07 DE JUNHO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques de hoje na Voz do Brasil: Publicada nova tabela de fretes dos caminhoneiros; Procons de todo o país fiscalizam postos para garantir redução no preço do diesel; Novo leilão do pré-sal arrecada mais de R$ 3 bilhões aos cofres públicos; 60 mil brasileiros vão assistir a Copa na Rússia e para ajudar esses torcedores, o governo publicou hoje um guia com dicas sobre o país e suas leis.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_07_06_18.mp3 — 23542 KB




Transcrição


Apresentador Luciano Seixas: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Luciano: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 7 de junho de 2018.

 

Luciano: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Publicada nova tabela de fretes dos caminhoneiros. Pablo Mundim.

 

Repórter Pablo Mundim: Segundo o ministro dos Transporte, a nova tabela reduz o preço dos fretes em 20%, em média, em relação à tabela anterior.

 

Luciano: E Procons de todo o país fiscalizam postos para garantir redução no preço do diesel. Raíssa Lopes.

 

Repórter Raíssa Lopes: O governo diminuiu o preço do combustível nas refinarias e a redução tem de chegar ao consumidor.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Luciano: Novo leilão do Pré-Sal arrecada mais de R$ 3 bilhões aos cofres públicos. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: As empresas vencedoras do leilão se comprometeram em investir pelo menos R$ 738 milhões durante a fase de exploração de petróleo.

 

Gabriela: Sessenta mil brasileiros vão assistir à Copa da Rússia.

 

Luciano: E para ajudar esses torcedores o governo publicou hoje um guia com dicas sobre o país e suas leis.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Luciano Seixas.

 

Luciano: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: A Agência Nacional de Transporte Terrestres, ANTT, publicou agora pouco uma nova tabela com os preços mínimos dos fretes de caminhões.

 

Luciano: O ministro dos Transportes falou sobre essa nova tabela e o repórter Pablo Mundim acompanhou e tem, ao vivo, as informações. Boa noite, Pablo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Boa noite, Luciano. Boa noite, Gabriela. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. A tabela de preços mínimos dos fretes de caminhões faz parte do acordo com caminhoneiros para pôr fim às paralisações da categoria. Na semana passada foi publicada uma primeira versão, mas, segundo o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, ela era incompleta. E a tabela divulgada hoje contempla todo tipo de veículo de carga.

 

Ministro dos Transportes - Valter Casimiro: A primeira tabela, ela prévia apenas um caminhão tipo para cada tipo de carga. A tabela que hoje foi apresentada, e aprovada pela diretoria da ANTT, ela distribui todo o tipo de caminhão, né, por quantidade de eixos, o valor do quilômetro/eixo.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Segundo o ministro Valter Casimiro, a tabela de hoje reduz o preço do frete em 20%, em média, em relação divulgada na semana passada. O ministro informou que a nova tabela tem a aprovação de representantes de setores que contratam fretes.

 

Ministro dos Transportes - Valter Casimiro: A tabela foi apresentada para o pessoal do agronegócio, para o pessoal que faz o transporte de combustíveis, e eles entenderam que com o com essa metodologia aplicada pela ANTT agora é factível a contratação do frete com esses valores e que a gente pode prosseguir nas contratações dos fretes sem nenhum problema.

 

Repórter Pablo Mundim (ao vivo): Valter Casimiro também informou que a nova tabela não interfere nos contratos assinados antes de 27 de maio, quando foi publicada a Medida Provisória que define a política de preços mínimos para frete. A mesma medida prevê a realização de consulta pública para discutir com a sociedade os valores instituídos pela política de preços mínimos de transporte rodoviário de carga. A consulta vai ser realizada na semana que vem pela ANTT. Ao vivo, Paulo Mundim.

 

Gabriela: E Procons de todo o país estão fiscalizando o desconto no óleo diesel nos postos de combustível.

 

Luciano: Os fiscais verificam a notas com o preço que o posto pagou e assim podem avaliar se a revendedor está repassando os descontos aos clientes.

 

Gabriela: Ontem, a Voz do Brasil destacou a nova portaria que define as regras para a fiscalização desse repasse. Hoje foi dia de verificar se os estabelecimentos estão cumprindo a lei.

 

Repórter Raíssa Lopes: Os Procons já começaram a fiscalização para saber se os postos de combustível estão repassando ao consumidor o desconto no óleo diesel. Fernando Henrique Davi é caminhoneiro e conta que em suas viagens pelo país já encontrou postos com desconto e outros sem, mas a maioria ainda está sem as placas que indicam o valor antes e depois de 21 de maio. Ele acha que a fiscalização será importante para regularizar a situação.

 

Caminhoneiro - Fernando Henrique Davi: Não adianta nada ter uma lei e ninguém fiscalizar, né? Então, tem que ter a lei e tem que ter fiscalização em cima.

 

Repórter Raíssa Lopes: Todo óleo diesel comercializado pela Petrobras a partir de 1º de junho sai refinaria com desconto de R$ 0,46, mas postos que compraram diesel antes de o valor ser reduzido ainda estão trabalhando com preços sem desconto, como explica a diretora-geral do Procon DF, Ivone Machado.

 

Diretora-geral do Procon DF - Ivone Machado: Os primeiros postos fiscalizados estavam com estoque ainda da outra semana. Durante a semana que os postos vão comprando combustível e já vão receber com os R$ 0,46 de redução. E aí a partir da hora que ele receber com os R$ 0,46 de redução, porque nós estamos exigindo a nota fiscal de compra, eles têm já estar repassando para o consumidor.

 

Repórter Raíssa Lopes: Em alguns postos o desconto por enquanto é de R$ 0,41. Segundo o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, isso acontece porque o combustível vendido ao consumidor tem uma mistura de 10% de biodiesel, que é vendida sem o desconto. Assim a redução fica menor, mas, por outro lado, também caiu o preço que vai servir de base para o cálculo do ICMS nos estados, o que vai diminuir o imposto. Por isso, de acordo com Eliseu Padilha, o preço final vai chegar aos mesmos R$ 0,46, assim que o ICMS sobre o combustível começar a ser calculado com base no preço reduzido.

 

Ministro-chefe da Casa Civil - Eliseu Padilha: O preço de pauta para pagamento do ICMS por parte das distribuidoras, nesta quinzena, ainda é o preço de pauta da quinzena anterior, que foi a última quinzena de maio, onde nós não tínhamos o desconto. Agora, do dia 16 em diante já começa a pegar os preços reduzidos agora do dia 1º a 15 junho, e o dia 16 de junho a 30 de junho já vai ter uma nova projeção, e aí, sim, presumo, todos os postos com os R$ 0,46 na bomba. Mas o mais importante é o seguinte, que a partir do dia 1º todo posto que comprou combustível de uma distribuidora terá que repassar os R$ 0,41 que foi deduzido no valor para ele.

 

Repórter Raíssa Lopes: O Governo Federal disponibilizou um telefone para o consumidor denunciar por WhatsApp o posto que não repassar o desconto no diesel. Anote aí, é o 61-99149-6368. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Luciano: Três áreas para a exploração de petróleo do Pré-Sal brasileiro foram leiloadas hoje.

 

Gabriela: O leilão contou com a participação de 16 empresas, incluindo a Petrobras, que vai ser a operadora nos três blocos arrematados.

 

Luciano: A arrecadação do governo com o leilão foi de R$ 3,150 bilhões.

 

Repórter João Pedro Neto: As empresas vencedoras do leilão se comprometeram em investir pelo menos R$ 738 milhões durante a fase de exploração de petróleo. Os blocos arrematados são Três Marias e Uirapuru, na bacia de Santos, e Dois Irmãos, na Bacia de Campos. O diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Décio Oddone, considerou o leilão um sucesso.

 

Diretor-geral da ANP - Décio Oddone: E como resultado desse processo que nós vivemos hoje, a nossa estimativa é que as receitas esperadas pela União ao longo desse processo, União, estados e municípios, cresça em R$ 40 bilhões. Isso é fruto do ágio que nós tivemos nas ofertas, mostrando efetivamente o potencial que o Pré-Sal tem.

 

Repórter João Pedro Neto: Dezesseis grandes empresas do setor participaram da disputa, a maioria do exterior. Esse é o maior número de participantes entre os leilões já realizados no Pré-Sal. Os contratos dessa rodada têm duração de 35 anos e devem ser firmados em novembro. A Petrobras será a operadora nos três blocos arrematados. E, segundo o presidente da companhia, Ivan Monteiro, a participação de outras grandes empresas no processo é positiva para o país.

 

Presidente da Petrobras - Ivan Monteiro: A avaliação é muito positiva, somos operadores nas três áreas, temos um longo histórico de relacionamento com as empresas pelos quais a gente vai participar dos consórcios. Então, assim, estamos extremamente... extremamente satisfeitos.

 

Repórter João Pedro Neto: O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, destacou que o Brasil vem se firmando como um grande centro de petróleo e gás no planeta.

 

Ministro de Minas e Energia - Moreira Franco: Nós estamos demonstrando que temos coragem de perseguir esse caminho porque é este caminho que vai nos levar a construir no Brasil uma sociedade democrática, com instituições fortes, e, sobretudo, com igualdade de oportunidades para as pessoas, para as empresas, para todos nós.

 

Repórter João Pedro Neto: A próxima rodada de licitações de petróleo e gás natural está marcada para setembro, também sob regime de partilha de produção. A expectativa é que sejam arrecadados até R$ 18 bilhões em 2018. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Gabriela: E o diretor-geral da ANP, Décio Oddone, falou hoje da consulta pública que vai receber sugestões sobre o período mínimo que o preço do combustível deve ser reajustado para os consumidores.

 

Luciano: A consulta será aberta pela agência na próxima segunda-feira, dia 11 de junho.

 

Gabriela: De acordo com o diretor, a consulta não significa uma interferência na política de preços dos combustíveis. A ideia é identificar a necessidade de regras para o repasse dos reajustes ao consumidor final.

 

Diretor-geral da ANP - Décio Oddone: Não está em debate a formulação dos preços, a transferência para os preços das variações do petróleo e das variações do câmbio. O que nós vamos começar a discutir com a sociedade na segunda-feira é se é necessário que haja uma regulação para estabelecer uma periodicidade mínima para que esses repasses sejam feitos ao final da cadeia. Mas em nenhum momento, em nenhum momento está sendo discutida qualquer imposição que prejudique e que traga perdas para companhias que atuam do mercado brasileiro.

 

Luciano: O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, também defendeu a decisão da agência, que cumpre o papel de regulamentar o setor.

 

Ministro de Minas e Energia - Moreira Franco: Vamos com coragem, com determinação, fazer com que as leis sejam respeitadas, cumpridas, para que nós possamos ter instituições que nos deem segurança jurídica e nos deem conforto de viver numa sociedade capaz de atender às nossas aspirações e demandas. Eu tenho certeza que essa consulta pública vai permitir que nós possamos dar mais um passo, que é a afirmação da crença de que é no mercado, com a concorrência com a competição é que os preços se formam e se formam porque o cidadão é o sujeito dessa formação. A escolha final é feita por uma pessoa.

 

Gabriela: Já o presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, disse hoje que vai aguardar o resultado da consulta para definir os rumos de sua política de preços.

 

Presidente da Petrobras - Ivan Monteiro: A Petrobras hoje, ela pratica o reajuste diário no caso específico da gasolina dentro da política, dentro da atuação comercial que tem hoje. Apenas após o resultado da consulta do país nós vamos contribuir, dentro desses pilares que foram já fixados e estabelecidos, que me parece a mais correto, que é o pilar da liberdade e o pilar da competição, a companhia vai voltar a discutir de novo. Mas não tem nenhuma decisão porque a gente não sabe o resultado final da consulta.

 

Luciano: Tem brasileiro de malas prontas para assistir à Copa bem pertinho dos jogadores.

 

Gabriela: E para ajudar esses torcedores lá na Rússia o governo preparou uma cartilha com informações importantes.

 

Luciano: Daqui a pouquinho vamos detalhar e antecipar algumas dicas. Não saia daí.

 

"Momento Social".

 

Gabriela: A pergunta de hoje veio por meio com o Facebook do Bolsa Família.

 

Luciano: A Tainara Rocha, que mora em Russas, no Ceará, quer saber como faz para inclui-la como gestante no Bolsa Família.

 

Gabriela: Quem responde é o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Olá, Tainara, você que está grávida, pode receber um benefício adicional do Bolsa Família chamado Benefício Variável Gestante, se você comparecer ao posto de saúde do seu município e se cadastrar no pré-natal e começar a fazer o pré-natal e informar no sistema que existe lá no Ministério da Saúde que você é gestante, está fazendo um pré-natal e está no Bolsa Família. A partir dessa informação, nós vamos acompanhar seu pré-natal e passa a ser uma condição do recebimento do Bolsa Família e você passa a receber esse benefício adicional. É importante também dizer que em Russas, que é a tua cidade, já tem o programa Criança Feliz. Então, durante o pré-natal você pode também ter informações sobre a visitação domiciliar para começar já um trabalho desde a gestação até os três anos de vida do seu filho para que ele tenha, lá no futuro, um melhor desenvolvimento, melhor capacidade de chegar à escola em boas condições de aprendizado e de ter um futuro melhor.

 

Luciano: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda para a gente.

 

Gabriela: Pode ser por e-mail no endereço: voz@ebc.com.br. E tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Luciano: A sua pergunta vai ser respondida aqui, na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe.

 

Gabriela: Se já tem muito torcedor contando os dias para começar a Copa do Mundo, imagina quem tem passagens e ingressos para acompanhar os jogos direto da Rússia?

 

Luciano: Mais de 60 mil brasileiros já compraram as entradas para as partidas.

 

Gabriela: E para auxiliar quem vai para a Rússia, o governo lançou um guia com dicas sobre o país, as leis locais e atitudes que devem ser evitadas para que a viagem não vire uma grande dor de cabeça.

 

Repórter Nei Pereira: O bancário aposentado José Nilton Morais já está em contagem regressiva para acompanhar os jogos da Copa do Mundo direto da Rússia. Este vai ser o quarto mundial que ele acompanha, e já está tudo pronto para a viagem. Os ingressos para todos os jogos da primeira fase do Brasil já estão na mão. José também trocou os reais por rubros, a moeda russa. Com o Passaporte renovado e as camisas da seleção brasileira separadas, ele se dedica agora a aprender algumas frases em russo. José Nilton vai ficar 20 dias na Rússia e toda a viagem foi planejada com antecedência.

 

Bancário aposentado - José Nilton Morais: A gente já está fazendo o planejamento aí há mais um ano, as passagens compradas no ano passado, os ingressos também adquiridos já no ano passado. Agora estamos nos ajustes finais do planejamento, se preparando aí com a preparação da mochila, da língua, inclusive, pouquinho para tentar se adaptar aí à dificuldade que tem lá de o pessoal não falar muito inglês. Então, a gente vai tentar aí nesses últimos dias aí para preparar, inclusive, preparar o espírito, né?

 

Repórter Nei Pereira: E para facilitara a vida do José Nilton e de quem vai à Rússia, os Ministérios das Relações Exteriores e do Esporte lançaram a Guia Consular do Torcedor Brasileiro. A cartilha traz orientações sobre o que evitar no país do mundial, quais documentos levar e tradução de palavras e frases úteis em russo. O guia recomenda, por exemplo, evitar demonstrações homoafetivas em ambientes públicos, já que esse comportamento é proibido pela legislação russa. Levar a bandeira do Brasil e mostrar ela em praças e edifícios públicos também não é permitido. Quem for pego portando, usando ou vendendo drogas pode ter uma pena de até 25 anos de prisão. A diretora do Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior do Ministério da Relações Exteriores, Luiza Ribeiro Lopes da Silva, lembra que na Rússia existem restrições para fumar e ingerir bebidas alcoólicas.

 

Diretora do Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior - Luiza Ribeiro Lopes da Silva: Bebidas alcoólicas não podem ser ingeridas em espaços públicos, é infração punível com multa. Fumar em locais públicos como restaurantes, hotéis, estações de transporte público também é infração punível com multa. Dirigir, bom, essa é igual ao Brasil.

 

Repórter Nei Pereira: Para o ministro do Esporte, Leandro Cruz, o guia vai facilitar a vida de quem vai acompanhar a Copa da Rússia.

 

Ministro do Esporte - Leandro Cruz: Para o torcedor brasileiro é uma segurança maior, mas o governo brasileiro, o Itamaraty e o Ministério do Esporte, no que puder ajudar, estão prontos para dar toda assistência ao brasileiro durante a Copa do Mundo, e isso é importante.

 

Repórter Nei Pereira: Além da embaixada em Moscou, foram abertos mais cinco postos consulares em cidades que vão receber jogos no mundial: São Petersburgo, Kazan, Samara, Rostov e Sóchi. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, disse que o Brasil vai dar todo o suporte aos brasileiros que tiverem algum imprevisto durante a Copa.

 

Ministro das Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: Que essa nossa... esse serviço possa contribuir para que todos tenham uma Copa do Mundo exitosa, uma Copa do Mundo que seja um momento de celebração.

 

Repórter Nei Pereira: O Guia do Torcedor vai ser distribuído em voos com destino à Rússia e nos consulados brasileiros do país da Copa. E o material também está disponível para baixado ou impresso nos endereços: itamary.gov.br ou esporte.gov.br. Reportagem, Nei Pereira.

 

Luciano: E quem está indo para a Rússia, além de torcedores de todo com o mundo, não vai ver apenas os nossos craques dos gramados.

 

Gabriela: Artistas da música, dança, culinária e outras manifestações culturais vão fazer uma verdadeira festa brasileira em terras russas.

 

Luciano: Eles vão estar na Casa do Brasil, na Rússia, um espaço para mostrar o que a gente produz de melhor na arte e cultura.

 

Repórter Gabriela Noronha: A seleção canarinho de Neymar, Tite e companhia não vai ser a última representante do país na Rússia durante a Copa do Mundo. Além do futebol arte, o Brasil vai mostrar aos russos e torcedores de todo o mundo nossa música, gastronomia e muita cultura popular. Vão ser mais de cem artistas de todas as regiões do país, como explica Sérgio Eisenberg, presidente da organização selecionada por meio de edital do Ministério da Cultura para contratar os craques das artes.

 

Entrevistado - Sérgio Eisenberg: Nós estamos levando 120 artistas e chefs de cozinha, quatro chefs de cozinha para a nossa casa que chama Brasil Experience, lá em Moscou. Estamos levando Mart'nália, Marcelo D2, Sandália de Prata, enfim, bandas independentes e conjuntos que refletem muito o que o Brasil faz de diversidade da música e tudo mais, para uma grande festa em Moscou, celebrando a cultura brasileira.

 

Repórter Gabriela Noronha: Cada um dos 31 países participantes da Copa vai ter sua casa em Moscou, capital da Rússia. E da Brasil vai ser montada em uma cervejaria com 3 mil metros quadrados. O Ministério da Cultura vai investir até R$ 3 milhões no projeto. O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, explica que a ideia é atrair investimentos para setores criativos nacionais.

 

Ministro da Cultura - Sérgio Sá Leitão: A cultura brasileira tem um imenso potencial de exportação. Essa uma das preocupações, é um dos eixos de atuação do Ministério da Cultura. Isso pode ser muito interessante em termos de atração de receitas, e, portanto, de geração de renda e emprego aqui no Brasil. As atividades culturais e criativas constituem um dos setores de maior vitalidade da nossa economia, já respondem por cerca da 2,64% do produto interno bruto brasileiro, mais de 1 milhão de empregos diretos, sem contar os indiretos.

 

Repórter Gabriela Noronha: A expectativa é que a Casa do Brasil, em Moscou, receba mais de 5 mil pessoas por dia. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Gabriela: O dólar fechou o dia em alta, chegando a R$ 3,92.

 

Luciano: Diante disso, o presidente do Banco Central deu agora pouco uma entrevista coletiva.

 

Gabriela: O reportagem João Pedro Neto está lá e traz os detalhes. Boa noite, João.

 

Repórter João Pedro Neto (ao vivo): Boa noite, Gabriela. Boa noite, Luciano. Boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. Pois é, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, disse agora pouco que a economia brasileira tem fundamentos sólidos, como um balanço de pagamentos equilibrados com os demais países, reservas internacionais de US$ 380 bilhões e inflação baixa. Segundo ele, o país também tem feito reformas e ajustes para assegurar a estabilidade da economia e está seguro diante das oscilações do mercado internacional. Esse acordo com o presidente Ilan Goldfajn, o Banco Central vai seguir atuando para garantir a liquidez do mercado injetando recursos. Até o final próxima semana o Banco Central vai ofertar cerca de US$ 20 bilhões por meio swaps cambiais ao mercado. É uma espécie de seguro para proteger o mercado e os investidores. De acordo com o presidente do Banco Central, a subida do dólar tem ocorrido por causa da pressão internacional pela normalização das condições monetárias nos Estados Unidos. Ao vivo, João Pedro Neto.

 

Luciano: Dar mais transferência aos atos do governo e facilitar a pesquisa.

 

Gabriela: Para isso a Imprensa Nacional está trabalhando para unificar as informações oficiais do país em um único portal, o normas.gov.

 

Luciano: A ideia agora é que, num mesmo local, a pessoa possa encontrar atos dos Governos Federal, estadual e municipal, além dos poderes Legislativo e Judiciário no mesmo formato.

 

Repórter Cleide Lopes: A iniciativa é do Comitê de Desburocratização da Presidência da República e visa integrar as informações dos Diários Oficiais do Brasil num portal unificado, o normas.gov. O portal terá o formato aberto e com controle de vigência das leis, decretos portarias, instruções normativas e demais normas, unificando assim, os atos oficiais do Brasil, como explica o ministro do Planejamento, Esteves Pedro Colnago.

 

 

Ministro do Planejamento - Esteves Pedro Colnago: Todo dia é editado um conjunto muito grande de atos. Então, quanto mais fácil for o acesso à população e ao próprio governo aos atos que são editados, isso melhore muito a vida das pessoas, né?

 

Repórter Cleide Lopes: A ideia é de que os atos oficiais do governo estejam disponíveis em tempo real para toda a sociedade de uma forma transparente. Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, num mesmo site o visitante poderá ter acesso a serviços públicos, federais e estaduais de uma forma muito moderna e sem burocracia.

 

Ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha Nós estamos ampliando o espectro da democracia brasileira, mais pessoas estão virtualmente acompanhando os governos, e isso é muito importante.

 

Repórter Cleide Lopes: De acordo com o diretor-geral da Imprensa Nacional, Pedro Bertone, a ideia agora é que esse novo portal também possa facilitar a pesquisa da sociedade.

 

Diretor-geral da Imprensa Nacional - Pedro Bertone: A ideia é que no segundo semestre a gente já consiga colocar o portal normas.gov no ar. Num primeiro momento modernize fortemente e facilite os mecanismos de busca, de acesso, unifique as informações dos atos de estados, municípios e da própria União numa mesma plataforma com o mesmo formato.

 

Repórter Cleide Lopes: Desde que o Diário Oficial da União passou a ser digitalizado, em novembro do ano passado, houve um aumento de 400% nas buscas pelos atos oficiais do governo. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Luciano: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Luciano: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".