12 DE ABRIL DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Queda da inflação e dos juros, geração de empregos e crescimento da economia; mais investimentos na formação de professores, ensino integral e vagas no Prouni e no Fies; aumento no Bolsa Família e mais moradias entregues no Minha Casa Minha Vida; Balanço de quase 2 anos de governo foi feito pelo presidente Michel Temer em primeira reunião com novos ministros. Governo propõe salário mínimo de R$1002 reais a partir do ano que vem. Pente fino: mais 152 mil beneficiários do INSS são convocados para perícia.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_12_04_18.mp3 — 23528 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Alessandra Bastos: Olá, boa noite.

 

Nasi: Uma boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Alessandra: Quinta-feira, 12 de abril de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Alessandra: Queda da inflação e dos juros.

 

Nasi: Geração de empregos e crescimento da economia.

 

Gabriela: Mais investimentos na formação de professores, ensino integral e vagas no ProUni e no Fies.

 

Nasi: Aumento no Bolsa Família e mais moradias entregues no Minha Casa, Minha Vida.

 

Gabriela: Balanço de quase dois anos de governo foi feito pelo presidente Michel Temer em primeira reunião com novos ministros.

 

Presidente Michel Temer: Nós temos praticamente mais nove meses de governo, o que significa que muito se pode fazer.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Alessandra: Governo define salário mínimo de R$ 1 mil a partir do ano que vem. João Pedro Neto.

 

Repórter João Pedro Neto: É a primeira vez que o salário mínimo supera a casa dos R$ 1 mil. Se aprovada a proposta no Congresso, esse valor já começa a valer em janeiro de 2019.

 

Nasi: Pente-fino. Mais 152 mil beneficiários do INSS são convocados para a perícia.

 

Alessandra: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Alessandra Bastos e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Alessandra: O presidente Michel Temer reuniu os novos ministros em uma primeira reunião ministerial.

 

Nasi: Ele fez um balanço desses quase dois anos de governo em todas as áreas.

 

Gabriela: Falou da economia, educação, saúde, da parte social e meio ambiente.

 

Nasi: Temer disse que a ideia é continuar o trabalho que está sendo feito e que nos nove meses que ainda têm pela frente ainda quer fazer mais.

 

Repórter Gabriela Noronha: Na primeira reunião ministerial após as mudanças no comando das pastas, o presidente Michel Temer pediu continuidade aos novos ministros e destacou que ainda há muito trabalho a ser feito nos nove meses que restam ao governo.

 

Presidente Michel Temer: Os senhores vão dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido. E eu quero dizer que também nesse período nós teremos coisas novas, pode haver programas novos, eventos novos. Nós temos praticamente mais nove meses de governo, o que significa que muito se pode fazer.

 

Repórter Gabriela Noronha: Ao longo do discurso que fez para os 29 ministros presentes, Temer listou as ações do governo em diversas áreas. O presidente falou sobre os resultados obtidos na área econômico, citando como exemplo a queda da inflação e da taxa de juros, bem como a melhora na Bolsa de Valores.

 

Presidente Michel Temer: Nestes menos de dois anos de governo, quando se fala na inflação que caiu a menos de três pontos, quando se fala dos juros que estavam lá num patamar elevadíssimo e vieram a patamares jamais observados no nosso país, quando se fala do teto dos gastos públicos, e vejam que nós estamos obedecendo ao teto de gastos públicos, isto gera confiança e credibilidade, não é? E é a confiança e a credibilidade que gera os patamares recordes que têm sido obtidos pela Bolsa de Valores.

 

Repórter Gabriela Noronha: Na área da saúde, Temer destacou o aumento de 9% no número de equipes para o programa Saúde da Família e a renovação de 65% da frota de ambulâncias.

 

Presidente Michel Temer: O número de consultas realizadas nas UBSs cresceu 230%, passando de 196,3 milhões, em 2016, para 649 milhões no ano passado. São milhares de novas equipes na chamada atenção básica.

 

Repórter Gabriela Noronha: Sobre a educação, Temer citou a reforma do ensino médio e lembrou que foram criadas duas universidades federais em locais carentes: a Federal do Delta do Parnaíba, no Piauí, e a Federal do Agreste de Pernambuco.

 

Presidente Michel Temer: A mudança da educação das nossas crianças e jovens já começou. Chegamos a 500 mil novas vagas no tempo integral agora em 2018 e todas voltadas para o jovem do ensino médio. E também nós temos um outro recorde ainda nessa área, que são as 360 mil bolsas ofertadas pelo ProUni em 2017.

 

Repórter Gabriela Noronha: No plano social, o presidente destacou o reajuste maior que a inflação concedido ao Bolsa Família e a eliminação da fila de espera para ingresso no programa.

 

Presidente Michel Temer: Pois neste governo nós zeramos o Bolsa Família, ainda demos um aumento para o Bolsa Família logo no início do nosso governo. Na questão do Minha Casa, Minha Vida, que é outro programa social, nós contratamos 793 mil novas unidades, uma média de quase 40 mil casas por mês.

 

Repórter Gabriela Noronha: Ao final da reunião, o atual titular do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, confirmou a importância da continuidade das ações para manter o Brasil em ritmo de crescimento.

 

Ministro da Fazenda - Eduardo Guardia: Para que a gente preserve as conquista que nós todos estamos hoje vivenciando é importante a continuidade das ações de governo. Então, é uma reunião também para que a gente possa dar foco, concentrar as ações na interlocução com o Poder Legislativo para aprovar temas importantes que estão em discussão.

 

Repórter Gabriela Noronha: Nesta semana, 11 ministros foram nomeados pelo presidente, e na semana passada foram outros dois. Reportagem, Gabriela Noronha.

 

Alessandra: E o presidente Michel Temer citou ainda a reforma trabalhista, que vem ajudando o país a gerar mais postos de trabalho.

 

Nasi: Geração de empregos também no campo com recorde de safra e de exportações no agronegócio, que contou com mais apoio do governo para a produção.

 

Alessandra: E o aquecimento do país foi resultado de outra medida: o saque do FGTS e a antecipação do PIS/Pasep, que injetou quase R$ 50 bilhões na economia.

 

Nasi: O presidente citou ainda a entrega de obras paradas pelo país em rodovias e aeroportos, além de finalizar a obra de transposição do Rio São Francisco até o final deste ano. Doze milhões de brasileiros da região Nordeste vão ser beneficiados.

 

Alessandra: O Governo Federal apresentou hoje a proposta de valor para o salário mínimo no ano que vem.

 

Nasi: Ficou em R$ 1.002,00, um aumento de 5% em relação ao valor atual.

 

Alessandra: O valor faz parte do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias, apresentado hoje pela equipe econômica.

 

Nasi: Proposta que também faz uma previsão de crescimento de 3% da economia neste ano e também no ano que vem.

 

Repórter João Pedro Neto: É a primeira vez que o salário mínimo supera a casa dos R$ 1 mil. Se aprovada a proposta no Congresso, esse valor já começa a valer em janeiro de 2019, com pagamento em fevereiro. O Projeto de Diretrizes Orçamentárias também estabelece prioridades de gastos e investimentos para o ano seguinte e indica as principais projeções para a economia. A previsão para 2019 é de um crescimento de 3% do PIB, o Produto Interno Bruto, que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo país. Já a projeção de inflação ficou em 4,2% para o ano que vem. O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, destacou a importância da retomada do crescimento com o controle da inflação.

 

Ministro da Fazenda - Eduardo Guardia: A inflação dos mais pobres hoje é menor do que a inflação. Então, nós estamos com uma inflação em torno de 3% e a inflação dos mais pobres é mais ou menos a metade dessa inflação. Então, isso aumenta o poder de compra, isso é relevante para a melhora de vida das pessoas.

 

Repórter João Pedro Neto: A Proposta de Diretrizes Orçamentárias também mantém a meta fiscal de 2009, com saldo negativo de R$ 139 bilhões, ou seja, prevê que as despesas superem as receitas nesse valor. Para os anos seguintes esse déficit começa a ser reduzido, como explicou o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago.

 

Ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão - Esteves Colnago: A gente tem uma estimativa, uma meta de R$ 139 bilhões para o próximo exercício, isso foi mantido, uma meta para 2020 de R$ 110 bilhões e uma meta para 2021 de R$ 70 bilhões. Essa queda ao longo dos próximos exercícios é um resultado natural do início de vigência do teto do gasto.

 

Repórter João Pedro Neto: Os ministros também destacaram a importância da continuidade da aprovação de reformas no país. Segundo Eduardo Guardia, da Fazenda, é isso que vai permitir que o Brasil retome o equilíbrio nas contas públicas.

 

Ministro da Fazenda - Eduardo Guardia: O caminho, infelizmente, é o caminho do ajuste fiscal, que pressupõe a reforma da Previdência. A gente está chegando numa situação que não tem alternativa. Então, nós estamos no caminho certo, desde que as reformas continuem a ser implementadas.

 

Repórter João Pedro Neto: O Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias precisa ser encaminhado pelo governo ao Congresso até o dia 15 de abril, e deve ser aprovado pelo Legislativo até meados do mês de julho. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Alessandra: Pelo quinto mês consecutivo a inflação mais baixa teve maior impacto sobre famílias mais pobres.

 

Nasi: O indicador do Ipea, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, divulgado hoje, mostra que a inflação para a classe de maior poder aquisitivo no mês de março foi quase o triplo da registrada pelas famílias de renda mais baixa.

 

Alessandra: É o quinto mês consecutivo em que o grupo de menor renda registra a menor taxa de inflação.

 

Nasi: A queda dos preços dos alimentos consumidos em casa é o principal fator para essa inflação mais amena, especialmente com um preço mais barato em produtos como cereais, tubérculos, carnes, aves e ovos.

 

Gabriela: Por outro lado, o indicador aponta um aumento do preço para a alimentação fora de casa. Esse resultado teve maior impacto sobre as famílias de renda mais alta.

 

Nasi: Mais uma convocação para a perícia foi feita hoje, pelo INSS.

 

Alessandra: São pessoas que recebem Auxílio-Doença ou aposentados por invalidez que estão há mais de dois anos sem revisão.

 

Nasi: O pente-fino do instituto tem como objetivo pagar o benefício só a quem realmente tem direito.

 

Repórter André Luiz Gomes: Mais de 152 mil segurados que recebem o auxílio-doença ou a aposentadoria por invalidez devem agendar as perícias-médicas para a revisão dos benefícios. O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, ressalta que a ação tem o objetivo de assegurar o direito de todos os beneficiários.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: O Ministério do Desenvolvimento Social tem uma grande preocupação de não causar qualquer injustiça em relação a benefícios, sejam eles de aposentadoria por invalidez, sejam por auxílio-doença. A intenção do edital é alertar as pessoas para que elas marquem a perícia e compareçam à perícia na data marcada.

 

Repórter André Luiz Gomes: Os convocados que não ligarem para o INSS pelo telefone 135 até o dia 4 de maio terão o benefício suspenso. Após 60 dias sem entrar em contato, o benefício será cessado. Desde o mês passado, o governo iniciou a segunda etapa do programa de revisão dos benefícios. Em 40 dias, já foram realizadas mais de 191 mil perícias, dez vezes mais do que as feitas no mesmo período em 2017. Segundo o ministro, graças ao aperfeiçoamento na gestão do trabalho dos médicos peritos e no engajamento da categoria é possível que, até o final de 2018, sejam realizadas mais de 1,2 milhão de perícias. Beltrame afirma que o pente-fino tem o objetivo de garantir que os recursos cheguem para quem realmente precisa. Ele destaca os resultados da ação.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Nós temos tido um cancelamento de cerca de 80% dos benefícios de auxílio-doença, ou seja, de pessoas que não estão mais incapazes para o trabalho, estão saudáveis nesse momento, e, portanto, tiveram o benefício cancelado, e temos tido o cancelamento de cerca de 30% das aposentadorias por invalidez.

 

Repórter André Luiz Gomes: O pente-fino do INSS já economizou aos cofres públicos, desde agosto de 2016, mais de R$ 7 bilhões. Estão sendo convocados os beneficiários de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez que estavam há mais de dois anos sem passar por uma perícia médica. Reportagem, André Luiz Gomes.

 

Alessandra: E atenção: o agendamento é obrigatório e deve ser feito exclusivamente pelo telefone 135.

 

Nasi: A lista com os nomes dos segurados convocados está no site do MDS, em www.mds.gov.br.

 

Alessandra: E você vai ouvir ainda nesta edição...

 

Nasi: Novo aeroporto de Rio Branco, no Acre, foi entregue hoje.

 

Alessandra: Vamos falar ainda da Doença de Chagas: quais os sintomas, como prevenir e o tratamento oferecido pelo SUS.

 

 "As rádios de todo o país já podem transmitir a Voz do Brasil em horário flexível. As emissoras de radiodifusão são obrigadas a retransmitir diariamente, entre as 7h da noite e às 10h da noite, exceto aos sábados, domingo e feriados. A duração continua a mesma, 60 minutos, de forma ininterrupta. As emissoras devem informar aos ouvintes, às 7h da noite, o horário em que vão transmitir o programa. A Rede Nacional de Rádio mantém a transmissão às 7h da noite pelo satélite e, ao vivo, pela internet, no site redenacionalderadio.com.br".

 

"Momento Social".

 

Nasi: A Zuleide Amorim mora no Riacho Fundo, no Distrito Federal, e quer saber a partir de qual idade o Governo Federal começa a acompanhar a frequência escolar das crianças do Bolsa Família.

 

Alessandra: O ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, responde.

 

Ouvinte da Voz do Brasil - Zuleide Amorim: Olá, ministro. O meu nome é Zuleide. A partir de quantos anos o Bolsa Família cobra a frequência escolar das crianças?

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: O acompanhamento da frequência escolar é uma espécie de contrapartida que a família dá ao Bolsa Família e que só traz benefício à própria criança e à família, ajudando a todos saírem da pobreza. Nós começamos a acompanhar a frequência escolar a partir dos seis anos de idade. E até os 15 anos a frequência esperada é de 85% nas aulas. Dos 16 aos 17, 75% das aulas. Além de verificar a frequência escolar, o Bolsa tem outras condicionalidades, como a vacinação estar em dia e as gestantes fazerem o pré-natal completo.

 

Nasi: E se também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda para a gente.

 

Gabriela: Pode ser por e-mail, no endereço voz@ebc.com.br, e tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamília.

 

Nasi: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe!

 

Alessandra: Continuar com os projetos que vão sustentar o crescimento econômico do país. Prioridade do novo ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, que começa a comandar a Pasta.

 

Nasi: Em entrevista exclusiva à Voz do Brasil, o ministro destacou a importância da capitalização da Eletrobrás para garantir mais barata para os brasileiros.

 

Repórter Bruna Saniele: Ampliar o Programa Luz para Todos com produção de energia a um custo mais baixo, ajudar na recuperação e preservação do Rio São Francisco, com mais de R$ 300 milhões em recursos. Tudo isso será possível com a capitalização da Eletrobrás, a maior companhia do setor elétrico do país e da América Latina. É o que garante o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. Conforme o ministro, a capitalização da empresa é urgente e vai dar mais tranquilidade ao setor elétrico.

 

Ministro de Minas e Energia - Moreira Franco: Que hoje todo mundo precisa da energia, cada vez mais nós precisamos para o nosso dia a dia. E para a produção, para a indústria, também. Então, é fundamental, é urgente que nós possamos capitalizar a Eletrobrás para que tenha ela tenha mais dinheiro e com isso possa fazer os investimentos necessários para gerar emprego e aumentar a produção de energia no Brasil.

 

Repórter Bruna Saniele: Moreira Franco falou também sobre a importância de colocar a mineração no século XXI, com a criação do novo marco regulatório do setor. Segundo o ministro de Minas e Energia, com as novas regras será possível aliar desenvolvimento e preservação do meio ambiente. Moreira Franco destacou que a Pasta vai criar a infraestrutura necessária para o crescimento econômico com investimentos do governo, parcerias com o setor privado e ampliação das fontes energéticas no país. Reportagem, Bruna Saniele.

 

"Agora, é Avançar".

 

Alessandra: Três vezes maior que o original, o aeroporto de Rio Branco, no Acre, foi reformado e entregue hoje.

 

Nasi: A capacidade passou para quase 2,5 milhões de passageiros por ano.

 

Alessandra: O investimento somou R$ 178 milhões e está dentro do Avançar, o programa que está retomando 7 mil obras inacabadas por todo o Brasil.

 

Repórter Caroline Blauth: Atenção, senhores passageiros: as obras de reforma e ampliação do aeroporto de Rio Branco, no Acre, foram entregues. Com o tamanho três vezes maior do que o original, a capacidade passou de 1,3 milhão para quase 2,5 milhões de passageiros por ano, resultado que agradou a passageira Jaqueline Pinheiro.

 

Passageira - Jaqueline Pinheiro: Está bem melhor, eu achei bem legal. Está bem confortável, bem moderno.

 

Repórter Caroline Blauth: Ampliação das salas de embarque e desembarque, mais stands para check-in e nova esteira para a restituição de bagagens. Além disso, o comércio dentro do aeroporto foi ampliado e conta agora com três lojas e dois quiosques que geraram empregos, como o de Antonio da Silva. O jovem, que era lavador de carros, agora é vendedor no aeroporto. E tem um desejo.

 

Vendedor - Antonio da Silva: Que cresça mais e mais, né? Que haja mais oportunidade também de trabalho para os outros, não só para a gente.

 

Repórter Caroline Blauth: E é ao som da natureza que os passageiros são recebidos no Terminal Plácido de Castro. Isso porque as áreas internas e externas do aeroporto receberam um desenho arquitetônico especial: os pilares na entrada imitam árvores e o forro ondulado em madeira ganhou inspiração nas águas dos rios locais. Tudo para lembrar da identidade regional amazônica. A decoração chamou a atenção do passageiro Éder Frank.

 

Passageiro - Éder Frank: Hoje a gente tem essa comodidade de um ambiente climatizado, moderno. Quando chega alguém de fora, né, se depara com essa estrutura arquitetônica, onde demonstra também a flora e a fauna. Podemos dizer que é um aeroporto de nível internacional.

 

Repórter Caroline Blauth: Com mais de dois quilômetros de extensão, a pista de pousos e decolagens também recebeu investimentos. Toda a pavimentação foi refeita, houve substituição do sistema de drenagem e construção do novo balizamento noturno. Os investimentos somaram R$ 178 milhões e estão dentro do Avançar, o programa do Governo Federal que retomou mais de 7 mil obras inacabadas por todo o Brasil. Para o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, essa obra é um marco para o desenvolvimento do estado do Acre.

 

Ministro dos Transportes - Valter Casimiro: A reforma do aeroporto, na verdade, ela dobra a capacidade do aeroporto, dá mais conforto para a população do Acre. Isso fomenta o turismo, fomenta o desenvolvimento da região.

 

Repórter Caroline Blauth: No Acre, o Avançar contempla 29 projetos, com previsão de investimentos de R$ 147 milhões até o fim do ano. De Rio Branco, no Acre, Caroline Blauth.

 

Nasi: Aumenta o número de contratações pelo Sine, o Sistema Nacional de Emprego.

 

Alessandra: Segundo o Ministério do Trabalho, houve um crescimento de 36% em 2017, em comparação com o ano anterior.

 

Nasi: E em todo o ano passado mais de 570 mil trabalhadores cadastrados no Sine conseguiram emprego com carteira assinada.

 

Alessandra: As admissões em dez estados ficaram acima da média nacional, com destaque para Alagoas, com bom desempenho no setor de fabricação de açúcar. Ceará e Paraná também tiveram resultado positivo.

 

Nasi: Quanto ao perfil dos trabalhadores, destaca-se a procura de emprego pelo Sine especialmente pelos mais jovens. Os setores que mais ofereceram vagas foram serviços, comércio e indústria.

 

Alessandra: Uma doença silenciosa, que, com o tempo, pode trazer sérios problemas de saúde.

 

Nasi: É a Doença de Chagas, que em 2017 afetou gravemente mais de 370 brasileiros.

 

Alessandra: A estimativa oficial é que mais de 2 milhões de pessoas são portadoras da doença no país.

 

Repórter Nei Pereira: Aos 77 anos, a costureira Maria Neusa Lamounier segue firme trabalhando em seu ateliê de costura em Brasília, mas chegar a essa idade com todo o vigor foi um desafio. Por volta dos 30 anos, ela conta que passava mais tempo no hospital do que em casa para tratar da Doença de Chagas.

 

Costureira - Maria Neusa Lamounier: Eu ia para o hospital de manhã, 6h, 7h, tomava a medicação, voltava para casa, quando era à noite eu estava lá de novo com a mesma crise. Passava mal mesmo.

 

Repórter Nei Pereira: Maria da Conceição é uma das fundadoras da Associação Rio Chagas, entidade que auxilia pessoas infectadas pela doença a conseguir ajuda médica. Com infância muito pobre, ela só descobriu que tinha Chagas quando já era adulta.

 

Fundadora da Associação Rio Chagas - Maria da Conceição: Fui doar sangue há 21 anos atrás, aí o laboratório me chamou, que eu estava com Chagas.

 

Repórter: Maria Neusa e Maria Conceição contraíram a doença depois de serem picadas pelo barbeiro ou percevejo, inseto vetor do Trypanosoma cruzi, que causa a doença. A contaminação ocorre quando, após ser picada pelo inseto, a pessoa coça o local, permitindo a entrada do parasita na corrente sanguínea. Os sintomas são febre, aparecimento de gânglios, crescimento do baço e do fígado, alterações no batimento do coração e inflamação das meninges nos casos graves. A médica infectologista Joana Darc Gonçalves da Silva diz que a Chagas continua sendo um problema de saúde para o país.

 

Médica Infectologista - Joana Darc Gonçalves da Silva: As outras doenças associadas à Chagas, elas são enormes. Chagas ainda é um grande problema de saúde pública.

 

Repórter Nei Pereira: O Ministério da Saúde dispõe para os estados o tratamento e material para diagnóstico da doença, além do inseticida para o controle químico. Cerca de 70% dos casos de Chagas ocorridos entre 2000 e 2011 foram por ingestão do parasita junto com algum tipo de alimento, como o açaí ou caldo de cana, por exemplo. No meio rural a recomendação da Fiocruz é vedar janelas e portas com telas e fazer o uso do inseticida contra o barbeiro. Reportagem, Nei Pereira.

 

Alessandra: As características físicas vão ser o único critério para confirmar a raça do candidato a uma vaga em concurso público pelo sistema de quotas.

 

Alessandra: Os editais vão ter que prever uma fase específica para a realização de uma confirmação por terceiros da raça autodeclarada pelo candidato na inscrição.

 

Nasi: As regras agora devem estar previstas nos editais dos concursos públicos da administração pública federal, autarquias, fundações públicas, empresas públicas e sociedades de economia mista controladas pela União.

 

Alessandra: A Receita Federal informou hoje que a Caixa Econômica Federal deixou de prestar atendimento relativo ao Cadastro de Pessoas Físicas, o CPF.

 

Nasi: Os serviços relacionados ao documento podem ser solicitados gratuitamente por meio da página da Receita Federal na internet ou nos órgãos públicos conveniados. A lista está no endereço receita.fazenda.gov.br.

 

Alessandra: O cidadão também pode solicitar serviços do CPF nas unidades de atendimento dos Correios ou do Banco do Brasil ao custo de R$ 7.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Alessandra: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Alessandra: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".