17 DE MAIO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques de hoje na Voz do Brasil: Mais 50 mil novas casas vão ser contratadas no Minha Casa Minha Vida. Presidente Michel Temer amplia meta para construção de moradias neste ano: serão 700 mil; Bolsa família começa a ser pago e governo inicia projeto para ajudar quem recebe o benefício a administrar melhor o dinheiro; Mais de 250 pessoas foram presas em operação contra a pedofilia.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_17_05_18.mp3 — 23547 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 17 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Mais 50 mil novas casas vão ser contratadas no Minha Casa, Minha Vida.

 

Nasi: E Presidente Michel Temer amplia meta para construção de moradias neste ano, serão 700 mil.

 

Presidente Michel Temer: Quando nós produzimos quase 700 mil casas, nós estamos pensando não apenas na mobilização da economia, mas também na criação de empregos.

 

Gabriela: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Nasi: Bolsa Família começa a ter pago.

 

Gabriela: E governo inicia projeto para ajudar quem recebe o benefício a administrar melhor o dinheiro. Diego Queijo.

 

Repórter Diego Queijo: O papel do Governo Federal vai além do complemento na renda dessas famílias, um exemplo é o Programa Futuro na Mão dando um jeito na vida financeira.

 

Nasi: Mais de 250 pessoas foram presas em operação contra a pedofilia. Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: De acordo com o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, essa foi a maior operação do país contra a pedofilia na internet.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: Aumentou a meta de contratação de casas pelo Minha Casa, Minha Vida neste ano.

 

Nasi: O Presidente Michel Temer anunciou que vai incluir mais 50 mil casas para a construção. Isso significa que, só em 2018, o governo deve contratar 700 mil novas unidades habitacionais.

 

Gabriela: Em encontro com empresários da construção civil, o presidente também assinou a adoção de um sistema que pode ajudar o setor a ser mais eficiente e reduzir riscos.

 

Repórter Nei Pereira: A meta para a contratação e construção de casas pelo programa Minha Casa, Minha Vida neste ano foi ampliada. O Presidente Michel Temer anunciou a contratação de mais 50 mil unidades habitacionais. Agora o programa deve contratar a construção de 700 mil novas casas em 2018. Segundo o presidente, com essa medida, o seu governo consolida a retomada do Minha Casa, Minha Vida e incentiva a geração de mais empregos.

 

Presidente Michel Temer: A construção civil tem uma forte dimensão social, porque, repito, geradora de empregos. Há mais de 2 milhões de trabalhadores, como foi dito aqui, vinculados ao setor. E a criação de empregos, nós todos sabemos, é desde a primeira hora, nossa maior prioridade.

 

Repórter Nei Pereira: O Presidente Michel Temer participou, na noite deste quarta-feira, da abertura do Encontro Nacional da Indústria da Construção, em Florianópolis, Santa Catarina. Durante o evento o Presidente Michel Temer assinou um decreto que cria a estratégia nacional de disseminação do BIM, sigla em inglês que significa Modelagem da Informação da Construção. Por esse sistema é possível acompanhar a evolução de uma obra pela internet. O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, disse que essa plataforma vai diminuir o gasto e o tempo de entrega das obras.

 

Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - Marcos Jorge: O BIM adota métodos mais eficazes e reduz, assim, o custo das construções. Uso do BIM permite calcular melhor o que será gasto, reduzindo desperdícios, também permite maior controle sobre todas as etapas da execução, aumento de produtividade, diminuição de custos e de tempo para entrega do projeto.

 

Repórter Nei Pereira: O BIM já é utilizado em país desenvolvidos. No Brasil, a adoção em obras públicas vai ser de forma progressiva. O presidente da Comissão de Materiais e Tecnologia da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, Dionyzio Klavdianos, diz que, além da transparência, vai trazer benefício também para as empresas.

 

Presidente da Comissão de Materiais e Tecnologia da Câmara Brasileira da Indústria da Construção - Dionyzio Klavdianos: Ele, com menos esforço, com menos investimento, ele vai estar em condições de executar uma obra muito mais precisa, ou seja, ele vai conseguir atingir aquele teto da construção em si gastando, por exemplo, exatamente aquilo que ele tinha previsto.

 

Repórter Nei Pereira: Durante o evento, em Florianópolis, o presidente Temer assinou uma autorização de crédito junto ao Banco de Desenvolvimento do Extremo Sul, pelo Programa Avançar Cidades, para investimentos em obras viárias de oito municípios de Santa Catarina, no valor de quase R$ 45 milhões. Temer também autorizou empenho de recursos para o governo catarinense concluir as obras do Centro de Convenções de Balneário Camboriú. De Florianópolis, em Santa Catarina, Nei Pereira.

 

Nasi: E dentro dessa meta o Ministério das Cidades anunciou o início da construção de mais 15 mil moradias do Minha Casa, Minha Vida para famílias de baixa renda.

 

Gabriela: O investimento será de R$ 1 bilhão.

 

Repórter Raquel Mariano: Quinze mil novas moradias já têm verba garantida para a construção. O Ministério das Cidades divulgou, nessa quarta-feira, a liberação de dinheiro para propostas que foram selecionadas pelo Programa Minha, Casa Minha Vida, como explica o ministro das Cidades, Alexandre Baldy.

 

Ministro das Cidades - Alexandre Baldy: Nós estamos liberando a contratação, quer dizer, o início da construção de 15 mil moradias para baixíssima renda, que é o Programa Minha Casa, Minha Vida Faixa Um. Isso representa R$ 1 bilhão em investimentos que visam tratar, principalmente, essas famílias.

 

Repórter Raquel Mariano: Foram selecionados condomínios de 57 cidades em 12 estados. Só em Maceió, Alagoas, serão entregues quase 2,5 mil unidades habitacionais. O prefeito Rui Palmeira afirma que essas construções avô garantir moraria digna para quem precisa.

 

Prefeito de Maceió - Rui Palmeira: Pelo menos 30 mil famílias ainda estão morando em área de risco, em favelas, em locais insalubres que a gente precisa realocar e levar para a moradia digna, que é isso que a gente está conseguindo com mais essas 2.460 novas casas, e nós vamos buscar junto à Caixa Econômica o mais rápido possível, já ter os contratos e iniciar as obras.

 

Repórter Raquel Mariano: Todas as residências que serão construídas fazem parte da faixa um do programa, que atende famílias com renda de R$ 1,8 mil por mês. Nessa faixa o governo pode assumir até 90% do valor do imóvel e o restante é pago pelo beneficiário, dividido em até 120 meses. O valor das parcelas não pode ultrapassar R$ 270. O prefeito da capital alagoana, Rui Palmeira, lembra que as pessoas de menor renda são as que mais precisam.

 

Prefeito de Maceió - Rui Palmeira: É realmente a população que mais precisa, e tenho certeza ficarão muito gratas no momento que tiverem a sua casa, que mais de uma casa, do que um teto, é, sem dúvida nenhuma, a dignidade para essas famílias.

 

Repórter Raquel Mariano: Desde que o programa foi criado, em 2009, até agora, já foram contratadas mais de 5 milhões de novas moradias, beneficiando mais de 20 milhões de pessoas. Reportagem, Raquel Mariano.

 

Nasi: E em Teresina, capital do Piauí, bairros que foram atingidos pelas enchentes nos últimos meses vão passar por obras de recuperação.

 

Gabriela: O Presidente Michel Temer anunciou a liberação de quase R$ 80 milhões para as obras na cidade.

 

Repórter Márcia Fernandes: A verba é destinada principalmente para obras de drenagem em bairros populares de Teresina. A capital sofreu com a chuva nos últimos meses. São R$ 78,5 milhões para obras de saneamento em Teresina, capital do Piauí. O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, ressaltou que essa verba vai ser possível recuperar as áreas atingidas, retomar o andamento das obras e gerar os empregos.

 

Ministro das Cidades - Alexandre Baldy: Recuperar a economia, gerar empregos com esses investimentos, porque são obras que vão ter trabalhadores e trabalhadoras, e, é claro, fazer com que os brasileiros tenham uma melhor renda.

 

Repórter Márcia Fernandes: O Presidente Michel Temer destacou que o uso dessa verba faz parte de um pacto federativo, um esforço do Governo Federal para fortalecer as parcerias com estados e municípios.

 

Presidente Michel Temer: Nós, desde o primeiro momento, nós pregamos muito a necessidade de um reforço da federação brasileira, quer dizer, não fazer apenas o que até pouco tempo se fazia, uma espécie de federação de fachada, né? Nós temos que prestigiar os estados e os municípios. E foi o que fizemos ao longo do tempo. A União só será forte se estados, e, particularmente, municípios forem fortes. Então, nossa temos que prestigiar os municípios.

 

Repórter Márcia Fernandes: Esta é a terceira liberação de recursos para o setor em todo o país nos últimos cinco meses. Reportagem, Márcia Fernandes.

 

"Momento Social".

 

Nasi: Hoje o nosso quadro vai falar do pagamento do Bolsa Família.

 

Gabriela: É, o benefício começou a ser pago hoje e vai chegar a mais de 13,9 milhões pessoas.

 

Nasi: Ah, e tem uma novidade neste mês para quem recebe o benefício.

 

Gabriela: O governo está promovendo cursos de educação financeira às famílias para que aprendam a administrar melhor o dinheiro.

 

Repórter Diego Queijo: Uma das beneficiárias é o Francisca Eulália de Oliveira, moradora de Açailândia, no Maranhão. Desempregada e mãe de dois filhos, ela solicitou o benefício em março e logo no mês seguinte passou a fazer parte do programa. O dinheiro, segundo ela, ajudou a alimentação das crianças.

 

Beneficiária - Francisca Eulália de Oliveira: Foi muito rápido, as pessoas vieram aqui, assistente social e viram a minha história, e com um mês eu recebi. É uma ajuda. Sempre falta e a gente não tem.

 

Repórter Diego Queijo: Em maio, mais uma vez a fila foi zerada e mais de 254 mil novas famílias foram incluídas no programa. Isso significa que todas as pessoas inscritas no Cadastro Único com perfil para participar do Bolsa Família, com dados atualizados há menos de 24 meses e sem divergências entre as informações cadastrais estão sendo selecionadas ingressando automaticamente. Para o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, o papel do Governo Federal vai além do complemento na renda dessas famílias, um exemplo é o Programa Futuro na Mão dando um jeito na vida financeira, e que oferece ferramentas e educação financeira aos beneficiários do Bolsa Família.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: O Ministério do Desenvolvimento Social iniciou o pagamento de benefício relativo ao mês de maio. Há uma novidade neste momento, nós, do Ministério, estamos lançando um programa chamado Futuro na Mão, que é um programa de educação financeira. Com isso esperamos auxiliar as famílias a melhorarem de vida e conquistarem seus sonhos através de uma boa gestão de seus recursos.

 

Repórter Diego Queijo: O apagamento do benefício do Bolsa Família segue um calendário. Para saber o dia em que poderá sacar o beneficiário deve conferir o número de identificação social, o NIS, impresso no cartão do programa. Os que terminam com final um, podem sacar no primeiro dia do pagamento, os com final dois, no segundo dia, e assim por diante. Reportagem, Diego Queijo.

 

Nasi: E você já ouviu hoje, aqui na Voz do Brasil, sobre o Minha Casa, Minha Vida e também o Bolsa Família.

 

Gabriela: É, em dois anos o governo do Presidente Michel Temer esses programas foram ampliados e estão chegando a quem mais precisa.

 

Nasi: Um exemplo disso é que não existe mais fila para entrar no Bolsa Família e o benefício já foi reajustado duas vezes.

 

Gabriela: Já o sonho da casa própria virou realidade para mais brasileiros.

 

Nasi: Hoje, na quarta reportagem sobre os avanços no governo Temer, vamos conferir o crescimento brasileiro na área social e investimento nas cidades.

 

Repórter Pablo Mundim: Obras antes paralisadas foram retomadas em todas as áreas, como transporte, saneamento básico, aeroportos e habitação. Só no programa Minha Casa, Minha Vida, por exemplo, foram concluídas mais de 62 mil casas e 250 mil brasileiros foram beneficiados, como a dona Maria Luiza, de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Aos 80 anos conquistou, enfim a são sonhada casa própria.

 

Beneficiada - Maria Luiza: Eu sou muito feliz porque sempre, toda minha vida, eu sonhei em um pedacinho de terra para mim, um cantinho para mim morar. E agora Deus me deu. Eu tenho certeza que foi ele que me deu.

 

Repórter Pablo Mundim: Investimentos em infraestrutura e em programas sociais. No Bolsa Família o governo fez mudanças importantes. A primeira delas foi zerar a fila e atender às quase 2 milhões de famílias que aguardavam atendimento, e a partir de julho as famílias terão o benefício reajustado. Quem tanto esperou e está feliz com o benefício é dona Francisca de Oliveira, do pequeno município de Açailândia, no Maranhão. Desempregada, com o marido doente e dois filhos, depende do dinheiro para a sustento da família.

 

Beneficiária - Francisca de Oliveira: Agradeço muito a Deus, né? Porque se essa Bolsa Família, essa ajuda que tem... tem pessoas que não têm necessidade, tem vários empregos, mas tem outros que não tem renda nenhuma, não sabe de onde é que sai sair. Você tendo o certo, você já sabe para o que é aquilo no final do mês.

 

Repórter Pablo Mundim: E desde o ano passado o objetivo não é apenas oferecer o dinheiro, mas ajudar a conseguir um trabalho e ter mais autonomia, é o Programa Progredir, como explica o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Porque ele permite a geração de emprego e a geração de renda para as pessoas, especialmente aquelas do Cadastro Único e do Bolsa Família.

 

Repórter Pablo Mundim: O Progredir é um plano de ações para gerar emprego e renda, ensina como elaborar um currículo, oferece cursos profissionalizantes e até mesmo incentivos para a pessoa começar seu próprio negócio. Em dois anos, todas essas políticas somadas têm levado o Brasil de volta ao crescimento. Reportagem, Pablo Mundim.

 

Gabriela: A maior operação de combate à pedofilia da história.

 

Nasi: Daqui a pouco vamos dar os detalhes da prisão de mais de 250 pessoas em todo o país.

 

Gabriela: Elas guardavam ou distribuíam conteúdos de exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Nasi: Há 73 anos terminava a Segunda Guerra Mundial e também a participação brasileira no combate.

 

Gabriela: As Forças Armadas atuaram, ao lado de aliados, com a Força Expedicionária Brasileira, já no ano final da guerra.

 

Nasi: E para lembrar dessa história, foi aberta, hoje, uma exposição do Palácio do Planalto, em Brasília.

 

Gabriela: A inauguração contou com a presença do Presidente Michel Temer e também de um veterano da guerra.

 

Repórter João Pedro Neto: Uma volta no tempo até um dos momentos mais marcantes da história das Forças Armadas Brasileiras, a participação na Segunda Guerra Mundial. A exposição Entre a Saudade e a Guerra, sobre a Força Expedicionária Brasileira, homenageia os cerca de 25 mil homens e mulheres do Brasil que participaram da guerra entre 1944 e 1945. Montada no Palácio do Planalto, em Brasília, a mostra reúne documentos, fotos, objetos e cartas que remontam a história da Força Expedicionária no conflito e a campanha vitoriosa do Brasil na Itália. E foi inaugurada nessa quinta-feira pelo Presidente Michel Temer.

 

Presidente Michel Temer: Não há homenagem alguma que possa, ou seja bastante, para exaltar aqueles que sob o comando do general Mascarenhas de Morais, enfrentaram a morte, convenhamos, em nome da liberdade.

 

Repórter João Pedro Neto: O ministro interino da Defesa, general Silvio e Luna, lembrou o papel do Brasil na guerra.

 

Ministro interino da Defesa - Silvio e Luna: Esses bravos soldados contribuíram de maneira decisiva com esforço de guerra dos aliados, com as expressivas vitórias de Montese, Monte Castelo, Castelo Novo, entre outras, rompendo a Linha Gótica do Norte da Itália, abrindo, assim, o prosseguimento para a vitória final.

 

Repórter João Pedro Neto: Além de medalhas, capacetes, distintivos e bandeiras, estão expostas várias cartas enviadas e recebidas pelos pracinhas durante a guerra. Aos 101 anos, o coronel Nestor da Silva, veterano da Força Expedicionária, participou da abertura da exposição. Ele diz que reviver as memórias desse período histórico é emocionante.

 

Veterano da Força Expedicionária - Nestor da Silva: Eu senti prazer imenso de assistir uma homenagem tão bonita no Palácio do Planalto, com a presença do Sr. Presidente da República, para homenagear aqueles que, como eu, participamos da Força Expedicionária Brasileira e lutamos nos campos de batalha da Itália.

 

Repórter João Pedro Neto: A mostra é organizada pela Presidência da República e a visitação pode ser feita até o dia 5 de julho, inclusive, nos finais de semana, gratuitamente no Palácio do Planalto. Para visitar é preciso fazer um agendamento online, pelo Portal da Presidência na internet. O endereço é: www.planalto.gov.br. Reportagem, João Pedro Neto.

 

Nasi: A Coréia do Sul vai começar a comprar carne suína brasileira.

 

Gabriela: Por enquanto, quatro frigoríficos credenciados de Santa Catarina vão exportar para o país.

 

Nasi: Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, está em missão oficial na China.

 

Gabriela: Ele comemorou a decisão e disse que a expectativa é de que, em breve, outros estabelecimentos possam ser habilitados e entrem no mercado sul-coreano.

 

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Blairo Maggi: A gente tem a convicção que está ligado ao anúncio que foi que feito e que vai se concretizado essa semana, de o país ser declarado livre de febre aftosa. E isso faz com que os mercados nos olhem diferente. Então, é importante dizer que Santa Catarina é o estado que hoje é um estado livre de febre aftosa já há muito tempo, e ele tem essa primazia de chegar primeiro nesses mercados. Mas nós, do Ministério da Agricultura, estamos trabalhando muito fortemente, assim que recebermos no dia 24 o, vamos chamar assim, o certificado definitivo, nós vamos começar a entrar em outros mercados que hoje nós não podemos.

 

Nasi: As negociações com a Coreia do Sul para a exportação da carne suína foram iniciadas há quase dois anos. Missões técnicas coreanas foram enviadas ao Brasil para a habilitação dos frigoríficos.

 

Gabriela: A expectativa do setor é de produtores brasileiros exportem para o país mais de 30 mil toneladas de carne suína por ano.

 

Nasi: Definidas as regras para a pesca da Tainha.

 

Gabriela: A portaria da Secretaria Especial da Aquicultura e Pesca estabeleceu cotas para a pesca, que é realizada especialmente no sul do país.

 

Nasi: As regras vão incentivar a produção responsável com geração de renda para região e ainda a preservação da espécie.

 

Repórter Rosa Amélia de Abreu: Pela primeira vez na história do setor pesqueiro brasileiro, a Secretaria Especial da Aquicultura e da Pesca estabeleceu cotas para a pesca da tainha e limitou o número de embarcações que podem atuar da captura desse tipo de pescado. De acordo com a portaria, ficou estabelecida a cota de 3.417 toneladas na temporada da pesca deste ano. Para o secretário especial da Aquicultura e da Pesca da Presidência da República, Dayvson Franklin de Souza, a medida vai garantir a preservação da espécie e da atividade em Santa Catarina, estado que tradicionalmente desenvolve a pesca da tainha e é o principal ponto de processamento desse pescado no país.

 

Secretário especial da Aquicultura e Pesca da Presidência da República - Dayvson Franklin de Souza: Conquistamos algo extremamente importante e histórico para o nosso setor, adequando a uma curva, tanto do ponto de vista econômico, que seja atrativo para o setor realizar a atividade pesqueira, que é uma atividade econômica, geradora de emprego, de renda, desenvolvimento, etc., mas também a curva leva em consideração o limite, ou seja, o respeito, a garantia, a permanência e existência da espécie.

 

Repórter Rosa Amélia de Abreu: O presidente da Federação dos Pescadores de Santa Catarina, Adriano Delfino Joaquim, informou a produção anual de tainha no estado passa de 3 mil toneladas. Para ele, a regulamentação da pesca da tainha vai atender o maior número de pescadores.

 

Presidente da Federação dos Pescadores de Santa Catarina - Adriano Delfino Joaquim: Muitos pescadores que vivem da pesca não tiveram a oportunidade de pescar, eles tiveram um prejuízo muito grande no ano passado com aquela portaria. E esse ano, então, melhorou, aumentou a quantia de pescadores que pode fazer esse tipo de pesca, né?

 

Repórter Rosa Amélia de Abreu: Os pescadores têm um prazo máximo de três dias, contados a partir de 16 de maio, para solicitar a autorização da pesca da tainha junto à Secretaria Especial da Aquicultura e da Pesca. Reportagem, Rosa Amélia de Abreu.

 

Gabriela: O controle do limite de captura vai ser feito com o monitoramento das tainhas que chegam às indústrias que processam o pescado e possuem o selo do Serviço de Inspeção Federal, o SIF.

 

Nasi: A fiscalização também será feita por mapas de bordo e de produção preenchidas pelos próprios pescadores.

 

Gabriela: Hoje foi realizada a maior operação de combate à pedofilia no país.

 

Nasi: A segunda fase da Operação Luz na Infância prendeu, até o final do dia, 251 pessoas em 24 estados e no Distrito Federal.

 

Gabriela: Os suspeitos foram abordados de surpresa e todos mantinham material com conteúdo de exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Nasi: Todos foram presos em flagrante na ação conjunta do Ministério Extraordinário da Segurança Pública e das Polícias Civis.

 

Repórter Luana Karen: A segunda fase da Operação Luz na Infância mobilizou mais 2,6 mil policiais civis, em quase 300 cidades de 24 estados e no Distrito Federal. Os alvos eram pessoas que possuíam arquivos digitais com conteúdo de exploração sexual contra crianças e adolescentes. Durante dois meses a Secretaria Nacional de Segurança Pública fez o levantamento de alvos na internet, foram analisados cerca de 1 milhão de arquivos. Carlos Coelho, diretor de inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública, conta que, com a identificação das pessoas que armazenavam ou compartilhavam esses conteúdos, os dados foram enviados para as Polícias Civis dos estados.

 

Diretor de inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública - Carlos Coelho: Os técnicos trabalham desenvolvendo metodologias específicas para detectar determinados ilícitos dentro do ambiente cibernético. Nós identificamos informações disponíveis, trabalhamos o processo de análise de inteligência, e esse processo de análise de inteligência resulta em um relatório. Então, esse relatório técnico aponta os melhores caminhos para que uma investigação possa ser desenvolvida no mais curto espaço de tempo.

 

Repórter Luana Karen: As penas para quem comete esse tipo de crime podem chegar até oito anos de reclusão. Segundo o coordenador do Laboratório de Inteligência Cibernética da Secretaria Nacional de Segurança Pública, Alessandro Barreto, os perfis dos presos eram os mais variados.

 

Coordenador do Laboratório de Inteligência Cibernética da Secretaria Nacional de Segurança Pública - Alessandro Barreto: Foram presos estudantes, aposentados, autônomos, advogados, educadores e profissionais da área de saúde, pessoas acima de qualquer suspeita. Quando a polícia chegou para cumprir o mandato de busca e apreensão encontrou a materialidade do crime. Todos os alvos tinham um volume considerável de arquivos nos seus dispositivos informáticos, seja notebook, seja celular, seja jogos de videogame. Coisas terríveis, crianças abusadas de dois anos, três anos, cinco anos. Imagens terríveis.

 

Repórter Luana Karen: De acordo com o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, as operações serão cada vez mais frequentes.

 

Ministro extraordinário da Segurança Pública - Raul Jungmann: Esse é, seguramente, um dos mais intoleráveis crimes que se fazem contra as nossas crianças e os adolescentes. Por isso, dentro da lei, seremos implacáveis em reprimi-lo, e nós não vamos parar aqui. Essa repressão vai continuar.

 

Repórter Luana Karen: Na primeira edição da Operação Luz na Infância, realizada em outubro do ano passado, foram cumpridos 157 mandatos de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais, 112 pessoas foram presas. Reportagem, Luana Karen.

 

Gabriela: E atenção estudantes, as inscrições para o Exame Nacional de Ensino Médio 2018 terminam amanhã.

 

Nasi: Até agora as inscrições superam a marca de 5,5 milhões inscritos para o exame.

 

Gabriela: A inscrições devem ser feitas no site enem.inep.gov.br.

 

Nasi: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Gabriela: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Nasi: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Gabriela: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".