24 DE MAIO DE 2018 - PODER EXECUTIVO

Destaques da Voz do Brasil: Presidente Michel Temer entregou hoje os primeiros 300 carros a Conselhos Tutelares e anunciou que até o fim do ano vai entregar 1,2 mil; Governo continua negociações para por fim a greve dos caminhoneiros; Brasil pode ampliar exportações da carne brasileira com novo título internacional; Vamos explicar as regras para o trabalho intermitente: Ministério do trabalho publicou hoje portaria com a regulamentação.

audio/mpeg Voz_do_Brasil_24_05_18.mp3 — 23547 KB




Transcrição


Apresentador Nasi Brum: Em Brasília, 19h.

 

"Está no ar a Voz do Brasil. As notícias do Governo Federal que movimentaram o país no dia de hoje".

 

Apresentadora Gabriela Mendes: Olá. Boa noite.

 

Nasi: Boa noite para você que nos acompanha em todo o país.

 

Gabriela: Quinta-feira, 24 de maio de 2018.

 

Nasi: E vamos ao destaque do dia.

 

Gabriela: Equipar Conselhos Tutelares para garantir direitos das crianças e adolescentes e de suas famílias.

 

Nasi: Presidente Michel Temer entregou hoje os primeiros 300 carros.

 

Gabriela: E anunciou que até o fim do ano serão 1,2 mil.

 

Presidente Michel Temer: No total serão 1,2 mil, se Deus quiser, até o fim no ano, portanto, cobrindo muitos municípios brasileiros, porque, muitas vezes, sobre eles recai a proteção a tantos jovens vítimas até de violência doméstica e de abusos.

 

Nasi: E você também vai ouvir na Voz do Brasil de hoje.

 

Gabriela: Governo continua negociações para pôr fim à greve dos caminhoneiros.

 

Nasi: Brasil pode ampliar exportações de carne brasileira com novo título internacional. Nei Pereira.

 

Repórter Nei Pereira: O cuidado com o rebanho garantiu ao Brasil a certificação internacional de zona livre de febre aftosa com vacinação.

 

Gabriela: E vamos explicar as regras para o trabalho intermitente.

 

Nasi: Ministério do Trabalho publicou, hoje, a Portaria com a regulamentação.

 

Gabriela: Hoje, na apresentação da Voz do Brasil, Gabriela Mendes e Nasi Brum.

 

Nasi: E para assistir a gente, ao vivo, na internet, basta acessar www.voz.gov.br.

 

Gabriela: O governo continua discutindo com representantes dos caminhoneiros uma solução para a greve de categoria.

 

Nasi: A repórter Gabriela Noronha está no Palácio do Planalto e tem, ao vivo, as informações. Uma boa noite, Gabriela.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Uma boa noite aos ouvintes da Voz do Brasil. Olha, em mais uma reunião o governo tenta hoje um acordo com os caminhoneiros que paralisaram as atividades na segunda-feira em protesto contra o preço do diesel. Desde o domingo, o governo busca alternativas para reduzir o preço do combustível. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que espera uma trégua dos caminhoneiros a partir desta quinta-feira, uma vez que o governo avançou em alguns temas. Ontem à noite, por exemplo, a Câmara aprovou o projeto da reoneração da folha de pagamento das empresas de 28 setores da economia. A decisão atende ao pedido do governo para reequilibrar as contas públicas, com eliminação do tributo Cide sobre o diesel. Se esse projeto foi aprovado também no Senado, a Legislativo fará, na prática, com que haja aumento nas receitas da União e em troca poderá cortar o tributo incidente sobre o diesel. Na proposta aprovada pelos deputados foi incluída também a eliminação da cobrança de PIS/Cofins sobre o diesel até o fim do ano, mas isso, segundo o ministro, ainda vai ser analisado pelo governo. Carlos Marun também citou a decisão da Petrobras de reduzir o preço do diesel.

 

Ministro da Secretaria de Governo - Carlos Marun: Houve, por decisão da Petrobras, uma redução nos preços e uma garantia de manutenção por 15 dias, ou seja, se avançou em duas questões, preço e a previsibilidade, que é muito cobrada nas reivindicações que nos fazem.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): Essa decisão da Petrobras foi anunciada ontem à noite, pelo presidente da estatal, Pedro Parente. Vamos saber mais na reportagem de Luana Karen.

 

Repórter Luana Karen: Menos 23 centavos por litro no preço do diesel na refinaria, esse é o impacto da redução de 10% no valor do combustível, anunciada pela Petrobras. Com isso, o preço médio de venda do diesel da Petrobras refinarias e terminais será de R$ 2,10. Os valores vão ficar congelados por 15 dias. De acordo com o presidente da empresa, Pedro Parente, essa é uma medida de caráter excepcional, para facilitar as negociações entre governo e representantes dos caminhoneiros.

 

Presidente da empresa - Pedro Parente: Essa decisão se aplica somente ao diesel e tem o objetivo de permitir que o governo e os representantes dos movimentos tenham tempo para negociar um acordo definitivo, portanto, contribuindo para evitar impactos negativos tanto para a população, quanto para as operações da nossa própria empresa.

 

Repórter Luana Karen: Também de acordo com Pedro Parente, a redução e o congelamento dos preços não significam uma mudança na política de preços da Petrobras. O presidente da estatal afirmou que a companhia estima que vai perder cerca de R$ 350 milhões com a redução do preço do diesel nesses 15 dias e que pode perder mais a cada dia por conta do impacto que a paralisação dos caminhoneiros provoca nas operações da empresa.

 

Presidente da empresa - Pedro Parente: A redução da receita da empresa pela redução dos 10%, pelos 15 dias é da ordem de R$ 350 milhões. Nós não estamos com as refinarias paradas, mas a sua operação pode ser prejudicada. No limite, parando todas as refinarias, poderíamos ter uma perda de faturamento de R$ 90 milhões por dia. Então, o que nós estamos dizendo é que as operações da empresa também são prejudicadas por essas paradas. Então, também faz sentido para nós buscar a adoção dessa medida, tendo em vista, inclusive, a necessidade da normalização do funcionamento de todas as empresas do Brasil, incluindo a Petrobras.

 

Repórter Luana Karen: O preço final do combustível que chega à bomba é composto pelo custo de produção do produto pela Petrobras, mais carga tributária, custos de distribuição e de revenda. Segundo a Petrobras, apenas um terço do preço final cobrado do consumidor é para cobrir os custos da estatal. Reportagem, Luana Karen.

 

Repórter Gabriela Noronha (ao vivo): E a Agência Nacional do Petróleo anunciou, hoje, medidas para garantir o abastecimento de combustíveis nos postos e inibir preços abusivos. Entre as ações está a liberação de vínculo de bandeiras para venda de distribuidoras de combustíveis líquidos, de aviação e gás de cozinha. Hoje, mais da metade das vendas de combustíveis ocorrem por meio de postos vinculados a uma marca de distribuidora, o que impede que outras marcas abastecem os estabelecimentos. A ANP também suspendeu a necessidade de estoques operacionais de combustíveis e flexibilizou a obrigatoriedade de mistura de biodiesel no diesel e do etanol da gasolina. E diante de adoção de preços abusivos no mercado, a ANP intensificou a fiscalização e criou um canal de denúncias para o consumidor, anote aí o número: 0800-970-0267. Repetindo: 0800-970-0267. A ligação é de graça. Já a Agência Nacional de Aviação Civil, Anac, está acompanhando em tempo real o abastecimento dos aeroportos e os possíveis impactos às operações. Segundo a agência, mesmo com a escassez de combustível, todo os voos que estão em operação seguem abastecidos dentro do estabelecido pela lei. A agência recomenda aos passageiros que têm viagem marcada para os próximos dias que consultem as empresas aéreas antes de se deslocarem para os aeroportos até que a situação se normalize. Bem, Nasi e Gabriela, eu volto ainda nesta edição da Voz do Brasil se houver mais informações.

 

Gabriela: Obrigada, Gabriela, pelas informações ao vivo.

 

Nasi: Os Conselhos Tutelares do Brasil estão recebendo apoio do Governo Federal para melhorar o atendimento a quem precisa.

 

Gabriela: Estão sendo entregues carros e também kits com computadores e novos equipamentos.

 

Nasi: Hoje, o Presidente Michel Temer foi até Porto Real, no sul do Rio de Janeiro, para entregar os primeiros 300 veículos para os conselhos da região.

 

Gabriela: E ainda tem mais automóveis para entregar pelo país, vão ser 1,2 mil até o fim do ano.

 

Repórter Pablo Mundim: Mãe solteira e com dificuldades para criar os quatro filhos, a diarista Rosilene da Silva, moradora de Resende, no interior do Rio de Janeiro, encontrou no Conselho Tutelar o amparo que precisava. E foi pelos cuidados do Conselho que ela conseguiu assistência médica e social, além de escola para os filhos.

 

Diarista - Rosilene da Silva: No momento que eu mais estava desesperada, no momento que eu cheguei a falar que eu ia me matar, quem me deu suporte foi ele. Chegou aqui, me viu naquela situação, aí conversou comigo, falou que essa fase é difícil, mas que as coisas boas acontecem. Tenho até hoje as coisas dele gravada. Que as coisas boas acontecem, essa fase é difícil, que eles estavam ali para me apoiar.

 

Repórter Pablo Mundim: Cuidados que o conselheiro da cidade de Resende, Thiago Odinei de Carvalho, conhece muito bem. Ele e seus colegas atendem, em média, 300 crianças e adolescente na região. E para melhorar o serviço, o Conselho do município vai receber um veículo do Governo Federal. Para a Thiago, uma ferramenta essencial para a comunidade.

 

Conselheiro Tutelar - Thiago Odinei de Carvalho: O veículo, ele é importantíssimo para a gente, porque ele facilita o acesso na hora de um atendimento. Resende tem uma área geográfica extensa, tem zonas rurais. Então, isso qualifica o nosso atendimento para a gente chegar até mais rápido aos locais e pode identificar essas violências sofridas por crianças e adolescentes.

 

Repórter Pablo Mundim: Assim como Resende, Conselhos Tutelares de todos o Brasil vão receber veículos do governo, uma parceria com uma montadora francesa, instalada na cidade de Porto Real, no sul do Rio de Janeiro, vai fabricar quase 370 automóveis para serem entregues. Nesta quinta-feira, o presidente Michel Temer foi à fábrica conhecer o processo de montagem dos automóveis e entregar o veículo para a cidade de Resende. Michel Temer destacou a importância de equipar os Conselhos Tutelares e cuidar das crianças e adolescentes.

 

Presidente Michel Temer: Daqui são 369, mas no total serão 1,2 mil, se Deus quiser, até o fim do ano, portanto, cobrindo muitos municípios brasileiros. Porque eles lidam, os Conselhos Tutelares, com realidades familiares difíceis, e até frequentemente dramáticas, né? Porque, muitas vezes, sobre eles recai a tarefa de aconselhar famílias, professores, escolas, e são também os Conselhos Tutelares que oferecem proteção a tantos jovens vítimas até de violência doméstica e de abusos.

 

Repórter Pablo Mundim: Além do veículo, cada Conselho Tutelar vai receber cinco computadores, uma impressora, um refrigerador e um bebedouro. Mais de 3 mil Conselhos já foram equipados. A meta do governo é atender os quase 6 mil Conselhos de todo o Brasil até 2019. De Porto Real, no Rio de Janeiro, Pablo Mundim.

 

Nasi: Trabalho em dias e horas alternados.

 

Gabriela: Daqui a pouco vamos detalhar as regras para o trabalho intermitente.

 

Nasi: A portaria com a regulamentação foi publicada, hoje, pelo Ministério do Trabalho.

 

Gabriela: Brasil livre da febre aftosa com vacinação.

 

Nasi: Esse foi o certificado que o país recebeu, hoje, na Organização Mundial de Saúde Animal em Paris, na França.

 

Gabriela: A aftosa é uma doença infecciosa que causa febre e o aparecimento de aftas e ocorre em bovinos, ovinos, suínos e caprinos.

 

Nasi: Quando afeta o rebanho, tem grande impacto comercial, já que muitos países impõem barreiras ao comércio de produtos de origem animal de locais que tenham registrado a doença.

 

Gabriela: Por isso o título recebido hoje é tão importante, pode ampliar a venda da carne brasileira para o superior.

 

Repórter Nei Pereira: Os trabalhos começam cedo na propriedade de José Cardoso, em Sobradinho, Distrito Federal. É época de triturar o milho para a produção da silagem, que vai alimentar o gado de leite. E se tem uma coisa que o seu Cardoso não abre mão é de vacinar o rebanho contra a febre aftosa.

 

Entrevistado - José Cardoso: É muito importante até para o país e no geral. Hoje nós estamos com um rebanho saudável e estamos praticamente isentos de tudo isso, de problemas.

 

Repórter Nei Pereira: O cuidado com o rebanho, como faz o seu Cardoso, garantiu ao Brasil a certificação internacional de zona livre de febre aftosa com vacinação. O documento, concedido pela Organização Mundial de Saúde Animal, foi entregue ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, nesta quinta-feira, em Paris, na França. Para o ministro, resultado de um esforço de décadas.

 

Ministro da Agricultura - Blairo Maggi: O Brasil vem numa luta e num programa de mais de 60 anos tentando erradicar essa doença do nosso território. A partir desse reconhecimento o Brasil tem um novo status no mercado mundial e poderá acessar alguns mercados que hoje ainda estão fechados.

 

Repórter Nei Pereira: A meta agora é a certificação internacional de zona livre de febre aftosa sem vacinação. Para isso o país vai suspender a imunização de forma gradual. A partir do ano vem, os estados do Acre e Rondônia, e alguns municípios do Amazonas e Mato Grosso começam a interromper a vacina, e até 2021 a medida será estendida para todo o Brasil. Hoje, apenas o estado de Santa Catarina é considerado área livre de febre aftosa sem vacinação. O gerente de saúde animal na Secretaria de Agricultura do Distrito Federal, Pablo Marsiaj, lembra que, para atingir o próximo passo, é preciso que o criador continue a cumprir com sua obrigação de vacinar o gado.

 

Gerente de saúde animal na Secretaria de Agricultura - Pablo Marsiaj: O produtor também não pode se esquecer da importância e gradualmente a gente vai ter que aumentar a vigilância, vai ter que ter esse contato com o produtor. Mas, por enquanto, ainda não mudou nada a não ser esse reconhecimento, que é uma grande conquista.

 

Repórter Nei Pereira: A vacinação contra a febre aftosa é feita nos meses de maio e novembro. A campanha deste semestre termina no dia 31 de maio. Reportagem, Nei Pereira.

 

Nasi: Acompanhar os mais 3 milhões de brasileiros espalhados em mais de 30 países.

 

Gabriela: Para isso o Governo Federal e representantes de brasileiros que moram no exterior se reúnem em Salvador, até amanhã, para a sexta edição da Conferência Brasileiros no Mundo.

 

Repórter Helen Bernardes: Não é só o apoio consular, mas sim uma forma de atender às várias necessidades de brasileiros que decidiram sair do país e morar no exterior. Segundo a diretora do Departamento de Comunidades Brasileiras no Exterior do Itamaraty, embaixadora Luiza Lopes, o governo mantém um canal permanente de diálogo para oferecer a essas pessoas apoio nas mais diversas áreas.

 

Diretora do Departamento de Comunidades Brasileiras no Exterior do Itamaraty - Luiza Lopes: Nós, o Governo Brasileiro, nos unimos para levar para o exterior uma série de programas de trabalho que supram demandas, não demandas reativas apenas de assistência consular, mas de empoderamento dessas comunidades para que elas consigam uma inserção cada vez melhor nos países onde elas escolheram se fixar.

 

Repórter Helen Bernardes: O trabalho com brasileiros que moram em outros países completa dez anos e comemora avanços. Um deles é a realização da prova para certificação do ensino fundamental e médio de brasileiros que vivem no exterior, o Encceja. Richard Kosh, representante do Conselho do Consulado de Genebra, na Suíça, conta que o país foi pioneiro na realização da prova, que proporciona àqueles que saíram do país a oportunidade de cidadania.

 

Representante do Conselho do Consulado de Genebra na Suíça - Richard Kosh: Nós tivemos vários casos de pessoas que voltaram a ter cidadania, voltaram a ter valorização trabalhista, saíram de ter que fazer limpeza para voltar a trabalhar, se autopromover e crescer.

 

Repórter Helen Bernardes: Já a advogada, Tatiana Viana, mora em Roma, na Itália, há mais de 13 anos. Ela, que é representante do Conselho de Cidadãos Brasileiros na cidade, comemora a mais nova conquista, a possibilidade de uma seção eleitoral fora da capital, para que mais brasileiros possam votar nas próximas eleições.

 

Advogada - Tatiana Viana: Nós teremos uma sessão eleitoral em Florença. Isso para nós é importantíssimo, considerando a extensão da residência dos brasileiros na Itália. Então, os brasileiros já estão comemorando essa iniciativa do Itamaraty, que nós estamos no exterior, mas nós estamos atentos, interessados ao que acontece no nosso país e queremos exercer a nossa cidadania de forma plena e ativa.

 

Repórter Helen Bernardes: Participam na conferência representantes das comunidades brasileiras organizadas em mais de 30 países. Reportagem, Helen Bernardes.

 

Nasi: O Ministério do Trabalho publicou,, hoje uma portaria que estabelece regras para a trabalho intermitente, que é aquele que ocorre em dias ou horas alternadas e é remunerado por período trabalhado.

 

Gabriela: Essa modalidade foi regulamentada pela reforma trabalhista, sancionada em julho do ano passado.

 

Nasi: E quem traz os detalhes da Portaria publicada hoje é a jornalista Raquel Mariano, que conversa, ao vivo, aqui com a gente no estúdio. Boa noite, Raquel.

 

Repórter Raquel Mariano (ao vivo): Boa noite, Nasi. Boa noite, Gabriela. Boa noite, ouvintes da Voz do Brasil. De acordo com as regras, a pessoa que optar por esse modo de emprego deve ter o contrato assinado e terá o registro na Carteira de Trabalho. O valor da hora ou do dia trabalhado não pode ser menor que o valor diário do salário mínimo, nem mais baixo que outros empregados, que exercem a mesma função. As regras também garantem as férias para esse tipo de trabalho depois de um ano de contrato, como empregado contratado em regime normal, 14 dias corridos de férias e mais dois períodos que não podem menor que cinco dias. O ministro do Trabalho, Helton Yomura, disse, em uma entrevista exclusiva para a Voz do Brasil, que a medida foi necessária para garantir a segurança jurídica para a modernização trabalhista.

 

Ministro do Trabalho - Helton Yomura: Com a edição dessa Portaria pelo Ministério do Trabalho e com a aprovação ministerial do parecer jurídico da Advocacia-Geral da União, nós, do Ministério do Trabalho, proporcionamos segurança jurídica necessária para a fiel execução da legitima manifestação legislativa do Congresso Nacional, que produziu a modernização trabalhista. Lembre-se: a modernização trabalhista é um instrumento essencial para que o Brasil derrote aquele que é hoje o seu maior inimigo, o desemprego.

 

Repórter Raquel Mariano (ao vivo): O governo chegou a publicar uma Medida Provisória que esclarecia os pontos de modernização trabalhista, mas a medida venceu antes de o Congresso Nacional concluir a votação, por isso foi necessário publicar a Portaria de hoje com as regras. Gabriela.

 

Gabriela: Obriga, Raquel, pelas informações, ao vivo, aqui na Voz do Brasil.

 

Nasi: Faltam 20 dias para a Copa do Mundo de Futebol na Rússia.

 

Gabriela: E, apesar de não ser feriado, muitas empresas costumam liberar os funcionários nos horários dos jogos.

 

Nasi: Se o Brasil for até a final, pelo menos quatro jogos devem ocorrer em dias úteis.

 

Gabriela: E para que muito trabalhadores possam assistir com tranquilidade à nossa Seleção, é possível um acordo entre patrões e empregados. A repórter Cleide Lopes explica.

 

"Gol! A taça do mundo é nossa. Com brasileiro, não há quem possa".

 

Repórter Cleide Lopes: Já começou a contagem regressiva para a Copa do Mundo na Rússia. O pontapé inicial será dia 14. Apesar de não ser feriado, muita gente torce por uma folguinha para ver os jogos. Várias empresas costumam liberar os funcionários nos horários das partidas. É o caso de uma loja de artigos para festa no Distrito Federal, que vai dispensar todos os 29 empregados em dias de jogos da Seleção. Como explica a gerente Bernadete Morato.

 

Gerente - Bernadete Morato: Todo ano a gente libera os funcionários na hora do jogo. A gente libera para assistir, depois voltam para loja. E se o jogo for mais tarde eles vão embora e não voltam mais, não retornam para a empresa no dia dos jogos.

 

Repórter Cleide Lopes: Se a Brasil for até à final?

 

"Voa, canarinho, voa".

 

Repórter Cleide Lopes: Pelo menos quatro jogos deverão ocorrer em dias úteis, no meio do expediente da maioria dos trabalhadores brasileiros. E agora? Bem, a modernização trabalhista flexibilizou algumas regras e facilitou a negociação entre empregados e patrões para folgas e compensação de horas, sem prejuízos para nenhuma das partes. O funcionário da loja de festas, Douglas Rocha, está na empresa há três anos e diz que a folga com a compensação ajuda todo mundo.

 

Funcionário da loja de festas - Douglas Rocha: A negociação é bem amigável aqui, entendeu? Se a gente fica devendo hora, a gente consegue pagar.

 

Repórter Cleide Lopes: Segundo a legislação, se a compensação ocorrer no mesmo mês da liberação para os jogos, o acordo pode ser acertado entre patrão e empregado sem a necessidade de documento escrito ou validação do sindicato. Mas se a compensação ocorrer outro mês as regras mudam, como explica o diretor do Departamento de Fiscalização do Trabalho, João Paulo Machado.

 

Diretor do Departamento de Fiscalização do Trabalho - João Paulo Machado: Até a operação da legislação trabalhista no ano passado, a única hipótese de compensação por meio de banco de horas era por meio de um acordo de convenção coletiva. Após essa alteração, houve duas possibilidades novas, uma que é o acordo escrito entre o patrão e o empregado, que permite a compensação em até seis meses e uma segunda, que, por meio até mesmo de um acordo tácito realizado, desde que a compensação aconteça durante o próprio mês.

 

Repórter Cleide Lopes: E o Ministério do Trabalho também esclarece que os acordos devem garantir que o trabalhador não tenha prejuízo financeiro. Mas é importante deixar claro que este acordo entre empresa e seus funcionários precisa ocorrer. Se o trabalhador decidir faltar para assistir os jogos deliberadamente, a empresa poderá considerar falta e descontar, além desse dia, também os dias de feriado e de repouso. Reportagem, Cleide Lopes.

 

"Momento social".

 

Nasi: O Ministério do Desenvolvimento Social lançou o Programa Futuro na Mão, a ideia é levar educação financeira para os beneficiários do Bolsa Família.

 

Gabriela: A assistente social Katiane Ribeiro, de Registro, em São Paulo, quer saber porque o governo está investindo nesta ação. Quem responde é o ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame.

 

Assistente social - Katiane Ribeiro: Olá, ministro. Eu sou a Katiane, assistente social da cidade de Registro, em São Paulo, e queria informação de qual a importância de capacitar as mulheres para a educação financeira.

 

Ministro do Desenvolvimento Social - Alberto Beltrame: Katiane, a educação financeira é uma ferramenta muito importante para as pessoas saberem liderar com seu dinheiro. Por menor que seja sua renda, saber o que fazer e como poupar e utilizar o seu dinheiro é extremamente importante para que as pessoas possam atingir os seus sonhos. Nós,, do MDS lançamos recentemente o Programa Futuro na Mão, que é um programa de educação financeira. O objetivo desse programa é orientar mais de 200 mil mulheres do Bolsa Família como fazer a gestão do seu orçamento familiar, de como poupar, como entender melhor a lógica de como funciona o mercado bancário, como lidar com uma pequena conta bancária, gerenciar dívidas, evitar a geração de novas dívidas, a fazer uma pequena poupança para atingir um determinado objetivo, um determinado sonho.

 

Nasi: E se você também tem alguma pergunta sobre programas sociais, manda para a gente.

 

Gabriela: Pode ser por e-mail no endereço: voz@ebc.com.br. E tem também o nosso Facebook: facebook.com/bolsafamilia.

 

Nasi: A sua pergunta vai ser respondida aqui na Voz do Brasil, sempre na quinta-feira. Participe.

 

Gabriela: E essas foram as notícias do Governo Federal.

 

Nasi: Uma realização da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Gabriela: Com produção da Empresa Brasil de Comunicação.

 

Nasi: Fique agora com as notícias do Poder Judiciário e do Congresso Nacional. Uma boa noite.

 

Gabriela: Uma noite para você e até amanhã.

 

"Brasil, ordem e progresso".