

 

Gabriela: Para isso, mais de R$ 220 milhões foram liberados para 48 hospitais universitários federais das cinco regiões do país.

 

Repórter Pablo Mundim: O Governo Federal liberou mais de R$ 220 milhões para hospitais universitários de todo o país, dinheiro para modernizar equipamentos, as estruturas dos hospitais e comprar materiais de manutenção. Os recursos também vão proporcionar inovação e pesquisa nas universidades na área de saúde. A verba faz parte do Rehuf, o Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários, que pretende garantir essa oferta de saúde gratuita e de qualidade. É o que defende o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

Ministro da Saúde - Ricardo Barros: Os hospitais universitários são uma estrutura muito grande e que estão fazendo uma boa parte de atendimento assistencial à saúde, embora focados no ensino. E nós, o Ministério da Saúde, temos interesse na estruturação desses hospitais para que eles possam, cada vez mais, ajudar no atendimento do SUS.

 

Repórter Pablo Mundim: Ao todo, vão ser contemplados 48 hospitais universitários. O HUB, Hospital Universitário de Brasília, está entre as instituições com maior valor do repasse, R$ 6 milhões. Considerado de média e alta complexidade, o hospital, referência no Centro-Oeste, atende cerca de 20 mil pessoas por mês. O gerente administrativo do HUB, Paulo Mendes Castro, já esperava o socorro financeiro.

 

Gerente administrativo do HUB - Paulo Mendes Castro: Nosso hospital, ele tem uma carência. O hospital acaba custando um pouco mais caro do que aquilo que a gente produz. Então, na verdade, esse programa, ele vem sempre nos ajudar a recompor o nosso orçamento, né, que é deficitário.

 

Repórter Pablo Mundim: Somente em 2017, por do meio Programa Nacional de Reestruturação, o Governo Federal já liberou R$ 595 milhões para os hospitais universitários. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: Esperança de uma vida melhor para bebês que nasceram com síndrome associada à infecção pelo vírus Zika e que apresentam também problemas ortopédicos graves nos pés, pernas, quadris e mãos.

 

Gabriela: Essas crianças já podem ser operadas pelo SUS.

 

Nasi: O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, o Into, unidade do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, já começou a realizar procedimentos cirúrgicos para pacientes de todo o país.

 

Repórter Natália Melo: Eloá, de um ano e sete meses, nasceu com problemas ortopédicos graves nos pés, nas pernas e nos quadris. E a suspeita é de que a mãe, Daiane da Silva, tenha contraído o vírus Zika durante a gestação. Os quadris e as perninhas, de Eloá, que antes ficavam dobradas sobre o peito, passaram por cirurgia. Ela foi a primeira paciente com síndrome associada ao Zika a operar no Into, o instituto público, no Rio de Janeiro, que é referência nacional em traumatologia, ortopedia e reabilitação. Daiane conta como está a recuperação da menina.

 

Entrevistada - Daiane da Silva: O começo foi difícil, porque até para trocar frauda, ela chorava, ela tremia de dor no começo. Mas agora está melhor, o ortopedista até liberou a fisioterapia, que já pode recomeçar.

 

Repórter Natália Melo: O chefe da ortopedia pediátrica do Into, Pedro Henrique Mendes, conta que a instituto trabalha agora com um projeto piloto de fisioterapia pré-cirúrgica para crianças com a síndrome do Zika.

 

Chefe da ortopedia pediátrica do Into - Pedro Henrique Mendes: Das crianças que nascem com a síndrome do Zika vírus, 20% a 25% ao nascimento apresentam problemas ortopédicos. Geralmente os pés nascem tortos, os quadris estão fora do lugar e os joelhinhos, muitas vezes, também não dobram. As crianças também costumam apresentar alteração em ambas as mãos. Essas crianças chegam para a gente aqui com uma média de seis meses a um ano de idade. E logo que elas chegam, elas são colocadas numa fisioterapia pré-operatória que nós fazemos. E, a seguir, os casos que têm necessidade são submetidos a tratamento cirúrgico.

 

Repórter Natália Melo: Em 2015 o Brasil registrou um surto do vírus Zika, principalmente na região Nordeste. A infecção em mulheres grávidas pode causar má formações no feto e já foi associada ao nascimento de bebês com microcefalia. Reportagem, Natália Melo.

 

Gabriela: Os Centros de Artes e Esportes Unificados, os CEUs, são espaços de cultura e prática esportiva para jovens em vulnerabilidade social.

 

Nasi: Por meio da música, dança, leitura e esporte, esses lugares estão transformando e dando novos sonhos aos jovens.

 

Gabriela: Já são 144 CEUs com atividades gratuitas em todo o país.

 

Repórter Luana Karen: A estudante Fernanda Araújo, de 11 anos, tem um bom motivo para participar da oficina de desenho, no Centro de Artes e Esportes Unificados, o CEU, do Recanto das Emas, no Distrito Federal.

 

Estudante - Fernanda Araújo: Gosto de desenhar e também gosto de brincar por aqui quando termina a aula.

 

Repórter Luana Karen: Os Centros de Artes e Esportes Unificados reúnem, no mesmo espaço, projetos culturais, desportivos e cursos de inclusão digital e qualificação profissional. Segundo o secretário de Infraestrutura Cultural do Ministério da Cultura, Alfredo Bertini, o Governo Federal investiu cerca de R$ 800 milhões na construção das unidades.

 

Secretário de Infraestrutura Cultural do Ministério da Cultura - Alfredo Bertini: É um investimento significativo de dimensão social. Traz à tona uma preocupação, um compromisso com as atividades culturais. Inclusive, essas atividades que nascem da própria comunidade, que permitem uma ocupação para esta população que tem carência nessas áreas.

 

Repórter Luana Karen: Os CEUs possuem programação com práticas de música, dança, leitura, esportes, artesanato e informática. O CEU do Recanto das Emas oferece 15 oficinas para 520 pessoas e já tem até fila de espera. É o que afirma o professor de educação física, Rafael dos Santos.

 

Professor de educação física, Rafael dos Santos: A comunidade recebeu muito bem, porque é uma comunidade, de fato, que carente que precisa desse tipo de intervenção. E logo a demanda foi suprida e a gente já está visando ampliar as atividades.

 

Repórter Luana Karen: Pedro Ivo, de 18 anos, participa de duas oficinas na unidade e acredita na oportunidade de um futuro melhor.

 

Entrevistado - Pedro Ivo: Como teve muitos eventos aqui, já veio muitos jogadores de vôlei que jogam na seleção. Aí olha para a gente assim, jogam e falam: "Esse daí poder ter algum futuro". Aí a gente fica bem, quer fazer muito mais coisas, assim, se dedicar mais.

 

Repórter Luana Karen: Há 144 CEUs funcionando em 137 cidades, outros 190 estão em construção, e devem sem ser entregues até 2019. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".