11 DE MAIO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques de hoje na Voz do Brasil: Policiais e bombeiros realizam operação de segurança em todo o país. A ação é coordenada, para combate a violência, o tráfico de drogas e armas; Em uma semana, mais de 3 milhões de candidatos se inscreveram para o Enem. Vamos falar como o exame atende, em condição de igualdade, estudantes com alguma deficiência; Hora de renegociar dívidas: até o final do mês, instituições financeiras fazem força-tarefa para solucionar dívidas dos consumidores.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_11_05_18.mp3 — 23533 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Sexta-feira, 11 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Policiais e bombeiros realizam operação de segurança em todo o país.

 

Nasi: A ação é coordenada para combate à violência, o tráfico de drogas e armas. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: São mais de 100 mil homens e mulheres das polícias militares e dos corpos de bombeiros dos estados, atuando em todo o país de forma coordenada, durante 24 horas.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Em uma semana, mais de 3 milhões de candidatos se inscreveram para o Enem.

 

Gabriela: Vamos falar como o exame atende, em condição de igualdade, estudantes com alguma deficiência.

 

Nasi: Hora de renegociar dívidas.

 

Gabriela: Até o final do mês, instituições financeiras vão fazer força-tarefa para solucionar dívidas dos consumidores. Alessandra Bastos.

 

Repórter Alessandra Bastos: O processo de renegociação está aberto para pessoas físicas e microempreendedores individuais.

 

Nasi: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Amanhã os postos de vacinação de todo o país estarão abertos para imunizar contra a gripe.

 

Gabriela: E você sabe se está dentro do público-alvo que deve se vacinar? Tem dúvidas sobre a vacina?

 

Nasi: A gente esclarece tudo agora, em conversa ao vivo com a repórter Gabriela Noronha. Uma boa noite, Gabriela. Conta para a gente primeiro quem faz parte desse grupo prioritário e que deve procurar o posto mais próximo amanhã.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Boa noite, Nasi, Gabriela, ouvintes da Voz do Brasil. Olha, devem procurar um posto de saúde pessoas acima de 60 anos, crianças de seis meses a cinco anos, gestantes, lactantes, mulheres que realizaram o parto nos últimos 45 dias, profissionais da saúde, portadores de asma, bronquite e cardiopatas, professores e indígenas. A campanha vai até o dia 1º de junho, mas amanhã é dia de mobilização em todo o país. Se você está entre essa parte da população, não deixe de se vacinar. A meta do Ministério da Saúde é imunizar mais de 54 milhões de pessoas.

 

Gabriela: Agora é importante lembrar, né, Gabriela, que a vacina não protege de qualquer resfriado, mas dos casos mais graves da gripe.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): É isso mesmo, Gabriela. A vacina protege contra os três tipos de gripe mais graves dos últimos anos, no Hemisfério Sul: H1N1, H3N2 e o Influenza B, que podem ser ainda mais graves em pessoas que fazem parte do chamado grupo prioritário. Hoje eu fui a um posto de vacinação acompanhar a movimentação e conversei com o aposentado Luís Ribeiro de Andrade. Pela idade, ele faz parte do grupo de risco e garantiu que não descuida da saúde e prefere prevenir que remediar.

 

Aposentado - Luís Ribeiro de Andrade: Às vezes eu brinco que lá em casa deve dar vacina até aos cachorros. Acho que é uma forma de prevenção. Acho que a prevenção é o melhor caminho em tudo na vida. Previna, que sempre será melhor. E a vacina é uma forma de prevenção, né? Eu tomo a vacina, nunca tive problema, ao contrário, estou sempre me sentindo bem, sobretudo agora nesta fase da vida, que, de fato, a gente precisa de um pouco mais de cuidado.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Então, para quem faz parte do grupo prioritário e ainda não vacinou, amanhã, sábado, postos de saúde em todo o Brasil estarão abertos para o dia D da Campanha de Vacinação contra a Gripe. A ideia é dar oportunidade a quem trabalha ou por algum motivo não pôde se vacinar durante a semana. Mais de 13 milhões de brasileiros já foram imunizados. Segue com vocês, Nasi, Gabriela.

 

Nasi: Obrigado, Gabriela. Lembrando que no inverno é quando ocorre a maior circulação do Influenza, o vírus causador da gripe. Por isso, a importância de se vacinar agora, antes de o inverno começar.

 

Gabriela: Os policiais militares e os bombeiros do país estão, desde as 4h da tarde de hoje, em uma força-tarefa nacional para reforçar a segurança.

 

Nasi: É a chamada Operação Tiradentes, que está sendo realizada pela segunda vez.

 

Gabriela: Durante a divulgação da operação, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, também anunciou mais dinheiro para a área.

 

Repórter João Pedro Neto: São mais de 100 mil homens e mulheres das polícias militares e dos corpos de bombeiros dos estados, atuando em todo o país de forma coordenada, durante 24 horas. Além das atividades cotidianas, as forças vão desenvolver ações pontuais, de acordo com o planejamento local de cada instituição. É o que afirma o presidente do Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Comandantes Gerais, das polícias militares e corpos de bombeiros dos estados e do Distrito Federal, Coronel Marco Antônio Nunes.

 

Presidente do Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Comandantes Gerais - Marco Antônio Nunes: Esse é um trabalho que as polícias e os corpos de bombeiros fazem todo dia, mas hoje nós então decidimos fazer ao mesmo tempo, para uniformizar os procedimentos, para a gente treinar nossa capacidade de comunicação, intercâmbio, ou seja, fazer uma repressão uniforme e entregar uma segurança pública de melhor qualidade à sociedade brasileira.

 

Repórter João Pedro Neto: Na primeira edição da Operação Tiradentes, no ano passado, quase 100 mil militares participaram e o saldo foi de 43 mil ocorrências atendidas, 2,5 mil pessoas detidas, mais de 400 armas e 10 toneladas de drogas apreendidas em todo o país. O ministro da Segurança, Pública Raul Jungmann, destacou a iniciativa.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Desse exercício, nós vamos tirar lições, nós vamos crescer na experiência e vamos, sobretudo, possibilitar que todo esse efetivo, atuando de forma coordenada, possa, futuramente, repetir essa ação, seja no plano estadual, seja no plano regional.

 

Repórter João Pedro Neto: No lançamento da operação, o ministro Jungmann também disse que o Governo vai anunciar o direcionamento de mais recursos para a segurança pública do país e afirmou que está em estudo a criação de um Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas e de uma escola de formação na área de segurança pública.

 

Ministro da Segurança Pública - Raul Jungmann: Teremos recursos novos, recursos importantes e, ao mesmo tempo, nós teremos... Nós vamos carimbar recursos para que, no futuro, os orçamentos da União tragam recursos que antes o Governo Federal não tinha, permanentemente, para tanto investimento quanto custeio em atividades de segurança pública. O que vai representar um enorme diferencial, porque os estados gastam aproximadamente 90% dos seus recursos com pessoal e com o seu custeio.

 

Repórter João Pedro Neto: A Operação Tiradentes começou às 4h da tarde desta sexta-feira, em todo o país, e segue até o mesmo horário no sábado. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Nasi: A partir de hoje, quem ligar para o Disque 100 para fazer denúncias de violência contra a mulher vai ser transferido automaticamente para o Ligue 180, sem precisar fazer uma nova ligação.

 

Gabriela: O Disque 100 recebe denúncias de violação de direitos humanos, e iniciou uma integração com a Central de Atendimento à Mulher.

 

Repórter Nei Pereira: O Disque 100 recebe denúncias de violações de direitos humanos, e o Ligue 180 é a Central de Atendimento à Mulher. Com a integração entre essas duas centrais, que começa nessa sexta-feira, quando um usuário ligar para o Disque 100 denunciando violência contra a mulher, ele vai ser transferido automaticamente para o Ligue 180, sem precisar fazer uma nova ligação. O mesmo vai ocorrer quando o Ligue 180 receber uma demanda que é de responsabilidade do Disque 100. A ouvidora nacional dos Direitos Humanos, Érica Queiroz, explica que, com a integração, o atendimento vai ser agilizado.

 

Ouvidora nacional dos Direitos Humanos - Érica Queiroz: Nós notamos que havia uma grande quantidade de pessoas que ligava para o 100, mas na realidade queria fazer uma denúncia de violação de direito humano em relação à mulher. Da mesma forma, no sentido contrário. Então, para poupar tempo, para dar um atendimento mais correto, rápido e um encaminhamento para os órgãos competentes é que decidimos fazer integração entre as duas centrais de atendimento.

 

Repórter Nei Pereira: No ano passado, o Disque 100 recebeu 142 mil denúncias de violações de direitos humanos e mais de 3 mil pessoas procuraram a Central querendo fazer denúncias de violência contra a mulher. Érica Queiroz, da Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, relata como as denúncias são tratadas no Disque 100.

 

Ouvidora nacional dos Direitos Humanos - Érica Queiroz: Porque muitas vezes ela liga numa situação de muito sofrimento e precisa ser acalmada para poder relatar a denúncia, e o nosso objetivo é colher essa denúncia, identificar o local onde a vítima está, identificar a vítima corretamente, para, imediatamente, encaminhar aos órgãos competentes.

 

Repórter Nei Pereira: Tanto o Disque 100 quanto o Ligue 180 funcionam diariamente, 24 horas por dia. As denúncias podem ser anônimas e o sigilo das informações é garantido. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Mais de 60 milhões de brasileiros têm dívidas.

 

Gabriela: É, Nasi, uma situação que impede o acesso ao crédito e a várias outras relações comerciais.

 

Nasi: E quem quiser resolver a pendência tem neste mês uma oportunidade de renegociar o débito com instituições financeiras.

 

Repórter Alessandra Bastos: Uma dívida contraída seis anos atrás por uma jornalista de Brasília se multiplicou por quatro depois que ela perdeu o emprego e não conseguiu saldar o compromisso. Ela conta que, nesse período, passou por muitos constrangimentos, tantos que ela prefere não se identificar.

 

Entrevistada: Foram seis anos praticamente com o meu nome sujo, desde que minha filha nasceu, e passando por muitos apertos, assim, de querer tentar alugar um apartamento e não ter um fiador e da imobiliária não conseguir acreditar em mim, de precisar ter um crédito para comprar material escolar e não conseguir.

 

Repórter Alessandra Bastos: Mais de 62 milhões de brasileiros estão endividados, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito. A maioria das dívidas, de acordo com o SPC, é com o cheque especial e com cartões de crédito. A boa notícia é que quem tem dívidas e quer renegociar com o banco, pode aproveitar a oportunidade durante todo o mês de maio. O processo de renegociação está aberto para pessoas físicas e microempreendedores individuais. E para solucionar a questão, é muito simples, como explica o coordenador-geral de Estudos e Monitoramento de Mercado, do Ministério da Justiça, Bernardo Argolo.

 

Coordenador-geral de Estudos e Monitoramento de Mercado - Bernardo Argolo: O cidadão entra no site consumidor.gov.br, realiza o seu cadastro, busca instituição na qual ele tem interesse em renegociar dívida, abre uma solicitação. A partir daí, ele vai fazer todo o preenchimento de um formulário e, no campo da demanda dele, ele vai solicitar uma proposta de renegociação da dívida. Ele primeiro tem a praticidade, que ele não precisa sair de casa, ele pode fazer tanto pela internet quanto pelo próprio celular, e ele tem uma nova chance de renegociar aquele débito que ele tem com alguma instituição.

 

Repórter Alessandra Bastos: A renegociação das dívidas pode ser solicitada até o dia 31 de maio. E recordando, o endereço da plataforma é consumidor.gov.br. Com locução de Alessandra Bastos, reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: O comércio continua a trajetória de recuperação e avançou 6,5% em março, em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Nasi: Os destaques para este resultado vieram do setor de hipermercados e produtos alimentícios, com aumento nas vendas durante o período da Páscoa.

 

Gabriela: Com isso, o varejo acumula alta de 3,8% nos primeiros três meses do ano, segundo dados divulgados pelo IBGE.

 

Nasi: Inclusão no Enem.

 

Gabriela: Ainda nesta edição, vamos falar como o exame atende em condição de igualdade estudantes com alguma deficiência.

 

Nasi: Em uma semana, mais de 3 milhões de candidatos se inscreveram para fazer a prova.

 

Gabriela: O Brasil estreita as relações comerciais com países da Ásia.

 

Nasi: Em mais uma etapa da viagem pelo sudeste asiático, o ministro de Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, visitou a Indonésia, onde fechou acordo de cooperação nas áreas de meio ambiente, agricultura e energia.

 

Gabriela: O ministro também esteve na Tailândia, país que, segundo ele, se mostrou receptivo em abrir seu mercado para a carne brasileira.

 

Ministro de Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: É um grande mercado e está relativamente fechado para a carne brasileira. Foi anunciado o envio de uma missão de inspeção das autoridades do Ministério da Agricultura da Tailândia, para verificar as condições nos nossos abatedouros. E eu tenho certeza que, a partir dos bons resultados dessa missão, nós conseguiremos abrir o mercado da Tailândia para a carne brasileira.

 

Nasi: O ministro Aloysio Nunes Ferreira também visitou a Associação de Nações do Sudeste Asiático, onde discutiu uma aproximação maior entre os países do grupo e o Brasil.

 

Ministro de Relações Exteriores - Aloysio Nunes Ferreira: Já existe um comércio muito importante, eles são o quarto parceiro comercial do Brasil, somados todos os dez países, uma corrente de comércio de US$ 18,5 bilhões. Nós tratamos de uma maior aproximação do Brasil com a Asean e também do Mercosul com a Asean.

 

Gabriela: E em Singapura, onde iniciou a viagem pela Ásia, o ministro assinou acordo que vai permitir o aumento dos investimentos daquele país no Brasil.

 

Nasi: Nesta semana, em entrevista exclusiva à Voz do Brasil, o presidente Michel Temer comemorou bons resultados da Petrobras no mercado financeiro.

 

Gabriela: Uma mostra de que, com uma gestão eficiente, foi possível resgatar uma das empresas estatais mais importantes do país.

 

Nasi: E foram medidas adotadas pelo Governo na administração das estatais que mudaram os rumos da Petrobras e das demais empresas.

 

Gabriela: Um relatório de gestão apresentado hoje aponta um desempenho 70% melhor no último semestre.

 

Repórter Pablo Mundim: Gestão eficiente, mais produção e lucro, fórmula que tem ajudado as empresas públicas a melhorarem o desempenho. É o que revela uma análise do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. A segunda certificação do Indicador de Governança, equivalente a um selo de qualidade de gestão, aponta que as empresas estatais melhoraram em 70% a performance de governança nos últimos seis meses. Ao todo, 46 empresas, como os Correios e a Infraero, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, foram submetidas ao indicador. Elas foram avaliadas em itens como gestão, controle, auditoria e transparência das informações. Para o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, o fortalecimento das empresas estatais é importante não só para o Governo, mas para o país, para os mercados, funcionários e usuários do serviço.

 

Ministro do Planejamento - Esteves Colnago: Nós esperamos que essa maior governança se traduza em melhores resultados para a sociedade, seja na produção de políticas públicas ou seja na entrega de um resultado financeiro mesmo. E nesse sentido, a gente já está vendo a melhoria nesses resultados financeiros, no acompanhamento que a gente faz, trimestral, do boletim das estatais.

 

Repórter Pablo Mundim: Banco do Brasil, Eletrobras e Petrobras tiveram nota máxima no ciclo. A Petrobras, após registrar saldo negativo nos últimos anos, apresentou lucro líquido de quase R$ 7 bilhões no primeiro trimestre deste ano, o melhor resultado dos últimos cinco anos. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Nasi: A fiscalização dos recursos públicos também é uma responsabilidade dos cidadãos.

 

Gabriela: E para incentivar a população a acompanhar de perto o que é arrecadado e o que é feito com o dinheiro dos impostos, está sendo realizado o Prêmio Nacional de Educação Fiscal.

 

Nasi: Serão premiados órgãos públicos, escolas e profissionais da imprensa, com trabalhos sobre a aplicação correta dos tributos.

 

Repórter Márcia Fernandes: Combater a sonegação fiscal, incentivar o acompanhamento de como é gasto o dinheiro público. Esses são alguns dos objetivos do Prêmio Nacional da Educação Fiscal. A seleção vai premiar sete vencedores: três escolas, dois órgãos públicos, como universidades e prefeituras, e dois jornalistas. Os ganhadores serão aqueles trabalhos que mostrem para a população a importância de valorizar a verba pública. É o que explica a diretora de Educação da Escola de Administração Fazendária, Fabiana Batistucci.

 

Diretora de Educação da Escola de Administração Fazendária - Fabiana Batistucci: Como a sociedade faz isso? Vendo que o Governo está comprando, vendo como o Governo está gastando, trabalhando em ONGs, em observatórios sociais, onde eles aprendem como perceber isso.

 

Repórter Márcia Fernandes: O Colégio da Polícia Militar Nestório Ribeiro, na cidade de Jataí, em Goiás, foi um dos vencedores do prêmio em 2016. Os estudantes participaram de um abaixo-assinado para criar uma disciplina sobre educação fiscal na grade curricular das escolas do município. A diretora do Colégio, Major Selma Rodrigues, conta que o projeto mobilizou estudantes e influenciou no dia a dia da cidade.

 

Diretora do Colégio da Polícia Militar Nestório Ribeiro - Major Selma Rodrigues: A partir de então, até os próprios estabelecimentos comerciais, eles passaram a perguntar se a pessoa queria a nota fiscal, coisa que antigamente não existia aqui na nossa cidade.

 

Repórter Márcia Fernandes: Suzana Rodrigues foi uma das estudantes que participou do projeto. Ela tem apenas 12 anos e sabe bem a importância de acompanhar cada imposto pago.

 

Estudante - Suzana Rodrigues: Que os impostos são revertidos em benefícios para as pessoas, através de serviços públicos, de saúde, educação e etc.

 

Repórter Márcia Fernandes: Ao todo, serão R$ 43 mil em premiações. As inscrições estão abertas até o dia 13 de julho, no site premioeducacaofiscal.org.br. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

Gabriela: As inscrições do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, vão até a próxima sexta.

 

Nasi: E até hoje à tarde, mais de 3,2 milhões de candidatos já se inscreveram.

 

Gabriela: E mais uma vez neste ano, cegos, pessoas com deficiência física, com déficit de atenção e autistas têm apoio especial para realizarem a prova em condições de igualdade.

 

Nasi: Os surdos, por exemplo, recebem um computador com a prova em vídeo, traduzida para a Língua Brasileira de Sinais, a Libras, além de contarem também com intérpretes para ajudar na hora do exame.

 

Gabriela: Quem explica para a gente como funciona esse formato da prova é a repórter Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: A estudante Fernanda Cristina de Souza Castro nasceu surda. Com o apoio da escola, aprendeu a Língua Brasileira de Sinais, Libras, e passou por todas as séries do ensino fundamental e médio. Hoje, no 3º ano, está pronta para fazer o Enem. Com a ajuda da intérprete, ela conta que quer ser pedagoga ou jornalista.

 

Por intérprete - Estudante - Fernanda Cristina de Souza Castro: Eu tenho prazer em ensinar e também tenho um caráter investigativo, por isso eu ainda estou em dúvida nessas profissões.

 

Repórter Luana Karen: E pela segunda vez na história do Enem, os alunos surdos terão a opção de fazer a videoprova traduzida em Libras. O participante vai receber um notebook para assistir as questões, que são as mesmas e na mesma ordem da prova regular. Já as respostas devem ser marcadas na folha de redação e no cartão-resposta, assim como é feito na prova aplicada aos demais alunos. Além da videoprova, os alunos surdos também poderão contar com intérpretes de Libras nas salas de prova. O ministro da Educação, Rossieli Soares, destaca o trabalho para atender cada vez melhor as pessoas com deficiência.

 

Ministro da Educação - Rossieli Soares: As pessoas que têm, por exemplo, deficiência visual, têm uma prova adaptada especialmente para eles. Para os alunos que são surdos, ter a videoprova, por exemplo, auxilia, que ele possa realmente enxergar, ver, ler, interpretar a prova da forma mais adequada, ou seja, trazendo justiça a essas pessoas, trazendo a possibilidade de efetivamente participarem.

 

Repórter Luana Karen: Maristela Oliveira é diretora da Escola Bilíngue - Libras e Português Escrito, de Taguatinga, cidade a cerca de 25 Km do centro de Brasília. Lá, estudam 140 surdos e pelo menos 14 vão fazer o Enem este ano. Maristela comemora o apoio oferecido para a prova.

 

Diretora de Escola Bilíngue - Libras e Português Escrito - Maristela Oliveira: Porque nós acreditamos que, à medida que ele tem acessibilidade, provas na sua própria língua, o desempenho, o resultado dele vai ser melhor, então é mais garantia de que ele vai chegar, sim, às universidades.

 

Repórter Luana Karen: Em 2017, mais de 1,6 mil alunos fizeram a videoprova e pouco mais de 1.350 optou por receber auxílio do tradutor-intérprete de Libras. O candidato que necessitar de auxílio deve indicar na inscrição que está aberta até o dia 18 de maio. Além de surdos, também podem solicitar atendimento especial pessoas cegas ou com baixa visão, deficiência física ou intelectual, dislexia, déficit de atenção e autismo. Reportagem, Luana Karen.

 

Nasi: E quem já comprovou a deficiência física em exame anterior não precisa comprovar novamente neste ano.

 

Gabriela: A água é um bem escasso para muitos brasileiros.

 

Nasi: Especialmente para quem mora na região do semiárido brasileiro, por exemplo.

 

Gabriela: E é para essa população, cerca de 9 milhões de pessoas, que existe o Programa Água Doce, do Ministério do Meio Ambiente.

 

Nasi: O programa usa um sistema que retira o excesso de sal e deixa a água prontinha para beber e usar na plantação.

 

Gabriela: Desde 2001, já foram feitos convênios com dez estados e investimentos de R$ 250 milhões.

 

Nasi: Um dos estados que recebeu recursos para o programa recentemente foi o Piauí.

 

Repórter Raíssa Lopes: O eletricista Genésio Ribeiro mora em Vereda da Cacimba, comunidade rural do Piauí, que fica no semiárido. Até o segundo semestre do ano passado, as 42 famílias que moram ali não tinham água de qualidade para beber. Foi quando o programa Água Doce, do Governo Federal, chegou na região e tudo mudou, principalmente a saúde das pessoas, como conta Genésio.

 

Eletricista - Genésio Ribeiro: A água que a gente usava era água salobra, e aí tem problema de rins, problema de hipertensão. E aí agora já está diminuindo muito, as pessoas tomavam remédio, iam com mais frequência ao médico e reclamavam dessas dores, e depois da água doce a gente já vê depoimento de pessoas que melhoraram muito depois que mudou a água.

 

Repórter Raíssa Lopes: E o Piauí foi um dos estados que recebeu dinheiro do Programa Água Doce. Foram quase R$ 12 milhões repassados para ajudar o Estado a beneficiar 26 mil famílias. O objetivo do programa é levar água de qualidade para os dez estados que formam o semiárido brasileiro. É usado um sistema de dessalinização de águas subterrâneas, extraídas de poços profundos, um processo que retira o excesso de sal e deixa a água própria para o consumo humano. E o Governo também ajuda a manter o sistema funcionando, como explica o secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente, Jair Tannús.

 

Secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental - Jair Tannús: O programa não visa só a construção da obra, visa também os gerenciamentos dessa obra, para que ela possa ter efetividade por um período aí de no mínimo um ano, até um ano o Governo Federal garante o acompanhamento, para que, a partir daí, o município possa caminhar com as suas próprias pernas.

 

Repórter Raíssa Lopes: A meta do programa é construir 1,2 mil sistemas de dessalinização no semiárido. Quase 600 deles estão em funcionamento, o que já leva água potável para mais de 200 mil pessoas. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: As inscrições para cursos gratuitos no setor de turismo foram reabertas.

 

Nasi: É o Brasil de Braços Abertos, um programa do Ministério do Turismo para capacitação dos profissionais que atuam na linha de frente do turismo ou pessoas que pretendem atuar nesse mercado.

 

Gabriela: O Curso de Atendimento ao Turista possui carga horária de 80 horas, está dividido em quatro módulos, com conteúdo direcionado para recepção do visitante, incluindo noções básicas da língua inglesa.

 

Nasi: O número de vagas é ilimitado e as inscrições podem ser realizadas até 31 de outubro, no endereço brasilbracosabertos.turismo.gov.br.

 

Gabriela: E estas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite e um bom fim de semana.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até segunda.

 

"Brasil, ordem e progresso".