14 DE MAIO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques de hoje na Voz do Brasil: Polícia Rodoviária Federal mapeia quase 2,5 mil pontos de exploração sexual de crianças e adolescentes em rodovias do país. Estudo apoia combate e prevenção a esse crime e vem dando resultados; Estamos na Semana Nacional de Educação Financeira e vamos falar como você pode ter orientações, de graça, sobre como gastar melhor seu dinheiro; Para os Microempreendedores Individuais também tem atividade durante toda a semana; Você ouve ainda uma série de reportagens sobre ações e resultados dos dois anos de governo do presidente Michel Temer.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_14_05_18.mp3 — 23535 KB




Transcrição


 

Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar A Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá, boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você, que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Segunda-feira, 14 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Polícia Rodoviária Federal mapeia quase 2,5 mil pontos de exploração sexual de crianças e adolescentes em rodovias do país.

 

Nasi: Estudo apoia combate e prevenção a esse crime vem dando resultados. Nei Pereira.

 

Repórter Nei Pereira: Desde 2005, quase 4,8 mil crianças e adolescentes foram resgatadas de áreas vulneráveis e ação contou com o apoio da sociedade civil.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Estamos na Semana Nacional de Educação Financeira.

 

Gabriela: E vamos falar como você pode ter orientações de graça sobre como gastar melhor seu dinheiro.

 

Nasi: Para os microempreendedores individuais, também tem atividade. Raíssa Lopes.

 

Repórter Raíssa Lopes: Levantamento do Sebrae mostra que quase 80% dos microempreendedores individuais nunca fizeram cursos em finanças e 50% ainda registram os gastos em papel.

 

Gabriela: E você ouve ainda uma série de reportagens sobre ações e resultados dos dois anos de governo do Presidente Michel Temer.

 

Nasi: Na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Gabriela: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Nasi: Em mais de 70 mil quilômetros de estradas federais, o Brasil tem 2,5 mil pontos onde há facilidade para que se cometa um crime.

 

Gabriela: É, Nasi, e um crime gravíssimo contra nossas crianças e adolescentes: a exploração sexual.

 

Nasi: E para combater e prevenir esses abusos, a Polícia Rodoviária Federal faz um mapeamento dessas áreas.

 

Gabriela: Com a ajuda da sociedade e dos caminhoneiros, é possível apurar as denúncias e ainda encaminhar crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade a um atendimento especial.

 

Repórter Nei Pereira: De acordo com o levantamento da Polícia Rodoviária Federal, o Mapear 2017/2018, existem quase 2,5 mil pontos vulneráveis de exploração sexual de crianças e adolescentes em rodovias federais de todo o Brasil. Desses, aproximadamente 500 são considerados críticos. Depois de identificar a região que pode ocorrer a exploração sexual de menores, a PRF realiza ações para combater esse tipo de crime, como detalha o diretor em exercício da instituição, Marcelo Moreno.

 

Diretor em exercício da PRF - Marcelo Moreno: Operações periódicas, onde pessoas são realmente resgatadas e encaminhadas para a rede de assistência, quanto no âmbito do município, na melhoria das características de um local, melhoria da iluminação, retirada e eliminação dos pontos, que é o objetivo que tem sido alcançado com resultado.

 

Repórter Nei Pereira: O estudo foi feito em mais de 70 mil quilômetros de rodovias federais de todo o país e as campeãs em número de pontos críticos são a BR-101 e BR-116, estradas que cortam o Brasil de Norte a Sul. Mas a exploração sexual de crianças e adolescentes pode ser bem maior, já que as rodovias estaduais não fazem parte do levantamento, acredita o presidente da Comissão de Direitos Humanos da PRF, Igor Carvalho.

 

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da PRF - Igor Carvalho: É um problema que ocorre também nas rodovias estaduais, e por isso que é hoje uma bandeira da PRF levar essa metodologia do Mapear para os estados.

 

Repórter Nei Pereira: Desde 2005, quase 4,8 mil crianças e adolescentes foram resgatadas de áreas vulneráveis e ação contou com o apoio da sociedade civil. Heloisa Ribeiro, diretora da Childhood Brasil, ONG parceira da PRF no projeto Mapear, conta que a prevenção tem a participação dos caminhoneiros.

 

Diretora da Childhood Brasil - Heloisa Ribeiro: A gente já fez esse trabalho com mais de um milhão de caminhoneiros, onde se começou a educar os caminhoneiros, se começou a fazer uma mudança cultural, realmente, em relação a eles.

 

Repórter Nei Pereira: A exploração sexual de menores deve ser denunciada e um dos canais é o Disque 100, como lembra a secretária nacional dos Direitos Humanos, Berenice Giannella.

 

Secretária nacional dos Direitos Humanos - Berenice Giannella: Nós temos o canal do Disque 100, que pessoas podem encaminhar denúncias. Esse canal depois faz a conversa com os municípios e os estados, para que as denúncias sejam apuradas, no sentido de que a gente possa trabalhar tanto na repressão quanto na própria prevenção desses crimes.

 

Repórter Nei Pereira: A maioria dos pontos vulneráveis detectados no estudo está nas regiões Nordeste, Sul e Sudeste. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: E o estudo da PRF também confirma que as ações adotadas com o mapeamento estão no caminho certo.

 

Gabriela: Desde 2013, houve uma queda de 14% nos pontos considerados críticos nas estradas federais.

 

Nasi: Isso significa uma redução de 77 lugares onde havia maior possibilidade de ocorrerem casos de exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Gabriela: Começa hoje no Brasil mais uma edição da Semana Nacional de Educação Financeira.

 

Nasi: São vários eventos, com o objetivo de ensinar a população a investir melhor e a equilibrar as contas.

 

Gabriela: Pode ser uma boa oportunidade para você receber orientação de profissionais qualificados, e de graça.

 

Nasi: a repórter Luana Karen diz para a gente como participar.

 

Repórter Luana Karen: Não é preciso ter muito dinheiro para investir.

 

Entrevistada: Não sou capaz de administrar meu próprio dinheiro.

 

Repórter Luana Karen: Usando um canal no Youtube, o empreendedor Thiago Nigro se dedica a desfazer esses tipos de mitos que envolvem a relação com o dinheiro. Na plataforma, fala com pequenos e grandes investidores e com quem ainda nem começou, mas já sabe que precisa tomar uma decisão em relação às finanças.

 

Empreendedor - Thiago Nigro: Se a gente não se conscientizar desde cedo, a gente vai ter o tempo jogando contra a gente, e talvez o fator mais importante das aplicações financeiras não seja o quanto você guarda dinheiro e nem qual a rentabilidade do seu dinheiro, mas sim no tempo.

 

Repórter Luana Karen: Todo mês, a jornalista Nathalia Arcuri explica para milhões de pessoas que investir não é um bicho de sete cabeças. Ela tem canal no Youtube, programa de rádio e página na internet. O acesso é livre e de graça. O público, que já foi muito masculino, é formado hoje por mulheres na maioria.

 

Jornalista - Nathalia Arcuri: A mulher, ela já tem aquele papel da chefe de família, na hora: "Não, vamos comprar este carro". Tanto que tem várias ações de marketing voltadas para as mulheres, porque elas tomam a decisão da compra, mas essa questão da mulher como protagonista do investimento, ela está começando e ela está ficando cada vez mais forte.

 

Repórter Luana Karen: Até o próximo final de semana, quem não se sente à vontade quando o assunto é dinheiro tem a oportunidade de participar da 5ª Semana Nacional de Educação Financeira. São previstas mais de 4 mil ações, como cursos, palestras e oficinas em várias cidades brasileiras e também pela internet. E se falar em dinheiro é falar em educação, as escolas também não podem ficar de fora. O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, lembrou que o tema está presente na nova Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Fundamental, homologada no fim do ano passado.

 

Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn: A BNCC apresenta educação financeira como tema a ser incorporado, preferencialmente de forma transversal, interadora aos componentes curriculares na escola.

 

Repórter Luana Karen: Também pensando na escola, a Associação de Educação Financeira do Brasil desenvolveu, em parceria com a TV Escola, um curso para formar professores em educação financeira. São mais de 40 horas de conteúdo, de graça e disponível na internet. Cláudia Forte, superintendente da Associação, fala da importância de incluir os mais jovens na discussão.

 

Superintendente da Associação de Educação Financeira do Brasil - Cláudia Forte: Que o professor de Educação Física possa ser capacitado, o professor de Ciências também, o de português, sobretudo o de matemática, mas que todos, que a temática da educação financeira esteja presente na comunidade escolar.

 

Repórter Luana Karen: A programação completa da 5ª Semana Nacional de Educação Financeira está disponível em www.semanaenef.gov.br. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: E essa semana também está voltada para os microempreendedores individuais.

 

Nasi: Eles já são quase 7 milhões em todo o país: cabeleireiro, costureira, vendedor autônomo, artesão.

 

Gabriela: De forma simples e fácil, eles podem se tornar empresários, com nota fiscal e direitos trabalhistas.

 

Nasi: E durante toda essa semana, tem atividades especiais para ajudar essas pessoas a ampliar e melhorar seus negócios.

 

Repórter Raíssa Lopes: Ao perder o emprego, Wescley Sampaio decidiu se reinventar, virou um microempreendedor individual e quer abrir uma lanchonete no Distrito Federal. Mas antes, se inscreveu para participar de palestras que o Sebrae oferece na Semana do Microempreendedor Individual, que vai até o próximo sábado em todo o país.

 

Empreendedor - Wescley Sampaio: Para adquirir conhecimento na área, que eu era antes, eu prestava serviço, agora eu vou prestar serviço, mas eu mesmo, não é? Então é bom para a gente estar tendo uma qualificação no mercado.

 

Repórter Raíssa Lopes: Levantamento do Sebrae mostra que quase 80% dos microempreendedores individuais nunca fizeram cursos em finanças e 50% ainda registram os gastos em papel. Mas para que eles tenham sucesso em seus negócios, é preciso que se capacitem, como acredita o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos.

 

Presidente do Sebrae Nacional - Guilherme Afif Domingos: Só 40% usa cartão de crédito. Já uma outra parte é rústica, ainda vende na base da caderneta, vende fiado, não tem educação financeira. E é fundamental fazer curso de educação financeira, para não misturar as contas do negócio com as contas pessoais dele.

 

Repórter Raíssa Lopes: A pesquisa do Sebrae também mostrou que, para quase 70% dos empresários, trabalhar como microempreendedor ajudou a enfrentar a crise financeira, e mais de 80% afirmam que se formalizar nesse tipo de empresa melhorou a vida. A costureira Cristiane Oliveira é microempresária desde 2013 e sabe que é importante estar regularizada e também sempre se atualizar.

 

Costureira - Cristiane Oliveira: Hoje eu vim me regularizar, eu estava com pendências em atraso, e não declarei também, o ano passado, por problemas pessoais. Mas hoje eu vim normalizar isso.

 

Repórter Raíssa Lopes: Para saber a programação da Semana do Microempreendedor no seu estado, é só acessar semanadomei.sebrae.com.br. Reportagem, Raíssa Lopes.

 

Gabriela: E você sabe o que precisa fazer para se tornar um MEI?

 

Nasi: Esse é o assunto de hoje do nosso quadro "Pra você, cidadão". Vamos ouvir.

 

"Pra você, cidadão".

 

Repórter: Se você quer começar um negócio ou já trabalha por conta própria e fatura até R$ 81 mil por ano, você pode se tornar um MEI, microempreendedor individual. Para regularizar a sua situação de pequeno empresário individual, é simples, basta acessar o endereço na internet www.portaldoempreendedor.gov.br e seguir os passos no site para se formalizar. Ao se tornar o MEI, você terá cidadania empresarial, com CNPJ, direitos e benefícios previdenciários, como aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte, licença-maternidade e também crédito e capacitação, tudo isso com baixo valor de impostos. Além do faturamento de R$ 81 mil por ano, o microempreendedor individual é caracterizado por não participar como sócio, administrador ou titular de outra empresa, e também pode contratar no máximo um empregado. O portal traz as atividades que o MEI pode realizar, como por exemplo artesão, barbeiro independente, DJ, entre várias outras profissões. Então, para se formalizar, é só acessar www.portaldoempreendedor.gov.br. Daniel Costa para a Voz do Brasil.

 

Gabriela: As vendas para este Dia das Mães confirmaram as expectativas do comércio.

 

Nasi: Com a economia aquecida, um levantamento do Serasa Experian mostra que as vendas aumentaram 5,7%, se comparado ao mesmo período do ano passado.

 

Gabriela: Foi o melhor resultado nos últimos cinco anos.

 

Nasi: O desempenho positivo, segundo a Serasa, é reflexo da queda da inflação, da recuperação do poder de compra e de maior acesso ao crédito, com a redução das taxas de juros.

 

Gabriela: E você vai ouvir ainda nesta edição.

 

Nasi: Minha Casa, Minha Vida gera 1,5 milhão de empregos.

 

Gabriela: E o ministro das Cidades diz que o Governo prepara novas medidas para gerar ainda mais vagas na construção civil.

 

Nasi: Vamos falar também das ações e resultados nesses dois anos de governo do Presidente Michel Temer.

 

Gabriela: Inserir conteúdos digitais nas escolas não depende apenas de computadores e internet.

 

Nasi: É, Gabriela, é preciso também formar professores, criar esses conteúdos e uma nova cultura nas escolas.

 

Gabriela: E esse é o objetivo de uma parceria do Ministério da Educação e do BNDES, que patrocinam projetos de inclusão digital nas escolas.

 

Repórter Pablo Mundim: É na internet, no laboratório de informática de uma escola pública de Brasília, que a aluna Milena Valentim dos Santos consegue aprimorar o que aprende na sala de aula.

 

Estudante - Milena Valentim dos Santos: Tudo que a gente aprende em sala, nem sempre fica muito na memória, e normalmente a gente vai na internet, no Youtube, pesquisar. Então, a internet é muito importante para o nosso estudo.

 

Repórter Pablo Mundim: O professor da Milena, Paulo Correia, concorda.

 

Professor - Paulo Correia: Como professor de física, eu acho fundamental o uso da tecnologia. Não substitui o professor nunca, mas é uma mão na roda, auxilia muito o ensino das ciências ditas da natureza.

 

Repórter Pablo Mundim: E levar conteúdo digital para todas as escolas públicas de educação básica é o objetivo do Programa de Inovação Educação Conectada, que, neste ano, atende a 22 mil escolas. Bom para o professor e para os alunos, como explica a coordenadora de Inovação e Tecnologia do Ministério da Educação, Marlucia Amaral.

 

Coordenadora de Inovação e Tecnologia - Marlucia Amaral: Uma forma nova de aprendizagem, que é condizente com a idade deles, já que eles são do momento digital. Porém, eu preciso formar esse professor para isso, ter um professor que entenda que essa tecnologia pode ser usada em sala de aula, sem deixar que o aluno se disperse.

 

Repórter Pablo Mundim: Para isso, o BNDES, numa parceria com o Ministério da Educação, lançou a chamada pública Educação Conectada. Inicialmente, serão disponibilizados R$ 20 milhões para 50 escolas de educação básica criarem projetos em quatro eixos, não só para melhorar a infraestrutura de computadores em si, mas também para o uso pedagógico da tecnologia, a formação de professores e gestores e a criação de conteúdo, como informa a chefe do Departamento de Educação, Bens de Consumo, Comércios e Serviços do BNDES, Flávia Kickinger.

 

Chefe do Departamento de Educação, Bens de Consumo, Comércios e Serviços do BNDES - Flávia Kickinger: Então existem políticas públicas que foram feitas no passado, que davam conta de uma ou até duas dessas dimensões, mas não davam conta do apoio coordenado dessas quatro dimensões.

 

Repórter Pablo Mundim: As escolas devem se inscrever até o dia 15 de maio. Mais informações no endereço bndes.gov.br/educacaoconectada. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: O Governo Federal autorizou, só este ano, a construção de 650 mil unidades do programa Minha Casa, Minha Vida.

 

Nasi: Somadas ao número de moradias já em construção, elas representam mais de um milhão de novas residências.

 

Gabriela: Segundo o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, isso representa mais de 10% do número de famílias que não têm moradia.

 

Nasi: Em entrevista ao programa Por Dentro do Governo, da TV NBR e da Rede Nacional de Rádio, o ministro disse ainda que essas obras devem gerar mais de 1,5 milhão de empregos.

 

Gabriela: Alexandre Baldy afirmou, ainda, que o Governo pretende ampliar ainda mais o número de moradias contratadas pelo Minha Casa, Minha Vida.

 

Ministro das Cidades - Alexandre Baldy: Nós ainda não estamos satisfeitos com as 650 mil unidades do Minha Casa, Minha Vida. Há um estudo, com uma determinação do presidente Michel Temer, que nós possamos ampliar esses números. Nós estamos retomando obras de saneamento. A triste tragédia que ocorreu há dias na cidade de São Paulo nos faz ainda acelerar um programa que nós desejamos estar trabalhando com edifícios que estão ocupados irregularmente ou desocupados, para que a gente possa reformar, colocar dentro da legislação de cada cidade, para que as famílias possam morar, com já transporte, com os equipamentos sociais, como escola, unidade de saúde, uma creche, enfim, para melhor qualidade de vida das famílias brasileiras.

 

Nasi: O ministro afirmou que o Governo também está retomando obras de equipamentos sociais, como creches e escolas, em conjuntos habitacionais do Minha Casa, Minha Vida.

 

Gabriela: E disse ainda que estão sendo desenvolvidas obras de mobilidade urbana para atender os moradores desses condomínios e a população de vários municípios.

 

Ministro das Cidades - Alexandre Baldy: Concluímos o metrô de Salvador, fizemos também o início do metrô de Fortaleza, de uma linha importante, para que a gente possa atingir essencialmente aquelas pessoas que moram em conjuntos do Minha, Casa Minha Vida. Também autorizamos obras com o metrô de São Paulo, participamos da Linha 9 daquele metrô, retomada de BRTs em inúmeras cidades do Brasil, como Goiânia, São José dos Campos, Campinas. E estamos desenhando um projeto para que a gente possa retomar obras dentro de centros urbanos.

 

Nasi: O presidente Michel Temer comemorou, neste sábado, os dois anos do seu governo.

 

Gabriela: Nas redes sociais, Temer destacou o fim da crise, a diminuição do desemprego e a redução dos juros e da inflação.

 

Nasi: Resultado de medidas econômicas adotadas pelo Governo nesse período.

 

Gabriela: E qual o impacto dessa mudança para a retomada do crescimento do país? É o que vamos acompanhar agora na primeira reportagem de uma série de matérias, que você começa a ouvir hoje.

 

Repórter João Pedro Neto: Indústria e comércio se recuperaram. O setor agrícola teve as duas maiores safras da História e a Bolsa de Valores de São Paulo bateu recorde, com mais de 87 mil pontos. Com tantos números positivos, os investidores estrangeiros voltaram a confiar no Brasil. Para o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, medidas estruturantes restabeleceram a confiança na economia brasileira.

 

Ministro da Fazenda - Eduardo Guardia: O grande destaque do ponto de vista fiscal foi o teto dos gastos, o que permitiu reverter uma situação insustentável de crescimento das despesas públicas. As conquistas que nós tivemos, que é a inflação baixa, a economia crescendo, taxa de juros baixa, risco-país diminuindo, é por conta do resgate da credibilidade da política fiscal do Governo Brasileiro.

 

Repórter João Pedro Neto: Um dos indicadores que mais afeta a vida e o bolso dos brasileiros é a inflação. Acumulava, em abril de 2016, mais de 9% em 12 meses. De lá para cá, veio em queda, e no mês passado se mantinha abaixo de 3%. Nas famílias de baixa renda, em que a alimentação consome boa parte do orçamento, está ainda menor, de cerca de 1,7% em 12 meses. O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, ressalta que os preços não vão subir.

 

Presidente do Banco Central - Ilan Goldfajn: No passado, ficava correndo, o salário subia, a inflação subia muito mais, o preço do supermercado subia bem mais e, no final, o trabalhador não ganhava. Agora, qualquer reajuste de salário significa um ganho real, porque os preços não vão subir.

 

Repórter João Pedro Neto: A taxa básica de juros foi outro índice que também caiu, de mais de 14%, no começo de 2006, para 6,5% neste ano. E juros baixo significa crédito mais barato e mais compras. Para o empresário Ricardo Monteiro, que produz doces em Brasília, o cenário vem ajudando na expansão dos negócios.

 

Empresário - Ricardo Monteiro: Hoje, a gente está produzindo já para 19 estados do Brasil e a gente está com o intuito de entrar nos 27 estados brasileiros ainda este ano, para o ano que vem a gente focar em exportação.

 

Repórter João Pedro Neto: Com a recuperação da economia, o emprego também tem voltado. Nos três primeiros meses deste ano, foram criados mais de 200 mil postos de trabalho com carteira assinada. O empresário e cabeleireiro Willys Pinheiro não para de crescer.

 

Empresário - Willys Pinheiro: Nós começamos num salão pequeno, tinha cinco funcionários, e aí pegamos um espaço maior, já passamos a ter 14 funcionários. E agora estamos com esse espaço maravilhoso, lindo, já com 33 funcionários. E a nossa pretensão é aumentar mais ainda essa equipe, para oferecer melhores serviços e de qualidade, não é?

 

Repórter João Pedro Neto: Depois de dois anos com a economia encolhendo, o país fechou 2017 com um crescimento de 1,1%. E para esse ano, as expectativas são melhores, de até 3%. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Nasi: O presidente Michel Temer comentou a escalação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de Futebol na Rússia.

 

Gabriela: O técnico Tite divulgou hoje a lista dos 23 jogadores que vão defender o Brasil. Nomes como Neymar, Gabriel Jesus, Marcelo e Thiago Silva estão entre os convocados.

 

Nasi: Nas redes sociais, Michel Temer pede a Tite e a toda a equipe que, por favor, tragam o caneco para casa.

 

Gabriela: A Seleção estreia na Copa da Rússia no dia 17 de junho, contra a Suíça.

 

Nasi: A Imprensa Nacional comemora 210 anos.

 

Gabriela: E você sabe como ela está presente na sua vida?

 

Nasi: É a Imprensa Nacional a grande responsável por dar publicidade às ações realizadas pelos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

 

Gabriela: A repórter Cleide Lopes viaja no tempo e conta para a gente que esse trabalho começou lá no descobrimento do Brasil e continua até hoje.

 

Nasi: Uma forma de garantir transparência e assegurar direitos aos brasileiros.

 

Repórter Cleide Lopes: Em 1808, ano de desembarque da Família Real no Brasil, o príncipe regente de Portugal, Dom João VI, determinou a criação da Imprensa Régia, para registrar os atos oficiais do Governo. As primeiras máquinas tipográficas vieram da Europa na mesma frota da Família Real, como explica o diretor da Imprensa Nacional, Pedro Bertone.

 

Diretor da Imprensa Nacional - Pedro Bertone: Um dos primeiros atos de Dom João VI em solo brasileiro, e desde aquela época publica os atos oficiais, leis, decretos, portarias, que regulam a vida de Governo e Sociedade, desde então.

 

Repórter Cleide Lopes: Hoje, ela se chama Imprensa Nacional e tem como produto mais conhecido o Diário Oficial da União, que agora está disponível exclusivamente na internet, no portal da Imprensa Nacional. Pedro Bertone afirma que tudo que é publicado ali tem um impacto direto na vida do cidadão.

 

Diretor da Imprensa Nacional - Pedro Bertone: A publicação de um ato em suas páginas, ela ratifica aquele ato como um ato com fé pública, assinado por autoridade pública e com efeitos para toda a sociedade, certo? E ao mesmo tempo que ele é oficializado, este ato, lei, decreto, o que for, no Diário Oficial, a sociedade passa automaticamente a ter acesso ao seu conteúdo pleno e saber das implicações daquele ato na sua vida.

 

Repórter Cleide Lopes: A Imprensa Nacional está além do Diário Oficial. A editora foi responsável pelos primeiros livros e jornais do país, entre eles A Gazeta do Rio de Janeiro, o primeiro jornal publicado no Brasil pela então Imprensa Régia. E para comemorar os 210 anos dessa trajetória, a 7ª edição da Revista da Imprensa Nacional traz na matéria de capa uma reportagem sobre a Voz do Brasil, o programa mais antigo do Hemisfério Sul ainda no ar. Reportagem, Cleide Lopes.

 

Gabriela: As inscrições para o Exame Nacional de Ensino Médio 2018 terminam na próxima sexta-feira, dia 18.

 

Nasi: E as inscrições superam a marca dos 4 milhões de inscritos para o exame nesta primeira semana.

 

Gabriela: Na sexta-feira, também termina o prazo para alteração de dados cadastrais, solicitação de mudança no município de provas, de opção de língua estrangeira e solicitação de atendimento especial.

 

Nasi: As provas estão marcadas para os dias 4 e 11 de novembro.

 

Gabriela: O resultado do Enem pode abrir portas para vagas em universidades e institutos federais, além de dar acesso ao Prouni e ao Fies.

 

Nasi: O Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçadas de Morte será fortalecido.

 

Gabriela: Um decreto publicado no Diário Oficial da União formaliza a Defensoria Pública como um dos órgãos que podem solicitar inclusão de ameaçados no programa.

 

Nasi: Até então, isso só podia ser feito pelo Poder Judiciário.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".